Roteiro da Independência do Brasil - São Paulo Turismo

371 visualizações

Publicada em

Roteiro elaborado pela São Paulo Turismo, com dicas de locais relacionados à Independência do Brasil

Publicada em: Turismo
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
371
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
3
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
3
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Roteiro da Independência do Brasil - São Paulo Turismo

  1. 1. Comprometa-se com o meio ambiente. Adote os 3R na sua vida: Reduza, Reutilize, Recicle! Protect the environment. Make the 3 “RS” a part of your life: Reduce, Reuse, Recycle! Concepção / Project: São Paulo Turismo Projeto Gráfico / Graphic Project: Rômulo Castilho Diagramação / Graphic Design: Daniele Silva, Marília Uint, Rene Perol Mapas / Maps: Fluxo Design, Rene Perol Fotos /Photography: André Stéfano, Caio Pimenta, Jefferson Pancieri, José Cordeiro, Keko Pascuzzi, Marília Vasquez Ann Supervisão / Supervision: Fernanda Ascar, Paulo Amorim Conteúdo / Text Editing: Gabriel Rostey ROTEIRO TEMÁTICO / THEMATIC TOUR: Independência do Brasil Brazilian Independence Mapa / Map d Este folheto faz parte da série Roteiros Temáticos. Vivencie e explore São Paulo em roteiros autoguiados que oferecem ou- tras 8 perspectivas da cidade: Roteiro Afro, Arquitetura pelo centro histórico, Arte Urbana, O Café e a História da Cidade, Cidade Criativa, Ecorrural, Futebol e Mirantes. This brochure is part of the Thematic Tours series. Live and explore Sao Paulo through auto guided tours that provide 8 other perspectives of the city: Afro-Brazilian Tour, Architecture in Downtown, Street Art, Coffee and the History of São Paulo City, Eco Rural, Creative City, Football and Vistas. www.cidadedesaopaulo.com Tiragem: 5.000 exemplares / Impresso em Junho 2012 Printing: 5.000 copies / Printed in June 2012 São Paulo Turismo S/A Av. Olavo Fontoura, 1209 Parque Anhembi, São Paulo (SP), CEP 02012-021, Tel.: +5511 2226-0400 cidadedesaopaulo@spturis.com www.cidadedesaopaulo.com www.spturis.com www.anhembi.com.br www.autodromointerlagos.com www.visitesaopaulo.com O objetivo da São Paulo Turismo é promover a cidade de São Paulo de forma independente sem nenhum vínculo com os estabelecimentos mencionados. Algumas informações estão sujeitas a mudanças sem aviso prévio. / The goal of São Paulo Turismo is to promote the city of São Paulo in an independent way, and with no link to the establishments mentioned in this brochure. All the information in this brochure is subject to change without prior notice.
  2. 2. JÚLIO PRESTES MOOCA IPIRANGA SÉ ANHANGABAÚ PEDRO II BRÁS BRESSER-MOOCA SANTA CECÍLIA MAL. DEODORO REPÚBLICA SÃO BENTO LUZ LIBERDADE SÃO JOAQUIM VERGUEIRO PARAÍSO ANA ROSA VILA MARIANA CHÁCARA KLABIN BRIGADEIRO CONSOLAÇÃO AS PAULISTA TRIANON - MASP Av.Tir Av. Alcântara Machado cosArruda atumbi Av.doEstado-Pi sta Ce ntral Vd.D iário populaer Av. Sen. Queirós R. da Mooca R. da Mooca Av. Paes de Barros Av. do Estado Av.do Estado Av.DomPedroII Av.Mercúrio Av.Rio Branco R. Consolação Av. Paulista R.TrezedeMaio Av.Brasil Av Nove de Julho Av N ove de Julho R.Vergueiro Av. Vinte e Três de M aio R.RuiBarbosa Av. Radial Leste-Oeste Av.Naz Av.dasJuntasP .Colassuono Vd.Gde.S.Paulo R.Do R. Sena Madu Av. Ipiranga R. Maria Paula R. Sto. Antonio Av.doEstado R. Tabatinguera DA LUZ PARQUE D. PEDRO I PRAÇA D A REPÚ BLICA PRAÇA DA SÉ PRAÇA FRANKLIN ROOSEVELT PARQUE DA INDEPENDÊNCIA Largo Concórdia PARQUE IBIRAPUERA PARQUE TRIANON PARQUE ACLIMAÇÃO Largo do Cambuci Júnior R.Bresser R. Joli Av. Celso Garcia Av. Rangel Pestana . João Teodoro R. João Teodoro R. Oriente R. do Gasômetro R. Maria. Domitila R. Assunção R.Hip ódrom o R.GomesCardim R. Paula Sousa R.Piratininga R.DomingosPaiva R.CarneiroLeão Av.Pres.Wilson R. Herval R. Visc de Parnaíba R. Dom Bosco R. dos Trilhos R. dos Trilhos Av.HenryFord R. Serra de Paracaina R.Dom PedroII R. Taquari Av. Cassandoca R. Cuiabá R.Me.deDeus R.Tabajaras R.do Oratório R.Juventus Av.Dianápolis R.AgostinhoGomes R.CiprianoBarata R.CostaAguiar R.BomPastor R. Cisplatina R. Lorde Cockane R.SilvaBueno R R. Tabor R.Dr.MarioVicente deLim eira R.Sta.Ifigênia Av. São João Av. São João R. Aurora R.Brg.Tobias Av.PrestesMaia Al. Barros R.Traipu R.CnsoBrotero R.Tupi Av.Angélica Av. Hig ienópolis R. Piauí R.M artim Francisco R.Da.Veridiana Av.SãoLuís R.Dr.AlbuquerqueLins R.Bahia R. Alagoas R.Bauru R. M ariaAntonia R. Gen. Jardim Al. Noth R.Gustavo R. Itatia ra R.daCantareira R. Mauá R. Gen. Osório R.25deMarço R.Barãode Duprat R. dos Estudantes R.Glicério R.Tier R.GalvãoBueno R. Barão de Iguape Av.daLiberdade R.Vergueiro R.CnsoFurtado R. Pires da M ota R. do Lavapés R. Otto Alencar R.Da.AnaNéri R.BarãodeJaguara R. Diogo Vaz R.Taguá R.da In dependência R.MunizdeSousa R.TeodoroSouto R.Pais deAndrade R. Urano R.Apeninos Av.daAclimação R.Topázio R.PaulaNey R. do Paraíso R. Heitor Peixoto R.Ouv.Portugal R.PauloOrozimbo R. Cel. Diogo R.BrásCubas R. Júpiter R.PedraAzul Av.Eng.L.G.C.Sangirardi R.Da.Brígida R.GasparLo urenço R. O l iveiraLima R. M aranjaí R. Gaspar