O slideshow foi denunciado.
Utilizamos seu perfil e dados de atividades no LinkedIn para personalizar e exibir anúncios mais relevantes. Altere suas preferências de anúncios quando desejar.
Cartão n.º 1 – M5
Cartão n.º 2 – M5
Cartão n.º 1 – M5 - resposta
Cartão n.º 2 – M5 – resposta
Cartão n.º 3 – M5
Cartão n.º 4 – M5
Cartão n.º 3 – M5 - resposta
Cartão n.º 4 – M5 - resposta
Cartão n.º 5 – M5
Cartão n.º 6 – M5
Cartão n.º 5 – M5 - resposta
1.1.
1.2.
(B)
Cartão n.º 6 – M5 - resposta
Cartão n.º 7 – M5
Cartão n.º 8 – M5
Cartão n.º 7 – M5 - resposta
Cartão n.º 8 – M5 - resposta
Cartão n.º 9 – M5
Cartão n.º 10 – M5
Cartão n.º 9 – M5 resposta
Na resposta devem ser apresentadas quatro das seguintes características, ou outras igualmente
r...
Cartão n.º 11 – M5
Cartão n.º 12 – M5
Cartão n.º 11 – M5 - resposta
Cartão n.º 12 – M5 - resposta
Cartão n.º 13 – M5
Cartão n.º 14 – M5
Cartão n.º 13 – M5 - resposta
Cartão n.º 14 – M5 - resposta
Cartão n.º 15 – M5
Cartão n.º 16 – M5
Vista sobre Florença: Palazzo Vechio e Duomo Santa Maria das Flores, séculos XIII-XV...
Cartão n.º 15 – M5 - resposta
Cartão n.º 16 – M5 - resposta
No início do século XV, a Itália não tinha uma unidade polític...
Cartão n.º 17 – M5
Explicite quatro fatores que favoreceram o protagonismo de Florença no desenvolvimento do
Renascimento,...
Cartão n.º 17 – M5 - resposta
Explicitar os fatores seguintes, ou outros igualmente relevantes:
 O protagonismo de Floren...
Cartão n.º 19 – M5
Evidencie quatro aspetos que justificam o modo como a doutrina cristã foi integrada na nova conceção
do...
Cartão n.º 19 – M5 - resposta
Explicitar os seguintes aspetos, ou outros igualmente relevantes:
 Um dos fundamentos do Re...
Cartão n.º 21 – M5
Evidencie o sentido da expressão «o Homem, unidade de medida».
Cartão n.º 22 – M5
Explicite quatro fato...
Cartão n.º 21 – M5 - resposta
A expressão «o Homem, unidade de medida» decorre do conceito de
antropocentrismo e do entend...
Cartão n.º 23 – M5
Evidencie quatro aspetos que justificam a importância da invenção da imprensa para a afirmação do
Human...
Cartão n.º 23 – M5 - resposta
Tópicos de resposta:
 A invenção da imprensa favoreceu a difusão do conhecimento,
possibili...
Cartão n.º 25 – M5
Explicite os três princípios fundamentais da Reforma protestante.
Cartão n.º 26 – M5
Explicite quatro n...
Cartão n.º 25 – M5 - resposta
Tópicos de resposta:
 Rejeição de intermediários entre o crente e Deus – todas as entidades...
Cartão n.º 27 – M5
Lourenço,o Magnífico,Agnolo
Bronzino, Galeria dei Uffizi,Florença,
1555-1565.
Observe a figura, leia o ...
Cartão n.º 27 – M5 - resposta
Na resposta devem ser apresentados quatro dos seguintes aspetos, ou outros igualmente releva...
Mapa representando o Universo
heliocêntrico, gravura da obra Harmonia
Macrocosmica,
Andreas Cellarius, 1661.
Explicite a t...
Universo, em torno da qual orbitariam os outros corpos celestes.
Cartão n.º30 – M5 - resposta
Na resposta devem ser aprese...
Cartão n.º 32 – M5
Caracterize a técnica do chiaroscuro.
Cartão n.º 31 – M5 - resposta
Tópicos de resposta:
 Retrato.
 N...
 Paisagem.
