O slideshow foi denunciado.
Seu SlideShare está sendo baixado. ×

Palestra planejamento estrategico

Anúncio
Anúncio
Anúncio
Anúncio
Anúncio
Anúncio
Anúncio
Anúncio
Anúncio
Anúncio
Anúncio
Anúncio
Próximos SlideShares
Estratégia de Negócios
Estratégia de Negócios
Carregando em…3
×

Confira estes a seguir

1 de 67 Anúncio
Anúncio

Mais Conteúdo rRelacionado

Diapositivos para si (20)

Quem viu também gostou (15)

Anúncio

Semelhante a Palestra planejamento estrategico (20)

Anúncio

Mais recentes (20)

Palestra planejamento estrategico

  1. 1. Planejamento Estratégico e Gestão de Projetos Digitais
  2. 2. Daniella Borges de Brito Publicitária, Empresária, Professora, Palestrante, Escritora e Blogueira. Formada em Publicidade e Propaganda pela Belas Artes de São Paulo 12 anos de experiência na área de Marketing Digital com passagem por grandes agências, como a Leo Burnett, Full Jazz e AgênciaClickIsobar. Atuou nas áreas de desenvolvimento, criação, planejamento e gerenciamento de projetos com grandes clientes tais como: Vick, ESPN, Kraft, Vivo, Bradesco, Citibank, Santander, Bank Boston, DHL, Fiat, Avon, etc. Proprietária da D2B Comunicação, agência de Marketing Digital com 3 anos de vida. Autora do livro Construindo um blog de sucesso com o WordPress 3 pela Editora Brasport Blogueira do Multiplicidades (blog próprio), ProfissionaisTI e Tecnocrata Digital. Já atuei como professora para a Impacta, Cadritech e Fit. Conselheira da Associação Comercial de São Paulo e membro do FJE. Sobre mim
  3. 3. Para que planejar?
  4. 4. 4 • Organizar ideias; • Estabelecer objetivos e metas; • Atingir um determinado objetivo; • Enxergar o horizonte; • Calcular os riscos e dificuldades; • Determinar o tempo de envolvimento na atividade.
  5. 5. Contexto Histórico 5 Inicialmente o planejamento estratégico estava relacionado com a política, táticas militares e econômicas do Estado. Com o surgimento da era industrial, o planejamento estratégico começou a ser utilizado nas empresas. A palavra ESTRATÉGIA vem do Grego, Strategos que significava plano de manobra. O termo utilizado militarmente referia-se ao plano elaborado pelo general cujo objetivo era indicar as manobras que seu exercito faria para derrotar o inimigo.
  6. 6. Autores 6
  7. 7. Definição do que é Planejamento Estratégico 7 Segundo Kotler, “planejamento estratégico é definido como o processo gerencial de desenvolver e manter uma adequação razoável entre os objetivos e recursos da empresa e as mudanças e oportunidades de mercado”. O objetivo do planejamento estratégico é orientar e reorientar os negócios e produtos da empresa de modo que gere lucros e crescimento satisfatórios. (Administração de Marketing, 1992, p.63)
  8. 8. Definição do que é Planejamento Estratégico 8 Drucker (1977) define Planejamento Estratégico como um processo contínuo, sistemático, organizado e capaz de prever o futuro, de maneira a tomar decisões que minimizem riscos. (Introdução a Administração, 1977, p.35)
  9. 9. 9 Para executar este sistema contínuo e organizado, que é o planejamento estratégico, devemos utilizar metodologias e ferramentas.
  10. 10. 10 Segundo Jon Steel, autor do livro A arte do planejamento, o planejador tem as seguintes funções: • Descobrir uma solução estratégica do problema; • Transformar informação em conhecimento; •Tornar a comunicação relevante e diferenciada; • Questionar todos os dados e o consumidor até conseguir o insight que ajude a criação; • Compreender e sintetizar dados; • Ter intuição para interpretar informações com inteligência e inovação; • Entender todo o universo da empresa, seus funcionários, fornecedores e revendedores; • Ver o que ninguém mais vê;
  11. 11. 11 Planejadores mudam os rumos da marca em seu cenário habitual. Se isso não é ser criativo, o que é?
  12. 12. 12 E então qual a metodologia devemos utilizar?
  13. 13. 13 A metodologia que você quiser!
  14. 14. 14 Tudo começa com um bom brainstorming
  15. 15. 15 Segundo Diego Brito, no livro Criação de Sites na era da Web 2.0 explica que a técnica consiste em pensarmos em um problema e a partir dele propormos diversas soluções de maneira frenética, ou seja, sem muitas delongas. O objetivo é expelir a maior quantidade possível de sinapses que o seu cérebro possa efetuar.
