Literatura Brasileira: Romance Nordestino de 30.

1.343 visualizações

Publicada em

Slides para aula de literatura. Capítulo 4, Português Linguagens 3.

Publicada em: Educação
1 comentário
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.343
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
44
Comentários
1
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Literatura Brasileira: Romance Nordestino de 30.

  1. 1.  Além de romancista era jornalista, ativista político integrante do PCB, Partido Comunista do Brasil (Fundado em 25 de março de 1922, seu símbolo, segundo seus estatutos, "é uma foice e um martelo, cruzados, simbo lizando a aliança operário- camponesa, sob os quais está escrita a legenda "Partido Comunista Brasileiro)
  2. 2.  A Era Vargas ocorreu entre 1930 e 1945, durante 15 anos seguidos em que Getúlio Vargas participou do Governo. Foi marcada por diversas mudanças feita por Vargas, tanto no aspecto social quanto no econômico.  O início da Era Vargas se deu quando Getúlio Vargas foi nomeado como presidente e obteve poderes praticamente ilimitados, dando a ele liberdade para mudanças profundas.  O fim da Era Vargas foi marcado por um golpe militar, em 29 de outubro de 1945.Em sua cidade natal, São Borja, várias mudanças ocorreram e Getúlio Vargas chegou a ser presidente novamente elegido pelo povo para fazer mais mudanças no país.
  3. 3.  Subversão : Ação ou efeito de subverter; prática de atos subversivos; revolta, insubordinação contra a autoridade, as instituições, as leis e os princípios estabelecidos.
  4. 4. O termo Gestapo vem da abreviação de Geheime Staatspolizei (Polícia secreta do Estado) e levou o governo nazista a expandir sua força para toda a Alemanha. Só não teve sucesso na Baviera, onde Heinrich Himmler, chefe da SS, era o presidente de polícia e usava as forças locais da SS como polícia política.  No livro, Graciliano descreve a companhia dos mais variados tipos encontrados entre os presos políticos: descreve, entre outros acontecimentos, a entrega de Olga Benário para a Gestapo, insinua as sessões de tortura aplicadas a Rodolfo Ghioldi e relata um encontro com Epifrânio Guilhermino, único sujeito a assassinar um legalista no levante comunista do Rio Grande do Norte.
  5. 5.  Senso estético: aspecto de estrutura e linguagem;  Senso sociológico: análise dos problemas que envolvem o homem e suas relações sociais;  Senso psicológico: análise interior.
  6. 6.  Primeiro romance de Graciliano Ramos, Caetés foi publicado inicialmente em 1933. João Valério, o personagem principal, introvertido e fantasioso, apaixona-se por Luisa, mulher de Adrião, dono da firma comercial em que trabalha. O caso amoroso é denunciado por uma carta anônima, levando o marido traído ao suicídio. Arrependido, João Valério, afasta-se de Luisa, continuando, porém, co mo sócio da firma
  7. 7.  Narrado em 1ª pessoa, conta a história de Paulo Honório, homem pobre que realiza o sonho de comprar a Fazenda São Bernardo, a partir daí ele se casa com Madalena, mulher justa e sensata que acaba não suportando a pressão e o ciúme do marido. Paulo Honório, reflexivo, resolv e escrever sobre sua trajetória, dando origem ao livro.
  8. 8.  A obra é inspirada em muitas histórias que Graciliano acompanhou na infância sobre a vida de retirantes, na história, o pai de família Fabiano acompanhado pela cachorra Baleia, estes são considerados os personagens mais famosos da literatura brasileira.  Escrito em terceira pessoa, Graciliano não focaliza os efeitos do flagelo da seca através da crítica mas em narrar a fuga da família, a desonestidade do patrão e arbitrariedade da classe dominante, impossibilitada de adquirir o mínimo de sobrevivência.
