EDUCAR PARA A
    DIVERSIDADE
E PARA A CIDADANIA:
SUPERANDO O RACISMO, AS
    DISCRIMINAÇÕES,
     INTOLERÂNCIAS,
 HOMOFOB...
Profª. Mestra

        Francisca Nascimento
franascimento@superig.com.br
         SEMEC / FSA
DIVERSIDADE HUMANA


• UMA   SÓ   RAÇA

• DIFERENTES POVOS

• MÚLTIPLAS ETNIAS
“O Belo e   o Feio: uma questão de olhar”
O QUE VEMOS
    NAS ESCOLA ?
 ILUSTRAÇÕES COLETADAS
DURANTE ATIVIDADE coleta DE
  DADOS PARA PESQUISA EM
          ESCOLA
CARTÕES DIA DAS MÃES
CARTÕES DIA DAS
    MÃES
PAINEL DO    PAINEL DA RECEPÇÃO
FEREITÓRIO
PAINEL DO AUDITÓRIO
FESTA JUNINA – PÁTIO
DIA DOS PAIS




CORAL DE ALUNAS – PAINEL AO FUNDO
ILUSTRAÇÃO CADERNO DE
       ALUNO
Educação cidadã
• Anos 80 – A retomada
• Retomada do movimento popular,social e
  sindical.  Greves     e     manifestaçõe...
• Nesse contexto de reorganização da
  sociedade civil sai fortalecida a luta pela
  democratização e universalização da
 ...
• 3 - A questão da autonomia e da identidade
  do professor;

•    4 - A importância da formação inicial e
    continuada ...
► A questão da diversidade/pluralidade cultural,
 “que diz respeito ao conhecimento e valorização das
 características étn...
Compreendendo e discutindo
    Alguns conceitos
      fundamentais

    para a construção

      da diversidade
PRECONCEITO

• Conjunto de idéias e concepções pré
  adquiridas e geralmente carregadas de
  sentidos negativos e desvalor...
RACISMO
• Refere-se à idéia de hierarquização dos
  povos a partir do pressuposto da existência
  de raças humanas inferio...
DISCRIMINAÇÃO
• É a prática do preconceito e do racismo.
  Enquanto esses dois situam-se mais no
  campo das idéias, a dis...
INTOLERÂNCIA

• Doutrina que não admite opiniões
  divergente das suas em questões
  religiosas, políticas, sociais e cult...
HOMOFOBIAS

• Aversão, ódio generalizado    contra
  pessoas homossexuais, gays, lésbicas,
  travestis etc..

• Repulsa fa...
XENOFOBIA
• Aversão      a    estrangeiros,  imigrantes,
  refugiados. Fenômeno comum nos países
  europeus contra imigran...
• Goffman (1988) discute essas representações
  discriminatórias sob o ponto de vista do
  estigma enquanto “atributo prof...
Os estigmas de raça, nação ou religião:

   Caracteriza-se pela possibilidade de ser
 “transmitido   através   da    linha...
COMO SE REPRODUZEM E SE

CONSOLIDAM OS PRECONCEITOS

E AS DISCRIMINAÇÕES NO ESPAÇO

  ESCOLAR ? E NA SOCIEDADE?
1- Um instrumento importante no processo de
    elaboração dos conceitos, pré-conceitos, valores e
    estereótipos acerca...
Linguagem verbal: escrita ou falada
• Branco. “Diz-se do indivíduo da raça branca.
  Sem mácula, inocente, puro, cândido, ...
Linguagem não-verbais
Brinquedos e brincadeiras
 Canções I                  Canção II
Boi, boi, boi            Plantei uma cebolinha
Boi da cara...
• 2 – Através de uma realidade sócio-
    econômica     onde     o     contingente
    populacional negro[1] (pretos e par...
• POPULAÇÃO NEGRA BRASILEIRA: 47%.
• NIVEL DE RENDA:
• Nos10% mais pobres da população:
• 35% são branco e 65% são negros....
.O rendimento médio nacional em salários
  mínimos:
  -Homem branco: 6,3 -Homem negro:2,9

  -Mulher branca:3,6     -Mulhe...
NÍVEL DE ESCOLARIDADE
• Jovens de 15 a 24 anos, 50% de brancos
  estavam cursando o ensino médio, este mesmo
  percentual ...
ALGUNS SUPORTES LEGAIS

    ANTI RACISMO E

    DISCRIMINAÇÃO
• LEIS NACIONAIS:

