Benefícios do Yoga para a terceira idade

13.142 visualizações

Publicada em

Trabalho de Conclusão de Curso de Ana Lígia para o Curso de Formação de Yoga da Chacarananda, com Maria Laura Garcia Packer, turma 2010/2011.

Publicada em: Espiritual
0 comentários
5 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
13.142
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
9
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
259
Comentários
0
Gostaram
5
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Benefícios do Yoga para a terceira idade

  1. 1. ANA LÍGIABENEFÍCIOS DO YOGA PARA A TERCEIRA IDADE Trabalho de conclusão de curso apresentada como requisito parcial para a obtenção do título de Professora de Yoga, da Escola de Yoga “Casa de Yoga Shanti Om e do Asharam Chacarananda. Orientadora: Prof.ª Maria Laura Garcia Packer. Joinville 2011
  2. 2. SUMÁRIO1 INTRODUÇÃO .................................................................................................... 082 O QUE É TERCEIRA IDADE ............................................................................... 112.1 Envelhecimento ................................................................................................. 132.2 A Importância do Exercício Físico na Terceira Idade ........................................ 153 YOGA ................................................................................................................... 213.1 O YOGA e suas Origens ................................................................................... 273.2 YOGA e Saúde .................................................................................................. 304 YOGA E TERCEIRA IDADE ................................................................................ 374.1 Os Benefícios do YOGA na Terceira Idade ....................................................... 404.2 Programa de YOGA para a Terceira Idade ....................................................... 515 CONCLUSÃO ..................................................................................................... 776 REFERÊNCIAS ................................................................................................... 79
  3. 3. 81. INTRODUÇÃO“Das várias modalidades do Yoga, a Hatha Yoga é aquela que, polindo a taçado corpo, vira-a de boca para cima, à espera de que o Licor Divino venhaenchê-la, que limpando as vidraças do corpo, permite que a Luz o penetre, quelavando a alma das enfermidades e da fraqueza, faz o diamante do espíritorefletir o Sol Infinito.” (Hermógenes, Auto Perfeição com Hatha Yoga) O YOGA para os ocidentais é um assunto ainda novo, embora venhacrescendo o interesse em estudos que comprovem sua eficácia, para que aspessoas o pratiquem sem mistificação ou crença. Alguns autores, que vivenciam o YOGA há muitos anos, recomendam suaprática sem medo e sem restrições de idade como é o caso de Hermógenes,Iyengar, Pedro Kupfer, Gustavo Ponce, Beatriz Esteves, Indra Mohan, entre outros. No mundo de hoje, onde prestigiamos a juventude, o corpo malhado e asaúde perfeita, poderíamos pensar que a tendência seria de deixar de lado apopulação idosa ou como se diz a terceira idade, que compreendem pessoas acimade 60 anos. Assim, esta monografia teve como base investigar os benefícios do Yogapara as pessoas das Terceira Idade, não só em seu aspecto físico, mas também nareestabilização ou auxílio no equilíbrio da saúde física, mental e emocional. Afinal, se o YOGA traz benefícios e curas em casos de depressão;desequilíbrio mental; melhora casos de fibromialgia, tonturas, insônia, doresmusculares e tantos outros casos, porque não experimentar a prática em pessoas deidade mais avançada e verificar os benefícios adquiridos ou não? Será que asposturas e práticas do YOGA são somente para pessoas jovens com flexibilidade ousua prática melhora a flexibilidade? O YOGA trás os mesmos benefícios paraqualquer pessoa? Quais as mudanças físicas, emocionais e/ou mentais pode oYOGA proporcionar aos praticantes? Poderá o YOGA adaptar os ásanas (posturas)e obter os mesmos benefícios? Ou será possível aplicar as posturas em suaoriginalidade e acompanhar o desenvolvimento e soltura corporal? Desta forma decidiu-se que o tema da pesquisa seria: “Benefícios doYOGA para a Terceira Idade”.
  4. 4. 9 O envelhecimento da população é um fenômeno que ocorre no mundo todo,a expectativa de vida aumentou, isto quer dizer que a população idosa cresce maisque outras faixas etárias. No Brasil, não é diferente. Segundo Simão; Baia e Trotta(2011, p.1) “o Brasil já não é mais considerado um país de jovens, com asestatísticas comprovando que a cada dia aumenta o número de pessoas idosas.” O envelhecimento das pessoas e o aumento na expectativa de vida trazemconsequências econômicas e sociais importantes. O assunto “terceira idade” é temade discussões e debates no mundo inteiro e por organizações mundialmenteconhecidas como a ONU. Tendo em base tais informações e sendo o YOGA e seusbenefícios ainda pouco divulgados no Brasil, surge a ideia de divulgar não só umconhecimento oriental, mas também todo o potencial salutar em que o YOGA, emsua prática, representa e oferece. No mundo são aprovadas leis e criadas estratégias de ações que asseguramum envelhecimento saudável e com dignidade. No caso do Brasil em 2003 oEstatuto do Idoso consolidou diferentes conquistas como direito à liberdade; aorespeito; à dignidade; ao alimento; à saúde; à educação; à cultura; ao esporte; aolazer; à profissionalização; ao trabalho; à previdência; à assistência social; àhabitação; e ao transporte, também foram criadas medidas de proteção; política deatendimento ao idoso; acesso à justiça; entre outros. Entretanto, estas leis não asseguram o idoso, pois não se garante que sejamcumpridas. O que existe são inúmeros programas de assistência ao idoso comoprogramas de imunização contra gripe; palestras de esclarecimento sobre váriostipos de doenças degenerativas; programas de atividade física e recreativa;distribuição de medicamentos; grupos de convivência; oficinas de memória etrabalhos manuais; lares assistidos; etc. Agora, se a população está vivendo mais tempo, as políticasgovernamentais devem pensar em estruturar a sociedade para uma população deaposentados ativa. Neste contexto é que se buscou saber as atividades maisapropriadas para que esta população viva de forma realmente ativa e para isso deveestar saudável para render benefícios tanto para a sociedade quanto para o próprioaposentado, pensando assim surge a intensão de estudar quais os benefícios que oYOGA pode proporcionar para a terceira idade, quais as mudanças significativas oYoga pode causar para o praticante da idade madura?
  5. 5. 10 Para responder à problemática acima foi utilizada como metodologia apesquisa bibliográfica sobre os temas envolvidos, Terceira Idade, YOGA, Benefíciosdo YOGA, já que a pesquisa bibliográfica expõe uma ideia por meio de materiais jápublicados. Conforme Lakatos e Marconi (1991, p.183), a pesquisa bibliográfica Abrange toda bibliografia já tornada pública em relação ao tema de estudo, desde publicações avulsas, boletins, jornais, revistas, livros, pesquisas, monografias, teses [...]. A pesquisa bibliográfica não é mera repetição do que já foi dito ou escrito sobre certo assunto, mas propicia o exame de um tema sob novo enfoque ou abordagem, chegando a conclusões inovadoras. Portanto, o presente estudo tem por objetivo maior investigar a eficácia doYOGA para a restauração e manutenção geral da saúde física e mental das pessoasda maturidade, proporcionando-lhes uma qualidade de vida ainda melhor. Comodemais objetivos, compreender quais influências que o YOGA pode proporcionar aospraticantes; perceber quais os benefícios que o YOGA pode proporcionar para casosde doenças degenerativas, cardiovasculares, emocionais, e se tais benefícios sãosignificativos. Assim, esta pesquisa será apresentada da seguinte maneira: neste capítuloum, a introdução nela é exposta a justificativa por se ter escolhido este tema, ametodologia utilizada e os objetivos em relação ao mesmo. No segundo capítulo, éfeita uma abordagem sobre o que significa a expressão “terceira idade”, onde surgiue como surgiu; sobre o envelhecimento; neste capítulo também se discorre sobre aimportância do exercício físico na terceira idade. No terceiro capítulo explora-se a história do YOGA, e sua importância parao homem. No quarto capítulo, relatam-se os benefícios do YOGA para a terceiraidade, e apresenta um cronograma de atividades do Yoga durante um mêsrecomendados para o auxílio de algumas doenças, decorrentes da idade. No quinto e último capítulo procede-se à conclusão, nela destacam-se asprincipais idéias trabalhadas e buscam-se sintetizar os resultados obtidos com apesquisa.
  6. 6. 112. O QUE É TERCEIRA IDADE? “Passa do meio dia. O declínio começou. Aqui, no vale, as sombras chegam mais cedo. Subirei a montanha. Lá no alto os últimos fulgores do sol serão meus. E quando a noite chegar vai me encontrar lá no alto.” (Prof. Hermógenes) A expectativa de vida da população vem aumentando expressivamente nosúltimos anos, e de acordo com os dados do Instituto Brasileiro de Geografia eEstatística (IBGE), apud Nóbrega, et. al. (1999), em 2030 o Brasil será a sexta maiorpopulação com indivíduos idosos. Diante disto Brasil (2006, p.7) adverte que “para o ano de 2050, aexpectativa no Brasil, bem como em todo o mundo, é de que existirão mais idososque crianças abaixo de 15 anos, fenômeno esse nunca antes observado.” Netto (2004) também aborda sobre este assunto afirmando que até poucotempo atrás a população brasileira era considerada como jovem, porém hoje possuiaproximadamente 23% de pessoas com idade superior a 60 anos. No Brasil, dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatísticas (IBGE) apontam que a média de anos de vida da população está crescendo. Passou de 66 anos em 1991 para 68,6 anos em 2000, representando um ganho de 2,6 anos no mesmo período. (MARTINS; et. al., 2007, p.444).