Cartão n.º32 – M5 - resposta
O chiaroscuro foi uma técnica desenvolvida pelos pintores do Renascimento. Consis...
Cartão n.º 33 – M5
A Anunciação, Robert Campin (Mestre de
Flemalle), Retábulo de Merode, Metropolitan
Museum of Art, c. 14...
Cartão n.º 33 – M5 - resposta
resposta deve integrar os tópicos seguintes, ou outros igualmente relevantes:
– Escola de pi...
Cartão n.º 35 – M5
Evidencie o sentido da expressão pittura e cosa mentale, tal como foi enunciada por Leonardo da Vinci.
...
Cartão n.º 35 – M5 - resposta
No seu Tratado de Pintura, Leonardo enquadrou a pintura num processo intelectual.
Leonardo c...
Cartão n.º 37 – M5
Cúpula da Catedralde SantaMaria dasFlores,FilippoBrunelleschi,Florença,Itália,c.1420-1436.
«Os arquitet...
Cartão n.º 37 – M5 - resposta
Na respostadevem serapresentadasquatrodasseguintescaracterísticas,ououtrasigualmente relevan...
Cartão n.º 39 – M5
Refira quatro das características da arquitetura renascentista patentes na obra reproduzida na figura.
...
Cartão n.º 39 – M5 - resposta
Tópicosde resposta:
 Traçado ordenadopor formasregularese simétricas,assente nageometriae n...
Cartão n.º 29 – M5
Cartão n.º 30 – M5
Cartão n.º 29 – M5 - resposta
Cartão n.º30 – M5 - resposta
Cartão n.º 29 – M5
Cartão n.º 30 – M5
Cartão n.º 29 – M5 - resposta
Cartão n.º30 – M5 - resposta
Cartões com perguntas e respostas sobre Cultura do Palácio
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Cartões com perguntas e respostas sobre Cultura do Palácio

49 visualizações

Publicada em

História da Cultura e das Artes
Avaliação
Cultura do Palácio

Publicada em: Educação
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Cartões com perguntas e respostas sobre Cultura do Palácio

  1. 1. Cartão n.º 1 – M5 Cartão n.º 2 – M5
  2. 2. Cartão n.º 1 – M5 - resposta Cartão n.º 2 – M5 – resposta
  3. 3. Cartão n.º 3 – M5 Cartão n.º 4 – M5
  4. 4. Cartão n.º 3 – M5 - resposta Cartão n.º 4 – M5 - resposta
  5. 5. Cartão n.º 5 – M5 Cartão n.º 6 – M5
  6. 6. Cartão n.º 5 – M5 - resposta 1.1. 1.2. (B) Cartão n.º 6 – M5 - resposta
  7. 7. Cartão n.º 7 – M5 Cartão n.º 8 – M5
  8. 8. Cartão n.º 7 – M5 - resposta Cartão n.º 8 – M5 - resposta
  9. 9. Cartão n.º 9 – M5 Cartão n.º 10 – M5
  10. 10. Cartão n.º 9 – M5 resposta Na resposta devem ser apresentadas quatro das seguintes características, ou outras igualmente relevantes:  Recurso a temas da mitologia clássica (no caso, a alegoria da chegada da primavera e da fertilidade).  Preferência pela conceção neoplatónica da beleza ideal e do amor.  Representação anatómica segundo os cânones da Antiguidade Clássica.  Realismo na representação das figuras e dos elementos da Natureza.  Riqueza da paleta cromática e dos contrastes claro--escuro.  Leveza e transparência das vestes (velatura).  Tratamento da luz com rigor.  Aplicação das leis da perspetiva linear. 1.2. D Cartão n.º 10 – M5 - resposta
  11. 11. Cartão n.º 11 – M5 Cartão n.º 12 – M5
  12. 12. Cartão n.º 11 – M5 - resposta Cartão n.º 12 – M5 - resposta
  13. 13. Cartão n.º 13 – M5 Cartão n.º 14 – M5
  14. 14. Cartão n.º 13 – M5 - resposta Cartão n.º 14 – M5 - resposta
  15. 15. Cartão n.º 15 – M5 Cartão n.º 16 – M5 Vista sobre Florença: Palazzo Vechio e Duomo Santa Maria das Flores, séculos XIII-XV. Observe a figura, leia o texto e responda às questões seguintes: «A arte é “obra do príncipe” e, mais do que nas épocas precedentes, em que era produzida sob o impulso coletivo de uma sociedade,torna-setributária do mecenato. Não sesujeitando mais à dependência de uma finalidade espiritual ou temporal, a obra de arte, metamorfoseada em “objeto de arte”, contém em si mesma a sua própria finalidade. É executada com vista a um ato de pura contemplação, que apenas uma elite é capaz de realizar. […] Preciosos testemunhos da grandeza do Homem, as obras de arte serão “colecionadas” pelos príncipes como tesouros inestimáveis: a ideia de museu, templo reservado ao culto da beleza, remonta ao século XV.» Germain Bazin, História da Arte. Lisboa: Bertrand Editora, 1992,pp.186-187. 1. Explique de que modo a organização política de Itália nos séculos XIV e XV contribuiu para o movimento de renovação cultural e artística que aí se desenvolveu.