Fernandes R. Dr. Dolzani R.Fred.VonMartius Av. Lin sde Vasconcelos R. Vergueiro R. Pedro Pomponazzi R.Rodrigo Vieira R.Prof.S.Orlando R. da Im pressa R R. Gom es Nogueira R. Huet Bacelar R. Augusta R. Frei Caneca R. H addock Lobo R.Avanh andava Peixoto G om ide R.Padre J.M anuel Al. Lorena R. Bela C intra Al Franca Al. Itu Al. Santos Al. Jaú Al.Cam pinas R. Pam plona R.Joaquim .E.de Lim a Av.Brig.LuisAntonio Av.Brig .Luis Antonio R.H onduras R.M anuelda N óbrega Al. C asa Branca R. Sampaio Viana R.Tutóia R.Cubatão R.DomingosdeMoraes R. Afonso de Freitas R.TrezedeMaio Al. Ribeirão Preto R. Pedroso R.Maj.Diogo R.Itapeva R.Card.Leme R.MtoCardim R. Abílio Soares R. Estela Av. Cnso. R. Alves R.Rio Grande R. Joaquim Távora R. França Pinto R. Pelotas R. Dr Mario Cardim R. Gandavo s Pereira R.H.M artin s R.Ped R. Dr. Fabríci o Vampré R. Tutóia IPIRANGA MOOCA BELÉM VILA MARIANA JD. VILA MARIANA LIBERDADE BIXIGA JARDINS PARAÍSO BELA VISTA HIGIENÓPOLIS SANTA CECÍLIA CENTRO CAMBUCI 3 4 1 6 8 9 7 2 5 A 1 2 3 4 5 B C D E Nas CITs, você encontra à sua disposição guias culturais, além de mapas da cidade e folhetos de locais para visitação. At the CITs, visitors can find at their disposal culture guides, as well as city maps and brochures on places of interest. CIT PAULISTA Av. Paulista, 1.853. Parque Mário Covas. Diarimente das 8h às 20h. 1.853 Paulista Ave. Mário Covas Park. Open daily from 8 a.m. to 8 p.m. CIT TiÊTE Terminal Rodoviário Tietê (desembar- que). Diariamente das 6h às 22h. Tietê Bus Terminal (arrivals). Open daily from 6 a.m. to 10 p.m. CIT MERCADO Mercado Municipal de São Paulo. Rua da Cantareira, 306. Rua E, Portão 04. De segunda à sábado das 8h às 17h e aos domingos das 7h às 16h. São Paulo County Market. From Mon- day to Saturdays, from 8 a.m to 5 p.m, and Sundays from 7 a.m to 4 p.m. CIT OLIDO Galeria Olido. Av. São João, 473. Centro. Diariamente das 9h às 18h. Olido Gallery. 473, São João Ave. Downtown. Open daily from 9 a.m. to 6 p.m. CIT REPÚBLICA Praça da República, s/nº. Centro. Diariamente das 9h às 18h. República Square, w.o. no – Downtown. Open daily from 9 a.m. to 6 p.m. CIT GUARULHOS Aeroporto Internacional de São Paulo / Guarulhos. Terminais 1 e 2 (desem- barque). Diariamente das 6h às 22h. International Airport of São Paulo/ Guarulhos. Terminals 1 and 2 (arrivals). Open daily from 6 a.m. to 10 p.m Centrais de Informação Turística Tourist Information Centers ©PriscillaVilariño CIT República
  3. 3. 1 Área do Mapa / Map Area Atrativos / Main attractions Legenda / Key 1 Monumento à Independência – O Grito do Ipiranga.............................................................D5 / P.8 2 Casa do Grito – Segundo Brado do Ipiranga.............E5 / P.10 3 Museu do Ipiranga (Museu Paulista).............................E5 / P.13 4 Tela “Independência ou Morte”......................................E5 / P.16 5 Parque da Independência...............................................E5 / P.18 6 Igreja de Nossa Senhora da Boa Morte...................... B3 / P.22 7 Pateo do Collegio............................................................ B3 / P.22 8 Solar da Marquesa de Santos.........................................B3 / P.25 9 Praça do Patriarca............................................................ B3 / P.28 Curiosidades...................................................................................... P.30 Terminal Rodoviário Bus Terminals Aeroporto / Airport CPTM / Regional trains Metrô / Subway Centrais de Informação Turística Tourist Information Center Áreas verdes / Green areas Hidrografia / Hydrography
  4. 4. 2 3 Find out more about these landmarks! Roteiro da Independência do Brasil ©AndréStéfano On September 7, 1822, one of Brazil’s most important historical pages was written. The Independence is the foundation milestone of this country that has the 5th largest territorial extension, the 5th largest population and one of the 7 largest economies of the world. This itinerary, offered by the São Paulo City Hall through São Paulo Turismo, wishes to uncover details and the context of Independence through visit to sites that made up the scenario of this historical event, divided into two nuclei: Ipiranga and Centro (Downtown). Saiba mais sobre os principais pontos deste roteiro! No dia 7 de setembro de 1822 foi escrita em São Paulo uma das páginas mais importantes da história do Brasil. A Independência é o marco de fundação deste país que possui a 5a maior extensão territorial, a 5a maior população e uma das 7 maiores economias do mundo. Este roteiro, oferecido pela Prefeitura da Cidade de São Paulo através da São Paulo Turismo, propõe-se a revelar detalhes e o contexto da Independência por meio da visita aos locais que fizeram o cenário desse acontecimento histórico, divididos em dois núcleos: Ipiranga e Centro. Brazilian Independence Itinerary MuseudoIpiranga(Paulista)/IpirangaMuseum
