Relatório de estágio Luana Batalha

2.050 visualizações

Publicada em

Publicada em: Mídias sociais
0 comentários
2 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
2.050
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
7
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
78
Comentários
0
Gostaram
2
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Relatório de estágio Luana Batalha

  1. 1. ESCOLA SENAI ANTÔNIO SIMÕES CURSO TÉCNICO EM INFORMÁTICA LUANA CRISTINA BATALHA RELATÓRIO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO MANAUS 2014
  2. 2. LUANA CRISTINA BATALHA RELATÓRIO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO MANAUS 2014 Relatório de estágio apresentado ao Curso Técnico em Informática da Escola SENAI Antônio Simões – Manaus, sob orientação do Prof. Samir Batalha.
  3. 3. FOLHA DE IDENTIFICAÇÃO ESTAGIÁRIO (A): Luana Cristina Batalha ORIENTADOR: Samir Batalha INSTITUIÇÃO CONCEDENTE: COMPTREINE SUPERVISOR: Celso Corsino ÁREA DE DESENVOLVIMENTO: Laboratório De Informática PERÍODO DE REALIZAÇÃO: Inicio 05/07/2010 E Término 04/01/2011 CARGA HORÁRIA TOTAL: 580 Horas
  4. 4. AVALIAÇÃO DO RELATÓRIO DE ESTÁGIO TOTAIS ASPECTOS AVALIADOS 0 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 Composição do relatório Linguagem adequada Aspectos Estruturais Progressão Textual Objetividade Clareza Coesão Coerência Conteúdo técnico Fundamentação CONCEITOS A – de 90 a 100 % B – de 70 a 89 % C – de 60 a 69 % R – de 0 a 59 % TOTAL DE PONTOS DISTRIBUÍDOS: 100 PONTOS MÍNIMO PARA APROVAÇÃO: 60 PONTOS NOTA ALCANÇADA: __________PONTOS CONCEITO: _________________________ DATA: ____/____/____ _____________________________________ ASSINATURA DO AVALIADOR
  5. 5. SUMÁRIO INTRODUÇÃO............................................................................................................6 1 A EMPRESA ..................................................................................................7 1.1 Missão Da Empresa......................................................................................7 1.2 Compromisso................................................................................................7 2 ATIVIDADES DESENVOLVIDAS ..................................................................8 2.1 Manutenção Preventiva................................................................................8 2.1.1 Hardware ........................................................................................................8 2.1.2 Software .........................................................................................................9 Proteção .........................................................................................................92.1.2.1 Atualização ou Updater ................................................................................102.1.2.2 Limpeza ........................................................................................................112.1.2.3 Backup..........................................................................................................112.1.2.4 2.2 Manutenção Corretiva................................................................................16 2.2.1 Hardware ......................................................................................................16 Drive ótico.....................................................................................................162.2.1.1 Processador .................................................................................................162.2.1.2 Memória RAM...............................................................................................172.2.1.3 HD ................................................................................................................172.2.1.4 Estabilizador .................................................................................................192.2.1.5 Cabo de Força..............................................................................................192.2.1.6 Cabo de Rede ..............................................................................................202.2.1.7 2.2.2 Software .......................................................................................................22 2.3 Instrutora De Informática ...........................................................................23 2.3.1 Ligando Servidor e Terminais.......................................................................23 2.3.2 Utilização do SGDA Plus ..............................................................................24 Cadastro de Alunos ......................................................................................242.3.2.1 Consulta de Login ou Matrícula do Aluno.....................................................252.3.2.2 Redefinir Senha de Aluno.............................................................................252.3.2.3 Trocar Módulo ..............................................................................................262.3.2.4