  16. 16. Cartão n.º 15 – M5 - resposta Cartão n.º 16 – M5 - resposta No início do século XV, a Itália não tinha uma unidade política, estando dividida em ducados, repúblicas e pequenos reinos. Estes ducados, repúblicas ou pequenos reinos organizavam-se politicamente em «cidades-estado», dirigidas por ricas famílias burguesas que constituíam fortes elites políticas, económicas e culturais. As cidades disputavam entre si a primazia das rotas comerciais e mercantis e o poderio económico, entrando com frequência em conflitos armados. A rivalidade entre cidades estendeu-se à arte e à cultura, refletindo-se na disputa pela manutenção dos melhores artistas e intelectuais, bem como pelas realizações artísticas e arquitetónicas mais relevantes. As obras de arte e os edifícios arquitetónicos eram fatores de prestígio e de poder para os seus proprietários ou detentores.
  17. 17. Cartão n.º 17 – M5 Explicite quatro fatores que favoreceram o protagonismo de Florença no desenvolvimento do Renascimento, ocorrido no século XV. Cartão n.º 18 – M5 Evidencie quatro aspetos que justificam a importância da sociedade cortesã no surgimento de um novo tipo de artistas e intelectuais.
  18. 18. Cartão n.º 17 – M5 - resposta Explicitar os fatores seguintes, ou outros igualmente relevantes:  O protagonismo de Florença evidencia-se a partir da vitória sobre Milão, derrotando a tentativa daquela cidade de exercer uma hegemonia sobre toda a península Itálica.  A vitória sobre Milão fez renascer entre os florentinos um orgulho cívico e patriótico, tornando Florença um modelo de república que comparam à Antiga Atenas e aos ideais humanistas do Classicismo.  Florença tem, nesta época, uma situação económica muito próspera e protagonistas políticos muito ativos e empreendedores a governar a cidade, tais como Lourenço de Médicis. Em Florença surgem importantes «mecenas» e um conjunto de artistas e homens eruditos que se dedicavam ao culto das artes, das letras e das ideias da Antiguidade Clássica Cartão n.º 18 – M5 - resposta Explicitar quatro dos seguintes aspetos, ou outros igualmente relevantes:  No século XV, em Itália, as cidades eram dominadas por famílias burguesas e principescas que formavam uma sociedade cortesã para quem a arte e a cultura constituíam prestígio e representação de poder.  As elites culturais dotavam os seus palácios e cortes com bibliotecas e coleções de manuscritos antigos e obras de pintura e escultura.  Nos seus palácios, as famílias burguesas e principescas reuniam artistas, filósofos e homens das letras em debates eruditos sobre arte e cultura.  Após a tomada de Constantinopla, em 1453, pelos Turcos Otomanos, convertidos ao Islamismo, os artistas e intelectuais bizantinos retiraram-se para Itália levando com eles a tradição cultural clássica de raízes gregas. Com estas dinâmicas, a sociedade cortesã da Itália do século XV viria a contribuir para o ressurgimento do interesse nos ideais humanistas e na Antiguidade Clássica.