  5. 5. 4 5 A partir de 1808, com a instalação da Família Real Portuguesa no Rio de Janei- ro, o Brasil passa por um pro- cesso de desenvolvimento e modernização, mudando da condição de simples Co- lônia até ser elevado a Reino Unido de Portugal, Brasil e Algarves em 1815. Entretanto, devido à crescen- te pressão vinda de Portugal com a Revolução Liberal do Porto, a Corte Portuguesa re- torna à Lisboa em 1821, com a exceção de Dom Pedro, nomeado Príncipe Regente do Brasil. A partir daí, crescem as tensões e desconfianças entre Dom Pedro e Portugal, de onde vinha uma sinaliza- ção cada vez mais forte de rebaixar novamente o Brasil a Colônia. Nesse cenário, Dom Pedro partiu da antiga capital, o Rio de Janeiro, rumo a São Paulo em 14 de agosto de 1822. Seus objetivos eram os de acalmar a conturbada situação política da Província de São Paulo e consolidar o apoio político da região à sua figura. Após várias paradas, chegou a São Paulo no dia 25 de agosto. Em 7 de setembro, retornan- do de uma visita a Santos, o Príncipe e sua Guarda de Honra chegaram por volta das 4 da tarde ao pouso do Ipiranga – habitual ponto de parada dos tropeiros – onde foram localizados por dois emissários que traziam cartas do Rio de Janeiro, enviadas por José Bonifácio, pelo Cônsul Britânico no Rio de Janeiro, e por sua esposa, a Princesa Dona Leopoldina. A partir daí sucedem-se os fatos que ficaram para a história e que se entrelaçam com os pontos deste roteiro. At the beginning of 1808, with the settlement of the Portuguese Royal Family in Rio de Janeiro, Brazil goes through a development and modernization process, changing from a simple Colony condition all the way to being raised to the United Kingdom of Portugal, Brazil and Algarves in 1815. In the meantime, due to growing pressure coming from Portugal with the Liberal Revolution of Porto, the Portuguese Court returns to Lisbon in 1821, with the exception of Dom Pedro, na- med Regent Prince of Brazil. As of that moment, tensions and mistrusts between Dom Pedro and Portugal begin to grow, panorama from where stronger and stronger sign of lowering Brazil anew into a Colony came. In this sce- nario, Dom Pedro departed from the former capital, Rio de Janeiro, on his way to São Paulo on August 14, 1822. His objectives were those of appeasing the troubled poli- tical situation of the Province of São Paulo and of conso- lidating the region’s political support to his person. After several stops, he arrived at São Paulo on August 25. Introdução /Introduction On September 7, returning from a visit to Santos, the Prince and his Honor Guard arrived at around 4 o´clock in the afternoon at the resting place of Ipiranga – habitual stopping place of muleteers [tropeiros, in Por- tuguese] – where they were located by two messengers that brought letters from Rio de Janeiro, sent by José Bo- nifácio, through the British Consul in Rio de Janeiro, and through. Monumento à Independência ©DivulgaçãodoMuseudaCidadedeSãoPaulo
  6. 6. 6 7 CHÁCARA KLABIN IMIGRANTES Av.do Esta Av.Dr.RicardoJafet Av.Nazaré PARQUE DA INDEPENDÊNCIA PARQUE ACLIMAÇÃO R.AgostinhoGomes R.CiprianoBarata R.CostaAguiar R.BomPastor R. Cisplatina R. Lorde Cockane R. Tabor R.GamaLobo R.Dr.MarioVicente R. Saioá R R. Heitor Peixoto R. Cel. Diogo R.BrásCubas R.PedraAzul Av.Eng.L.G.C.Sangirardi R.Da.Brígida R. R. M aranjaí R. Gaspar Fernandes R. Dr. Dolzani R.Fred.VonMartius Av. Lin sde Vasconcelos o R.Rodrigo Vie ira R.Prof.S.Orlando R. da Im pressa R. Dr. J. Estéfano R. Gom es Nogueira R. Huet Bacelar R. Santa Cruz R. Embuaçu R. Pedro Pomponazzi R.AnadiaR.BatistaCaetano do de Assis R. da União Ferrentini R.Top é M .de Azevedo R. Basílio da Cunha R. Cláudio Rossi R. Crisoberilo R. Crisolita R. Luís Delfino R. Gen. Gurjão R. Pero Correia R. Pero Correia R. João Lopes R. Vitor Dubugras R. Dr. Valentino Sola R. Rino Levi R. Ximbó R.Motuca pelos ocínio Passos R.Bartolom eu deGusm ão R. Francisco de Vitória R. São Gilberto Francisco Klabin R. Guarapeba R. R. Zamlutti R. Vergueiro R R. M aria E Barros R. Eiras G arcia R. Mariano Procópio R.PereiraCaldas Uchoa ltazar Lisboa R. Da. Avelina co Cruz rajá uilli R. Vasconcelos D rum ond R. Reguna C abral Eng.LauroPenteado R.Agudos R. Cel. Cabrita Gomes R. Gen. E de Melo R. Jorge Moreira R.TerezaCristina R.Be R. Dom Valverde R. Itaparí R.Peaçaba R. Paulo Bregano R.Caiambé R. Panaçu R. Dr. Mário Vicente R. Ethel R. Moreira E Costa R. Dom Luis Lasanha R. Moreira de Godói R. Toribaté R. Umburetama R. Alm. Lobo R. Lima E Silva R.XavierdeAlmeida R R.SalvadorSimões R.MárioDuarteVicente R. Ribeiro do Amaral R. Antônio Marcondes R. Vieira de Almeida R. Cel. D R.Três R. Nove R. Gen. Lecor R. Labatut R.OliveiraNeto R. Mongóis R. Sorocabanos R.Ga R.Sebastião Carneiro R.InglêsdeSousa R.Col.daGlória R.Mesquita R. Brg. Jordão R. Oliveira Alves R. Xavier Curado R.dos Patriotas R. Dom Lucas Obes R. Mon teiro R. Profa. C. Ribeiro R. Dionísio da Cost a R.JoãoÁlvaresCorreia R.M arcelino Champagnat IPIRANGA JD. VILA MARIANA 3 4 1 2 5 Região do Ipiranga / Ipiranga Area
