SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 27
As catedrais , para nós podem ser simplesmente
edifícios majestosos ,com funções religiosas e que ás
vezes não damos muita importância , mas vamos
abordar vários aspectos das catedrais que tornam
estes edifícios muito importantes. Vamos falar
especialmente das catedrais de arquitectura
Românica , os seus aspectos , a sua planta habitual
e mostrar algumas importantes Sés Catedrais de
arquitectura Românica em Portugal.
A catedralumaSé é um edifício da cátedra,presidida cadeira do
Catedral é ou igreja que contém a igreja ou seja a por um
bispo. ou seja é uma unidade administrativa da igreja maior.
bispo,

Nocatedral antigo a cadeira era o ideal para representar o poder e
A mundo é frequentemente, um enorme edifício
os deveres do bispo, pois era como as pessoas mais importantes
impressionante.
eram representadas.
 Quando estas catedrais são construídas de forma
Uma catedral só é considerada catedral quando tem a presença de
deslumbrante é com o intuito de dar a ideia a quem as vê do
um bispo.
poder e da glória da igreja.
Esse edifício pode ou não ter sido construído como catedral, por
Graças a toda esta belezaesse estatutos chamamos-lhes dedo
isso às igrejas que perderam são os lugares mais visitados
mundo e quase e às que apenas servem temporariamentecidades
proto–catedrais sempre um marco importante para as de
na qual estão inseridas. de pró-catedral.
catedral damos-lhe o nome
É um estilo arquitectónico que surgiu na Europa no século
X e evoluiu para o estilo gótico no fim do século XII.

Caracteriza-se por construções rigorosas e robustas,
com paredes grandes e janelas pequenas, cuja principal
função era resistir a ataques de exércitos inimigos.

Em Portugal , a arquitectura Românica deu-se durante
a Reconquista, de que nasceu Portugal
Um dos melhores expoentes do românico em Portugal é
a Sé Velha de Coimbra, cuja construção data do século XII.
18. Tramo da
1.Torre sineira        3.Nave central com          8.Transepto    11.Absidíolo
                        20. Arco formeiro
                       abóboda de berço
abóboda
2.Contraforte                                                         12.Pórtico
principal
                             5.Nave lateral                           lateral
4.Pilar toral
19. Arco                     com abóbodas
cruciforme                   de arestas                8               15.Cruzeiro

                                              20


                              3         19    18        15       17
                  16
                                  4
                                       5                               10
                                                                 11
                  1      2
                                                                            16.Nártex
10.                    Planta da
Deambulatório                                                           17.Abside e
                       Catedral de                      12
                                                                        altar-mor
                       Santiago de
Sé de Braga
Sé de Lisboa
Sé do Porto
Sé Velha de Coimbra
Com este tema , aprendemos mais acerca
destes edifícios , e sua importância para a
história e cultura do nosso país e do mundo.

A sua arquitectura é muito pormenorizada e
especifica e esperamos que as pessoas dêem a
atenção e respeito que as sés catedrais
merecem.
História- Sés Catedrais - Estilo Românico

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Renascimento escultura
Renascimento esculturaRenascimento escultura
Renascimento esculturaLaguat
 
04 escultura renascentista
04 escultura renascentista04 escultura renascentista
04 escultura renascentistaVítor Santos
 
Cultura do Mosteiro - St. Sernin de Toulouse
Cultura do Mosteiro - St. Sernin de ToulouseCultura do Mosteiro - St. Sernin de Toulouse
Cultura do Mosteiro - St. Sernin de ToulouseCarlos Vieira
 
03 arquitectura renascentista
03 arquitectura renascentista03 arquitectura renascentista
03 arquitectura renascentistaVítor Santos
 
A arquitetura gótica
A arquitetura góticaA arquitetura gótica
A arquitetura góticaAna Barreiros
 
Pintura romanica
Pintura romanicaPintura romanica
Pintura romanicajojotyu
 
Maneirismo
ManeirismoManeirismo
Maneirismocattonia
 
Arquitetura romana ii
Arquitetura romana iiArquitetura romana ii
Arquitetura romana iiAna Barreiros
 
