SlideShare uma empresa Scribd logo
ENERGIA: PRESENTE E FUTURO. ,[object Object]
O cenário mundial;
 O Brasil e seu equilíbrio.,[object Object]
A forma mais primária, fácil e barata de produzir energia é a ígnea: queimar um material para obter calor e luz. Com o tempo o ser humano aprendeu a utilizar diversas formas de energia como: O vento nas velas dos barcos (Antiguidade); A água para girar as pás dos moinhos (Idade Média). Séc. XVIII: a máquina a vapor estimulou a industrialização com o uso do carvão mineral. HISTÓRIA: Termelétrica
HISTÓRIA: Séc. XX: o Petróleo passa a ser a fonte primária de energia mais empregada no mundo. 1970: a Matriz mundial de energia sofreu grande abalo com a elevação do preço do petróleo. Década de 1990: outro fator importante, o alerta para o aquecimento global gerado pelos gases de materiais fóssil. Vão surgir as usinas de eletricidade eólicas e solares.
Petróleo Principal energético mundial. Dele são extraídos: gasolina, óleo diesel, querosene. E matérias-primas para a produção de polímeros, plásticos, vinis, tintas.
Conceitos de Energia (composição das matrizes): Renováveis: Fontes naturais: Hídrica, Eólica. O que é possível repor: Lenha. Não Renováveis: Que vão se esgotar: Urânio, Petróleo, Gás natural, Carvão Mineral Energia Eólica
Energia Solar Energia Limpa: Fazem menos mal à saúde e ao ambiente. Mais importantes: Hídrica, Eólica e Solar. Dever ser constantemente pesquisada e aprimorada.  Ex: Grandes Hidrelétricas construídas sem a retirada da mata nativa contribuem para o efeito estufa. Também aplicado na comparação dos materiais: Etanol e gás natural são considerados mais limpos do que a gasolina ou o diesel,
Energia Sustentável. Encontra disponível para o uso no decorrer do tempo. Não significa que seja necessariamente uma energia limpa, a lenha por exemplo é sustentável, mas não é limpa. Ex: uma cidade pode possuir matriz sustentável combinando pequenas centrais hidrelétricas e termelétricas a óleo e biomassa.
Matriz Energética: Recursos de energia de uma sociedade. Fontes Primárias: Petróleo, carvão mineral, água, lenha, cana-de-açúcar. Fontes Secundárias: Gasolina, óleo diesel, eletricidade, álcool. Setores de consumo: Transporte, indústria, agricultura, comércio, residências. Biomassa
Contrastes mundiais: EUA: 84% da energia atual não é renovável. Reino Unido: 97% não é renovável (carvão mineral, petróleo e gás natural). Portugal: 80% das fontes de energia não renovável, importa 82% da energia que consome. França: 93% de energéticos não renováveis, 84% de energia nuclear. Bélgica: 97% de energia não renovável, 3% de renovável pela queima de resíduos de lixo. Energia nuclear: 88%.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Fontes de energia
Fontes de energiaFontes de energia
Fontes de energiaArtur Lara
 
A sociedade de consumo e a degradação do
A sociedade de consumo e a degradação doA sociedade de consumo e a degradação do
A sociedade de consumo e a degradação doProfessor
 
Do artesanato à manufatura e à indústria moderna
Do artesanato à manufatura e à indústria modernaDo artesanato à manufatura e à indústria moderna
Do artesanato à manufatura e à indústria modernaflaviocosac
 
Caps. 11 e 12 - Indústrias e energia
Caps. 11 e 12 - Indústrias e energiaCaps. 11 e 12 - Indústrias e energia
Caps. 11 e 12 - Indústrias e energiaAcácio Netto
 
Fontes Alternativas de Energia
Fontes Alternativas de EnergiaFontes Alternativas de Energia
Fontes Alternativas de EnergiaSinara Lustosa
 
As Energias RenováVeis
As Energias RenováVeisAs Energias RenováVeis
As Energias RenováVeisLeomark7
 
Aula 9º Ano (Ensino Fundamental) Fontes de energia 9 ano
Aula 9º Ano (Ensino Fundamental) Fontes de energia 9 anoAula 9º Ano (Ensino Fundamental) Fontes de energia 9 ano
Aula 9º Ano (Ensino Fundamental) Fontes de energia 9 anoRonaldo Santana
 
Os Recursos Naturais
Os Recursos NaturaisOs Recursos Naturais
Os Recursos NaturaisDiogo Mateus
 
Conferências ambientais
Conferências ambientaisConferências ambientais
Conferências ambientaisArtur Lara
 
Combustíveis Fósseis [8º ano]
Combustíveis Fósseis [8º ano] Combustíveis Fósseis [8º ano]
Combustíveis Fósseis [8º ano] Vivian Reis
 
Industrialização brasil
Industrialização brasilIndustrialização brasil
Industrialização brasiledsonluz
 
Impactos ambientais causas e consequências
Impactos ambientais causas e consequênciasImpactos ambientais causas e consequências
Impactos ambientais causas e consequênciasCharlles Moreira
 

Mais procurados (20)

Fontes de energia
Fontes de energiaFontes de energia
Fontes de energia
 
Relação entre sociedade e natureza
Relação entre sociedade e naturezaRelação entre sociedade e natureza
Relação entre sociedade e natureza
 