  7. 7. 8 9 Dona Amélia. À frente do monumento está o “Altar da Pátria”, com uma pira cuja chama não se apaga nunca e simboliza o amor incondicional ao Brasil. This is the exact location where the Independence of Brazil was proclaimed. At the banks of the Ipiranga brook, Dom Pedro was alone without his Honor Guard – had asked him to wait at a small shop close to the brook (Page 12) – when he received the letter proceeding from Rio de Janeiro. The letter of José Bonifácio said that Dom Pedro had two alternatives: to leave for Portugal and to become a “prisoner of the Courts” or to proclaim the In- dependence of Brazil “making himself its Emperor or King”. The letter from the British consul, Henry Chamberlain, reported that in Portugal it had already been taken into consideration the separation of Dom Pedro as prince, heir to the throne, in response to his continuous acts of disobedience to the Courts. And the letter from Princess Leopoldina encouraged him, concluding with the following phrase “My lord, the fruit is ripe, harvest it now!”. And thus, after showing rage and indecision, before a few wi- tnesses, and still without the classic gesture of raising the sword, Dom Pedro declared the Independence of Brazil. 1. Monumento à Independência – O Grito do Ipiranga Monument to the Independence – The Cry of Ipiranga Este é o exato local no qual foi declarada a Independên- cia do Brasil. Às margens do riacho do Ipiranga, Dom Pedro estava sem a sua Guar- da de Honra – havia pedido que o esperasse numa venda próxima ao riacho (Página 12) – quando recebeu a cor- respondência vinda do Rio de Janeiro. A carta de José Bonifácio dizia que Dom Pedro tinha duas alternativas: ou partir para Portugal e se tornar “prisioneiro das Cor- tes”, ou proclamar a Indepen- dência do Brasil “fazendo-se seu Imperador ou Rei”. A carta do cônsul britânico, Henry Chamberlain, con- tava que em Portugal já se pensava no afastamento de Dom Pedro como príncipe herdeiro, em resposta aos seus contínuos atos de desobediência às Cortes. E a carta da Princesa Leopoldina o encorajava, finalizada com a seguinte frase “Senhor, o pomo está maduro, colhe-o já!”.E assim, após demonstrar raiva e indecisão, diante de poucas testemunhas, e ainda sem o clássico gesto de erguer a espada, Dom Pedro declarou a Independência do Brasil. O monumento Em 1917 foi realizado um concurso para escolha de um monumento com vistas às comemorações pelo Centenário da Independência do Brasil em 1922. O projeto vencedor, de autoria do artis- ta italiano Ettore Ximenes, foi inaugurado em 31 de outubro de 1922. Esta obra de grandes proporções tem 131 escul- turas de bronze que contam episódios relacionados ao processo de independência, como a Inconfidência Mi- neira de 1789 e a Revolução Pernambucana de 1817, além de homenagear os grandes articuladores do movimento: José Bonifácio de Andrada e Silva, Hipólito da Costa, Dio- go Antônio Feijó e Joaquim Gonçalves Ledo. O interior da construção é um espaço do Museu da Cidade que contextualiza a Independência. O grande destaque da parte interna é a Capela Imperial: cripta em que estão os restos mortais do Imperador Dom Pedro I (vindos do Panteão da Família Real Portuguesa em 1972 pelos festejos dos 150 anos da Independência) e das Im- peratrizes Dona Leopoldina e Monumento à Independência ©DivulgaçãodoMuseudaCidadedeSãoPaulo
  8. 8. 10 11 The monument In 1917 a contest was con- ducted for the choice of a monument in view of the Centennial celebrations of the Independence of Brazil in 1922. The winning project, under the authorship of Italian artist Ettore Ximenes, was inaugurated on October 31, 1922. This work of great proportions has 131 bronze sculptures that tell episodes related to the process of independence, like the Incon- fidência Mineira [revolutionary movement against Portugue- se colonialism in Brazil] of 1789 and the Revolution of Pernambuco of 1817, aside from paying homage to great articulators of the movement: José Bonifácio de Andrada e Silva, Hipólito da Costa, Diogo Antônio Feijó and Joaquim Gonçalves Ledo. The interior of the construc- tion holds a museum that contextualized the Inde- pendence. The outstanding highlight of the internal part is the Imperial Chapel: crypt where the mortal remains of Emperor Dom Pedro I lie (proceeding from the Pantheon of the Portuguese Royal Family in 1972 for the festivities of the 150 years of Independenceand Empres- ses Dona Leopoldina and Dona Amélia. In front of the monument is the “Altar da Pátria” [Altar of the Motherland], with a torch whose flame is never put off and symbolized the uncondi- tional love to Brazil. Praça do Monumento, s/nº Ipiranga / +5511 2068-0032 De 3a à domingo, das 9h às 17h. / From Tuesday to Sunday, from 9 am to 5 pm. www.museudacidade.sp.gov.br 2. Casa do Grito – Segundo Brado do Ipiranga House of the cry – Second Cry of Ipiranga Embora o documento mais antigo referente a esse imó- vel seja de 1844, ele recebeu este nome por aparecer na tela “Independência ou Mor- te” do pintor Pedro Américo (Página 16), que só começou a ser pintada 64 anos após a Independência. Próximo a este local havia um pouso de beira de estra- da onde descansava a Guar- da de Honra do Príncipe no momento em que foi dado o Grito do Ipiranga a cerca de 600 metros dali. Alguns minutos depois, Dom Pedro partiu em direção à guarda que, ao vê-lo, também foi ao seu