Novas Oportunidades - SEEBS - SEE

2.088 visualizações

Publicada em

Publicada em: Educação
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Novas Oportunidades - SEEBS - SEE

  1. 1. Ministério da Educação e Ciência eMinistério da Economia e do Emprego
  2. 2. Avaliação da Iniciativa Novas Oportunidades – Eixo Adultos IntervençãoSecretária de Estado do Ensino Básico e Secundário
  3. 3. ENSINO E FORMAÇÃO DE ADULTOSUma aposta na qualificação real
  4. 4. Rever a oferta formativa Reestruturar a rede de CNOMelhorar a educação e a formação de adultos
  5. 5. Prioridades para o ensino e a formação de adultos: • Cidadãos desempregados em idade ativa - Cursos de dupla certificação - - Formações Modulares Certificadas (FMC) focadas na aquisição de capacidades específicas optimizadoras da empregabilidade - Ensino Recorrente para conclusão do ensino secundário e/ou prosseguimento de estudos
  6. 6. Prioridades para o ensino e a formação de adultos:• Áreas de educação e formação ligadas aos sectores de bens e serviços transacionáveis ou geradores de emprego, tendo em conta especificidades regionais e locais (Exemplos: metalurgia e metalomecânica, eletricidade e energia, electrónica e automação, tecnologia dos processos químicos, indústrias alimentares, do têxtil, calçado e couro, indústrias extractivas, produção agrícola e animal, pescas, entre outras.)
  7. 7. Rede de ensino e formação de adultos• Concentração da oferta de dupla certificação de adultos nas entidades formadoras com melhores condições e experiência, acautelada a necessária cobertura geográfica• Concentração da oferta de ensino recorrente num grupo selecionado de escolas com comprovadas condições para tal• Promoção de parcerias entre entidades formadoras, para a partilha dos melhores recursos disponíveis em cada uma
  8. 8. FUTURO DOSCENTROS NOVAS OPORTUNIDADES
  9. 9. Reestruturação da rede• Alargamento da missão – Reconhecimento e Validação de Competências e encaminhamento de adultos para formação – Orientação e encaminhamento de jovens para ofertas de dupla certificação – Ligação entre entidades formadoras e tecido empresarial• Renomeação - Centros para a Qualificação e o Ensino Profissional• Redimensionamento da rede – Por NUT III – Em função do número de jovens com ensino básico concluído – Em função do número de adultos com baixas qualificações
  10. 10. Reconhecimento e validação de competências• Prioridade ao reconhecimento e à validação de competências como pontos de partida para processos de formação adicional• Certificação das competências por entidades certificadas – Certificação profissional > entidades formadoras certificadas pela DGERT – Certificação escolar > escolas do sistema de ensino
  11. 11. MEDIDAS PARA O FUTURO
  12. 12. • Revisão das tipologias de cursos• Revisão dos referenciais de formação• Revisão dos processos de RVCC• Avaliação regular do impacto das ofertas formativas no desempenho no mercado de trabalho
  13. 13. Avaliação da Iniciativa Novas Oportunidades – Eixo Adultos IntervençãoSecretário de Estado do Emprego
  14. 14. Programa Vida Ativa
  15. 15. Programa “Vida Ativa”• Encaminhamento dos desempregados de forma mais célere paraações de formação de curta duração de natureza transversal,conciliáveis com a procura ativa de emprego;• Aquisição de competências relevantes para o mercado de trabalho e amobilização para processos subsequentes de qualificação oureconversão profissional;• Ações diferenciadas de acordo com o nível de escolaridade dodesempregado;• Percursos modulares de dupla certificação que permitem a aquisiçãode novas competências, com o reforço significativo das atividadespráticas na componente de formação tecnológica;
  16. 16. Programa “Vida Ativa”• Reforço da qualidade e celeridade das medidas ativas de empregoprivilegiando a orientação para a empregabilidade, através dasseguintes modalidades: -RVCC Dual: Processos de reconhecimento, validação ecertificação de competências profissionais e escolares, passíveis deserem desenvolvidos em diferentes contextos, de forma articulada,designadamente em centros, escolas, empresas e outras entidadesempregadoras; -Formações Modulares Certificadas: assentes em unidades decrédito capitalizáveis, tendo em vista a criação de ciclos sucessivos deaprendizagem ao longo da vida, de curta duração, que garantam umretorno contínuo à formação, numa ótica de valorização permanentedas competências profissionais.
  17. 17. Ministério da Educação e Ciência eMinistério da Economia e do Emprego

×