A sociedade de consumo e a degradação do
A sociedade de consumo e a degradação doA sociedade de consumo e a degradação do
A sociedade de consumo e a degradação do
 
Do artesanato à manufatura e à indústria moderna
Do artesanato à manufatura e à indústria modernaDo artesanato à manufatura e à indústria moderna
Do artesanato à manufatura e à indústria moderna
 
Caps. 11 e 12 - Indústrias e energia
Caps. 11 e 12 - Indústrias e energiaCaps. 11 e 12 - Indústrias e energia
Caps. 11 e 12 - Indústrias e energia
 
A estrutura da terra
A estrutura da terraA estrutura da terra
A estrutura da terra
 
Fontes Alternativas de Energia
Fontes Alternativas de EnergiaFontes Alternativas de Energia
Fontes Alternativas de Energia
 
Fontes de energia do brasil
Fontes de energia do brasilFontes de energia do brasil
Fontes de energia do brasil
 
As Energias RenováVeis
As Energias RenováVeisAs Energias RenováVeis
As Energias RenováVeis
 
Agricultura mundial
Agricultura mundialAgricultura mundial
Agricultura mundial
 
Aula 9º Ano (Ensino Fundamental) Fontes de energia 9 ano
Aula 9º Ano (Ensino Fundamental) Fontes de energia 9 anoAula 9º Ano (Ensino Fundamental) Fontes de energia 9 ano
Aula 9º Ano (Ensino Fundamental) Fontes de energia 9 ano
 
Fontes de Energia
Fontes de EnergiaFontes de Energia
Fontes de Energia
 
Os Recursos Naturais
Os Recursos NaturaisOs Recursos Naturais
Os Recursos Naturais
 
Energia
EnergiaEnergia
Energia
 
Conferências ambientais
Conferências ambientaisConferências ambientais
Conferências ambientais
 
Estrutura interna da terra
Estrutura interna da terraEstrutura interna da terra
Estrutura interna da terra
 
Combustíveis Fósseis [8º ano]
Combustíveis Fósseis [8º ano] Combustíveis Fósseis [8º ano]
Combustíveis Fósseis [8º ano]
 
Industrialização brasil
Industrialização brasilIndustrialização brasil
Industrialização brasil
 
Camada de ozonio
Camada de ozonioCamada de ozonio
Camada de ozonio
 
Impactos ambientais causas e consequências
Impactos ambientais causas e consequênciasImpactos ambientais causas e consequências
Impactos ambientais causas e consequências
 

Destaque

A PRODUÇÃO MUNDIAL DE ENERGIA E A ENERGIA NO BRASIL - PARTE I
A PRODUÇÃO MUNDIAL DE ENERGIA E A ENERGIA NO BRASIL -  PARTE IA PRODUÇÃO MUNDIAL DE ENERGIA E A ENERGIA NO BRASIL -  PARTE I
A PRODUÇÃO MUNDIAL DE ENERGIA E A ENERGIA NO BRASIL - PARTE IRenata Rodrigues
 
A produção mundial de energia e as fontes de energia no brasil parte ii
A produção mundial de energia e as fontes de energia no brasil   parte iiA produção mundial de energia e as fontes de energia no brasil   parte ii
A produção mundial de energia e as fontes de energia no brasil parte iiRenata Rodrigues
 
Energias Renováveis e Não Renováveis
Energias Renováveis e Não RenováveisEnergias Renováveis e Não Renováveis
Energias Renováveis e Não RenováveisDaniel Estima
 
Energias renováveis e não renováveis - Ana Filipa, Matilde e Miguel Espadinha
Energias renováveis e não renováveis - Ana Filipa, Matilde e Miguel EspadinhaEnergias renováveis e não renováveis - Ana Filipa, Matilde e Miguel Espadinha
Energias renováveis e não renováveis - Ana Filipa, Matilde e Miguel Espadinhajmabp4
 
RECURSOS NAO RENOVAVEIS 12ANO
RECURSOS NAO RENOVAVEIS 12ANORECURSOS NAO RENOVAVEIS 12ANO
RECURSOS NAO RENOVAVEIS 12ANOBeatriz Cruz
 
A questão energética brasileira
A questão energética brasileiraA questão energética brasileira
A questão energética brasileiraFernanda Lopes
 
Transporte de eletricidade 12 7
Transporte de eletricidade 12 7Transporte de eletricidade 12 7
Transporte de eletricidade 12 7Joao Paulo Curto
 
Futuro da Biomassa e Bioenergia no Brasil
Futuro da Biomassa e Bioenergia no Brasil Futuro da Biomassa e Bioenergia no Brasil
Futuro da Biomassa e Bioenergia no Brasil EnergiaUni
 
Desastres ambientais
Desastres ambientaisDesastres ambientais
Desastres ambientaisPré Absoluto
 
Gás de Xisto
Gás de XistoGás de Xisto
Gás de XistoCompagas
 
Energias NãO Renovaveis(WalkléBio)
Energias NãO Renovaveis(WalkléBio)Energias NãO Renovaveis(WalkléBio)
Energias NãO Renovaveis(WalkléBio)vallmachado
 
Energias fosseis
 Energias fosseis Energias fosseis
Energias fosseisEspa Cn 8
 
Procel (Programa Nacional de Conservação de Energia Elétrica) e Eletrobrás
Procel (Programa Nacional de Conservação de Energia Elétrica) e EletrobrásProcel (Programa Nacional de Conservação de Energia Elétrica) e Eletrobrás
Procel (Programa Nacional de Conservação de Energia Elétrica) e EletrobrásAmpla Energia S.A.
 

