Portugal - da implantação da República à Ditadura Militar

1.712 visualizações

Publicada em

Atualização de ppt sobre a implantação da República em Portugal, ação da República e Ditadura Militar

Publicada em: Educação
0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.712
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
7
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
44
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide
  • Perguntas:
    o que representa uma balança comercial? (importações e exportações
    Como evoluíram as importações e as exportações?
    Quais terão sido as consequências desse quadro económico?(situação de défice, crise económica e financeira, inflação, aumento de impostos)
  • Perguntas:
  • Perguntas:
  • Perguntas:
  • Perguntas:
  • Perguntas:
  • Perguntas:
  • Perguntas:
  • Perguntas:
  • Perguntas:
  • Perguntas:
  • Perguntas:
  • Perguntas:
  • Perguntas:
  • Perguntas:
  • Perguntas:
  • Perguntas:
  • Perguntas:
  • Perguntas:
  • Perguntas:
  • Perguntas:
  • Perguntas:
  • Perguntas:
  • Perguntas:
  • Perguntas:
  • Perguntas:
  • Perguntas:
  • Perguntas:
  • Perguntas:
  • Perguntas:
  • Perguntas:
  • Perguntas:
  • Perguntas:
  • Perguntas:
  • Perguntas:
  • Perguntas:
  • Perguntas:
  • Perguntas:
  • Perguntas:
  • Perguntas:
  • Perguntas:
  • Perguntas:
  • Portugal - da implantação da República à Ditadura Militar

    1. 1. 1
    2. 2. Motivação – do passado ao presente In Ana Oliveira e outros – História 9. Lisboa, Texto Editora, 2008 2
    3. 3. Motivação – do passado ao presente, o tempo histórico In Ana Oliveira e outros – História 9. Lisboa, Texto Editora, 2008 3
    4. 4. SERÁ QUE A RUPTURA IMPLICA APENAS MUDANÇA OU TAMBÉM CONTINUIDADE? In Ana Oliveira e outros – História 9. Lisboa, Texto Editora, 2008 4
    5. 5. QUESTÃO-PROBLEMA: Crise e queda da monarquia Que motivos contribuíram para a crise da Monarquia? 5
    6. 6. Crise e queda da monarquia DISCUSSÃO DE CONCEITOS… PARTIDO POLÍTICO 6
    7. 7. Como evoluíram as exportações e as importações? Quais terão sido as consequências desse quadro económico? Qual a situação da balança comercial? O que representa uma balança comercial? 7 Balança Comercial Portuguesa A.H. Oliveira Marques, História de Portugal, vol. III (adaptado) Crise e queda da monarquia
    8. 8. Crise e queda da monarquia “O governo português anda mendigando em Londres um novo empréstimo. Os nossos charlatães financeiros não sabem senão estes dois métodos de governo: empréstimos e impostos. (…) É dinheiro emprestado e dinheiro espoliado. (…) E por fim não é dinheiro aplicado a nenhum melhoramento público; é só dinheiro para pagar juros da dívida e endividar-nos cada vez mais! (…) É a dívida a multiplicar-se para não faltarem à corte banquetes, festas, caçadas e folias.” Jornal A Lanterna, 17 de Dezembro de 1870 Quem é criticado? O que é criticado? Enumera os problemas económico-financeiros que são referidos. 8
    9. 9. Crise e queda da monarquia “Todo o país tem trabalhado, desde 1891, para se desembaraçar da crise, que é a mais profunda que país algum europeu está a atravessar. É nesta situação angustiosa, que uma família alcunhada portuguesa, com uma dotação fixada pela lei na quantia de 525 000$00 réis – absolutamente fabulosa para o nosso orçamento e para a nossa pobreza – que esta família, tendo paços e casas, que o Estado lhes cede gratuitamente, ousou arrancar aos cofres do Estado, com a cumplicidade dos respectivos ministros, somas elevadíssimas! (…)” Discurso de Afonso Costa (destacado republicano) no Parlamento, 20 de Novembro de 1906 De que família fala a fonte? Porque se encontra a Monarquia numa situação de descrédito? Quem é o autor da fonte? 9
    10. 10. Crise e queda da monarquia Caricatura de Rafael Bordalo Pinheiro, A Paródia, 1902 Qual é o acontecimento histórico que acentua o descrédito pela Monarquia Portuguesa? Porquê? Descobre quem são as personagens representadas Quais os acontecimentos históricos retratados? 10
