Ef 2 palestra ney

339 visualizações

Publicada em

palestra prof. Ney sobre a família

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
339
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
79
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
5
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Ef 2 palestra ney

  1. 1. 2º Encontro das Famílias – neyguimaraes@uol.com.br
  2. 2. 2º Encontro das Famílias – neyguimaraes@uol.com.br Nós Viagem
  3. 3. 2º Encontro das Famílias – neyguimaraes@uol.com.br Nós Viagem Outros Comunidade
  4. 4. 2º Encontro das Famílias – neyguimaraes@uol.com.br Nós Viagem Outros Comunidade Sagrada Família Santa Paula
  5. 5. 2º Encontro das Famílias – neyguimaraes@uol.com.br Nós Viagem Outros Comunidade Igreja “Igreja Doméstica” Sínodo...Sagrada Família Santa Paula
  6. 6. 2º Encontro das Famílias – neyguimaraes@uol.com.br Nós Viagem Outros Comunidade Igreja “Igreja Doméstica” Sínodo...Sagrada Família Santa Paula Jesus É o Senhor que nos chama...
  7. 7.  Deus nos CONVOCA;Deus nos CONVOCA;  Família: protagonista daFamília: protagonista da evangelização;evangelização;  Encontrar para estudar,Encontrar para estudar, estudar para compreender,estudar para compreender, compreender para julgar e julgarcompreender para julgar e julgar para agir (á luz do evangelho)para agir (á luz do evangelho) Neste 2º Encontro das Famílias 2º Encontro das Famílias – neyguimaraes@uol.com.br
  8. 8.  Discípulos e missionários;Discípulos e missionários;  Comunidade de comunidades:Comunidade de comunidades: uma nova Paróquia;uma nova Paróquia;  Sínodo dos Bispos (Igreja);Sínodo dos Bispos (Igreja);  Temos um CARISMA – Uma mulher nos inspira; Neste 2º Encontro das Famílias 2º Encontro das Famílias – neyguimaraes@uol.com.br
  9. 9. VEM Ó DEUS DA LUZ.VEM Ó DEUS DA LUZ. VEM NOS HABITAR.VEM NOS HABITAR. VEM Ó SANTOVEM Ó SANTO ESPÍRITO,ESPÍRITO, PARA NOS GUIAR.PARA NOS GUIAR. VEM NOS GOVERNAR.VEM NOS GOVERNAR. VEM NOS ANIMAR.VEM NOS ANIMAR. (Música e letra: Ney de Almeida Guimarães)
  10. 10. VEM ESPÍRITO DE LUZ. Esclarece e conscientiza. SemSem a tua presença,a tua presença, tudo é sem sentido e a história seme a história sem rumorumo. Que em Tua
  11. 11. VEM ESPIRITO TRANSFORMADOR Desperta, dinamiza. Sem a tua força, tudo está parado, estagnado, desintegrado. VemVem transformar a face datransformar a face da terra.terra.
  12. 12. VEM Ó DEUS DA LUZ.VEM Ó DEUS DA LUZ. VEM NOS HABITAR.VEM NOS HABITAR. VEM Ó SANTOVEM Ó SANTO ESPÍRITO,ESPÍRITO, PARA NOS GUIAR.PARA NOS GUIAR. VEM NOS GOVERNAR.VEM NOS GOVERNAR. VEM NOS ANIMAR.VEM NOS ANIMAR. (Música e letra: Ney de Almeida Guimarães)
  13. 13. VEM ESPIRITO CRIADOR Renova, constrói, reinventa o futuro do qual nós somos responsáveis. Sem a tua coragem, somos velhos e incapazes de atos
  14. 14. VEM, ESPÍRITO UNIFICADOR Arranca-nos da solidão e individualidade. Ensina- nos a partilhar, a dividir, solidarizar e a não desistir. SEM A TUA AJUDA SOMOS EGOÍSTAS E ORGULHOSOS.
  15. 15. VEM Ó DEUS DA LUZ.VEM Ó DEUS DA LUZ. VEM NOS HABITAR.VEM NOS HABITAR. VEM Ó SANTOVEM Ó SANTO ESPÍRITO,ESPÍRITO, PARA NOS GUIAR.PARA NOS GUIAR. VEM NOS GOVERNAR.VEM NOS GOVERNAR. VEM NOS ANIMAR.VEM NOS ANIMAR. (Música e letra: Ney de Almeida Guimarães)
  16. 16. VEM ESPÍRITO CONSOLADOR. Sara, consola os corações aflitos. Sem o teu apoio, tudo é triste, sem
  17. 17. VEM ESPÍRITO PACIFICADOR Une os povos, as raças as comunidades, as famílias divididas. Sem teu amor, somente há luta e briga. Vem, Espírito de Paz.
  18. 18. VEM Ó DEUS DA LUZ.VEM Ó DEUS DA LUZ. VEM NOS HABITAR.VEM NOS HABITAR. VEM Ó SANTOVEM Ó SANTO ESPÍRITO,ESPÍRITO, PARA NOS GUIAR.PARA NOS GUIAR. VEM NOS GOVERNAR.VEM NOS GOVERNAR. VEM NOS ANIMAR.VEM NOS ANIMAR. (Música e letra: Ney de Almeida Guimarães)
  19. 19.  Um momento deUm momento de DESCONSTRUÇÕES;DESCONSTRUÇÕES;  O EFÊMERO toma grande valor;O EFÊMERO toma grande valor;  Dissolução das ideologias e dasDissolução das ideologias e das utopias;utopias;  Crise de SENTIDO;Crise de SENTIDO; Alguns traços da pós-modernidade 2º Encontro das Famílias – neyguimaraes@uol.com.br
  20. 20. .. “Vivemos uma mudança de época, e“Vivemos uma mudança de época, e seu nível mais profundo é o cultural.seu nível mais profundo é o cultural. Dissolve-se a concepção integral do serDissolve-se a concepção integral do ser humano, sua relação com o mundo ehumano, sua relação com o mundo e com Deus”com Deus” DA n44DA n44 - Antes com valores e critérios mais definidos da realidade, agora há umaagora há uma diversidade de propostas aceitas comodiversidade de propostas aceitas como válidas, com possibilidades de realizar váriasválidas, com possibilidades de realizar várias experiências possíveis e imaginárias.experiências possíveis e imaginárias. - Há uma transição de uma cultura ESTÁVEL para outra ainda não estabilizada, pois apois a anterior parece não responder mais aoanterior parece não responder mais ao momento histórico.momento histórico.