Destaque (20)

A PRODUÇÃO MUNDIAL DE ENERGIA E A ENERGIA NO BRASIL - PARTE I
A PRODUÇÃO MUNDIAL DE ENERGIA E A ENERGIA NO BRASIL -  PARTE IA PRODUÇÃO MUNDIAL DE ENERGIA E A ENERGIA NO BRASIL -  PARTE I
A PRODUÇÃO MUNDIAL DE ENERGIA E A ENERGIA NO BRASIL - PARTE I
 
A produção mundial de energia
A produção mundial de energiaA produção mundial de energia
A produção mundial de energia
 
A produção mundial de energia e as fontes de energia no brasil parte ii
A produção mundial de energia e as fontes de energia no brasil   parte iiA produção mundial de energia e as fontes de energia no brasil   parte ii
A produção mundial de energia e as fontes de energia no brasil parte ii
 
Brasil fontes de energia
Brasil   fontes de energiaBrasil   fontes de energia
Brasil fontes de energia
 
Energias Renováveis e Não Renováveis
Energias Renováveis e Não RenováveisEnergias Renováveis e Não Renováveis
Energias Renováveis e Não Renováveis
 
Energias renováveis e não renováveis - Ana Filipa, Matilde e Miguel Espadinha
Energias renováveis e não renováveis - Ana Filipa, Matilde e Miguel EspadinhaEnergias renováveis e não renováveis - Ana Filipa, Matilde e Miguel Espadinha
Energias renováveis e não renováveis - Ana Filipa, Matilde e Miguel Espadinha
 
RECURSOS NAO RENOVAVEIS 12ANO
RECURSOS NAO RENOVAVEIS 12ANORECURSOS NAO RENOVAVEIS 12ANO
RECURSOS NAO RENOVAVEIS 12ANO
 
Gas de folhelho
Gas de folhelhoGas de folhelho
Gas de folhelho
 
A questão energética brasileira
A questão energética brasileiraA questão energética brasileira
A questão energética brasileira
 
Transporte de eletricidade 12 7
Transporte de eletricidade 12 7Transporte de eletricidade 12 7
Transporte de eletricidade 12 7
 
Combustiveis fosseis nº2
Combustiveis fosseis nº2Combustiveis fosseis nº2
Combustiveis fosseis nº2
 
Futuro da Biomassa e Bioenergia no Brasil
Futuro da Biomassa e Bioenergia no Brasil Futuro da Biomassa e Bioenergia no Brasil
Futuro da Biomassa e Bioenergia no Brasil
 
Exxon valdez
Exxon valdezExxon valdez
Exxon valdez
 
Desastres ambientais
Desastres ambientaisDesastres ambientais
Desastres ambientais
 
Gás de Xisto
Gás de XistoGás de Xisto
Gás de Xisto
 
Energias NãO Renovaveis(WalkléBio)
Energias NãO Renovaveis(WalkléBio)Energias NãO Renovaveis(WalkléBio)
Energias NãO Renovaveis(WalkléBio)
 
Energias fosseis
 Energias fosseis Energias fosseis
Energias fosseis
 
Procel (Programa Nacional de Conservação de Energia Elétrica) e Eletrobrás
Procel (Programa Nacional de Conservação de Energia Elétrica) e EletrobrásProcel (Programa Nacional de Conservação de Energia Elétrica) e Eletrobrás
Procel (Programa Nacional de Conservação de Energia Elétrica) e Eletrobrás
 
Energias Alternativas
Energias AlternativasEnergias Alternativas
Energias Alternativas
 
Energia Fóssil
Energia FóssilEnergia Fóssil
Energia Fóssil
 

Semelhante a Aula Energia - Presente e Futuro.

producao mundial de energia 3 bim.ppt
producao mundial de energia 3 bim.pptproducao mundial de energia 3 bim.ppt
producao mundial de energia 3 bim.pptWarlenSilva6
 
Aula fontes de energi1
Aula fontes de energi1Aula fontes de energi1
Aula fontes de energi1lgreggio10
 
O FUTURO DA ENERGIA REQUERIDO PARA O MUNDO.pdf
O FUTURO DA ENERGIA REQUERIDO PARA O MUNDO.pdfO FUTURO DA ENERGIA REQUERIDO PARA O MUNDO.pdf
O FUTURO DA ENERGIA REQUERIDO PARA O MUNDO.pdfFaga1939
 
Apresentação+energias+renováveis
Apresentação+energias+renováveisApresentação+energias+renováveis
Apresentação+energias+renováveisWeliton Araújo
 
Gestão e sustentabilidade
Gestão e sustentabilidadeGestão e sustentabilidade
Gestão e sustentabilidadecARLOS CAMPOS
 
A ciência e os avanços do conhecimento em energia
A ciência e os avanços do conhecimento em energiaA ciência e os avanços do conhecimento em energia
A ciência e os avanços do conhecimento em energiaFernando Alcoforado
 
