Tcc daiane

799 visualizações

Publicada em

Trabalho de conclusão de curso

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
799
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
5
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
8
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Tcc daiane

  1. 1. ORGANIZAÇÃO ARQUIVÍSTICA DO FUNDO FECHADO AE: Projeto Ensino Integrado e Ensino Programado - EIEP da UFSM. Acadêmica Daiane Regina Segabinazzi Pradebon Prof. Orientador: Sônia Elisabete Constante, Ms. CENTRO DE CIÊNCIAS SOCIAIS E HUMANAS CURSO DE ARQUIVOLOGIA TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO Santa Maria, 15 de fevereiro de 2013.
  2. 2. Projeto “Ensino Integrado e Ensino Programado” Proposta para aplicação de novos métodos pedagógicos a estudantes matriculados em instituições federais; Aprovada pelo MINIPLAN e pelo DAU/MEC – 1969; Área Biológica da UFSM; UFMG e UFPA - 1970; Importante: o estudo e a organização da documentação do Projeto EIEP da UFSM configuram o tema geral desta pesquisa. Tem-se por finalidade dar acesso a uma documentação que revela as mudanças ocorridas no ensino-aprendizagem na década de 70, em várias universidades federais do Brasil, inclusive na UFSM. 1/4 1 INTRODUÇÃO
  3. 3. 1.1 Objetivo geral  Aplicar, a partir de estudo e organização do Fundo Fechado AE: Projeto EIEP da UFSM, a difusão do seu acervo documental, adotando como estratégia a elaboração de um inventário descritivo através da utilização software ICA-AtoM. 2/4 1 INTRODUÇÃO
  4. 4. 3/4 diagnosticar o estado de conservação dos documentos; coletar informações referentes à origem, produção, acumulação e tratamento arquivístico da documentação; apresentar um quadro de arranjo para o Projeto EIEP da UFSM; empregar a Nobrade para a descrição sumária da Série 1 Administração e Funcionamento do Fundo; reunir dados coletados do inventário sumário para a descrição analítica da Série 1 Administração e Funcionamento através da utilização software ICA-AtoM. 1.1.1 Objetivos específicos 1 INTRODUÇÃO
  5. 5. 4/4 1.1 Justificativa Possibilitar acesso a uma documentação que, dada a sua desorganização, era desconhecida pela sociedade. Preservação de um acervo referente ao período de 1970 a 1977, ao qual a UFSM foi uma das pioneiras na adoção de um método de ensino diferenciado do tradicional. Experiência de se trabalhar com a organização arquivística de um fundo fechado, possibilitando a realização da descrição e da difusão. 1 INTRODUÇÃO
  6. 6.  (SCHELLENBERG, 2006)  (BELLOTTO, 2002)  (DUCHEIN, 1986)  (HERRERA, 1988)  (NOBRADE, 2006)  (BELLOTTO, 2006)  (SCHELLENBERG, 2006)  (PAES, 2004)  (BELLOTTO, 2006)  (PEREZ, 2005) ARRANJO DOCUMENTAL DESCRIÇÃO ARQUIVÍSTICA DIFUSÃO 2 REFERENCIAL TEÓRICO 1/1
  7. 7. 3 METODOLOGIA Aplicação: compreendeu todo o ano letivo de 2012, sendo que a análise dos documentos do Projeto EIEP teve inicio ano de 2011 devido ao estágio não-obrigatório desenvolvido no DERCA. Pesquisa documental: para a coleta de dados sobre a história do Projeto EIEP, além do conhecimento das funções e atividades que eram desenvolvidas na UFSM. Elaboração do Quadro de Arranjo: seguindo as políticas arquivísticas da UFSM – arranjo funcional - Fundo Fechado AEAE. Série 1 Administração e Funcionamento: ordenação e arquivamento. 1/2
  8. 8. 3 METODOLOGIA  A utilização do software ICA-AtoM pelo DAG incentivou no desenvolvimento de uma descrição analítica para a Série 1 do Fundo AE através da utilização do ICA-AtoM.  Difusão de parte do acervo do Projeto EIEP: Série 1 e a alimentação de documentos digitalizados no ICA-AtoM. 2/2
  9. 9. 4 ENSINO INTEGRADO Começou por volta dos anos 30 sob a forma da Ciência Geral; Metodologia que leva o aluno a conceitos e princípios básicos de modo a expressar a unidade do pensamento científico; Visa o rendimento no processo de formação do homem como um todo, onde não há limites entre um campo de conhecimento e outro; Ideia de que assuntos considerados de interesse sejam encarados de modo que se ofereça ao estudante uma perspectiva global, assegurando- se a eles uma compreensão analítico - sintética -> o aluno ao abordar determinado assunto, o faria sob todos os aspectos; Desenvolvido sob modalidades de núcleos abrangentes, denominados de Unidades Curriculares - deixa de lado as disciplinas do ensino tradicional e passa a trabalhar com o próprio assunto ou tópico em estudo; “Integração Artificial” 1/3