  21. 21.  Há um bombardeio deHá um bombardeio de propostas, diante da negaçãopropostas, diante da negação de Deus e também da Igreja.de Deus e também da Igreja.  Deus aparece como nossoDeus aparece como nosso adversário, a Igreja comoadversário, a Igreja como obsoleta e o fiel como alguémobsoleta e o fiel como alguém sem sentido.sem sentido.  Os avanços da PÓS-Os avanços da PÓS- MODERNIDADE não podemMODERNIDADE não podem ser contraditórios com aser contraditórios com a experiência humana de Deus.experiência humana de Deus.
  22. 22. - Ao contrário da economia, a saúde, a política, a educação... a RELIGIÃO é muito mais complexa pelo interesse e visão integral do ser humano. - Essas mudanças instauram uma crise de sentido, pessoas são atingidas e julgadas em seus valores mais profundos. - A família e a juventude são os grupos mais vulneráveis. - As relações afetivas passam a ser concebidas de forma descompromissada e pouco estável.
  23. 23. - Os papeis tradicionais do HOMEM e da MULHER (maternidade e paternidade) sofrem alterações. - O mercado cria realidades ilusórias, voltadas ao hedonismo. - Descontrole do desejo das crianças, dos adolescentes e jovens e dos adultos (vitimas) - A mídia assume o papel exercido dos pais e da escola em conformidade com os interesses de mercado.
  24. 24. AVANÇO TECNOLÓGICO ““A revolução tecnológica e osA revolução tecnológica e os processos de globalizaçãoprocessos de globalização formatam o mundo atual comoformatam o mundo atual como grande cultura midiática.grande cultura midiática. IssoIsso implica uma capacidade paraimplica uma capacidade para reconhecer as novasreconhecer as novas linguagens, que podemlinguagens, que podem favorecer maior humanizaçãofavorecer maior humanização global.”global.” DA 484 1.2 O forte impacto nas pessoas (8
  25. 25. 1.3 Fragilização dos laços comunitários e negação da vida (17 a 25) LÓGICA DO MERCADO LÓGICA DA GRAÇA A lógica do MERCADO manipula e falsifica os nossos conceitos de vantagens e benefícios. Consumismo/necess idades falsas/lógica da exclusão, injustiça, desigualdade - exemplos Somos criados a imagem e semelhança de Deus. Amai-vos uns aos outros assim como EU vos amei. O perdão e a solidariedade salvam o mundo. Eu vim para que todos tenham vida.
  26. 26. neyguimaraes@uol.com.b TEM ANJOS AQUI (2X) TEM ANJOSTEM ANJOS TEM ANJOS AQUI (2X)TEM ANJOS AQUI (2X) PAULA/SÍNODO/SANTOPAULA/SÍNODO/SANTO SS
  27. 27. SITUAÇÃO SOCIOCULTURAL - Fragmentação; - Relativização de valores (pessoa, sociedade, religião...); - Crise de sentido (frustração); - Instituição familiar vulnerável; - Desencanto social; - Desigualdade; - Cultura do imediato;
  28. 28. SITUAÇÃO SOCIOCULTURAL - Cultura do consumo;- Cultura do consumo; - Cultura da violência;- Cultura da violência; - Cultura do prazer;- Cultura do prazer; - Cultura de morte;- Cultura de morte; - Cultura técnico-virtual;Cultura técnico-virtual; - Cultura do ConsumismoCultura do Consumismo - Subjetivismo;- Subjetivismo; - Distância entre a fé e moral;- Distância entre a fé e moral;
  29. 29. SITUAÇÃO RELIGIOSA - Individualismo x campo religioso;- Individualismo x campo religioso; - “A minha religião” (necessidades- “A minha religião” (necessidades individuais);individuais); - Ótica utilitarista (bem-estar- Ótica utilitarista (bem-estar interior);interior); - Religião cristã católica banalizada- Religião cristã católica banalizada pela mídia;pela mídia; - Dicotomia entre fé e razão, fé e- Dicotomia entre fé e razão, fé e vida;vida;
  30. 30. SITUAÇÃO RELIGIOSA - O fenômeno religioso mal- O fenômeno religioso mal compreendido;compreendido; - Religiosiadde e devocionismos x- Religiosiadde e devocionismos x postura católica coerente;postura católica coerente; - Surgimento veloz e agressivo de- Surgimento veloz e agressivo de igrejas que se denominamigrejas que se denominam evangélicas;evangélicas; -Número de sacerdotes insuficientes;Número de sacerdotes insuficientes; - Falta de testemunho dos leigos;Falta de testemunho dos leigos;
  31. 31.  Há uma busca paraHá uma busca para preencher um vazio quepreencher um vazio que conduz ao fenômeno religioso.conduz ao fenômeno religioso. A religião que melhor atenderA religião que melhor atender essa necessidade terá maioressa necessidade terá maior sucesso;sucesso;  Há um crescente re-Há um crescente re- avivamento religioso, onde a féavivamento religioso, onde a fé também se torna um produtotambém se torna um produto do mercado e está a venda;do mercado e está a venda; 2º Encontro das Famílias – neyguimaraes@uol.com.br
