Ebd escrituras sagradas 02

1.177 visualizações

Publicada em

Escrituras Sagradas - EBD

0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.177
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
1
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
55
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Ebd escrituras sagradas 02

  1. 1. Escola Bíblica Dominical Igreja Batista ElShadai DF – 2012ESCRITURAS SAGRADAS Organizadora: Dagmar Miriam Wendt
  2. 2. 3 Formas de Revelação AnalógicaPessoal Antrópica
  3. 3. Meios de revelaçãoEventos históricos Encarnação Discurso divino
  4. 4. Inspiração das EscriturasDeus Bíbliasopra Homem = Instrumento
  5. 5. Tarefas do Intérprete 1ª 2ªExegese Hermenêutica Lá AquiEntão Agora
  6. 6. Princípios de Interpretação• Geral: A Bíblia é seu próprio intérprete.• Gramatical: A Bíblia tem sentido um sentido e é literal.• Histórica: A Escritura surgiu num contexto histórico e só pode ser compreendida à luz da história bíblica.• Teológica:Uma doutrina não pode ser considerada bíblica, a não ser que resuma e inclua tudo o que Escritura diz sobre ela.
  7. 7. Tarefa de casa:Visão de Jesus sobre o AT • Mt 19:4-5 • Lc 17:28 • Jo 10:34s • Mt 11:21 • Mt 22:32 • Lc 4:26 • Jo 8:56 • Lc 4:25-28 • Mc 12:26 • Jo 3:14 • Lc 11:31 • Mt 5:17 • Lc 11:30 • Mc 10:19 • Mt 23:35 • Lc 24:46, Jo 5:39 • Mt 12:3 • Mt 22:29, Lc 24:25 • Lc 17:26 • Mt 15:3
  8. 8. O Antigo Testamento A Bíblia que Jesus lia, usava e amava. “Quanto mais compreendemos o Antigo Testamento, “Então lhe deram o livro do profeta Isaías, e, maisabrindo o livro, achou o lugar onde estava escrito: compreendemos a Jesus” “O Espírito do Senhor está sobre mim, pelo queme ungiu para evangelizar os pobres; enviou-me (Philip Yancey – A para proclamar libertação aos cativos e Bíblia que Jesus lia restauração da vista aos cegos, para por em – Ed. Vida) liberdade os oprimidos, e apregoar o ano aceitável do Senhor.” Lc 4.17-19”
  9. 9. Antigo e NovoTestamentos
  10. 10. REVELAÇÃOINSPIRAÇÃO Evangelho de João Séc. VIITRANSMISSÃO AT - 90dC Concílio de JâmniaCANONIZAÇÃO NT – 397dC Concílio de Cartago III TRADUÇÃO
  11. 11. Evidência Externa da Inspiração da Bíblia• Historicidade da Bíblia• Testemunho de Cristo• Profecia• Influência da Bíblia no mundo• Indestrutibilidade da Bíblia• Integridade do seus autores
  12. 12. O Cânon Bíblico• Grego kanon: regra, medida, padrão pelo qual se mede alguma coisa.• Aplicado à Bíblia significa: – Os livros canônicos seguem um padrão de inspiração. – Os livros canônicos servem de regra de fé, de padrão ou norma para julgarmos toda a revelação de Deus.
  13. 13. Princípios de descoberta de canonicidade1. O livro é autorizado? Afirma vir da parte de Deus?2. É profético? Foi escrito por um servo de Deus?3. É digno de confiança? Fala a verdade?4. É dinâmico? Possui o poder de Deus que transforma vidas?5. É aceito pelo povo de Deus para o qual foi originariamente escrito?
  14. 14. O Cânon do AT Cânon Judeu (24 livros) = Cânon Protestante (39 livros) Canôn Católico (+7 livros) (+7 Apócrifos aprovados em 8/4/1546, para combater Reforma Protestante, quecriticava doutrina do purgatório, oração pelos mortos, salvação pelas obras, etc
  15. 15. Cânon do AT - Jesus– Deu sua autoridade ao Antigo Testamento dizendo “A Escritura não pode falhar” (Jo. 10.35)– Lc 24.27: “[Jesus]... expunha-lhes o que a seu respeito contava em todas as Escrituras...”– Lc 24.44: “A seguir, Jesus lhes disse: São estas as palavras que eu vos falei, estando ainda convosco: importava se cumprisse tudo o que de mim está escrito na Lei de Moisés, nos Profetas e nos Salmos.
