Arc gis102 colecao_de_mapas

104 visualizações

Publicada em

Coleção de mapas

Publicada em: Software
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
104
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
2
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Arc gis102 colecao_de_mapas

  1. 1. 2 Processamento Digital é um endereço da Web criado pelo geógrafo Jorge Santos com objetivo de com- partilhar dicas sobre Geoprocessamento e Software Livre. A idéia surgiu no ano de 2009. O conteúdo do site é bem diversificado e os artigos procuram traduzir o conhecimento através de uma linguagem simples e objetiva, proporcionando aos visitantes um ganho significativo no aprendizado de Geoprocessamento e Processamento de imagens. Nosso logotipo é um satélite, pois amamos o conhecimento proveniente do Sensoriamento Remoto. • Para auxiliar na comprensão das constantes transformações que ocorrem na natureza e na sociedade através da execução de complexos processos espaciais. • Para dominar técnicas computacionais e produzir dados espaciais através dos Sistemas de Informação Geográfica (SIGs). • Para dar uma rápida resposta às crescentes demandas da sociedade e fornecer resultados que podem apoiar a tomada de decisão. • Porque somos um dos principais utilizadores e divulgadores de software proprietário e de código aberto no Brasil. • Pelo reconhecimento ao nosso trabalho desde o ano 2009. • Porque somos especialistas em SIG e Processamento de Imagens. • Porque nosso contato para solução de questões e dúvidas relacionadas ao uso da ferramenta se extende além do período de treinamento, consultoria ou mesmo uma atividade efetiva. Por que Geoprocessamento? Por que o Site Processamento Digital? Um pouco sobre a NOSSA VISÃO • Por se tratar do aplicativo SIG líder de mercado em todos os segmentos. • Pela sua sólida história de desenvolvimento de centenas de ferramentas para Análises Espaciais, Geopro- cessamento e automação de tarefas. • Pelo suporte fornecido pela crescente comunidade de utilizadores do Sistema ArcGIS nas Redes Sociais, Fóruns Internacionais, Sites, Blogs e Listas de E-mail. Por que utilizar o Sistema ArcGIS?
  2. 2. 3 t Um pouco sobre o NOSSO PERFIL É Geógrafo e atua na iniciativa privada comoTécnico em Geoprocessamento há oito anos. Durante este tempo, desen- volveu competências em ambiente de produção de dados e prestou diversas consultorias em Geoprocessamento pelo Brasil. Atualmente, tem desenvolvido capacitação em aplicativos SIG através de treinamentos viaWeb. Considero-me um profissional sério e com visão social.Tenho plena convicção de que o conhecimento faz a diferença na vida de uma pessoa, por isso, procuro contribuir para um mundo melhor através do meu site Processamento Digital, um espaço daWeb que utilizo para distribuir dicas para Geoprocessamento e Software Livre. Dentro das minhas possibilidades, costumo tirar dúvidas de amigos e visitantes do site nos finais de semana. Perfil Social jorgepsantos@outlook.com Jorge Santos (21) 9 9821-5240 /ProcessamentoDigital http://lattes.cnpq.br/1910845468254276 jorgepsantos2002 Além doconhecimentoem Geotecnologias, fuimilitarporseis anosetambémfuiinstrutornoExército.Jágerencieiequipes,atueinaconstruçãode sites comoWebDesigner, trabalhei em avaliação de software para Geoprocessamento, sou diagramador e fui expositor em Feiras e Eventos. Outras Competências Experiências • Representação discreta das feições ou formas presentes no espaço geográfico • Análises espaciais com geometrias de ponto, linha ou polígono • Vetores representados por arquivos Shapefile, DXF e KML, entre outros. • Representação contínua de fenômenos do espaço geográfico • Estrutura formada por linhas e colunas • Imagens de satélite, aerolevantamento, drone ou radar • Nível de detalhes diretamente relacio- nado com o tamanho do pixel. • Registro de informações associadas a geometria de ponto, linha ou polígono • Armazena o cálculo de comprimento, perímetro ou área geográfica das feições • Base de dados dos arquivos vetorais utilizada para o cadastro de informações alfanuméricas. Dados Vetoriais Dados Matriciais Dados Cadastrais Assuntos de Interesse do site Processamento Digital