  7. 7. 12 De acordo com Conte (2000), o ser humano desde seu nascimento até suamorte, passa por diversas transformações, e estas estão sempre ligadas aosaspectos fisiológicos, ambientais, sociais, psicológicos e aos hábitos de atividadesdo dia a dia. Entre essas transformações, podemos citar: diminuição da estatura,acompanhada da diminuição dos arcos dos pés; aumento de curvatura na colunavertebral, devido a mudanças nos discos intervertebrais; perda da massa magra; oenrugamento da pele. Resumidamente pode-se descrever o envelhecimento como a soma de todas as alterações biológicas, psicológicas e sociais que, depois de alcançar a idade adulta e ultrapassar a idade de desempenho máximo, leva a uma redução gradual das capacidades de adaptação e de desempenho psicofísico do indivíduo. (SIMÃO; BAIA; TROTTA, 2011, p.4-5). Entretanto em meio a estas mudanças Silva (2008) afirma que tem surgidoum idoso que se preocupa com a atividade, a aprendizagem, a flexibilidade, oaumento da satisfação pessoal e a formação de vínculos afetivos. A autora chamaeste novo idoso de ‘terceira idade’, afinal, este “rótulo vem sendo utilizado paraidentificar a nova sensibilidade que passa a compor o processo de envelhecimento.”(SILVA, 2008, p.802). Diante disto, Simão, Baia e Trotta (2011) asseveram que antigamente apalavra idoso retratava algo pejorativo, pois o idoso era visto como encargo, dependência, trabalho e amolação, muitos deles estavam em asilos, casas de repouso ou clínicas geriátricas, sem carinho, sem afeto, mesmo tendo filhos, netos ou outros parentes, sendo fadados a terminarem seus dias sozinhos. (SIMÃO; BAIA; TROTTA, 2011, p.2). Contudo, hoje, o idoso é visto com valor, afinal ele possui uma vastaexperiência de vida, e por isto deve ser considerado como um construtor dasociedade, ator e não ausente. (SIMÃO; BAIA; TROTTA, 2011). Assim, Silva (2008) afirma que Laslett1 foi um dos precursores a utilizar otermo ‘terceira idade’ para se referir a uma nova etapa da vida, que compreendedesde a metade da idade adulta até a velhice. Este autor afirma que1 Segundo Silva (2008) Laslett é um historiador social inglês muito influente no campo dos estudossobre envelhecimento. Seu livro, A Fresh Map of Life: the emergence of the third age (1989), foi o
  8. 8. 13 as mudanças demográficas e, principalmente, o aumento da expectativa de vida trouxeram transformações surpreendentes para o curso da vida e exigiram a criação de novos “mapas de vida” (LASLETT, 1989, apud SILVA, 2008, p.802-803). Neste mesmo sentido Debert (1999) apud Silva (2008) ressalta que aterceira idade é vista como possibilidade de vivenciar o envelhecimento de formaprazerosa e gratificante, propiciando a realização de projetos e ambições pessoais.Já Netto (2004) chama de terceira idade indivíduos com idade superior a 60 anos. Já Sousa (2005, p.9) afirma que a “terceira idade é o prolongamento e otérmino de um processo representado por um conjunto de modificações fisiomórficase psicológicas ininterruptas à ação do tempo sobre as pessoas.” Jacon, Scortegagna e Oliveira (2007) defendem que terceira idade é quandoo indivíduo sai da idade adulta e entra na senescência ou envelhecimento. As autorasalegam que existe uma grande controvérsia de quando esta se inicia, entretanto asmesmas apontam que “o importante não é determinar uma idade fixa, mas sim umperíodo aproximado que não discrimine ninguém.” (JACON; SCORTEGAGNA;OLIVEIRA, 2007, p.1). Sousa (2005) corrobora que o início da terceira idade está ligado àsmodificações do corpo. O autor ainda informa que a Organização das NaçõesUnidas (ONU) considera oficialmente o início da terceira idade aos 65 anos. Devido às inúmeras divergências encontradas, para se definir o início daterceira idade, nesta pesquisa consideraremos como terceira idade o cidadão a partirdos 60 anos.2.1 Envelhecimento “Não podemos acrescentar anos à vida, mas podemos acrescentar vidaaos anos.” (Prof. Niehans) O envelhecimento faz parte da realidade de todos os povos, afinal o mundoestá envelhecendo, assim espera-se que no ano de 2050 existam aproximadamenteprimeiro estudo acadêmico a defender o entendimento da terceira idade como uma nova etapa davida e tornou-se referência no campo, possuindo tanto adeptos quanto críticos.
  9. 9. 14dois bilhões de pessoas com mais de sessenta anos no mundo, desses 17,6 milhõesestarão no Brasil. (BRASIL, 2006). A Organização Pan-Americana de Saúde (OPAS) apud Brasil (2006, p.8)define o envelhecimento como um processo sequencial, individual, acumulativo, irreversível, universal, não patológico, de deterioração de um organismo maduro, próprio a todos os membros de uma espécie, de maneira que o tempo o torne menos capaz de fazer frente ao estresse do meio-ambiente e, portanto, aumente sua possibilidade de morte. Cabral (2011) explica que envelhecimento são as alterações fisiológicas queocorrem ao longo do tempo em organismos multicelulares, essas alteraçõesacontecem nas moléculas e nas células que acabam por prejudicar o funcionamentodos órgãos e do organismo em geral. Assim, Nóbrega; et. al. (1999) assevera que o envelhecimento é umprocesso ininterrupto onde ocorre uma diminuição dos processos fisiológicos. O envelhecimento pode ser compreendido como um processo natural, de diminuição progressiva da reserva funcional dos indivíduos - senescência - o que, em condições normais, não costuma provocar qualquer problema. No entanto, em condições de sobrecarga como, por exemplo, doenças, acidentes e estresse emocional, pode ocasionar uma condição patológica que requeira assistência - senilidade. Cabe ressaltar que certas alterações decorrentes do processo de senescência podem ter seus efeitos minimizados pela assimilação de um estilo de vida mais ativo. (BRASIL, 2006, p.8). Segundo Mcardle e Katch (1999) apud Simão, Baia e Trotta (2011) acapacidade fisiológica começa a diminuir após os 30 anos de idade, sendo essadiminuição, mais perceptível após os 60 anos. No entanto, esse ritmo de diminuiçãoé influenciado por diversos fatores, entre eles o nível de atividade física. Entretanto Niemann (1999) apud Conte (2000) afirma que o processo deenvelhecer varia bastante entre as pessoas, e que o envelhecimento depende muitodo estilo de vida e da genética do indivíduo. Diante disto, Martins; et. al. (2007) alegam que
  10. 10. 15 o envelhecimento é uma etapa do ciclo vital, marcado por mutações biológicas visíveis e cercado por determinantes sociais que tornam as concepções sobre velhice variáveis de indivíduo para indivíduo, de cultura para cultura, de época para época. Partindo da afirmação acima, Jacon, Scortegagna e Oliveira (2007) dizemque envelhecer não é sinônimo de ficar em casa, de ser inútil, mas sim queenvelhecer é se adaptar as novas limitações do corpo. Igualmente, Sousa (2005, p.38) corrobora com as autoras acima, quando dizque “o envelhecimento não é somente uma passagem pelo tempo, mais do que istoé o acúmulo de eventos biológicos que ocorrem ao longo do tempo.” Resumidamente pode-se descrever o envelhecimento como a soma de todas as alterações biológicas, psicológicas e sociais que, depois de alcançar a idade adulta e ultrapassar a idade de desempenho máximo, leva a uma redução gradual das capacidades de adaptação e de desempenho psicofísico do indivíduo. (SIMÃO; BAIA; TROTTA, 2011, p.5). Entretanto Nóbrega; et. al. (1999) ressalta que se o idoso mantiver um estilode vida ativo e saudável, ele pode diminuir as alterações morfofuncionais queaparecem com o decorrer da idade. Sousa (2005) adverte que as mudanças fisiológicas, psicológicas e sociaisque ocorrem na vida do indivíduo influenciam severamente no processo deenvelhecer da pessoa idosa. Assim, podemos afirmar que o estilo de vida do idoso afeta e muito no seuenvelhecimento, e mais, a falta de exercícios; o fumo; o abuso de drogas ou álcoolprejudica mais ainda à saúde do idoso.2.2 A Importância do Exercício Físico na Terceira Idade Martins; et. al. (2007) afirma que praticar atividade física regularmente é umaforma de se obter um envelhecimento saudável e assim aumentar a expectativa devida dos idosos. Exercícios físicos praticados regularmente inibem alterações orgânicas quese associam ao processo degenerativo, contribuem para a reabilitação dedeterminadas patologias que podem aumentar os índices de morbidade e
  11. 11. 16mortalidade, agindo também sobre a saúde mental e a eficácia cognitiva. Asatividades físicas diárias são importantes para que os idosos permaneçam com umamelhor aptidão física, pois requerem um nível mínimo de força muscular,flexibilidade, coordenação e equilíbrio e com isto, mantêm suas capacidadesfuncionais ativas por mais tempo e com melhor qualidade. (MARTINS; et. al., 2007,p.449). Portanto, Sousa (2005) esclarece que praticar uma atividade físicafrequentemente é uma das principais bases para a manutenção da saúde emqualquer idade. Mas para a terceira idade a atividade física é fundamental tanto paraas funções cardiovasculares e pulmonares, como também na manutenção da saúdemental, trabalhando muito bem os fatores lúdicos, cognitivos, afetivos e sociais.(SOUSA, 2005, p.25). Neste sentido, Brasil (2006) adverte que a falta de exercícios físicos contribuimuito para o aumento de doenças crônicas, e esta falta de exercício é muito comumentre os idosos. No entanto os benefícios da atividade física para o idoso é alvo deinúmeros estudos, estes benefícios podem ser observados na figura abaixo: Figura 1: Benefícios da Atividade Física
  12. 12. 17Fonte: Brasil, (2006, p.21). Assim, o idoso ativo diminui em 40% o risco de morte por doençascardiovasculares e se esta for acompanhada de uma dieta equilibrada reduz em58% o risco de progressão do diabetes tipo II, por isto pode-se afirmar que umamudança no comportamento provoca excelente melhora na saúde e qualidade devida do idoso. (BRASIL, 2006). Para Conte (2000) o exercício físico é essencial para que se envelheça comsaúde, pois a atividade física diminui o risco de doenças cardiovasculares, câncer,hipertensão arterial, depressão, osteoporose, fraturas ósseas e diabetes. Portanto, Simão, Baia e Trotta (2011) concordam que o exercício físicoproporciona uma melhor qualidade de vida para o idoso, afinal este é considerado hoje como uma das melhores maneiras de manter a qualidade de vida durante o processo de envelhecimento, exercendo influência favorável sobre a condição funcional do organismo e sobre sua capacidade de desempenho. Como não existem medicamentos para evitar o envelhecimento, assume o exercício físico um papel preponderante. (SIMÃO; BAIA; TROTTA, 2011, p.6). Entretanto os autores advertem que juntamente com os exercícios o idosodeve repousar adequadamente, ter uma excelente atividade intelectual e social, euma alimentação balanceada. Pois de nada adianta somente o exercício físico,envelhecer saudavelmente é um conjunto de hábitos. Niemman (1999) apud Conte (2000) lembra que especialistas emgerontologia afirmam que o ser humano poderia viver aproximadamente de 115 a120 anos, se tivesse um estilo de vida ideal, e isto é possível com a prática deexercícios físicos e hábitos saudáveis. Deste modo, Martins; et. al. (2007, p.449) advoga que exercícios físicos praticados regularmente inibem alterações orgânicas que se associam ao processo degenerativo, contribuem para a reabilitação de determinadas patologias que podem aumentar os índices de morbidade e mortalidade, agindo também sobre a saúde mental e a eficácia cognitiva. As atividades físicas diárias são importantes para que os idosos permaneçam com uma melhor aptidão física, pois requerem um nível mínimo de força muscular, flexibilidade, coordenação e equilíbrio e com isto, mantêm suas capacidades funcionais ativas por mais tempo e com melhor qualidade.