Artigo Científico sobre "A Evolução da Energia Eólica"
Artigo Científico sobre "A Evolução da Energia Eólica"Artigo Científico sobre "A Evolução da Energia Eólica"
Artigo Científico sobre "A Evolução da Energia Eólica"Klayton Clemente
 
Recursos Energ. Renov.
Recursos Energ. Renov.Recursos Energ. Renov.
Recursos Energ. Renov.guest69ca1e7
 
Energias renováveis e desenvolvimento sustentável
Energias renováveis e desenvolvimento sustentávelEnergias renováveis e desenvolvimento sustentável
Energias renováveis e desenvolvimento sustentávelAntónio Matias
 
Fontes de energias renováveis
Fontes de energias renováveisFontes de energias renováveis
Fontes de energias renováveisSparkly Angel
 
ENERGIA RENOVÁVEL.pptxnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnn
ENERGIA  RENOVÁVEL.pptxnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnENERGIA  RENOVÁVEL.pptxnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnn
ENERGIA RENOVÁVEL.pptxnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnGracyPacheco1
 
energiarenovvel1-121214175714-phpapp02.pdf
energiarenovvel1-121214175714-phpapp02.pdfenergiarenovvel1-121214175714-phpapp02.pdf
energiarenovvel1-121214175714-phpapp02.pdfNaiaraMendes13
 
www.AulasEnsinoMedio.com.br - Geografia - Energia
www.AulasEnsinoMedio.com.br - Geografia -  Energiawww.AulasEnsinoMedio.com.br - Geografia -  Energia
www.AulasEnsinoMedio.com.br - Geografia - EnergiaAulasEnsinoMedio
 

Semelhante a Aula Energia - Presente e Futuro. (20)

Txt 2 - O Desafio
Txt 2 - O DesafioTxt 2 - O Desafio
Txt 2 - O Desafio
 
Energias
EnergiasEnergias
Energias
 
Atividades Econômicas
Atividades EconômicasAtividades Econômicas
Atividades Econômicas
 
producao mundial de energia 3 bim.ppt
producao mundial de energia 3 bim.pptproducao mundial de energia 3 bim.ppt
producao mundial de energia 3 bim.ppt
 
6º ano unidade 7
6º ano unidade 76º ano unidade 7
6º ano unidade 7
 
Aula fontes de energi1
Aula fontes de energi1Aula fontes de energi1
Aula fontes de energi1
 
O FUTURO DA ENERGIA REQUERIDO PARA O MUNDO.pdf
O FUTURO DA ENERGIA REQUERIDO PARA O MUNDO.pdfO FUTURO DA ENERGIA REQUERIDO PARA O MUNDO.pdf
O FUTURO DA ENERGIA REQUERIDO PARA O MUNDO.pdf
 
Grupo 03
Grupo 03Grupo 03
Grupo 03
 
cie_(2)__8°_ano_24093125.pdf
cie_(2)__8°_ano_24093125.pdfcie_(2)__8°_ano_24093125.pdf
cie_(2)__8°_ano_24093125.pdf
 
Apresentação+energias+renováveis
Apresentação+energias+renováveisApresentação+energias+renováveis
Apresentação+energias+renováveis
 
Gestão e sustentabilidade
Gestão e sustentabilidadeGestão e sustentabilidade
Gestão e sustentabilidade
 
A ciência e os avanços do conhecimento em energia
A ciência e os avanços do conhecimento em energiaA ciência e os avanços do conhecimento em energia
A ciência e os avanços do conhecimento em energia
 
Artigo Científico sobre "A Evolução da Energia Eólica"
Artigo Científico sobre "A Evolução da Energia Eólica"Artigo Científico sobre "A Evolução da Energia Eólica"
Artigo Científico sobre "A Evolução da Energia Eólica"
 
Recursos Energ. Renov.
Recursos Energ. Renov.Recursos Energ. Renov.
Recursos Energ. Renov.
 
Cap 26 energia
Cap 26 energiaCap 26 energia
Cap 26 energia
 
Energias renováveis e desenvolvimento sustentável
Energias renováveis e desenvolvimento sustentávelEnergias renováveis e desenvolvimento sustentável
Energias renováveis e desenvolvimento sustentável
 
Fontes de energias renováveis
Fontes de energias renováveisFontes de energias renováveis
Fontes de energias renováveis
 
ENERGIA RENOVÁVEL.pptxnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnn
ENERGIA  RENOVÁVEL.pptxnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnENERGIA  RENOVÁVEL.pptxnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnn
ENERGIA RENOVÁVEL.pptxnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnn
 
energiarenovvel1-121214175714-phpapp02.pdf
energiarenovvel1-121214175714-phpapp02.pdfenergiarenovvel1-121214175714-phpapp02.pdf
energiarenovvel1-121214175714-phpapp02.pdf
 
www.AulasEnsinoMedio.com.br - Geografia - Energia
www.AulasEnsinoMedio.com.br - Geografia -  Energiawww.AulasEnsinoMedio.com.br - Geografia -  Energia
www.AulasEnsinoMedio.com.br - Geografia - Energia
 

Mais de Daniel Alves Bronstrup

3ºano ditadura e democracia no brasil
3ºano ditadura e democracia no brasil3ºano ditadura e democracia no brasil
3ºano ditadura e democracia no brasilDaniel Alves Bronstrup
 