  16. 16. 16
  17. 17. Metodologia proposta: 17 1. Identificar o problema 2. Pegar papel e caneta 3. Formar uma equipe 4. Definição dos papéis 5. Início
  18. 18. 18
  19. 19. 19 Análises prognósticas
  20. 20. 20 As análises prognósticas são compostas de um levantamento de diversas informações e elementos-chave. O resultado das análises prognósticas é a geração de um documento (documento de prognóstico) que deverá conter informações detalhadas sobre a empresa, pessoa, organização, etc.
  21. 21. 21 1. Empresa 2. Marca 3. Produto ou Serviço 4. Mercado 5. Distribuição 6. Preço 7. Público-Alvo 8. Customer Goals 9. Processo de Negócio 10.Reflexão 11.Matriz BCG 12.Concorrência 13.Referências 14.Análise SWOT 15.Análise de cenário
  22. 22. 22 O supra-sumo da análise prognóstica é a estratégia do projeto. Este documento tem como finalidade esclarecer qual deverá ser a forma de alcançar os objetivos almejados.
  23. 23. 23 No planejamento estratégico de campanhas também deve constar o plano de ação e táticas. No caso de um planejamento de criação de um site, respostas sobre o layout, conteúdo e tecnologia podem aparecer. Para ações digitais pode ser avaliada a concorrência nas redes sociais, palavras mais buscadas do segmento no Google, posicionamento da marca no Google, o que se fala da marca nas redes sociais, etc.
  24. 24. 24 KPIs e ROI KPIs são indicadores chave de desempenho. Através deles é possível saber se o projeto, campanha ou ação está dando alcançando o objetivo almejado. O ROI é o retorno sobre o investimento. O planner pode pontuar qual o retorno que o cliente deseja. É aumento da percepção da marca? Aumento nas vendas? Aumento no número de clientes?
  25. 25. Lembre-se que o planner sempre tem que ter em mente: 25 Agregar valor para a empresa, acionistas e para o cliente. Questionar se seu planejamento estratégico de marketing está alinhado com vendas.
  26. 26. 26 Diagrama de Pareto Desenvolvida por Joseph Moses Juran, é também conhecida como Diagrama de Pareto, ou Regra 80/20, ou seja, 80% dos 20% do tempo problemas são geralmente causados por 20% gasto em dos fatores. planejamento O diagrama de Pareto tem o objetivo de economiza até compreender a relação entre a ação e o 80% do tempo benefício, priorizando a ação que trará o melhor resultado. de execução. É uma forma de descrição gráfica onde procuramos identificar quais itens são responsáveis pela maior parcela dos problemas.
  27. 27. Diagrama de Pareto 27
  28. 28. 28
  29. 29. 29 Atravessando o Abismo Do livro de Geoffrey A. Moore (em inglês: Crossing the Chasm), publicado inicialmente em 1991, que se dedica a temas específicos do marketing de produtos de alta tecnologia. Moore apresenta a ideia que dentro do ciclo de vida de adoção de tecnologias definidos por Everett Rogers existe um abismo entre os segmentos de Pioneiros e de Maioria Inicial (pragmáticos). O autor sugere técnicas para atravessar este abismo, incluindo escolher um mercado alvo, compreender a noção do “produto total”, posicionamento do produto, estratégias de marketing, escolha do canal de distribuição e preços apropriados.
  30. 30. 30 1.Entusiastas ou Inovadores (Innovators) – São os que compram tecnologia pelo puro interesse na tecnologia. 2. Pioneiros (Early Adopters) – São os primeiros a comprar pelos benefícios intrínsecos sendo oferecidos. 3. Maioria Inicial (Pragmáticos) – São aqueles que dependem dos benefícios da nova tecnologia, mas esperam outros para ver como podem se beneficiar. 4. Maioria Tardia (Conservadores) – São aqueles que não se interessam pela tecnologia em si, esperam uma parcela maior adquirir e compram baseado em fatos. 5. Retardatários – São aqueles que usam as tecnologias somente quando não possuem outra forma para executar uma tarefa que seja muito importante. Tais segmentos são representados em uma distribuição normal
  31. 31. 31
  32. 32. CHECKLIST - 5w2h 32 A ferramenta se utiliza de perguntas para gerar um planejamento e implantar as soluções apontadas pelas respostas obtidas para o um determinado problema. O nome é derivado das iniciais das palavras em inglês What, When, Why, Where e Who, e o 2H, às palavras How e à expressão How Much. A origem dessa ferramente é atribuída a Marcus Fabius Quintilianus entre os anos 30 e 100 D.C. que observava que para se ter a compreensão do público sobre qualquer tema era necessário a utilização de um grupo de seis perguntas.
