II

 x/ @V/ x › Wx , x &ãxwx (I % V/ x
á  * y x  í  y
 Rx âmx§x &z% . Éxx  *É x x x

w

/ /// /// /
/ /// /
/ /// /// //,...
o oUE E UM
DEPUTADO ESTADUAL? 

Ok!  vamos lá.  Recebe o nome de
deputado o candidato que foi eleito
pelo povo para ser se...
E EM SÃO PAULO. .. 

›-. -.m. .. . .›. ... ... __. .,, ,., ... ._, ,._. _ n_ Em São Pau| o_ a Constituição

ç po¡ cmAnA A ...
, ,   _
.  , f f ,  * .  T  ~ _, _____ l
-' 'l- [í * . t o “_s4-< *N* _l
 1p
4-' V_ .  Atualndente,  a . Assembleia .  §Aí...
"WW Quando eu tinha 34

.  _, 
7¡ . _ r' anos,  em

l '“ ' -

 

voltei a morar em

«ix '  Taubaté.  Na cidade. 

assumi o...
Ç~ͧÍAI_.  :à L¡ reguàrçñpyâ Amp¡ @au VL¡
  lã' ! '*~§ ll : :KV [HH t: : d'  rã  ¡Lííl , i ! à ÊWL Il i'll d¡
J x x - ,  x...
A

       

É  
N
 

  

. .x m. ..

 





/ //

@Mamma 

      

a
a



 


a

 

a
ax
e

. 
.a

o
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Você sabe por que inventaram o Deputado Estadual?

165 visualizações

Publicada em

Você sabe por que inventaram o Deputado Estadual?

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
165
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
3
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Você sabe por que inventaram o Deputado Estadual?

