Células Que Aprendem

434 visualizações

Publicada em

Procedimentos para estruturar sistemas de aprendizagem para células de produção

Publicada em: Educação, Negócios, Tecnologia
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Células Que Aprendem

  1. 1. Células que aprendem<br />Preparado por<br />Daisy Grisolia & Miguel Sacramento<br />Nexpeople<br />Julho de 2009<br />
  2. 2. Sumário<br />Premissas<br />Células<br />Etapas da aquisição de competências<br />Ambiente de aprendizagem e prática – componentes<br />Procedimentos: Como se faz?<br />
  3. 3. Desempenho das Células<br />O desempenho das células é diretamente proporcional à velocidade e qualidade do fluxo de informações.<br />
  4. 4. Caso Real<br />Fluxo de comunicação<br />Relações interpessoais<br />Trabalho realizado numa industria multinacional alemã.<br />Ganhos de produtividade obtidos durante a implantação de cada uma das modalidades de organização do trabalho<br />IMPORTANTE: fluxo de comunicação e relações interpessoais aumentam significativamente os resultados<br />123 pc/h.h.<br />+126%<br />88 pc/h.h.<br />+76%<br />55 pc/h.h.<br />50 pc/h.h.<br />+10%<br />Empurrar<br />Puxar<br />Layout celular<br />Grupo de <br />manufatura<br />
  5. 5. Resultados obtidos<br />Redução de 50% da área ocupada.<br />Redução do lead time de 45 dias para 13 horas.<br />Redução de mão de obra de 1.350 para 750 funcionários.<br />Redução de produtos de 2ª. qualidade.<br />Redução do WIP em US$1,3 milhão – de US$1,9 milhão para US$600 mil<br />Tempo de implantação 18 meses.<br />
  6. 6. Aquisição de Competências<br />
  7. 7. Ambiente de aprendizagem<br />Acompanha todos os cursos – presenciais e online;<br />Facilita o acesso a informação _busca e metadados<br />Melhora a circulação da informação;<br />Contribui para transformar informação em conhecimento com significado;<br />Promove o uso do conhecimento adquirido em novas situações;<br />Mantém a memória da evolução dos processos: conhecimento tácito&gt;&gt;&gt; conhecimento explícito;<br />Contém as ferramentas para monitoramento do desempenho _ relatórios de avaliação.<br />
  8. 8.
  9. 9. Pesquisa de conteúdos GruposFocais (GFs)<br />Procedimentos metodológicos<br />Definição de critérios<br />Seleção / cronograma dos GFs<br />Análise dos Resultados<br />GF<br />Aprovação <br />do protocolo<br />Entrega do relatório<br />
  10. 10. Desenvolvimento dos cursos<br />1.Mapeamento de objetivos de aprendizagem <br /><ul><li>Conceitos
  11. 11. Procedimentos
  12. 12. Atitudes</li></ul>2.Caracterização do público alvo <br /><ul><li>Pré requisitos
  13. 13. Experiência anterior
  14. 14. Objetivos pessoais</li></ul>3. Arquitetura do conhecimento<br /> Desenvolvimento de atividades <br />(presenciais e online)<br />4.Atividades de <br /> Avaliação<br />
  15. 15. Identificação de InstrutoresInternos de Treinamento (IIT)<br />Definição de pré-requisitos da função<br />Inscrição <br />on-line dos interessados<br />Pré teste <br />Auto-avaliação de conhecimentos técnicos<br />Avaliação da relação<br />Candidatos/Vaga<br />Definição de procedimentos em função da relação C/V<br />
  16. 16. Preparação dos Instrutores IITs(1) <br />Módulo Básico –procedimentos básicos para capacitação de pessoas<br />Diferença entre saber fazer e saber ensinar como fazer<br />Aprender Fazendo<br />Noções de organização do conhecimento<br />Objetivos de aprendizagem&gt;&gt;Atividades&gt;&gt;Avaliação<br />Módulo Específico – conhecimentos técnicos. <br />Nos dois casos a metodologia a ser empregada é a descrita no ítem Desenvolvimento de cursos <br />
  17. 17. Preparação de Instrutores-IITs (2)<br />Premissa de trabalho – Aprender fazendo<br />Etapas:<br />Apresentação dos objetivos e procedimentos da capacitação – entrega de material didático (online e/ou impresso)<br />2 Workshops didático-vivenciais (8 horas/workshop intervalo mínimo 7 dias)<br />Discussão, supervisão das atividades e plantão de dúvidas em ambiente online.<br />
  18. 18. As demandas & a proposta <br />A proposta apresentada...<br />Gera autonomia para a organização contratante no que se refere acriação e desenvolvimento de outros cursos;<br />Desenvolve uma plataforma costumizada para construção de novos cursos pela contratante;<br />Permite padronizar os treinamentos e capacitações futuras;<br />Inclui uma matriz de competências para adequar o grau de conhecimento necessário às diferentes funções;<br />Diminui sensivelmente a demanda de contratações de terceirospara a execução de novos cursos, à medida que os IITs adquiremfluência em suas atividades como educadores. <br />

×