  19. 19. Cartão n.º 19 – M5 Evidencie quatro aspetos que justificam o modo como a doutrina cristã foi integrada na nova conceção do Universo e nos novos valores culturais do Renascimento. Cartão n.º 20 – M5 Observe a figura, leia o texto e responda às questões seguintes: «O Quattrocento foi bem mais longe nessa via do Humanismo do que a Antiguidade, que acreditava fazer renascer; era preciso que esse sentimento de “o Homem, medida das coisas” estivesse muito enraizado no homem mediterrânico para que, após catorze séculos de Cristianismo, durante os quais o ser humano vivera submetido ao jugo de Deus, ele pudesse brotar de novo com tal vigor. […] O verdadeiro princípio do Renascimento italiano está contido no Racionalismo; preside a todas as suas conquistas, tanto no domínio do pensamento como no domínio da arte.» Germain Bazin, Históriada Arte. Lisboa: Bertrand Editora,1992, pp. 187-188. Explicite quatro características do enquadramento social e cultural do artista do Renascimento.
  20. 20. Cartão n.º 19 – M5 - resposta Explicitar os seguintes aspetos, ou outros igualmente relevantes:  Um dos fundamentos do Renascimento foi a tentativa de harmonização da doutrina cristã com o pensamento clássico, de natureza racional.  Neste sentido, os homens do Renascimento explicam que a beleza exterior das formas e da Natureza não é senão o reflexo da elevação da alma.  Justificam que Deus se manifesta através da proporção e da harmonia, da pureza e da perfeição, só possíveis de alcançar através do espírito racional enraizado na cultura clássica. Para o Homem do Rena scimento, a razão é uma manifestação do espírito humano que coloca o Homem mais perto de Deus e um dom por ele concedido. Cartão n.º 20 – M5 - resposta Explicitar quatro das seguintes características, ou outras igualmente relevantes:  O artista do Renascimento é um humanista, por excelência.  O artista é dominado pela imensa curiosidade de se conhecer a si próprio e de descobrir o mundo que o rodeia.  O artista é um homem erudito, dotado de um saber universal, conhecedor de letras, música, geometria, anatomia, etc.  As suas obras são personalizadas e assinadas, o que o distingue com o papel de autor da obra e do processo criativo que lhe deu expressão. O artista atinge autonomia em relação ao encomendador da obra, sendo os seus trabalhos apreciados pelo nível de invenção, pela originalidade e pela inspiração demonstrada.
  21. 21. Cartão n.º 21 – M5 Evidencie o sentido da expressão «o Homem, unidade de medida». Cartão n.º 22 – M5 Explicite quatro fatores que contribuíram para o desenvolvimento do Humanismo.
  22. 22. Cartão n.º 21 – M5 - resposta A expressão «o Homem, unidade de medida» decorre do conceito de antropocentrismo e do entendimento do Homem como origem de todas as coisas, que orienta o pensamento no Renascimento. É, desde logo, Vitrúvio, no seu tratado Os Dez Livros de Arquitetura (século I), quem estabelece um sistema de formas proporcionais com referência às dimensões e proporções perfeitas do corpo humano. Os artistas do Renascimento recuperam esta tese considerando «o Homem, unidade de medida». Cartão n.º 22 – M5 - resposta Explicitar os seguintes fatores, ou outros igualmente relevantes:  A migração dos intelectuais bizantinos para Itália, levando com eles a tradição cultural clássica.  A herança de homens como Dante, Petrarca e Bocaccio que, desde o século XIV, promoveram a revisão da conceção hierárquica e feudalista do homem medieval.  A ação protetora das artes por parte dos mecenas, que patrocinaram obras, oficinas, pesquisas, debates, etc. A invenção da imprensa por Gutenberg, em meados do século XV.
