Portugal Democratico

10.601 visualizações

Publicada em

Trabalho feito no âmbito da disciplina de História pelos alunos Raquel, Laura, Catarina e In^rs, do 9ºB, de 2010-2011

Publicada em: Educação
1 comentário
2 gostaram
Estatísticas
Notas
Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
10.601
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
4
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
184
Comentários
1
Gostaram
2
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Portugal Democratico

  1. 1. Escola EBI/JI de Montenegro<br />Ano lectivo 2010/2011<br />Portugal Democrático<br />Trabalho<br /> realizado <br />por:<br />Catarina Brito<br />9ºB<br />Inês Santos<br />Laura Viegas<br />Raquel Oliveira<br />Disciplina: História<br />Profª Cristina Lourenço<br />
  2. 2. Democracia<br />Democracia  regime de governo em que o poder de tomar decisões políticas importantes está com os cidadãos (povo), directa ou indirectamente, por meio de representantes eleitos.<br />
  3. 3. Junta de Salvação Nacional<br />Funcionamento: 1974 e 1975  a mando de António Spínola<br />Responsabilidades:<br />Nomeação do Presidente da República;<br />Programa do Governo Provisório; <br />Funcionamento do Governo Provisório.<br />
  4. 4. Junta de Salvação Nacional<br />Elementos:<br />General António Sebastião Ribeiro de Spínola (Exército);<br />General Francisco da Costa Gomes (Exército);<br />Brigadeiro Jaime Silvério Marques (Exército);<br />General Manuel Diogo Neto (Força Aérea - ausente em Moçambique);<br />Coronel Carlos Galvão de Melo (Força Aérea);<br />Capitão-de-mar-e-guerra José Baptista Pinheiro de Azevedo (Marinha);<br />Capitão-de-fragata António Alva Rosa Coutinho (Marinha).<br />
  5. 5. Junta de Salvação Nacional<br />Presidente da República: António de Spínola<br /> Setembro  Spínola deixa a presidência juntamente com os generais Jaime Silvério Marques, Diogo Neto e Galvão de Melo<br />Presidente da República: Francisco da Costa Gomes<br />Entram os seguintes elementos: <br />Tenente-coronel Carlos Fabião (Exército);<br />Tenente-coronel Nuno Fisher Lopes Pires (Exército);<br />Tenente-coronel Narciso Mendes Dias (Força Aérea);<br />Tenente-coronel Aníbal Pinho Freire (Força Aérea);<br />Comandante Silvano Ribeiro (Marinha) (temporariamente).<br />
  6. 6. Junta de Salvação Nacional<br />Medidas tomadas:<br />Libertação dos presos políticos e autorização do regresso dos que se encontravam exilados, como Mário Soares (dirigente socialista) e Álvaro Cunhal (dirigente comunista);<br />Liberdade para a formação de partidos e sindicatos;<br />Abolição da censura e extinção das instituições do Estado Novo, como a Assembleia Nacional, a Câmara Corporativa, a PIDE/DGS e a Legião Portuguesa;<br />Início do processo de descolonização;<br />Organização de eleições livres com a finalidade de fazer aprovar, pela Assembleia Constituinte, a nova Constituição da República de 1976.<br />
  7. 7. Junta de Salvação Nacional<br /> Após 11 de Março de 1975 (tentativa de derrube do poder instituído)  JSN foi extinta, passando os seus membros a integrar o novo Conselho da Revolução.<br />Junta de Salvação<br />Nacional<br />Francisco Costa Gomes<br />António Spínola<br />
  8. 8. Medidas tomadas após o 25 de Abril<br /><ul><li>Abolição da censura;
  9. 9. Lançamento de uma política ultramarina que conduzisse à paz;
  10. 10. Liberdade de associação;
  11. 11. Libertação de todos os presos políticos;
  12. 12. Extinção imediata da PIDE;
  13. 13. Dissolução da Assembleia Nacional;
  14. 14. Destruição do Presidente da República e do Governo.</li></li></ul><li>Constituição de 1976<br /><ul><li>Igualdade para toda a população perante a lei;
  15. 15. Direito ao voto;
  16. 16. Direito à greve;
  17. 17. Direito à educação;
