Departamento de Comunicação e Arte · Curso de Mestrado em Comunicação Multimédia · Ramo Multimédia Interactivo




       ...
Departamento de Comunicação e Arte · Curso de Mestrado em Comunicação Multimédia · Ramo Multimédia Interactivo




       ...
Departamento de Comunicação e Arte · Curso de Mestrado em Comunicação Multimédia · Ramo Multimédia Interactivo




       ...
Departamento de Comunicação e Arte · Curso de Mestrado em Comunicação Multimédia · Ramo Multimédia Interactivo




      C...
Departamento de Comunicação e Arte · Curso de Mestrado em Comunicação Multimédia · Ramo Multimédia Interactivo




CARACTE...
Departamento de Comunicação e Arte · Curso de Mestrado em Comunicação Multimédia · Ramo Multimédia Interactivo




      C...
Departamento de Comunicação e Arte · Curso de Mestrado em Comunicação Multimédia · Ramo Multimédia Interactivo




       ...
Departamento de Comunicação e Arte · Curso de Mestrado em Comunicação Multimédia · Ramo Multimédia Interactivo




      O...
Departamento de Comunicação e Arte · Curso de Mestrado em Comunicação Multimédia · Ramo Multimédia Interactivo




     MO...
Departamento de Comunicação e Arte · Curso de Mestrado em Comunicação Multimédia · Ramo Multimédia Interactivo




     MO...
Departamento de Comunicação e Arte · Curso de Mestrado em Comunicação Multimédia · Ramo Multimédia Interactivo




      M...
Departamento de Comunicação e Arte · Curso de Mestrado em Comunicação Multimédia · Ramo Multimédia Interactivo




      M...
Departamento de Comunicação e Arte · Curso de Mestrado em Comunicação Multimédia · Ramo Multimédia Interactivo




       ...
Departamento de Comunicação e Arte · Curso de Mestrado em Comunicação Multimédia · Ramo Multimédia Interactivo




      E...
Departamento de Comunicação e Arte · Curso de Mestrado em Comunicação Multimédia · Ramo Multimédia Interactivo




       ...
Departamento de Comunicação e Arte · Curso de Mestrado em Comunicação Multimédia · Ramo Multimédia Interactivo




       ...
Departamento de Comunicação e Arte · Curso de Mestrado em Comunicação Multimédia · Ramo Multimédia Interactivo




       ...
Departamento de Comunicação e Arte · Curso de Mestrado em Comunicação Multimédia · Ramo Multimédia Interactivo




       ...
Departamento de Comunicação e Arte · Curso de Mestrado em Comunicação Multimédia · Ramo Multimédia Interactivo




      P...
Departamento de Comunicação e Arte · Curso de Mestrado em Comunicação Multimédia · Ramo Multimédia Interactivo




       ...
Departamento de Comunicação e Arte · Curso de Mestrado em Comunicação Multimédia · Ramo Multimédia Interactivo




BIBLIOG...
Departamento de Comunicação e Arte · Curso de Mestrado em Comunicação Multimédia · Ramo Multimédia Interactivo




       ...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Plano de Investigação_Apresentação

2.181 visualizações

Publicada em

Publicada em: Tecnologia
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
2.181
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
70
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
0
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Plano de Investigação_Apresentação