  23. 23. Cartão n.º 23 – M5 Evidencie quatro aspetos que justificam a importância da invenção da imprensa para a afirmação do Humanismo. Cartão n.º 24 – M5 Martinho Lutero,Lucas Cranach, 1529. Concílio de Trento,Ticiano,1555. Observe as figuras, leia o texto e responda às questões seguintes: «[…] em 1545, e depois de várias tentativas frustradas, o papa Paulo III convocou o primeiro de vários concílios da Igreja,que se reuniuemTrentopara responderàrebeliãoprotestante.[…] Lutero(e Calvino,maisadiante) rejeitou a veneraçãodossantos,enquantooconcílioreafirmouvigorosamenteessaprática.Enquantooscalvinistaspropunham a eliminação de qualquer estímulo sensorial no culto, o concílio confirmou a música, a pintura, a escultura e a arquiteturaentre osinstrumentosmaispoderosos para acentuar a devoção religiosa […].»Leland M. Roth, Entender la Arquitectura. Barcelona: Gustavo Gili, 1999, p. 390 (adaptado). Explicite quatro críticas ao papa e à Igreja Católica pronunciadas pelos mentores da Reforma protestante.
  24. 24. Cartão n.º 23 – M5 - resposta Tópicos de resposta:  A invenção da imprensa favoreceu a difusão do conhecimento, possibilitando a publicação e divulgação de textos em línguas vernáculas.  Até à invenção da imprensa, a língua utilizada nos meios académicos em livros e textos era exclusivamente o latim, o que afastava outros públicos do acesso ao conhecimento.  O acesso mais facilitado ao conhecimento favoreceu a livre circulação de ideias entre as populações, contribuindo também para a difusão dos ideais humanistas. A maior acessibilidade a livros e textos diversos acabou por desafiar o poder das autoridades eclesiásticas, até então detentoras absolutas do saber. Cartão n.º 24 – M5 - resposta Referência a quatro das críticas seguintes, ou outras igualmente relevantes:  Excessivo protagonismo político por parte do papa.  Cumplicidade com o poder político e usufruto de privilégios, tais como posse de bens e propriedades, isenção de impostos, etc.  Acumulação de riqueza e ostentação, contradizendo os votos de despojamento e pobreza das primitivas ordens religiosas. Venda indiscriminada de indulgências pelo papa Leão X para financiar a construção da nova Basílica de São Pedro.
  25. 25. Cartão n.º 25 – M5 Explicite os três princípios fundamentais da Reforma protestante. Cartão n.º 26 – M5 Explicite quatro normas emanadas das diversas reuniões do Concílio de Trento que tiveram maiores reflexos na arte e na cultura ocidentais, particularmente nos países partidários da Contrarreforma.
  26. 26. Cartão n.º 25 – M5 - resposta Tópicos de resposta:  Rejeição de intermediários entre o crente e Deus – todas as entidades clericais – e negação da autoridade papal.  Instauração da Bíblia como única fonte de fé e de mediação entre o crente e Deus. Instituição do «livre-exame», a interpretação da Bíblia segundo o livre pensamento de cada crente. Cartão n.º 26 – M5 - resposta Tópicos de resposta:  Estabelecimento de um conjunto de normas doutrinárias, redefinição dos dogmas da fé e reforço da disciplina, visando restabelecer a unidade católica.  Confirmação do culto dos santos, de Jesus Cristo e da Virgem Maria.  Defesa das imagens sagradas – pintura e escultura – como instrumentos de fé e veículos privilegiados para a aproximação a Deus.  Estabelecimento de orientações para a edificação dos edifícios religiosos (igrejas): devem ser majestosos, amplos e impressionar os crentes pelo esplendor; devem ser magnificamente ornamentados com figuras de santos e imagens dos seus martírios e êxtases devocionais.  Criação do Index Librorum Prohibitorum – o «índice de livros proibidos» – para evitar a propagação de ideias contrárias à fé católica. Restabelecimento do Tribunal do Santo Ofício – a Inquisição – para julgar e condenar as «práticas hereges».
  27. 27. Cartão n.º 27 – M5 Lourenço,o Magnífico,Agnolo Bronzino, Galeria dei Uffizi,Florença, 1555-1565. Observe a figura, leia o texto e responda às questões seguintes: «Esmagado pelo peso do poder que fazia dele [Lourenço de Médici] um rei sem coroa, dirigindo o maior banco de Itália, cujas agências se estendiam por quase toda a Europa, controlando a política interna e externa [...], colecionava obras de arte, não se escrevia uma poesia, não se pintava um quadro, não se esculpia uma estátua em toda a Itália sem que ele fosse avisado, sem que lhe viessem logo propor a nova obra-prima.» Marcel Brion, MiguelÂngelo.Lisboa: Editorial Aster, s.d. (adaptado). Refira quatro dos aspetos favoráveis ao desenvolvimento das artes em Florença no período do governo de Lourenço de Médici, recorrendo à observação da figura e à leitura do texto. Cartão n.º 28 – M5 Evidencie três aspetos da atividade de Lourenço de Médici na dinamização da cultura e das artes.