  9. 9.  Nasceu na Paraíba  Fez Direito em Recife  Atuou como promotor em Maceió  Conviveu com Graciliano Ramos e Raquel de Queiroz  Fez parte da Academia Brasileira de Letras.*
  10. 10.  É uma instituição literária brasileira fundada na cidade do Rio de Janeiro em 20 de julho de 1897 por escritores como Machado de Assis, Lúcio de Mendonça, Inglês de Souza,Olavo Bilac, Afonso Celso, Graça Aranha, Medeiros e Albuquerque, Joaquim Nabuco, Teixeira de Melo, Visconde de Taunay e Ruy Barbosa.  Composta por quarenta membros efetivos e perpétuos e por vinte sócios estrangeiros.  Tem por fim o cultivo da língua portuguesa, comum a Portugal e ao Brasil, e da literatura brasileira.  É-lhe reconhecida como tendo desenvolvido esforços em prol da unificação do idioma, do português brasileiro e do português europeu, nomeadamente teve um papel importante no Acordo Ortográfico de 1945, conseguido em conjunto com a Academia das Ciências de Lisboa.  Assim como foi de novo um interlocutor fundamental no ainda "polêmico" Acordo Ortográfico de 1990.  É responsável pela edição de obras de grande valor histórico e literário, e atribui diversos prêmios literários.
  11. 11.  É atribuído a José Lins do Rego a invenção de um novo romance moderno brasileiro.O conjunto de sua obra é um marco histórico na literatura regionalista por representar o declínio do Nordeste canavieiro. Alguns críticos acreditam que o autor ajudou a construir uma nova forma de escrever fundada na "obtenção de um ritmo oral", que foi tornada possível pela liberdade conquistada e praticada pelos modernistas de 1922.  Sua magnum opus, Fogo Morto (1943), é visto como o "romance dos grandes personagens. O crítico de literatura Massaud Moisés escreveu que esta obra- prima de José Lins "é uma das mais representativas não só da ficção dos anos 30 como de todo o Modernismo."
  12. 12.  1932 -Menino de engenho  1933 -Doidinho  1936 -Histórias da Velha Totonha, seu único livro infantil.  1942 -Fogo Morto
  13. 13.  Narrado em 1ª pessoa por Carlos Melo (personagem), que aponta suas tensões sociais envolvidas em um ambiente de tristeza e decadência, é o primeiro livro do ciclo da cana-de-açúcar.  É a história típica, natural e sem retoques de uma criança, Carlos, órfão de pai e mãe, que, aos oito anos de idade, vem viver com o avô, o maior proprietário de terras da região - coronel José Paulino.  Carlos é criado sem a repressão familiar e mesmo sem os cuidados e atenções que lhe seriam necessários diante das experiências da vida. Vê o mundo, aprende o bem e o mal e chega a uma provável precocidade acerca dos hábitos que lhe eram "proibidos", mas inevitáveis de serem adquiridos.
  14. 14.  O romance, narrado em terceira pessoa, é dividido em três partes. Cada uma conta com seu próprio protagonista, como se fossem três histórias distintas e sucessivas. Os três protagonistas, conforme atesta Bosi, "são expressões maduras dos conflitos humanos de um Nordeste decadente".
  15. 15.  Os personagens principais se interrelacionam durante toda a narrativa. Estes são:  Mestre José Amaro  Coronel Lula de Holanda  Capitão Vitorino (que é considerado o personagem mais bem construído da literatura brasileira)
  16. 16.  Na primeira parte, o mestre José Amaro, seleiro orgulhoso e conservador, espalha rancor à sua volta. Temido pelo povo da várzea por sua aparência horrível e pela raiva acumulada, ele surra a filha histérica com o intuito de cura- la,e também maltrata a esposa.
  17. 17.  Na segunda parte do romance, o coronel Lula de Holanda, também orgulhoso, não consegue fazer prosperar o engenho que recebera de herança. Autoritário, não permite que nenhum homem se aproxime da filha, que permanece melancólica e solteirona. Depois de sofrer um ataque de epilepsia na igreja, torna-se devoto. Gasta todo o dinheiro que lhe restou. Por fim, leva o engenho a fogo morto (propriedade que não produz mais).