  1. 1. Departamento de Comunicação e Arte · Curso de Mestrado em Comunicação Multimédia · Ramo Multimédia Interactivo PLANO DE INVESTIGAÇÃO tema Liberdade Física versus Liberdade Virtual título Utilização da Internet nos Estabelecimentos Prisionais Portugueses. Realidade ou Utopia? Daniela Graça · número mecanográfico 44984 · danielagraca@ua.pt 1/22
  2. 2. Departamento de Comunicação e Arte · Curso de Mestrado em Comunicação Multimédia · Ramo Multimédia Interactivo CARACTERIZAÇÃO DO PROBLEMA DE INVESTIGAÇÃO A utilização da Internet pelos reclusos nos estabelecimentos prisionais portugueses constitui uma deturpação da condição a que o indivíduo está sujeito? Enviar uma mensagem por correio tradicional é mais seguro e/ou aceitável do que enviar um mensagem por correio electrónico? Poderá o acesso ao correio electrónico tornar-se uma realidade para os reclusos dos Estabelecimentos Prisionais Portugueses se, tal como com o correio tradicional, existir uma filtragem de segurança das mensagens enviadas? Utilização da Internet nos Estabelecimentos Prisionais Portugueses. Realidade ou Utopia? 2/22
  3. 3. Departamento de Comunicação e Arte · Curso de Mestrado em Comunicação Multimédia · Ramo Multimédia Interactivo CARACTERIZAÇÃO DO PROBLEMA DE INVESTIGAÇÃO Tornou-se primordial perceber como a sociedade portuguesa como um sistema social organizado vê e lida com estas dúvidas, como lhes responde, e o que gostaria de lhes responder. Utilização da Internet nos Estabelecimentos Prisionais Portugueses. Realidade ou Utopia? 3/22
  4. 4. Departamento de Comunicação e Arte · Curso de Mestrado em Comunicação Multimédia · Ramo Multimédia Interactivo CARACTERIZAÇÃO DO PROBLEMA DE INVESTIGAÇÃO (Novas Tecnologias + Internet = indispensável no dia-a-dia dos indivíduos e nas relações humanas) x (Reinserção Social Pós-reclusão + legislação do Sistema Prisional Português) = REABILITAÇÃO E REINTEGRAÇÃO PÓS-RECLUSÃO Utilização da Internet nos Estabelecimentos Prisionais Portugueses. Realidade ou Utopia? 4/22
  5. 5. Departamento de Comunicação e Arte · Curso de Mestrado em Comunicação Multimédia · Ramo Multimédia Interactivo CARACTERIZAÇÃO DO PROBLEMA DE INVESTIGAÇÃO Utilização da Internet por parte dos reclusos nos Estabelecimentos Prisionais Portugueses? … Informações? Estudos? Ideias? … Utilização da Internet nos Estabelecimentos Prisionais Portugueses. Realidade ou Utopia? 5/22
  6. 6. Departamento de Comunicação e Arte · Curso de Mestrado em Comunicação Multimédia · Ramo Multimédia Interactivo CARACTERIZAÇÃO DO PROBLEMA DE INVESTIGAÇÃO investigação = “pilar” na estrutura dos Serviços Prisionais Portugueses + incentivo à evolução de mentalidades, comportamentos e vida da População Prisional Portuguesa Utilização da Internet nos Estabelecimentos Prisionais Portugueses. Realidade ou Utopia? 6/22
  7. 7. Departamento de Comunicação e Arte · Curso de Mestrado em Comunicação Multimédia · Ramo Multimédia Interactivo QUESTÕES DE INVESTIGAÇÃO - De que forma o acesso à Internet por parte dos reclusos nos Estabelecimentos Prisionais Portugueses poderá ser uma realidade? - Que implicações teria na vida dos reclusos a utilização da Internet nos Estabelecimentos Prisionais portugueses? Utilização da Internet nos Estabelecimentos Prisionais Portugueses. Realidade ou Utopia? 7/22
  8. 8. Departamento de Comunicação e Arte · Curso de Mestrado em Comunicação Multimédia · Ramo Multimédia Interactivo OBJECTIVOS Acesso à Internet = Mais-valia na vida dos reclusos? Acesso à Internet = Valorização de competências? Acesso à Internet = Reintegração Social? Acesso à Internet Estabelecimentos Prisionais Portugueses = Como? Utilização da Internet nos Estabelecimentos Prisionais Portugueses. Realidade ou Utopia? 8/22