2º ANO - Independência e Primeiro reinado
2º ANO - Independência e Primeiro reinado2º ANO - Independência e Primeiro reinado
2º ANO - Independência e Primeiro reinadoDaniel Alves Bronstrup
 
2º ano - Período Regencial e Revoltas
2º ano - Período Regencial e Revoltas2º ano - Período Regencial e Revoltas
2º ano - Período Regencial e RevoltasDaniel Alves Bronstrup
 
REVOLUÇÃO INDUSTRIAL E IDEOLOGIAS DO SEC. XIX.
REVOLUÇÃO INDUSTRIAL E IDEOLOGIAS DO SEC. XIX.REVOLUÇÃO INDUSTRIAL E IDEOLOGIAS DO SEC. XIX.
REVOLUÇÃO INDUSTRIAL E IDEOLOGIAS DO SEC. XIX.Daniel Alves Bronstrup
 
3ºano - Revolução Industrial e Ideologias do Séc. XIX
3ºano - Revolução Industrial e Ideologias do Séc. XIX3ºano - Revolução Industrial e Ideologias do Séc. XIX
3ºano - Revolução Industrial e Ideologias do Séc. XIXDaniel Alves Bronstrup
 
3º ano Revolução Francesa e outros movimentos franceses.
3º ano Revolução Francesa e outros movimentos franceses.3º ano Revolução Francesa e outros movimentos franceses.
3º ano Revolução Francesa e outros movimentos franceses.Daniel Alves Bronstrup
 
3ºão ano - Família Real, Independência e Primeiro Reinado.
3ºão ano - Família Real, Independência e Primeiro Reinado.3ºão ano - Família Real, Independência e Primeiro Reinado.
3ºão ano - Família Real, Independência e Primeiro Reinado.Daniel Alves Bronstrup
 
3ão Resumão - Iluminismo - Rev Inglesa
3ão Resumão - Iluminismo - Rev Inglesa3ão Resumão - Iluminismo - Rev Inglesa
3ão Resumão - Iluminismo - Rev InglesaDaniel Alves Bronstrup
 
3º ano - Mineração, expansão territorial e escravidão.
3º ano - Mineração, expansão territorial e escravidão.3º ano - Mineração, expansão territorial e escravidão.
3º ano - Mineração, expansão territorial e escravidão.Daniel Alves Bronstrup
 

Mais de Daniel Alves Bronstrup (20)

Idade media - Feudalismo.pptx
Idade media - Feudalismo.pptxIdade media - Feudalismo.pptx
Idade media - Feudalismo.pptx
 
2º ano - Brasil segundo reinado
2º ano - Brasil segundo reinado2º ano - Brasil segundo reinado
2º ano - Brasil segundo reinado
 
3ºano ditadura e democracia no brasil
3ºano ditadura e democracia no brasil3ºano ditadura e democracia no brasil
3ºano ditadura e democracia no brasil
 
2º ANO - Independência e Primeiro reinado
2º ANO - Independência e Primeiro reinado2º ANO - Independência e Primeiro reinado
2º ANO - Independência e Primeiro reinado
 
2º ano - Período Regencial e Revoltas
2º ano - Período Regencial e Revoltas2º ano - Período Regencial e Revoltas
2º ano - Período Regencial e Revoltas
 
2ºano - Revolução Francesa
2ºano - Revolução Francesa2ºano - Revolução Francesa
2ºano - Revolução Francesa
 
REVOLUÇÃO INDUSTRIAL E IDEOLOGIAS DO SEC. XIX.
REVOLUÇÃO INDUSTRIAL E IDEOLOGIAS DO SEC. XIX.REVOLUÇÃO INDUSTRIAL E IDEOLOGIAS DO SEC. XIX.
REVOLUÇÃO INDUSTRIAL E IDEOLOGIAS DO SEC. XIX.
 
2ano - Inconfidência Mineira
2ano - Inconfidência Mineira2ano - Inconfidência Mineira
2ano - Inconfidência Mineira
 
Brasil Colônia: Ciclo do Ouro.
Brasil Colônia: Ciclo do Ouro.Brasil Colônia: Ciclo do Ouro.
Brasil Colônia: Ciclo do Ouro.
 
2º ano - iluminismo
2º ano -  iluminismo2º ano -  iluminismo
2º ano - iluminismo
 
1º ano E.M. - Mesopotâmia
1º ano E.M. - Mesopotâmia1º ano E.M. - Mesopotâmia
1º ano E.M. - Mesopotâmia
 
Resumão do 3ão - Alta Idade Média
Resumão do 3ão -  Alta Idade MédiaResumão do 3ão -  Alta Idade Média
Resumão do 3ão - Alta Idade Média
 
3ão - Brasil Segundo Reinado
3ão - Brasil Segundo Reinado3ão - Brasil Segundo Reinado
3ão - Brasil Segundo Reinado
 
3ºano - Revolução Industrial e Ideologias do Séc. XIX
3ºano - Revolução Industrial e Ideologias do Séc. XIX3ºano - Revolução Industrial e Ideologias do Séc. XIX
3ºano - Revolução Industrial e Ideologias do Séc. XIX
 
3º ano Revolução Francesa e outros movimentos franceses.
3º ano Revolução Francesa e outros movimentos franceses.3º ano Revolução Francesa e outros movimentos franceses.
3º ano Revolução Francesa e outros movimentos franceses.
 
