1968 homenagem cacapava

2.171 visualizações

Publicada em

Projeto de homenagem ao marechal Francisco José Soares de Andréa, Barão de Caçapava.

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
2.171
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
3
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

1968 homenagem cacapava

  1. 1. .. j FEDERAT:IVA "DO DIÁ 10 DO· ONGRESSO NACIONA[;, ., SEÇÃO ANO XXIII - N.~ la CAPITAL FEDERAL SABADO, 13 DE JULHO DE 1968 r CÂMARA 'nos DEPUTADOS SUMÁRIO 11 - 9~ SESSAO DA 2' SESSãO LEGISL..OTIVA DA 6' LEGISLATURA " :&1 12 DE JULHO DE 1968 DA CONVOOAÇãO EXTRAORDINARIA I - Abertura. da Sessflo n - Leitura e assinatura. da ata dn. SEssão anterior, , UI - Leltura do Expediente. PROJETOS A IMP:R.IMIR N?-361-D, de 1966 - Emendas do Senado na Projeto n9 3.651-0, de 1966, na. Câmara dos peputadoo, que regula a apresentaçâo e o uso ele clocumentos de identificaçào.pEEsoal. (A comissão de constituição e Justiça.) N9 1.193, de 1968, (Do Sr. João Alves), que díspõe sObre medidas con- I!iagrat6rias do Marechal Francisco José de Souza soares de Andréa e dá. outras providencias. (As CmnÍl'sõeo de constituição e Justiça, de se!;urllnça Nacional e no Finanças.) - N? 1.477, de 1968, (Do Sr. Zn.re Nunes), que altera as leis ns. 4.494, de ',;J de novembro de 19(;4 <Inquilinato), n9, 4.863, de 29 de· novembro (le rsss (EstImulas à Indústria de Oonstruq,io Civil) e a. de nf 5.334. de 12 ue outubro de 1967, que estabeíece limltaçõ&.l do reajustamen,o de aíu- , cuéls, e dá. outras provídênelas, (A.~ Comissões de" Constituição e Justiça, de Economill- e de Finanças). .vI - ORllEMDO DU NELSON :1..1ARNEIRO, DAVID LERER, BRAZ NOGUEIRA e ALMIR TORISCO -Apresen:ação c'.e pn'jetos de lei e de emenda ccnsatucíonar, ARGILANO DARIO, MARIANO BECK e BRAZ NOGUEIRA - Apre- sentação de requerimentos de íntormações, , ' , PAULO MACARIm - Discussât' única do Projeto de Decreto-~glslativo nf 85-68.- DAVlP LERER - comunícecao - Violt!ncla pollcia.l njl. Uni'ersldade de Brasília. - CANTiDIO SAiTPAIO - Como Lider - Dzsapareclmento do Pro!. Sér- gio servuio da Cunha. da Faculdade de Direito de Santos. I JAIRO BRUM - Como LIdeI' - Anállse da situação. polítlca, . ~.~ ""-- -'" VII ~ DESIGNAÇAO DA ORDEM DO DIA " 1- --- WrI - ENCERRAME.1-.'TO - 2 - MESA (Rcla"áo doa membrus). '3 - LíDEFlES E VICE-.LíDERES DE PARTIDOS <Relnção dos me11lbrOsr~' 4 - COMrSSOES (Relaçáo dos memqrbs das comissões Permanentes, Es- peciais, Mistas, e de InqUérito'., MDB. , Alagoas: Djalma. Fálcão Sergipe: Raimundo Dlnlz '- ARENA. Bahia: Fernando Magalhães ~ ARENA~' Hanequim Dantas - ARENA. ' Má.rlo Piva -,. MDB. Odulfo Domlngues - ARENA•. Vasco F1Iho - ARENA. 94 SESSÃO EM 12 DE JULHO Plaui: DE 1968 ~ João Mendes Ollmplo - MOB (26 de agõs!o de 18<;8). Ccará: F',ivio M:arcUlo - ARENA . Jonas Carlos - ARENA. . Martins r.odrlgues - MDB. Rio Grande do Norte: OS Agenor Mario. - ARENA (1'7 do _ agõsto de 1~68). Paraíba: João Fernandes - MDB (22 de Ju, nho de 1968). Pllnló Lemos - ARENA (8 de agôsto de 1968). I I'ernambuco: (7 de Andrade LIma Filho - MDB '(13 de agôsto de 1968). Oswaldo LIma FiIhQ - MOB. IV - PEQUENO EXPEDIEm'E JOELFERREIRA - Bôlsas da estudo. FERNA1'.TDO GAMA _- Polltlca habl!llcional do govêrno (Coilvocaçã~ Extraordinária) AGENOR MARIA -' Pôs(1) de Inseminação artificial para a agriCUltura. PRESIDt:NCIA DOS BRS.: AROLDO ~o Rio Grande do Norte. CARVALHO, 30 SECRETARIO, ALtPIO CARVALHO - MenslÍgem, do General·Muniz Arâgão aos mílí- )IARIO lIAIA, SUPLENTE DE jares ,jovens. . ' , SECRETARIO. ''I. RAUL BRUmNI - Leglslllção sõbre entorpecentes. I - AS 13.30 . COMPARECEM ALMIR TURISCO - Trecho ferroviário Campinas-Trindade, em Goiás. ' SENHORES:, - MAlUO PlVÁ- Violência policial contra a Unlvcrsldade de Brasllla.., José Bcnifáclo.Aceloly FIlho. , 'Vendn de -,parlamentos do Banco do Brasil. , ' . Ma<heus Schmldt. NELSON OARNEIRO - Desaproprlaçáo de'lm~veis na Ouanabara. Hllnrique de La. Roque. Milt:Jn Reis. UO NEVES "- Cotollicullt:rs. ne Paraná. Aroldo cárvalhl). PADRE NOBRE - Equiparação de cursos dos Seminârlos aos nfv~..lf AryAlcãntara. superiores de Filosofia. . Acre: . JOAQUIM MAOEDO - Sistema previdenciário L IPASE no Acre. Romano Evanll'~IIs(a _ MDB ADYLIO VIANNA - Aposentadorlli. pelo INPS no Rio Grande do Sul. - agOsto" de 1968). WIlSON OAL..'>10N - PeTsegt;içáo do Fisco à Zl)n~ Franca. de Manau_s.. _ Amazona~' mNIO ROMAGNOLLI - Lavoura de hortel~ no paranâ. Joel Ferreira - MOB: WlIson Càlmon - ARENA (9 de , MARIANO BECK - Retôrno ao serviço dos ferrl)vlârloS absolvidos de Julho de 1968). 1PMs. ' ARGILANO DARIO - pa'VImentação da BR-IOI, no Esplrlto Santo. Pará.: Armando Corre0. - ARENA V - GRANDE EXPEDIENTE João Menezes - MOB tlNtRIO MACHADO - Convocação extraordiná~ia dI). Congresso. ,Malanhão: . , .- _ • Mousl) Matos - ARENA <16-de JONAS CARLOS ..... Sltuaçao polltlca nacional. To rsetembro de 1968). RAUL BIroNl'NI - Adiamento da. reunlãe> do ConselhO tle Segurança 'Henrlque de La ROCjue - ARENA Naciona.l. ' ' . José Marlio Filll0 - ARENA.