encontro. Então, de es- pada desembainhada, arran- cou o distintivo de Portugal de seu chapéu, sendo acom- panhado por toda a guarda, e gritou o célebre “Indepen- dência ou Morte”. Esta cena, muito mais próxima da que ficou no imaginário nacional, é chamada por alguns histo- riadores de “Segundo Brado do Ipiranga”. Hoje, a Casa do Grito é um espaço do Museu da Cidade de São Paulo. Although the oldest docu- ment referring to this property is from 1844, it received this name for appearing on the canvas “Independência ou Morte” of the painter Pedro Américo (Page 16), which only started to be painted 64 years after the Independence. Close to this site there used to be a resting place at the edge of the road where the Prince’s Honor Guard rested at the time when the “Cry of Ipiranga” was given at about 600 meters from there. A few minutes later, Dom Pedro left towards the direction of the guard that, upon seeing him, went also to meet him. Then, with the sword unsheathed, stripped off the emblem of Portugal from his hat, being accompanied by the entire guard, and shouted the renowned “Independence or Death”. This scene, much closer than what remained in national memory, is called by some historians as the “Second Cry of Ipiranga”. Today, the House of the Cry is a space of the Museum of the City of São Paulo. Praça do Monumento, s/nº Ipiranga / +5511 2068-0032 De terça a domingo, das 9h às 17h. / From Tuesday to Sunday, from 9 am to 5 pm. www.museudacidade.sp.gov.br/ casadogrito.php Casa do Grito ©WanderleyCelestino
  9. 9. 12 13 3. Museu do Ipiranga (Museu Paulista) Ipiranga Museum (São Paulo State Museum) ing the second half of the 19th century: to transform the place into a commemora- tive monument of Brazil’s Independence. Inaugurated on September 7, 1895 as museum of natural history, it was designed by the Italian architect Tommaso Gaud- enzio Bezzi and its works were executed by another Italian Luigi Pucci. Officially called São Paulo Museum, it counts on a collection of over 125,000 items of great impor- tance to national memory, from works of art to textual documentation, from the 17th century up to the middle of the 20th century. Among the countless highlights, the most famous work of its collection is the canvas “Independência ou Morte” [Independence or Death] (Page 16), executed by the painter Pedro Américo, in exhibition at the noble hall. At the entrance lobby, at the center of the main stairway, is a statue of Dom Pedro I executed by the sculptor Rodolpho Bernadelli. Parque da Independência, s/nº Ipiranga / +5511 2065-8000 De terça a domingo, das 9h às 17h. / From Tuesday to Sunday, from 9 am to 5 pm. www.mp.usp.br ©JeffersonPancieri©DivulgaçãoMuseuPaulista Museu do Ipiranga (Paulista) Em 1875 foi instituída uma comissão para concretizar o que vinha sendo planejado durante a segunda metade do século 19: transformar o local em um monumento comemorativo da Indepen- dência do Brasil. Inaugurado em 7 de setembro de 1895 como museu de história natural, foi projetado pelo arquiteto italiano Tommaso Gaudenzio Bezzi e suas obras foram executadas pelo também italiano Luigi Pucci. Oficialmente chamado de Museu Paulista, conta com um acervo de mais de 125.000 itens de grande importância para a memória nacional, desde obras de arte a documentação textual, do século 17 até meados do século 20. Entre muitos destaques, a obra mais fa- mosa de seu acervo é a tela “Independência ou Morte” (Página 16), executada pelo pintor Pedro Américo, em exposição no salão nobre. No saguão de entrada, no centro da escadaria principal, está uma estátua de Dom Pe- dro I executada pelo escultor Rodolpho Bernadelli. In 1875 a commission was established to concretize what had been planned dur-
  10. 10. 14 15 Museu do Ipiranga (Paulista) ©JeffersonPancieri
  11. 11. 16 17 4. Tela “Independência ou Morte” Canvas “Independence or Death” de sessenta anos depois do fato, Pedro Américo fez uma série de estudos para retratar o episódio histórico, e pelo forte simbolismo, optou por tornar a cena do Grito do Ipiranga mais majestosa e solene do que realmente foi: pintou belos cavalos em vez das mulas montadas pelos personagens presentes no momento, além de exibi-los com roupa de gala quando, na verdade, vestiam roupas simples e até o Príncipe Dom Pedro estava coberto de lama. O pintor justificou suas opções dizendo que “A reali- dade inspira, e não escraviza o pintor”. Na extrema direita da tela, pode-se ver a Casa do Grito (Página 12). Work of the painter Pedro Américo, it is one of the country’s most famous paintings. It represents the classical image of Brazil’s Independence in national memory. The canvas – conceived to form part of the Ipiranga Museum – was painted between 1886 and 1888, when it was handed to the Commission of Ipiranga, responsible for the construc- tion of the museum. With dimensions of 7.60 meters long by 4.15 meters high, it stayed kept for over seven years until the museum was inaugurated. More than sixty years after the fact, Pedro Américo made a series of studies to portray the his- torical episode, and due to the powerful