  1. 1. II x/ @V/ x › Wx , x &ãxwx (I % V/ x á * y x í y  Rx âmx§x &z% . Éxx *É x x x w / /// /// / / /// / / /// /// //, § x % à Mx *É áxxà ' V x , rg w / / ya xí z W , x @w x? ” 3 x @mí à á z ' , É I / // / /// /// // /// / / /// / / /// /// / / /// /// / / /// ///
  2. 2. o oUE E UM DEPUTADO ESTADUAL? Ok! vamos lá. Recebe o nome de deputado o candidato que foi eleito pelo povo para ser seu representante no parlamento. Segundo a Constituição Federal de 1988, Deputado Estadual é um detentor de cargo político que tem a incumbência de representar o povo na esfera estadual. Para um candidato ser eleito é considerada a votação de seu partido politico ou coligação de partidos, além da votação recebida pelo candidato_ =3oaa7e http / lwww al sp gov hr/ nmiouazvia : iitwfliiàfm “álmniifllítogtoñifannlqinaí- 'lag-thing , onqpmi = nu= nroÍÍ= J¡ ama” arame): (flam- n: : Airánudfs &Mumlii-: Lwílàv ílaltllltãlilüràlãlilltzll ilaüâllüldlüê~ãllikê 'lunpgügw : pangya-Lg 3151;¡ l' _ saglsllamvawàtar-; EEIL MAS POR OUE MESMO INVENTARAM OS km1; s' DEPUTADOS ESTADUAIS! !! uma? ”' - (e CAPlTANl/ DE SKI». Calma lá! !! Para explicar isso, é preciso que você saiba que a primeira forma de organização representativa de governo no Brasil acontecia por meio das Câmaras Municipais. ll: um ' " , l vu: / quando São Vicente. hoje Estado de São Paulo, foi elevada à m¡ categoria de vila_ Na época, o Poder Legislativo Municipal 7 exercia um número bem maior de funções do que fi atualmente. Mas o povo não escolhia os sets_ _V_ representantes_ 'i i “ «í ; O Brasil funcionou de forma parecida até a sua independência, em 1822, quando , foram criados os Conselhos l y Gerais, para exercerem as funções legislativas nas Províncias. Somente os abastados podiam ser eleitores ou se candidatar a Conselheiros_ Como D_ Pedro I gostava de centralizar o poder, os Conselhos Gerais de Província não possuíam autonomia.
  3. 3. E EM SÃO PAULO. .. ›-. -.m. .. . .›. ... ... __. .,, ,., ... ._, ,._. _ n_ Em São Pau| o_ a Constituição ç po¡ cmAnA A Política do Estado. l l l . i , d ' P d i ASSEMBLEIA LEGISLATIVA g A S S EM B LE A pm) v ¡ N C l A L Lãêíggêirlãvíaquçit: 52H: ,. Após o Imperador abdicar í i exercido pelo Congresso, - do trono em 1831, a i composto pelo Senado (Isso ig Constiçêição qufsezlif _ mesmo. Senado Estaduallll) e . promu ou em oi l l | _ç modificada ampliando os . poderes dos Conselhos Gerais, que passaram a v denominar-se Assembleias Legislativas Câmara dos. .. Deputados Estaduais (olha eles añll). 0 Congresso do Estado de _ Sao Paulo foi instalado m âççfyr em 8 dejunhojjãâííààarlvg ig $533. : l Esse tal Congresso Estadual de São Paulo foi dissolvido na Revolução de 1930, refeito em 1935 e dissolvido l novamente em 1937, quando Getúlio Vargas instaurou o Estado Novo, situação que perdurou até 1945. O ' golpe de 1964 deu uma nova ~' = , virada na politica nacional e a ¡- , V' situação só normalizada (ufal) com ' a redemocratização, nos anos 1980. r' i I , l A Assembleia Le 'slativa da Provincia de w, São aulo foi instalada no dia** 2 de fevereiro de1B35. Novamente, D povão ficava à margem das eleições. Com o início do processo de ¡ n r t_ redemocratização uma série de ç_ _ _ . E O Ú l : J mudanças aconteceu. Em 1982 foi - l *llÇA " ATÉM _çyç x ' realizada a primeira eleição direta para q tvs! " _ Governador de São Paulo; em 1986 foi A Proclamação da República, em i ' /7 permitido a realização de coligações 1389. quando D- PQÓFO ll Perdeu 0 M) , l partidárias: a partir de 1996 os partidos tmno e uma "Wa c°nstltulçã° l " passaram a garantir por lei maior Federal passou a conferir aos _ d 'h l _t Estados autonomm para numero e mu eres no p ei o. organizar o Poder Legislativo,
  4. 4. , , _ . , f f , * . T ~ _, _____ l -' 'l- [í * . t o “_s4-< *N* _l 1p 4-' V_ . Atualndente, a . Assembleia . §Aí» , íç _ ? ii-ll _ - Legislativa elabora e aprova leis ' ' o estaduais para o_s mais qe 34 _ 7-'7' 1 _ : ' milhões de paulistas e cuida, com l": j" W def¡ r p¡ i ' seu órgão auxilianoitibunal de v¡ »w j¡ ; n _ , “J Mr' [ . Í K Contas do_Estado, _da fiscalização _ « _ udl" n ^_ _ dos atos do Poder Executivo_ . ñ h; ._. I a1 l ii ' Hole o pode' : eglslatlvn e' ima-dl , Itá-ill ; raiar iiar'ipi; neuiiir; ~i-r. i ldiia ohiitwiiaiidiâirita _, . represa" -a ° lmr- - quim-it¡frmuituiiêiahmiuiuiziniiiiiioitarhraniiiüittítêitaiüüili› tum-sita : i , _ / /// // xxj _ › gultuiugneitulííñiimsrun¡momen-iiuuun-itoíciuuaiuítãtttiuitu bh '(7 _ * . l 7% _ . “Q aiturvznmlimãtmitt-Iiuiiilttkugciràíi. A n _. . V f , ç , I_' gut ; inn -làuuniwi-it ¡r-Lvmiáitr-_uucsç : limitou-ti ll . T ' ' ' lagñnuhrlaplzbíalttâtlñhlllll, mlllilJlllllllLu. i-ltmipiagmgg _' _ _ f. - . 