  13. 13. 18 Almeida (2004) corrobora com o autor acima, quando diz que o exercíciofísico é um aliado no combate as doenças da velhice, pois promove: a) Mudanças positivas no cérebro, já que libera a serotonina que é responsável pela produção da sensação de relaxamento e satisfação; b) Combate pensamentos negativos; c) Acalma a mente; d) Aumenta a tranqüilidade; e) Estimula a sensação de alerta; f) Promove a criatividade; e g) Causa uma fadiga saudável, pois alivia a tensão muscular. Simão, Baia e Trotta (2011, p.14) também relatam alguns benefícios de sepraticar uma atividade física na terceira idade, assim, os autores afirmam que “osexercícios visam qualidade de vida, e melhora da performance para os afazeres davida diária, diminuindo doenças, melhorando a disposição geral, o bem-estar e aalegria de viver em sociedade.” Igualmente, Sousa (2005) afirma que praticar atividades físicasregularmente melhora a mecânica respiratória e torna mais eficaz a ventilaçãocardiopulmonar dos idosos aumentando assim sua tolerância ao exercício físico. Assim, Conte (2000) adverte que a falta de exercício físico é um fator derisco no desenvolvimento das doenças crônico-degenerativas, pois o hábito depraticar atividade física é tido como tratamento preventivo e reabilitador empraticamente todas as enfermidades físicas e mentais. A atividade física regalar, de acordo com muitos gerontologistas, é um ingrediente fundamental para um envelhecimento saudável, de todos os grupos etários, as pessoas mais beneficiadas pela atividade física, são os idosos diminuindo o risco de muitas doenças e problemas de saúde comuns na velhice como, doenças cardiovasculares, câncer, hipertensão arterial, depressão, osteoporose, fraturas ósseas e diabetes. O exercício regular também ajuda a diminuir a gordura corporal, aumenta a força muscular; aumenta a aptidão aeróbica, melhoram o sono, são mais resistentes às doenças virais e possuem uma melhor qualidade de vida em relação aos sedentários. (CONTE, 2000, p.33). Diante deste cenário, Nóbrega; et. al. (1999) representaram por meio de umesquema o ciclo do envelhecimento, sem a prática de atividade física diária.
  14. 14. 19 Figura 2: O ciclo vicioso do envelhecimentoFonte: Nóbrega; et. al. (1999, p.208). Portanto, analisando a figura acima, podemos afirmar que praticar exercíciofísico regularmente é essencial para manter um envelhecimento sadio. Reafirmando a questão, Nóbrega; et. al. (1999) ressalta que o exercíciofísico regular melhora a força, a massa muscular e a flexibilidade articular, nosidosos. Deste modo, os autores advogam que o exercício físico é um excelenteinstrumento de saúde para o idoso, auxiliando várias adaptações fisiológicas epsicológicas, tais como: aumento do VO2máx; maiores benefícios circulatóriosperiféricos; aumento da massa muscular; melhor controle da glicemia; melhora doperfil lipídico; redução do peso corporal; melhor controle da pressão arterial derepouso; melhora da função pulmonar; melhora do equilíbrio e da marcha, menordependência para realização de atividades diárias; melhora da autoestima e daautoconfiança; e significativa melhora da qualidade de vida. Os autores citados acima, também alegam que os exercícios nos quais sesustenta o próprio peso e os exercícios de força promovem no idoso maior fixaçãode cálcio nos ossos; auxilia na prevenção e no tratamento da osteoporose; aumenta
  15. 15. 20a força e a endurance musculares; o equilíbrio e a flexibilidade; diminui a incidênciade quedas, fraturas e suas complicações. Mas, atenção, o exercício físico não pode ser um substituto das consultasmédicas, pois “a associação entre tratamento medicamentoso e atividade física éuma excelente maneira de envelhecer de maneira saudável.” (NÓBREGA; et. al.,1999, p.209).
  16. 16. 213. YOGA “Poucos são os homens verdadeiramente sensíveis à presença deDeus em seu coração...pela dificuldade de encontrar calma propícia a seudiálogo com Deus.” (livro:Yoga para Cristão) Pretendemos neste capítulo, desmistificar e esclarecer o que envolve oYoga, sua origem, seus preceitos, seus efeitos físicos, psíquicos para que aqueleocidental ainda leigo possa entender, interpretar e interagir com a prática do yogalivre de pré-conceitos. Muitos brasileiros ainda desconhecem o que significa Yoga, associamsomente a uma forma de meditação onde seus adeptos emitem um som deverasesquisito (o som do mantra OM), ou rechaçam completamente imaginando pertencera alguma seita religiosa de magia, outros criam a fantasia de associar com demôniosdevido a enorme quantidade de entidades que a Índia cultua em sua religiosidade,dentre tantos outros absurdos que surgem devido ao simples fato dedesconhecerem os hábitos culturais da Índia e o que envolve o Yoga e também ofato do ocidente ser voltado para o Cristianismo. E mesmo assim, observa-se que acada dia, mais e mais pessoas estão optando pelo Yoga como prática diária deatividade física em busca de equilíbrio, bem estar e que lhes proporcione qualidadede vida. Para algumas pessoas yoga nada mais é do que asana, as posturas quecostumeiramente vemos em revistas, na tevê, em vídeos, ilustrando matérias sobre
  17. 17. 22yoga. Na verdade alguns vêm a prática do Yoga com certo desdém, outros achamque as posturas são essenciais, e até mesmo algumas pessoas nem se questionamsobre a sua importância na prática, fazem porque acham bonito, querem ser comoàqueles que aparecem nas capas das revistas e matérias sobre Yoga. O fato é queo Yoga está se tornando cada vez mais conhecido no mundo Ocidental pela enormeeficácia física, emocional e mental que proporciona a todos os praticantes, sejamjovens ou maduros, gordos ou magros, todos sem exceção, relatam a melhora físicae mental trazida com as práticas do Yoga. Vamos agora discursar sobre o significado do Yoga propriamente dito. A palavra Yoga deriva etimologicamente da raiz verbal Yuj que significareunir, subjugar e pode ter as conotações como: união, ocupação, conjunção deestrelas, tentativa, soma, agregado, conforme explica Feuerstein (1975, p.13). János estudos de Michaël (1976, p.19) sustenta o significado do Yoga como sendoatrelar, unir, juntar e amplia sustentando que existem duas formas de interpretação:na primeira Yoga é a: união do Ser individual (Jivatman) com o Ser supremo(Paramatman) e na segunda é a coordenação, a unificação dos diferenteselementos do psiquismo humano, comparados a cavalos fogosos que serãodomados e atrelados à mesma carroça. Já Hermógens vai mais longe quando cita aspalavras de Jesus no seu livro Auto perfeição com Hatha Yoga. (p. 37): Eu e o Paisomos UM, simplifica e explica profundamente o significado vivo do Yoga, a perfeitaunião do ser humano com seu Deus interno ou sua alma. Segundo Antony Bay O Yoga chegou-nos da Índia fortemente impregnado de Hinduísmo. Nada mais fácil, no entanto, que dissociá-lo das escolas espirituais. Os Satgurus (mestres de Yoga) não se cansam de repetir que Yoga não é uma religião, acrescentando que sua prática, todavia, valoriza, dinamiza a vida religiosa qualquer que seja seu credo, transformando a simples rotina numa adesão consciente. Como observa Maryse Choise em La Metaphysique des Yogas na Índia todas as escolas espirituais de renome, ortodoxas ou não adotam o Yoga como condição “sine qua non” da plena realização de seu ideal filosófico ou espiritual Conforme cita Laura Packer, p.23 no Yoga Sutra 1.2 a definição de Yoga é:“Yogas citta-vritti-nirodhah”, ou seja, Yoga é a cessação das modificações da mente.Na Katha Upanishad está escrito, “Quando todos os sentidos estão imóveis, quandoa mente está em repouso, quando o intelecto não treme – esse, dizem os sábios, é o
  18. 18. 23estado mais elevado.” Essa serenidade dos sentidos e da mente foi definida comoYoga. Aquele que a obtém liberta-se da ilusão. George Feuerstein cita ainda que “O Yoga é a união da psique individualcom o Si mesmo Transcendental (Yoga Yajanavalkya 1.44) Ou seja, Yoga é uma filosofia de vida cujo objetivo é a união do homem com o supremo, isto é, da matéria com o espírito – no sentido mais profundo, o verdadeiro religare, de onde originou o termo religião. Da mesma forma, o sufismo considera o espírito humano como umaemanação do divino, ao qual se esforça por se reintegrar. Nesse ponto, pode-seafirmar que Yoga é uma forma de religião, mas no sentido de que há umatransmissão de conhecimentos, a criação de um código de uma conduta ética e umaprática espiritual. Entende-se por prática espiritual o ponto comum entre Yoga equalquer religião: a ideia de que o homem pode desejar algo que lhe é infinitamentesuperior e que está além de si próprio, mas, paradoxalmente, profundamente imersodentro de si mesmo. Cita Hermógenes ampud Yoga para cristãos, Yoga proporciona ao religioso um contentamento que na alma e no corpo se instala, favorecendo, não esta experiência de Deus que se fala, mas a própria vida espiritual que a motiva e a ela corrobora. Sem dúvida a prática do Yoga torna esta vida espiritual mais acessível, portanto mais aberta ao intercâmbio de Deus com a alma e desta com Deus... estimula a vida da fé, amor a Deus e ao próximo, torna mais agudo o senso de dever, o senso de responsabilidade. Em poucas palavras, o Yoga busca o equilíbrio entre o corpo e a mente,para que o homem possa viver melhor. Isso significa levar o homem a um estado de harmonia, paz e serenidadepor meio do autoconhecimento e da perfeita integração com o mundo exterior. Nos últimos anos uma onda de curiosidade acerca do Yoga tem assaltado ohomem ocidental. É como se o Ocidente tivesse finalmente descoberto o Oriente. Ecom isso, novos horizontes, novas perspectivas, novas técnicas de vida, novasesperanças renovaram o mundo Ocidental. Mas para o povo Oriental são técnicasvelhíssimas, milenares as quais pertencem ao Yoga. Hermógenes cita (p.28.edição 48):