  10. 10. 4 ENSINO INTEGRADO 2/3 1959 - Apresentação de um diagnóstico das faculdades de odontologia no Brasil - mostrou uma necessidade de melhor conceituação do currículo, buscando uma filosofia de abordagem das atividades essenciais ao aprendizado, não priorizando as alterações no elenco de matérias selecionadas; 1962 - “Escola Experimental de Odontologia”; 1964 - “Comissão de Planejamento de Formação de Odontólogos”; 1965 - Mentor e Coordenador Projeto Piloto de Ensino Integrado na Faculdade de Odontologia em Diamantina entre 1965-69 - Professor Paulino Guimarães Junior; 1968 - Crise financeira e encerramento em 1969. 4.1 Projeto - piloto experimental (entre 1965- 69)
  11. 11. 4 ENSINO INTEGRADO 3/3 4.2 Subprojeto Ensino Integrado e Ensino Programado 1969 - A proposta estabelecida pelo projeto-piloto experimental foi aprovada pelo Setor de Educação de 3° grau do Centro Nacional de Recursos Humanos – CNRH/MINIPLAN e pelo DAU/MEC. Fazia parte do Projeto de Operação Produtividade, classificado como uma “pesquisa educacional”, visava proporcionar melhor rendimento do processo de formação dos quadros superiores do País; 1970 – Implantação na ÁREA BIOLÓGICA de três universidades federais (UFMG, UFSM e UFPA) e em uma escola superior isolada (Faculdade de Odontologia de Pernambuco); Passou por REFORMULAÇÕES - alcançando maior abrangência em termos de objetivos e número de entidades universitárias participantes.
  12. 12. 5 ORGANIZAÇÃO ARQUIVÍSTICA DO FUNDO FECHADO AE 1/10 Sistema de Arquivos da UFSM; A organização física e a organização intelectual: Na arquivística integrada a organização intelectual dos arquivos é primeira etapa. Entretanto, devido ao estado de conservação do acervo, foi iniciada a organização física; Documentação acumulada no DERCA, recolhida ao DAG para tratamento arquivístico em 2012; Malotes de papel-cartão pardo amarrados por barbantes, sem nenhuma ordenação; Somente 13 anos após o término do Projeto na UFSM, em 17 de janeiro de 1990, criou-se a Divisão de Arquivo Geral. 5.1 Recolhimento e diagnóstico
  13. 13. 5 ORGANIZAÇÃO ARQUIVÍSTICA DO FUNDO FECHADO AE 2/10 Triagem (retirada de objetos, cópias); Higienização (limpeza de sujidades); Concomitantemente realizada a organização intelectual: compreender o contexto de produção da documentação através da análise dos documentos;
  14. 14. 5 ORGANIZAÇÃO ARQUIVÍSTICA DO FUNDO FECHADO AE 3/10 Convênio firmado em 16 de dezembro de 1970, publicado no Diário Oficial da União de 31 de dezembro de 1970, entre o DAU/MEC e a UFSM; 1970 e 1971 - período preparatório do projeto – GT (das IFEs); Analises dos programas de ensino dos ciclos básicos da área biológica das IFEs, preparando novos programas que alcançassem a filosofia integrada da unidade curricular; 1972 – Inicio do Ensino Integrado e Ensino Programado na UFSM em oito cursos, na época atingindo a uma população de 650 alunos; Biologia, Educação Física, Enfermagem, Farmácia e Bioquímica, Medicina, Odontologia, Veterinária e Zootecnia; 5.2 Experiência do Projeto na UFSM
  15. 15. 5 ORGANIZAÇÃO ARQUIVÍSTICA DO FUNDO FECHADO AE 4/10 Estudo era dividido em dois ciclos: o fundamental e o diferenciado; Ao final de cada unidade curricular os próprios docentes (das IFEs envolvidas) faziam críticas sobre os trabalhos realizados; Quando uma unidade curricular era considerada boa, os especialistas preparavam os programas que eram transferidos para os meios de divulgação, como fitas gravadas, textos impressos, lâminas de projeção fixa, filmes, etc. Assim, à medida que os programas das unidades curriculares eram disponibilizados, eram encaminhadas as universidades, acompanhados dos meios subsidiários à sua utilização: máquinas, aparelhos sonoros e outros.