symbolism, he opted to turn the scene of the Grito do Ipiranga [Cry of Ipiranga] more majestic and solemn than it really was: he painted ravishing horses instead of mules mounted by personalities present at that time, aside from exhibiting them with court attire, when in reality, they wore simple clothes and even Prince Dom Pedro was covered with mud. The painter justified ©Divulgação Obra do pintor Pedro Américo, é dos quadros mais famosos do país. Re- presenta a clássica imagem da Independência do Brasil na memória nacional. A tela - concebida para fazer parte do Museu do Ipiranga - foi pintada entre 1886 e 1888, quando foi entregue à Comissão do Ipiranga, res- ponsável pela construção do museu. Com dimensões de 7,60 metros de comprimento por 4,15 metros de altura, permaneceu guardada por mais sete anos até que o mu- seu fosse inaugurado. Mais
  12. 12. 18 19 his options saying that “The reality inspires, and does not enslave the painter”. At the extreme right of the canvas, one can see the House of the Cry (Page 12). 5. Parque da Independência Independence Park Área verde de 161.300 me- tros quadrados que abriga o Museu do Ipiranga e seu jardim, o Monumento à Independência, a Casa do Grito, um viveiro de plantas e o Museu de Zoologia. Esse conjunto é tombado pelos órgãos do patrimônio his- tórico em esfera municipal, estadual e federal. Green area with 161,300 square meters that holds the Ipiranga Museum and its garden, the Monument to Independence, House of the Cry, a plant nursery and the Zoology Museum. This assembly is placed under governmental trust by the agencies of historical wealth in municipal, state and fede- ral sphere. Avenida Nazareth, s/nº Ipiranga +5511 2273-7250 Todos os dias, das 5h às 20h. / From Monday to Sunday, from 5 am to 8 pm. www.prefeitura.sp.gov.br ©KekoPascuzzi ©CaioPimenta Parque da Independência ©KekoPascuzzi
  13. 13. 20 21 Av.Pres.PrestesMaia Av. Ipiranga Av.SãoLuís Av.RioBranco R. Aurora R. dos Tim biras Av. São João R.SantaIfigênia R.doBoticário Av. São João R. Abelardo Pinto Av. São João Viaduto do Chá Viaduto Santa Ifigênia R. Direita R. da Quitanda R.SãoBento R.ÁlvaresPenteado R.BoaVista R.QuinzedeNovembro R.João Bricola R. Calh. Basílio Jaffet R. Cdor Assad Abdalia R.LíberoBadaró R.QuitinoBocaiuva R. Barão Paranapiacaba R.JorgeAzem R.Gen.Carneiro R.Gen.Carneiro R. Anchieta R. Riachuelo R. Sen. Feijó R. Benjamim Constant R. José Bonifácio R.Dr.RodrigoSilva R. Joaquim Gustavo R. Barão de Itapetininga R. Dom José de Barros R.Cons.Crispiniano R. Cap. Salomão R.Cel.XavierdeToledo R. da Consolação R. Álvaro de Carvalho R. Santo Antônio Psa. dos Piques Tv. Noschese R. Santo Antônio R.JoãoAdolfo R. 24 de M aio R.SetedeAbril R. M arconi R. Nova Barão R. Tabatingüera R. Conde de Sarzedas R. Oscar Cintra Gordinho R.Glicério R.HelenaZerrener R.do Carm o R.SilveiraM artins R.Cnso.Furtado R. Conde do Pinhal Av.daLiberdade R. Anita Garibaldi R. Felipe de Oliveira R. Santa Teresa R.AlcidesBezerra R.dasCarmelitas Av. Rangel Pestana R. Fernão Sales R.VinteeCincodeMarçoR.Dom PedroII Av.do Estado R.Dr.BitencourtRodrigues R.RobertoSimonsen R. Vanceslau Brás R. Nioac R.Frederico Alvarenga R.Genebra R.SantoAmaro R.FranciscaMiquelina Av.BrigadeiroLuísAntônio R.Japurá R.Maj.Diogo R.Maj.Quedinho R.Abolição R.VinteeCincodeMarço R.CdorAbdoSchahin R.FlorênciodeAbreu R. Carlos de Souza Nazaré R.BarãodeDuprat R.daCantareira R. Maria Paula Av. Nove de Juho Av.VinteeTrêsdeMaio PRAÇA DA SÉ PRAÇA DA REPÚBLICA PRAÇA Dr. JOÃO MENDES PRAÇA DOM JOSÉ GASPAR LARGO DO PAIÇANDÚ LARGO DE SÃO BENTO VALE DO ANHANGABAÚ PRAÇA ANTÔNIO PRADO LARGO SETE DE SETEMBRO PRAÇA MÁRIO CÂMARA LARGO SÃO FRANCISCO PRAÇA DO PATRIARCA 6 7 8 9 SÃO BENTO REPÚBLICA ANHANGABAÚ SÉ Centro / Downtown
  14. 14. 22 23 6. Igreja de Nossa Senhora da Boa Morte Church of Our Lady of Good Death A chegada de Dom Pedro a São Paulo foi anunciada pelos sinos desta igreja. Construída em 1810 numa colina na entrada da cidade, era conhecida como “a igre- ja das boas notícias”, porque a partir dela podia-se ver quem vinha de Santos e do Rio de Janeiro pelo Ipiranga. Quando eram avistadas autoridades, seus sinos davam boas-vindas e eram replicados pelos de outras igrejas. The arrival of Dom Pedro at São Paulo was announced by the bells of this church. Built in 1810 on a hill at the city entrance, it was known as the “the church of good news”, because from it one can see who was coming from Santos and from Rio de Janeiro through Ipiranga. When authorities were seen from a distance, its bells provided welcome and were replicated by the other churches. Rua Tabatinguera, 301 Centro / Downtown +5511 3101-6889 Diariamente, 24h. Daily, 24h. 7. Pateo do Collegio Não bastasse ser o local de fundação da cidade de São Paulo, o Pátio do Colégio também tem grande repre- sentatividade na Indepen- dência do Brasil. Então sede do governo da Província de São Paulo, foi nele em que Dom Pedro se hospedou durante toda sua estada na capital paulista. Havia ali o primeiro teatro da cidade, a “Casa da Ópera”, que na noi- te de 7 de setembro de 1822 seria palco da peça “O Con- vidado de Pedra”. Dom Pe- dro gostava de teatro, a sua presença já estava confirma- da no camarote principal. Ao entrar na sala, às 21:30, sem saber que foi preparada uma homenagem, Dom Pedro foi aclamado por todo o teatro ao som de “Viva o primeiro rei brasileiro!”. If it was not enough to see the site of foundation of the city of São Paulo, the Schoolyard also has great representativeness in the Independence of Brazil. The then seat of the government of the Province of São Paulo, it was in it where Dom Pedro lodged during his entire stay at the capital city of São Paulo. It used to have the first theater of the city, the “Opera House”, which on the night of Igreja de Nossa Senhora da Boa Morte ©JoséCordeiro