• ►A Constituição Federal de 1988, no seu artigo
  5º que torna “a prática do racismo crime
  inafiançá...
►A lei 10.639/03 “Altera a Lei 9394/96 (LDB)
 para incluir no currículo oficial da Rede de
 Ensino a obrigatoriedade da te...
LEIS MUNICIPAIS
• Vários municípios já constam leis anti racista e de
  reconhecimento da diversidade brasileira como:
  S...
PROPOSIÇÕES PARA A SUPERAÇÃO DAS

DISCRIMINAÇÕES E DO RACISMO NA ESCOLA


• ►Discutir, no âmbito da escola, os preconceito...
• ►Estudar criticamente as leis referentes a
  racismo, discriminação e intolerância,
  organizando seminários e situação ...
• ►Evitar expor as crianças negras para
  representar personagens já estereotipado
  como escravos, serviçais e personagen...
• ►Realizar estudos sobre a história da África
 ( conforme a Lei 10.639/93) e das Américas
 pré colonização, com vistas a ...
• ►Cuidar para que expressões verbais tidas
  como naturais não venham reforçar o
  racismos e as discriminações: apelidos...
• Escolher criticamente os livros e demais
  materiais didáticos (conforme orientações
  dos PCN’s e da LDB) repudiando aq...
Educar Para A Diversidade   SimpóSio Paraná (2)
Educar Para A Diversidade   SimpóSio Paraná (2)
Educar Para A Diversidade   SimpóSio Paraná (2)
Educar Para A Diversidade   SimpóSio Paraná (2)
Educar Para A Diversidade   SimpóSio Paraná (2)
Educar Para A Diversidade   SimpóSio Paraná (2)
Educar Para A Diversidade   SimpóSio Paraná (2)
Educar Para A Diversidade   SimpóSio Paraná (2)
Educar Para A Diversidade   SimpóSio Paraná (2)
Educar Para A Diversidade   SimpóSio Paraná (2)
Educar Para A Diversidade   SimpóSio Paraná (2)
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Educar Para A Diversidade SimpóSio Paraná (2)

3.333 visualizações

Publicada em

0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
3.333
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
12
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
77
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Educar Para A Diversidade SimpóSio Paraná (2)