  32. 32.  Atitudes individuaisAtitudes individuais prevalecem sobre as atitudes coletivas;  Desaparecimento do discurso familiar, religioso ediscurso familiar, religioso e o político;o político;  Há uma afirmação do indivíduo e do individualismo sem precedentes;  O sujeito pós-moderno tem que se fazer a sifazer a si própriopróprio sem a orientação de um antecedente histórico; Alguns traços da pós-modernidade 2º Encontro das Famílias – neyguimaraes@uol.com.br
  33. 33.  Mesmo usufruindo da liberdade a sensação é de abandono.abandono.  A juventude se torna presa fácilpresa fácil de tudo que parece poder preencher suaspreencher suas necessidadesnecessidades imediatas e alvos do poderoso mercado.  Há um declínio da função paterna edeclínio da função paterna e maternamaterna na realidade psíquica do sujeito; Alguns traços da pós-modernidade 2º Encontro das Famílias – neyguimaraes@uol.com.br
  34. 34.  As instituições tradicionais perdem sua credibilidadeperdem sua credibilidade  AusênciaAusência de compromissos permanentes  Há uma procura excessiva pelas satisfaçõessatisfações imediatasimediatas;  Não há preocupação com o futurofuturo;  No lugar das fortes ideologias surge o pensamentopensamento débildébil;  A religiosidadereligiosidade é fortemente emocional, fora das grandes instituições; Alguns traços da pós-modernidade 2º Encontro das Famílias – neyguimaraes@uol.com.br
  35. 35. “ (...) a afirmação da ideologia individualistaideologia individualista traz conseqüências preocupantes..., pois ao questionar as hierarquias, ao derrubar as referências morais deixadas pela tradição, ao buscar centrar sua vivência no prazer, o indivíduo pós-modernoo indivíduo pós-moderno entra em crise de identidade das mais profundasem crise de identidade das mais profundas. A perda das referências até então em vigor deixará um vazio na organização de sua vida, e o não-sentido aparecerá com mais vigor.” (José Paulo Giovanetti, psicólogo) 2º Encontro das Famílias – neyguimaraes@uol.com.br
  36. 36. A PRIMAZIA DA SUBJETIVIDADE  Conduz o indivíduo a uma demasiada preocupação consigo mesmo, exaltando o consumismo materialistaconsumismo materialista como objetivo de vida, empobrecendo as relações pessoais e sociais;  O indivíduo pós-moderno é um sujeitosujeito frágil pela sua fragmentação;frágil pela sua fragmentação; 2º Encontro das Famílias – neyguimaraes@uol.com.br
  37. 37. A PRIMAZIA DA SUBJETIVIDADE  A cultura do prazerA cultura do prazer – não existe mais o certo e errado mas o que impera é o relativismo.  Vive-se demasiadamente a sexualidade fora de um projeto amplo crescimento;  Dificuldades de compromissos permanentescompromissos permanentes;  A presença de uma ética e moral pessoalética e moral pessoal (a questão principal é como eu sinto). 2º Encontro das Famílias – neyguimaraes@uol.com.br
  38. 38.  Velocidade (...) superior que leva ao excessoexcesso: hipermercados, o hiperterrorismo, as hiperpotências, o hipertexto, hiperclasses, enfim, o hipercapitalismo;  O desaparecimento da realidaderealidade;  Um cenário marcado pelo cinismo e mentiras, onde se é capaz de acreditar nas mesmas;  Vive-se na era “Photoshop”:Photoshop”:manipulação da imagem;  Abandono dos ideaisbandono dos ideais modernos e seus conceitos sobre o ético, o bom, o puro e o verdadeiro; HIPERMODERNIDADE (Gilles Lipovetsky – Livro: Os tempos Hipermodernos) 2º Encontro das Famílias – neyguimaraes@uol.com.br
  39. 39. Mídia ANTES FALTA DE INFORMAÇÃO AGORA EXCESSO DE INFORMAÇÃO V Simpósio de Educação – neyguimaraes@uol.com.br
  40. 40. SER CRIANÇA, ADOLESCENTE E JOVEM HOJE MUNDO VIRTUAL (informação – formação – interatividade) X MUNDO REAL 2º Encontro das Famílias – neyguimaraes@uol.com.br
  41. 41. HUMANIZAR É EDUCARHUMANIZAR É EDUCAR E EDUCAR É HUMANIZARE EDUCAR É HUMANIZAR PARA EDUCAR É NECESSÁRIOPARA EDUCAR É NECESSÁRIO UMA VISÃO INTEGRALUMA VISÃO INTEGRAL
  42. 42. “UM RICO RESOLVE PRESENTEAR UM POBRE POR SEU ANIVERSÁRIO E IRONICAMENTE MANDA PREPARAR UMA BANDEJA CHEIA DE LIXO E SUJEIRAS. NA PRESENÇA DE TODOS, MANDA ENTREGAR O PRESENTE, QUE É RECEBIDO COM ALEGRIA PELO ANIVERSARIANTE, QUE GENTILMENTE
  43. 43. AGRADECE E PEDE QUE LHE AGUARDE UM INSTANTE, POIS GOSTARIA DE PODER RETRIBUIR A GENTILEZA. JOGA FORA O LIXO, LAVA E DESINFETA A BANDEJA, ENCHE-A DE FLORES, E DEVOLVE-A COM UM CARTÃO, ONDE ESTÁ A FRASE:
  44. 44. "A GENTE DÁ"A GENTE DÁ O QUE TEM DEO QUE TEM DE MELHOR."MELHOR."
  45. 45. O QUE VOCÊ TEM DE MELHOR PARA OFERECER A SI MESMO, À TUA FAMÍLIA, ÀS FAMÍLIAS, À TUA PARÓQUIA, À CONGREGAÇÃO E AO MUNDO?