  2. 2. 4176 Sábado 1~ ~ ::z; OIARIO DO CONGRESSO NACIONAL (Seção I) . Julho de 196B ;. =- Parâgrafo únlc'J. QuandO 'à fnfr800 ção fOr praticada. por preposto 011 ageste de pesca Jurldlcll. consíderar-« se-á responsável quem houver orde- nado o ato que ens~JOU a retençllo, a menos que naja., epío executante., deoobedlênc!a ou mobservãneía de ordens ou lnstruçiíe.'l expressas, quan- do. então. será I'.;:te o lnIrator. Art. 49 O po1er Executivo regula- mentará à presente le: dentro do pra... zo de 60 (assenta) dias a contar da. sua pubhcação. • Art. 59 Revoga:a-se lIS disposições em contrárío. Senado Federal, em 5 de jUlbo, de lll68. - Gilberto 1Ja-tnho. Presldente do Senado l'ederal. •• Q,45 0.90 BRASiLU CU.F. DA ....ç.lo .... R"DA<;JiO FLORIANO GUIMARÃ!S ASSINATURAS DJh~T"IIII·G"AAL. ALSI!RTO DE BRITTO PEREIR.A m - EXPEDIENTE PROJETO N9 3.651-0, de 1966 EXPEDIENTE DEPARTAM~NTO,DE IMPRENSA NACIONAL 1: -, DIÁRIO DO CONG~ESSO NACIONAL IIEçAo t Iaoilruco nas oficlnal, do OeparlatnenlO ue ImDtltAl8 Nsclolt4l no ~PARTIÇÕE! E 'pARTICULARES 1 Pct~tCIO(JÂRI('; Capttal e Inzeaors , Capital e lntenort Seméstre NCr$ 0.50 Semestre • •• •• • • NCr$ Ano ....... .... NCr$ 1,00 Ano ..........'. NCr$ Exterior: Extetiors ~. Ano -. NÇr$ -4,00 Ano NCr$ NaMERO AVULSO I _ O preço do numero at,uls; ligura na última página de cada exemplar. ~ O preço do exemplar atrasado será ac~scido de NCr$ 0.01. se do mesmo ano, e de NCr$ 0,01 por ano. se de ancs - anteriores. :MDB. annta Catarina: Paranã~ o SR. MARIO PIVA: Slío Paulo: o SR. PRESIDENTE: Esplrlto Santo: . O 8R. PRESIDENTE: Aecloly Filho :.- ARENa Allplo Carvalho - ARENA. Antônia Anlbe~ ,- MDB. Fernando Gama.·- :MIJB. Benlo RQ"magnolli - 'ARENA. Passa-se li. leitura do expediente. O 8R. ARi' ALCANTARA: , 4~ seeretál1O, servindo dll 19, pro- .. l lel~ Sl' ~!Il1. Almir Turisca J ,,_ 'M.6n (2-8-68) '. LIsboa Macbado - ARENA. Paulo Campas - MDB. PROJETO N9 1',193, de 1968'" (DO SR. JOAO ALVES) DisPõe ,~o.'te 1ntdldas consagrlf;Jór1al" da memtrta ao ,Marechal R'Ta"l~!J()O José fie SOIU:ll Soares de Amtrea, 6 dá ou~ra;: provlaenclas. 3,50 Ju~~a.c~~~~:ra~~~~~~U;fã~ ~: FlnanÇOlS) . O Congl"~30 Nacional decreta, Art. 19 Fica o P o d e r ExecuLlvo autorlzaClo- a transradar para lugar condigno, na. cld'3de do Rio de Janel~ 1'0. Os res/;l'", mortaís do Marech,!.d2'~ Exérclto, l'ranclsco José de Sousa soares de Andréa, B9rão tt~ Caçapa. va, que se cneontram em mau-oléu dade ao artigo 59 da Lei n9 3.688. de no cemltéz!... dr. cidade de São José Z de outubro d~ 1114'1. do Norte, Estado do Rio Grande do ~AO LIDOS E VAO A lllPROUn Art. 49 O Poder EllecuUvo degula- SUl. OS SEGUINTES PROJE:rOS~ mentará a. presente Le! no prazo de § 19 Aos despojos dó Marechal AlI. 60 (sessenta) días, conntados a partir dréa ser'ío l'ClU1!dos 05 de sua mul'l:ier Germanllo Rit:l e Brito rla VitOria. da data de sua pubhcaçãc, Soares éle Andréa, que se guardam Art. 59 Revogum-~e as disposições em jazigo perpétuo no omltérlo de em contrário. São Pronelsco de PaUla, no Estado da. P 1 .. C' d D' d de b fi Guanabara. Emendas do sellado ao TO eto n,,- amara os epuU os. 4 a r § zq Posteriormente, a<lotn!-se-ão mero 3,6<;1-0 de !se6, na Câmara de 1968 - José BOnlfacLo., 1lS medidas crmplementares às ban. dos DeputCldos oue retnua a-apre- Substituttvo cio SenaDo ao projeto de rarías devidas A memória tio Marechal sentaçáo e o 1;SO de documentos de Lei ,fIa. Camara que regula a apte- Anelréa: . ' sentaçao e o uso dGII dOcumentos de 11) adoção do seu nome 1'.!I1 praça IdentlJlcaçao pessoal, tdentfjicllçâo pessCY./.l. fórça ou estabelecimento do Mlnl_té': cPROJETO N9 3.6l'>1-D de 1966, Substl.tua-se o PrhJEto pelo liegu.ln- 1'10 do Exército; te: ,_ • - _ bl Cunhagem de maed'lo metálica. EMENDADO PELO SENADO) , DISpaS sobre a apdesentaç~o e divlsloná.:ta wm a efigen do bomena» II~O de âoeumeuto« de identifica. gemia e, uma aJegorLa reJa~lva Q rerto (A Comissão de OOllstlutlção e Jus- çao pessoal. 1llll1lar constante de sua lllografia; tiça) • O Congresso Nllelcnal decreta: c) Emissão de sêlo postal ígualmen... 