  1. 1. EDUCAR PARA A DIVERSIDADE E PARA A CIDADANIA: SUPERANDO O RACISMO, AS DISCRIMINAÇÕES, INTOLERÂNCIAS, HOMOFOBIA E XENOFOBIA
  2. 2. Profª. Mestra Francisca Nascimento franascimento@superig.com.br SEMEC / FSA
  3. 3. DIVERSIDADE HUMANA • UMA SÓ RAÇA • DIFERENTES POVOS • MÚLTIPLAS ETNIAS
  4. 4. “O Belo e o Feio: uma questão de olhar”
  5. 5. O QUE VEMOS NAS ESCOLA ? ILUSTRAÇÕES COLETADAS DURANTE ATIVIDADE coleta DE DADOS PARA PESQUISA EM ESCOLA
  6. 6. CARTÕES DIA DAS MÃES
  7. 7. CARTÕES DIA DAS MÃES
  8. 8. PAINEL DO PAINEL DA RECEPÇÃO FEREITÓRIO
  9. 9. PAINEL DO AUDITÓRIO
  10. 10. FESTA JUNINA – PÁTIO
  11. 11. DIA DOS PAIS CORAL DE ALUNAS – PAINEL AO FUNDO
  12. 12. ILUSTRAÇÃO CADERNO DE ALUNO
  13. 13. Educação cidadã • Anos 80 – A retomada • Retomada do movimento popular,social e sindical. Greves e manifestações demonstram a imensa insatisfação popular. • Resgate dos direitos civis e políticos perdido nos anos de chumbo da ditadura militar;
  14. 14. • Nesse contexto de reorganização da sociedade civil sai fortalecida a luta pela democratização e universalização da educação básica, destacando: 1- A garantia do acesso e permanência das classes populares na escola 2 - A problemática da profissionalização docente com vistas a redefinir um novo perfil do profissional da educação;
  15. 15. • 3 - A questão da autonomia e da identidade do professor; • 4 - A importância da formação inicial e continuada (LDB/96) • 5 - A valorização salarial, dentre outras (RAMALHO, 2003, p.61). Todavia, surgem ainda novas prioridade:
  16. 16. ► A questão da diversidade/pluralidade cultural, “que diz respeito ao conhecimento e valorização das características étnicas e culturais dos diferentes grupos sociais que convivem no território nacional” (PCN, n.10, p.19); ► A inclusão na escola dos que convivem com algum tipo de necessidade especial, seja física ou mental. ►A questão da livre orientação sexual
  17. 17. Compreendendo e discutindo Alguns conceitos fundamentais para a construção da diversidade
  18. 18. PRECONCEITO • Conjunto de idéias e concepções pré adquiridas e geralmente carregadas de sentidos negativos e desvalorativos. Esses conceitos podem entranhar-se de tal modo na consciência do sujeito que acabam por ser considerados corretos verdadeiros e naturais.
  19. 19. RACISMO • Refere-se à idéia de hierarquização dos povos a partir do pressuposto da existência de raças humanas inferiores e superiores. Combinam violência física e psicológica • É a negação do(a) outro(a) como ser, como pessoa, podendo levar à eliminação física e cultural do vitimado. Ex: o nazismo e o escravismo, o apartheid etc.
  20. 20. DISCRIMINAÇÃO • É a prática do preconceito e do racismo. Enquanto esses dois situam-se mais no campo das idéias, a discriminação efetiva-se na prática. Quando os indivíduos são colocados em situação de desvantagem ou até mesmo impedidos de participarem em pé de igualdade das oportunidades e dos bens sociais.
  21. 21. INTOLERÂNCIA • Doutrina que não admite opiniões divergente das suas em questões religiosas, políticas, sociais e culturais. • Intransigência.
  22. 22. HOMOFOBIAS • Aversão, ódio generalizado contra pessoas homossexuais, gays, lésbicas, travestis etc.. • Repulsa face às relações afetivas e sexuais entre pessoas do mesmo sexo.
  23. 23. XENOFOBIA • Aversão a estrangeiros, imigrantes, refugiados. Fenômeno comum nos países europeus contra imigrantes de países asiáticos, africanos ou latinos. • As discriminações regionais como dos sulistas em relação aos nordestinos é uma espécie de xenofobia nacional.
  24. 24. • Goffman (1988) discute essas representações discriminatórias sob o ponto de vista do estigma enquanto “atributo profundamente depreciativo” e que ao depreciar uns está, geralmente, contribuindo para confirmar a valorização de outros considerados normais Segundo este autor, há três tipos de estigma: • 1) os de deformações físicas; • 2) os de culpa ou caráter individual • 3) os de raça, nação ou religião.
  25. 25. Os estigmas de raça, nação ou religião: Caracteriza-se pela possibilidade de ser “transmitido através da linhagem e contaminar por igual todos os membros de uma família” . No caso dos negros, pode-se dizer: de toda uma raça ou etnia.
  26. 26. COMO SE REPRODUZEM E SE CONSOLIDAM OS PRECONCEITOS E AS DISCRIMINAÇÕES NO ESPAÇO ESCOLAR ? E NA SOCIEDADE?
  27. 27. 1- Um instrumento importante no processo de elaboração dos conceitos, pré-conceitos, valores e estereótipos acerca das pessoas, dos grupos sociais e do mundo são as linguagens: verbais e não-verbais. Implícita e subjacente. • 1.1. A iconográfica, a gestual, a cenográfica, etc.). • 1.2. Os brinquedos e brincadeiras; • 1.3. As histórias infantis • 1.4. Os padrões estéticos de pessoa e de beleza • 1.5. Os conteúdos escolares • 1.6. As expectativas em relação aos alunos
  28. 28. Linguagem verbal: escrita ou falada • Branco. “Diz-se do indivíduo da raça branca. Sem mácula, inocente, puro, cândido, ingênuo: alma branca” (Aurélio 1986). • Negro: "Diz-se do indivíduo da raça negra; Sujo, encardido.Brinquedos e brincadeiras Maldito, perverso. Escravo" (op. cit.). • Assim também refere-se aos derivados da palavra como por exemplo negrada, definido como “grupos de indivíduos dados a pândegas ou desordens".
