Seminário letras ufes pdf

546 visualizações

Publicada em

Apresentação realizada para o Curso de Letras da UFES em 05 de março de 2012.

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
546
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
3
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
0
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Seminário letras ufes pdf

  1. 1. EXPERIÊNCIAS DE APRENDIZAGEM NO CONTEXTO DIGITALDaniela E. Duarte FerreiraUFMG/CAPES
  2. 2. Objetivo Esta pesquisa tem como objetivo acessar as experiências de aprendizagem narradas por uma amostra dos estudantes em duas disciplinas de inglês instrumental on-line, lecionadas para a comunidade acadêmica da Universidade Federal de Minas Gerais.
  3. 3. Justificativa• A investigação de como o estudante observa as próprias experiências de aprendizagem é importante para a redefinição do seu papel, cuja atuação no âmbito da aquisição de línguas deve ser ativa e autônoma (BAMBIRRA, 2009);• A compreensão dos processos que estão sendo construídos no mundo virtual depende de escutarmos a voz dos usuários e esta investigação pode se utilizar dos adventos da internet (PAIVA, 2005).
  4. 4. • Razões para se ouvir a “voz dos estudantes”:(a) a aquisição de línguas é um processo e nãoum produto;(b) cada estudante experiencia o que lhe éensinado de maneira única;(c) suas histórias podem trazer à luz aspectos doprocesso ainda despercebidos pelo olhar doprofessor;(d) escutar e buscar compreender como elesveem o processo de aquisição significam passosimportantes para melhores práticas de ensino(MICCOLI, 1997; ARAGÃO, 2003).
  5. 5. The WWW• Nosso papel atual não é de leitores independentes ou consumidores de informação. Todos podemos ser colaboradores na construção de grandes depósitos de informação;• O processo de leitura e escrita na web está mudando nossa relação com a tecnologia e reescrevendo paradigmas ultrapassados de como as coisas funcionam;• As pessoas que serão capazes de compreender este novo mundo de informação ainda estão nascendo (Gilmor, 2005).
  6. 6. Extraordinary Changes• A web mudou e ainda influencia várias áreas, como a política, o jornalismo, negócios e claro, a educação. No entanto, ao contrário das outras áreas mencionadas, o ensino está se adaptando lentamente aos potenciais oferecidos pelas novas ferramentas tecnológicas;• Os espaços oferecidos a todos pela web criou a “sociedade da autoria” (society of authorship), onde escrevemos a história da humanidade, em tempo real, com interação e colaboração;• As novas tecnologias também afetaram a nossa maneira de viver e hoje vemos questões como privacidade e transparência de uma perspectiva diferente.
  7. 7. The Read/Write Web InEducation• Ser educador hoje representa um grande desafio, pois nossos aprendizes já estão lidando com o mundo de uma maneira que não nos é familiar;• Tudo isso já nos faz repensar como ensinamos, o que ensinamos e o que esperamos do processo de ensino/aprendizagem;• É necessário que o ensino redefina quais competências precisam ser desenvolvidas, quais serão as nossas fontes de conteúdo, como o processo de letramento deve acontecer, já que nossos alunos não serão somente leitores e escritores, mas também editores, redatores e colaboradores.
  8. 8. Social Learning• 60% dos adolescentes americanos tinham o MySpace ou Facebook;• Crianças pequenas, do 2º, 3º ou 4º ano estão migrando para os sites como Club Penguin e Webkinz;• 81% dos alunos do 7º ao 12º ano tem e-mail;• 75% tem pelo menos um programa de mensagens instantâneas;• 97% acreditam que o uso da tecnologia é importante no ensino;• A faixa etária de 2 a 5 anos é o grupo de usuárias da web que cresce mais rapidamente.
  9. 9. Social Learning• Esta imersão tecnológica tem efeitos neurológicos. William D. Winn aponta que após anos do uso do computador, as crianças “pensam de maneira diferente de nós. Elas desenvolvem mentes hipertextuais. Elas dão saltos. É como se suas estruturas cognitivas estivessem em paralelo, não sequenciadas.” (apud Prensky, 2001a.);• Os aprendizes são abertos às mudanças, mas a escola não. Quando ambos estiverem alinhados em relação ao potencial da leitura e escrita na web para o ensino, a aula será uma experiência completamente nova.
  10. 10. Learners as Teachers• Antes de trazer as novas tecnologias para a sala de aula, é importante que o professor “experiencie” esta transformação do convencional para o digital;• Para preparar nossos aprendizes para a era digital, é essencial que a sala de aula se torne um espaço de construção, desenvolvimento e participação, ligada a redes globais, onde o tempo e o lugar se tornam fatores menos e menos importantes;• As implicações pedagógicas do uso de novos meios são grandes, pois não podemos simplesmente transportar o conteúdo e as técnicas da sala de aula tradicional para o mundo digital. Esta mudança requer transformações na natureza do próprio processo de aprendizagem.