Módulo 2 arquitetura romana
Módulo 2   arquitetura romanaMódulo 2   arquitetura romana
Módulo 2 arquitetura romanaCarla Freitas
 
03 escultura e pintura gótica
03 escultura e pintura gótica03 escultura e pintura gótica
03 escultura e pintura góticaVítor Santos
 
A arte em portugal e o manuelino
A arte em portugal e o manuelinoA arte em portugal e o manuelino
A arte em portugal e o manuelinonanasimao
 
Arte do renascimento - arquitetura
Arte do renascimento - arquiteturaArte do renascimento - arquitetura
Arte do renascimento - arquiteturaCarlos Vieira
 
A pintura gótica ii
A pintura gótica iiA pintura gótica ii
A pintura gótica iiAna Barreiros
 
Arquitetura Renascentista
Arquitetura RenascentistaArquitetura Renascentista
Arquitetura RenascentistaDeaaSouza
 
História da Arte:: Do gótico ao renascimento
História da Arte:: Do gótico ao renascimentoHistória da Arte:: Do gótico ao renascimento
História da Arte:: Do gótico ao renascimentoMauricio Mallet Duprat
 
02 arquitetura gótica
02 arquitetura gótica02 arquitetura gótica
02 arquitetura góticaVítor Santos
 

Mais procurados (20)

Renascimento escultura
Renascimento esculturaRenascimento escultura
Renascimento escultura
 
04 escultura renascentista
04 escultura renascentista04 escultura renascentista
04 escultura renascentista
 
Cultura do Mosteiro - St. Sernin de Toulouse
Cultura do Mosteiro - St. Sernin de ToulouseCultura do Mosteiro - St. Sernin de Toulouse
Cultura do Mosteiro - St. Sernin de Toulouse
 
03 arquitectura renascentista
03 arquitectura renascentista03 arquitectura renascentista
03 arquitectura renascentista
 
Arte romanica gotica
Arte romanica goticaArte romanica gotica
Arte romanica gotica
 
A arquitetura gótica
A arquitetura góticaA arquitetura gótica
A arquitetura gótica
 
Gótico
GóticoGótico
Gótico
 
Pintura romanica
Pintura romanicaPintura romanica
Pintura romanica
 
Maneirismo
ManeirismoManeirismo
Maneirismo
 
Arquitetura romana ii
Arquitetura romana iiArquitetura romana ii
Arquitetura romana ii
 
Módulo 2 arquitetura romana
Módulo 2   arquitetura romanaMódulo 2   arquitetura romana
Módulo 2 arquitetura romana
 
03 escultura e pintura gótica
03 escultura e pintura gótica03 escultura e pintura gótica
03 escultura e pintura gótica
 
A arte em portugal e o manuelino
A arte em portugal e o manuelinoA arte em portugal e o manuelino
A arte em portugal e o manuelino
 
Arte do renascimento - arquitetura
Arte do renascimento - arquiteturaArte do renascimento - arquitetura
Arte do renascimento - arquitetura
 
A pintura gótica ii
A pintura gótica iiA pintura gótica ii
A pintura gótica ii
 
Arquitetura Renascentista
Arquitetura RenascentistaArquitetura Renascentista
Arquitetura Renascentista
 
Arte Gótica
Arte GóticaArte Gótica
Arte Gótica
 
Arte Gótica
Arte GóticaArte Gótica
Arte Gótica
 
História da Arte:: Do gótico ao renascimento
História da Arte:: Do gótico ao renascimentoHistória da Arte:: Do gótico ao renascimento
História da Arte:: Do gótico ao renascimento
 
02 arquitetura gótica
02 arquitetura gótica02 arquitetura gótica
02 arquitetura gótica
 

Destaque

Cultura do Mosteiro - Românico Portugal
Cultura do Mosteiro - Românico PortugalCultura do Mosteiro - Românico Portugal
Cultura do Mosteiro - Românico PortugalCarlos Vieira
 