  16. 16. 5 ORGANIZAÇÃO ARQUIVÍSTICA DO FUNDO FECHADO AE 5/10  Críticas:  Queixa dos acadêmicos;  Sobrecarga do corpo docente;  Defeito nos programas curriculares, carga horária não cumprida, má distribuição de aulas práticas, falta de programação conveniente e conteúdos não integráveis de fato.  Vantagens:  Financeiras, como materiais e recursos humanos para a UFSM.  1977 - Colegiado Superior do Ensino Integrado através de uma votação decidiu a extinção do Ensino Integrado na Universidade Federal de Santa Maria.
  17. 17. Produção de documentos decorria das atividades exclusivas do projeto. A partir disso, o Projeto EIEP foi considerado um fundo fechado, com valor informativo, portanto um fundo de conservação definitiva. BR RSUFSM FAE Deste modo, buscou-se agrupar os documentos de acordo com o princípio da proveniência (seguindo o sistema de arquivo da UFSM) estabelecendo o quadro de arranjo: 5 ORGANIZAÇÃO ARQUIVÍSTICA DO FUNDO FECHADO AE 6/10
  18. 18. FUNDO AE – PROJETO ENSINO INTEGRADO E ENSINO PROGRAMADO SÉRIE 1 – ADMINISTRAÇÃO E FUNCIONAMENTO SSA – Atos Administrativos, Legais e Normativos SSB – Dados Estatísticos SSC – Políticas e Metas SSD – Publicações e Produções Científicas SÉRIE 2 – ATIVIDADES DE ENSINO SSA – Controle da Documentação Acadêmica SSB – Controle e Oferta de Disciplinas SSC – Frequência e Controle de Horários SSD – Gerenciamento de Avaliações Escolares SSE – Transferência Acadêmica SÉRIE 3 – CONTROLE DE PESSOAL SSA – Admissão de Pessoal SSB – Controle de Frequência SSC – Expediente e Registros Funcionais SSD – Pagamento de Pessoal SÉRIE 4 – CONTROLE FINANCEIRO SSA – Gestão dos Recursos Financeiros SSB – Movimentação Orçamentária
  19. 19. 5 ORGANIZAÇÃO ARQUIVÍSTICA DO FUNDO FECHADO AE Ordenação e acondicionamento da Série 1 Administração e Funcionamento. 0,52 metros lineares (4 caixas-arquivo) 0,13 metros lineares de documentos em cada caixa-arquivo Inventário sumário primeiro instrumento de descrição elaborado; Introdução sobre os seguintes elementos: modalidade de incorporação do fundo no acervo do arquivo; breve notícia histórica sobre a instituição, a pessoa ou a família ao qual o fundo é proveniente; explicação sobre o modo de consulta do inventário. 8/10
  20. 20. ÁREA DE IDENTIFICAÇÃO Código de referência BR RSUFSM FAES1 Título Brasil – Rio Grande do Sul – Universidade Federal de Santa Maria – Projeto Ensino Integrado e Ensino Programado – Série 1 Administração e Funcionamento. Datas de produção 1970 a 1977 Nível de descrição Série Dimensão e suporte 0,52 metros lineares ÁREA DE CONTEXTUALIZAÇÃO Produtor Universidade Federal de Santa Maria - UFSM História administrativa A Universidade Federal de Santa Maria, idealizada e fundada pelo Prof. Dr. José Mariano da Rocha Filho em 14 de dezembro de 1960 e instalada, solenemente, em 18 de março de 1961. Foi a primeira Universidade instalada fora do eixo das capitais do estado no Brasil com a denominação de Universidade de Santa Maria. INVENTÁRIO SUMÁRIO FUNDO AE – PROJETO ENSINO INTEGRADO E ENSINO PROGRAMADO PERÍODO – 1970 a 1977