  11. 11. The Toolbox• Blogs• Wikis• Facebook• Orkut• On-line Photo Galleries• Googlegroups• Audio / Video casting• Websites educacionais
  12. 12. Ações Importantes• Filtrar o conteúdo ao qual eles tenham acesso;• Bloquear sites que hospedem blogs de conteúdo duvidoso;• Ensinar aos alunos habilidades que eles precisam desenvolver para navegar na WWW com segurança e eficiência;• Desenvolver atividades para sensibilizar os alunos dos perigos que alguns sites oferecem;• Planejar as aulas e testar todos os recursos com antecedência;• Criar o circuito online e limitar a liberdade que os alunos terão.
  13. 13. Ações Importantes (continuação)• Proteger a privacidade do aluno;• Ter a aprovação dos pais sobre o que será publicado (fotos, nomes, endereços, etc.);• Enviar uma carta aos pais com a descrição da ferramenta ou meio, como será utilizado, quais medidas de segurança serão tomadas, quais são suas expectativas e quais são os objetivos pedagógicos;• Discutir com a coordenação e direção o uso de tecnologias;• Discutir com os alunos o que deve ou não ser publicado;• Sensibilizá-los da exposição que eles e o que escrevem podem ter on-line;• Analisar quem serão os colaboradores e a audiência.
  14. 14. Construto Experiências Experiências Diretas Experiências Indiretas1. Experiências Cognitivas 4. Experiências Contextuais2. Experiências Sociais 5. Experiências Pessoais3. Experiências Afetivas 6. Experiências Conceptuais 7. Experiências Futuras Estas são as macrotegorias. Cada macrocategoria também é subdividida em microcategorias (MICCOLI, 2010).
  15. 15. Metodologia• Pesquisa narrativa de natureza qualitativa• Contexto: Projeto IngRede• Participantes: 3.076 estudantes, 89 realizaram a atividade online proposta
  16. 16. Instrumentos de Pesquisa• Questionário on-line com perguntas fechadas, enviado via googledocs. Objetivo: traçar o perfil dos informantes• Narrativas via Blogs disponíveis no AVA das disciplinas Objetivo: proporcionar espaços para que os estudantes narrem as experiências de aprendizagem dentro e fora do contexto digital
  17. 17. Contexto de Pesquisa• A instituição de ensino: Faculdade de Letras / UFMG• As duas disciplinas de Inglês Instrumental on-line são parte do Projeto IngRede. A pesquisa foi realizada no 1º semestre de 2011 e, dentre os aproximados 3.076 estudantes matriculados, 80 voluntariamente atuaram como informantes do estudo.
  18. 18. “Aprender a utilizar o Ambiente Virtual do curso não foiuma experiência muito agradável para mim porquesempre tive dificuldades e pouco interesse com a área dainformática. Mas quando aprendi, percebi que é, de fato,bem simples e eu é que estava com preguiça de ficarlendo. Fiquei me sentindo um pouco tola pela resistência,na verdade. “ (Estudante do Inglês Instrumental I)“Além disso, quando realizei as postagens, acabeipesquisando outros termos que estavam dispostos noambiente (inseridos por outros alunos) e acabeiconhecendo muito mais sobre o meu curso(administração) e sobre outros cursos como contabilidadee outras áreas a fins que despertaram minhacuriosidade.” (Estudante do Inglês Instrumental I)
  19. 19. Considerações Finais 1/2• O uso de AVAs como espaços de aprendizagem tem um potencial muito grande, devido ao grande número de ferramentas que esses oferecem ao professor e ao estudante.• A experiência da construção subjetiva do conhecimento, que ocorre por meio de ações colaborativas no meio digital, apresenta aspectos que são desconhecidos de professores e estudantes. Assim, a pesquisa reflexiva dentro desses novos ambientes, com o objetivo de explorá-lo e também documentar o sistema de experiências que nele ocorrem, tem o poder de contribuir para que professores e estudantes o conheçam melhor.
  20. 20. Considerações Finais 2/2• As experiências de aprendizagem anteriormente identificadas no contexto tradicional de ensino, a sala de aula, também emergem nas narrativas de estudantes no contexto digital.• Os dados parcialmente analisados parecem revelar a ocorrência de experiências de aprendizagem que têm a sua natureza nas especificidades do ambiente virtual e que podem ser interpretadas a partir das possibilidades educacionais desse espaço.
  21. 21. ReferênciasMICCOLI, Laura. Ensino e Aprendizagem de Inglês: Experiências,Desafios e Possibilidades. Campinas: Pontes Editores, 2010.RICHARDSON, W. The Read/Write Web. In: Blogs, wikis,podcasts, and other powerful web tools for classrooms.Thousand Oaks: Corwin Press, 2006. p. 01-16.
  22. 22. Obrigada!danidf@yahoo.comwww.freshideasforteaching.blogspot.com

×