Sumário 
Introdução .........................................................................................................
4 
Introdução 
Tendo em vista um projeto de ponte, relacionou-se a passagem de nível, 
que foi estudado no seguinte trabal...
5 
1-ESPECIFICAÇÕES 
No estudo do referente projeto de fundação, consideramos em geral a 
fundação dos pilares, onde algum...
O tipo de estaca mais adequado à utilização no local são as estacas 
pré-moldadas de concreto armado. Tal afirmação é base...
7 
 Volume²=(2,10x2x0.06)x4= 1.1m³ 
 Peso=(0,4536+1,1)x7,8= 12,2 tf 
2.2-Peso da passarela 
 Pv=(38x0,20x0,80)x2,5x(2)=...
Para os pilares os cálculos de estaca chegaram a um valor, que 
dimensionou o valor de 5 estacas para cada pilar, ou seja ...
9
10 
3-CONCLUSÃO 
Contudo, sabe-se que fundação são os elementos estruturais destinados 
a transmitir ao terreno as cargas ...
11 
4-REFERÊNCIA BIBLIOGRAFICAS 
CARVALHO, R. Chst. Cálculo e detalhamento de estruturas usuais de 
concreto vol.2, 2ºediç...
12 
ANEXO 1: Planta baixa da passagem de nível:
13 
ANEXO 2: Corte A-A:
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Pontes construçaõ trabelho cientifico

252 visualizações

Publicada em

trabalho muito bom para estudantes de engenharia.

Publicada em: Tecnologia
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
252
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
1
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Pontes construçaõ trabelho cientifico