  46. 46. neyguimaraes@uol.com.b TEM ANJOS AQUI (2X) TEM ANJOSTEM ANJOS TEM ANJOS AQUI (2X)TEM ANJOS AQUI (2X) PAULA/SÍNODO/SANTOPAULA/SÍNODO/SANTO SS
  47. 47. neyguimaraes@uol.com.b r Nosso desafio hoje DISCERNIR AS OPORTUNIDADES PARA RE-TOMAR, RE-VER, RE-AVALIAR RE- ORIENTAR, RE-ENCANTAR, RE-VIGORAR, RE-DIMENSIONAR NOSSOS IDEAIS E PRÁTICAS EDUCATIVAS E EVANGELIZADORAS/PASTORAIS ENQUANTO DSICIPÚLOS MISSINÁRIOSENQUANTO DSICIPÚLOS MISSINÁRIOS CERIOLIANOSCERIOLIANOS NA DEFESA E PROMOÇÃONA DEFESA E PROMOÇÃO DA FAMÍLIA.DA FAMÍLIA.
  48. 48. neyguimaraes@uol.com.br - 41 9929 0230 1 – O QUE ESTÁ BEM E1 – O QUE ESTÁ BEM E DESEJAMOS MANTER?DESEJAMOS MANTER? 2 – O QUE NÃO ESTÁ BEM E2 – O QUE NÃO ESTÁ BEM E DESEJAMOS TRANSFORMAR?DESEJAMOS TRANSFORMAR? 3 – O QUE FAZ FALTA E3 – O QUE FAZ FALTA E DESEJAMOS CONSTRUIR?DESEJAMOS CONSTRUIR?
  49. 49. Família QUANDO AS FAMÍLIAS NÃO OCUPAM SEUS LUGARES, A SOCIEDADE FICA EM CRISE UMA FAMÍLIA SADIA É AQUELA QUE DESDE O COMEÇO TEM UMA DECISÃO DEFINITIVA; É SOMENTE A FAMÍLIA QUE PODERÁ FORMAR PESSOAS SAUDÁVEIS E EQUILIBRADAS
  50. 50. O AMOR JAMAIS ACABARÁO AMOR JAMAIS ACABARÁ O AMOR JAMAIS ACABARÁO AMOR JAMAIS ACABARÁ PARA NOSSA SANTA PAULAPARA NOSSA SANTA PAULA EDUCAR É HUMANIZAREDUCAR É HUMANIZAR A FAMÍLIA É O CENTROA FAMÍLIA É O CENTRO PARA NOS SANTIFICARPARA NOS SANTIFICAR
  51. 51. ““A família não nasce pronta,A família não nasce pronta, constrói-se aos poucosconstrói-se aos poucos,, e é oe é o melhor laboratório do amor.melhor laboratório do amor. ÉÉ dentro de casa, entre pais edentro de casa, entre pais e filhosfilhos que o amor, o respeito,asque o amor, o respeito,as cidadania, a compaixão e acidadania, a compaixão e a religião se solidificamreligião se solidificam””
  52. 52. PRIMEIRA ESCOLA DASPRIMEIRA ESCOLA DAS VIRTUDES HUMANAS, SOCIAIS,VIRTUDES HUMANAS, SOCIAIS, CRISTÃS, PORTAL DA FÉ,CRISTÃS, PORTAL DA FÉ, LUGAR PRIVILEGIADO PARALUGAR PRIVILEGIADO PARA DESPERTAR, VIVER E FAZERDESPERTAR, VIVER E FAZER CRESCER AS VOCAÇÕES ECRESCER AS VOCAÇÕES E CARISMASCARISMAS
  53. 53. ““O FUTURO DAO FUTURO DA HUMANIDADEHUMANIDADE PASSA PELAPASSA PELA FAMÍLIA”FAMÍLIA” Vat. IIVat. II
  54. 54. A FAMÍLIA É UM DOS PILARES PARA AA FAMÍLIA É UM DOS PILARES PARA A PRIMEIRA EVANGELIZAÇÃO E DAPRIMEIRA EVANGELIZAÇÃO E DA TRANSMISSÃO CONTÍNUA DA FÉ.TRANSMISSÃO CONTÍNUA DA FÉ. É OÉ O PRIMEIRO IMPULSO PARA A NOVAPRIMEIRO IMPULSO PARA A NOVA EVANGELIZAÇÃO, POR MEIO DA VOCAÇÃO EEVANGELIZAÇÃO, POR MEIO DA VOCAÇÃO E DO MINISTÉRIO QUE LHE É PRÓPRIO,DO MINISTÉRIO QUE LHE É PRÓPRIO, CONFERIDO NO SACRAMENTO DOCONFERIDO NO SACRAMENTO DO MATRIMÔNIO, RAIZ DA FAMÍLIA CRISTÃ.MATRIMÔNIO, RAIZ DA FAMÍLIA CRISTÃ.
  55. 55. PROTEGER A FÉ - (10)PROTEGER A FÉ - (10) É preciso proteger a fé diante de umÉ preciso proteger a fé diante de um período caracterizado pelaperíodo caracterizado pela desordemdesordem generalizadageneralizada e pela difusão de umae pela difusão de uma cultura distante e hostilcultura distante e hostil à tradição cristãà tradição cristã ee pela emergência de variadas ofertaspela emergência de variadas ofertas religiosas.religiosas.
  56. 56. Quais exemplos osQuais exemplos os paispais devem dar/serdevem dar/ser para seus filhos,para seus filhos, como católicos?como católicos?
  57. 57. Quais são asQuais são as maioresmaiores tentaçõestentações que asque as famílias sofrem nafamílias sofrem na modernidade?modernidade?
