O slideshow foi denunciado.
Utilizamos seu perfil e dados de atividades no LinkedIn para personalizar e exibir anúncios mais relevantes. Altere suas preferências de anúncios quando desejar.

Panorama internacional da arte eletrônica

348 visualizações

Publicada em

aula expositiva para a disciplina de Arte Eletrônica, do curso de Artes Visuais da Universidade de Brasília.

Publicada em: Educação
  • Seja o primeiro a comentar

Panorama internacional da arte eletrônica

  1. 1. Panorama internacional da artemídiaDaniel HoraUniversidade de Brasília | Instituto de ArtesDepartamento de Artes Visuais | Brasília, 2013
  2. 2. http://wwwwwwwww.jodi.org/, 1995 - jodiarte digital: arte e tecnologia + arte comunicaçãodesconstrução da linguagem tecnológica (Nam June Paik)remixagem de elementos encontrados (Dada)o meio de comunicação como suporte para a arte (arte postal)internet: informacionalismo, redes distribuídas, globalização
  3. 3. Temas e tendências da artemídiaColaboração e participaçãoApropriação e código abertoParódia corporativaHackerismo e hacktivismoIntervençõesIdentidadeTelepresença e vigilânciaReferências:TRIBE, Mark; JANA, Reena. New MediaArt. Colônia, Alemanha: Taschen, 2009.+ pesquisas próprias em catálogos epáginas de artistas, publicações einstituições na internet
  4. 4. Colaboração e participaçãoherança da arteparticipativa – perfomancee happeningsUmbrella.net, 2005Jonah Brucker-Cohen andKatherine MoriwakiUma série de guarda-chuvasbrancos circulam em um espaçopúblico, equipados computadoresportáteis que formam uma redede comunicação entre si,demonstrada pelo uso deiluminação com LEDs
  5. 5. Colaboração e participaçãoherança da arteparticipativa – perfomancee happeningsDialtones: A Telesymphony, 2001Golan Levin and collaboratorsConcerto de larga escalaproduzido inteiramente com ossons coreografados dos celularesda audiência
  6. 6. Colaboração e participaçãocoletivos, grupos, redes, alcateias, enxames, matilhasDobras/Folds, 1997Corpos Informáticos
  7. 7. Colaboração e participaçãoComo no cinema, projetoscomplexos exigem formaçõesdiversasenvolvimento deprogramadores, artistas,ativistas, entre outroscoletivos como opçãocrítica e tática – contra oautoritarismo autoral e ocorporativismo capitalistaCarnivore Personal Edition, 2001Radical Software Group
  8. 8. Carnivore Personal Edition, 2001Radical Software Group
  9. 9. CPE Zero Client, 2001Radical Software Group
  10. 10. Amalgamatmosphere, 2001Joshua Davis + Branden Hall + Shapeshifter
  11. 11. Guernica, 2001Entropy8Zuper!
  12. 12. Guernica, 2001Entropy8Zuper!
  13. 13. Black and White, 2003Mark Napier
  14. 14. Fuel, 2002Scott Snibbe
  15. 15. World Wall Paper, 2002area3
  16. 16. JJ (Empathic Network Visualization), 2002Golan Levin
  17. 17. PoliceState, 2003Jonah Brucker-Cohen
  18. 18. Active_Metaphor, 2002Limiteazero
  19. 19. Colaboração e participaçãoNBP, 1993Ricardo Basbaumhttp://nbp.pro.br/
  20. 20. Colaboração e participaçãoWikinarua, 2009Suzete Venturelli eLaboratório dePesquisa em Arte eRealidadeAumentadahttp://wikinarua.com/
  21. 21. Colaboração e participaçãointeratividadeapropriações e leiturasnão-linearesMy Boyfriend Came Back from theWar, 1996 – Olia LialinaA narrativa se desdobra em telas empreto e branco com fragmentos detexto. Ao clicar em link, a tela sedivide em frames que revelam umnovo texto e imagem correspondentesàs múltiplas ramificações da históriahttp://myboyfriendcamebackfromth.ewar.ru/