  29. 29. Linguagem não-verbais
  30. 30. Brinquedos e brincadeiras Canções I Canção II Boi, boi, boi Plantei uma cebolinha Boi da cara preta no meu quintal Pega essa menina Nasceu um neguinha de avental Que tem medo de careta Dança neguinha Eu não sei dançar Pega o chicote que essa nega dança já.
  31. 31. • 2 – Através de uma realidade sócio- econômica onde o contingente populacional negro[1] (pretos e pardos) ainda se encontra em desvantagem em todos os índices de desenvolvimento humano (IDH), como demonstra os dados do IBGE / 2002, vejamos: • [1]Estamos inserindo na categoria negros todos os classificados pelo IBGE/2002 como pretos e pardos.
  32. 32. • POPULAÇÃO NEGRA BRASILEIRA: 47%. • NIVEL DE RENDA: • Nos10% mais pobres da população: • 35% são branco e 65% são negros. • 1% mais ricos: 86% são brancos e apenas 14% são negros. • 70% dos brasileiros que se encontram abaixo da linha de pobreza são negros.
  33. 33. .O rendimento médio nacional em salários mínimos: -Homem branco: 6,3 -Homem negro:2,9 -Mulher branca:3,6 -Mulher negra: 1,7 • Das mulheres negras ocupadas 79,4% desenvolvem atividades manuais tais como: doméstica, lavadeiras, passadeiras, cozinheiras e serventes.
  34. 34. NÍVEL DE ESCOLARIDADE • Jovens de 15 a 24 anos, 50% de brancos estavam cursando o ensino médio, este mesmo percentual de negros (pretos e pardos) ainda cursavam o Ensino Fundamental. • 21,7% da população branca fazem universidade e apenas 5,6% de negros.
  35. 35. ALGUNS SUPORTES LEGAIS ANTI RACISMO E DISCRIMINAÇÃO
  36. 36. • LEIS NACIONAIS: • ►A Constituição Federal de 1988, no seu artigo 5º que torna “a prática do racismo crime inafiançável e imprescritível” • ►A lei 3.198/2000, que institui o “Institui o Estatuto da Igualdade Racial, em defesa dos que sofrem preconceitos ou discriminação em função de sua etnia, raça ou cor”.
  37. 37. ►A lei 10.639/03 “Altera a Lei 9394/96 (LDB) para incluir no currículo oficial da Rede de Ensino a obrigatoriedade da temática “História e cultura Afro-Brasileira” e institui o Dia 20 de Novembro como o Dia Nacional da Consciência negra ► III Conferência Mundial de Combate ao Racismo, discriminação Racial, Xenofobia e Intolerância Correlata, Durban – África do Sul / 2001
  38. 38. LEIS MUNICIPAIS • Vários municípios já constam leis anti racista e de reconhecimento da diversidade brasileira como: Salvador, Belo Horizonte, Porto Alegre, Aracaju e Teresina. • A Lei Orgânica do Município de Teresina, 1999, art. 223; inciso IX, estabelece a “garantia de educação igualitária, com eliminação de estereótipos sexuais, racistas e sociais dos livros didáticos , em atividades curriculares e extra- curriculares” ( SANTOS, 2005). E ainda:
  39. 39. PROPOSIÇÕES PARA A SUPERAÇÃO DAS DISCRIMINAÇÕES E DO RACISMO NA ESCOLA • ►Discutir, no âmbito da escola, os preconceitos e as discriminações que ainda persistem na sociedade contra grupos estigmatizados como: mulheres, gays, negros, pessoas que convivem com alguma necessidade especial e etc., conforme orientação dos PCN, denunciando e até mesmo punindo o crime de discriminação, racismo, xenofobia e intolerância em geral.
  40. 40. • ►Estudar criticamente as leis referentes a racismo, discriminação e intolerância, organizando seminários e situação de trocas de opiniões com crianças e adolescentes; • ►Valorizar nas mais diversas situações as diferenças e particularidades naturais dos alunos: cultura, religião, cor, cabelos, traços físicos, negando o engodo de um padrão único de beleza;
  41. 41. • ►Evitar expor as crianças negras para representar personagens já estereotipado como escravos, serviçais e personagens subalternos. Isto reforça as discriminações; • ►Destacar, nos estudos sobre o Brasil, o povo negro enquanto construtor importante da nação, não só como mão de obra, mas também como ser pensante que, assim como os europeus, já tinham um acúmulo de conhecimento no campo das artes, da ciência, da geografia, da arquitetura e etc.
  42. 42. • ►Realizar estudos sobre a história da África ( conforme a Lei 10.639/93) e das Américas pré colonização, com vistas a um maior conhecimento da história passada e atual destes povos; • ►Dar destaque às lutas do povo negro como exemplo de reação ao Estado opressor, vinculando a discriminação e o racismo a crime de violação dos direitos humanos;
  43. 43. • ►Cuidar para que expressões verbais tidas como naturais não venham reforçar o racismos e as discriminações: apelidos, comparações, relações de cores e até “brincadeiras”. • ►Garantir a representação efetiva dos alunos negros em todas as atividades comemorativa da escola, além da presença destes em cartazes, painéis e ilustrações.
  44. 44. • Escolher criticamente os livros e demais materiais didáticos (conforme orientações dos PCN’s e da LDB) repudiando aqueles que discriminam, estigmatizam e/ou excluem grupos sociais como: mulheres, negros, gordos, camponeses, nordestinos etc.; • ►Prever, no Projeto Político, nos currículos e planejamentos escolares, ações valorativas que venham a contribuir para o resgate da auto-estima e para a valorização do(as) aluno(as) negro(as) e demais grupos discriminados;

×