    11. 11. APRESENTAÇÃO DE CONCEITO REPUBLICANISMO 11
    12. 12. Crise e queda da monarquia “Que a Nação tome conta dos seus destinos. O que é a República senão uma nacionalidade exercendo por si mesma a soberania? (…) No estado actual da crise portuguesa, só existe uma solução nacional, prática e salvadora – a proclamação da República. Só assim acabarão os interesses egoístas (…) só assim aparecerá uma geração nova capaz de civismo e de sacrifícios pela Pátria (…).” Manifesto do Partido Republicano, 1890 Porque é que o Partido Republicano se afirma como a solução para a crise? Porque terá sido o Manifesto escrito naquela data? 12
    13. 13. Crise e queda da monarquia “O socialismo é a reclamação da justiça e da igualdade nas relações dos Homens: dos Homens que a Natureza criou livres e iguais e que a organização social transformou em duas raças inimigas, uma que manda, goza e oprime, outra que obedece, trabalha e sofre: de um lado, senhores, aristocratas, capitalistas; do outro lado, escravos, servos, proletários! No dia em que esta desigualdade monstruosa e ímpia apareceu no Mundo, apareceu também logo a protestar contra ela o socialismo.” Antero de Quental, 1842-1891, Prosas Quais são os princípios defendidos pelo socialismo? 13
    14. 14. A ASCENSÃO DAS IDEIAS REPUBLICANAS 14
    15. 15. Heróis do mar, nobre Povo, Nação valente, imortal, Levantai hoje de novo O esplendor de Portugal! Entre as brumas da memória, Ó Pátria, sente-se a voz Dos teus egrégios avós, Que há-de guiar-te à vitória! A Revolução Republicana Às armas, às armas! Sobre a terra, sobre o mar, Às armas, às armas! Pela Pátria lutar Contra os canhões marchar, marchar! Alfredo Keil, 1890 15
    16. 16. Caricatura de Rafael Bordalo Pinheiro, 1906 Crise e queda da monarquia Rei D. Carlos Zé Povinho Partidos Monárquicos Partido Republicano Interpreta o significado da caricatura 16
    17. 17. SÍNTESE – CRISE DA MONARQUIA 1. Crise económica e financeira  Défice da balança comercial  Aumento da dívida pública  Falência de bancos  Desvalorização da moeda  Gastos excessivos da corte 2. Descontentamento social 3. Difusão das ideias republicanas e socialistas 4. Ultimato Inglês, 1890 5. Revolta republicana de 31 de janeiro de 1891 - fracassada 17
    18. 18. Crise e queda da monarquia DISCUSSÃO DE CONCEITOS… REVOLUÇÃO 18
    19. 19. A Revolução Republicana QUESTÕES-PROBLEMA: 1. Quais os antecedentes da Revolução Republicana? 2. Como foi implantada a República? 19
    20. 20. APRESENTAÇÃO DE CONCEITO REGICÍDIO 20
    21. 21. 1890 • Ultimato Inglês A Revolução Republicana 1891 • Revolta no Porto, 31 de Janeiro, tentativa falhada de implantação da República 1899 • Republicanos elegem três deputados no Porto 1903 os impostos • Greves, em várias cidades, contra a inflação e 21
    22. 22. A Revolução Republicana • Duas mudanças de governo • Republicanos elegem 4 deputados em Lisboa 1906 • Dissolução do Parlamento • Ditadura de João Franco 1907 • Regicídio - Reinado de D. Manuel II • Republicanos ganham Câmara de Lisboa 1908 22
    23. 23. Le Petit Journal, 16 fevereiro 1908, Paris http://federatio.blogspot.pt/2011/02/efemeride-01021908-01022011.html 23 A Revolução Republicana http://federatio.blogspot.pt/2011/02/efemeride-01021908-01022011.html
    24. 24. A “Os partidos políticos, em vez de se unirem, guerreavam-se. Não havia ordem nem autoridade. (…) D. Carlos, atendendo a esta confusão política, chamou ao poder o conselheiro João Franco que, dissolvendo o Parlamento, começou a governar em ditadura. (…) Deu-se então o assassinato de D. Carlos e do príncipe herdeiro D. Luís Filipe. (…) Este acto pode considerar-se heróico porque pôs fim à ditadura.” Agostinho de Moura e Eusébio Queirós, His. da Pátria para o Ensino Primário, 1912 A Revolução Republicana B “Deu-se então um crime monstruoso: o assassinato de D. Carlos e do príncipe herdeiro, D. Luís Filipe, no Terreiro do Paço, quando, no dia 1 de Fevereiro de 1908, regressavam de Vila Viçosa com a família real. Em virtude deste lamentável acontecimento, subiu ao trono D. Manuel, filho segundo de D. Carlos.” Tomás de Barros, Sumário de His. de Portugal para a 4ª classe, 1948 24
