Acadêmicos: Caroline Tomazi, Eduardo, Elizângela Vieira, Nathália SilvaESTAÇÃO 4      Paciente CMJ, sexo feminino, 78 anos...
Desenvolvimento do Processo: Explicar ao paciente e seu acompanhante o procedimento a ser realizado e   sua finalidade; ...
# clavículas verticalizadas# hemicúpula diafragmática E horizontalizada# caquexia# hipotonia muscular em MMSS/II# edema du...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Estação (montagem do selo d´agua) dreno de toráx turma c

3.191 visualizações

Publicada em

Acadêmicos: Caroline Tomazi, Eduardo, Elizângela Vieira, Nathália Silva

  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Estação (montagem do selo d´agua) dreno de toráx turma c

  1. 1. Acadêmicos: Caroline Tomazi, Eduardo, Elizângela Vieira, Nathália SilvaESTAÇÃO 4 Paciente CMJ, sexo feminino, 78 anos, natural de Jequié-BA, cursando 5º DIH com diagnóstico de ICC, EAP e DM. Foi admitida na clínica médica do HGPV no dia 18/09/08 com quadro de dispnéia e HAS, sendo transferida pelo SAMU do PA em uso de venóclise e oxigenioterapia de baixo fluxo, com cateter nasal com O2 3L/min. Dia 23/09/08, paciente encontrada em DD, mal posicionada, em uso de cateter nasal com O2 3L/min., glasgow 6, respiração superficial, com uso predominante da musculatura acessória, tiragens suplaclaviculares, taquipnéica (34ipm), tosse seca é débil, expansibilidade torácica diminuída ( 2/4), c. À ausculta pulmonar, MV 2/4 em todo HTD e presença de creptos em base posterior de HE. À ausculta cardíaca, bulhas normofonéticas. Ao raio-x de tórax verificou-se apagamentos dos seios costofrênico e cardiofrênico D, radiodensidade difusa em todo HTD, aumento da radiotransparência em todo HTE, clavículas verticalizadas, hemicúpula diafragmática E horizontalizada. Quanto aos exames laboratoriais, leucograma dentro da normalidade (8.200/mm3), glicose e uréia-UV elevadas (122mg/dL e 95mg/dL, respectivamente), com regulação posterior da glicose (78mg/dL). Paciente encontrava-se caquética, com hipotonia muscular em MMSS/II, edema duro +/++++ e hematoma em regiões cubitais. Instalou-se dreno de tórax, aguardando o fechamento do sistema com a montagem do selo d´agua. Pede-se: Que seja finalizado o sistema, com a montagem do selo d´agua. Material: o Luva de Procedimento o Máscara o Gorro o 02 frascos de 500ml de Soro Fisiológico.
  2. 2. Desenvolvimento do Processo: Explicar ao paciente e seu acompanhante o procedimento a ser realizado e sua finalidade; Lavar as mãos Usar EPI de precaução de contato POP CCIH Precaução de Contato Calçar as luvas de procedimento; Pinçar a extensão do dreno; Abrir o frasco de drenagem; Preencher o frasco com solução esterilizada ( soro fisiológico 0,9%), o tubo do frasco de drenagem deve ficar submerso 2 cm na solução esterilizada; Fechar o frasco de drenagem Despinçar a extensão do dreno; Verificar se está ocorrendo oscilação de líquido no tubo dentro do frasco Marcar o nível da quantidade de solução, colocada no frasco, com fita adesiva; Rotular o frasco de drenagem com: Nome do paciente, nº do prontuário,data, horário, assinatura de quem realizou a montagem do selo d’água e quantidade em ml da solução colocada no frasco de drenagem (Selo d’água); A identificação dos problemas interdependentes # ICC # EAP # DM # HAS # respiração superficial # tiragens suplaclaviculares # taquipnéica (34ipm) # tosse seca # expansibilidade torácica diminuída # presença de creptos em base posterior de HE # apagamentos dos seios costofrênico e cardiofrênico D # radiodensidade difusa em todo HTD # aumento da radiotransparência em todo HTE
  3. 3. # clavículas verticalizadas# hemicúpula diafragmática E horizontalizada# caquexia# hipotonia muscular em MMSS/II# edema duro +/++++# hematoma em regiões cubitais# glicose e uréia-UV elevadasOs principais diagnósticos de enfermagem e problemasinterdependentes.  Nutrição desequilibrada: menos do que as necessidades corporais relacionada à capacidade prejudicada de ingerir alimentos, evidenciando caquexia.  Troca de gases prejudicada relacionada a desequilíbrio ventilação- perfusão, evidenciando respiração superficial, uso da musculatura acessória e taquipnéia.  Débito cardíaco diminuído relacionado à volume de ejeção alterado, evidenciado por edema em MMII.  Risco de perfusão renal ineficaz relacionado à DM.  Intolerância à atividade relacionado à desequilíbrio entre a oferta e demanda de oxigênio, evidenciado por hipotonia em MMSS/II.  Risco para infecção relacionado à procedimento de inserção de tubo torácico.

×