  28. 28. Cartão n.º 27 – M5 - resposta Na resposta devem ser apresentados quatro dos seguintes aspetos, ou outros igualmente relevantes:  Prática do mecenato – apoio e proteção aos artistas, escritores e intelectuais – por parte das autoridades políticas de Florença.  Prosperidade económica e financeira da cidade de Florença no período do governo de Lourenço de Médici.  Encomenda de obras de arquitetura, de pintura e de escultura para embelezar a cidade.  Interesse do próprio Lourenço de Médici pela produção literária e artística e pela discussão filosófica. Desenvolvimento de uma crescente curiosidade pela cultura clássica e, em particular, pela Antiguidade greco- romana. Cartão n.º 28 – M5 - resposta A resposta deve integrar três dos aspetos seguintes:  Lourenço de Médici deu continuidade à obra do seu avô Cosme, o Velho, fundador da dinastia dos Médici e criador da Academia de Florença, de raízes neoplatónicas.  Lourenço de Médici foi o principal dinamizador da vida cultural em Florença, patrocinando artistas, filósofos e poetas, conferindo um forte impulso às artes, às letras e às ciências.  Lourenço de Médici dotou o seu palácio de bibliotecas, oficinas e coleções de arte, tornando-o um polo de dinamização das artes, das letras e das ciências. No seu palácio, Lourenço reuniu em permanência artistas, filósofos, poetas e músicos, transformando-o num centro de debate e pesquisa de novas ideias e de redescoberta da Antiguidade. Cartão n.º 29 – M5
  29. 29. Mapa representando o Universo heliocêntrico, gravura da obra Harmonia Macrocosmica, Andreas Cellarius, 1661. Explicite a tese fundamental que contrapõe o heliocentrismo ao sistema cosmológico geocêntrico. Cartão n.º 30 – M5 A Primavera,Sandro Botticelli,1477-1482. «Os artistas do Renascimento aderiram firmemente à conceção pitagórica de que “tudo é número”: guiados por Patão e pelos neoplatónicos e com o suporte de uma larga cadeia de teólogos, a partir de Santo Agostinho, alimentaram a convicção de que o Universo, e toda a Criação, respondiam a uma estrutura matemática e harmónica. Se as leis dos números harmónicos regiam tudo, desde as esferas celestes até às formas mais humildes da vida terrena, então as nossas almas também deviam ser conformes a essa harmonia.»Rudolf Wittkower, Architectural Principles in the Age of Humanism (ed. castelhana). Buenos Aires: Nueva Visión, 1958, p. 34 (adaptado). Explicite quatro das características da pintura renascentista italiana do século XV, recorrendo à observação da figura. Cartão n.º 29 – M5 - resposta A teoria do heliocentrismo estabelecia que o centro do Universo era o Sol, em torno do qual se movimentavam os astros do Sistema Solar, em círculos uniformes e constantes. Ao contrário, segundo a visão geocêntrica do cosmos, aceite pela Igreja Católica, a Terra era o centro do
  30. 30. Universo, em torno da qual orbitariam os outros corpos celestes. Cartão n.º30 – M5 - resposta Na resposta devem ser apresentadas quatro das seguintes características, ou outras igualmente relevantes:  Recurso a temas da mitologia clássica (no caso, a alegoria da chegada da primavera e da fertilidade).  Preferência pela conceção neoplatónica da beleza ideal e do amor.  Representação anatómica segundo os cânones da Antiguidade Clássica.  Realismo na representação das figuras e dos elementos da Natureza.  Riqueza da paleta cromática e dos contrastes claro--escuro.  Leveza e transparência das vestes (velatura).  Tratamento da luz com rigor.  Aplicação das leis da perspetiva linear. Cartão n.º 31 – M5 Refira três novos temas introduzidos pela pintura renascentista.