  18. 18. Direito ao trabalho;
  19. 19. Direito à protecção na saúde;
  20. 20. Liberdade de expressão.</li></li></ul><li>Novas instituições democráticas<br />Órgãos de soberania da contituição de 1976:<br /><ul><li> Presidente da República
  21. 21. Assembleia da República
  22. 22. Governo
  23. 23. Tribunais</li></ul>A constituição de 1976:<br /><ul><li> Consagrou descentralização política
  24. 24. Estabeleceu-se o poder autárquico
  25. 25. Previu-se a autonomia regional</li></li></ul><li>O retorno a Portugal dos portugueses das ex-colónias portuguesas <br />Angola e Moçambique  exemplos de colónias que se envolveram em longas guerras civis.<br /> Depois da independência das colónias  portugueses que lá viviam ficaram inseguros, voltando assim a Portugal em condições péssimas. <br />Decisões do governo:<br />Promoveu a ajuda financeira e a integração na sociedade;<br />Criou o Comissário dos desalojados ;<br />Criou programas de apoio e assistência.<br />
  26. 26. Os problemas do desenvolvimento económico<br />Factores Internacionais que levaram ao agravamento da crise económica na década de 1970:<br />Período conturbado no processo do desenvolvimento capitalista mundial;<br />Crise do Petróleo;<br />Independência das colónias;<br />Perda de mercados coloniais;<br />Grande afluxo de portugueses a retornar à pátria.<br />
  27. 27. Os problemas do desenvolvimento económico<br />Dificuldades:<br />Dificuldades no sector agrícola e na indústria;<br />Maior importação do que exportação internacionais;<br />Os factores nacionais levaram a um agravamento no desenvolvimento e a um pedido de ajuda externa ao FMI.<br />
  28. 28. O processo de integração europeia na CEE/EU<br />18 de Maio 1962: Governo solicita abertura de negociações com a CEE;<br />1972: é assinado um acordo comercial entre Portugal e a CEE;<br />12 de Junho 1985: abertura de negociações para a adesão à Europa;<br />1 de Janeiro de 1986: entrada em vigor da adesão à CEE.<br /> (O processo foi demorado devido à inexistência de um regime democrático em Portugal)<br />
  29. 29. O processo de integração europeia na CEE/EU<br />Consequências da entrada de Portugal na CEE:<br />Crescimento económico muito positivo;<br />Aumento nos IDH;<br />Entrada de produtos estrangeiros a preços inferiores;<br />Problemas nos sectores da agricultura e pesca.<br />
  30. 30. O processo de integração europeia na CEE/EU<br />Consequências para a Europa com a entrada de Portugal:<br />Novas perspectivas sobre a África e a América;<br />Diversidade cultural mais abrangente;<br />Mudanças políticas de decisões sobre estes países.<br />
  31. 31. Video-<br />http://videos.sapo.ao/ceinvEWTrLV42cjZQWiY<br />http://www.youtube.com/watch?v=XCy3Un2GK_o<br />
  32. 32. Bibliografia<br /> Maia, Cristina; Brandão, Paulo. VIVA A HISTÓRIA. Porto EditoraLetra, Carlos. História Cronológica do meu Portugal. GAILIVRO http://pt.wikipedia.org/wiki/Democraciahttp://pt.wikipedia.org/wiki/Junta_de_Salva%C3%A7%C3%A3o_Nacionalhttp://pt.wikipedia.org/wiki/Revolu%C3%A7%C3%A3o_dos_Cravoshttp://www.citi.pt/cultura/politica/25_de_abril/junta_salvacao.htmlhttp://www.portugal-tchat.com/forum/a-democracia-1974/3781-11-de-marco-de-1975-a.htmlhttp://hugolancassocial.blogspot.com/2007/10/constituio-portuguesa-de-1976.htmlhttp://www.infopedia.pt/$constituicao-de-1976http://www.portugal-tchat.com/forum/a-democracia-1974/3749-a-constituicao-da-republica-portuguesa-de-1976-a.htmlhttp://www.slideshare.net/jorgediapositivos/25-de-abril-de-1974-1334981http://www.infopedia.pt/$crise-do-petroleo-(anos-70-do-sec.-xx)http://pt.wikipedia.org/wiki/Organiza%C3%A7%C3%A3o_dos_Pa%C3%ADses_Exportadores_de_Petr%C3%B3leohttp://analisesocial.ics.ul.pt/documentos/1223460596B6rVC1pu1Mx32RY7.pdfhttp://www.mne.gov.pt/mne/pt/infopolitica/ue/<br />

×