'O Congdesso NacloIlal decreta: Ar], 19 A nenhuma pessoa fislca, te com,emoratlvo, com o retrato e ale. bem como a nenhuma pessoa JurJdi- !larla msplrada em seus t~abaIhos de _ Art. 19 Não sera licito a nenhuma ea, de direito pUIJI,' o OU" de dlrelto demarcacao elas !rontelra~ do Brasll , pessoa Ftsica ou JllI1U;Ca, quer de di- privaáo. é liCIto rCI'" qualquer do- com o Uruguai. celta púbJico ot< P"VllC.... reLer aI' o~- cumento de IdcnL'.!kaçálJ pessoal Ar. 29 O Ministério do Exército trem os séguint.es ch'cumen[os de Men- nint.ll que apresenl:l'lu por iotocópJà flca encarregado da Ieunlr am vo1u~ tItl~açllo, amaa_ qu~ ~p.esntados ~ll autenticada ou PÚIJ1'l&.rorma, inclu- me os tNballlos e documen:'l3 em t6r- forma de püoilCllS r"llllRs ou fotoco- slve comprovante- de QUItação com li no da flgura do Ma.rechal Andréa, que pIas autenticadas; certüa<. de regls- servIço militar, utu!c de eleitor. ca.d- se cinjam ll. verdade ltlst6rJca de tla- tro civil. titUlo de ~'Cllor, cartelxa de telra profissloual.- rnt:<Iáo de regls- tureza Ctlnstrutlva e educacional. ldentlf!cação, Cea'if'cuOO de reservls- tro de nas:lmento cftlldão de casa- Art. 3~ As despesllS com a apllca- ta. carteira proIlSlollld, certldío ~e mento. comprovante ae naturalJ2açáo çllo desta Lei correrào por conta de cn.samento. certidão d~ naturaltzaçao o carteira de ldt!nLu:ade de estran- dotações jà existentes. ecartell'a. mOál!lO 19 (dezenove). gelro. - , Art. 49 E' 'fixado o prazo de 10 Parágrafb Onlr.o. tll:ando CXIglda a Art. 2Q Quantlo, r.ata a. .eallzação (e1ez) meses, para. adoÇão rias medt. qualquer cidadãO, brumlejro nato ou de deLedminado ato. fôr eXigIda a dllS proecol1l7.ldsJ' na presente tAl. natural~ado ou esl~aI1ge1ro. a a:pre- apresentação de doculllentode Iden- Art. 59 Esta Lei entrará em vl"o.r lel- <;entação dos docum.l1lOs relaCIonados t-Iflcação. a ?~õSoa. (IUf lizer B exi- na data de sua publlcacllO. ." neste adtigo, quem os exigll' fará co- gencia fará extrntt, Ul. prazo de até - piar dos mesmo'! loS tllmenLos de lden- 5 (cinco) dias os da~vs que Interessa- Sala tlllS sessões, em mnr~o de 1061l. tlfcação que :ul:::ar flccessár10!!. devol- devolvendo em segu'da, o documento - Deputado Jollo .4111es. vendo, em segUida, os documentos ao seu exJbldor. JustificaU,,;(/, Servindo como 29 secretáiio, pro- apresentados. Parágrafo únicO. ,Além do pral:o O VUlto do Mareclull FranclEco José ce?e à leitura da ata. da sessão ante- Art. 29 Sómente ti Ordem dos ór- preVisto neste artigo, sOmente por or- ele SOUE(l. Soares de Andréa. barllo de lleaente, a qual é, sem obaervações, gãos do Poder Judlclilrio os documen- dero judIcial po;ler; ser retido qual- Caçapava, e Conselheiro de F.stado, assinada.. tos referidos no artlJ!'o anterior po- quer documento d Identiflcaçíio pes- nàu tem merecIdo a glol'lflcaçá~ a derãO ser ret'dos. soal. , que tal: jus como soldado ~ est,;Idlsta. - , t Nascido em portugal, traru.fenu-se Art, 39 O desponsavel direto pela Art. 39 ConsULIU cnn ravenção pe- I);ll'a o Brasil na comJtlva ImperIal pessoa jurldlca de direito púbUco ou nal, pun1veI COln pen!l de prlSào slm- no inIcio do século 'C'X, COJlQUlstao': privado que ret,lveC de' alguém os do- ples de. 1 (um) a 3, Itrês) meses OU CIo na carreira das armas 'JS mais al- cumentos relaclonatlll2 no art. 19 fi- llulla Qe NCr$ 050 ,tlnquenta centa.- tos galarcJões. Vnlente guerreiro pa. cará sujeito às peDllS de 1 (um) a 3 'libsJ a NCr$ 3,00 (tr@~ cruze1ros nO-1CI!ICadOr de rara. habUldnde. enge.. ,trl!s) meses de llIWiD ou multa de vos), a retenção de Qoalquer dC).u- nhelro nustre e enlOreendedor de, NcrS 0.50 a. 1I1C1'$ 3,OU, ~n,a contorml- nlentCl a que se 'l'~!ere esta !el~~ obras meritórias. demlU'cador de 11~':;_ ;) , CanUdlo Sampaio -- ARENA., David Lerer - MDB. liéllo Navarro - MDB., Mário Covas - MDB. Guanabara.: :El'asmo Martins Pedro Wllld!: Simões - MDB. Minas Gerais: '~Aroldo Carvalho ':"~ENA~: Osmar Dutra - ARENA. Paulo Macar!nJ - MnB., RIo Grande do SUL: I Ary Alcântara _ ARENA.: Flôres Soares - .ARENA l'!orlceno Paixão - MDB~ , Marlano Beck _. MDB. Matheus SChmldt - _MnBo;, Vnsco Amaro - ARENA. Zalre Nunes - MDB. A lista de presença acusa o com- 'pareclmento de ó~ ,senhores Depu- tados. :Jil&tá aberta a. sl',ssão. SOb a. proteção de Deus iniciamos , nossos trabalhos. O ar. Secretário procederá à tura da ata da. sessão anterior. Dnar Mendes - ARENk., José Bonifácio - ARENA. Milton Reis - MDB. , ];ladre Nobre - MDB. .. Argllano Dario - MDB (30 de Ju- ~1ho de 1968). , Affonso CeJso - UDB. . Edésio Nunes '- MDB. ti JOl'ge Said Curi - :MIJB <17 de 11lgôsto de 1968). ........ ao gc.nYlCO DE PUBLlCAe6•• ZuJmar Baptista. - :MIJB (30 de J. B. DE ALMEIDA CARNEIRO jUlho de 19681.