  31. 31. Cartão n.º 32 – M5 Caracterize a técnica do chiaroscuro. Cartão n.º 31 – M5 - resposta Tópicos de resposta:  Retrato.  Nu.
  32. 32.  Paisagem. Cartão n.º32 – M5 - resposta O chiaroscuro foi uma técnica desenvolvida pelos pintores do Renascimento. Consiste na modelação das formas e dos volumes através das gradações de claro-escuro dos tons, de modo a traduzir os efeitos de luz- sombra sobre os corpos e objetos. A introdução da pintura a óleo no Renascimento veio facilitar esta técnica.
  33. 33. Cartão n.º 33 – M5 A Anunciação, Robert Campin (Mestre de Flemalle), Retábulo de Merode, Metropolitan Museum of Art, c. 1427-1432. A Anunciação,Botticelli, Metropolitan Museum of Art, c. 1485. Distinga a pintura italiana da pintura flamenga, no século XV, no que se refere aos processos de representação pictórica tridimensional. Apresente dois aspetos de cada uma dessas escolas pictóricas que caracterizem o seu método de representação do espaço. Cartão n.º 34 – M5 Selecione a opção que caracteriza a perspetiva linear. A. Sistema de representação gráfica do espaço e simulação da tridimensionalidade com base em traçados geométricos. B. Representação idealizada do espaço, em que as figuras adaptam as suas dimensões ao espaço disponível. C. Representação do espaço num plano bidimensional, com base nos efeitos de luz-sombra sobre as figuras e os objetos. Representação gráfica do espaço, por processos empíricos, de modo a sugerir a tridimensionalidade.
  34. 34. Cartão n.º 33 – M5 - resposta resposta deve integrar os tópicos seguintes, ou outros igualmente relevantes: – Escola de pintura flamenga  Os pintores flamengos experimentaram a representação naturalista das formas e do espaço de um modo experimental e empírico, assente no aperfeiçoamento técnico da utilização da pintura a óleo.  A aproximação «à realidade» efetuada pelos pintores flamengos consistiu na modelação das formas através dos efeitos de luz incidentes sobre os corpos. – Escola de pintura italiana  Os pintores italianos desenvolveram um método científico para a representação tridimensional das formas e do espaço numa superfície plana. A perspetiva linear consiste num método de traçados geométricos que permite representar graficamente o espaço tridimensional, tal qual ele se apresenta à nossa perceção visual. Cartão n.º34 – M5 - resposta Resposta: Opção A.
  35. 35. Cartão n.º 35 – M5 Evidencie o sentido da expressão pittura e cosa mentale, tal como foi enunciada por Leonardo da Vinci. Cartão n.º 36 – M5 A Deposição deCristo,Rafael, 1507. Evidencie quatro características da obra de Rafael, patentes na obra reproduzida na figura.
  36. 36. Cartão n.º 35 – M5 - resposta No seu Tratado de Pintura, Leonardo enquadrou a pintura num processo intelectual. Leonardo considerou a pintura um meio que conduz à experimentação e ao conhecimento, equiparando-a a uma experiência científica. Neste sentido, Leonardo definiu a pintura como uma cosa mentale, ou seja, uma arte originada no intelecto e que só através dele deve ser entendida. Cartão n.º36 – M5 - resposta Evidenciar quatro das características seguintes, ou outras igualmente relevantes:  Composição de grande purismo clássico.  Rigorosa aplicação das leis da geometria e da perspetiva linear.  Tratamento da cor e do chiaroscuro de matizes suaves.  Aplicação do sfumato levemente esbatido, sob influência de Leonardo.  Exploração das possibilidades expressivas da anatomia humana, sob influência de Miguel Ângelo. Abordagem plástica que reflete o enquadramento cultural de Rafael, humanista, erudito e neoplatónico, que expandiu o conceito de cosa mentale na pintura.