História das Catedrais
História das CatedraisHistória das Catedrais
História das CatedraisBiaEsteves
 
Aula 04 arquitetura românica parte 2
Aula 04 arquitetura românica parte 2Aula 04 arquitetura românica parte 2
Aula 04 arquitetura românica parte 2Lila Donato
 
A cultura da catedral contexto
A cultura da catedral   contextoA cultura da catedral   contexto
A cultura da catedral contextocattonia
 
Cultura da Catedral - Introdução ao Módulo
Cultura da Catedral - Introdução ao MóduloCultura da Catedral - Introdução ao Módulo
Cultura da Catedral - Introdução ao MóduloCarlos Vieira
 
Arte Romanica
Arte RomanicaArte Romanica
Arte Romanicatorga
 

Destaque (12)

Cultura do Mosteiro - Românico Portugal
Cultura do Mosteiro - Românico PortugalCultura do Mosteiro - Românico Portugal
Cultura do Mosteiro - Românico Portugal
 
Sé De Braga
Sé De BragaSé De Braga
Sé De Braga
 
Românico
RomânicoRomânico
Românico
 
História das Catedrais
História das CatedraisHistória das Catedrais
História das Catedrais
 
Sé Velha de Coimbra
Sé Velha de CoimbraSé Velha de Coimbra
Sé Velha de Coimbra
 
Arquitetura medieval
Arquitetura medievalArquitetura medieval
Arquitetura medieval
 
Aula 04 arquitetura românica parte 2
Aula 04 arquitetura românica parte 2Aula 04 arquitetura românica parte 2
Aula 04 arquitetura românica parte 2
 
A cultura da catedral contexto
A cultura da catedral   contextoA cultura da catedral   contexto
A cultura da catedral contexto
 
Cultura da Catedral - Introdução ao Módulo
Cultura da Catedral - Introdução ao MóduloCultura da Catedral - Introdução ao Módulo
Cultura da Catedral - Introdução ao Módulo
 
Gotico em Portugal
Gotico em PortugalGotico em Portugal
Gotico em Portugal
 
Arte Gótica
Arte GóticaArte Gótica
Arte Gótica
 
Arte Romanica
Arte RomanicaArte Romanica
Arte Romanica
 

Mais de Daniela Ramalho

Mais de Daniela Ramalho (15)

Relatório de Estágio no Hotel Penha Longa
Relatório de Estágio no Hotel Penha LongaRelatório de Estágio no Hotel Penha Longa
Relatório de Estágio no Hotel Penha Longa
 
Módulo 9 -Marketing do Turismo
Módulo 9 -Marketing do TurismoMódulo 9 -Marketing do Turismo
Módulo 9 -Marketing do Turismo
 
AINT - Trabalho
AINT - TrabalhoAINT - Trabalho
AINT - Trabalho
 
Módulo 8
Módulo 8Módulo 8
Módulo 8
 
Módulo 7 IAT
Módulo 7 IATMódulo 7 IAT
Módulo 7 IAT
 
Sumários
SumáriosSumários
Sumários
 
Dia do Turismo-Workshop
Dia do Turismo-WorkshopDia do Turismo-Workshop
Dia do Turismo-Workshop
 
Relatório do Dia do Turismo
Relatório do Dia do TurismoRelatório do Dia do Turismo
Relatório do Dia do Turismo
 
TCAT - República Dominicana
TCAT - República DominicanaTCAT - República Dominicana
TCAT - República Dominicana
 
Departamento Comercial OTET
Departamento Comercial OTET Departamento Comercial OTET
Departamento Comercial OTET
 
La Ciudad de Barcelona
La Ciudad de BarcelonaLa Ciudad de Barcelona
La Ciudad de Barcelona
 
Marketing Pessoal Networking
Marketing Pessoal NetworkingMarketing Pessoal Networking
Marketing Pessoal Networking
 