  18. 18.  Na terceira parte o capitão Vitorino, senhor de engenho que acreditava que a lua era Nossa Senhora Aparecida e que escravos negros eram animais que mereciam sofrer.... O Mestre José amaro se mata na sala da casa dele.
  19. 19.  Depois de uma trajetória de mudanças e sofrimentos familiares, Jorge Amado se forma em Direito na Foi para o Rio de Janeiro, então a capital do País, para estudar na Faculdade de Direito da então Universidade do Rio de Janeiro, atual Faculdade Nacional de Direito na Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ)
  20. 20.  Durante a década de 1930, a faculdade era um pólo de discussões políticas e de arte, tendo ali travado seus primeiros contatos com o movimento comunista organizado.  Tornou-se um jornalista, e envolveu-se com a política ideológica tornando-se um comunista, como muitos de sua geração.  Em 1945, foi eleito deputado federal pelo Partido Comunista Brasileiro (PCB)
  21. 21.  Ele é o autor mais adaptado da televisão brasileira, verdadeiros sucessos como Tieta do Agreste, Gabriela, Cravo e Canela e Teresa Batista Cansada de Guerra são criações suas, além de Dona Flor e Seus Dois Maridos e Tenda dos Milagres 
  22. 22.  A obra literária de Jorge Amado conheceu inúmeras adaptações para cinema, teatro e televisão, além de ter sido tema de escolas de samba por todo o Brasil.  Seus livros foram traduzidos em 55 países, em 49 idiomas, existindo também exemplares em braille e em fitas gravadas para cegos.
  23. 23. * Este prémio é considerado o mais importante prémio literário destinado a premiar um autor de língua portuguesa pelo conjunto da sua obra.  Durante a sua vida, Jorge Amado escreveu 42 livros, alguns deles adaptados para novelas de televisão e para o cinema.  Amado foi superado, em número de vendas, apenas por Paulo Coelho. Mas em seu estilo - o romance ficcional -, não há paralelo no Brasil. Em1994, viu sua obra ser reconhecida com o Prêmio Camões*
  24. 24.  1ª Romance Proletário: primeiro momento das águas-fortes da vida baiana, rural e citadina. Principais obras desta fase: Cacau e Suor.
  25. 25. Significado de Lirismo s.m. Inspiração lírica: o lirismo de Álvares de Azevedo. Exaltação dos sentimentos pessoais.  2ª Lirismo engajado: depoimentos líricos e sentimentais espraiados em torno de rixas e amores marinheiros. Principais obras desta fase: Jubiabá, Mar Morto e Capitães da Areia. 
  26. 26.  Um grupo de escritos de pregação partidária. ( O mundo da Paz , O Cavaleiro da Esperança*)
  27. 27. Luiz Carlos Prestes
  28. 28.  *O cavaleiro da esperança louva a dignidade e o heroísmo do maior líder revolucionário brasileiro. O sentimento de injustiça falou cedo ao coração de Prestes, que em sua carreira militar, na juventude, deu início a uma das trajetórias mais singulares da política nacional.  Em 1924, iniciou a marcha de cerca de 25 mil quilômetros que ficou conhecida como Coluna Prestes.  Viveu na Bolívia, no Uruguai e na União Soviética.  Em 1935, fundou a Aliança Nacional Libertadora e liderou a Intentona Comunista.  Em 1936, foi detido junto com a mulher, Olga Benário, grávida da filha do casal, Anita Leocádia. Ainda encontrava-se preso, em 1942, enquanto Jorge Amado escrevia este perfil biográfico.
  29. 29.  4ª fase : Região do Cacau: grandes "pinturas" da região do cacau, com tom épico retratando as lutas entre coronéis e exportadores. Principais obras desta fase: Terras do Sem- Fim e São Jorge dos Ilhéus.
  30. 30.  5ª fase Fase desengajada: fase sem engajamento de esquerda, mais focado no "pitoresco", no "saboroso", no "gorduroso", no "apimentado". Tendo criado novelas regionalistas, como se fossem um guia expresso da Bahia. Principais obras desta fase: Gabriela, Cravo e Canela e Dona Flor e Seus Dois Maridos.

×