  19. 19. 24 Há, no Oriente, um conjunto de práticas de uma técnica experimentada e que se poderia chamar a via, o caminho do silêncio. Desde recuadas eras, sábios da Índia têm ensinado o homem a comandar seus pensamentos, a dominar seu psiquismo, a manter-se numa atmosfera de repouso, de profunda paz, longe de tudo que perturba o homem e em torno do homem. O que se tem percebido que a cada dia o Yoga tem se tornado maisconhecido e praticado no mundo todo, seja para obter maior flexibilidade, ou embusca de qualidade de vida, de reequilibrar a saúde e até mesmo a união com oDivino o fato é que está se tornando cada vez mais praticado no Brasil e em todo oOcidente. Por esta razão viu-se a necessidade de maiores esclarecimentos nestecapítulo do que envolve o Yoga, suas raízes e técnicas. Beatriz Esteves discursa sobre o aparecimento do Yoga em seu livro “Yogapara a 3ª idade”: Apesar de ser conhecido e vivenciado no Oriente há milhares de anos, somente há poucas décadas o Yoga foi introduzido e difundido na Europa e Américas, atualmente, no entanto, essa visão vem se modificando e as técnicas do Yoga são hoje estudadas e praticadas em várias universidades como temas curriculares. O Yoga toma alguns ramos a saber, Hatha Yoga, Raja Yoga, Jnana Yoga,Karma Yoga, Bhakti Yoga, Mantra Yoga, Kundalini Yoga entre outros, mas o indianovê e estuda o Yoga como um só assunto, fazendo parte da vida cotidiana e doshábitos corriqueiros da Índia. Aqui neste estudo nos ateremos a discursar somente oque envolve o Hatha Yoga. Conforme cita Haridas Chaudhuri (1972, p.53-4) apudVera Maria da Rocha em sua tese, Hatha Yoga é um sistema que se inicia com o corpo. Estando o corpo e a mente intimamente correlacionados, sua finalidade é o domínio do corpo, tendo em vista assegurar o correspondente domínio da mente. O controle dos nervos e das energias vitais produz o controle das funções mentais. Mantendo-se sob o perfeito controle o complexo corpo/mente, irradia-se o espírito interior e realiza-se o Eu Superior. Segundo George Feuerstein (A Tradição do Yoga.p.25), O desejo detranscender a condição humana, de ir além da consciência e da personalidade que
  20. 20. 25conhecemos, é uma aspiração profunda e tão antiga quanto a própria humanidade.Ele ainda continua: Vemos essa aspiração operando na magia das pinturas rupestres da Europa Meridional e ainda antes disso, nos túmulos paleolíticos do Oriente Médio..Também encontramos esse desejo nas crenças e ritos animistas do Xamanismo arcaico e vemo-lo florescer nas tradições religiosas da era neolítica – na civilização Indu-Sarasvathi, na Suméria, no Egito e na China. Através dos estudos de Feuerstein percebemos o quanto a busca dohomem pelo bem estar está muito ligada à busca pelo religare ao qual o Yoga seinveste para equilibrar e ascender tal ímpeto e sem dúvida nenhuma Yoga é aespiritualidade mais versátil da India. Ainda citando Feuerstein: A aspiração irrefreável do homem por Deus, pela Luz, pela Felicidade, pela Liberdade, pela Imortalidade apresenta-se no lugar que lhe cabe nessa cadeia como impulso imperioso pelo qual a Natureza busca evoluir além da Mente e configura-se como algo tão natural, tão justo e verdadeiro quanto o movimento rumo a Vida. Ele completa afirmando que: A aspiração à transcendência é inerente a vida humana. Não se manifesta somente nas buscas religiosas, mas também nas aspirações da Ciência, da Tecnologia, da Filosofia, da Teologia e da Arte. E nessa busca, nessa aspiração à transcendência é que muitas vezes o Homem se perde nesse caminho de infinitas possibilidades criando teorias e métodos confusos que geram um verdadeiro desiquilíbrio interno e externo. O fato é que toda essa busca pela Verdade ou o Real passaprimeiramente pelo crivo da Mente, formada por arquétipos, impressões e nósdesconhecemos quase que por completo o processo que envolve a Mente, seufuncionamento, o pensamento e neste ponto é que nos perdemos num labirinto deconceitos e impressões errôneas. Cita Da Free John apud George Feuerstein: A chave da linguagem mística e das metáforas religiosas não é a Teologia nem a Cosmologia, mas a anatomia. Toda a linguagem religiosa e cosmológica do misticismo é metafórica e as metáforas em questão são
  21. 21. 26 símbolos das características anatômicas das estruturas funcionais superiores do indivíduo humano. Aqueles que penetram profundamente na dimensão mística da existência logo descobrem que a ordem cósmica que esperam desvendar no seu caminho interior e ascendente em direção a Deus é na verdade a simples ordem das suas próprias estruturas anatômicas ou psicofísicas. O Yoga é uma filosofia que estuda e leva ao conhecimento profundo dosprocessos mentais. Tudo que envolve a mente e suas manifestações através daspráticas diárias das posturas, respirações e meditações. Existem muitas filosofias acerca da mente, mas o que se percebe é queela, a mente, é um labirinto que para se adentrar são necessários anos dededicação à Meditação, ao autoconhecimento, e este assunto ainda é muito novopara o Ocidente que vê com certa restrição método que considera tão simples paratamanha eficácia e profundidade. As atitudes em relação à saúde, espiritualidade, estilo de vida e nossolugar na sociedade estão mudado drasticamente, bem como as pessoas estãoprocurando respostas para seus problemas cotidianos. Neste contexto é que o Yogavem ganhando popularidade devido à sua grande eficácia em reequilibrar todo oorganismo beneficiando à saúde trazendo curas para muitas doenças,principalmente de origem psicossomáticas graças a sua forma de ver o ser humanocomo um todo, tratando-o de forma integral. De acordo com Beatriz Esteves (p.13):O Yoga não promete milagres ou aumentar os anos de vida, mas sim, melhorar ofuncionamento do corpo e proporcionar maior equilíbrio emocional, tranquilidade ealegria de viver. Devido à busca pelo equilíbrio, saúde e qualidade de vida é que o Yoga estáse tornando conhecido pelo Ocidental, mas Yoga vai mais além da esfera da saúde.Yoga é cheio de preceitos Morais e Éticos aos quais falaremos no capítulo IV. Falemos um pouco sobre como age a mente. As impressões da menteregistram-se no corpo, em forma de tensões e flacidez, condicionando o caráter eposteriormente podendo causar doenças psicossomáticas. Atualmente, tanto osadultos como as crianças estão sendo submetidos a uma rotina estressante – e oresultado disso é que acabam se alimentando mal, dormindo mal, enfim, vivendonum estado de tensão permanente que deixa seu corpo mais vulnerável a uma sériede doenças. Os limites físicos e mentais são ultrapassados, trazendo enormesprejuízos. É muito importante que as pessoas conheçam os processos de sua
  22. 22. 27mente, seus sentimentos e seu próprio corpo e aprendam os mecanismos quepodem ajudá-los a buscar um equilíbrio. Neste contexto a professora Bernadete Stecca e o professor Hélio Medradodizem que o corpo fala, portanto não se cala. Corpo morto não exprime existêncianem organização do pensamento. Dentro dessa idéia eles citam em sua teseLinguagem Corporal: formas negociadas contra agressões do meio: A linguagem corporal é a expressão que constrói a liberdade da existência do ser que não pode ser fracionado. Seguramente é interdisciplinar, nela não há espaço segmentado, só há lugar para o sentido integral e encarnado da fundação entre o espírito e sua existência. Os frutos da boa prática de Yoga não se limitam apenas ao corpo, a mente,o emocional e o espírito do indivíduo, mas se projetam de maneira muito acentuadanas realizações profissionais e pessoais. A tão necessária prosperidade recebe umaliado de primeira grandeza, a harmonia e satisfação existencial também. Nestes tempos modernos, nossa forma de vida está completamente caóticae a natureza está lutando pela sobrevivência, que nós os seres humanos, fomos esomos a causa de tantos desequilíbrios. O resultado dessa forma de vida é quetodos estão sofrendo profundamente os efeitos deste desequilíbrio. Cada vez maisas doenças estão se espalhando com rapidez aos jovens, novas doenças estão acada dia surgindo e as antigas, que a ciência achava estar controlada, voltam commais força. Este é um sinal de que Ciência e a Espiritualidade precisam voltar a seunir e nós seres humanos precisamos urgentemente perceber que não temos opoder de controlar a natureza assim como achávamos que tínhamos e quehumildemente precisamos aprimorar nosso conhecimento para tentar sanar oproblema e voltarmos a viver em harmonia com a natureza o nosso habitat e este éexatamente o objetivo, a proposta do Hatha Yoga.3.1 O Yoga e suas origens
  23. 23. 28 Conforme cita Maria Laura Packer no livro A Senda do Yoga a origemhistórica do Yoga remonta à tradição Védica (6.500 a.C.) e sua base estrutural estáalicerçada nos Quatro Vedas: Riig Veda, Sama Veda, Atharva Veda e Yajur Veda.Yoga é também um dos seis Sistemas Ortodoxos da Filosofia Hindu (SadDarshana), os seis pontos de vista filosóficos a respeito da Realidade Últimacpnhecida como Braman que são: Nyãya, Vaisesika, Samkhya, Yoga, Purva-Mimansa e Vedanta. O Yoga alicerça o seu conteúdo filosófico no Samkhya, já que estaescola é eminentemente de investigação teórica, enquanto o Yoga é de filosofiaprática. Maria Laura Packer (2008) afirma: O Yoga é um caminho que se abre diante de nós na busca profunda de nossa real natureza. É por excelência uma senda de reeducação dos nossos valores frente à necessidade de uma vida genuína, gerando a reflexão e a auto investigação (Atma-vicara) como um caminho que desbrava o mais profundo do Ser em busca da compreensão. Não há real educação que não gere uma reflexão capaz de mobilizar uma força de elevação e crescimento como fruto da compreensão. Maria Laura ainda cita que “o Yoga é uma das seis tradiçõesfilosóficas da Índia e pode ser visto como doutrina, sem ser uma religião no sentidotradicional (dogma), mas uma “espiritualidade”, um esoterismo, um misticismo,derivada da escola Sankhya (século VI a.C.) e da escola de Patanjali (século II a.C.)e vinculada às crenças e práticas do Hinduísmo, do Budismo, do Jainismo e doSikhismo.” Além disso o Yoga é uma prática psico-física cuja base física se apoia nomassageamento das glândulas endócrinas e nos exercícios respiratórios chamados“Pranayamas” que veremos logo a seguir. Como tradição filosófica de acordo com o Yoga-Sutra, o Yoga é constituídopor oito passos ou Anga (como é conhecido na linguagem sânscrita) denominadosAshtanga Yoga, a saber: as posturas físicas ou asanas, o controle da respiração oudo alento conhecido como pranayamas, a retração dos sentidos ou pratyahara, afixação da atenção ou dharana, a concentração prolongada ou dhyana e a plenaunião com a totalidade, o criador ou Samadhi o êxtase. As disciplinas moral oudeveres que podemos associar com os dez mandamentos do cristianismo são os