5x7 - Ililgllbfítlküu touuillcñtiiiu: Ittaiiormpmuagnuiaitauiuuditou. .E. - ' ¡__ _ ç _ _ _ pur'tsin-gpiriiuoii! ;tramita-indiquei uililtiígauiuIiiiaudtihttn A É r ~ a . * ' . . 4. . - um . as ' 5* 'ç--i_'. '«_. -'. ',. ' J _, *' ° mandato dg ° ~ ^ ! lêlgL-Jimill , Ilarpl iijn-àiteitaiitiejh! outside¡uurgmaiaiaiitnnlliugiu . . PÍ . . imuuiuitn¡ utzrgtmitau igmuitmeraiiruuijjkupnmi : ninguna .4 (O _ j _ _ _ l _ _ _ , ' _ _ 7/4 _ ç r" s É iii-ir_ , :itaimtluiaihiilmilu-êflmlhultu, .diàiuuitzi-: iiiciuar-iuui xíâ A l lébjwJllêtdilillílr-_itlu-: nuliluâilldtauIIr-#Jgittlíluúllíaíil-iiwilillhidl . . x . . b gil . ç _ k g_ r . :o v ' ' A MGS ' . ê V m. .. _ . .õ , o o a e o C i'm 'T 4 À-Y "t . . . . . @- O / _ E, finalmente, as pessoas podem 99 t ' votar com total liberdade no › i x . candidato que_ ele, o p_ovo, bem ' “ ' ” entender. _g a a n o o , y 'Éllili ~- w - s ~ _L_ .
  5. 5. "WW Quando eu tinha 34 . _, 7¡ . _ r' anos, em l '“ ' - voltei a morar em «ix ' Taubaté. Na cidade. assumi os negócios üavuniadiwi ilH hulitiiiâsilliãaitd' 'lia passando a ç' dafami . _ _ __ mynãmdhm, * r atuarfna distribuiçao L ! h . smunm. ;ranma-is lnwllhhlil: ~ de gas de cozinha. i onrol- râlêidi-à~ol-lstdlauoli'hllgg= _ í i u; _ Í 7_ , m” n: tona-ql; .. ramos -rai ¡nnllirai I , i _ nã” j¡ *ll ~ - icinlinzi 11mm : m: Llâhmma : mi V l l l l _ n em¡ enquanto. Mai: ,m l _ i . l . me? 90W Vlme" 000m ° s-_q›. ¡¡¡. .g¡u= _t , Diem -. que me casei com a °°mel°|0 fel 00m que em nmm¡ anãlh¡ : mm il jornalista Suely Rezende, i ¡ ¡ 1 i nlilf“lmm"l°jl¡"^ -. m¡ si: atiram: nninyoiuinrvirreuhlnl com quem tenho dols l r_ , _ l ' : t: a s. . Ilalmntbnu¡ f'lh°5« t * J _ Cl _ t F _ __ Illnvrâíítnlíl: :uâcl-. lan, a. !Queila huiáln» f eu me_ omasse ulZ _ assls a' ol _ _ ~ _ ' entao que comecei a fazer a l . _ “ minha 2** faculdade, Direito, na ' ' / , Universidade de Taubate'. ' A A 'T rà_ , _ , -. Vá' _ ›, _ - , , , - , _ 3 _ _ ç x. . - i . ¡ ' 'b __ ñ 3 . "N Anos mais tarde em g ' . , _ ¡”-x. '_ x" "s v E V_ - " / me tornei presidente de uma , r ' l das maiores entidades do Vale _ f. /ãf _, i» ç ›/ do Paraíba, o Sincovat - W 1 " _ Sindicato do Comércio Varejista de Taubaté e região, de onde me econtro licenciado.
  6. 6. Ç~ͧÍAI_. :à L¡ reguàrçñpyâ Amp¡ @au VL¡ lã' ! '*~§ ll : :KV [HH t: : d' rã ¡Lííl , i ! à ÊWL Il i'll d¡ J x x - , x / x A Mx ya x axrx. * xxü z/ à ü m xx Wa “a Pag T ~ x xxx/ É 7 as sua l aware A cidadania não deve se esgotar no ato da eleição_ O cidadão hoje conta com vários mecanismos de acompanhamento e controle da atuação de seus eleitos, A maior transparência e a fiscalização da sociedade aumentam a responsabilidade do Deputado Estadual que merecer seu voto. O primeiro passo é o eleitor conhecer o que o candidato se propõe a fazer. CONHEÇA ALGUMAS DAS MINHAS IDEIAS. 11¡¡¡¡¡¡¡¡¡¡¡¡¡¡¡1¡1¡1¡1;¡1¡1;¡1¡1;¡1¡1;¡¡¡¡¡¡¡¡¡¡¡¡¡¡¡¡¡¡¡¡¡¡¡¡ I= I 'l u - ECONOMIA MOBILIDADE ÊÊÊÁÊSPZÍÊPÍSaÂbÊÀÊÍÊPÊZ É URGENTE PHIURIZAB 0 TRANSPORTE COLETIVO_ Na negócios tornam a economia capital é necessário acelerar ÂGIL E IJESBUROERATIZAIJA. _ _ _ a construçao de mais linhas Numa economia forte, mais _ impostos são arrecadados, de__melr°' enquêntt' "as regioes metropolitanas a programas sociais são _ _ _ ampliados e a vida de todos "E3939 emhe _as cldadÊs poderia ser otimizada atraves melhora. _ ç Sem organização, transpa- de treÚs de_ Supemcle- - . . As ciclovias devem ser recia e planejamento incentivadas em todas as nenhum governo consegue atender com eñciência as ne- cessidades do cidadão_ cidades, por ser uma solução limpa, saudável, de baixo custo e eficiente. sAUDE Os problemas são conheci- dos_ Vão da ausência de leitos nos hospitais, à carên- cia de médicos em regiões afastadas. O sistema só irá melhorar se passar por uma grande REFORMA mel- hores condições de trabalho, eficiência hospitalar, melhor distribuição de verbas, inves- timento em equipes de saúde da familia. melhoria no ensino da Medicina. 4 » › , g W A EDUCACAO Os problemas são muitos e conhecidos. A solução passa antes pela atraindo mais talentos com salários mais justos, plano de carreira e bônus por desempenho_ Com recursos melhores aplicados. conseguiremos dar ao Estado de São Paulo a Educação da qual um dia já nos orgulhamos. SEGURANCA O governo tem a obrigação de PRIORIZAR A PREVENÇÃO A0 melhorando o treinamento e as condições de trabalho dos policiais. Apoio o uso de penas alterna- tivas para pequenos delitos e prisão dura para os crimino- sos perigosos. Entendo que misturar todo mundo em um mesmo presídio superlotado é um atraso_ Â: /x/ j? , r** day/ aff GUINSBURG ÊÀ, , . %%ãaW É da_ @A
  7. 7. A É N . .x m. .. / // @Mamma a a a a ax e . .a o

×