  1. 1. Sumário Introdução ..................................................................................................................................... 4 1-ESPECIFICAÇÕES ......................................................................................................................... 5 1.1-Criterios e escolha da fundação .......................................................................................... 5 2-MEMORIAL DE CALCULO ............................................................................................................ 6 2.1-Peso do elevador ................................................................................................................. 6 2.2-Peso da passarela ................................................................................................................ 7 3-CONCLUSÃO ............................................................................................................................. 10 4-REFERÊNCIA BIBLIOGRAFICAS .................................................................................................. 11 ANEXO 1: Planta baixa da passagem de nível: ..................................................................... 12 ANEXO 2: Corte A-A: ............................................................................................................ 13 3
  2. 2. 4 Introdução Tendo em vista um projeto de ponte, relacionou-se a passagem de nível, que foi estudado no seguinte trabalho, onde a construção da passarela esta em andamento, onde o proprietário é a rede de shopping Ponta Negra. Localizado na Av. Coronel Teixeira. Foi observado a parte de projeto de fundações, o sistema de fundação adotado pelo os acadêmicos de engenharia civil da FAMETRO, foi a fundação indireta, mais precisamente hélice continua, moldada “in loco”. Palavra chave: Fundação, Estaca, Solo.
  3. 3. 5 1-ESPECIFICAÇÕES No estudo do referente projeto de fundação, consideramos em geral a fundação dos pilares, onde algumas cargas foram estimadas, mais alicerçadas em normas da ABNT. Ao optar por uma passagem de nível, eliminamos muitos fatores que em geral são muitos complexos e difíceis. Como alguns tipos de erosão, o curso de agua. Abaixo podemos visualizar como ira fica a referida passarela, figura1: A mesma tem 30,7m de vão livre e 7 metros de altura, com duas vigas de aço, e com as barras de aço em forma de tirante, sendo uma estrutura de grande valor aquisitivo. 1.1-Criterios e escolha da fundação Tendo caracterizado desta maneira o perfil geotécnico do local de execução dos serviços, temos como alternativas para utilização de fundações os seguintes sistemas construtivos:  Estacas cravadas pré-moldadas de concreto armado;  Estacas escavadas tipo strauss;  Estacas tipo hélice contínua.
  4. 4. O tipo de estaca mais adequado à utilização no local são as estacas pré-moldadas de concreto armado. Tal afirmação é baseada no perfil de sondagem obtido no local e nas cargas definidas pelo projeto estrutural. As dimensões e profundidades das estacas estão definidas na Prancha PF01 do projeto de Fundações. Podemos apresentar as seguintes vantagens na execução de estacas pré-moldadas de concreto armado: 6 • Podem ser cravadas com uma nega e comprimento pré-determinados; •Estável em solos compressíveis como as argilas moles; •O material da estaca pode ser inspecionado antes da cravação; •O procedimento executivo não é afetado pelo lençol freático; •Pode ser cravada com grandes comprimentos; •Pode ser transportada acima do nível do terreno, As desvantagens são: • O inchamento e a alteração do solo circundante podem causar dificuldades na cravação; •Não se pode modificar o comprimento com rapidez; •Pode sofrer danos durante a cravação; •A armadura pode ser determinada pelas exigências de levantamento e transporte, e não pelas tensões causadas pelas cargas estruturais; •Não pode ser cravada com seções muito grandes ou em locais onde haja limitações de altura para equipamento; •Barulho, vibração e deslocamentos do solo podem causar transtornos aos vizinhos. 2-MEMORIAL DE CALCULO 2.1-Peso do elevador  Volume¹= (2,10x1,80x0,06)x2= 0,4536m³
  5. 5. 7  Volume²=(2,10x2x0.06)x4= 1.1m³  Peso=(0,4536+1,1)x7,8= 12,2 tf 2.2-Peso da passarela  Pv=(38x0,20x0,80)x2,5x(2)= 30.5 tf  PL=(4x4x2x.07x2.5)= 5,6 tf  Pc=(76x.15)= 11,4 tf  Pp= (0.15²x3,1416x2,5)x5x4= 3,6 tf  Sc=.5x76= 38 tf  Ppi=76x0.2= 15,2 tf  Ptiran=3x0,10x0,15x36x7,8= 12,64 tf  Carga total= 130 tf A tensão admissível do solo da área foi adquirida por processo de sondagens, a resistência do solo: 4kg/cm², na qual o solo ali existente foi caracterizado como uma argila-siltosa. Como mostra a figura abaixo:
  6. 6. Para os pilares os cálculos de estaca chegaram a um valor, que dimensionou o valor de 5 estacas para cada pilar, ou seja temos dois pilares, então teremos 10 estacas de 6,00m cada, e os blocos é quadrado e tem-se 0,8m de arestas, mais o seu comprimento é de 2m. como podemos observar, ao fim da concretagem da estaca. A cravação de estacas através de terrenos resistentes à sua penetração pode ser auxiliada com jato d’água ou ar (processo denominado “lançagem”) ou através de perfurações. Estas perfurações podem ter suas paredes suportadas ou não, e o suporte pode ser um revestimento a ser recuperado ou a ser perdido, ou lama estabilizante. De qualquer maneira, quando se tratar de estacas trabalhando. Antes da cravação pode-se controlar e garantir a qualidade do concreto armado. Facilidade de execução em terrenos que apresentam elevado nível do lençol freático. Foram utilizadas estacas diferenciadas das dos pilares, para o elevador como mostra a figura abaixo: 8
  7. 7. 9
  8. 8. 10 3-CONCLUSÃO Contudo, sabe-se que fundação são os elementos estruturais destinados a transmitir ao terreno as cargas de uma estrutura. Onde conclui-se que para cada obra, dependendo do tipo de solo, usa-se diferentes tipos de fundação direta ou superficial, uma vez que, o projete deve gerar segurança e economia, tendo de viabilizar os diversos fatores que na construção civil agrega. Fixa que pontes, passagem de nível, sempre será um tipo de fundação indireta, tendo em vista o fluxo de veículos e pessoas e consequentemente a característica do solo.
  9. 9. 11 4-REFERÊNCIA BIBLIOGRAFICAS CARVALHO, R. Chst. Cálculo e detalhamento de estruturas usuais de concreto vol.2, 2ºedição. Ed. PINI: São Paulo,2013; VELOSO, D. de Alencar. Fundação vol.1: Critérios de projeto; 2ºed. São Paulo: editora oficina doa textos, 2011; AZEVEDO, H. Alves. O edifício ate sua cobertura- 2ºedição; São Paulo: editora Blucher, 1997.
  10. 10. 12 ANEXO 1: Planta baixa da passagem de nível:
  11. 11. 13 ANEXO 2: Corte A-A:

×