  16. 16. Cânon do AT – Escritores do NT Falam das Escrituras: – como tendo autoridade: 2 Tm 3.16-17 – como santas: “o qual foi por Deus, outrora, prometido por intermédio dos seus profetas nas Sagradas Escrituras” (Rm 1.2) – como oráculos de Deus: “... aos judeus foram confiados os oráculos de Deus” (Rm 3.2)
  17. 17. Cânon do AT – Flávio Josefo Cerca de 100 d.C.: – Escreveu o livro História dos Hebreus – Disse: “Pois não temos um sem número de livros, que se contradizem e diferem uns dos outros, mas 22 livros apenas, que contém os registros de todas as épocas passadas, que com justiça são tidos por divinos.”
  18. 18. OS LIVROS DA BÍBLIA 39 livros do Antigo Testamento 27 livros do Novo Testamento Poesia Profetas Evange- Epístolas de Profe-Lei Sabedoria Menores lhos Paulo ciaHistó- Profetas Epístolas Históriaria Maiores Gerais Jó Gênesis Salmos Mateus Êxodo Provérbios Marcos Hebreus Levítico Eclesiastes Lucas Tiago Cântico dos Números João I Pedro CânticosDeuteronômio Isaías II Pedro Jeremias I João Lamentações Atos II João Josué Ezequiel III João Juízes Daniel Romanos Judas Rute Oséias I Coríntios I Samuel Joel II Coríntios II Samuel Amós Gálatas I Reis Obadias Efésios II Reis Jonas Filipenses I Crônicas Miquéias Colossenses II Crônicas Naum I Tessalonicenses Apocalipse Esdras Habacuque II Tesalonicenses Neemias Sofonias I Timóteo Ester Ageu II Timóteo Zacarias Tito Malaquias Filemom
  19. 19. Por que existem tantas versões?Primeiro, em 1881, dois estudiosos britânicos publicaram um NT gregobaseado nos manuscritos mais antigos então disponíveis - mais breve. Nãocontinham passagens como o final longo do evangelho de Marcos ou anarrativa da mulher adúltera.Segundo, muitas descobertas arqueológicas e de manuscritos a partir de1895. A descoberta pelo pastor Adolf Deissmann de papiros egípciosenterrados em montões de lixo há uns 2000 anos que continham um gregobastante similar ao grego do NT. Ele concluiu que o grego do NT foi escritona linguagem comum da época. Não era um dialeto só da elite. Desde adescoberta de Deissmann, os tradutores têm se esforçado para apresentar oNT numa linguagem que a pessoa comum possa entender.Terceiro, houve influências filosóficas. Ou seja, a teoria da tradução estásendo revista atualmente. Os missionários têm dado uma contribuiçãosignificativa para isso – pois estão sempre ansiosos por ver mais uma tribolendo a Bíblia em sua própria língua.
  20. 20. Pergaminhos do Mar Morto• O Grande rolo de Isaías foi encontrado em uma caverna em Qumran perto do Mar Morto. Ele contém todo o livro de Isaías. Foi escrito em 17 pedaços de pele de carneiro costurada para formar um rolo medindo aproximadamente 7 metros de comprimento. Ele está no Santuário do Livro. Foi datado pelo método do carbono 14 e os resultados têm variado de 335 a 107 a.C. Outras técnicas de datação (por exemplo, material de escrita e estilo, associação de artefatos) dataram para 150 a 100 a.C. Assim, esse rolo foi escrito pelo menos um século antes de Cristo, se não dois ou três séculos.
  21. 21. Até a sensacional descoberta dos Rolos do Pergaminhos do Mar Morto Mar Morto em 1947, não possuíamos cópias do• O Grande rolo de Isaías foi encontrado em uma caverna em Qumran perto do Mar A.T. anteriores a 895 DC. Morto. Ele contém todo o livro de Isaías. Foi escrito em 17 pedaços de pele de carneiro costurada para formar um rolo medindo aproximadamente 7 metros de comprimento. Ele está no Santuário do Livro, e um fac-símile realista está em exibição na sala principal. Foi datado pelo menos quatro vezes pelo método do carbono 14 e os resultados têm variado de 335 a 107 a.C. Outras técnicas de datação (por exemplo, material de escrita e estilo, associação de artefatos) dataram para 150 a 100 a.C. Assim, esse rolo foi escrito pelo menos um século antes de Cristo, se não dois ou três séculos.
  22. 22. Pergaminhos do Mar Morto• Todos os livros do Antigo Testamento foram encontrados no Mar Morto, exceto o livro de Ester e sessenta a sessenta e cinco por cento dos pergaminhos que representam o texto Massorético.• Isto é surpreendente, pois desde os primeiros códices hebraicos do texto massorético usados pelos estudiosos dos séculos 16 e 17 (como o Aleppo) foram escritos mais de mil anos após o Mar Morto.