  24. 24. 29Yamas ou abstinências que são em número de cinco: Ahimsa ou não violência,Satya ou veracidade, Asteya ou não roubar, Brahmacharya ou domínio dasenergias, não perversão do sexo, Aparigraha desapego ou não possessividade e osNyamas também em número de cinco: Shaucha ou pureza, Samtosha oucontentamento, Tapas ou auto esforço, disciplina, Svadhyaya ou auto estudo ouestudo de si mesmo e Ishvara Pranidhana ou entrega ao Divino. Estes elementosformam a base Moral e Ética do Yoga. O Yoga por ter surgido a milhares de anos (por volta de mais de 5.000) éconhecido por suas subdivisões, conforme estudos de George Feustein que são:Yoga Védico, Yoga Pré-Clássico, Yoga Clássico, Yoga Pós-Clássico, Yoga Modernoe Yoga de Hoje. O Yoga Védico, conhecido também como Yoga Arcaico, como o nome já dizé baseado no livro sagrado dos Vedas. Conforme cita Feuestein: “Os mais antigosregistros escritos da cultura indiana e atividades de yoga são encontrados nosVedas, que são uma compilação de hinos e rituais mais de 3000 anos”. O Yoga Pré-Clássico é do período de 2000 anos a anos 200 baseado noslivros das Upanishads, também considerado Sagrado por ter sido escrito através derevelações enigmáticas em segredo. É através das Upanishadas que o Yogacomeça a ser difundido de mestre para discíplulo. O Yoga Clássico é o Yoga de oito membros descritos nos Sutras dePatanjali escritos por volta de 200 a 100 anos A.C. Aqui o Yoga é apresentado deuma forma sistemática e acessível e muitos iogues consideram uma importante fontede compreensão do Yoga. Patanjali alicerça o pensamento de que cada indivíduopossui duas partes: a matéria (Prakti) e a alma (Purusha) e que o objetivo do Yoga élibertar a alma do mundo da matéria, a fim de levá-la de volta a sua origem pura. O Yoga Pós-Clássico é de poucas centenas após Patanjali onde opotencial do corpo humano passa a ser explorado e torna-se um interessante campode estudos. A nova geração de iogues desenvolveu um sistema onde diferentesexercícios, em conjunto com a respiração profunda e a meditação, ajudam a mantero corpo jovem e saudável prolongando sua vida. Assim surgiu o caminho para acriação do Hatha Yoga. Conforme os estudos de George Feuestein, o Yoga Moderno diz tercomeçado de um Parlamento das Religiões em Chicago em 1893 em que havia,dentre eles, um jovem Swami chamado Vivekananda que causou profunda
  25. 25. 30impressão pelo seu discurso a cerca do Yoga e que mais tarde foi quem mais visitouos Estados Unidos dando palestras a respeito do Yoga. Mais tarde muitos mestresdo Yoga deixaram a India e atravessaram o oceano para divulgar o Yoga a todos oscantos do continente. Surgem, então, as escolas de Yoga, aberta para todas aspessoas interessadas em praticar, bem como educar e formar centenas deprofessores de Yoga. O Yoga ganhou tremenda popularidade pelo mundo todo e hoje mais de 30milhões de pessoas no mundo praticam Yoga. Yoga é o movimento da Saúde quemais cresce, apesar de existir a milhares de anos. Como o estilo de vida modernotem provocado profundos desiquilíbrios de ordem não somente física, masprincipalmente psíquica muitas pessoas se jogam na busca de respostas para seusproblemas questionando qual o seu lugar na terra e o seu papel na sociedadevoltando-se para o resgate do equilíbrio verdadeiramente espiritual. Conforme citaGeorge Feuestein: Nestes tempos caóticos nosso ambiente está lutando pela sobrevivência, e nós seres humanos sofremos cada vez mais de estresse físico e psicológico, com novas doenças em desenvolvimento, enquanto que as antigas voltam com uma vingança no seio da sociedade. Nós não podemos sempre controlar essa situação, mas podemos aprender a enfrenta-las e para isso o Yoga é a mais alicerçada invenção.3.2 Yoga e Saúde Como já foi citado anteriormente o Yoga ganhou tremenda popularidadedurante as últimas décadas, e hoje mais de 30 milhões de pessoas praticam Yogaem uma base regular. Yoga é o movimento da saúde que mais cresce no mundo,devido seus resultados serem rápidos de ser percebidos. Em uma sessão de prática,é possível sentir benefícios no bem estar geral. Em um mês já podemos sentir averacidade deste grande empreendimento, com três meses os benefícios geraiscomeçam a se manifestar de maneira muito intensa e clara, mas é depois de um anoque começamos a obter algumas conquistas mais duradouras, até então se nos
  26. 26. 31afastamos das práticas por tempo prolongado regredimos até a estaca zeronovamente. A prática do Yoga no Ocidente cresceu em popularidade enormementecomo forma de exercício físico conjugada com exercícios respiratórios e derelaxamento. Existem ainda alguns médicos e estudiosos da saúde que a associamcomo forma preventiva de saúde, juventude e longevidade. Na Índia a prática doYoga faz parte do cotidiano e de hábitos naturais de vida e higiene dos indianos.Sendo assim, o cuidado com a saúde vem desde remota antiguidade e que constituiuma das preocupações essenciais do sistema Ayurvedico. Cita Vera Maria da Rochaem sua tese A imagem do Yoga como terapia e como ginástica, O sistema Ayrvedico se desenvolveu como Âyur-vijñâna (arte-ciência da vida) convergindo com numerosos elementos da tradição do Atharva-Veda, sob um fundo tântrico e assimilando importantes contribuições da escola Sâmkhya, paralelamente ao desenvolvimento do Yoga. A partir do século XII desenvolveu-se na Índia o Hatha Yoga, cujas práticas principais são os ásanas e pranayamas. No Oriente o Hatha Yoga é considerado como uma preparação para aspráticas mentais/espirituais associadas a várias técnicas de Meditação, enquantoque no Ocidente o Yoga continua sendo estranha à nossa cultura e que cresceu empopularidade essencialmente como forma de exercícios físicos e relaxamento,desvinculado das implicações filosóficas, éticas, místicas ou religiosas as quais oYoga faz parte. Conforme cita Vera Maria da Rocha (2005) em seus estudos, Em virtude da frequente percepção do Yoga no ocidente como estando resumido a exercícios de condicionamento físico e técnicas de controle das condições vitais e de relaxamento mental, não surpreende a veiculação em periódicos de circulação nacional (O Globo apud Hermógenes, 1987, p.21) de uma notícia internacional onde o Yoga foi qualificado de” modalidade de exercícios físicos com reflexos psíquicos.” Diante da crescente popularidade mundial e da visão científica a qual oOcidente está inserido, houve necessidade do Yoga se alicerçar em basespropriamente científicas para que o ocidental lhe desse maior credibilidade e algunsmestres indianos se viram na obrigação de dar maior sustentabilidade científica parao Yoga fundando escolas menos monásticas, encorajando cientistas e médicos
  27. 27. 32locais a explorar e estudar os aspectos fisiológicos das práticas do Yoga, talvezinspirados em Patañjali por ter sido além de yogui e gramático, também médico(Mukhopâdhyaya, 1929, p.799) apud Vera Maria Rocha. Vera Maria Rocha (2005) esclarece com propriedade quando afirma em seutrabalho os primeiros estudos científicos aos quais o Yoga foi submetido na Índia, O Swami Kuvalayananda (1833 – 1966) , estabeleceu em 1924 o primeiro instituto devotado a essas explorações, o Kayvalyadhama Ashram and Researt Institut (Lonavla, India). O Rugna Seva Mandir, um departamento inteiramente devotado ao tratamento de várias moléstias através do Yoga, funcionou em Kavalayadhama de 1924 até 1961 ao em que foi incorporado, por ampliação, ao Shrimati Amolakdevi Tirathram Gupta Yogic Hospital , o primeiro hospital de seu tipo devotado exclusivamente ao tratamento de moléstias funcionais crônicas através do Yoga. Outro dos discípulos de Madhavadasaji, Swami Yogendra Mastamani (1897 - ?), foi para os EUA em 1919, permanecendo até 1922, para criar as condições para estabelecer em Nova York, paralelamente ao que acontecia em Lonavla, o primeiro ramo americano do instituto. Os contatos de Mastamani com os Eclectic Physiciens e com Benedict Lust, fundador da naturopatica, abriram espaço para o Yoga junto à nascente prática médica holística da época. De acordo com Vera Maria Rocha, o interesse médico propriamenteocidental pelo Yoga e seus efeitos terapêuticos data do início do século XX, nosanos 20, quando Johann Heinrich Schultz, na Alemanha, investigou a prática doRaja Yoga e combinando elementos dessa prática a tradição de hipnose médica dospsicoterapeutas e então, criou o método de relaxamento e meditação chamado“treinamento autógeno”. Os estudos ainda revelam que desde a época dessaspesquisas pioneiras, a yogaterapia, terapêutica yogi ou yoga terapêutica tem sidofavoravelmente empregada no tratamento de uma grande variedade de doenças taiscomo limitações motoras, fibromialgia e as mais diversas dores, hipertensão etaquicardia, distúrbios cardiovasculares, doenças pépticas, asma, sinusite, colite,diabetes, artrite, constipação, problemas da coluna, cefaleias, distúrbios de memória,gripes, dismenorreia, estresse descompensado, distúrbios mentais, ansiedade,dependência química, fobias, frustrações, neuroses, etc. Os estudo e pesquisas sobre o Yoga começaram a se ampliar em grandepotencial, pois o Yoga é bastante vasto e sendo assim estudá-lo também é degrande amplitude. Vera Maria relata que
  28. 28. 33 A partir dos anos 30 do século XX, a cardiologista Therèse Brosse conduziu diversos estudos acerca do efeito de determinadas técnicas de Hatha Yoga (ásanas, mudrás, uddyãna-bandha) e Raja Yoga (Samyama/Samadhi, Dhyãna) e seus efeitos sobre os potenciais eletro cutâneos, vetografia do campo elétrico cardíaco, eletrocardiograma, pulso, ritmo cardícaco, respiração, entre outros (Laubry e Brosse, 1935/36). A partir daí o Yoga começa sua caminha de popularidade ganhando respeitoe credibilidade no ocidente e sendo amplamente estudado, verificado, pesquisadoaté hoje com tanto interesse e intensidade que é muito provável que seja o assuntomais pesquisado da época devido à tamanha eficácia em tantas áreas que compõeo ser humano em sua totalidade. Vamos numerar alguns itens que pode o Yoga nos oferecer:1. Cultivar e conquistar boa saúde.2. Ultrapassar ou aliviar asma, diabetes, dores nas costas, excesso de peso,desordens do aparelho digestivo, melhoria do sistema cardiovascular, dofuncionamento das glândulas endócrinas e ser utilizada como terapia de apoio parainúmeras enfermidades. O benefício para o sistema nervoso e o cérebro éinigualável.3. Aprimoramento de nossa condição estética pela pele, definição corporal esemblante pessoal. Podemos trabalhar o corpo de maneira localizada sem o risco dese desenvolver volumes desnecessários de musculatura, que tendem a se tornar umfardo para o coração e a se transformarem em gordura com o tempo, acelerando oprocesso de envelhecimento do corpo. E o melhor, podemos trazer de dentro eincorporar em nossa fisionomia a nossa insondável beleza interior.4. Aliviar ou eliminar gradativamente as causas que apóiam as manifestações demales que possuam fundo mental ou emocional, estima-se que 80% dos problemasde saúde se encontram nesta categoria, conhecidos pelo nome de problemas pisco-somáticos.5. Desenvolver a força de vontade.6. Experimentar a expressão real de nosso potencial humano latente.7. Melhoria do relacionamento humano.8. Aprimoramento eficaz e intenso de nosso intelecto, concentração e memória.9. Autoconhecimento e paz interior.10. Alívio de estresse.