  6. 6. 2.3.3 Utilização das Apostilas................................................................................27 2.3.4 Procedimentos para Instrução de Informática ..............................................28 Alunos rápidos..............................................................................................282.3.4.1 Atendimento aos alunos ...............................................................................282.3.4.2 Identificando alunos com dificuldades elevadas...........................................292.3.4.3 Como agir com alunos em dificuldades?......................................................292.3.4.4 Como agir com alunos avançados?..............................................................292.3.4.5 Como e quando aplicar provas?...................................................................292.3.4.6 Como encerrar a aula?.................................................................................302.3.4.7 3 CONSIDERAÇÕES FINAIS .........................................................................31 REFERÊNCIAS.........................................................................................................32 ÍNDICE DE ILUSTRAÇÕES......................................................................................33
  7. 7. 6 INTRODUÇÃO O presente relatório descreve as atividades referentes ao período de estágio curricular do Curso Técnico em Informática, oferecido pelo Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial – SENAI ANTÔNIO SIMÕES. O estágio teve início no dia 07 julho de 2010 e término do dia 04 de janeiro de 2011 e foi realizado na empresa COMPTREINE. Conforme proposto, este relatório faz uma avaliação final das atividades desenvolvidas durante o estagio, realçando os pontos principais métodos utilizados, conhecimentos práticos, entre a unidade concedente e o estagio. Neste trabalho serão relatadas além das atividades desenvolvidas durante o estágio, outras atividades realizadas ao longo do ano tanto no campo da instrução de informática quanto da manutenção de computadores, desenvolvidas na referida empresa. Portanto objetivo do estagiário na empresa era desenvolver atividades em sala de aula sobre o Hardware, software, redes de computadores, programação Asp e Action Script, contabilidade básica e administrativa, dominação dos aplicativos ADOBE Applications e Microsoft OFFICE tais como Photoshop, Flash Professional, Dreamweaver, Illustrator, Word, Excel, Access e Outlook entre outros, com os alunos Jovens ou Adultos. Verificando quais as contribuições que a informática traz para o ensino aprendizado dos alunos.
  8. 8. 7 1 A EMPRESA A COMPTREINE - Educação Profissional é uma escola especializada em ensino / treinamento em informática. Nasceu há aproximadamente 14 anos (13 de março de 2000) com o nome ICM Cursos. Para uma melhor identificação com público, o ICM Cursos mudou seu nome para Comptreine Educação Profissional (COMP de competência ou de Computador e TREINE de treinamentos). 1.1 Missão Da Empresa Participar do real processo educativo de maneira crítica e facilitadora, proporcionando aos alunos condições de desenvolverem competências para a inclusão digital, econômica e social com qualidade. 1.2 Compromisso A COMPTREINE – Educação Profissional faz questão de se comprometer em oferecer treinamentos, com a qualidade com as seguintes vantagens.  Material de alta qualidade;  Oferecer um ambiente propício ao aprendizado, com salas climatizadas, bem como máquinas (computadores) atuais;  Observar todos os dispositivos do código de defesa do consumidor;  Manter instrutores sempre atualizados;  Oferecer treinamentos que atendam as necessidades do dia-a-dia, bem como ao mercado de trabalho;  Ouvir e dar satisfação sempre ao cliente através dos habituais canais de comunicação, tais como e-mail;  Transparência e Inovação;
  9. 9. 8 2 ATIVIDADES DESENVOLVIDAS 2.1 Manutenção Preventiva Existe uma série de procedimentos, que podem ajudar a proteger os equipamentos, informações e a privacidade do usuário. Com base na análise prévia dos computadores, aplicava-se ações que visavam evitar que determinados erros (de software e/ou hardware) ocorressem. Utilizávamos os seguintes procedimentos na manutenção preventiva no laboratório de informática: 2.1.1 Hardware Limpeza física dos equipamentos, realizado com cautela e delicadeza, tais como: gabinete, teclado, monitor e mouse. Figura 1 – Limpeza interna do gabinete. (Fonte de imagem: pt.wikihow.com) Utilização de Nobreaks ou estabilizadores. Equipamentos posicionados em lugares onde evitasse umidade, poeira e fumaça, não obstruindo a entrada de ar.