  23. 23. Evoluçãoprocesso deProcesso Evolução do do tradução de Tradução •No início do ano 2000, a Bíblia inteira tinha sido traduzida para 371 línguas ou dialetos; porções bíblicas alcançaram mais 1862 línguas ou dialetos diferentes.2500 22332000 Até 600 d.C. Até 14561500 Até 18001000 No século XIX 400 500500 Na 1a. Metade do séc. XX 9 33 67 No ano 2000 0 Tradução da Bíblia no todo ou em parte
  24. 24. Divisão tradução Evolução do processo de em Capítulos e versículos Capítulos: professor universitário parisiense Stephen Langton, em 1227, que viria a ser eleito bispo de Cantuária pouco tempo depois. Versículos: foram os massoretas quedividiram o texto hebraico entre séc. IX e X.O impressor parisiense Robert dEthiene, em1551, fez do NT. Ambas as divisões facilitama consulta e as citações bíblicas, e foi aceita por todos, incluindo os judeus;
  25. 25. Data do Cópia maisAutor Original Antiga Intervalo CópiasNovo Testamento 40-100 dC 125 dC 25 24000Homero (Ilíada) 900 aC 400 aC 500 643Eurípedes 480-406 aC 1100 dC 1500 200Demóstenes 383-322 aC 1100 dC 1400 200Sófocles 496-406 aC 1000 dC 1400 193Aristóteles 384-322 aC 1100 dC 1400 49Platão(Tetralogias) 427 - 347 aC 900 dC 1200 20Tácito (Anais) 100 dC 1100 dC 1000 20César 100 - 44 aC 900 dC 1000 10Aristófanes 450-385 aC 900 dC 1200 10Tucídedes (História) 460-400 aC 900 dC 1300 8Heródoto (História) 480-425 aC 900 dC 1300 8 A Ilíada de Homero, o livro mais famoso da antiga Grécia, é a segunda melhorPlínio o Jovem preservada obra literária de toda a antiguidade, com 643 cópias de manuscritos(História) descobertos até à data. Nestas61-113 dC linhas de texto disputadas, 750 cópias, há 764 850 dC 7 comparada com apenas 40 linhas em todos os manuscritos dodC Testamento.Cátulo 54 aC 1550 Novo 1600 3Suetônio 40 linhas representam um quarto de um por cento de todo o texto e não afeta Essas (De VitaCaesarum) alguma o ensino e a doutrina do Novo Testamento dC de forma 75-160 dC 950 800?
  26. 26. Nas 643 cópias da Ilíada de Homero, há 764 linhas de texto disputadas, Nos 24000 manuscritos do NT temos apenas 40 linhas com pequenas diferenças! Essas 40 linhas representam ¼ de 1% do texto e não afeta o ensino e a doutrina do Novo Testamento!
  27. 27. O manuscrito mais antigo do NT é o chamado Papiro 52, que contém trechos do Evangelho de João Jo. 18:31- 36-(Jo. 18:31-33; 36-37)e data por volta do ano 125 d.C.
  28. 28. Tem alguma versão detradução daBíblia que é melhor?
  29. 29. Depende...Pregação: AA e NVI – texto crítico e método detradução que combina formal e dinâmicaComparação: Corrigida e NTLH – estudos, exegeseQuestão dos manuscritos gregos1º - texto crítico: 3 ou 4 mais antigos, séc 3-4 AA, NVI, NTLH2º - texto majoritário: maioria dos manuscritos AC, A Fiel, TrinitarianaQuestão do Método de Tradução EquivalênciaFormal: palavra por palavra - ACDinâmica: sentido da frase hoje (paráfrase!) NTLHNVI – combina as duas
  30. 30. Textus ReceptusHistória resumida do texto grego recebido (Textus Receptus)Por muitos séculos antes da "Reforma Protestante", o estudo do idioma grego foivirtualmente inexistente na Europa ocidental, mas em 1453 com a tomada deBizâncio, capital da parte oriental do antigo Império Romano, por invasoresmuçulmanos, houve uma debandada de eruditos cristãos do oriente para oocidente, trazendo consigo cópias de manuscritos das sagradas escrituras em sualíngua original, o grego.Este fato reavivou o estudo do grego no ocidente, onde até este ponto circulavamapenas traduções antigas da palavra de Deus feitas a partir de 150 d.C. emSiríaco, Copta, e Latim. A versão em latim da palavra de Deus, conhecida comoVulgata, foi por ordem do Papa Damaso I "corrigida" por Jerônimo, passando arevisão a ser conhecida como a Vulgata de Jerônimo e a ser imposta peloromanismo em contrapartida à antiga Vulgata latina, contudo destarte osesforços dos romanistas, ainda hoje restam cópias desta antiga versão.