  22. 22. My Boyfriend Came Back From the WarRemix, 1998, Vadim Epstein (recovered)
  23. 23. My Boyfriend Came Back From the WarBlog mix, 2004, abe linkoln
  24. 24. My Boyfriend Came Back From the WarChilian version, tribute to Antuco soldiers, Ignacio Nieto, 2005
  25. 25. My Boyfriend Came Back From the WarFlash, 2000, Auriea Harvey&Michael Samyn
  26. 26. My Burger Came Back from the WarHTML, JavaScript, Guthrie Lonergan, 2012
  27. 27. Don Quixote came back from the libraryby santo_file group, 2006
  28. 28. Colaboração e participaçãoComo no cinema, projetoscomplexos exigem formaçõesdiversasenvolvimento deprogramadores, artistas,ativistas, entre outroscoletivos como opçãocrítica e tática – contra oautoritarismo autoral e ocorporativismo capitalistaCarnivore Personal Edition, 2001Radical Software Group
  29. 29. Carnivore Personal Edition, 2001Radical Software Group
  30. 30. CPE Zero Client, 2001Radical Software Group
  31. 31. Amalgamatmosphere, 2001Joshua Davis + Branden Hall + Shapeshifter
  32. 32. Guernica, 2001Entropy8Zuper!
  33. 33. Guernica, 2001Entropy8Zuper!
  34. 34. Black and White, 2003Mark Napier
  35. 35. Fuel, 2002Scott Snibbe
  36. 36. World Wall Paper, 2002area3
  37. 37. JJ (Empathic Network Visualization), 2002Golan Levin
  38. 38. PoliceState, 2003Jonah Brucker-Cohen
  39. 39. Active_Metaphor, 2002Limiteazero
  40. 40. Apropriação e código abertocolagens e materiais do cotidianobancos de dados digitaiscultura do copia e colaAfter Sherrie Levin, 2001Michael MandibergPublicação na internet de imagensescaneadas de um catálogo comfotografias de 1979 da artista SherrieLevine, que por sua vez registramfotos feitas por Walker Evans na épocada Grande Depressão nos EUA.
  41. 41. Apropriação e código abertosoftware livre – cultura livrealternativa de distribuiçãocontra a indústria culturalcultura do compartilhamentoSuper Mario Clouds, 2001Cory ArcangelHackeamento para extrair todoselementos gráficos do game SuperMario Bros, com exceção das nuvens.Código publicado para os interessados
  42. 42. Apropriação e código abertoOPUS (Open Platform for Unlimited Signification), 2001Raqs Media CollectivePlataforma e programa que permite a criação e exibição de produtos de mídia, quepodem ser recombinados no trabalho de outros artistas.
  43. 43. Apropriação e código abertoreferência ao remixhip hop e dance musicBUST DOWN THE DOOR AGAIN! GATES0F HELL-VICTORIA VERSION, 2004Young-Hae Chang Heavy IndustriesRemix do trabalhoBUST DOWN THE DOORS!, de 2000,que narra a história de uma invasãonoturna a uma casa por agressoresdesconhecidos.
  44. 44. Apropriação e código abertoI Love Yr GIF, 2007 – Giselle Beiguelman (remix da net.art para web e app)
  45. 45. Apropriação e código aberto
  46. 46. Apropriação e código aberto
  47. 47. Apropriação e código aberto
  48. 48. Apropriação e código aberto
  49. 49. Paródia corporativaimitação da estética e retórica dos sites de empresasmarcas e slogansAirworld, 1999Jennifer & Kevin McCoyImitação de site corporativo, comseções típicas como soluções,tecnologias, compras e associações.Os textos são produto de uma basede dados de informações captadasem sites comerciais edescontextualizadas. O projeto foidivulgado por meio de banners depublicidade na internet.
  50. 50. Paródia corporativawww.rtmark.com, 1996-2002®TmarkArquivo de projetos do coletivo queimita a linguagem e o visual de sitescorporativos.
  51. 51. Paródia corporativaFreakpedia, 2007Edgar Franco e Fabio FON