Atitudes
AtitudesAtitudes
Atitudes
 
Módulo 6
Módulo 6Módulo 6
Módulo 6
 
Trabalho tcat crise impresarial[1]
Trabalho tcat crise impresarial[1]Trabalho tcat crise impresarial[1]
Trabalho tcat crise impresarial[1]
 

Último

QUESTÃO 4 Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...
QUESTÃO 4   Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...QUESTÃO 4   Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...
QUESTÃO 4 Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...azulassessoria9
 
transcrição fonética para aulas de língua
transcrição fonética para aulas de línguatranscrição fonética para aulas de língua
transcrição fonética para aulas de línguaKelly Mendes
 
Acróstico - Maio Laranja
Acróstico  - Maio Laranja Acróstico  - Maio Laranja
Acróstico - Maio Laranja Mary Alvarenga
 
História concisa da literatura brasileira- Alfredo Bosi..pdf
História concisa da literatura brasileira- Alfredo Bosi..pdfHistória concisa da literatura brasileira- Alfredo Bosi..pdf
História concisa da literatura brasileira- Alfredo Bosi..pdfGisellySobral
 
Slides Lição 07, Central Gospel, As Duas Testemunhas Do Final Dos Tempos.pptx
Slides Lição 07, Central Gospel, As Duas Testemunhas Do Final Dos Tempos.pptxSlides Lição 07, Central Gospel, As Duas Testemunhas Do Final Dos Tempos.pptx
Slides Lição 07, Central Gospel, As Duas Testemunhas Do Final Dos Tempos.pptxLuizHenriquedeAlmeid6
 
APRENDA COMO USAR CONJUNÇÕES COORDENATIVAS
APRENDA COMO USAR CONJUNÇÕES COORDENATIVASAPRENDA COMO USAR CONJUNÇÕES COORDENATIVAS
APRENDA COMO USAR CONJUNÇÕES COORDENATIVASricardo644666
 
Maio Laranja - Combate à violência sexual contra crianças e adolescentes
Maio Laranja - Combate à violência sexual contra crianças e adolescentesMaio Laranja - Combate à violência sexual contra crianças e adolescentes
Maio Laranja - Combate à violência sexual contra crianças e adolescentesMary Alvarenga
 
[2.3.3] 100%_CN7_CAP_[FichaAvaliacao3].docx
[2.3.3] 100%_CN7_CAP_[FichaAvaliacao3].docx[2.3.3] 100%_CN7_CAP_[FichaAvaliacao3].docx
[2.3.3] 100%_CN7_CAP_[FichaAvaliacao3].docxSílvia Carneiro
 
ATIVIDADE 1 - ENF - ENFERMAGEM BASEADA EM EVIDÊNCIAS - 52_2024
ATIVIDADE 1 - ENF - ENFERMAGEM BASEADA EM EVIDÊNCIAS - 52_2024ATIVIDADE 1 - ENF - ENFERMAGEM BASEADA EM EVIDÊNCIAS - 52_2024
ATIVIDADE 1 - ENF - ENFERMAGEM BASEADA EM EVIDÊNCIAS - 52_2024azulassessoria9
 
Gramática - Texto - análise e construção de sentido - Moderna.pdf
Gramática - Texto - análise e construção de sentido - Moderna.pdfGramática - Texto - análise e construção de sentido - Moderna.pdf
Gramática - Texto - análise e construção de sentido - Moderna.pdfKelly Mendes
 
Slides Lição 7, Betel, Ordenança para uma vida de fidelidade e lealdade, 2Tr2...
Slides Lição 7, Betel, Ordenança para uma vida de fidelidade e lealdade, 2Tr2...Slides Lição 7, Betel, Ordenança para uma vida de fidelidade e lealdade, 2Tr2...
Slides Lição 7, Betel, Ordenança para uma vida de fidelidade e lealdade, 2Tr2...LuizHenriquedeAlmeid6
 
Proposta de redação Soneto de texto do gênero poema para a,usos do 9 ano do e...
Proposta de redação Soneto de texto do gênero poema para a,usos do 9 ano do e...Proposta de redação Soneto de texto do gênero poema para a,usos do 9 ano do e...
Proposta de redação Soneto de texto do gênero poema para a,usos do 9 ano do e...marioeugenio8
 