  10. 10. 9 2.1.2 Software O que deve ser feito para proteger as máquinas sempre é uma dúvida. Na verdade não é um programa, mas um conjunto de ações que permitem que o PC fique o mais protegido possível. Veja as praticas desenvolvida na empresa para uma manutenção preventiva. Proteção2.1.2.1 O antivírus pode não ser o único responsável pela segurança do computador, mas com certeza, é um dos principais e primeiro passo para a proteção. O firewall trabalha juntamente com o antivírus. Uma vez que ele é o responsável em expulsar o que é de caráter duvidoso antes que ele entre na máquina. Uma vez dentro (quando o firewall falha) ainda se tem o antivírus que fará o que for possível para eliminá-lo Figura 2 - Escaneamento completo do sistema.
  11. 11. 10 Atualização ou Updater2.1.2.2 Mantinha-se atualizado o antivírus, sistema operacional entre outros. As atualizações eram configuradas para serem realizadas automaticamente ou mesmo feitas manualmente quando necessário. Figura 3 - Atualização de Software
  12. 12. 11 Limpeza2.1.2.3 A limpeza de software ou arquivos desnecessários e a correção de registros torna-se o computador mais acessível. Figura 4 - Limpeza ou Correção de Registro Backup2.1.2.4  DEEP FREEZE Com S.O. instalado nos terminais e com todos os softwares necessários para desenvolvimentos das atividades dos alunos, instalava-se o DEEP FREEZE onde realizava a Restauração do sistema, ou seja, toda vez que o PC era desligado, voltava ao estado anterior padrão estabelecido pela empresa, logo qualquer coisa feita durante o uso, ao ser desligado era excluído. Compartilhava-se uma pasta do servidor que não continha o DEEP FREEZE instalado, para salvar arquivos das atividades desenvolvidas pelos alunos. Instava-se nos terminais de acordo com a figura seguinte.
  13. 13. 12 Fluxograma 1 - Estrutura de Rede, Laboratório de Informática.
  14. 14. 13  Acronis True Image Utilizava-se Acronis True Image para o Servidor e Terminais as tecnologias de sincronização mais recentes. Executava a função Imagem de disco, para backup não apenas arquivos, mas a configuração exata do computador, incluindo sistema operacional, configurações e aplicativos. Evitando desastres como queima dos equipamentos. O backup poderia ser salvo em um HD EXTERNO ou HD SLAVE. Figura 5 - Função Backup Imagem de Disco com Acronis True Image. O Clone de Imagem do S.O. era efetuado de acordo com modelo da placa-mãe (do inglês: mainboard ou motherboard). Em alguns casos existiam terminais com motherboards distinto sendo necessário backup da mesma. Para não obter vários arquivos de IMAGEM, consumindo muito o espaço do HD externo, a empresa adotou um padrão de motherboard, processador e placas offboard para todos os terminais do laboratório de informática. Além do arquivo de imagem, era necessário criar um CD ou Mídia de boot para uma futura recuperação do sistema.