  21. 21. Item Título Datas Quant. Notação 1 01 Deliberações da Comissão de Ensino e Recurso 1973-74 1 pt. FAES1.SSA.DCE.C1.M1 2 02 Deliberações da Comissão de Legislação e Normas 1974 1 pt. FAES1.SSA.DCL.C1.M2 3 03 Deliberações da Reunião dos Coordenadores do Projeto Novas Metodologias Aplicáveis ao Ensino Superior 1976-77 1 pt. FAES1.SSA.DPM.C1.M3 4 04 Deliberações de Assembleias da Operação Produtividade – Subprojeto EIEP 1973 1 pt. FAES1.SSA.DOP.C1.M4 5 05 Deliberações de Reuniões de Coordenadores do Projeto Novas Metodologias de Ensino 1975 1 pt. FAES1.SSA.DME.C1.M5 6 06 Deliberações do Colegiado de 1973-77 1 pt. FAES1.SSA.DEI.C1.M6 SÉRIE: ADMINISTRAÇÃO E FUNCIONAMENTO – S1 SUBSÉRIE: Atos Administrativos, Legais e Normativos – SSA
  22. 22. 6 TRABALHANDO COM O SOFTWARE ICA- ATOM 1/3 Iniciar uma descrição analítica do Fundo AE: Série 1, considerando o seu atual estágio de organização e sua importância no resgate histórico do Ensino Integrado; Termo de Convênio firmado entre o Ministério de Educação e Cultura e a UFSM, ato que deu início ao projeto nesta instituição; Normas do Ensino Integrado na UFSM; Ata que delibera a extinção do Projeto; Normas para descrição arquivística do International Council on Archives (ICA) – Nobrade; Entrada dos dados da descrição arquivística do fundo;
  23. 23. 6 TRABALHANDO COM O SOFTWARE ICA- ATOM 2/3 Descrição detalhada da Série 1 Administração e Funcionamento. Identificado cada documento dentro dos dossiês e fornecendo o máximo de informações possíveis sobre o mesmo, exemplo: 6.1 Área de identificação 6.1.1 Có digo de referência AE.S1.SsA.06.006 6.1.2 Título Ata 06 da Assembleia do Colegiado do Ensino Integrado (antigo Ensino Integrado e Ensino Programado) 6.1.3 Data(s) 13/11/1973 (Produç ão) 6.1.4 Nível de descriç ão Item 6.1.5 Dimensão e suporte 02 páginas 6.2 Área de contextualização 6.2.1 Nome do Produtor Universidade federal de Santa Maria – UFSM (Brasil) 6.3 Área de conteúdo e estrutura 6.3.1 Âmbito e Conteúdo Esta ata trata sobre modificaç ões de programas de curriculares, sobre a regulamentaç ão das avaliaç ões e frequência de alunos. 6.4 Pontos de acesso 6.1.4 Pontos de acesso Universidade federal de Santa Maria – UFSM (Brasil)
  24. 24.  Inventário Analítico da Série 1 no ICA-AtoM, relatório gerado pelo próprio sistema em formato com extensão .pdf: 6 TRABALHANDO COM O SOFTWARE ICA- ATOM 3/3
  25. 25.  Estudo do EIEP, desde a sua criação até o término na UFSM, no ano de 1977.  Consolidar os conhecimentos teóricos e práticos sobre a organização arquivística de acervos permanentes, e ao mesmo tempo, permitir o acesso a um fundo de arquivos que era desconhecido para a instituição.  Quadro de Arranjo para o Projeto EIEP da UFSM.  Ordenação de 0,52 metros lineares de documentos armazenados em 4 (quatro) caixas-arquivo da Série 1 Administração e Funcionamento do Fundo AE.  Tanto a descrição sumária quanto a analítica, através do software ICA -AtoM, foram importantes dentro do processo interno de organização e conhecimento do acervo e também para fins de 7 CONSIDERAÇÕES FINAIS 1/2
  26. 26. 7 CONSIDERAÇÕES FINAIS 2/2  Políticas de preservação da UFSM, adotado pelo DAG.  A utilização de ferramentas de comunicação on-line como subsídio na disseminação de informações.  Concluir o trabalho de ordenação da Série 02 Atividades de Ensino, 03 Controle de Pessoal, e 04 Controle Financeiro, do Fundo AE.  Continuidade de alimentação e atualização dos dados no sistema ICA-AtoM a fim de elaborar de um instrumento de pesquisa que abranja todas as séries documentais do fundo fechado do EIEP.  Busca por informações quanto à questão histórica da