  33. 33. A técnica de utilização consiste em responder às seguintes perguntas: 33 O planejamento da atividade deve prever a elaboração da estratégia de ação, envolvendo os atores do processo e a partir de respostas às perguntas, elaborar um plano de ação específico com o objetivo de resolver o problema em questão.
  34. 34. 34
  35. 35. Diagrama de Ishikawa 35 Proposto pelo engenheiro químico Kaoru Ishikawa da Universidade de Tóquio em 1943, também denominado de “Espinha de Peixe”, pelo formato que apresenta, ou de diagrama de causa e efeito. Trata-se de um instrumento indicado para gerenciamento e controle de processos, permitindo uma visão global do assunto em estudo. Desenho de um diagrama com a seguinte estrutura: 1. Cabeça: que corresponde ao problema a ser analisado; 2. Escamas: relativas aos fatores que influenciam no problema, incluindo as subcausas, consequências e as providências a serem tomadas para a resolução do mesmo.
  36. 36. Diagrama de Ishikawa 36 A construção do diagrama deve envolver as pessoas afetas ao problema em análise que determinam o ponto focal a ser estudado. Por meio de sessões de discussão e palpites de ideias determinam-se as principais causas que afetam o problema. Em seguida, utilizando-se do diagrama/esqueleto do peixe colocam-se nas ramificações as causas consideradas primárias, em seguida parte-se para identificação das causas secundárias e assim
  37. 37. 37
  38. 38. 38 Fonte: http://bmgenbrasil.com/estrategistavisual/
  39. 39. 39 Nós temos um planejamento estratégico. Ele se chama: fazer as coisas. Herb Kelleher
  40. 40. 40 Atendimento e Gerenciamento de Projetos
  41. 41. 41
  42. 42. Os clientes sabem o que querem ? 42 Os clientes normalmente sabem exatamente o que NÃO precisam, depois de ver o produto; • Mesmo quando dizem que sabem o que precisam, a informação deve ser vista e revista novamente; • À medida que o produto se desenvolve (fica mais tangível), os clientes vêem novas possibilidades e tentam mudar o projeto de acordo com elas; • Seu projeto fracassará se o produto não for corretamente utilizado ou não atender as especificações de seu cliente.
  43. 43. 43 O principal desafio do atendimento é entender o que o cliente quer, e o principal desafio do gerente de projetos é idealizar o que o cliente quer.
  44. 44. 44 Na agências digitais é comum encontrarmos o perfil misto de atendimento e gerenciamento de projetos.
  45. 45. Funções do atendimento e gerente de projetos 45 • Entender as necessidades e expectativas do cliente; • Ser o cliente na agência e a agência no cliente; • Entender as peculiaridades de cada área na agência e integrar os departamentos afim de extrair as melhores ideias para o desenvolvimento do projeto; • Criar, acompanhar e cumprir o cronograma; • Repassar status report para o cliente constantemente; • Supervisionar as equipes afim de cumprir o cronograma; • Sanar dúvidas do departamento; • Deixar claro o escopo do projeto para todos os stakeholders; • Gerenciar o projeto através da metodologia utilizada pela empresa;
  46. 46. Disciplinas 46 Competência Competência de Negócio Gerencial Práticas e Práticas e Conhecimento Conhecimento Competência em de Gerencia Técnica Áreas de em Geral Práticas e Aplicação Conhecimentos geralmente aceitos em Gerencia de Projetos
  47. 47. Skill 47 • pró-ativo • bom ouvinte • tentar novas ideias • planejar bem • perseverante • decisivo • orientado a objetivos • ter auto-confiança • comunicativo • team builder • motivador • ter poder de persuasão • organizado • entusiasta • saber priorizar • energético • sensível a pessoas e • criativo situações • saber delegar • facilitador • metódico • treinador (coaching) • bom negociador
  48. 48. O que é um Projeto ? 48 “Um empreendimento temporário, com objetivo de criar um produto, serviço ou resultado único.” Pmbok, 2004 pág.5