  3. 3. f~5âb~do 13 , orARia DO CONCRESSO NACIONAL: (SeçãÔI)'. . , Julho de 1968 4177...".. ~ 'IIS :f1'ontelrllS, adJnlnJstrador de .rara Filho ~e José .:roaqulm Soares de deste, çentro e..SUl do paise , Teve pa- taà:a. da cabocla, para. representar ,1Il1lclêilcla.,· parlamenter brilhante, 11- Anclxéa, fidalgo português, e de Isabel paI satíente na. infausta· batalha de OMarlne. de Paraguassu, de modo.que «ura humana em Que ointUavam as Nllrclza' de Santana <de Jesus) e Ituzalngo· (Passo do osárío) , no Es- pudesse figurar .no préstito tradícío« •mais peregrinas virtudes como chefe souse, I}atural da Estado lia. Bahia, tado-:M!úor4o MarqUês de Barbace- nal de "2 de. julho", sem a ammosí- .jue ramnts .moãerar, comandante de magJ}lfIcentemente dotada. pelo seu ,nll', e nas campanhas de Cisylatlna e dade dos portugueses r,*licados~ na. Il'lgldo senso no cumprimento do de- padrinho, o Cônego GOnçalo de SOUsa Montevidéu, Desbaratou a revelação :Bahia. . ' . . l1er e patriota. capaz de 101105 os sa- Falcão, Cura da Sé, ,Juiz de ReS1duo.~, farrourlilha -em Santa oatarína, der- Os despachas. processuais revelar . I'~rif1clos~ Desem~ar~ador da Relação :Ecleslãst1- rotanão o lendário Gat:lbaldl, Pa~lfl- uma. personalidade marcacla pela. ex-, . O Ma.rechal Anclxéa, em muítos dos va, rVIgárIO Geral do Arcebl.~pndo, cou pernambuco. AderIU à. cause da ceLtrtcidade de gestos humanos. Hu-- '~randlosos .fatos do nosso passado, Eram "prlmos" entre·.si e tiveram 15 Independência. . morlsta. espontâneo, ccenpunhs, -Versos' l í:luandO o Brasll estava em processo filhos, nascJdo em pbnuge.l, no solar EStadista e administrador de vlsão- pítoreseos, Conta-se por ereJi)plo que: tle formação comp nação 1i7re, avul- dos Scares da rua-do Nortes. Proprie- fundou várias. cidades e suas obras certo magarefe sar'gento da Grlarda.'. :tou 'Da. P!an:C:t como UJtI,. cedro ma- tários desde.1776 de uma frota de ve- técnicas e hídrâulícas são marcantes, Naclonal,solicÜando-Ihe premo Cão a. lestoso, Todav,la. em vários ,dos nos- Ieíros, q'!e faziam a linha Portugal - como defesa do lltoral, cais, faróis, es- oficial, teve despachada. a P~tiçàO'; ,Sos llvros, êle flgur(l, apenas como Brasil, so dois dos.seusfllhos,se ay~n~ tradas, 'planejamento da. )adelra da desta forma:" ~ I!personagem"'cirCUIlSt:l.nelal, um qUase turaram a Incorporar-se à comltíva Montanha (hoje rua Barao ':Eromem ' ' . ' , , Ildesflgurado Pllatos, no .Credo, quandQ .da. famllía real, quando esta fugia às de Mello), cujas muralhas vleraml a "Quem mata, fere e esfola. ' .ns verdade as rédeas das aconteci- hastes napoleónlcas em 1808. ser sedimentadas há cerca de 40 anos não usa canhão nem gola." ,mentes .estavam nos 'seus pulsos de O primeiro dêles, Thomaz José de pelo Engenheiro Abelardo:Anclxéa dos Nos" pampas um sold d aço. A verdade, porém, sempre ê Im- SoUsa Soares de Anclxé.a, .voltou em Santos (Sobrlnho-blsneto do Mare- apesar da dlflculdalie dear~' :~ucreu, 1pC1'atlva. e a verdade histórica, a.s '1826 a Portugal, como Capitão de Ca- chal) , Indicado p~la Congregação da to baixe por tempo de sc1'v~ tamerr-, . tvêzes adormecida sob grossas cama- valaría, . para 1 encontrar a morte, Escola. Politéénlca. Cj&ando Iminente do S!! allstara. como substlt IZO,i unn- .das do pO'do esquecímento, faz-se. um atingido nos rins, quando, sõzlnho, era. Uma. ruinosa queda de terras da tre, ~'recebeu!!st t ,uuo e ou- IIdla vIsta. claramente ií·.IUZ sem se sa- defendIa a.entrada do quartel sol! seu rua Chile,' a de. prédios mats-grandlo- suplicante servido ~o rõc° ir 1endO j o 'bel' como, E' o que ora. se verlflcll, comando, em Vila Viçosa, dando t sm- sos da cidade do salvador'.' a ora se i r ou o,,, oca- he 1tlesde que um dos n0680s ensaístas, 1'0 aos soldados a se .prepararem COn- Estêve em campanhas e revoíucões ~a a /V r J?Or sua. conta , outra . '!em recentes estudos, ínserídos na tra o Inesperado ataque das fôrças ínvestído de podêres dlscr:cionârlos, gtç veio pedIr~lhe díspensa de cem- . , "Revista do I!lstltuto de Geogr!tLia 11 míguelístas do MagessL O segundo, com as' garantias constítucíonaís sus- ~e .~r. s~; ;asado. Responde-l!le de IHistOrla do Brasil", pesquísou .os ían- Francl~co José de .souse, Soares de J?'CUSas quanto à Iíberdade e ao domt- sou j to. S. é essaco, também eu ees do. vida desto]. grande figura do Andréa, desde cedo. revelou tempera- eíllo, podendo até deportar e executar vo,:"vá piU'a a guerra que eu taenbém :rrmpério, fornecendo preciosos ele- menta guerreiro Da batalha contrn .