  15. 15. 14 Figura 6 - Criação de Mídia Boot  Cópia de Segurança do Roteador. Realizava esta função do roteador privado, pois a opção filtro MAC e reserva DHCP estava habilitada e existiam vários endereços MAC das placas de redes cadastrados. Para evitar problemas realizava-se o backup das configurações. Figura 7 - Cópia de Segurança do Roteador - WIFI. Alguns destes procedimentos não aconteciam diariamente, sucedia-se em intervalos regulares como demostrado na tabela a seguir:
  16. 16. 15 Tabela 1 - Manutenção Preventiva Sit. Sit. Sit. Sit. Sit. Sit. OK OK OK OK OK OK 1 Atualização do Hardware Anual 10/01/2011 10/01/2013 2 Backup S.O. + Escanea. Antivirus Mensal 17/01/2011 17/02/2011 x 17/03/2011 x 17/04/2011 x 17/05/2011 x 17/06/2011 x 17/07/2011 x 3 Atualização de Antivírus Semanal 15/01/2011 21/01/2011 27/01/2011 x 02/02/2011 08/02/2011 x 14/02/2011 20/02/2011 4 Limpeza e Correção de Registros Semanal 15/01/2011 21/01/2011 x 27/01/2011 02/02/2011 x 08/02/2011 14/02/2011 20/02/2011 26/02/2011 04/03/2011 x 10/03/2011 x 16/03/2011 22/03/2011 28/03/2011 x 26/02/2011 x 04/03/2011 x 10/03/2011 16/03/2011 22/03/2011 x 28/03/2011 03/04/2011 09/04/2011 x 15/04/2011 x 21/04/2011 27/04/2011 03/05/2011 03/04/2011 09/04/2011 15/04/2011 21/04/2011 27/04/2011 03/05/2011 x 09/05/2011 15/05/2011 21/05/2011 x 27/05/2011 02/06/2011 x 08/06/2011 x 09/05/2011 15/05/2011 21/05/2011 27/05/2011 x 02/06/2011 08/06/2011 14/06/2011 20/06/2011 26/06/2011 x 02/07/2011 08/07/2011 x 14/07/2011 x 14/06/2011 20/06/2011 x 26/06/2011 02/07/2011 08/07/2011 14/07/2011 20/07/2011 26/07/2011 x 01/08/2011 07/08/2011 x 13/08/2011 x 19/08/2011 x 20/07/2011 26/07/2011 01/08/2011 07/08/2011 13/08/2011 x 19/08/2011 x 5 Limpeza Computadores - Hardware Semestral 10/01/2011 10/07/2011 x 6 Atualização de Software Semestral 10/01/2011 10/07/2011 x Manutenção Preventiva Data 01 Data 02 Data 03 Data 04 Data 05 Data 06Período Ínicio Continuação Procedimento
  17. 17. 16 2.2 Manutenção Corretiva Irei destacar uns dos principais reparos dos defeitos constatados no estágio supervisionado. 2.2.1 Hardware Drive ótico2.2.1.1 Problema que um gravador de CDs pode apresentava é o buffer underrun onde diminuíamos a velocidade de gravação. Ou problema com o cabo flat, onde era substituído por outro na interface IDE. Figura 8 - Cabo FLAT Processador2.2.1.2 Sobreaquecimento do processador. Alterava-se para uma frequência menor. Evitando sobrecarregar o CPU.
  18. 18. 17 Figura 9 - Configurando Frequência do Processador Memória RAM2.2.1.3 Com o tempo formava-se a pequena oxidação sobre terminas de cobre (contato) e causando mau contato. Passava-se a borracha nos CONTATOS DO PENTE DE MEMÓRIA para limpar. Figura 10 - Limpeza do pente de memória. HD2.2.1.4 Uns dos problemas ocorridos e solucionados no HD eram as seguintes:
  19. 19. 18  Cabo SATA defeituoso realizava-se a troca. Figura 11 - Instalação do cabo SATA e o conector de força da fonte.  Boot DESATIVADO no HD, com o seguinte erro “Falta NTLDR - Pressione control + alt + del para reiniciar”, habilitava-se pela BIOS, priorizando BOOT no HD. Figura 12 - Habilitando BOOT no HD.
  20. 20. 19 Estabilizador2.2.1.5 Devida uma determinada oscilação na energia, os computadores não ligavam, observasse que os fusíveis dos estabilizadores queimavam. Efetuando as trocas. Figura 13 - Local de Troca de Fusível estabilizador. Figura 14 - Modelo de fusível. Cabo de Força2.2.1.6 Quando o procedimento de manutenção do estabilizador não era o problema, então verificava a voltagem da fonte se a chave da fonte estava correta de acorda a distribuição de energia para o estabilizador, sendo 110/220 na parte traseira da fonte estava correta. Ou efetuava a troca do cabo de força.