  3. 3. 4 t Um pouco sobre o NOSSO PERFIL Graduando Geografia com ênfase em Meio Ambiente pela Pontifícia Universidade Católica (MG), conclusão do curso primeiro semestre de 2015, atuação em Geoprocessamento, área da Educação, Pesquisas sobre mapas históricos e Pla- nejamento urbano. Minhas experiências ocorreram tanto do âmbito público, como acadêmico. Primeiramente participei do PIBID, Programa de Incentivo de Bolsa à Docência, no qual durou 1 ano. Pude observar o ambiente escolar de forma a pensar o planejamento do ambiente em questão, em relação as estru- turas físicas, socioeconômicas e elaborar projetos que tratavam do Espaço,Tempo e o sujeito. O trabalho teve o início voltado para análise humana, que depois teria uma abordagem Cartográfica e a utilização do Geoprocessamento para tratamento dos dados. PIBID dcorrea@sga.pucminas.br / daniiigomes@hotmail.com Danielle Gomes (31) 9306-5319 / (31) 9460-8068 http://www.facebook.com/DanielleCGomesC http://lattes.cnpq.br/5948522971991249 daniiigomes Minha segunda experiência foi na Secretaria Municipal Adjunta de Gestão Compartilhada, na Sala de Situação do Governo de Belo Horizonte, no qual, foi estagiária durando 1 ano.Trabalhei com tratamento de tabelas Excel, criação de mapas temáticos, participação de reuniões referentes ao planejamento urbano de BH, fiz mini curso na área de geoprocessamento, mais especificamente ArcGIS 10.1. Participei como estagiária da SMAGC para o Orçamento participativo, organizando as bases de dados existentes referentes as obras realizadas, solicitadas e que iriam ser instituídas. SMAGC Experiências A terceira experiência e atual é no projeto de pesquisa“Contradições da modernização dos transportes em uma economia regional periférica. A longevapersistênciadostransportestradicionaisemMinasGerais,1870-1940”doProfessorMarceloGodoy,daUFMG/Cedeplar,nogeorreferencia- mento e vetorização dos mapas municipais de 1939 de Minas Gerais, além de coleta de dados, confecção de mapas temáticos, pesquisas históricas e publicação de artigo. Este é o artigo publicado na ocasião. Projeto de Pesquisa em Minas Gerais A quarta experiência foi no Plano Diretor da Região Metropolitana de Belo Horizonte com a criação de mapas temáticos e tratamento de bases, participação de reunião - eixo econômico. Plano Diretor da Região Metropolitana de Belo Horizonte Quinta experiência: participação do grupo LEMt da UFMG/ Cedeplar com o tema“Financeirização e espaço: uma análise para o caso brasileiro”, do Professor Marco Crocco, vinculada ao professor Anderson Cavalcante, com atuação na área do Geoprocessamento. Grupo LEMt da UFMG - Economia
  4. 4. 5 Conteúdo SUMÁRIO Capítulo 1..........................................................................6 Coleção de Mapas.....................................................................6 1.1. O que é uma“Coleção de Mapas”......................................6 1.2. Semiologia Gráfica: uma resposta para potencializar o seu mapa.........................................................................................6 Capítulo 2..........................................................................7 Como fazer a “Coleção de mapas”no ArcGIS 10.2...................7 2.1. Coleta de Dados.................................................................7 2.2. Elaborando a“Coleção de Mapas”no ArcGIS 10.2............7 Contatos............................................................................10 Processamento Digital – Geotecnologias e Software Livre....10