Power Point sobre as etapas do Desenvolvimento infantil
Power Point sobre as etapas do Desenvolvimento infantilPower Point sobre as etapas do Desenvolvimento infantil
Power Point sobre as etapas do Desenvolvimento infantilMariaHelena293800
 
Regulamento do Festival de Teatro Negro - FESTIAFRO 2024 - 10ª edição - CEI...
Regulamento do Festival de Teatro Negro -  FESTIAFRO 2024 - 10ª edição -  CEI...Regulamento do Festival de Teatro Negro -  FESTIAFRO 2024 - 10ª edição -  CEI...
Regulamento do Festival de Teatro Negro - FESTIAFRO 2024 - 10ª edição - CEI...Eró Cunha
 
Aspectos históricos da educação dos surdos.pptx
Aspectos históricos da educação dos surdos.pptxAspectos históricos da educação dos surdos.pptx
Aspectos históricos da educação dos surdos.pptxprofbrunogeo95
 
Testes de avaliação português 6º ano .pdf
Testes de avaliação português 6º ano .pdfTestes de avaliação português 6º ano .pdf
Testes de avaliação português 6º ano .pdfCsarBaltazar1
 
Periodo da escravidAo O Brasil tem seu corpo na América e sua alma na África
Periodo da escravidAo O Brasil tem seu corpo na América e sua alma na ÁfricaPeriodo da escravidAo O Brasil tem seu corpo na América e sua alma na África
Periodo da escravidAo O Brasil tem seu corpo na América e sua alma na Áfricajuekfuek
 
Religiosidade de Assaré - Prof. Francisco Leite
Religiosidade de Assaré - Prof. Francisco LeiteReligiosidade de Assaré - Prof. Francisco Leite
Religiosidade de Assaré - Prof. Francisco Leiteprofesfrancleite
 
472037515-Coelho-Nelly-Novaes-Literatura-Infantil-teoria-analise-e-didatica-p...
472037515-Coelho-Nelly-Novaes-Literatura-Infantil-teoria-analise-e-didatica-p...472037515-Coelho-Nelly-Novaes-Literatura-Infantil-teoria-analise-e-didatica-p...
472037515-Coelho-Nelly-Novaes-Literatura-Infantil-teoria-analise-e-didatica-p...GisellySobral
 
EB1 Cumeada Co(n)Vida à Leitura - Livros à Solta_Serta.pptx
EB1 Cumeada Co(n)Vida à Leitura - Livros à Solta_Serta.pptxEB1 Cumeada Co(n)Vida à Leitura - Livros à Solta_Serta.pptx
EB1 Cumeada Co(n)Vida à Leitura - Livros à Solta_Serta.pptxIlda Bicacro
 

Último (20)

QUESTÃO 4 Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...
QUESTÃO 4   Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...QUESTÃO 4   Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...
QUESTÃO 4 Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...
 
transcrição fonética para aulas de língua
transcrição fonética para aulas de línguatranscrição fonética para aulas de língua
transcrição fonética para aulas de língua
 
Acróstico - Maio Laranja
Acróstico  - Maio Laranja Acróstico  - Maio Laranja
Acróstico - Maio Laranja
 
História concisa da literatura brasileira- Alfredo Bosi..pdf
História concisa da literatura brasileira- Alfredo Bosi..pdfHistória concisa da literatura brasileira- Alfredo Bosi..pdf
História concisa da literatura brasileira- Alfredo Bosi..pdf
 
Slides Lição 07, Central Gospel, As Duas Testemunhas Do Final Dos Tempos.pptx
Slides Lição 07, Central Gospel, As Duas Testemunhas Do Final Dos Tempos.pptxSlides Lição 07, Central Gospel, As Duas Testemunhas Do Final Dos Tempos.pptx
Slides Lição 07, Central Gospel, As Duas Testemunhas Do Final Dos Tempos.pptx
 