« a pena de morte, mas' sem abu&ar de N'· ~ , mentos para se aquilatar de llUa gran- Espanba:, Na..ocido a 29 de janeiro de tais faculdades. Alguns atos de n.rbl- ~ velba Bahia, Âf~anio pelxo_to . Idezn. e projeção blstórICJls...Oió trabll- 1781. Ellgen~elro millt,ar. 'Diplomado trio se .tomampoLvezes necess:l,rlcis ~~~t~ :. a~a.1:r'fdorla a soluça0 ilhos do :Bel. José Andréa (lOS Santos, pela Academm de Mar!nha de Portu- para arrancar as populaçMs dasgar- "b I _o "e oramento.de uma. -~em éomo os prpnunclament.os de hls- gal. Fêz o curso espeCIalizadO de As- ras do canibalismo, por parte rif.!l- a zaqueana por um jovem praça. ItorladQres contemnorâneos, como Pe- tronomia e Navegação. Ourrlculo es- deres embringaôos pela~ fp.rmentações de 'l;:ré. S~ maiores argwpentos, o. dro Calmon, Arnaldo Wldberger,e .A!/L tudMtll sempre, com distlnCão. :Eru- Tevoluclonúria.'l multlsseculnl'es. A m«- .~~':~I ~,:tre!l~uda. baInha da éspa- iKllndre passos, complementa~, estll manLsta por vocação e poliglota, Ca- lança. dant.esca, uma das mals ne1ln- .' aI! "",. VIO a a, e fez por miro- .crustl!ical!iCl, fartol! de indl'~nroes Vll.- sado cem Germana Rita de Brito da das da nossa histórIa, desenrolada' no du:z.ir a lâmina, mas em vão, ~evldO , liO!ias sõbr~ os lances prlnclJ)31s das Vitória, slJ}-rio-grs.ndense, ':da re[!lão porão do brlp:ue "Palhnco", cem e. os- ~os, movimentas da denunclllllte. multiformes <ltlvlaades' do barão de onde foi depois Santa. VitórIa do Pal- cotilha. cruelntentt! l:.zchada, redun· éleCoy ,dessarte t de!Uonstrado que o C!l<illpava. que estii;o a exIgIr wna re-; mar, que .Ihe.deu o 'nome, por ~er a dando no mClntão dos corpos de tre- . sv rg~amen o na~ se daria se:n llaração do esqueCImento. a que fOI santa da. devoçâo de!a1a fll.milla", Do zentos paraenscs cobertos de sangue, Cj~nCOrdancla.da suposta vltlma, Il.lláS Uté'aqui l'elegadO,·. ". casal provieram ,tres filhos, Lulsll rasgadas·as carnes,·pela penosa agt>- sem o amparo na lei. " . 1Is homelUlgeru; propostas no texto Adelaide e Rita- ISabel, solteiras, e o nla de falta de ar luz e água e a In- PesqllJsadores de má-fé vêm pro- constituem um preito de. jUstiça,..que futuro Mnreehal José da Vitória, "o 'toltlcação pela eal:, . , . curnndo destruir vultos' de 'indlscutl-' Itllrdl<lmcnte se tributa à. memória qUMe esquecido . grande braslleiro, O Marechal Andréa sempre foi lIu- vel v~lor. perdendo-se'em acuSlçõcs tli!ste, InsIgne varM. ~UjOll servlços ofuscado, talv.ez, seu nome pel<lS ful- minado pelo desejo de restauraçãl) ela ~tér~IS. 'e, exegese contrá!i!!- à verda- prestados ~ com.olldaçao do Im!1~·Io gurações do privilegiado talento e os ordem e da disciplina, NUlci mno- d" ~lst6rIca. Abrem Os tumulos dos e ih unUlcaçâQ da ~át.ria C'lmum Ia- grandeS serviços pelo pai prestados ao rereu no cumprimento inflexível' do h~r.OIs e dos notáveis, ao invés Jle ela- !!em-no rwmrglr dIante da admIra- Rei e aO.Imperadlr", '. dever e no resguardo dos dinheiros renas à.'l. perspectivas da. a.tiillraçáo, !;!lt1 da posteridade, ~te é o .selltldu Grande do Império,: Conselheiro de públicos, sem destcmor diante do ['6' d~ novas gerocões, O Marechal An- tlnsplrador do projeto, que nu:; llonra- Estado e de Guerra, Grã-Cruz 'd~ 01'- rlgo, IDas re~eltando €I vida, e c>s dl- dt:Ç!l, noo consti.tui exceção, crismadi) .1n0S de submeter l. alta. ~abedorlà do dem 'Milltar· de SáCl Bento de AVIs, reitos dos governados, Não tlnha for- como Ins..olente, vazlp, ap1blcloso, f,ira- !Parlamento· Nacional. Comendador da. Imperir,l ordem qo. mação de .déspota, A violêncIa das ~o:;com.a}am.a de espantalho e b~e. Quanto ils despesas decorrenks d:1 Rosa, onelal do Cruzeiro, Cpnseltlel- punições lhe era dosada em propor- flCl1lrio de .enrIqueclmento Ilclto. Iilpllcaçl10 do texto da Lei proposta, 1:0' de EStado ExtrllOrdinárlo. C!VllleI- ÇÓllS do' puro. nacionalismo,. N>ntra A _hlstórla, porém, adormecldM as restamos segulnclo o sistem1. já ado- 1'0 Fidalgo da. Casa lteal- Portuguesa objetivos mesquInhos de ambição e pal~oes e os ódios,,.reparou a. jnjustl- 'tado no Projeto n9,3..561Hi6; do Se- (alvará de 2Q.lO:1796), Barão de, Ca- poder." oa, que ,se renovava, e PôS os cartazes !Il'ldo Federal (a!!torIa di) Senador çapàva (em atencão à . cIdade ga'l'l- Os inImigos e os caluniadore8 de de crJtlcos "mediocres em "molduras lVascOI!celos Tllrres), que se30nverteu cha) , com honras de grandEza,',Mem- sua memória, em conStantes atlv1t1a- do rldlculo. As provlls. e os do- ma LeI nQ 5,270, de 22 ,de, ,:tbrll de bro da. Comissão de Guerra~ Externa des, procuraram fazer troar em ,olta ct,!mentas, de legitimidade 'autêntica, ~967, sancionada sem rest:J.:lçao presl- (Assembléia. 