  58. 58. Uma tentação...Uma tentação... AMOR E CASAMENTOAMOR E CASAMENTO NÃO NECESSÁRIAMENTENÃO NECESSÁRIAMENTE DEVEM CAMINHARDEVEM CAMINHAR JUNTOS (...)JUNTOS (...)
  59. 59. O que mais faltaO que mais falta hoje para que ashoje para que as famíliasfamílias sejamsejam evangelizadorasevangelizadoras??
  60. 60. Falta:Falta: Vivência dosVivência dos valores cristãosvalores cristãos católicoscatólicos
  61. 61. TÊM ANJOS AQUITÊM ANJOS AQUI (2X)(2X) TÊM ANJOSTÊM ANJOS TÊM ANJOS AQUITÊM ANJOS AQUI (2X(2X)) SANTOS, FAMÍLIAS, PAULA,SANTOS, FAMÍLIAS, PAULA,
  62. 62. REVITALIZAR A FÉ (11)REVITALIZAR A FÉ (11) Trata-se de confirmar, renovar eTrata-se de confirmar, renovar e revitalizar a novidade dorevitalizar a novidade do evangelho...evangelho... a partir de uma partir de um encontro pessoal e comunitárioencontro pessoal e comunitário com Jesus Cristocom Jesus Cristo......
  63. 63. UMA AMEAÇA (12)UMA AMEAÇA (12) É oÉ o medíocre pragmatismo da vidamedíocre pragmatismo da vida cotidiana da Igrejacotidiana da Igreja, no qual,, no qual, aparentementeaparentemente,, tudo procede comtudo procede com normalidadenormalidade, mas na verdade, mas na verdade a fé vaia fé vai se desgastando e degenerando emse desgastando e degenerando em mesquinhezmesquinhez. A todos nos toca. A todos nos toca recomeçar a partir de Cristo...recomeçar a partir de Cristo...
  64. 64. Nossas tradições culturais já não seNossas tradições culturais já não se transmitem de uma geração à outra,transmitem de uma geração à outra, afetando inclusive a nossa tradição eafetando inclusive a nossa tradição e experiência religiosa, a nossa famíliaexperiência religiosa, a nossa família (inter-(inter- geracional),geracional), que em tempos passados eraque em tempos passados era um dos espaços mais privilegiados para aum dos espaços mais privilegiados para a transmissão da fétransmissão da fé..((39)
  65. 65. A família fica muito atingidaA família fica muito atingida quando a orientação sexual passa aquando a orientação sexual passa a ser vistaser vista apenas pelas satisfaçõesapenas pelas satisfações pessoais e não pela naturezapessoais e não pela natureza humanahumana, ferindo gravemente a, ferindo gravemente a dignidade do matrimônio. (40)dignidade do matrimônio. (40)
  66. 66. Da família recebemos a vida que é a primeiraDa família recebemos a vida que é a primeira experiência do amor e da fé.experiência do amor e da fé. O grandeO grande tesouro da educação dos filhos na fé consistetesouro da educação dos filhos na fé consiste na experiência de uma vida familiar quena experiência de uma vida familiar que recebe a fé, a conserva, a celebra, a transmiterecebe a fé, a conserva, a celebra, a transmite e dá testemunho delae dá testemunho dela. Os pais devem tomar. Os pais devem tomar consciência de sua irrenunciávelconsciência de sua irrenunciável responsabilidade na formação integral dosresponsabilidade na formação integral dos filhosfilhos. (118)
  67. 67. FAMÍLIA:FAMÍLIA: 1. Patrimônio da humanidade;1. Patrimônio da humanidade; 2. Lugar e escola de comunhão;2. Lugar e escola de comunhão; 3. Pequena igreja doméstica;3. Pequena igreja doméstica; 4. Primeiro local para iniciação cristã das4. Primeiro local para iniciação cristã das crianças;crianças; 5. EIXO TRANSVERSAL DE TODA AÇÃO5. EIXO TRANSVERSAL DE TODA AÇÃO EVANGELIZADORA;EVANGELIZADORA; DGAE 128
  68. 68.  Os pais devem ser os primeirosOs pais devem ser os primeiros catequistas.catequistas.  A espiritualidade conjugal e familiar seA espiritualidade conjugal e familiar se expressa na oração, em família, naexpressa na oração, em família, na participação da eucaristia dominical e naparticipação da eucaristia dominical e na dedicação aos serviços pastorais dadedicação aos serviços pastorais da comunidade.comunidade. DGAE 130
  69. 69. Pilares da espiritualidade familiar: DIÁLOGO, AFETO, PERDÃO E ORAÇÃO.  0 BATISMO E MATRIMÔNIO devem ser mediadores de santificação do cotidiano. DGAE 130
  70. 70. Em meio aos desafios da pós-Em meio aos desafios da pós- modernidade as famílias devem sermodernidade as famílias devem ser auxiliadasauxiliadas com a luz do evangelhocom a luz do evangelho parapara viverem suas alegrias e dores, bemviverem suas alegrias e dores, bem como buscar a prática efetiva doscomo buscar a prática efetiva dos valores cristãos essenciais à família...valores cristãos essenciais à família... DGAE 131