  29. 29. 34 Todos esses benefícios parecem um tanto exacerbados para uma atividadefísica, mas Yoga não é uma simples atividade corporal como muitos pensam. Comojá foi citado ele exerce profundo efeito sobre o corpo e a mente com todos seusprocessos de sentimentos e impressões registrados ao longo da vida. As posturasexercem um massageamento das vísceras ativando o bom funcionamento doshormônios que estão intimamente relacionados com o s sete principais pontosenergéticos do corpo conhecidos como chakras que sustentam o equilíbrio físico/emocional de todo ser humano.ABRANGÊNCIA DOS EFEITOS DO YOGABENEFÍCIOS FÍSICOS1. As dores diminuem, devido ao aumento da produção de endorfina no corpo.2. A imunidade aumenta muito.3. O sono melhora.4. O peso normaliza.5. A disposição aumenta bastante.6. A perseverança se fortalece.7. Força e vigor aumentam.8. A postura é melhorada.9. A flexibilidade das articulações, dos músculos e dos tendões aumenta.10. As funções excretórias melhoram.11. As funções glandulares normalizam.12. Funções gastro intestinais normalizam.13. Eficiência respiratória aumenta.14. Desintoxicação orgânica ocorre com grande intensidade.15. Eficiência cardio vascular é aumentada.16. Pressão sanguínea se normaliza. Principalmente se for hiper.17. Respiração por minuto se torna minimizada, o aumento da vitalidade elongevidade decorrem com disto.18. Aumento da ondas Alfa no EEG.19. Desacelera a pulsação cardíaca.20. Equilibra a estabilidade das funções do sistema nervoso autônomo.21. Fibromialgia alivia.22. L.E.E.R diminui.
  30. 30. 35BENEFÍCIOS BIOQUÍMICOS INDICATIVOS DE ATIVIDADES ANTI ESTRESSE EANTIOXIDANTE, IMPORTANTES NA DEFESA CONTRA DOENÇASDEGENERATIVAS E O ENVELHECIMENTO.1. Glicose diminui.2. Sódio decai.3. Total queda do colesterol.4. Triglicerídeos diminuem.5. HDL colesterol aumenta.6. LDL colesterol diminui.7. VLDL colesterol diminui.8. Cholinesterase aumenta.9. Catecolamina diminui.10. ATPase aumenta.11. Hematocrito aumenta.12. Hemoglobina aumenta.13. Contagem de limfócitos aumenta.14. Tiroxina aumenta.15. Vitamina C aumenta.16. Proteínas séricas totais aumentam.17. Aumento da serotonina.APRIMORAMENTO DAS FUNÇÕES PSICO MOTORAS1. Força de apreensão (de segurar objetos) aumenta.2. Destreza de habilidades mais nobres aumenta.3. Coordenação motora melhora.4. Tempo de reação de escolha melhora.5. Firmeza aumenta.6. Percepção aprofundada aumenta7. Percepção de presença aumenta.8. Equilíbrio melhora.9. Funções integradas do corpo melhoram.10. Atenção a ambientes e arredores aumenta.11. Funções cognitivas melhoram.
  31. 31. 36BENEFÍCIOS MENTAIS1. Memória aumenta.2. Concentração aumenta.3. Mudança de nível de consciência voluntária aumenta.4. Eficiência de aprendizado aumenta.5. Percepção global e centrada aumenta.6. Codificação de códigos melhora.7. Hostilidade diminui.8. Depressão e ansiedade diminuem.9. Satisfação existencial aumenta.10. Humor melhora.11. Percepção da quinesfera (esfera de movimentos do corpo) e dos movimentos docorpo melhora.12. Estados emocionais melhoram, com sensível aumento do bem estar.13. Estabilidade mental e emocional melhora.14. Auto aceitação e auto atualização aumentam.15. Integração social aumenta.16. Potencial mental latente é estimulado.17. Paz interior aumenta.18. Estresse mental e emocional diminui.19. Letargia mental diminui.20. Bem estar, mental e emocional aumentam.21. Dependências psicológicas diminuem. Percebe-se, portanto, que desde que o Yoga adentrou no Ocidente iniciou-se um processo de re-união da ciência com a espiritualidade e cada dia mais écomprovada a eficácia do Yoga em seu conjunto de práticas. ConformeM.L.Gharote, “Hoje em dia o Yoga não é tão popular como um sistema de filosofia, mas como um sistema de disciplina prática. A aplicação de técnicas do Yoga é considerada benéfica para a saúde e cura de certas doenças, para gerenciamento do estresse e para melhorar a eficiência geral de indivíduos em campos diversos. O Yoga está sendo utilizado desde implicações pessoais às sociais e educacionais como um todo.” (Gharote, 2000, p.27).
  32. 32. 37 Battison (1998) relata que “muitos médicos ortodoxos recomendam o Yogapara seus pacientes, porque o Yoga tem uma longa história de seus benefíciosterapêuticos na promoção da saúde e qualidade de vida”. Grande parte das pessoas que procuram praticar Yoga em academias ouespaços, seja qual for o lugar, elas na realidade procuram uma alternativa maisnatural e equilibrada de reaver a saúde perdida nesse turbilhão estressante que é avida moderna ou apenas melhorar sua qualidade de vida. Hoje em dia problemascomo dores crônicas, fibromialgia, infertilidade, impotência sexual, asma, doençascardíacas, estresse, depressão são algumas doenças típicas ocidentais da vidamoderna em que se recomenda a prática do Yoga como tratamento alternativoconjuntamente com a medicina tradicional e que melhora consideravelmenterestabelecendo a saúde dos seus praticantes e melhorando muitíssimo a qualidadede vida devido ao grande equilíbrio mental/emocional que traz a prática. Para finalizar este capítulo vamos deixar um pensamento oriental para quesirva de reflexão e auxilie a todos a encontrar um sentido maior pela vida do que asimples sobrevivência. “Os homens perdem a saúde para juntar dinheiro, depois perdem odinheiro para recuperar a saúde. E por pensarem ansiosamente no futuroesquecem-se do presente de forma que acabam por não viver nem no presentenem no futuro. E vivem como se nunca fossem morrer... e morrem como senunca tivessem vivido.” (Dalai Lama).
  33. 33. 384.YOGA E A TERCEIRA IDADE “Não perca a oportunidade de fazer a vida digna de ser vivida, fazer da aposentadoria e da terceira idade o momento mais rico e abençoado de suas existências.” (Marilda Veloso, profra. Psicomotricidade) A maneira como cada sociedade conceitua e trata o envelhecimento é quepropicia ao idoso uma vida ativa e equilibrada ou repleta de doenças e sofrimentos.Como já vimos neste trabalho a expectativa de vida está aumentado no mundo todoe o aumento no número de pessoas idosas ou da terceira idade afirma isso . Masqual é o conceito de terceira idade no Ocidente e no Oriente? Como o mundo vê etrata as pessoas da faixa etária entre 55 a 80 anos? Qual a importância das pessoasmais velhas para as sociedades oriental e ocidental? Estas questões diferemdiametralmente em cada região e isso modifica consideravelmente a vida de todasas pessoas principalmente as da terceira idade. O Ocidente, até pouco tempo reconhecia as pessoas idosas como um peso,um incômodo para a sociedade, por serem portadoras de doenças entre outra sériede problemas, tornando-se inúteis para a sociedade e para a produção. Já o Oriente,mais especificamente na Índia e no Japão, envelhecer é ou deveria ser sinônimo desabedoria que no decorrer dos anos a vida lhes ensinou e devido a isso, sãotratadas com grande respeito e consideração chegando algumas a obter até ao títulode “mestres” por trazerem em sua bagagem de vida sempre um ensinamento a serouvido, passado para os mais novos.