'Leglslativa. Constituinte), do-seu nome um clamor de maldlçfu>. dao-no como'severo e probo admlnis- lIen~iaI, E n~o !>Clderln. delXllr de se- vogal dG Conselho Supremo MUltar, , Entl:etanto, as suas atitudes huma- tradGr, 1mbuldo. de Idéias liberais .rt ~o, ante o brIlhante Darecer do nobre Comandante do Imperial Corpo de nas, pleiteando clemência na 'vllérlll Wnlllbradas. . . . relator. ?' Insl~ne Deputa,llll Morlse- Engenheiros, Rev.isor da Leíflõlaçlio enéhecn páliin<1s que recordam a mllg- DepoImentos de companheiros de nhor Ar!!lua Cllmara. um ,dos Pl1,1'lC1r das ..Fôrças A~mool1S. Planeu'(l da nlmldade' de um cavaleiro medievo. p!l~jai como o depois her61· do RIa.- mentares mais' CUidadosos .11(.1,. exame cartografia- :Braslllca, "A' Defesa Na- Dal lhe advleram apodos e Injustlr,M chuelo, Barroso, e o Almirante Ta~ 1} ~a flscal1z<lci1Q das .lmpl1caçoes ju; clonal" nq 6G3, p. 27, 1965,1mprensa ama.rgas"sob o pressuposto de. haver mandaré, patrono·- da Marinha, pro"", Il'ldlC;as e constltuclonaÍll da.s matérias dCl Exército.' ' condescendência em sila açoo com :os clamaram, não mais como lubordlna~' EUbme,tldas à aprecJacão da dout'l Co- .Tanto Tho:;na.!t .rosé como Francls~ partidários. da resta~ciio.- do IIqdi- dos do Marecna.! suas virtudes cIvicail :mlssão,de Justiça da Cãmara dos cO'José legaram extel1E.ll e distiugU1- cante lmperador. opunha-se sMemà- e pureZl'do seu Idealismo. [)~~~~n~~~, Sessões em ~arço de 19G8 da. descendêncla brasllell'a, tobje~V~da tlcamente às algemas dos presos•.~on· O InstltutCl Geográfico e Blst6rlo Mf~ ....'beputado Jcd 'AlVe ' geneálàglcamente pelo au or es as soante a prática legal da época, . morda Brasil. recônhecendo·pelo n"" o 8. linhas,:. Em' Santa Catarina,' revolvida peias cre~o n9 27,512, de 28,11,1949, como PERFI!, LEGENDAR!o DO MARE- O· Marechal Andréa, ou S,oar<ls de- intrigas, queimou, o envelOpe lacrado órgao consultivo ofIciaI tem o Mare- . :CI:1AL ANDR.,{;;A, BABA0 DE Andréa., como era, conhecido, logo que com a. rela.ção de supost-os slmpllti7an- cha! 'Andréa coam' patrono da cadei- - CAr;APAVA· clfegou ao RICl de Janeiro ~oi ap~oveti- tes da "república ju1lana",'. deixada ra n9 34. &ll homenagem consagrMo- . . tado em servlçóS do ArquIvo Ml ar, pelo seu antecessor '. Ta li qu'e'm di 'nifl ou f d é !ATRONO DA CADEIRA N9 34 dessecamento .da QUlnta~a Boa VIs- . l{a. Bahla.- em e~petácU1i> 'de g'a.la~ ca.s das mais gcont~rb:dasard~ ~ é~~ j ,(Especial para_a "Revis~a elo 1nSMtu- ta, do nlvela.mento da cldade",S da no' Teatro São, .roão, prendel;l o aju,,; O povo e 'a tropa do RJo G~andjÍ ; to ,de.'Geografia' e F.l111tórJa M1Jltllr planta de Copacabana.. pro~~-dodla '1Iante-de-ordensj seu J;rópno fllho, do Sul tentaram (l seu Injusto ll.fMta.- do Bl'asll") Tenente, galgou sucesslVl~men (JUSlta- ,que batera com o .rebenquenas cos!l1S mento da presidência. do EStado ferentes postos da hierarquia m r dll um poeta descontente por ter SIdo numa demon tr - vi d ' Por Josê Andréa . e exerceU comissões técnicas e ,aclfi:; regula.rmente dEmitido do empr~go, tidão e estlm~.;~: ~rgs:ar:~~~; Em 2 d!! outubro passou sem regls- cadoras, com. riscos ~e vida. e de saú quando lhe endereçava pessoalmente da liberdade e honra pNvlnc1al. ,., 'tro o centésimo sétimo anIversário do de, alca:nçou honral'lll8 e ULulOS, .me- versos irreverentes, em tom gaUlOfe1- O 19 t li I di!. C 1:1 . falecltnento do Marechal-do..Exércfto receu R.·estlma dos !,l10nar~ dos dois 1'0 e injurioso. coimominando-o de es- 13 {le C?U as r o a anagem, a. Francisco José' de Sousa Soares de Reinados e a gratldao da Plltrla ado- c6rl((, da humallldade, N,da sOfreu em canlo f~Ji~oden~9~~rlo~~~~~~;~~, Andréa uma das figuras que maJs se tlva. pelos Ine..-tlmáveis serviçOs 11. unI- SUa liberdade o vate audacioso e irre- se' o retrato'e o monÚrnento g do fet: projetaram no cenário militar'e poll- dade nacional. , . . ú ero fletfdo, Gesto de tolerância, lie quem tejado no antigo Largo de Santo An-. tico_cIo Brasil, • Foi o brasileiro que maloJ; n 1mia$ compreendia a ,revo!ta hum.!1na e se t6nio encerrando-se a festiviaades . . . de vêzes governou· as prov nc apegava. aos prmclplas crlstaos. :ll:sse como' "NOite d A "-é .. vi Os seus ascendentes. palemQs - cumulatlva.mente com Os comando- e Isódlo é narrado por Manoel Querl- ,a e. nu.<: a , I!rom~ - -.ortginárlos "deUa. l'lvlera dai ponen- de-armas (Santl). Catarina, Minas qe- ~.e um tanto defol'Jl:1ado pelo eserI- g~efe~~tACa~enúa 1e Letras·,Wtjà'i~ W' - rem.ontam de um lado à-nobre. raIs, Bahia, ·.Parâ·e em duas ocasioes tor Virlato CorrêR.