Daniel capítulo 04 - Parte 01
Compreendendo melhor o rei Nabucodonozor
Antes de prosseguirmos precisamos entender melhor quem era o
temido rei Nabucodonozor. Sem esta visão seria difícil entend...
Isto nos ensina algo importante – o convívio com pessoas crentes
em Jesus por si só, não converte ninguém. O testemunho é ...
O mesmo home que manifestou ser o Deus de Israel
grandessíssimo, no início do cap. 03 já havia se esquecido de sua
declara...
Há uma história que ilustra muito bem isto: imagine que um
homem sai de férias com toda a família. Ele descobre que alugou...
Foi exatamente isto que aconteceu com o rei e acontece conosco
hoje. O Evangelho de Cristo deixa de nos incomodar e caímos...
O cap. 04 nos apresenta algo diferente. Nabucodonozor ainda é o
homem mais temível de todo o planeta, rei da majestosa
Bab...
Fatos importantes desta história – em primeiro lugar: Foi Deus que
realizou a conversão de Nabucodonozor! Deus a concretiz...
O grande rei da Babilônia agora não passava de um louco que
comia capim como o boi selvagem! Os historiadores falam que
su...
Por isso devemos estar atentos: o mundo não gira ao nosso redor.
Jamais caia nesta armadilha. Deus sempre nos coloca no de...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Livro de Daniel - Cap. 04 parte 01

711 visualizações

Publicada em

Publicada em: Espiritual
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
711
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
3
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
33
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Livro de Daniel - Cap. 04 parte 01