3º ano Período Regencial
3º ano Período Regencial3º ano Período Regencial
3º ano Período Regencial
 
3ºão ano - Família Real, Independência e Primeiro Reinado.
3ºão ano - Família Real, Independência e Primeiro Reinado.3ºão ano - Família Real, Independência e Primeiro Reinado.
3ºão ano - Família Real, Independência e Primeiro Reinado.
 
3ão Resumão - Iluminismo - Rev Inglesa
3ão Resumão - Iluminismo - Rev Inglesa3ão Resumão - Iluminismo - Rev Inglesa
3ão Resumão - Iluminismo - Rev Inglesa
 
3º ano - Mineração, expansão territorial e escravidão.
3º ano - Mineração, expansão territorial e escravidão.3º ano - Mineração, expansão territorial e escravidão.
3º ano - Mineração, expansão territorial e escravidão.
 
3º ano - Civilização Romana
3º ano - Civilização Romana 3º ano - Civilização Romana
3º ano - Civilização Romana
 

Último

Multiplicação - Caça-número
Multiplicação - Caça-número Multiplicação - Caça-número
Multiplicação - Caça-número Mary Alvarenga
 
Atividade com a música Xote da Alegria - Falamansa
Atividade com a música Xote  da  Alegria    -   FalamansaAtividade com a música Xote  da  Alegria    -   Falamansa
Atividade com a música Xote da Alegria - FalamansaMary Alvarenga
 
Recurso da Casa das Ciências: Bateria/Acumulador
Recurso da Casa das Ciências: Bateria/AcumuladorRecurso da Casa das Ciências: Bateria/Acumulador
Recurso da Casa das Ciências: Bateria/AcumuladorCasa Ciências
 
5ca0e9_ea0307e5baa1478490e87a15cb4ee530.pdf
5ca0e9_ea0307e5baa1478490e87a15cb4ee530.pdf5ca0e9_ea0307e5baa1478490e87a15cb4ee530.pdf
5ca0e9_ea0307e5baa1478490e87a15cb4ee530.pdfedjailmax
 
04_GuiaDoCurso_Neurociência, Psicologia Positiva e Mindfulness.pdf
04_GuiaDoCurso_Neurociência, Psicologia Positiva e Mindfulness.pdf04_GuiaDoCurso_Neurociência, Psicologia Positiva e Mindfulness.pdf
04_GuiaDoCurso_Neurociência, Psicologia Positiva e Mindfulness.pdfARIANAMENDES11
 
UFCD_9184_Saúde, nutrição, higiene, segurança, repouso e conforto da criança ...
UFCD_9184_Saúde, nutrição, higiene, segurança, repouso e conforto da criança ...UFCD_9184_Saúde, nutrição, higiene, segurança, repouso e conforto da criança ...
UFCD_9184_Saúde, nutrição, higiene, segurança, repouso e conforto da criança ...Manuais Formação
 
Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...
Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...
Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...LuizHenriquedeAlmeid6
 
AULA Saúde e tradição-3º Bimestre tscqv.pptx
AULA Saúde e tradição-3º Bimestre tscqv.pptxAULA Saúde e tradição-3º Bimestre tscqv.pptx
AULA Saúde e tradição-3º Bimestre tscqv.pptxGraycyelleCavalcanti
 
Semana Interna de Prevenção de Acidentes SIPAT/2024
Semana Interna de Prevenção de Acidentes SIPAT/2024Semana Interna de Prevenção de Acidentes SIPAT/2024
Semana Interna de Prevenção de Acidentes SIPAT/2024Rosana Andrea Miranda
 
Exercícios de Clima no brasil e no mundo.pdf
Exercícios de Clima no brasil e no mundo.pdfExercícios de Clima no brasil e no mundo.pdf
Exercícios de Clima no brasil e no mundo.pdfRILTONNOGUEIRADOSSAN
 
Poema - Reciclar é preciso
Poema            -        Reciclar é precisoPoema            -        Reciclar é preciso
Poema - Reciclar é precisoMary Alvarenga
 
São Filipe Neri, fundador da a Congregação do Oratório 1515-1595.pptx
São Filipe Neri, fundador da a Congregação do Oratório 1515-1595.pptxSão Filipe Neri, fundador da a Congregação do Oratório 1515-1595.pptx
São Filipe Neri, fundador da a Congregação do Oratório 1515-1595.pptxMartin M Flynn
 
CONTO-3º-4º-E-5ºANO-A-PRINCESA-E-A-ERVILHA[1] (1).docx
CONTO-3º-4º-E-5ºANO-A-PRINCESA-E-A-ERVILHA[1] (1).docxCONTO-3º-4º-E-5ºANO-A-PRINCESA-E-A-ERVILHA[1] (1).docx
CONTO-3º-4º-E-5ºANO-A-PRINCESA-E-A-ERVILHA[1] (1).docxEduardaMedeiros18
 
Unidade 4 (Texto poético) (Teste sem correção) (2).docx
Unidade 4 (Texto poético) (Teste sem correção) (2).docxUnidade 4 (Texto poético) (Teste sem correção) (2).docx
Unidade 4 (Texto poético) (Teste sem correção) (2).docxRaquelMartins389880
 
APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.
APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.
APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.HandersonFabio
 
Apresentação sobre as etapas do desenvolvimento infantil
Apresentação sobre as etapas do desenvolvimento infantilApresentação sobre as etapas do desenvolvimento infantil
Apresentação sobre as etapas do desenvolvimento infantilMariaHelena293800
 
ufcd_9649_Educação Inclusiva e Necessidades Educativas Especificas_índice.pdf
ufcd_9649_Educação Inclusiva e Necessidades Educativas Especificas_índice.pdfufcd_9649_Educação Inclusiva e Necessidades Educativas Especificas_índice.pdf
ufcd_9649_Educação Inclusiva e Necessidades Educativas Especificas_índice.pdfManuais Formação
 
PPP6_ciencias final 6 ano ano de 23/24 final
PPP6_ciencias final 6 ano ano de 23/24 finalPPP6_ciencias final 6 ano ano de 23/24 final
PPP6_ciencias final 6 ano ano de 23/24 finalcarlaOliveira438
 
GRAMÁTICA NORMATIVA DA LÍNGUA PORTUGUESA UM GUIA COMPLETO DO IDIOMA.pdf
GRAMÁTICA NORMATIVA DA LÍNGUA PORTUGUESA UM GUIA COMPLETO DO IDIOMA.pdfGRAMÁTICA NORMATIVA DA LÍNGUA PORTUGUESA UM GUIA COMPLETO DO IDIOMA.pdf
GRAMÁTICA NORMATIVA DA LÍNGUA PORTUGUESA UM GUIA COMPLETO DO IDIOMA.pdfrarakey779
 
"Nós Propomos! Mobilidade sustentável na Sertã"
"Nós Propomos! Mobilidade sustentável na Sertã""Nós Propomos! Mobilidade sustentável na Sertã"
"Nós Propomos! Mobilidade sustentável na Sertã"Ilda Bicacro
 

Último (20)

Multiplicação - Caça-número
Multiplicação - Caça-número Multiplicação - Caça-número
Multiplicação - Caça-número
 
Atividade com a música Xote da Alegria - Falamansa
Atividade com a música Xote  da  Alegria    -   FalamansaAtividade com a música Xote  da  Alegria    -   Falamansa
Atividade com a música Xote da Alegria - Falamansa
 
Recurso da Casa das Ciências: Bateria/Acumulador
Recurso da Casa das Ciências: Bateria/AcumuladorRecurso da Casa das Ciências: Bateria/Acumulador
Recurso da Casa das Ciências: Bateria/Acumulador
 
5ca0e9_ea0307e5baa1478490e87a15cb4ee530.pdf
5ca0e9_ea0307e5baa1478490e87a15cb4ee530.pdf5ca0e9_ea0307e5baa1478490e87a15cb4ee530.pdf
5ca0e9_ea0307e5baa1478490e87a15cb4ee530.pdf
 
04_GuiaDoCurso_Neurociência, Psicologia Positiva e Mindfulness.pdf
04_GuiaDoCurso_Neurociência, Psicologia Positiva e Mindfulness.pdf04_GuiaDoCurso_Neurociência, Psicologia Positiva e Mindfulness.pdf
04_GuiaDoCurso_Neurociência, Psicologia Positiva e Mindfulness.pdf
 
UFCD_9184_Saúde, nutrição, higiene, segurança, repouso e conforto da criança ...
UFCD_9184_Saúde, nutrição, higiene, segurança, repouso e conforto da criança ...UFCD_9184_Saúde, nutrição, higiene, segurança, repouso e conforto da criança ...
UFCD_9184_Saúde, nutrição, higiene, segurança, repouso e conforto da criança ...
 
Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...
Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...
Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...
 
AULA Saúde e tradição-3º Bimestre tscqv.pptx
AULA Saúde e tradição-3º Bimestre tscqv.pptxAULA Saúde e tradição-3º Bimestre tscqv.pptx
AULA Saúde e tradição-3º Bimestre tscqv.pptx
 
Semana Interna de Prevenção de Acidentes SIPAT/2024
Semana Interna de Prevenção de Acidentes SIPAT/2024Semana Interna de Prevenção de Acidentes SIPAT/2024
Semana Interna de Prevenção de Acidentes SIPAT/2024
 
Exercícios de Clima no brasil e no mundo.pdf
Exercícios de Clima no brasil e no mundo.pdfExercícios de Clima no brasil e no mundo.pdf
Exercícios de Clima no brasil e no mundo.pdf
 
Poema - Reciclar é preciso
Poema            -        Reciclar é precisoPoema            -        Reciclar é preciso
Poema - Reciclar é preciso
 
São Filipe Neri, fundador da a Congregação do Oratório 1515-1595.pptx
São Filipe Neri, fundador da a Congregação do Oratório 1515-1595.pptxSão Filipe Neri, fundador da a Congregação do Oratório 1515-1595.pptx
São Filipe Neri, fundador da a Congregação do Oratório 1515-1595.pptx
 
CONTO-3º-4º-E-5ºANO-A-PRINCESA-E-A-ERVILHA[1] (1).docx
CONTO-3º-4º-E-5ºANO-A-PRINCESA-E-A-ERVILHA[1] (1).docxCONTO-3º-4º-E-5ºANO-A-PRINCESA-E-A-ERVILHA[1] (1).docx
CONTO-3º-4º-E-5ºANO-A-PRINCESA-E-A-ERVILHA[1] (1).docx
 
Unidade 4 (Texto poético) (Teste sem correção) (2).docx
Unidade 4 (Texto poético) (Teste sem correção) (2).docxUnidade 4 (Texto poético) (Teste sem correção) (2).docx
Unidade 4 (Texto poético) (Teste sem correção) (2).docx
 
APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.
APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.
APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.
 