  9. 9. Departamento de Comunicação e Arte · Curso de Mestrado em Comunicação Multimédia · Ramo Multimédia Interactivo MODELO DE ANÁLISE CONCEITOS DIMENSÕES INDICADORES SUB-INDICADORES CRONOLÓGICA IDADE GEOGRÁFICA LOCALIZAÇÃO INSTRUÇÃO HABILITAÇÕES DIMENSÃO DO AGREGADO FAMILIAR FAMILIAR LIGAÇÃO AO AGREGADO FAMILIAR INTEGRAÇÃO SOCIAL PASSATEMPOS/REDE SOCIAL PRÉ-RECLUSÃO SOCIAL EMPREGADO POR CONTA PRÓPRIA PROFISSIONAL POPULAÇÃO RECLUSA POR CONTA DE OUTRÉM PORTUGUESA DESEMPREGADO COMUNIDADES VIRTUAIS SERVIÇOS PORTAIS BLOGS UTILIZAÇÃO DA INTERNET LAZER PRÉ-RECLUSÃO CONTEÚDOS ESTUDO TRABALHO TEMPO ACESSO FREQUÊNCIA Utilização da Internet nos Estabelecimentos Prisionais Portugueses. Realidade ou Utopia? 9/22
  10. 10. Departamento de Comunicação e Arte · Curso de Mestrado em Comunicação Multimédia · Ramo Multimédia Interactivo MODELO DE ANÁLISE CONCEITOS DIMENSÕES INDICADORES SUB-INDICADORES COMPONENTES QUANTIDADE COMPUTADORES TIPOLOGIA TEMPO ACESSO FREQUÊNCIA QUAIS? FILTROS COMO? ACTORES TECNOLÓGICOS COMUNIDADES VIRTUAIS (TECNOLOGIA) SERVIÇOS PORTAIS BLOGS INTERNET LAZER CONTEÚDOS ESTUDO TRABALHO TEMPO ACESSO FREQUÊNCIA Utilização da Internet nos Estabelecimentos Prisionais Portugueses. Realidade ou Utopia? 10/22
  11. 11. Departamento de Comunicação e Arte · Curso de Mestrado em Comunicação Multimédia · Ramo Multimédia Interactivo MODELO DE ANÁLISE CONCEITOS DIMENSÕES INDICADORES SUB-INDICADORES MINISTÉRIO DA JUSTIÇA SECRETÁRIOS DE ESTADOS DIRECÇÃO GERAL DOS DIRECTORES SERVIÇOS PRISIONAIS TÉCNICOS ENTIDADES OFICIAIS ESTABELECIMENTOS GUARDAS PRISIONAIS FORMADORES PSICÓLOGOS DIMENSÃO FAMÍLIA PROXIMIDADE REDE SOCIAL DE APOIO DIMENSÃO AMIGOS PROXIMIDADE Utilização da Internet nos Estabelecimentos Prisionais Portugueses. Realidade ou Utopia? 11/22
  12. 12. Departamento de Comunicação e Arte · Curso de Mestrado em Comunicação Multimédia · Ramo Multimédia Interactivo MODELO DE ANÁLISE HIPÓTESES 1) De forma controlada e vigiada o acesso à Internet por parte dos reclusos nos estabelecimentos prisionais portugueses pode ser uma realidade. 2) Havendo formação e educação para a utilização da Internet, o acesso a esta tecnologia por parte dos reclusos nos estabelecimentos prisionais portugueses pode ser uma realidade. 3) A utilização da Internet por parte dos reclusos nos estabelecimentos prisionais portugueses reflecte-se no aumento do sucesso da reintegração social após o período de reclusão. 4) A utilização da Internet por parte dos reclusos nos estabelecimentos prisionais portugueses contribui para a redução da reincidência após um período de reclusão. 5) A utilização da Internet por parte dos reclusos nos estabelecimentos prisionais portugueses permite uma maior proximidade à rede social de apoio do recluso, favorecendo o respectivo bem-estar psicológico. Utilização da Internet nos Estabelecimentos Prisionais Portugueses. Realidade ou Utopia? 12/22
  13. 13. Departamento de Comunicação e Arte · Curso de Mestrado em Comunicação Multimédia · Ramo Multimédia Interactivo EXEMPLOS A TER EM CONTA reclusos com acesso à Internet + (controlo x restrições x segurança)* = manutenção da estabilidade social (compromisso equilibrado: liberdade + inclusão) *Trulincs (Lombardi, 2009), programa (EUA) que permite aos reclusos acesso limitado e condicionado ao uso de correio electrónico Utilização da Internet nos Estabelecimentos Prisionais Portugueses. Realidade ou Utopia? 13/22
  14. 14. Departamento de Comunicação e Arte · Curso de Mestrado em Comunicação Multimédia · Ramo Multimédia Interactivo ENQUADRAMENTO TEÓRICO CINCO TEMÁTICAS PRINCIPAIS: 2.1_ Contexto Sociológico da Prisão ou Estabelecimento Prisional 2.2_ Sistema Prisional Português 2.3_ O que se Pensa e Faz no Resto do Mundo 2.4_ Internet 2.5_ Plano Tecnológico Utilização da Internet nos Estabelecimentos Prisionais Portugueses. Realidade ou Utopia? 14/22