  1. 1. Daniel capítulo 04 - Parte 01 Compreendendo melhor o rei Nabucodonozor
  2. 2. Antes de prosseguirmos precisamos entender melhor quem era o temido rei Nabucodonozor. Sem esta visão seria difícil entender os fatos que surgirão do capítulo 04 em diante. Antes de conhecer Daniel e seus amigos, o rei nunca havia encontrado jovens como aqueles. Quatro rapazes entre 16 e 17 anos, muito mais sábios que os conselheiros e astrólogos de toda a Babilônia. Isto causou profunda impressão na mente de Nabucodonozor. Mas conhecer aqueles jovens não significou que o rei havia mudado. Pelo contrário, vemos que o rei a cada dia se tornava mais soberbo e intransigente.
  3. 3. Isto nos ensina algo importante – o convívio com pessoas crentes em Jesus por si só, não converte ninguém. O testemunho é muito importante, mas há algo ainda mais significativo – o arrependimento. Embora Daniel e seus amigos fossem servos do Deus vivo e testemunhavam isso em suas ações, o rei apesar de impressionado, em nada mudou. Nabucodonozor permanecia pagão e idólatra. Sua fúria e seu ego demonstravam claramente esta verdade. O cap. 02:47 enfatiza que o rei ficou impressionado, reconheceu que Deus existe, confessa que o Deus de Israel é o Deus verdadeiro, maior que todos os ídolos da Babilônia. Mas a mente humana esquece rápido. Com frequência algo que nos parece muito importante logo desaparece de nossa mente.
  4. 4. O mesmo home que manifestou ser o Deus de Israel grandessíssimo, no início do cap. 03 já havia se esquecido de sua declaração. Assim encontramos o monarca impondo sobre o povo adoração obrigatória à uma imagem de 27 metros de altura com sua feição. Onde está aquele rei quebrantado? Simplesmente havia se esquecido de tudo o que Deus fez. As palavras de sua boca não chegaram ao seu coração. Infelizmente esta é uma atitude muito comum também em nossos dias. Há muitos assim! Eles ouvem a verdade do Evangelho e isto lhes causa profunda impressão. A verdade chama a atenção destas pessoas, mas não dão o lugar devido em suas vidas. O Evangelho entrou por seus ouvidos, passou por suas mentes, mas, não criou raízes profundas no coração (o lugar certo).
  5. 5. Há uma história que ilustra muito bem isto: imagine que um homem sai de férias com toda a família. Ele descobre que alugou uma casa ao lado de uma fábrica barulhenta que trabalha 24 horas por dia! Durante a primeira noite ninguém consegue dormir. Na segunda noite a mesma coisa. Na terceira noite ele dorme muito mal, mas consegue cochilar várias vezes. Dentro de uma semana toda a família já esta dormindo a noite inteira e terminam suas férias como se vivem naquele local há muitos anos. Aquilo que o havia deixado tão inquieto, que o incomodava tanto já não o incomoda mais. É como se não houvesse barulho. Não produz mais efeito sobre o homem e sua família. Assim estão muitos homens e mulheres expostos à Luz da Palavra de Deus. Quando a ouvem pela primeira vez ficam inquietos, mas por fim, chegam à indiferença em relação ao que ouviram. O Evangelho já não os “incomoda” mais.
  6. 6. Foi exatamente isto que aconteceu com o rei e acontece conosco hoje. O Evangelho de Cristo deixa de nos incomodar e caímos no velho e costumeiro pecado novamente. Este é Nabucodonozor, o rei que diz claramente que não há ninguém em todo o Universo que poderia livrar os amigos de Daniel da morte na fornalha ardente. Não há indícios até aqui que o rei estava disposto a se prostrar diante do Deus verdadeiro. Ele não se comprometeu com o que havia dito antes – O Deus de Daniel é o Deus verdadeiro. Simplesmente seu coração o fez se esquecer destas palavras. Podemos dizer que o rei foi um hipócrita, arrogante e mentiroso certo? Então olhe para dentro de você e veja quantas vezes vocês fez o mesmo com o Deus de Daniel – o seu Deus!
  7. 7. O cap. 04 nos apresenta algo diferente. Nabucodonozor ainda é o homem mais temível de todo o planeta, rei da majestosa Babilônia. Mas o vs. 02 chama nossa atenção. Ali o rei declara que Deus havia trabalhado seu coração. O rei está dizendo: algo maravilhoso está acontecendo dentro dele. O vs. 03 continua nos mostrando esta obra Divina – Nabucodonozor exalta os feitos extraordinários do Deus de Daniel. Agora ele parece curvar-se ao Deus de Israel. Não fala mais dele mesmo comprando-se a um “deus”, pois, algo mudou dentro de seu coração. Os vs. 34 e 35 relatam a mais abrangente afirmação da Soberania de Deus de todo o Antigo Testamento. Mas ainda há mais. O último versículo (37) contém a confissão de fé do monarca. O cap. 04 termina com o rei adorando a Deus, prostrado perante o Senhor e reconhecendo-O como Verdadeiro e Justo. Graças a Deus, Nabucodonozor se converteu ao Deus VIVO!
  8. 8. Fatos importantes desta história – em primeiro lugar: Foi Deus que realizou a conversão de Nabucodonozor! Deus a concretizou! Ao ver no sonho que a árvore derrubada seria ele mesmo, o rei entendeu que Deus faria com seu reinado em breve. Quando entendeu a interpretação de seu sonho por parte de Daniel o rei foi obrigado a se prostrar. Qual era o propósito? O vs. 25 nos conta: “Até que conheças que o Altíssimo tem domínio sobre o reino dos Homens e o dá a quem quer”. Em segundo lugar: o momento da humilhação do rei foi durante a mais forte manifestação de seu orgulho (sua estátua com 27 metros). Deus humilhou um homem cujo coração transbordava de orgulho. Uma voz no céu anunciou que havia chegado o juízo prometido (vs. 31-32). E aconteceu! No mesmo instante o rei foi expulso dentre os Homens e sua morada foi com os animais do campo.
  9. 9. O grande rei da Babilônia agora não passava de um louco que comia capim como o boi selvagem! Os historiadores falam que subitamente o rei desapareceu, reaparecendo tempos depois, pouco antes de sua morte. Deus humilhou um homem arrogante com uma doença conhecida como “licantropia”. A pessoa afetada por esta doença acredita ser um animal, mas não perde sua consciência totalmente, podendo se lembrar de muitas coisas do passado. Muitos casos iguais são registrados em toda a História da Humanidade, inclusive em nosso século. Certas pessoas acreditam ser bois ou vacas e agem como estes animais ao ponto de fazer os mesmos sons que estes emitem. Outro fato que nos chama a atenção: Deus derrubou um rei arrogante. É assim que Deus converte a maioria das pessoas!
  10. 10. Por isso devemos estar atentos: o mundo não gira ao nosso redor. Jamais caia nesta armadilha. Deus sempre nos coloca no devido lugar – Ele nos lembra sempre quem somos e o que somos! Foi assim com Nabucodonozor e sempre é assim! Aquele homem arrogante entendeu quem Deus é e passou a viver como súdito e não mais um rei até os últimos dias de sua vida, logo que voltou ao palácio depois de sua doença mental. O grande rei da Babilônia agora estava colocado do devido lugar que todo homem e mulher devem estar – prostrados ante a Face de Deus!

×