TV e Mídias Digitais

922 visualizações

Publicada em

Aula da disciplina de História da TV e Comunicação Digital. Curso de Cinema e Mídias Digitais. IESB, Brasília. Agosto, 2011.

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
922
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
117
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
23
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

TV e Mídias Digitais

  1. 1. História da TV e comunicação digital <ul><li>AULA 4 </li></ul><ul><li>TV e mídias digitais </li></ul><ul><li>Prof. Daniel Hora </li></ul><ul><li>[email_address] </li></ul>
  2. 2. Mídias digitais: elementos da hipermídia <ul><li>Link e node </li></ul><ul><li>hipertexto e hipermídia = banco de nodos/nós (telas) conectados por links (conexões mecânicas) e ícones de links (que definem a localização dos links no texto) </li></ul>
  3. 3. Rede de instituições – Reino Unido
  4. 4. Mapa do modernismo - Alfred Barr, 1936
  5. 5. Redes e trabalho/jogo em grupo
  6. 6. Link: unidade primordial da hipermídia <ul><li>sinônimos: elo, vínculo, jump, conexão, interconexão, linking, nexo, cross reference, associação, path e trail, caminho, hotlink, hotword, hyperlink, atalho </li></ul><ul><li>inter-relação entre conteúdos e entre usuários e conteúdos </li></ul><ul><li>Steven Johnson: link é nova forma significante de pontuação do hipertexto. nova gramática e sintaxe. </li></ul><ul><li>George Landow: link é o que permite o acesso ou a navegação para qualquer conteúdo a partir de outro selecionado dentro do hipertexto. Leitura e reescrita </li></ul>
  7. 7. Formas de link, segundo Landow <ul><li>lexia-lexia unidirecional </li></ul><ul><li>lexia-lexia bidirecional </li></ul><ul><li>linha-lexia </li></ul><ul><li>linha-linha </li></ul><ul><li>conexão um-para-muitos </li></ul><ul><li>conexão muitos-para-um </li></ul><ul><li>link personalizado </li></ul>
  8. 8. lexia-lexia unidirecional <ul><li>mais simples / passagem sem retorno </li></ul><ul><li>entre documentos (desorientação) </li></ul>
  9. 9. lexia-lexia unidirecional jodi, http://wwwwwwwww.jodi.org/, 1995
  10. 10. lexia-lexia bidirecional <ul><li>retorno pelo mesmo caminho </li></ul><ul><li>navegação comum na web: </li></ul><ul><li>cliques, histórico, botão de retorno, favoritos </li></ul>
  11. 11. linha-lexia <ul><li>orientação simples de sentido </li></ul><ul><li>entre frase e documento </li></ul>
  12. 12. linha-lexia Michael Joyce - afternoon, a story, 1990 http://www.wwnorton.com/college/english/pmaf/hypertext/aft/
  13. 13. linha-linha <ul><li>navegação para um trecho ou palavra exata </li></ul>
  14. 14. conexão um-para-muitos <ul><li>mais linhas e lexias </li></ul><ul><li>pode atender a contento o leitor </li></ul>
  15. 15. conexão muitos-para-um <ul><li>diversos textos levados para um texto </li></ul><ul><li>múltiplas referências </li></ul>
  16. 16. link específico <ul><li>link com relacionamentos específicos </li></ul>pop up
  17. 17. Conteúdo: substrato da hipermídia <ul><li>- Sinônimos: página, tela, nodo, nódulo, lexia (unidade de leitura), nó, texto, documento informação </li></ul><ul><li>Textualidade/narrativa </li></ul><ul><li>dividida em blocos de significação </li></ul>
  18. 18. Acesso por níveis de complexidade <ul><li>1- play, stop, ff, reverse, como controles de exibição de vídeo </li></ul>
  19. 19. Acesso por níveis de complexidade <ul><li>2- botões pré-codificados para localizar movimentos particulares, como um menu de vídeo </li></ul>
  20. 20. Acesso por níveis de complexidade <ul><li>3- todo tipo de acesso e controle de uma obra interativa, com links para tudo e identificadores chamados metadados </li></ul>
  21. 21. Interatividade em evolução <ul><li>Interatividade = comunicação + escolha </li></ul><ul><li>Brenda Laurel: </li></ul><ul><li>- Interatividade contínua (medida por frequência da interação, alcance e significância) </li></ul><ul><li>- Primazia da ação – transparência (foco somente nos objetos de trabalho) e envolvimento direto </li></ul><ul><li>- imersão ou reflexão? Depende da interface </li></ul>
  22. 22. Interface invisível? Minority Report, Spielberg, 2002 Kinect para Xbox
  23. 23. Interface revelada? Noite Americana, Truffaut, 1973 Kovacs Unlimited, Ernie Kovacs, 1952-54
  24. 24. Híbridos – invisibilidade e opacidade FEAR, Monolith Productions, 2005 WarioWare, Nintendo, 2003
  25. 25. Cinema, TV, CD-ROMs, livros, instalação The Tulse Luper Suitcases, Peter Greenaway, 2003-2011 (três longas, série de TV, 92 DVDs, website, CD-ROMs, livros, game, instalação, performance multimídia)
  26. 26. Realidade física e virtual misturadas <ul><li>Jogos de realidade alternativa </li></ul><ul><li>Situações de jogo combinadas com a realidade </li></ul><ul><li>Sites, e-mail, telefones, intervenções urbanas, mídias sociais, games, TV... </li></ul>The Truth about Marika, 2007
  27. 27. Metáforas da interface <ul><li>Lev Manovich: o que separa dois espaços absolutamente diferentes, porém coexistentes </li></ul><ul><li>Steven Johnson: a interface é feita de metáfora, e quanto maior a distância entre as coisas que liga, melhor </li></ul><ul><li>A interface segue o padrão da TV dos anos 40 </li></ul><ul><li>Netscape, HyperCard, CD-ROM - caixa com botões </li></ul>
  28. 28. HyperCard, 1978, metáfora do fichário
  29. 29. Director: metáfora da linha do tempo
  30. 30. TV digital: imitação da web em tela grande
  31. 31. Hipervídeo HyperCafe - Nitin Nick Sawhney, David Balcom, Ian Smith, 1996
  32. 32. Rotas pelo produto não-/multi- linear <ul><li>Um discurso decorrido pelo usuário, feito a partir do discurso armazenado </li></ul>
  33. 33. Cinema e roteiro não-linear <ul><li>- narrativa temporal não-linear, com relações entre períodos diversos. Ex: Amnésia, Christopher Nolan, 2000 </li></ul>
  34. 34. Cinema e roteiro não-linear <ul><li>- narrativa por desconstrução espacial. Ex: Being John Malkovich, Spike Jonze, 1999 </li></ul>
  35. 35. <ul><li>- narrativas simultâneas. Exemplos: </li></ul><ul><ul><li>* sobreposição de ações </li></ul></ul><ul><ul><li>trucagem: Um Homem com uma Câmera, Vertov, 1929 </li></ul></ul><ul><ul><li>profundidade de campo: Citizen Kane, Orson Welles, 1941 </li></ul></ul>Cinema e roteiro não-linear
  36. 36. <ul><li>- narrativas simultâneas. Exemplos: </li></ul><ul><ul><li>* sobreposição de telas: Livro de Cabeceira, Peter Greenaway, 1996 </li></ul></ul>Cinema e roteiro não-linear
  37. 37. <ul><li>- narrativas simultâneas. Exemplos: </li></ul><ul><ul><li>* encadeamento de telas em projeção simultânea: Timecode - Mike Figgs, 2000 </li></ul></ul>Cinema e roteiro não-linear

×