  34. 34. 39 Esta diferença gritante de visão de mundo é que dá às pessoas a segurançaou não para o seu envelhecimento. Será que precisamos envelhecer doentes eabandonados? Será que o ser humano serve somente para produzir retornofinanceiro na sociedade? Quais experiências de vida são acumuladas no decorrerdos anos que os mais velhos poderiam compartilhar com a sociedade? Estes sãoalguns questionamentos levantados para podermos argumentar que a idade madurapode e deve ser vivida por todos, independente de qual sociedade e cultura, deforma saudável e equilibrada se começarmos a modificar a forma de nosso viverhoje, tornando-nos mais responsáveis conosco mesmos para gerar uma vida maisequilibrada e saudável em todas as idades e em todos os sentidos (física, mental eespiritualmente). O professor Hermógenes é um exemplo vivo em nosso país, de que o Yogaé o responsável por todos os benefícios e disposição de vida ao qual disfruta hojeem dia em sua idade madura e vê a terceira idade com grande sabedoria quandoexpõe: O idoso lucra quando tem a ventura de reconhecer os valores e as responsabilidades desta fase da vida, até agora temida e lamentada. Para a escalada da montanha, melhor do que nas fases anteriores, ele dispõe de mais tempo , de solidão, de discernimento, de rica experiência e de um razoável arrefecimento da sofreguidão que estressa os mais jovens. Na “terceira idade” o ser humano pode intuir a sabedoria de desapegar-se dos valores fugazes. E aí você pergunta: e a energia necessária para isso? Como já relatado em capítulos anteriores o Yoga é uma abrangente filosofiaque resgata o indivíduo no seu todo (física, mental, emocional e espiritual) e seusbenefícios traz uma ampla qualidade de vida, pois harmoniza e equilibra a vidadentro e fora de cada um. Queremos aqui questionar o Yoga oferece os mesmosbenefícios em qualquer idade que se pratique? Todas as pessoas, em qualqueridade pode praticar o Yoga? Praticando Yoga em qualquer idade se consegue atingiros mesmos benefícios? Com o passar dos anos muitas funções corporais vão perdendo suavitalidade, característica principal do envelhecimento, mas envelhecer com dignidadeé um direito de toda e qualquer pessoa. A boa alimentação, exercícios físicosregulares e bom humor com a vida fazem com que não só os idosos, mas toda
  35. 35. 40pessoa, possa disfrutar com sabedoria e qualidade a vida. Mas, como já vimos, oYoga vai muito além de um método salutar. Queremos, neste capítulo, descrever métodos científicos realizados porestudiosos no assunto Yoga na Terceira Idade, para que, principalmente essapopulação, possa desde já praticar e desfrutar de seus benefícios, não sócorporalmente afim de manutenção da boa saúde, mas como forma regenerativa dapsique e da alma. 4.1 Os benefícios do Yoga na Terceira Idade A Ciência avança a cada dia mais com inúmeras novidades nas maisvariadas áreas da vida. Mas como se explica a eficácia de um método tão antigo queperdura por mais de 5.000 anos? Acredito que este foi e ainda é para a ciência, omotivo principal que move tantos estudos e pesquisas acerca da técnica maisabrangente e eficaz que se tem menção na história da nossa civilização, que vem aser o Yoga. Dentre tantas áreas que estudam e aplica o Yoga, a área da saúde é que eleestá mais inserido no ocidente, então não poderíamos deixar de unir Yoga, Saúde eTerceira Idade e relatar métodos e experimentos científicos acerca destes trêsassuntos conjuntamente e colaborar esclarecendo, levando conhecimento a todos,que Yoga não está vinculado somente aos preceitos hinduístas, antes de tudo é umaprática científica de grande abrangência psíquica que leva todo e qualquer serhumano a um estado de equilíbrio e a um grande e profundo encontro consigomesmo e com a vida, relatando aqui métodos, experimentos, estudos e resultadosdesta mencionada eficácia do Yoga. Hoje alguns médicos avançados, com excelentes compensações, jáincluíram o Yoga em seus arsenais terapêuticos e já têm o que contar darecuperação de seus pacientes. Cresce o número dos que estão encaminhandopacientes para professores de Yoga. O Dr. Luís Mário Duarte neuropsiquiatria, apud Hermógenes (2007) no livro“Saúde na Terceira Idade” afirma:
  36. 36. 41 A expectativa de vida aumentou muito no século XX, sobretudo com o os avanços da medicina e a industrialização. Os Yogues, no entanto, sempre foram longevos e saudáveis em todas as épocas da humanidade. Sem qualquer dúvida podemos afirmar que a prática do Yoga, mesmo iniciando-a na terceira idade, pode melhorar acentuadamente a qualidade e a quantidade de vida, pois o sistema é aplicável aos seres humanos de todas as idades, tomando-se os cuidados pertinentes a cada fase da vida. Esta é uma das muitas afirmações baseadas não só em estudos epesquisas, mas em uma comprovação prática da eficácia dos inúmeros benefíciosque o Yoga está inserido. E queremos neste capítulo argumentar o quão importanteé para todas as idades e principalmente para a terceira idade a milenar prática doYoga e encorajar todas as pessoas, principalmente as mais maduras quedesanimaram dos seus sonhos a se reencontrarem consigo mesmas através doYoga. O mesmo médico ainda afirma: O Yoga sempre defendeu uma postura que somente agora a geriatria moderna ensina, pode-se envelhecer de forma saudável, envelhecimento é diferente de estar doente, os anos apenas reduzem as reservas funcionais ou homeostática dos órgãos e sistemas, esse processo é conhecido como homeostenose. Um homem idoso doente está simplesmente enfermo e não porque atingiu determinada idade. As doenças nos idosos apenas assumem aspectos peculiares. O Prof. Hermógenes cita em seu livro “Saúde na Terceira Idade” umamatéria publicada em 1995 do jornal Daily Mail que diz assim: Exercícios físicos simples, transmitidos de geração a geração da antiga civilização da Índia, podem ser a solução para evitar ou retardar os efeitos do diabetes em pessoas de mais idade... o Dr. Monro aconselha aos pacientes praticar Yoga diariamente de 20 a 30 minutos com o objetivo de reduzir o estresse e melhorar o funcionamento do pâncreas que é responsável pela produção de insulina. O prof. Hermógenes ainda cita em seu livro, relatos práticos da eficácia doYoga para as pessoas da terceira idade. Desfrutar saúde, espontaneidade, despreocupação e abundante alegria dentro de um asilo de idosos indigentes – antes deprimidos, sem qualquer esperança e com a morte rondando muito perto, muitos imobilizados, vegetando sob lençóis, vítimas de graves e crônicas enfermidades degenerativas e deformantes, acumuladas ao longo de longas vidas de
  37. 37. 42 fome e miséria – pode servir de prova da eficiência do método que os socorreu? Se você quiser, visite o Abrigo São Francisco na cidade de Itabuna na Bahia. Este relato acima é surpreendente em todos os sentidos, pois erainacreditável que pessoas com uma idade avançada que não lhes facilitava arecuperação da saúde e um histórico de vida o qual não foram poupados deinúmeros sofrimentos, pudessem reverter este processo de forma tão acentuadaapenas com a prática do Yoga. O método aplicado pelas duas “pombinhas” – apelido carinhoso que os velhinhos deram a Marlene e sua irmã – transformou o que antes era um entre muitos “depósitos de velhos” num verdadeiro “jardim da velhice” , tal a transformação de todos e cada um... não vi velhos tristes esperando a morte, mas vibráteis, limpos, sorridentes, amáveis, sadios, participantes e alguns até salientes a cantar, exercitar o que lhes restava de músculos e juntas e a dançar com doce alegria. O restabelecimento da saúde e amor à vida dos idosos deste asilo se deramsomente pela eficácia da Yogaterapia que foi aplicada - “nas impressionantesrecuperações não entraram remédios e suplementos alimentares, receitados pelamoderna e eficiente geriatria ortomolecular” – devido às precárias condições de vidaque muitas pessoas chegam num asilo de indigentes e principalmente no casodeste, era negado tudo quanto receitado a um paciente geriátrico de recursos,mesmo a nutrição. Esses velhos foram recuperados apenas pela ação do Yoga enada mais. É claro que para se obter um resultado bastante relevante é necessário terdisciplina diária e uma dose de boa vontade, como relata o Prof. Hermógenes: Ora, se uma pedagogia adaptada aos parcos recursos e às limitações de uma comunidade de velhos doentes e mendigos de saúde, carentes de meios e de esperança, produziu resultados tão admiráveis, o método completo incomparavelmente irá alcançar muito mais, só é preciso que você pratique com perseverança, dedicação, firmeza, serenidade e certeza de vitória. Diante do exposto, vamos, neste capítulo, relatar algumas experiênciascientíficas com bons resultados obtidos com a prática do Yoga para incentivar as
  38. 38. 43pessoas que se encontram na terceira idade a iniciarem o Yoga, para que possamse sentir mais seguras a praticarem sem medo e restrições e que possam ver aidade madura como uma grande jornada de aprendizados e sabedorias que a vidalhes presenteou e o corpo um invólucro da alma a ser cuidado e preservado e vistonão só como uma máquina que trabalha até se definhar e envelhecer com doençasque poderiam ser evitadas, mas sim um templo sagrado da evolução espiritual. Envelhecer é um processo natural que está presente em tudo que existe,não é algo que somente os seres humanos vivenciam, mas é um processo de todanatureza. Envelhecermos com saúde e alegria é o objetivo do Yoga conforme citaBeatriz Esteves (2007): O Yoga não promete milagres de cura ou aumentar os anos de vida, mas sim melhorar o funcionamento do corpo e proporcionar maior equilíbrio emocional, tranquilidade e alegria de vivier. É evidente que tudo que passa ao nosso redor nos afeta de alguma forma, énecessário, no entanto, tirarmos o aprendizado disso e despertarmos para aresponsabilidade em relação a nossa saúde física e mental para chegar à idademadura ativos e gozando de boa saúde. A chave do segredo do rejuvenescimento ede poder desfrutar uma vida plena e feliz é acreditar, primeiramente, ser istopossível. A partir daí, é acreditarmos nos sonhos, não ter medo de fazer planos eexperimentar novos conhecimentos, mesmo quando as limitações físicas e sociaisnão são favoráveis. Também manter o otimismo, a boa disposição e o senso dehumor, mesmo diante de situações que nos aborreçam e isso serve para qualqueridade. Os estudos e pesquisas mais recentes ressaltam a grande e abrangenteeficácia do Yoga. Na terceira idade não é diferente. Beatriz Esteves (2007) coloca: As técnicas cientificamente comprovadas do Yoga poderão proporcionar aos seus praticantes um corpo sadio prolongando-se a juventude; estabilidade mental indispensável para o controle dos problemas emocionais e a ampliação da capacidade de concentração e memória; auto- conhecimento e auto-domínio necessários para uma vida harmoniosa e serena consigo mesmo e com seus semelhantes.