  15. 15. Departamento de Comunicação e Arte · Curso de Mestrado em Comunicação Multimédia · Ramo Multimédia Interactivo ENQUADRAMENTO TEÓRICO 2.1_ Contexto Sociológico da Prisão ou Estabelecimento Prisional - Modelos Prisionais - Reclusão versus Sociedade 2.2_ Sistema Prisional Português - Encarceramento: Reabilitação ou Reincidência - Dando Forma à Reinserção 2.3_ O que se Pensa e Faz no Resto do Mundo - EUA - Os Exemplos da Dinamarca, Finlândia, Noruega e Suécia 2.4_ Internet - Segurança/Filtros 2.5_ Plano Tecnológico Utilização da Internet nos Estabelecimentos Prisionais Portugueses. Realidade ou Utopia? 15/22
  16. 16. Departamento de Comunicação e Arte · Curso de Mestrado em Comunicação Multimédia · Ramo Multimédia Interactivo PROCEDIMENTO METODOLÓGICO 1ª FASE (SET>DEZ’09): Elaboração dos instrumentos de recolha de dados CHARNEIRA (JAN’10): Pedido de autorização junto da Direcção Geral dos Serviços Prisionais Portugueses para realização do estudo no interior de determinados Estabelecimentos Prisionais 2ª FASE (FEV>JUN’10): Aplicação dos instrumentos de recolha de dados Utilização da Internet nos Estabelecimentos Prisionais Portugueses. Realidade ou Utopia? 16/22
  17. 17. Departamento de Comunicação e Arte · Curso de Mestrado em Comunicação Multimédia · Ramo Multimédia Interactivo PROCEDIMENTO METODOLÓGICO 1ª FASE (SET>DEZ’09): Elaboração dos instrumentos de recolha de dados 1ª PARTE (SET>NOV’09): Definição e Conceptualização do Projecto (motivação; perguntas de investigação; palavras-chave; obstáculos e desafios; objectivos; desafios logísticos; recolha de dados da DGSP; escrita do índice provisório do enquadramento teórico) 2ª PARTE (DEZ’09): Elaboração dos Instrumentos de Recolha de Dados (análise de dados da DGSP; questionário a realizar à amostra de reclusos; guião de entrevista a dirigentes e representantes das entidades oficiais; guião de entrevista à rede social de apoio; formalização do pedido de realização do estudo junto da DRSP; criação do vídeo “O que é a Internet”) Utilização da Internet nos Estabelecimentos Prisionais Portugueses. Realidade ou Utopia? 17/22
  18. 18. Departamento de Comunicação e Arte · Curso de Mestrado em Comunicação Multimédia · Ramo Multimédia Interactivo PROCEDIMENTO METODOLÓGICO 2ª FASE (FEV>JUN’10): Aplicação dos instrumentos de recolha de dados 3ª PARTE (FEV>MAR’10): Aplicação dos Instrumentos de Recolha de Dados e Análise e Tratamento de Dados (entrevista a dirigentes e representantes das entidades oficiais envolvidas; exibição do vídeo “O que é a Internet” a amostra de reclusos; inquérito por questionário a amostra de reclusos; entrevista à rede social de apoio; tratamento de dados obtidos) 4ª PARTE (MAR’10>JUN’10): Redacção dos Conteúdos Finais (escritados resultados obtidos) Utilização da Internet nos Estabelecimentos Prisionais Portugueses. Realidade ou Utopia? 18/22
  19. 19. Departamento de Comunicação e Arte · Curso de Mestrado em Comunicação Multimédia · Ramo Multimédia Interactivo PROCEDIMENTO METODOLÓGICO TÉCNICAS/INSTRUMENTOS DE RECOLHA DE DADOS: - Recolha de dados no website da DGSP; - Entrevista a dirigentes e representantes das entidades oficiais envolvidas; - Inquérito por questionário a amostra de reclusos; - Entrevista a rede social de apoio (familiares e amigos) dos reclusos que compõem a amostra seleccionada. Utilização da Internet nos Estabelecimentos Prisionais Portugueses. Realidade ou Utopia? 19/22
  20. 20. Departamento de Comunicação e Arte · Curso de Mestrado em Comunicação Multimédia · Ramo Multimédia Interactivo PROCEDIMENTO METODOLÓGICO TAREFAS EXTRA: (realização dependente de como decorrer o processo quer de aplicação dos instrumentos de recolha de dados quer o tratamento e análise desses mesmo dados) - Actividade de grupo com amostra de reclusos, discussão sobre os benefícios/desvantagens da inserção da Internet nos Estabelecimentos Prisionais portugueses; e, - Teste/aula de formação em Internet com grupo-piloto de reclusos, precedido de questionário para avaliação das competências adquiridas e da satisfação com a aquisição de novos conhecimentos e capacidades. Utilização da Internet nos Estabelecimentos Prisionais Portugueses. Realidade ou Utopia? 20/22