  5. 5. 6 1.1. O que é uma “Coleção de Mapas” A “Coleção de Mapas” é uma técnica utilizada para melhor visualização dos atributos de um mapa, quando possuem mais de um componente, por exemplo, dois tipos pontuais, sendo caracterizados pela representação gráfica de diversidade na Semiologia Gráfica, como é o caso do mapa exaustivo. Segundo Castro e Carvalho (2009) na coleção de mapas confecciona-se um mapa para cada atributo, solução ideal para obter respostas visuais instantâneas de conjunto (Como é a distribuição espacial de tal atributo?; onde está?), os autores ainda descrevem: Segundo Bertin (1988) os mapas construídos por superposição, são mapas para se Ler [exaustivos] e os mapas construídos por meio de coleção, são mapas para se Ver [Coleção de mapas] . Castro (2007) afir- ma que “o método de representação de informação espacial, por meio de mapas exaustivos e coleção de mapas, pode ser uma alternativa de solução gráfica para mapas impressos; tecnicamente, são rela- tivamente simples de serem elaborados em ambiente digital, inclsive com possibilidades de animação em apresentação de slides”. (CASTRO, CARVALHO, 2009). 1.2. Semiologia Gráfica: uma resposta para potencializar o seu mapa É uma proposta realizada por Bertin (1967) que segundo a UFF (2014) o ponto de partida da Semiologia Gráfica é não admitir um mapa ou um gráfico como sendo mera ilustração, tanto no processo de construção gráfica como no de sua apresentação, o autor deve obedecer às propriedades específicas da percepção visual. Tratando-se: Do domínio do raciocínio lógico (Martinelli, 1996). Não há convenções; fazer esta Cartografia significa mostrar a diversidade pela diversidade visual; a ordem pela ordem visual e a proporção pela proporção visual. Transgredir esta regra básica significaria realizar uma comunicação enganosa (Martinelli, 1990). (UFF, 2014) Capítulo 1 Coleção de Mapas
  6. 6. 7 2.1. Coleta de dados Caso não possua o arquivo shapefile com todas as informações necessárias, crie uma planilha no excel com as informações que serão utilizadas para a criação do banco de dados que suprirão a sua coleção de mapas a partir das coor- denadas geográficas (X,Y), caso você já possua o shapefile, não é necessário fazer o procedimento. Ver tutorial: http://bit. ly/1HSydrD. 2.2 Elaborando a “Coleção de Mapas” no ArcGIS 10.2 Abra o ArcGis, 10.2, insira os shapefiles que serão utilizados. Sempre lembre de conferir o sistema de coordenadas. Depois de inseridos os arquivos shapefiles que serão utilizados, faça o Layout e redefina o grid para fazer a coleção de mapas , adicione o “data frame” e o redefina para que fique do tamanho desejado. Capítulo 2 Como fazer a“Coleção de Mapas” no ArcGIS 10.2
  7. 7. 8 Nesse caso eu adicionei dois “data frame”, pois será a quantidade utilizada para minha coleção de mapas. Adicio- ne os arquivos shapefiles no data frame. Defina no symbology os atributos que serão destacados no mapa, clique com o botão direito no shapefile que será utilizado para definir as características de diversidade do símbolo, no caso, será definico os bancos públicos e privados na RMBH em 2007, clique em properties, em seguido symbology. Depois de definido o symbology do mapa principal, será definido e selecionado apenas o privado, no primeiro data frame, e o público no segundo data frame criado, para isso é necessário seguir os seguintes passos:
  8. 8. 9 Depois monte o seu mapa, com a legenda, norte, escala, título, grid e terá o seu resultado, a coleção de mapa
  9. 9. 10 Entre em CONTATO Jorge Santos Lattes: http://lattes.cnpq.br/1910845468254276 E-mail: jorgepsantos@outlook.com Skype: jorgepsantos2002 Danielle Gomes Lattes: http://lattes.cnpq.br/5948522971991249 E-mail: dcorrea@sga.pucminas.br / daniiigomes@hotmail.com Skype: daniigomes Processamento Digital – Geotecnologias e Software Livre Endereço: http://www.processamentodigital.com.br/ Twitter: http://twitter.com/jpsantos2002 Facebook: http://www.facebook.com/ProcessamentoDigital

×