(Ba~ Velho. c'1927, ma.:-lÍ F ~a 1 ~.! mprensa. gil: - w', nos pnmórdlas do século XIII, da o Rio Grande do SuU.' Deputado pelo (la trulo "Poetas eternos poetas"). _ e era nao se r~. u seu antiga colõnia. Llgúria. <GênOva) e, de Pará e o RiO de Ja,neiro, em' 1843, 1seu lado, o espirtto de concUlnçlo ~~ifo cg~~d:~nd:I~1 sa:ngt~~o j~e: ()u~ro lado, aos tempos da dinastia de eleito pelas com1l11dades locais ·agr1- do Marechal Andréa' está. manifesto mlstico da liberdadem,~: U etl '.' .Ay1S (Apont~~llentos para a Genea!o- decidas, " '. -" em admiráveis declarações públicas glória espÍlrtS.na dósq trcze~t~s ~~ g.a ela Fam!l.a SoU,res de Andréa, de No campo da milltanca, interna ou com' apelos para' o esqUecimento de Termoptlas" . :Eugênio de Anclxéada. CunHa. e. Frel- extern'a"a.sua ação é uma.cepopéia~ de dlssensõer, antigas. !p:uamente no 1Ir.n- ConsumadÓs 'historiadores cIvis .:tas, Lisboa. 1934) • estratégia, Sufocou revoluçõeSno l;or. camcnto c:Ia idéia, posterlorme!1:te ado- roIR~'.l1'es renderam sincera llctmiraçã3
  4. 4. '(Seção f)13Sábado aulho de 1969 "'=, " &00 Invuígar atuação corno milltar da. No ostraclsmo, apurava o espJlI!o por Azevedo. A excelente ",RevJEtIl do jlieJe. amante de :OOSSIl hist6rJa e J clvll, e cultivava flõres, sendo as gardênias Instituto de Geografia e Históriu Mi. Igualmente, por leitores simplennente Pedro Calmon, com tôdo. a. 'sua. au. de sua preferência, Robustecido o liter &0 Bmsll", onde soari!8 de An- curiosos. rorídade, declara: "em Soares de An. caráter e servido por vontade tudo- dréa é o patrono da' cadeira 219 34, dréa se conrundem a energia, a bra- mável, confundia os caíuníadores. em trazido o nome dêle 1l:J sabor de A uns e outros indicamos desde já. vurs a altlvez, 0001 um senso mara- Respondeu até a Conselilo de Uuer- autores linotipistas tJpógra.Io~ ou em testemunho drl fldelldade ou de villiôso de d1sclplina e Justiça". ra. Abriu mão de Imunidades ;:a!·ja,-. mesmo' revísores. Dizem-no. aínda, probld~e literária, as fontea dos Do emérlo Professor Antônio da mentares para enfrentar a magíscra. mais môço dez anos e :e1ecido no Rio manuscrfstos por .nós co~ultados no !l.ocha AlmeIcla dIJo: "superior e prí- tura t1gada. De tudo livrava-se com de Janeiro, senão no l1!ugnaI. El'ram~ nlo.e os respectJvos índlces de sI- vl1eglado intelectual"; "de retlell<1a o perfil emoldurudo em diglllll!llle, Ibe os nomes dos getlltres e empres-: tuação, Ei-Ios: energia e fõrça. de persuasão"; e !1ue para o exemplo dos p~stet'es, li.Tl! 11m tam-Ihe até nomes' sagrados. Uns a) In.sU'uto ..,.1·st·~rl·cO e 0"'''1'&- "era mais brasileIro do (IUe vmuítos homem de bem, coraçao leel e smce- • <4 V ".", dos que lIqul viram a luz dó dia", "o ro prezando o crístat da cJneclêncJa acu:lltam que Andréa, se tNnsferlu fico Brasileiro - Latas 125 139 li grande soldadél do Impérl(~. cheio dp em tamanha fôrça que dizia esperar para o Brasil antes, e, outros.depois 1M, dentre aproximadamente' 90. 011 vírtudes e inata nobreza". . sair-se mal com tcdos e bem :01101- da. chega.ua da tamllia reaí, tangida. apcntamentos da campanha da CIS. Do notável romancista de costumes go mesmo, 05 agravos, porém, eram pelas nestes napoleôzneas. As •EJe- platll1lla: memórias mllltares séibrll J'oaquim Manoel de Macedo ("r,evlsta esquecidos quando novamente convo- mérides BrllslJelrlls" do barão do Rio a defesa. do litoral, 1nclusive o da do Instituto Histórico e, Gilogrittl$ -cado para' o serviço do pais, como Branco, apresentam-no. em '!<lUivcco Rio de Janeiro (1822): descriçilo J3raslleíl'o". tomo XXI 1858) jU!gll-O homem talhado para empresas gran- com o filho, como figurante nas bata- geográfica de Mato Grosso fim 1';97' "Ue fidellda<le sem quebra, de di3~1- dosas. lhas de Tuitutl, quando o velho An- GuJana. Rrancesn; níveíamentos d~ plína sem falha, de honra, sem mau- A fé de ofício do Marechal Annl"éa dréa já havia. falecido. As dívergên- Ilha RasG; viagens; mineraIs; pro- cha, de pudonor sem sombra, eis .4 é copiosa em todos 03 respeitos. Veja- elas quanot a datas de atos o',cigis moção e reforma do marechal José lús!.ória lõUa da vida do Barão de se-lhe a bibliografia in "Os Presiúen- estas vão longe. Só por isto bem se de Vitória; rascunhos de correspon~ cacapava". tes da l'>rovincia da Bahia", de .sx- justifica o nosso tr·:l13:1.1ho. dênc'a e oficios; autógratos diversos" O General Feliclo Lima, ocupante nold Wildberger" 1949, PP. 273 a 283, O plor, porém, está em cerres hísto- cana do dlplom!lla e historiador da. mesma cadeíra 34, elo Instituto bem como a alentada "Revista do riadores desfigurarem fàclln.ente a FrlUlciSco Adolfo de Varnhagen vis- )Cicog,":<fJCO e Histórico Militar' do Bt,l, Instituto Hist6rico e Geo'n'áfico do perSonalidade do mnreeha), esmae- conde dO Põrto Seguro; dcmlol'eação sll insere no fecho do discurso da Pará", 'rol..:X: 1935, dedicada 'li fatos cen<lo-lhe os feitos heróicos e destarte e limites. (Vide nota :2). posse, estas pnJlIv!n.'l maglstrnis: - relacionados com sua p2rsonalldade nt dl d li 6 I "SOflICG de Andréa. foi Um benemérito multiforme. 