  31. 31. Textus ReceptusHistória resumida do texto grego recebido (Textus Receptus)Na geração seguinte de eruditos em grego estava Erasmo de Roterdã, o qualpreparou uma edição do Novo Testamento tendo como base vários dos melhoresmanuscritos gregos trazidos pelos que fugiram de Bizâncio, alguns dos quaisestavam disponíveis no momento da tradução, outros que foram copiadosdurante a preparação para o lançamento de sua Bíblia em Latim, também váriostextos dos pais da igreja, os quais faziam referência a textos bíblicos em seusescritos, além da tradução da Bíblia para o Latim (a Antiga Vulgata) e para oCopta. Sua primeira edição impressa surgiu em 1516 e foi seguida por outrasquatro edições. Neste meio tempo, tendo início em 1502, foi ordenada peloCardeal Francisco Ximenes de Cisneros a compilação uma Bíblia poliglota, o quefoi levado a cabo por um grupo de eruditos da Universidade de Complutum emAlcala (Espanha), com base em um outro conjunto de manuscritos bizantinos. Otrabalho resultante foi publicado com o título de "Poliglota Complutensiana" em1522. Mesmo tendo sido realizado por católicos, este foi um trabalho que tevegrande valor e qualidade por ter-se atido aos manuscritos gregos que formaramsua base. Esta edição teve aceitação tão ampla, que se tornou mais tarde a base do TextusReceptus, ou Texto Recebido, em que se basearam muitas das traduçõesposteriores, inclusive a tradução para o português realizada por João Ferreira deAlmeida
  32. 32. Manuscrito MassoréticoApós a destruição de Jerusalém em 70 d.C, eram os chamados Tannaim (professores),escribas judeus que guardaram as Escrituras do Antigo Testamento.Esses escribas "copiaram o texto do Antigo Testamento com grande precisão" (EdwardHills, The King James Bible Defended, 4th edition, p. 93). Os Tannains foram seguidospor outros escribas chamados Amorains (expositores). Embora tenham exaltado atradição do homem acima da Escritura, na prática diária, veneraram muito a Escriturae a preservaram de geração em geração. (Foi nessa época que o Talmude foiproduzido, o qual canonizou a tradição rabínica).No começo do século VI, foram os Massoretas (tradicionalistas), que zelosamenteguardaram o texto hebraico e o passaram de geração em geração.É a Bíblia Massorética hebraica que foi adotada pelos cristãos e utilizada nas primeirasBíblias impressas.Os massoretas eram famílias de estudiosos hebreus que tinham centros na Palestina,Tiberíades e Babilônia. O tradicional texto hebraico Massorético recebe o seu nomedesses estudiosos.Um dos mais famosos foi Ben Asher em Tiberíades, que "trabalhou para produzir umacópia correta das Escrituras". Desde o século 12 em diante o texto de Ben Asher foirecebido como Bíblia Hebraica.
  33. 33. Manuscrito MassoréticoOs massoretas tinham um grande cuidado na transcrição do Velho Testamento. Elesdesenvolveram regras mais rigorosas para as cópias, a fim de manter o texto puro. As seguintesregras são da “General Biblical Introduction” por Herbert Miller (1937), com informação adicionalde outras fontes.- O pergaminho deve ser feito da pele de animais limpos; deve ser elaborado somente por umúnico judeu, e as peles devem ser presas por tiras colhidas de animais limpos.- Cada coluna não deve ter menos de 48 nem mais de 60 linhas. A cópia toda deve ser alinhadaprimeiro.- A tinta não deve ser de outra cor além de preto, e deve ser preparada de acordo com umareceita especial.- Nenhuma palavra ou letra pode ser escritas da memória; o escriba deve ter uma cópia autênticadiante dele, e ele deve ler e pronunciar em voz alta cada palavra antes de escrevê-la.- Ele deve reverentemente limpar sua pena cada vez antes de escrever a palavra "Deus" (Elohim)e deve lavá-la inteira antes de escrever o nome "Jeová" para que o Santo Nome não sejacontaminado.- Cada palavra e cada letra era contada, e se uma letra era omitida, ou uma extra inserida, ou seuma letra tocasse outra, essa seção do manuscrito era condenada e destruída.Um manuscrito Massorético hebraico do Gênesis contém 4.395 linhas em 43 colunas, com 27.713palavras e 78.100 letras.Miller conclui com esta observação: "Algumas dessas regras podem parecer radicais e absurdas,mas mostram o quão sagrado era a Palavra de Deus do Antigo Testamento sob a sua custódia, dosjudeus (Rm 3:2), e eles nos dão forte incentivo a acreditar que TEMOS O VERDADEIRO ANTIGOTESTAMENTO, O MESMO QUE O NOSSO SENHOR TINHA E QUE FOI ORIGINALMENTE DADO PORINSPIRAÇÃO DE DEUS "(General Biblical Introduction, 1937, p. 185).

×