Contrastes antagonismos sociais. ppt

921 visualizações

Publicada em

0 comentários
2 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
921
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
1
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
0
Comentários
0
Gostaram
2
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Contrastes antagonismos sociais. ppt

  1. 1. CONTRASTES E ANTAGONISMOS SOCIAIS
  2. 2. CRESCIMENTO DA POPULAÇÃO EUROPEIA  Fatores:  Aumento da produção agrícola:    Progressos na medicina     Generalização da mecanização Adubos químicos. The first operation under ether” Vacinas contra a raiva e cólera Novos métodos de anestesia e desinfeção Invenção dos raios X Melhoria dos hábitos de higiene    Nas Cidades Higiene pessoal Higiene dos recém-nascidos Laennec e o estetoscópio
  3. 3. CRESCIMENTO URBANO E EMIGRAÇÃO  As pessoas dirigiam-se para as cidades onde havia mais postos de trabalho.  Grande crescimento das cidades, tornando-se por vezes a população urbana superior à rural.  Vaga de emigração:  EUA, Brasil, Canadá.
  4. 4. CRESCIMENTO URBANO  As áreas urbanas alargaram-se e em consequência da desordem inicial começa a existir preocupação com o urbanismo (final séc. XIX)  Abriram-se novas ruas e praças amplas  Constroem-se jardins;  Estabeleceram-se redes de esgotos, águas, recolha de lixos e meios de transporte.  Surgem os primeiros arranha-céus  Invenção do elevador.
  5. 5. CRESCIMENTO URBANO Campos Elísios Jardim de Tulherias
  6. 6. CRESCIMENTO URBANO The Home Insurance Building, 1884. Chicago Wainwright building , 1892. Missouri
  7. 7. A VIDA NAS CIDADES  As cidades eram um mundo de contrastes:  Zonas do centro e bairros residenciais abastados e médios   Vivia-se com conforto e equipamentos urbanos. Bairros Operários, nos arredores das cidades    Ruas sujas e sem condições urbanísticas Casas degradadas Ambiente ruidoso e poluído. Comedores de batatas
  8. 8. A VIDA NAS CIDADES  Os Burgueses:  Fácil acesso à educação e ao lazer;  Dividiam o seu dia a dia entre os negócios e o convívio nos clubes.  Frequentavam a ópera, o teatro, os concertos, os cabarés ou saraus domésticos.
  9. 9. A VIDA NAS CIDADES  Os mais pobres:  Trabalhavam todo o dia;  Regressavam à noite ao bairro sujo e degradado onde habitavam.
  10. 10. SOCIEDADE BURGUESA Alta Burguesia Classe Média Proletariado John D. Rockefeller , com o seu filho John D. Rockefeller Jr
  11. 11. SOCIEDADE BURGUESA  A Revolução Industrial, as revoluções liberais e o desenvolvimento do capitalismo deram à burguesia um papel determinante  Alta burguesia      Grandes capitalistas dirigentes de bancos e sociedades financeiras, de fábricas e empresas comerciais. Detinham o poder económico Dominavam o poder político, através do desempenho de cargos no governo Defendiam valores como o trabalho, a competência, a disciplina, a poupança e a família. Exaltavam o esforço individual .
  12. 12. A SOCIEDADE BURGUESA  Média e pequena burguesia      Membros das profissões liberais (advogados, médicos, engenheiros, oficiais do exército, funcionários públicos, empregados de escritórios, donos de pequenas e médias empresas); Foi ganhando importância política à medida que o direito de voto se foi alargando Possuidora de instrução. Possuidora de poder de consumo Representa a opinião pública que, na imprensa pressiona os governos para defesa dos seus interesses.
  13. 13. OPERARIADO INDUSTRIAL  Operariado          Trabalhadores das indústrias; A força do trabalho era o seu único bem; Salários baixos devido ao excesso de mãode-obra; Trabalhavam mais de 10 horas por dia; Não tinham descanso semanal; Não tinham qualquer assistência social; Viviam em péssimas condições; Trabalhavam em ambientes ruidosos e poluídos. As crianças e mulheres auferiam salários menores.
  14. 14. OPERARIADO INDUSTRIAL  O descontentamento dos operários levou à formação dos primeiros sindicatos    Associações de trabalhadores que tinham como objetivo a defesa dos interesses dos seus membros; Surgimento das Trade Unions em Inglaterra; Descontentamento marcado por confrontos, violência, greves;  Revoltas e destruição de fábricas e máquinas – ludismo.
  15. 15. CONQUISTAS DOS SINDICATOS       Após quase um século de confrontos e violência: Direito à greve Fixação de um horário de trabalho (para 10 e mais tarde 8 horas); Direito a um dia de descanso semanal; Regulamentação do trabalho infantil (proibição de trabalhar nas minas com menos de 9 anos) e feminino; Subsídio de desemprego, doença, acidente e velhice.
  16. 16. CONQUISTAS DOS SINDICATOS 1911: Operários, em Lisboa, agradecem semana de 6 dias.
  17. 17. CONQUISTAS DOS SINDICATOS
  18. 18. 1º DE MAIO      No dia 1 de Maio de 1886, em Chicago, trabalhadores manifestam-se em defesa de uma jornada de trabalho com 8 h. Verificam-se graves motins. 8 dos manifestantes são acusados e condenados como responsáveis pelos tumultos. Alguns foram executados. Mais tarde foram ilibados. São os chamados «Mártires de Chicago». Desde então, em muitos países do Mundo, no dia 1 de Maio comemora-se o dia do Trabalhador
  19. 19. IDEIAS SOCIALISTAS  Na sua obra O Capital (1867), Karl Marx desenvolveu teorias acerca da História e do destino das classes trabalhadoras: o socialismo científico. Friedrich Engels 1820-1895 Estes dois pensadores destacam-se na defesa da conquista do poder pelos trabalhadores, para a conquista de uma nova sociedade, mais justa. Karl Marx 1818-1883
  20. 20. MARXISMO     Defesa da conquista do poder pelos trabalhadores – ditadura do proletariado. Coletivização dos meios de produção; Instauração de um regime socialista, após o que se sucederia o Comunismo (sociedade sem classes). Fundação da Associação Internacional dos Trabalhadores (1864), ou Internacional, que unia partidos socialistas e sindicatos da maior parte dos países industrializados.
  21. 21. De pé, ó vítimas da fome! De pé, famélicos da terra! Da ideia a chama já consome A crosta bruta que a soterra. Cortai o mal bem pelo fundo! De pé, de pé, não mais senhores! Se nada somos neste mundo, Sejamos tudo, oh produtores! Bem unidos façamos, Nesta luta final, Duma Terra sem amos A Internacional. bis Messias, Deus, chefes supremos, Nada esperemos de nenhum! Sejamos nós quem conquistemos A Terra-Mãe livre e comum! Para não ter protestos vãos, Para sair deste antro estreito, Façamos nós por nossas mãos, Tudo o que a nós diz respeito! Refrão

×