  49. 49. O que é um Programa? 49 “Um programa é um grupo de projetos gerenciados de forma coordenada, visando obter benefícios difíceis de serem obtidos quando gerenciados isoladamente.” Pmbok, 2004 pág.16
  50. 50. O que é Gerência de Projetos? 50 “Gerência de Projetos é a aplicação de conhecimentos, habilidades, ferramentas e técnicas nas atividades do projeto com o objetivo de atender os requisitos do projeto.” Pmbok, 2004 pág.9 - PMI
  51. 51. O que é Gerência de Projetos? 51 Gerencia de Projetos envolve o balanceamento entre: • Escopo, tempo, custo e qualidade; • Stakeholders com diferentes necessidades e expectativas; • Requisitos identificados (necessidades) e requisitos não identificados (expectativas). Pmbok, 2004 pág.9 - PMI
  52. 52. O que são Stakeholders? 52 Stakeholders são indivíduos, grupos de indivíduos ou organizações que podem influenciar de maneira positiva ou negativa o projeto. Pmbok, 2004 pág.9 - PMI
  53. 53. As 9 áreas de conhecimento 53
  54. 54. 54 Integração Plano, execução do plano do projeto e controle geral de mudanças. Escopo Iniciação, planejamento, detalhamento, verificação do escopo e controle de mudanças. Gerência do Tempo do Projeto Definição, sequência, estimativa e duração das atividades, desenvolvimento e controle do cronograma.
  55. 55. 55 Gerência do Custo do Projeto Planejamento dos recursos, estimativa, orçamento e controle dos custos. Gerência da Qualidade do Projeto Planejamento, garantia e controle da qualidade. Gerência das Comunicações do Projeto Planejamento das comunicações, distribuição das informações, relatório de desempenho, gerenciar as partes interessadas.
  56. 56. 56 Gerência dos Riscos do Projeto Plano de gerência do risco, identificação e análise qualitativa dos riscos, plano de respostas aos riscos, monitoramento e controle. Gerência das Aquisições do Projeto Planejamento e preparação das aquisições, obtenção de propostas, seleção de fornecedores, administração dos contratos e encerramento do contrato. Gerência dos Recursos Humanos do Projeto planejamento organizacional, montagem e desenvolvimento da equipe.
  57. 57. 57 Planejamento Controle Gerenciament o
  58. 58. Metodologias 58
  59. 59. Plano de Projeto 59 Um plano de projeto inclui as ações necessárias para definir, coordenar e integrar todos os planos auxiliares do projeto. O conteúdo do plano irá variar dependendo da área de aplicação e complexidade do projeto. A elaboração do plano antecede a etapa de planejamento de projeto.
  60. 60. Plano de Projeto – Sumário Executivo 60 • Project Charter • WBS (Estrutura Analítica do Projeto) • Cronograma • Plano de gerência de custos e baseline e performance • Plano de Qualidade • Plano de Recursos Humanos • Plano de Comunicação, incluindo matriz de responsabilidades • Plano de gerência de Riscos • Plano de Aquisições • Avaliação para fechamento do projeto • Glossário e definições • Outras informações
  61. 61. Alguns Artefatos 61 • Briefing; • Escopo do projeto; • Cronograma; • Status Report; • Matriz de escopo;
  62. 62. Briefing – Criação de Sites 62 • Resumo sobre a empresa • Breve histórico • Qual é o público-alvo da empresa? • Como a empresa se posiciona no mercado? • Qual é o principal produto / serviço da empresa? • Qual é a relação da empresa com a Internet? • Motivo de criação do novo site? • Retorno esperado? • O cliente já possui o conteúdo para incluir no site? • Qual a expectativa de conclusão do projeto? • Quais são os sites dos principais concorrentes? • De quais sites a empresa mais gosta?
  63. 63. Escopo do Projeto 63 • Qual é o objetivo do projeto? • Definição do problema ou situação geradora do projeto (problema, necessidade, desafio, oportunidades ). • Detalhamento do escopo. • Restrições, premissas e o que fica fora do escopo.
  64. 64. Cronograma 64
  65. 65. WBS 65
  66. 66. Ferramentas 66
  67. 67. 67 Muito obrigada pelo seu tempo. @daniellaborges daniella.borges@d2b.com.br www.daniellaborges.com.br www.d2bagenciadigital.com.br

Notas do Editor

  • IntegraçãoDescreve os processos necessários para assegurar que os diversos elementos do projeto sejam adequadamente coordenados. EscopoDefine os processos necessários para assegurar que o projeto contemple todo o trabalho requerido, e nada mais que isso, para completar o projeto com sucesso.

×