  21. 21. 20 Figura 15 - Cabo de Força Cabo de Rede2.2.1.7 Em certos momentos, determinador terminal não se conectava ao sistema SGDA Plus, verificando-se o Mapeamento da Unidade de Rede do Servidor, endereçamento IP do Protocolo TCP/IP, através do status de conexão local. Figura 16 - Status de Conexão Local
  22. 22. 21 Ou então, Teste cabo de rede ligado ao terminal com o TESTADOR DE CABOS DE REDE RJ-45. Figura 17 – Testador de cabo de rede RJ-45. Caso a verificação acima descrita determinasse alguma falha, então era procedido o seguinte: Reparo de cabo de Rede, efetuando um novo cabeamento de rede Par trançado. Figura 18 - Conectorização T568A para 1000BASET (Gigabit Ethernet)
  23. 23. 22 2.2.2 Software As falhas no Windows ocorriam pelas seguintes causas no laboratório de informática: Memória cache defeituosa ou mal configurada no Setup, com este defeito desabilitava a cache externa, através do Advanced CMOS Setup. Conflitos entre programas e drivers, quando havia conflito de drivers utilizava-se o programa DEVICEDOCTOR para atualização de drivers. Ou utilizava- se outro procedimento que era desinstalação do programa antigo deixando somente o software atual. Usando o REVO UNINSTALLER desinstalação avançada, eliminando todas as informações deixadas pelo aplicativo em conflito. Figura 19 - Desinstalação REVO Avançado. Se todos os procedimentos de Hardware e Software testados e executados sem qualquer sucesso, montava-se um novo terminal ou servidor
  24. 24. 23 restaurando o sistema com o ACRONIS TRUE IMAGE. Com o CD boot criado através de backup mais o arquivo com extensão *.tib 2.3 Instrutora De Informática Especializei-me em acompanhar, orientar e supervisionar as atividades no laboratório de informática usado pelos alunos, auxiliando-os na exploração dos recursos técnicos oferecidos pelos equipamentos da sala de Informática. Complementando as atividades propostas, buscando sites de interesse do conteúdo curricular e então decidindo se usará com a classe. Elaborando atividades na sala de Informática fora do período das aulas: momentos de pesquisa de alunos e professores. Organizando o uso da sala para: pesquisa, comunicação e desenvolvimento das atividades propostas. A seguir destacarei as atividades mais realizadas no decorrer do estágio. 2.3.1 Ligando Servidor e Terminais Eram realizados os seguintes procedimentos para inicio da aula no laboratório de informática. I. Ligar o Servidor II. Executar Proteção SGDA Plus – Servidor III. Ligar os Terminais IV. Executar Proteção SGDA Plus – Terminal Caso ocorresse algum erro de proteção visualizava-se a data e hora dos terminais, pois tinham que estar sincronizado com a data e hora do servidor. Corrigindo pelo Setup da BIOS da placa-mãe do Terminal, para finalizar com o erro trocava-se a bateria da placa-mãe do terminal.
  25. 25. 24 2.3.2 Utilização do SGDA Plus A empresa utilizava a Metodologia ADVANCE cursos de Informática, Profissionalizantes, Idiomas e tecnologia. Onde se utilizava ferramentas necessárias para administrar as aulas com o SGDA Plus. Este software permite o controle total da sala de aula, dos alunos, dos setores administrativos. Sendo assim elaborei dicas das funcionalidades deste software abstraído no decorrer do estágio, sendo as principais a seguir: Cadastro de Alunos2.3.2.1 I. Clique em Incluir Novo Aluno da Guia Administrativo II. Cadastre a matéria o qual o aluno inicia. III. Caso o Aluno Conter a matéria DIGITAÇÂO cadastre todas as matérias correspondente ao curso que ele ira estudar, por ultimo inclua a Digitação. IV. Cadastre o Horário Correto do Aluno V. Caso o Aluno cursar 2 ou mais horas diárias, distribua uniformemente os horários para apostilas, simulador ou digitação para o aluno não ficar entediado. VI. Cadastre 1º o horário para simulador para o segundo dia de aula do aluno. VII. Clique em Avançar VIII. Cadaste por ultimo o horário de digitação no dia atual o qual o aluno inicia. Por Exemplo:
  26. 26. 25 Figura 20 - Horário dos Cursos Profissionalizantes. IX. Clique em Avançar X. E conclua o Processo de Inclusão do Aluno. Consulta de Login ou Matrícula do Aluno2.3.2.2 I. Clique na Guia Administrativo II. Alteração de dados do Aluno III. Digite as iniciais do nome do Aluno corretamente IV. Selecione o registro o qual consta o nome do Aluno e visualize o dado na coluna Matrícula. Redefinir Senha de Aluno2.3.2.3 I. Clique na Guia Sala de Aula II. No Grupo Alunos III. Selecione a Opção Alterar Dados dos Alunos IV. Clique em Trocar Senha do Logon do Aluno V. Digite a Matrícula + Enter VI. Clique em Avançar VII. Digite a Nova Senha nos 2 Campos disponíveis
  27. 27. 26 VIII. Clique em Avançar IX. E conclua o processo Trocar Módulo2.3.2.4 I. Clique na Guia Sala de Aula II. No Grupo Alunos III. Selecione Alterar Dados dos Alunos IV. Mudar Atividade Atual de Informática V. Digite a Matrícula do Aluno VI. Selecione a matéria ou modulo em que o aluno ira mudar Figura 21 - Seleção Matéria VII. Mude a atividade do Curso. Obs.: No de informática Básica Essencial consta dois módulos em um, por exemplo: Essencial 1 com Windows 7 e Word 2007, na atividade Windows 7 consta na aula 4 + teste Final da no total Windows 7 = 5 aulas. Na atividade de Word 2007 o simulador inicia na Atividade um, Porém na troca de atividade serão 7. Pois será a continuação do Windows 7 =5 + 1º atividade do Word 2007, sendo num total 6º na atividade.
  28. 28. 27 Fluxograma 2 - Ordem de Cadastro do Curso Informática Básica Figura 22 – Alterando Atividade do Curso VIII. Clique em Avançar IX. E Conclua o processo 2.3.3 Utilização das Apostilas I. Marcar Sua Assinatura com Data, no ponto de parada da apostila do Aluno. Para um melhor acompanhamento, pois existem alunos que pulam atividades argumentando que já fizeram a tal prejudicando o seu desenvolvimento em outras atividades. Windows 7 Atividade 1 Atividade 2 Atividade 3 Atividade 4 Teste Final Word 2007 Atividade 1 Atividade 2 1º 3º 2º 4º 5º 7º 6º
  29. 29. 28 II. Auxiliar o Aluno marcar com X as numerações práticas a qual não consegue executar e com V as que conseguirem. III. Alunos Hardware IV. Exija sempre do Aluno ao terminar cada Atividade do Simulador responder as perguntas nas apostilas, avisando-lhe de teste escrito por Módulo. 2.3.4 Procedimentos para Instrução de Informática Elaborei uma série de operações realizadas no laboratório com os alunos, apontando erros evitáveis em vista de um resultado, irei exprimir nos tópicos seguintes o conjunto de procedimentos utilizados para operacionalizar a execução das diversas etapas para instrução de informática. Alunos rápidos2.3.4.1 I. Complemente as aulas com outras atividades. II. Uso de internet para pesquisas com Utilização do Word ou Excel. III. Revisando uma matéria em que obteve dificuldades IV. Praticando digitação com redações sobre a história da informática V. Para crianças o uso do Paint. VI. Ou fazer alguma atividade em algum software educativo. Atendimento aos alunos2.3.4.2 Cumprimente o aluno ao chegar ao laboratório e o encaminhe a um computador, instruindo para o curso o qual estuda.