  27. 27. REFERÊNCIAS ANGELONI, M.T.; PEREIRA, R.C.F.; FERNANDES, C.B. Gestão Estratégica da Informação e o Processo Decisório: uma preparação para a gestão do conhecimento. In: XIX Encontro Nacional de Engenharia de Produção - ENEGEP, 1999, Rio de Janeiro. Anais..., 1999. BARRETO, A. A. Padrões de assimilação da informação: a transferência da informação visando a geração do conhecimento. In: RODRIGUES, Georgete Medleg; LOPES, Ilza Leite (org). Organização e representação do conhecimento na perspectiva da Ciência da Informação. Brasília: Thesaurus, 2003. – Estudos avançados em ciência da informação; v.2 p.53-99. BELLOTTO, H. L. Arquivos permanentes: tratamento documental. 4 ed. Rio de Janeiro: Ed. Fundação Getúlio Vargas, 2006. _______. Arquivos permanentes: tratamento documental. São Paulo: T.A. Queiroz, 1991. BERNARDES, I. P.. Como avaliar documentos de arquivo. São Paulo: Arquivo do Estado, 1998. _______; DELATORRE, Hilda. Gestão documental aplicada. São Paulo: Arquivo Público do Estado de São Paulo, 2008; BLAYA PEREZ, Carlos. Difusão dos arquivos fotográficos. In: Caderno de Arquivologia, Universidade Federal de Santa Maria, CCSH, Departamento de Documentação, Curso de Arquivologia. N.1. Santa Maria: UFSM, 2002. p. 01-22.  BOGDAN, R.; BIKLEN, S. Investigação qualitativa em educação: uma introdução à teoria e aos métodos. Porto: Porto Editora, 1994. BRASIL. Constituição Federal (1988). Constituição da República Federativa do Brasil. Brasília: Senado, 1998. Disponível em: < http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/Constituicao/Constituicao.htm>. Acesso em 8 de nov. de 2012. BRASIL. Decreto nº 4.073, de 3 de janeiro de 2002. Regulamenta a Lei nº 8.159, de 8 de janeiro de 1991, que dispõe sobre a política acional de arquivos públicos e privados. Disponível em: <http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/decreto/2002/d4073.htm>. Acesso em 8 de nov. de 2002. CASOTTI, Elisete. Odontologia no Brasil: uma (breve) história do pensamento sobre o ensino / Elisete Casotti. – Rio de Janeiro: UFRJ / NUTES, 2009. x, 98 f.: il. ; 31 cm. CGTP-IN. Confederação Geral dos Trabalhadores Portugueses - Intersindical Nacional. Lisboa, 2013. Disponível em: 1/3
  28. 28. REFERÊNCIAS CHOO. W. A organização do conhecimento: como as organizações usam a informação para criar significado, construir conhecimento e tomar decisões. São Paulo: SENAC, 2003. DICIONÁRIO Brasileiro de Terminologia Arquivística. Rio de Janeiro: Arquivo Nacional, 2005. 232p. DUCHEIN, Michel. O respeito aos fundos em arquivística: princípios teóricos e problemas práticos. Arquivo & Administração, Rio de Janeiro, v.10-14, p. 14-33, ago. 1986. FIOCRUZ. Fundação Oswaldo Cruz. Base arch. Rio de Janeiro, 2012. Disponível em: <http://icaatom.coc.fiocruz.br/>. Acesso em: 18 dez. 2012. FONSECA, M. O. K. Arquivologia e ciência da informação. Rio de Janeiro: Editora FGV, 2005. 