  15. 15. 24 25 September 7, 1822 would be the stage of the play “O “The Stone Guest”. Dom Pedro liked theater, his presence was already confirmed at the main box. Upon entering the room, at 9:30 PM, without knowing that a homage was prepared, Dom Pedro was acclaimed by the entire thea- ter at the sound of “Long live the first Brazilian king!”. Pátio do Colégio, 2 Centro / Downtown +5511 3105-6899 3ª feira a domingo, das 9h às 16h30 Agendamento de visitas monito- radas (Museu Anchieta): 3ª a 6ª feira, das 9 às 16h. / Tuesday to Sunday, from 9 am to 4:30 pm - Schedule of guided visits (Anchieta Museum): Tuesday to Friday, from 9 am to 4 pm. www.pateodocollegio.com.br Pateo do Collegio 8. Solar da Marquesa de Santos Solar of Santos Marquise Dom Pedro conheceu Domi- tila de Castro Canto e Melo, a Marquesa de Santos, na viagem a São Paulo, alguns dias antes da Independência, em agosto de 1822. Foram apresentados pelo irmão de Domitila, Francisco de Castro Canto e Melo, que fazia parte do grupo que saiu do Rio de Janeiro para acompanhar o então Príncipe Regente em sua vinda a São Paulo e foi uma das testemunhas do Grito do Ipiranga. Foi o início do notório ro- mance, que levou Domitila a, logo em seguida, viver na Corte no Rio de Janeiro, ape- sar de Dom Pedro ser casado ©JeffersonPancieri
  16. 16. 26 27 com Dona Leopoldina. Com a avassaladora paixão, a paulistana Domitila recebeu títulos de nobreza e em 1826 tornou-se Marquesa de Santos, forma pela qual ficou mais conhecida. Relaciona- ram-se até 1829, quando o Imperador pôs fim a essa his- tória de amor em função de seu casamento com a futura Imperatriz Amélia. Tiveram cinco filhos, dos quais sobre- viveram apenas duas meninas, posteriormente reconhecidas por Dom Pedro. Com o término da relação, a Marquesa de Santos voltou definitivamente a São Paulo. Viveu um novo romance e se casou com o Brigadeiro Tobias de Aguiar, importante líder político do estado. O imóvel – construído na segun- da metade do século 18 – foi comprado pela Marquesa em 1834, tornando-se palco de famosas festas da sociedade paulistana, da qual ela era uma grande figura. Hoje, é a sede do Museu da Cidade de São Paulo. Dom Pedro met Domitila de Castro Canto e Melo, the Mar- quise of Santos, in this trip to São Paulo, a few days before the Independence, in August 1822. They were presented to each other by the brother of Domitila, Francisco de Castro Canto e Melo, who formed part of the group that left Rio de Janeiro to accompany the then Reigning Prince at his ar- rival to São Paulo and was one of the witnesses of the Grito do Ipiranga [Cry of Ipiranga]. It was the beginning of a widely known romance, which led Domitila, immedi- ately after, to live at the Court in Rio de Janeiro, in spite that Dom Pedro was married to Dona Leopoldina. With the overwhelming pas- sion, the São Paulo native, Domitila received titles of nobility and in 1826 became the Marquise of Santos, manner by which she was more recognized. They maintained the rela- tionship until 1829, when the Emperor ended this love sto- ry due to his marriage with the future Empress Amélia. They had five children, of which only two daughters survived, later on recognized by Dom Pedro. With the conclusion of the relationship, the Marquise of Santos returned for good to São Paulo. She lived a new romance and got married with Brigadier Tobias de Aguiar, important state political leader. The property – built in the second half of the 18th century – was acquired by the Marquise in 1834, which became the stage of famous feasts of the São Paulo so- ciety, of which she was the huge figure. Today, it is the seat of the Museum of the City of São Paulo. Rua Roberto Simonsen, 136 Centro / Downtown +5511 3241-1081 / 3105-6118 Terça a domingo, das 9h às 17h. / Tuesday to Sunday, from 9 am to 5 pm. www.museudacidade.sp.gov.br/ solardamarquesadesantos.php ©DivulgaçãoCasadaImagem ©JeffersonPancieri Solar da Marquesa de SantosPateo do Collegio