  30. 30. 29 Identificando alunos com dificuldades elevadas2.3.4.3 O aluno tem 1 hora para cada simulador e 1 hora para executar uma atividade da apostila. Caso o aluno ultrapassar, mas de 2 horas para executar uma atividade da apostila ou assistir uma atividade do simulador ele encontra-se com dificuldade. Como agir com alunos em dificuldades?2.3.4.4 Passe atividades mais simples em relação à atividade que o tal estiver cursando, prosseguindo gradativamente seus conhecimentos. Como agir com alunos avançados?2.3.4.5 Elabore atividades extras complementares com certas dificuldades em relação à atividade exercida, sendo criativo. Como e quando aplicar provas?2.3.4.6 A cada termino de módulos o aluno deve executar sua prova de conhecimento. Elimine 0,5 décimos do aluno a cada consulta de dicas para o teste. Se o aluno obtiver uma nota menor ou igual a 6 identifique seus erros e mostre a correta depois faça a prova de recuperação e elimine 0,8 décimos a cada consulta.
  31. 31. 30 Como encerrar a aula?2.3.4.7 Caso o aluno não termine a atividade da apostila, mande-o salvar no seu drive pessoal. E dê um visto com seu nome e data, para que na próxima aula o aluno possa continuar de onde parou. O SGDA Plus bloqueia o computador quando a carga horária diária do aluno termina, libere um minuto para o aluno salvar suas atividades ou para salvar o ponto de parada do simulador.
  32. 32. 31 3 CONSIDERAÇÕES FINAIS Ao final deste período de estágio, pode-se concluir que esta etapa na vida tem importância fundamental, pois proporciona colocar os conhecimentos adquiridos em pratica e observar como os preceitos são trabalhados na pratica. Além disso, observa-se a gama de conhecimento utilizado neste período, onde as disciplinas oferecidas pelo curso Técnico em Informática do SENAI contribuíram na formação profissional. Ao final do estágio foi possível alcançar os objetivos iniciais, que eram obter plenas condições, a partir da necessidade da empresa, garantindo ao final, o funcionamento e cumprimentos dos objetivos previamente estabelecidos.
  33. 33. 32 REFERÊNCIAS Hayama, M. M. (2009). Montagem de Redes Locais. Erica. J. Branco, A. (2008). Manual de Instalação e Reparação de Computadores. Fca. Paixão, R. R. (2006). Montagem e Configuração de Computadores - Guia Prático. Weixel, S. (2006). Como Usar o Pc.
  34. 34. 33 ÍNDICE DE ILUSTRAÇÕES Figura 1 – Limpeza interna do gabinete. .....................................................................8 Figura 2 - Escaneamento completo do sistema. .........................................................9 Figura 3 - Atualização de Software ...........................................................................10 Figura 4 - Limpeza ou Correção de Registro ............................................................11 Figura 5 - Função Backup Imagem de Disco com Acronis True Image. ...................13 Figura 6 - Criação de Mídia Boot...............................................................................14 Figura 7 - Cópia de Segurança do Roteador - WIFI..................................................14 Figura 8 - Cabo FLAT................................................................................................16 Figura 9 - Configurando Frequência do Processador................................................17 Figura 10 - Limpeza do pente de memória................................................................17 Figura 11 - Instalação do cabo SATA e o conector de força da fonte. .....................18 Figura 12 - Habilitando BOOT no HD........................................................................18 Figura 13 - Local de Troca de Fusível estabilizador..................................................19 Figura 14 - Modelo de fusível....................................................................................19 Figura 15 - Cabo de Força ........................................................................................20 Figura 16 - Status de Conexão Local........................................................................20 Figura 17 – Testador de cabo de rede RJ-45............................................................21 Figura 18 - Conectorização T568A para 1000BASET (Gigabit Ethernet)..................21 Figura 19 - Desinstalação REVO Avançado..............................................................22 Figura 20 - Horário dos Cursos Profissionalizantes. .................................................25 Figura 21 - Seleção Matéria ......................................................................................26 Figura 22 – Alterando Atividade do Curso.................................................................27 Tabela 1 - Manutenção Preventiva............................................................................15 Fluxograma 1 - Estrutura de Rede, Laboratório de Informática.................................12 Fluxograma 2 - Ordem de Cadastro do Curso Informática Básica............................27

×