  21. 21. Departamento de Comunicação e Arte · Curso de Mestrado em Comunicação Multimédia · Ramo Multimédia Interactivo BIBLIOGRAFIA BOP, F. B. o. P.-. Retrieved 12 de Janeiro de 2010: Contexto Prisional: Um Contributo Unpublished PlanoTecnológico, C. C. d. (2006). Relatório de http://www.bop.gov/inmate_programs/trulincs_faq. Masters, Universidade do Porto, Porto. Progresso do Plano Tecnológico. Retrieved 30 de jsp Goffman, E. (1961). Manicômios, Prisões e Outubro de 2009. Cunha, M. I. P. d. (1991). Investigar ‘problemas Conventos. Asylums: Essays on the Social Situation PlanoTecnológico, G. d. C. N. d. E. d. L. e. d. (2009). sociais’ : equívocos e dilemas de uma etnografia na of Mental Patients and Other Inmates, 2. Relatório de Progresso do Plano Tecnológico. prisão. [Artigo]. Instituto de Ciências Sociais, 1-20. Hay, G. Biography of John Howard. Retrieved 17 de Retrieved 30 de Outubro de 2009. Cunha, M. I. P. d. (2004). A prisão e as suas novas Janeiro de 2010, from The Jonh Howard Society of Decreto-Lei nº265/79, de 1 de Agosto, 265/79 redundâncias. [Artigo]. Faculdade de Direito(2004), 1-9. Canada: http://www.johnhoward.ca/bio.htm C.F.R. (1979). Cunha, M. I. P. d. (2008). Prisão e sociedade: IFLA, & UNESCO (2006). Internet Manifesto CÓDIGO DA EXECUÇÃO DAS PENAS E MEDIDAS modalidades de uma conexão. [bookPart]. 26. Guidelines. PRIVATIVAS DA LIBERDADE, 115/2009, de 12 de Cunha, M. I. P. d., & Bastos, C. (2007). Instituições Johnston, N. Prison Reform in Pennsylvania Outubro C.F.R. (2009). Híbridas, Reclusão e laços sociais. [Artigo]. . Retrieved from http://www.prisonsociety.org/ Reform, T. H. L. f. P. A short history of prison. Introdução [a] Análise Social. 42:185, 977-983. about/history.shtml Retrieved from http://www.howardleague.org/31/ Decreto-Lei nº265/79, de 1 de Agosto, 265/79 Lombardi, S. (2009). Prisoners Having Access Declaração Universal dos Direitos do Homem C.F.R. (1979). To The Internet In Prison? Are We Serious? Yes, (1948). DGRS, D.-G. d. R. S.-. (2009). Plano de Actividades It Saves Taxpayer Dollars. InjuryBoard.com, 2. Wacquant, L. Loïs Wacquant Biography. Retrieved 2009. Retrieved from http://desmoines.injuryboard.com/ 17 de Janeiro de 2010: http://sociology.berkeley.edu/ Dictionary, O. E. (Ed.) Online Etymology Dictionary. miscellaneous/prisoners-having-access-to-the- faculty/wacquant/ Foucault, M. (1975). Vigiar e Punir, O Nascimento internet-in-prison-are-we-serious-yes-it-saves- Wacquant, L. (2001). Punir os Pobres. A Nova da Prisão (R. Ramalhete, Trans. 29º ed.). Petrópolis: taxpayer-dollars.aspx?googleid=261724 Gestão da Miséria nos Estados Unidos. Rio Editora Vozes. MJ, M. d. J.-. (2007). Relatório de Actividades. de Janeiro: Freitas Bastos Editora (Coleçâo Freire, L. d. L. (2006). Seguindo Bruno Latour: Nascimento, A. M. d. S. d. (2009). A formação Pensamento Criminológico). notas para uma antropologia simétrica. Comum, profissional nas prisões : estudo de caso : o curso Wise, J. M. (2002). Mapping the Culture of Control - 11(26), 20. de jardinagem EFA B3. Unpublished Teses de Seeing through TheTruman Show. Television & New Gabriel, D. (2007). (De) Formação de Adultos em mestrado, Universidade de Lisboa, Lisboa. Media, 3(1), 29–47. Utilização da Internet nos Estabelecimentos Prisionais Portugueses. Realidade ou Utopia? 21/22
  22. 22. Departamento de Comunicação e Arte · Curso de Mestrado em Comunicação Multimédia · Ramo Multimédia Interactivo Obrigada. Daniela Graça · número mecanográfico 44984 · danielagraca@ua.pt 22/22

×