  71. 71. A presença de Cristo através da oração emA presença de Cristo através da oração em família nos ajuda a superar osfamília nos ajuda a superar os problemas,a curar as feridas e abreproblemas,a curar as feridas e abre caminhos de esperançacaminhos de esperança. Muitos vazios do. Muitos vazios do lar podem ser atenuados através delar podem ser atenuados através de serviços prestados pela comunidadeserviços prestados pela comunidade eclesial, família das famílias.eclesial, família das famílias. (119)(119)
  72. 72. • Na paróquia, a família é a primeiraNa paróquia, a família é a primeira comunidade eclesialcomunidade eclesial (Igreja Doméstica).(Igreja Doméstica). NelaNela se vivem e se transmitem os valoresse vivem e se transmitem os valores fundamentais da vida cristã .fundamentais da vida cristã . Aí os paisAí os pais desempenham o papel de primeirosdesempenham o papel de primeiros transmissores da fé a seus filhos, ensinando-transmissores da fé a seus filhos, ensinando- lhes pelo exemplo, a serem verdadeiroslhes pelo exemplo, a serem verdadeiros discípulosdiscípulos.. (204)(204)
  73. 73. Os pais, pelo exemplo, devem oferecer aosOs pais, pelo exemplo, devem oferecer aos seus filhos uma educação para o amor. Aseus filhos uma educação para o amor. A formação autêntica religiosa dos filhos deveformação autêntica religiosa dos filhos deve passar pelas experiências da vida diária napassar pelas experiências da vida diária na própria família.própria família. Os filhos têm o direito deOs filhos têm o direito de poder contar com o pai e a mãe para quepoder contar com o pai e a mãe para que cuidem deles e os acompanhem até acuidem deles e os acompanhem até a plenitude de vida.plenitude de vida. (303)
  74. 74. 1. QUE FATORES/ELEMENTOS/SITUAÇÕES (internas e externas à Paróquia)1. QUE FATORES/ELEMENTOS/SITUAÇÕES (internas e externas à Paróquia) IMPEDEM AS FAMÍLIAS DES SEREM PROTAGINISTAS DA EVANGELIZAÇÃOIMPEDEM AS FAMÍLIAS DES SEREM PROTAGINISTAS DA EVANGELIZAÇÃO EM NOSSAS COMUNIDADES?EM NOSSAS COMUNIDADES? 2. O QUE DEUS ESTÁ NOSA PEDINDO NESTE 2º ENCONTRO DAS FAMÍLIAS2. O QUE DEUS ESTÁ NOSA PEDINDO NESTE 2º ENCONTRO DAS FAMÍLIAS CERIOLIANAS AO RETORNAR EM NOSSAS PARÓQUIAS?CERIOLIANAS AO RETORNAR EM NOSSAS PARÓQUIAS? 3. COMO DAR CONTINUIDADE À FORMAÇÃO QUE NECESSITAMOS PARA3. COMO DAR CONTINUIDADE À FORMAÇÃO QUE NECESSITAMOS PARA QUE TENHAMOS UMA AÇÃO PASTORAL-EVANGELIZADORA MAISQUE TENHAMOS UMA AÇÃO PASTORAL-EVANGELIZADORA MAIS FECUNDA, AFETIVA E EFICIENTE, FRENTE AOS APELOS DO SÍNODO?FECUNDA, AFETIVA E EFICIENTE, FRENTE AOS APELOS DO SÍNODO? 4. COMO IR (ESTRATÉGIA) AO ENCONTRO DE PESSOAS/CASAIS/FAMÍLIAS4. COMO IR (ESTRATÉGIA) AO ENCONTRO DE PESSOAS/CASAIS/FAMÍLIAS QUE AGUARDAM O ANÚNCIO DO EVANGELHO?QUE AGUARDAM O ANÚNCIO DO EVANGELHO? 5. É IMPORTANTE ESTA OPORTUNIDADE QUE A SAGRADA FAMÍLIA DÁ ÀS5. É IMPORTANTE ESTA OPORTUNIDADE QUE A SAGRADA FAMÍLIA DÁ ÀS PARÓQUIAS? POR QUÊ?PARÓQUIAS? POR QUÊ? RODADA 1 G1 G2 G3 G4 G5 G6 G7 G8 G9 G10 P1 P2 P3 P4 P5 P1 P2 P3 P4 P5
  75. 75. RODADA 2 G1 G2 G3 G4 G5 G6 G7 G8 G9 G10 P2 P3 P4 P5 P1 P2 P3 P4 P5 P1 1. QUE FATORES/ELEMENTOS/SITUAÇÕES (internas e externas à Paróquia)1. QUE FATORES/ELEMENTOS/SITUAÇÕES (internas e externas à Paróquia) IMPEDEM AS FAMÍLIAS DES SEREM PROTAGINISTAS DA EVANGELIZAÇÃOIMPEDEM AS FAMÍLIAS DES SEREM PROTAGINISTAS DA EVANGELIZAÇÃO EM NOSSAS COMUNIDADES?EM NOSSAS COMUNIDADES? 2. O QUE DEUS ESTÁ NOSA PEDINDO NESTE 2º ENCONTRO DAS FAMÍLIAS2. O QUE DEUS ESTÁ NOSA PEDINDO NESTE 2º ENCONTRO DAS FAMÍLIAS CERIOLIANAS AO RETORNAR EM NOSSAS PARÓQUIAS?CERIOLIANAS AO RETORNAR EM NOSSAS PARÓQUIAS? 3. COMO DAR CONTINUIDADE À FORMAÇÃO QUE NECESSITAMOS PARA3. COMO DAR CONTINUIDADE À FORMAÇÃO QUE NECESSITAMOS PARA QUE TENHAMOS UMA AÇÃO PASTORAL-EVANGELIZADORA MAISQUE TENHAMOS UMA AÇÃO PASTORAL-EVANGELIZADORA MAIS FECUNDA, AFETIVA E EFICIENTE, FRENTE AOS APELOS DO SÍNODO?FECUNDA, AFETIVA E EFICIENTE, FRENTE AOS APELOS DO SÍNODO? 4. COMO IR (ESTRATÉGIA) AO ENCONTRO DE PESSOAS/CASAIS/FAMÍLIAS4. COMO IR (ESTRATÉGIA) AO ENCONTRO DE PESSOAS/CASAIS/FAMÍLIAS QUE AGUARDAM O ANÚNCIO DO EVANGELHO?QUE AGUARDAM O ANÚNCIO DO EVANGELHO? 5. É IMPORTANTE ESTA OPORTUNIDADE QUE A SAGRADA FAMÍLIA DÁ ÀS5. É IMPORTANTE ESTA OPORTUNIDADE QUE A SAGRADA FAMÍLIA DÁ ÀS PARÓQUIAS? POR QUÊ?PARÓQUIAS? POR QUÊ?