    25. 25. A Revolução Republicana DISCUTO DIFERENTES PERSPETIVAS 1. De que modo o autor da fonte A apresenta as consequências do regicídio? 2. De que modo o autor da fonte B descreve o regicídio? 3. Como explicas que estes dois autores caracterizem o mesmo acontecimento de forma diferente? 25
    26. 26. A Revolução Republicana •Revolução Republicana •Implantação da República 1910 5 de outubro 26
    27. 27. A Revolução Republicana 27
    28. 28.  Desembarque da marinha no Terreiro do Paço.   Bombardeamento do Palácio Real pelos republicanos.  Fuga do rei D. Manuel II para Gibraltar.  Prisão dos padres jesuítas pelos republicanos.  Barricadas republicanas na Rotunda.  Proclamação da República na Câmara Municipal.  Visita do Governo Provisório aos revolucionários acampados na Rotunda. 28 Postal ilustrado editado na passagem do 1º aniversário da Proclamação da República, 1911
    29. 29. QUESTÕES-PROBLEMA: 1. Quais foram as principais realizações da 1ª República? 2. Com que dificuldades se terão debatido os governantes da I República? 3. Que solução veio pôr fim à instabilidade e às dificuldades sentidas pelos governantes da I República? 29 A Primeira República
    30. 30. APRESENTAÇÃO DE CONCEITO CONSTITUIÇÃO LAICIZAÇÃO, LAICO 30
    31. 31. 31 A Primeira República Primeira proposta apresentada pelo grupo Fonte: Museu da Presidência da República http://www.museu.presidencia.pt/ http://centenariorepublica.pt/escolas VER OUTROS PROJETOS http://centenariorepublica.pt/escola s/s%C3%ADmbolos-da-rep% C3%BAblica/bandeira-nacional BANDEIRA NACIONAL O governo reuniu, a 15 de Outubro, um grupo de gente com grande prestígio para que elaborasse um projeto de bandeira. Grupo: o pintor Columbano Bordalo Pinheiro; o jornalista João Chagas; o escritor Abel Acácio de Almeida Botelho; o capitão de artilharia José Afonso Pala e o primeiro-tenente da Marinha António Ladislau Parreira. Naturalmente inspiraram-se nas bandeiras dos centros republicanos e das sociedades secretas que tinham contribuído para o êxito da revolução. http://centenariorepublica.pt/escolas
    32. 32. 32 A Primeira República • vermelho "cor combativa e quente, é a cor da conquista e do riso. Uma cor cantante, ardente, alegre. Lembra o sangue e incita à vitória"; • verde "cor da esperança e do relâmpago, significa uma mudança representativa na vida do país"; • a esfera armilar é o símbolo dos Descobrimentos Portugueses, a fase mais brilhante da nossa História, portanto deve aparecer na bandeira; • o escudo com as quinas deve continuar na bandeira como homenagem à bravura e aos feitos dos portugueses que lutaram pela independência; • a faixa com sete castelos também deve permanecer porque representa a independência nacional. O Governo aceitou a proposta mas fez algumas alterações. A nova Bandeira Nacional foi aprovada pelo Governo a 29 de Novembro de 1910 e homologada pela Assembleia Constituinte a 11 de Junho de 1911.
    33. 33. 33 A Primeira República Guerra Junqueiro Joaquim Augusto Fernandes Fonte: Museu da Presidência da República http://www.museu.presidenci a.pt/ http://centenariorepublica.pt/ escolas António Arroio António M. de Jacinto Rosiers Sousa ALÉM DA BANDEIRA, O HINO – A PORTUGUESA - E A MOEDA – ESCUDO, SÃO OS SÍMBOLOS REPUBLICANOS
    34. 34. A Primeira República A Constituição e os Poderes 34 A 1ª República Maria Emília Diniz e outros, História Nove, Lisboa Editora, 2008
    35. 35. Afonso Costa, a República e o Clero 35 A Primeira República Quem são as figuras representadas na caricatura? O que pretendeu dizer o caricaturista? O que significa laicização do Estado?