APRENDA COMO USAR CONJUNÇÕES COORDENATIVAS
APRENDA COMO USAR CONJUNÇÕES COORDENATIVASAPRENDA COMO USAR CONJUNÇÕES COORDENATIVAS
APRENDA COMO USAR CONJUNÇÕES COORDENATIVAS
 
Maio Laranja - Combate à violência sexual contra crianças e adolescentes
Maio Laranja - Combate à violência sexual contra crianças e adolescentesMaio Laranja - Combate à violência sexual contra crianças e adolescentes
Maio Laranja - Combate à violência sexual contra crianças e adolescentes
 
[2.3.3] 100%_CN7_CAP_[FichaAvaliacao3].docx
[2.3.3] 100%_CN7_CAP_[FichaAvaliacao3].docx[2.3.3] 100%_CN7_CAP_[FichaAvaliacao3].docx
[2.3.3] 100%_CN7_CAP_[FichaAvaliacao3].docx
 
ATIVIDADE 1 - ENF - ENFERMAGEM BASEADA EM EVIDÊNCIAS - 52_2024
ATIVIDADE 1 - ENF - ENFERMAGEM BASEADA EM EVIDÊNCIAS - 52_2024ATIVIDADE 1 - ENF - ENFERMAGEM BASEADA EM EVIDÊNCIAS - 52_2024
ATIVIDADE 1 - ENF - ENFERMAGEM BASEADA EM EVIDÊNCIAS - 52_2024
 
Gramática - Texto - análise e construção de sentido - Moderna.pdf
Gramática - Texto - análise e construção de sentido - Moderna.pdfGramática - Texto - análise e construção de sentido - Moderna.pdf
Gramática - Texto - análise e construção de sentido - Moderna.pdf
 
Slides Lição 7, Betel, Ordenança para uma vida de fidelidade e lealdade, 2Tr2...
Slides Lição 7, Betel, Ordenança para uma vida de fidelidade e lealdade, 2Tr2...Slides Lição 7, Betel, Ordenança para uma vida de fidelidade e lealdade, 2Tr2...
Slides Lição 7, Betel, Ordenança para uma vida de fidelidade e lealdade, 2Tr2...
 
Proposta de redação Soneto de texto do gênero poema para a,usos do 9 ano do e...
Proposta de redação Soneto de texto do gênero poema para a,usos do 9 ano do e...Proposta de redação Soneto de texto do gênero poema para a,usos do 9 ano do e...
Proposta de redação Soneto de texto do gênero poema para a,usos do 9 ano do e...
 
Power Point sobre as etapas do Desenvolvimento infantil
Power Point sobre as etapas do Desenvolvimento infantilPower Point sobre as etapas do Desenvolvimento infantil
Power Point sobre as etapas do Desenvolvimento infantil
 
Regulamento do Festival de Teatro Negro - FESTIAFRO 2024 - 10ª edição - CEI...
Regulamento do Festival de Teatro Negro -  FESTIAFRO 2024 - 10ª edição -  CEI...Regulamento do Festival de Teatro Negro -  FESTIAFRO 2024 - 10ª edição -  CEI...
Regulamento do Festival de Teatro Negro - FESTIAFRO 2024 - 10ª edição - CEI...
 
Aspectos históricos da educação dos surdos.pptx
Aspectos históricos da educação dos surdos.pptxAspectos históricos da educação dos surdos.pptx
Aspectos históricos da educação dos surdos.pptx
 
Testes de avaliação português 6º ano .pdf
Testes de avaliação português 6º ano .pdfTestes de avaliação português 6º ano .pdf
Testes de avaliação português 6º ano .pdf
 
Periodo da escravidAo O Brasil tem seu corpo na América e sua alma na África
Periodo da escravidAo O Brasil tem seu corpo na América e sua alma na ÁfricaPeriodo da escravidAo O Brasil tem seu corpo na América e sua alma na África
Periodo da escravidAo O Brasil tem seu corpo na América e sua alma na África
 
Religiosidade de Assaré - Prof. Francisco Leite
Religiosidade de Assaré - Prof. Francisco LeiteReligiosidade de Assaré - Prof. Francisco Leite
Religiosidade de Assaré - Prof. Francisco Leite
 
472037515-Coelho-Nelly-Novaes-Literatura-Infantil-teoria-analise-e-didatica-p...
472037515-Coelho-Nelly-Novaes-Literatura-Infantil-teoria-analise-e-didatica-p...472037515-Coelho-Nelly-Novaes-Literatura-Infantil-teoria-analise-e-didatica-p...
472037515-Coelho-Nelly-Novaes-Literatura-Infantil-teoria-analise-e-didatica-p...
 