  76. 76. RODADA 3 G1 G2 G3 G4 G5 G6 G7 G8 G9 G10 P3 P4 P5 P1 P2 P3 P4 P5 P1 P2 1. QUE FATORES/ELEMENTOS/SITUAÇÕES (internas e externas à Paróquia)1. QUE FATORES/ELEMENTOS/SITUAÇÕES (internas e externas à Paróquia) IMPEDEM AS FAMÍLIAS DES SEREM PROTAGINISTAS DA EVANGELIZAÇÃOIMPEDEM AS FAMÍLIAS DES SEREM PROTAGINISTAS DA EVANGELIZAÇÃO EM NOSSAS COMUNIDADES?EM NOSSAS COMUNIDADES? 2. O QUE DEUS ESTÁ NOSA PEDINDO NESTE 2º ENCONTRO DAS FAMÍLIAS2. O QUE DEUS ESTÁ NOSA PEDINDO NESTE 2º ENCONTRO DAS FAMÍLIAS CERIOLIANAS AO RETORNAR EM NOSSAS PARÓQUIAS?CERIOLIANAS AO RETORNAR EM NOSSAS PARÓQUIAS? 3. COMO DAR CONTINUIDADE À FORMAÇÃO QUE NECESSITAMOS PARA3. COMO DAR CONTINUIDADE À FORMAÇÃO QUE NECESSITAMOS PARA QUE TENHAMOS UMA AÇÃO PASTORAL-EVANGELIZADORA MAISQUE TENHAMOS UMA AÇÃO PASTORAL-EVANGELIZADORA MAIS FECUNDA, AFETIVA E EFICIENTE, FRENTE AOS APELOS DO SÍNODO?FECUNDA, AFETIVA E EFICIENTE, FRENTE AOS APELOS DO SÍNODO? 4. COMO IR (ESTRATÉGIA) AO ENCONTRO DE PESSOAS/CASAIS/FAMÍLIAS4. COMO IR (ESTRATÉGIA) AO ENCONTRO DE PESSOAS/CASAIS/FAMÍLIAS QUE AGUARDAM O ANÚNCIO DO EVANGELHO?QUE AGUARDAM O ANÚNCIO DO EVANGELHO? 5. É IMPORTANTE ESTA OPORTUNIDADE QUE A SAGRADA FAMÍLIA DÁ ÀS5. É IMPORTANTE ESTA OPORTUNIDADE QUE A SAGRADA FAMÍLIA DÁ ÀS PARÓQUIAS? POR QUÊ?PARÓQUIAS? POR QUÊ?
  77. 77. RODADA 4 G1 G2 G3 G4 G5 G6 G7 G8 G9 G10 P4 P5 P1 P2 P3 P4 P5 P1 P2 P3 1. QUE FATORES/ELEMENTOS/SITUAÇÕES (internas e externas à Paróquia)1. QUE FATORES/ELEMENTOS/SITUAÇÕES (internas e externas à Paróquia) IMPEDEM AS FAMÍLIAS DES SEREM PROTAGINISTAS DA EVANGELIZAÇÃOIMPEDEM AS FAMÍLIAS DES SEREM PROTAGINISTAS DA EVANGELIZAÇÃO EM NOSSAS COMUNIDADES?EM NOSSAS COMUNIDADES? 2. O QUE DEUS ESTÁ NOSA PEDINDO NESTE 2º ENCONTRO DAS FAMÍLIAS2. O QUE DEUS ESTÁ NOSA PEDINDO NESTE 2º ENCONTRO DAS FAMÍLIAS CERIOLIANAS AO RETORNAR EM NOSSAS PARÓQUIAS?CERIOLIANAS AO RETORNAR EM NOSSAS PARÓQUIAS? 3. COMO DAR CONTINUIDADE À FORMAÇÃO QUE NECESSITAMOS PARA3. COMO DAR CONTINUIDADE À FORMAÇÃO QUE NECESSITAMOS PARA QUE TENHAMOS UMA AÇÃO PASTORAL-EVANGELIZADORA MAISQUE TENHAMOS UMA AÇÃO PASTORAL-EVANGELIZADORA MAIS FECUNDA, AFETIVA E EFICIENTE, FRENTE AOS APELOS DO SÍNODO?FECUNDA, AFETIVA E EFICIENTE, FRENTE AOS APELOS DO SÍNODO? 4. COMO IR (ESTRATÉGIA) AO ENCONTRO DE PESSOAS/CASAIS/FAMÍLIAS4. COMO IR (ESTRATÉGIA) AO ENCONTRO DE PESSOAS/CASAIS/FAMÍLIAS QUE AGUARDAM O ANÚNCIO DO EVANGELHO?QUE AGUARDAM O ANÚNCIO DO EVANGELHO? 5. É IMPORTANTE ESTA OPORTUNIDADE QUE A SAGRADA FAMÍLIA DÁ ÀS5. É IMPORTANTE ESTA OPORTUNIDADE QUE A SAGRADA FAMÍLIA DÁ ÀS PARÓQUIAS? POR QUÊ?PARÓQUIAS? POR QUÊ?