  52. 52. Hackerismo e hacktivismoartistas que se consideram hackersou adotam práticas e conceitos da comunidade hackerChild as Audience, 2001Critical Art EnsembleCD-ROM inclui instruções para quebraro código e alterar jogos do consoleGameBoy
  53. 53. Hackerismo e hacktivismohackear o próprio sistema (operacional) da arteFemale Extension, 1997Cornela SollfrankA artista desenvolveu em conjuntocom hackers um software para gerartrabalhos de Net art a partir deamostras e remixagem de elementosde sites existentes. Para indicar osexismo das práticas de curadoria daarte contemporânea, ela submeteu200 projetos a um concurso de umagaleria, com autoria identificada compseudônimos femininos.
  54. 54. Hackerismo e hacktivismoBlinkenlights, 1997Chaos Computer Clubhttp://blinkenlights.net/
  55. 55. Hackerismo e hacktivismoFloresta Vermelha, 2012Direção: Flavio Soareshttp://florestavermelha.org/
  56. 56. Hackerismo e hacktivismoEngrenagem, 2007Maíra Salahttp://geral.etc.br/engranaje/
  57. 57. Hackerismo e hacktivismorelação com movimentos sociais e desobediência civilZapatista TacticalFloodnet,1998Electronic DisturbanceTheatre Ataque de negação deserviço contra sites debancos e da presidência doMéxico.
  58. 58. Intervençõesmídia como espaço de intervençãoVelvet Strike,1998Anne Marie Schleiner, Joan Leandre &Brody CondonIntervenções dentro do jogo online debatalhas Counter Strike. As ações incluema manipulação de personagens paraatuações pacíficas, em lugar daagressividade esperada, irritando osjogadores habituais
  59. 59. Intervençõesações mediadas pela tecnologiano espaço urbanoPedestrian, 2001-2002Paul Kaiser and Shelley EshkarProjeção de animações emcomputação gráfica sobre calçadas epraças públicas
  60. 60. IntervençõesSOD, 1999Jodihttp://sod.jodi.org/Modificação do videgame Wolfstein3D.
  61. 61. IntervençõesCrepúsculo dos Ídolos, 2008Jarbas Jácome
  62. 62. Intervençõeswalkmonster_start (), 200JodiPoema publicado na lista de e-mailsNettime, com texto que se comportacomo código-fonte.
  63. 63. Identidadeconstrução e visualizaçãomodo indiretoMouchette.org, 1996 -MouchetteApresentado como trabalho de umamenina de 13 anos, o projeto indica amaleabilidade e indeterminação daidentidade online por meio de umapersonagem de ficção. O artista portrás da iniciativa é desconhecido.
  64. 64. Identidadeconstrução e visualizaçãomodo diretoBrandon, 1998Shu Lea CheangSite sobre a história real deTeena Brandon, uma jovemassassinada por ter se passadopor um rapaz
  65. 65. IdentidadeAndros Hertz, 2004Helga Stein
  66. 66. IdentidadeArtista Invasor, 2006Yuri FirmezaArtista japonês(Souzousareta Geijutsuka)inventado, iludindo amídia.
  67. 67. IdentidadeMarcelo do Campo, 2002Dora Longo Bahiahttp://marcelodocampo.org/
  68. 68. Telepresença e vigilânciaencurtamento e diluição das distânciasTelegarden, 1995Ken GoldbergO projeto permite que pessoasem qualquer lugar do mundocultivem flores e plantas deum jardim por meio docontrole de um braço robóticoacessado em rede.
  69. 69. Telepresença e vigilânciavigilância como– mal necessário– entretenimentoDemonstrate, 2004Ken GoldbergCâmera telerrobótica captaimagens para um site, em queé possível observar atividadesem uma praça do campus deBerkeley da Universidade daCalifórnia, um dos berços domovimento de Liberdade deExpressão na década de 1960
  70. 70. Telepresença e vigilânciaSurveillance Camera Players
  71. 71. Telepresença e vigilânciaResíduos Remotos, 2011-12Tina Velho

×