  17. 17. 28 29 9. Praça do Patriarca Patriarch Square Esta praça – uma das mais movimentadas da cidade – foi nomeada em 1922 como “Praça Patriarca José Bonifácio”, nome que em 1953 foi alterado para a forma atual. Homenagem a José Bonifácio de Andrada e Silva, considerado o autor intelectual do processo de Independência. Nascido em Santos, estudou por mais de 30 anos na Europa e em 1819 retornou ao Brasil já como respeitável intelectual e cientista. A partir de 1821, como vice- presidente da província de São Paulo, aproximou-se de Dom Pedro, então Príncipe Regente. Foi o primeiro brasileiro a ocupar um minis- tério (nomeado Ministro do Reino e Estrangeiros) e teve um papel determinante para que o Brasil se separasse de Portugal. O Patriarca da Independência, como ficou conhecido, também foi tutor do segundo imperador brasi- leiro, Dom Pedro II. A estátua em bronze foi inaugurada em 1972 em comemoração ao Sesqui- centenário (150 anos) da Independência. Obra do escultor Alfredo Ceschiatti, tem 3,30 metros de altura, chegando aos 5,10 metros incluindo o pedestal. This square – one of the bu- siest in the city – was named in 1922 as the “Patriarch José Bonifácio Square”, name that in 1953 was altered to the current form. Tribute to José Bonifácio de Andrada e Silva, considered as the intellectual author of the process of Independence. Born in Santos, studied for over 30 years in Europe and in 1819 returned to Brazil already as a respectable intellectual and scientist. As of 1821, as vice-president of the province of São Paulo, he became close to Dom Pedro, then Prince Regent. He was the first Brazilian to occupy a ministry (named Minister of the Kingdom and Foreigners) and had a determining role so that Brazil might separate from Portugal. The Patriarch of Independence, as he became known, was also tutor of the second Brazilian emperor, Dom Pedro II. The bronze statue was inaugurated in 1972 in commemoration to the Ses- quicentennial (150 years) of Independence. Work of the sculptor Alfredo Ceschiatti, it is 3.30 meters high, reaching about 5.10 meters including the pedestal. Monumento na Praça do Patriarca / Patriach Square Monument ©KekoPascuzzi
  18. 18. 30 31 Largo Padre Péricles – Perdizes +5511 3667-0660 www.paroquiasaogeraldo.org.br • Você gostaria de ver as nascentes do Riacho do Ipiranga? / Would you like to see the springs of the Ipiranga Brook? No Jardim Botânico de São Paulo, que faz parte do Par- que Estadual das Fontes do Ipiranga, está a Trilha da Nas- cente do Riacho do Ipiranga. São 360 metros de extensão, em meio a uma reserva de Mata Atlântica, que remetem ao riacho das “margens plácidas” cantado no Hino Nacional Brasileiro. At the São Paulo Botanical Garden, which forms part of the State Park of the Foun- tains of Ipiranga, is the Trail of the Spring of the Ipiranga Brook. It has an extension of 360 meters, in the midst of an Atlantic Forest reserve, which remit to the brook of the “placid banks” sung in the Brazilian National Anthem. Avenida Miguel Stéfano, 3.031 Água Funda / +5511 5067-6000 De terça a domingo das 9h às 17h. / Tuesday to Sunday from 9 am to 5 pm. www.ibot.sp.gov.br/jardim/ index.php Curiosidades Curiosities • Ouça o badalar do sino que anunciou a Indepen- dência do Brasil. / Listen to the toll of the bell that announced the Indepen- dence of Brazil. Chamado de Bronze Velho, desde 1942 está instalado na Igreja de São Geraldo das Perdizes, onde toca a cada hora das 12h às 18h. Com dimensões de 1.70 m de di- âmetro por 1.75 m de altura, o sino pesa 2.250 kg. Em 1820 foi fundido em bronze misturado a 18 kg de ouro, e pertencia à antiga Igreja Ma- triz de São Paulo, demolida em 1911 para dar lugar à atual Catedral da Sé. Called the Old Bronze, since 1942 it is installed at the Igre- ja de São Geraldo das Perdi- zes [Church of São Geraldo of Perdizes], where it plays every hour from 12 pm to 6 pm. With dimensions of 1.70 m in diameter by 1.75 m high, the bell weighs 2,250 kg. In 1820 it was casted in bron- ze mixed with 18 kg of gold, and pertains to the former Mother Church of São Paulo, demolished in 1911 to give room to the current Catedral da Sé [Sé Cathedral]. • Você sabia que a Avenida Dom Pedro I e a Rua da Independência receberam esses nomes por fazerem parte do caminho de Dom Pedro após o Grito do Ipiranga? / Did you know that Avenida Dom Pedro I and Rua da Independência received these names for being part of Dom Pedro’s trail after the Grito do Ipi- ranga [Cry of Ipiranga]? Após proclamar a Independên- cia, Dom Pedro e sua comitiva seguiram para o centro de São Paulo pela rota antigamente conhecida como “Caminho para o Ypiranga”. A partir do Monumento à Independência, esse percurso é atualmente formado pela Avenida Dom Pedro I, Rua da Independên- cia, Rua do Lavapés, Rua do Glicério e Rua Tabatinguera, quando chega à Igreja de Nos- sa Senhora da Boa Morte. After proclaiming the Inde- pendence, Dom Pedro and his entourage continued to- wards the center of São Pau- lo through the route formerly known as “Caminho para o Ypiranga” [Path to Ipiranga]. From the Monument to the Independence, this course is currently formed by Avenida Dom Pedro I, Rua de Inde- pendência, Rua do Lavapés, Rua do Glicério and Rua Ta- batinguera, when it arrives at the Igreja de Nossa Senhora da Boa Morte [Church of Our Lady of Good Death]. Trilha da nascente do riacho do Ipiranga / Trail of the spring of the Ipiranga brook ©MaríliaVazquezAun
  19. 19. 32 ©DivulgaçãodoMuseudaCidadedeSãoPaulo Monumento à Independência

×