  78. 78. RODADA 5 G1 G2 G3 G4 G5 G6 G7 G8 G9 G10 P5 P1 P2 P3 P4 P5 P1 P2 P3 P4 1. QUE FATORES/ELEMENTOS/SITUAÇÕES (internas e externas à Paróquia)1. QUE FATORES/ELEMENTOS/SITUAÇÕES (internas e externas à Paróquia) IMPEDEM AS FAMÍLIAS DES SEREM PROTAGINISTAS DA EVANGELIZAÇÃOIMPEDEM AS FAMÍLIAS DES SEREM PROTAGINISTAS DA EVANGELIZAÇÃO EM NOSSAS COMUNIDADES?EM NOSSAS COMUNIDADES? 2. O QUE DEUS ESTÁ NOSA PEDINDO NESTE 2º ENCONTRO DAS FAMÍLIAS2. O QUE DEUS ESTÁ NOSA PEDINDO NESTE 2º ENCONTRO DAS FAMÍLIAS CERIOLIANAS AO RETORNAR EM NOSSAS PARÓQUIAS?CERIOLIANAS AO RETORNAR EM NOSSAS PARÓQUIAS? 3. COMO DAR CONTINUIDADE À FORMAÇÃO QUE NECESSITAMOS PARA3. COMO DAR CONTINUIDADE À FORMAÇÃO QUE NECESSITAMOS PARA QUE TENHAMOS UMA AÇÃO PASTORAL-EVANGELIZADORA MAISQUE TENHAMOS UMA AÇÃO PASTORAL-EVANGELIZADORA MAIS FECUNDA, AFETIVA E EFICIENTE, FRENTE AOS APELOS DO SÍNODO?FECUNDA, AFETIVA E EFICIENTE, FRENTE AOS APELOS DO SÍNODO? 4. COMO IR (ESTRATÉGIA) AO ENCONTRO DE PESSOAS/CASAIS/FAMÍLIAS4. COMO IR (ESTRATÉGIA) AO ENCONTRO DE PESSOAS/CASAIS/FAMÍLIAS QUE AGUARDAM O ANÚNCIO DO EVANGELHO?QUE AGUARDAM O ANÚNCIO DO EVANGELHO? 5. É IMPORTANTE ESTA OPORTUNIDADE QUE A SAGRADA FAMÍLIA DÁ ÀS5. É IMPORTANTE ESTA OPORTUNIDADE QUE A SAGRADA FAMÍLIA DÁ ÀS PARÓQUIAS? POR QUÊ?PARÓQUIAS? POR QUÊ?
  79. 79. E, tendo Jesus entrado em Jericó, ia passando. 1 E eis que havia ali um homem chamado Zaqueu; e era este um chefe dos publicanos, e era rico.2 E procurava ver quem era Jesus, e não podia, por causa da multidão, pois era de pequena estatura.3 E, correndo adiante, subiu a um sicômoro para o ver; porque havia de passar por ali. 4 E quando Jesus chegou àquele lugar, olhando para cima, viu-o e disse-lhe: Zaqueu, desce depressa, porque hoje me convém pousar em tua casa. Lc. 19, 1-10 Lc. 19, 1-10
  80. 80. Lc. 19, 1-10 5 E, apressando-se,5 E, apressando-se, desceudesceu,, e recebeu-oe recebeu-o alegrementealegremente. 6 E, vendo todos isto,. 6 E, vendo todos isto, murmuravam, dizendo que entrara para sermurmuravam, dizendo que entrara para ser hóspede de um homem pecador. 7 E,hóspede de um homem pecador. 7 E, levantando-se Zaqueu, disse ao Senhor:levantando-se Zaqueu, disse ao Senhor: Senhor, eis que eu dou aos pobres metadeSenhor, eis que eu dou aos pobres metade dos meus bens; e, se nalguma coisa tenhodos meus bens; e, se nalguma coisa tenho defraudado alguém, o restituo quadruplicado.defraudado alguém, o restituo quadruplicado. 8 E disse-lhe Jesus:8 E disse-lhe Jesus: HOJE VEIO AHOJE VEIO A SALVAÇÃO A ESTA CASA...SALVAÇÃO A ESTA CASA... Lc. 19, 1-10
  81. 81. Lc. 19, 1-10 Vamos decidir ainda hoje em pedir aoVamos decidir ainda hoje em pedir ao Senhor que nos ensine aSenhor que nos ensine a desejá-Lodesejá-Lo sempre mais, asempre mais, a conhecê-Loconhecê-Lo sempresempre mais e assim como Zaqueumais e assim como Zaqueu procurá-procurá- LoLo sempre mais, para que dessasempre mais, para que dessa forma sejamos de fato a Igrejaforma sejamos de fato a Igreja Doméstica e testemunhas paraDoméstica e testemunhas para nossos filhos.nossos filhos. Lc. 19, 1-10
  82. 82. Lc. 19, 1-10 TRABALHOS DE GRUPOTRABALHOS DE GRUPO 1. QUE FATORES/ELEMENTOS/SITUAÇÕES (internas e externas à Paróquia) IMPEDEM AS FAMÍLIAS DES SEREM PROTAGINISTAS DA EVANGELIZAÇÃO EM NOSSAS COMUNIDADES? 2. O QUE DEUS ESTÁ NOSA PEDINDO NESTE 2º ENCONTRO DAS FAMÍLIAS CERIOLIANAS AO RETORNAR EM NOSSAS PARÓQUIAS? 3. COMO DAR CONTINUIDADE À FORMAÇÃO QUE NECESSITAMOS PARA QUE TENHAMOS UMA AÇÃO PASTORAL-EVANGELIZADORA MAIS FECUNDA, AFETIVA E EFICIENTE, FRENTE AOS APELOS DO SÍNODO? 4. COMO IR (ESTRATÉGIA) AO ENCONTRO DE PESSOAS/CASAIS/FAMÍLIAS QUE AGUARDAM O ANÚNCIO DO EVANGELHO? 5. É IMPORTANTE ESTA OPORTUNIDADE QUE A SAGRADA FAMÍLIA DÁ ÀS PARÓQUIAS? POR QUÊ?

×