"Redes Sociais e Relações Públicas" - Karla Cardoso

169 visualizações

Publicada em

Congresso ABRP/RSSC | 05.12.15 | Visão de Mercado

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
169
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
1
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

"Redes Sociais e Relações Públicas" - Karla Cardoso

  1. 1. WINTERTemplateRedes Sociais e Relações Públicas Congresso ABRP/RS-SC 05/12 Karla Cardoso NOVOS RUMOS
  2. 2. A REALIDADE Algumas empresas se sentem quase obrigadas a criar perfis ou páginas em diversas redes sociais.
  3. 3. VOCÊ SABE COM QUEM ESTÁ FALANDO? Falar para todos é falar para ninguém – para ser ouvido você precisa saber exatamente com quem falar, o que e como dizer.
  4. 4. FOCO NO CONSUMIDOR
  5. 5. FOCO NO CONSUMIDOR Não existem mais fronteiras entre on e off, real e digital. A Comunicação Integrada saiu do papel, NÃO É MAIS TEORIA. VIROU REALIDADE.
  6. 6. FOCO NO CONSUMIDOR O consumidor quer ver atitudes. Deseja que, de alguma forma, a marca se faça presente em sua vida, no seu dia-a-dia. Quer que o discurso seja REAL.
  7. 7. SEJA REAL ERA DA VERDADE – empresas com menos espaço para controlar as mensagens. É preciso ser verdadeiro na sua comunicação. SEJA REAL!
  8. 8. REPUTAÇÃO “São necessários 20 anos para se construir uma reputação e cinco minutos para arruiná- la. Se você pensar nisso, você fará as coisas de modo diferente”. Warren Buffett
  9. 9. FONTE:DELLOITE,2015 InteligênciaemGestãodeRiscoseCrises
  10. 10. De acordo com a pesquisa, mesmo que não ocorram com grande frequência, as crises de reputação e imagem foram avaliadas como as de principal impacto para as empresas. FONTE:DELLOITE,2015 InteligênciaemGestãodeRiscoseCrises REPUTAÇÃO
  11. 11. FOCO NO CONSUMIDOR Quantidade não é sinônimo de sucesso. Números nem sempre refletem a realidade. Números podem ser comprados – influência e relacionamento não. -Base “morta” -Base “bomba” -Base “participativa” Mais do que medir números, é preciso criar formas de mensurar o que as pessoas comentam nas suas redes: positivo, negativo, neutro. Daí podem surgir insights, oportunidades.
  12. 12. PERFIL Para trabalhar com social media é preciso estar pronto para transitar por muitas áreas: psicologia, sociologia, história, publicidade, RP, estatística, pesquisa, design etc.
  13. 13. A utilização de técnicas de pesquisa, visa gerar insights e conexões necessárias e relevantes para que as marcas possam conversar e interagir de forma efetiva com seus públicos. PESQUISA
  14. 14.  Desk Research  Etnografia Digital  Processos qualitativos de pesquisa: Focus Group, entrevistas em profundidade  Processos quantitativos de pesquisa: consumer panel, questionários  Segmentação e perfilamento psicográfico e comportamental. Construção do storytelling dos Buyer Personas  Shopper Insights: observando, mapeando e interpretando a jornada de experiência do novo consumidor – o novo funil de compra. FERRAMENTAs de PESQUISA
  15. 15. PRÁTICA ESTUDO DE CASO
  16. 16. CASE COPA ITAÚ
  17. 17. CASE COPA ITAÚ
  18. 18. CASE BIS
  19. 19. dica
  20. 20. GRATA… Karla Cardoso Kardoso.jor@gmail.com

×