Procedimento de montagem do selo d'agua (dreno de tórax)

13.464 visualizações

Publicada em

1 comentário
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
13.464
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
21
Comentários
1
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Procedimento de montagem do selo d'agua (dreno de tórax)

  1. 1. ITPAC - INSTITUTO TOCANTINENSE PRESIDENTE ANTONIO CARLOSDISCIPLINA – CUIDADO DE ENFERMAGEM AO ADULTO IPROF: TATIANE COMMIMALUNOS :PAMELA NATACHA, MARCIA GUIMARAES COSTA E LUANA GUIMARAES ATIVIDADE ACADÊMICA EM AULA PRÁTICA ESTAÇÃO 01 CASO CLINICO ANTESPaciente CMJ, sexo feminino, 78 anos, natural de Jequié-BA, cursando 5º DIH comdiagnóstico de ICC, EAP e DM. Foi admitida na clínica médica do HGPV no dia 18/09/08com quadro de dispnéia e HAS, sendo transferida pelo SAMU do PA em uso de venóclisee oxigenioterapia de baixo fluxo, com cateter nasal com O2 3L/min. Dia 23/09/08,paciente encontrada em DD, mal posicionada, em uso de cateter nasal com O2 3L/min.,glasgow 6, respiração superficial, com uso predominante da musculatura acessória,tiragens suplaclaviculares, taquipnéica (34ipm), tosse seca é débil, expansibilidadetorácica diminuída ( 2/4), macicez à percussão em todo HTD. À ausculta pulmonar, MV2/4 em todo HTD e presença de creptos em base posterior de HE. À ausculta cardíaca,bulhas normofonéticas. Ao raio-x de tórax verificou-se apagamentos dos seioscostofrênico e cardiofrênico D, radiodensidade difusa em todo HTD, aumento daradiotransparência em todo HTE, clavículas verticalizadas, hemicúpula diafragmática Ehorizontalizada. Quanto aos exames laboratoriais, leucograma dentro da normalidade(8.200/mm3), glicose e uréia-UV elevadas (122mg/dL e 95mg/dL, respectivamente), comregulação posterior da glicose (78mg/dL). Paciente encontrava-se caquética, comhipotonia muscular em MMSS/II, edema duro +/++++ e hematoma em regiões cubitais.Instalou-se dreno de tórax, aguardando o fechamento do sistema com a montagem doselo d´agua.Pede-se:Que seja finalizado o sistema, com a montagem do selo d´agua.A identificação dos problemas interdependentes.Os principais diagnósticos de enfermagem e problemas interdependentes.Tempo para realização da tarefa: 25 minutos.
  2. 2. Realizado a leitura do caso clinico, logo em seguida montamos a bandeja paraexecutarmos o procedimento do curativo oclusivo de dreno de torax e a montagem dofrasco com selo d´agua conforme a técnica já estudada anteriormenteForam colocados os seguintes diagnostico de enfermagem: 1. Troca de gases prejudicada relacionada ao desequilíbrio na ventilação-perfusao. 2. Risco de desequilíbrio eletrolíticos relacionado...Terminado o tempo previsto a atividade foi corrigida, onde foram detectado vários errosentre os quais pode-se destacar:  Falta da higienização das mãos antes do procedimento.  Falta de alguns EPIs ou uso incorretos Lixos em lugares indevidos  Falta de planejamento  Poucos diagnósticos e incompletos.  Não houve tempo para intervenções de enfermagem, nem relação devida dos problemas interdependentes DEPOISRealizar a montagem do selo d’água conforme a tecnita correta executada em aulapratica, observando bem os usos correto de EPIs mais o curativo oclusivo  A identificação dos problemas interdependentes:  respiração superficial  tiragens esternoclavicular  taquipnéica (34ipm)  tosse seca  expansibilidade torácica diminuída  presença de creptos em base posterior de HE  apagamentos dos seios costofrênico e cardiofrênico D  radiodensidade difusa em todo HTD  aumento da radiotransparência em todo HTE  clavículas verticalizadas  hemicúpula diafragmática E horizontalizada
  3. 3.  caquexia  hipotonia muscular em MMSS/II  edema duro +/++++  hematoma em regiões cubitais  glicose e uréia-UV elevadas  ICC  EAP  DM  HASPrincipais diagnósticos de enfermagem e problemas interdependentes. 1. Troca de gases prejudicada relacionada a desequilíbrio ventilação-perfusão. 2. Nutrição desequilibrada: menos do que as necessidades corporais relacionada à capacidade prejudicada de ingerir alimentos. 3. Débito cardíaco diminuído relacionado à volume de ejeção alterado. 4. Risco de perfusão renal ineficaz relacionado à DM. 5. Perfusão tissular periférica ineficaz relacionado à DM e HAS. 6. Intolerância à atividade relacionado à desequilíbrio entre a oferta e demanda de oxigênio. 7. Fadiga relacionada à má nutrição.INTERVENÇÕES DE ENFERMAGEMMonitorar continuamente o estado respiratório durante a exacerbação aguda, avaliar ouso de musculatura acessórias, freqüência, respiratória pulso e pressão arterial, ruídosrespiratórios, valores da gasometria, nível de consciência.Assegurar hidratação adequada,oral ou intravenosa.Manter o cliente em posição vertical.Observar a deglutiçãoMonitorar os sinais e os sintomas de diminuição do debito cardiaco,frequencia do pulsoaumentada ou diminuida,pressao arterial,tempo de enchimento capilar,SaO2diminuida,SvO2 diminuido.Posicionar o cliente com as pernas elevadasmanter repouso absoluto.

×