  39. 39. 44 O Profr. De Educação Física Estélio Dantas em seu artigo Os efeitos daprática do Yoga sobre a capacidade física e funcional em idosas da revistaFitness & Performance Journal de 2006 fez estudos e experimentos com o Yoga empessoas idosas e relata: Apesar do Yoga não ser uma atividade física conforme a ACSM (1990), considera-se que as modalidades oriundas da Hatha Yoga possuem um envolvimento contínuo e adequado com a atividade física que através de sua prática psicofísica, promove o bem estar físico, psicológico e social do idoso, melhorando sua saúde e qualidade de vida, podendo assim, ser considerada atividade física alternativa. As pesquisas do Prof. na área de gerontologia vão mais além, enfatizam: A importância do treinamento da força muscular do Yoga e do Shiatsu como agentes preventivos e redutores de doenças crônicas e degenerativas, melhorando a autonomia funcional e o estado emocional do idoso, tornando-os mais autônomos e independentes, o que reflete nos índices de qualidade de vida. Graças aos estudos e pesquisas que são cada dia mais na área do Yoga, oOcidente se rendeu à sua prática devido os resultados serem de grandeabrangência geral em todo e qualquer ser humano que venha praticá-la. A pesquisado Prof. Estélio Dantas na área da gerontologia aponta: Segundo Baptist & Dantas, cabe citar que cada postura física realizada pelo Yoga produz vários efeitos orgânicos, físicos, emocionais e energéticos em seus praticantes, proporcionando uma flexibilidade incontestável, promovendo a homeostase endócrina através da ativação glandular e produzindo um equilíbrio físico qualitativo. Fatores interessantes no que se refere à prevenção a quedas em idosos. O Prof. ainda nos chama a atenção em sua pesquisa, dando maioresdetalhes a despeito do processo que envolve o envelhecimento, as consequênciassociais e pessoais, através dos quadros que seguem abaixo. E pensando nesteprocesso é que vamos nos convencendo da importância e responsabilidade quetodos devemos ter com a vida para atravessarmos este período e auxiliar quem jáestá nele, com carinho, alegria e saúde.
  40. 40. 45 Quadro 1 Alterações Associadas ao envelhecimento - redução da força muscular e RML; - redução da flexibilidade; - redução do equilíbrio e coordenação motora; - redução da agilidade e velocidade de reação;1- ASPECTO MORFOFUNCIONAL - postura e deambulação afetadas; - suscetibilidade à quedas; - redução da FC máxima; - capacidade vital reduzida; - acuidade visual; - redução da audição; - função vestibular reduzida; - acidez gástrica reduzida; - redução da função renal; 2- ASPECTO FISIOLÓGICO - redução dos hormônios sexuais; - resposta imunológica reduzida; - redução da função cardíaca; - redução da capacidade respiratória; - ocorrência da sarcopenia; - aumento da gordura corporal; - redução da sede, desidratando mais o organismo devido à disfunção cerebral ou pela diminuição dos osmorreceptores; - redução da auto-estima; - redução do bem-estar; - aumento da ansiedade e acúmulo de stress;3- ASPECTO PSICO-EMOCIONAL - fobias e medos de envelhecer e da morte; - suscetibilidade à depressão; - afetividade reduzida; - redução do prazer e da vontade;
  41. 41. 46 - isolamento social; - abandono social; - aposentadora; - perda do status social; 4- ASPECTO SOCIAL - redução ou ausência do poder econômico; - condições ambientais; - abandono dos familiares; - descaso das autoridades; - saúde pública deficitária; O quadro que segue abaixo ressalta a os pontos positivos dos treinos deflexibilidade. Quadro 2 Consequências do treino de flexibilidadeConsequências do treinamento da Definição flexibilidade Evita lesões crônicas devido ao mau alinhamento postural e Alinhamento postural desiquilíbrios musculares, tornando o esforço das atividades físicas menos árduos e mais eficientes; Promove a facilidade dos movimentos, resultando emAumento da amplitude do movimento segurança e eficácia dos movimentos; O movimento funcional em atividades diárias e esportivas e de natureza dinâmica, logo a obtenção de um menor Eficiência mecânica desgaste energético permitirá melhores movimentos e melhor eficiência mecânica do movimento em ação; Devido ao aumento de amplitude do movimento, o indivíduo fica menos propenso a sofrer lesões, devido à amplitude Prevenção de lesão máxima (limite elástico) disponível no tecido muscular, antes que a lesão ocorra, NÃO será excedida; Devido ao alongamento regular, ocorre uma diminuição da viscosidade do fluido sinovial presente nas articulações, Aumento do suprimento sanguíneo, permitindo que os nutrientes sejam transportados para a nutrientes e fluido sinovial nas cartilagem que reveste as superfícies dos ossos de forma articulações mais eficiente. Isso leva a uma redução de doenças degenerativas das articulações e permite maior liberdade de movimentos nas articulações;
  42. 42. 47 O alongamento, principalmente o passivo, estimula o relaxamento muscular e mental, ocorrendo também a Redução do Distresse redução de toxinas musculares. Logo, o prazer pessoal e o relaxamento físico durante o alongamento passivo contribuem para a redução geral do estresse (distresse); Ocorre devido ao aumento da temperatura muscular, circulação sanguínea, suprimento sanguíneo intensificado e Redução da dor muscular distribuição de nutrientes provindos da tensão e relaxamento alternados nos músculos, durante a prática do alongamento; Com o avanço da idade ocorre a redução da flexibilidade,Melhoria na autonomia funcional dos prejudicando a mobilidade física, o que afeta a autonomia idosos funciona ldas AVDs (atividade física diária) dos idosos; O processo de envelhecimento já foi estudado no capítulo anterior, masvamos brevemente relembrar algumas características do envelhecimento. Ele trazconsigo uma grande alteração nas habilidades de lidar com a vida diária queinterferem diretamente nas emoções e forma de lidar coma as restrições da idade.Agrava-se com a hipocinesia, doenças crônicas acarretando a depressão e baixandoainda mais a imunidade causando a propensão ainda maior em doençasdegenerativas. A consequência disso tudo que em alguns casos há a perda daautonomia da ação podendo acarretar a perda da independência, motivo principal dadepressão em pessoas idosas. Devido a todos esses fatores faz-se mais quenecessário que tomemos os devidos cuidados para que o idoso e aquele que estáchegando à terceira idade possam desfrutar de boa saúde para vivenciar essemomento de forma natural e equilibrada como cada idade exige e não vivenciá-la deforma triste, depreciativa, aguardando somente o momento da morte como alívio dossofrimentos. Dentre esses cuidados estão a alimentação equilibrada e atividadesfísicas e dentre as inúmeras atividades físicas aconselháveis para a terceira idadeestá o Yoga onde estudos e pesquisam apontam a mais completa e abrangenteprática que possa existir como mostra o quadro acima, resultado do treino deflexibilidade das aulas de Yoga em pessoas da terceira idade. Outros testes dapesquisa de Dantas abrangem ainda mais os efeitos positivos do Yoga como cita aseguir:
  43. 43. 48 Após doze semanas de prática de Yoga notamos, que na segunda testagem, o grupo apresentou melhores índices que os resultados analisados para amostras pareadas .Verificam-se, também, as variações em percentual referentes aos testes de força, flexibilidade, equilíbrio e autonomia funcional notando-se ganhos em todos os aspectos testados. Logo, a prática do Hatha Yoga pode ser considerada uma atividade alternativa promotora da capacidade física e da autonomia funcional, que vão interferir diretamente, segundo Zimerman (2000), nos aspectos psicológicos e sociais do idoso. Esta pesquisa, realizada no Brasil é o resultado de como o Yoga está setornando popular no meio científico nos dando maior segurança, credibilidade erespeito ao conjunto de práticas e preceitos que este compõem. Esta pesquisa deDantas também teve o propósito de minimizar o desconhecimento e/ou adesvalorização do Yoga por parte de alguns profissionais de diversas áreas,conforme a citação: O propósito da pesquisa foi minimizar o desconhecimento e desvalorização do Yoga por parte de diversas subáreas da saúde como médicos, enfermeiros, fisioterapeutas, profissionais da educação física, e terapeutas em geral, tentado, assim, obter a atenção dos Órgãos da Saúde Pública das comarcas municipais, estaduais e federais, no sentido de conscientizá-los sobre a necessidade de se ampliarem os projetos de Atividade Física Alternativas, ou Yoga e colocá-los em prática, principalmente para população idosa mais carente, como instrumento preventivo das desordens físicas causadas pelo envelhecimento, intensificadas pelo sedentarismo, contribuindo, assim, para a redução dos custos dos Órgãos de Saúde Pública com os idosos e para a melhoria da saúde e qualidade de vida dos mesmos. Outras pesquisas na área da flexibilidade apontam também os benefícios doYoga na terceira idade. A pesquisa baseada em atrofia muscular devido àsdificuldades de agachamento, pouca mobilidade articular e dores em extensão demembros que sofrem os idosos, de autoria de Priscila Cristina e Rodney Alfredo emidosos praticantes de Yoga explica: Segundo Vanxem apud Lorda e Sanches (1998) a partir de certa idade, estimada entre 50 e 55 anos nota-se que a estatura diminui, sendo que entre 70 e 85 anos a evolução desta degeneração é mais rápida devido à compressão das vértebras e ao achatamento dos discos intervetebrais. Estes eventos são acompanhados de um distúrbio chamado atrofia nos músculos posteriores da coxa fazendo com que os joelhos se flexionem produzindo um encurvamento geral. Somam-se a isso a diminuição do tônus e perda da força muscular.

×