    36. 36. 36 A Primeira República Quem são as figuras representadas na caricatura? O que pretendeu dizer o caricaturista? Achas que a imagem pode demonstrar a laicização do Estado? Justifica.
    37. 37. 37 A Primeira República Quem são as figuras representadas na caricatura? O que pretendeu dizer o caricaturista? Achas que a imagem pode demonstrar a laicização do Estado? Justifica.
    38. 38. 38 A Primeira República A evolução do analfabetismo Número de escolas Analisa os gráficos. Consideras que o aumento do número de escolas se fez sentir na redução do analfabetismo?
    39. 39. 39 A Primeira República • Lei da Separação da Igreja e do Estado • Expulsão das ordens religiosas e nacionalização dos seus bens • Registo Civil obrigatório • Legalização do divórcio Laicização do Estado
    40. 40. 40 A Primeira República • Direito à greve • Descanso semanal obrigatório • Limitação dos horários de trabalho • Igualdade de direitos entre filhos legítimos e ilegítimos Legislação Social
    41. 41. 41 A Primeira República • Criação de jardins-escola • Instrução obrigatória e gratuita para crianças dos 7 aos 10 anos • Fundação das Universidades de Lisboa e do Porto Ensino
    42. 42. 42 A Primeira República • Maior mecanização e utilização de adubos • Incremento da indústria, especialmente nos sectores têxteis, cimento e químicos • Desenvolvimentos dos transportes e comunicações Económico- Financeiro
    43. 43. O Parlamento (caricatura da época) 43 A Primeira República O que representa a caricatura? Como caracterizas a vida política durante a República? Cristina Maia; Isabel Brandão – Viva a História 9, Lisboa, Porto Editora, 2008, p. 47
    44. 44. A Primeira República A Instabilidade política durante a 1ª República (1910-1926) 44 Presidentes 8 Governos 45 Duração média dos Governos 4 meses Eleições gerais para o Parlamento 7 Eleições para a Presidência da República 8 Anos em que houve revoltas e conspirações 16 Golpes militares 3 (1915, 1917, 1918)
    45. 45. 45 A Primeira República Caricatura de Sidónio Pais, Jornal O Século, 1918 1915 Ditadura de Pimenta de Castro 1917 • Golpe militar de Sidónio Pais • Instauração de um regime autoritário 1918 • Assassinato de Sidónio Pais
    46. 46. 46 A Primeira República A que acontecimento se referem as fotografias? Porque entrou Portugal na 1ª Guerra Mundial? Em que locais combateu Portugal? De que modo a intervenção na guerra pode ter servido para dificultar a ação governativa?
    47. 47. 47 A Primeira República O que aconteceu ao poder de compra dos portugueses? Quais os factores que podem explicar a baixa do poder de compra? Géneros alimentícios que, em 1914 e em 1922, um carpinteiro podia comprar com o salário de um dia, caso o gastasse exclusivamente em alimentação Maria Emília Diniz e outros – História 9, I, Lisboa, Lisboa Editora, 2008, p. 55
    48. 48. 48 A Primeira República O que representa a caricatura? Explica a degradação das condições de vida durante a 1ª República?
    49. 49. 49 A Primeira República “O agravamento dos conflitos sociais, a instabilidade política e o medo de perder os seus privilégios foi afastando do regime republicano a grande burguesia. (…) condições de vida dos trabalhadores provocou uma distanciação em relação ao regime. (…) A base social de apoio da 1ª República viu-se, assim, desagregada. (…) «Só a ditadura nos pode salvar» era uma opinião corrente em 1924. (…) Em 28 de Maio de 1926, o General Gomes da Costa (…) proclamou a revolta em Braga.” Oliveira Marques – História de Portugal, vol.III, Lisboa, Palas Editores, 1978 Capa do Semanário , O Domingo Ilustrado, 1926 Que razões levaram à instauração da Ditadura? Relaciona a figura com o último parágrafo do texto.
    50. 50. Agrupamento de Escolas de Montenegro Departamento de Ciências Sociais e Humanas Grupo de HGP/História Professora Cristina Barcoso Lourenço profcristinalourenco@gmail.com Faro, 2014 50

    ×