  37. 37. Cartão n.º 37 – M5 Cúpula da Catedralde SantaMaria dasFlores,FilippoBrunelleschi,Florença,Itália,c.1420-1436. «Os arquitetos do Renascimento configuravam o espaço mediante o uso de unidades modulares baseadas em relaçõesde proporcionalidadeentre númerosinteiros.Assim, o círculo e o quadrado passaram a ser os módulos básicos de projeto da sua arquitetura; as extremidades de tais módulos salientavam-se mediante colunas clássicas, arcos e entablamentos, derivados das fontes romanas. Para eles, o ideal de beleza consistia na cuidadosa organização das partes reguladas por relações de proporcionalidade.» LelandM. Roth, Entender la Arquitectura. Barcelona:GustavoGili,1999, p. 348. Explicite quatrodascaracterísticasda arquiteturarenascentista,recorrendoàobrareproduzidanafigura. Cartão n.º 38 – M5 Hospitaldos Inocentes,FilippoBrunelleschi,Florença,Itália, 1421-1427. Selecioneaopçãoque se aplicaàs características da obrareproduzidanafigura. A. Espaço de matrizclássicae estruturaemarco quebradocomabóbadasde ogivas. B. Valorizaçãodageometriae estruturadefinidaporvolumesespaciaisordenadosem abóbadasde berço. C. Utilizaçãode abóbadasde berço e acentuaçãoda verticalidade. D. Decoração esculpidasobre elementosarquitetónicose estruturageométricabaseadanasfigurasdocírculo e doquadrado.
  38. 38. Cartão n.º 37 – M5 - resposta Na respostadevem serapresentadasquatrodasseguintescaracterísticas,ououtrasigualmente relevantes:  Influênciaclássica,evidenciadanareintroduçãodacúpulade grandesdimensões,seguindoomodeloromanoe bizantino.  Desenvolvimentodoestudorigorosodageometriae damatemática,aplicadasàarquitetura.  Reintroduçãodatratadística clássica,comosão exemplosascontribuiçõesde Albertie de Brunelleschi paraateoria da arquitetura.  Desenvolvimentodaideiade projetooude desenhopréviodaobra.  Decoração simplificada,compreferênciapelosmotivosgeométricos.  Preferência,naconceçãodas plantas,pelasfigurasgeométricasregulares,comoocírculoe o quadrado(comoé o caso da cúpula).  Articulaçãoentre umedifíciode plantagóticae uma cúpulacom um traçado inovador.  Desenvolvimentode cúpulade duplocasco,umainovaçãode Brunelleschi.  Tambor octogonal nosuporte da cúpula.  Coberturaemtijolo,comas nervurasempedra,salientandoadesenhodacúpula. Cartão n.º38 – M5 - resposta Resposta: Opção B.
  39. 39. Cartão n.º 39 – M5 Refira quatro das características da arquitetura renascentista patentes na obra reproduzida na figura. Cartão n.º 40 – M5 A B C Associe osedifíciosapresentadosnacolunaA aosestilosarquitetónicosreferenciadosna colunaB. A B A B C 1 – Gótico 2 – RenascimentoCarolíngio 3 – Renascimento 4 – Românico
  40. 40. Cartão n.º 39 – M5 - resposta Tópicosde resposta:  Traçado ordenadopor formasregularese simétricas,assente nageometriae nasleisdaperspetiva.  O desenhodoprojetoantecedeaobra,permitindotodososensaiosnecessáriosàconcretizaçãoda obra ideal.  Predomíniodasfigurasdocírculo e doquadradoque,na sua perfeição,devemrefletirasuperiorperfeiçãode Deuse do Universo.  A purezado traçado geométricoé salientadapelaslinhasdospilares,arcose entablamentos.  Rejeiçãode todoo tipode ornamentossupérfluos.  A arquiteturadeve exprimiraclarezamatemáticae a racionalidade comque é entendidaaordemdivinado Universo. Cartão n.º 40 – M5 - resposta A – 3; B – 4; C – 1.
  41. 41. Cartão n.º 29 – M5 Cartão n.º 30 – M5
  42. 42. Cartão n.º 29 – M5 - resposta Cartão n.º30 – M5 - resposta
  43. 43. Cartão n.º 29 – M5 Cartão n.º 30 – M5
  44. 44. Cartão n.º 29 – M5 - resposta Cartão n.º30 – M5 - resposta

×