124p. HEREDIA HERRERA, Antonia – Archivística general: teoría y práctica. Sevilla: Diputación Provincial, 1988. MACEDO, R. S. A etnopesquisa crítica e multirreferencial nas Ciências Humanas e na Educação. Salvador: EDUFBA, 2000. MACHADO, H. C.; CAMARGO, A. M. A. Como implantar arquivos públicos municipais. São Paulo: Arquivo do Estado, 1999. 88 p: il.; 23 cm. – (Projeto como fazer; v. 3). MATTAR, F. N. Pesquisa de marketing: metodologia, planejamento, execução e análise. 2a.ed. São Paulo: Atlas, 1994. MEC. Ministério da Educação e Cultura. Departamento de Assuntos Universitários. Projeto Novas Metodologias Aplicáveis ao Ensino Superior: Subprojeto Ensino Integrado. Santa Maria, UFSM, 1977. 30 p. mimeografado. MINAYO. M. C. S. Pesquisa social: teoria, método e criatividade. Rio de Janeiro: Vozes; 1994. OLIVEIRA, M. M. Como fazer pesquisa qualitativa. Petrópolis, Vozes, 2007. OLIVEIRA, S. L. Tratado de metodologia científica. São Paulo: Pioneira, 1997. PAES, M. L.. Arquivo: teoria e prática. 3ª ed. rev. ampl. Reimpr.–Rio de Janeiro: FGV, 2002. PHILLIPIS, B.S. Pesquisa social: estratégias e táticas. Rio de Janeiro, Livraria Agir Editora, 1974. ROUSSEAU, Jean-Yves, COUTURE, Carol. Os Fundamentos da Disciplina Arquivística. Lisboa: Publicações Dom Quixote, 2/3
  29. 29. SANTOS, V. B.; INNARELLI, H. C.; SOUZA, R. T. B. Arquivística: temas contemporâneos: classificação, preservação digital, gestão do conhecimento. 2ª ed: Distrito Federal: SENAC, 2008. SAYAO, L. F.; MARCONDES, C. H. Software livres para repositórios institucionais: alguns subsídios para a seleção. In: UFBA, 2009, p. 23 a 54. SCHELLENBERG, T. R. Arquivos modernos: princípios e técnicas. Tradução Nilza Teixeira Soares. 6 ed. Rio de Janeiro: Editora: FGV, 2006. SILVA, E. L.; MENEZES, E. M. Metodologia da pesquisa e elaboração de dissertação, 3. ed. rev. Florianópolis: Laboratório de Ensino a Distância da UFSC, 2001. 121p. SOUSA, Renato Tarcísio Barbosa. Os princípios arquivísticos e o conceito de classificação. In: RODRIGUES, Georgete M.; LOPES, Iza L. (Org.). Organização e Representação do Conhecimento. Brasília: Thesaurus, 2003. p. 240 - 271. UFBA. Implantação e gestão de repositórios institucionais: políticas, memória, livre acesso e preservação / organizadores Luis Sayão... et al. - Salvador : EDUFBA, 2009. 365 p. il. UFG. Universidade Federal de Goiás. Acervos arquivísticos. Goiânia, 2012. Disponível em: <http://acervo.cidarq.ufg.br/index.php>. Acesso em: 18 dez. 2012. UFSM. Universidade Federal de Santa Maria. Patrimônio arquivístico da UFSM. Santa Maria, 2012. Disponível em: <http://www.ufsm.br/patrimonioarquivistico>. Acesso em: 10 out. 2012. _______. Universidade Federal de Santa Maria. Projeto Ensino Integrado e Ensino Programado. Normas para o funcionamento do Ensino Integrado na UFSM. Santa Maria, 1977. 11 p. mimeografado. _______. Universidade Federal de Santa Maria. Pró-Reitoria de Pós-Graduação e Pesquisa. Estrutura e apresentação de monografias, dissertações e teses: MDT. Biblioteca Central, Editora da UFSM. – 8. ed. – Santa Maria: Ed. da UFSM, 2012. _______. Universidade Federal de Santa Maria. Uma política de arranjo documental para a Universidade Federal de Santa Maria. Denise Molon Castanho... [et al.}. – Santa Maria: Universidade Federal de Santa Maria, Centro de Ciências REFERÊNCIAS 3/3
  30. 30. OBRIGADA Contato: daianepradebon@gmail.com

×