EB1 Cumeada Co(n)Vida à Leitura - Livros à Solta_Serta.pptx
EB1 Cumeada Co(n)Vida à Leitura - Livros à Solta_Serta.pptxEB1 Cumeada Co(n)Vida à Leitura - Livros à Solta_Serta.pptx
EB1 Cumeada Co(n)Vida à Leitura - Livros à Solta_Serta.pptx
 

História- Sés Catedrais - Estilo Românico

  • 1.
  • 2.
  • 3. As catedrais , para nós podem ser simplesmente edifícios majestosos ,com funções religiosas e que ás vezes não damos muita importância , mas vamos abordar vários aspectos das catedrais que tornam estes edifícios muito importantes. Vamos falar especialmente das catedrais de arquitectura Românica , os seus aspectos , a sua planta habitual e mostrar algumas importantes Sés Catedrais de arquitectura Românica em Portugal.
  • 4. A catedralumaSé é um edifício da cátedra,presidida cadeira do Catedral é ou igreja que contém a igreja ou seja a por um bispo. ou seja é uma unidade administrativa da igreja maior. bispo, Nocatedral antigo a cadeira era o ideal para representar o poder e A mundo é frequentemente, um enorme edifício os deveres do bispo, pois era como as pessoas mais importantes impressionante. eram representadas.  Quando estas catedrais são construídas de forma Uma catedral só é considerada catedral quando tem a presença de deslumbrante é com o intuito de dar a ideia a quem as vê do um bispo. poder e da glória da igreja. Esse edifício pode ou não ter sido construído como catedral, por Graças a toda esta belezaesse estatutos chamamos-lhes dedo isso às igrejas que perderam são os lugares mais visitados mundo e quase e às que apenas servem temporariamentecidades proto–catedrais sempre um marco importante para as de na qual estão inseridas. de pró-catedral. catedral damos-lhe o nome
  • 5. É um estilo arquitectónico que surgiu na Europa no século X e evoluiu para o estilo gótico no fim do século XII. Caracteriza-se por construções rigorosas e robustas, com paredes grandes e janelas pequenas, cuja principal função era resistir a ataques de exércitos inimigos. Em Portugal , a arquitectura Românica deu-se durante a Reconquista, de que nasceu Portugal Um dos melhores expoentes do românico em Portugal é a Sé Velha de Coimbra, cuja construção data do século XII.
  • 6. 18. Tramo da 1.Torre sineira 3.Nave central com 8.Transepto 11.Absidíolo 20. Arco formeiro abóboda de berço abóboda 2.Contraforte 12.Pórtico principal 5.Nave lateral lateral 4.Pilar toral 19. Arco com abóbodas cruciforme de arestas 8 15.Cruzeiro 20 3 19 18 15 17 16 4 5 10 11 1 2 16.Nártex 10. Planta da Deambulatório 17.Abside e Catedral de 12 altar-mor Santiago de
  • 7.
  • 9.
  • 10.
  • 11.
  • 13.
  • 14.
  • 16.
  • 17.
  • 18.
  • 19.
  • 20.
  • 21.
  • 22. Sé Velha de Coimbra
  • 23.
  • 24.
  • 25.
  • 26. Com este tema , aprendemos mais acerca destes edifícios , e sua importância para a história e cultura do nosso país e do mundo. A sua arquitectura é muito pormenorizada e especifica e esperamos que as pessoas dêem a atenção e respeito que as sés catedrais merecem.