Apresentação sobre as etapas do desenvolvimento infantil
Apresentação sobre as etapas do desenvolvimento infantilApresentação sobre as etapas do desenvolvimento infantil
Apresentação sobre as etapas do desenvolvimento infantil
 
ufcd_9649_Educação Inclusiva e Necessidades Educativas Especificas_índice.pdf
ufcd_9649_Educação Inclusiva e Necessidades Educativas Especificas_índice.pdfufcd_9649_Educação Inclusiva e Necessidades Educativas Especificas_índice.pdf
ufcd_9649_Educação Inclusiva e Necessidades Educativas Especificas_índice.pdf
 
PPP6_ciencias final 6 ano ano de 23/24 final
PPP6_ciencias final 6 ano ano de 23/24 finalPPP6_ciencias final 6 ano ano de 23/24 final
PPP6_ciencias final 6 ano ano de 23/24 final
 
GRAMÁTICA NORMATIVA DA LÍNGUA PORTUGUESA UM GUIA COMPLETO DO IDIOMA.pdf
GRAMÁTICA NORMATIVA DA LÍNGUA PORTUGUESA UM GUIA COMPLETO DO IDIOMA.pdfGRAMÁTICA NORMATIVA DA LÍNGUA PORTUGUESA UM GUIA COMPLETO DO IDIOMA.pdf
GRAMÁTICA NORMATIVA DA LÍNGUA PORTUGUESA UM GUIA COMPLETO DO IDIOMA.pdf
 
"Nós Propomos! Mobilidade sustentável na Sertã"
"Nós Propomos! Mobilidade sustentável na Sertã""Nós Propomos! Mobilidade sustentável na Sertã"
"Nós Propomos! Mobilidade sustentável na Sertã"
 

Aula Energia - Presente e Futuro.

  • 1.
  • 3.
  • 4. A forma mais primária, fácil e barata de produzir energia é a ígnea: queimar um material para obter calor e luz. Com o tempo o ser humano aprendeu a utilizar diversas formas de energia como: O vento nas velas dos barcos (Antiguidade); A água para girar as pás dos moinhos (Idade Média). Séc. XVIII: a máquina a vapor estimulou a industrialização com o uso do carvão mineral. HISTÓRIA: Termelétrica
  • 5. HISTÓRIA: Séc. XX: o Petróleo passa a ser a fonte primária de energia mais empregada no mundo. 1970: a Matriz mundial de energia sofreu grande abalo com a elevação do preço do petróleo. Década de 1990: outro fator importante, o alerta para o aquecimento global gerado pelos gases de materiais fóssil. Vão surgir as usinas de eletricidade eólicas e solares.
  • 6. Petróleo Principal energético mundial. Dele são extraídos: gasolina, óleo diesel, querosene. E matérias-primas para a produção de polímeros, plásticos, vinis, tintas.
  • 7. Conceitos de Energia (composição das matrizes): Renováveis: Fontes naturais: Hídrica, Eólica. O que é possível repor: Lenha. Não Renováveis: Que vão se esgotar: Urânio, Petróleo, Gás natural, Carvão Mineral Energia Eólica
  • 8. Energia Solar Energia Limpa: Fazem menos mal à saúde e ao ambiente. Mais importantes: Hídrica, Eólica e Solar. Dever ser constantemente pesquisada e aprimorada. Ex: Grandes Hidrelétricas construídas sem a retirada da mata nativa contribuem para o efeito estufa. Também aplicado na comparação dos materiais: Etanol e gás natural são considerados mais limpos do que a gasolina ou o diesel,
  • 9. Energia Sustentável. Encontra disponível para o uso no decorrer do tempo. Não significa que seja necessariamente uma energia limpa, a lenha por exemplo é sustentável, mas não é limpa. Ex: uma cidade pode possuir matriz sustentável combinando pequenas centrais hidrelétricas e termelétricas a óleo e biomassa.
  • 10. Matriz Energética: Recursos de energia de uma sociedade. Fontes Primárias: Petróleo, carvão mineral, água, lenha, cana-de-açúcar. Fontes Secundárias: Gasolina, óleo diesel, eletricidade, álcool. Setores de consumo: Transporte, indústria, agricultura, comércio, residências. Biomassa
  • 11.
  • 12. Contrastes mundiais: EUA: 84% da energia atual não é renovável. Reino Unido: 97% não é renovável (carvão mineral, petróleo e gás natural). Portugal: 80% das fontes de energia não renovável, importa 82% da energia que consome. França: 93% de energéticos não renováveis, 84% de energia nuclear. Bélgica: 97% de energia não renovável, 3% de renovável pela queima de resíduos de lixo. Energia nuclear: 88%.
  • 13. O Brasil tem a matriz mais equilibrada entre as grandes nações Com recursos renováveis e não renováveis em volume quase igual, chega a quase 50% para cada um.