110 un ~ o ou apagun o a meu; r a b) Biblioteca Nacional, especial- d P 'tr' b il' TI > , da naçao, FeHzmente, os 1~!~mlO' mente Seção de Manusorltos - 35 a a la ras eira, nns presente, . . . ~uJ,tores do. passado praclamam-Ihe a.5 documsn~~'. sõbre; observap " - de em lóda pnrle e sempre, a divisa. dos t di 1 tu J d id I "" Q ~~ antig.~s. cavaleiros .cumpre o teu tle- A FlI!ll!Jla, por nosso u: erme o, BZ VIr des C1V cas e a pureza. o ea IS- natureza rnllítar, instJ.·uções e Ordr/l15 "r ncontec u 11 nt ""u um apelo lJI S. Ex~ o digno Mimstro mo (2). de serviço' epld"mla de "- "1 ,e ,uJ '"11 o q e co ecer , • n- da Guerra para translad.ar os despo- .Jamais teve Andréa. aformação de São Ff'llC',.co ('I _ 31 sl'Z5ao no. "" ~ ca o seu ânimo forte se deixou aba- I J é de ~ ..,. 30) es- lar pela superioridade do Jnimieo. jos do Marecha FrancISCO "os.F l1espota, Certo arbítrio, em épuca das tado das fortalezas de Itamaracií. 8 Não Lémln e nem rccen.va li maldncte S:JUsa SOd.res de Andréa, qu_ e.;:l0 mais conturbadas d::J,pais, era-1lIe OabedelIo etn 1818 (I 3 13 34) dos homen.s, o que importava. era em modesta l0"f~ :JePcrIC~t:I, f~ ,p~~ Impõsto p~la marcha das próprJas m~ expedlrmte em tórno d;;dóJs conm i cumprir o que lhe fÕ!;se confla:!o. cata e arenosa c. lld e Le ~o dos ep l _ l1idc)s militares. A Imagem da lei e a tos jurldJcos entre li, Assembléia e ~ Para êle. não ravia barreira qu&-r..ão forte, rà ma)~~~ ~m ~~ente ao ÚJ salvaguarda do Impérü> merec,sm-lhe PreSidência em 1846 (I - 31 15 38)~ pudesse vencer pelo patriotismo. A ~~té~jo ad~ PGlIel~a ao ladO dos do um culto constante.•Já. l; demr,nstrar assentamentos indivl<uais' 'dipiol1laS ml!gem da lei era o seu culto: prer". Duque de Caxias ambos os nossos mos pàlldamente em três tl'aballlos de condecorações' procura~o' roque ria a mort~ /I desOnra de transi~lr mais valiosos cabos ae !lUl'rra de to- outros escrítos para a Clfada revIsta. r!lllentos sôbre tênÇ9. e fiJlll~ão; cm: com OR poderosos ou fraquejar arite dos os tempos. Delineamos entao o seu. pert,1 emol· t?Ol!S de .batismo das filhas e poU- lIll sedutoras solicitações do1 coraçílo. . . ' . . . 'J' durado de na~ural dév:mdad~ e mos- ço~s do fIlho CO -' 29 (14 18 a21' Sentia que os dll'eltos (lo Brasil do· O ExerCIto nno podera deixar ,:lI ~ramos como ele atuou suuerJormente 0-39 l' C_A'; 3' C-10ÓS (Í4 ia .,' lull111Vam os dQS indivlduos. Tinha no .í'l.Vldo i 0Çzm Jli~ âú~~g;~~s r.á~ na vIda civil, polltlca e militar do Bra- 32)" C~335-5)'; bem como IUlpre.ss;:: em mente o axlOll1a da sabedorJa, a ~el~I!J:0l';~~"m~~6rJa~viverá ~em: 811 durante 65 anos. Va:li~ d~ vas)a de~e.sa' judicial em '1842 eI1J - 11: vCl'llndc primárIa: "boné'.ade sem fôr- re <:n coração dos patrlotl1.1l nn culture; e robUsta. inH>,lgcn~ja, na" 4,2~), mensagens discursos :re]alõrjos !la bem pouca. segura está". ~uJtos ~lnceros'd.~ NspeJto pelfS atos teve ensejo para escrever livros; mal! ou filias acompanhadas dé orçan.t~ , Niío bn"lnss~ o julgamento sereno de !orlooa, vida t'l,n gloriosas e dlficels seus relatórlos_ e Sllll correspondência tos (Inlclatívn. dll Andréa. que velo ~~~l,~;I~t~aJri,a.d2111X:arasdiel'ssoUbsbrldalrolanª0 mtrao-. fas~s do 'passado brasllelrCt, manuscrita _sao peças. que r,evelam !!I ser Motada em todo o paíS), d!.rlg1. ", . ""," a.centuado gosto lltel'lrlo e mmto va- das às Assembléias Legislativas 1>ro- clclamenlo da figura homérlc9. de que (Publicado D!l "Revista de Oeog1ll- lor profissional e moral. Por seu ca· vincJals de Santa catarina em 184() nos ocupamos honesta fI elevac1am'm- fia e História Mílltar do BraslI", n,,- ráter, foi sem dúvida :ml dos ~rnndc5 <040 A 345p)', e de Minas Gerais em te. EmbOra os descendentes consan- 51 19661 Õ IslJllJneos nã,) lhe retivessem 9 arqulm mero, . v~r es '!ue ma se d~S~dcatam no ce-- 1843 e 1844 (040 A 345p e 040 A 6631> 'particular, de paradeiro desconhecido. MAREC:ElAL SOARR'5 DE A,:;D!tJ::A aario do Império, em ;ltle figorcu Seu e da Ba{1la em 1845 e 1846 <040 A despreocuplll1os sempre com as Clln- BARÃO DE CAçAPAVA nome e)1ellou a pcoar pejo Bl'll~1J ~321 e VI-211, 2-5,1). e do Rio Gra~- t ~- I d f' d d 'I . ,atora, nao em clamorps de maJdlçao ne do Sul em 1849 e 1850 (040 A j~~a"'~~s ca~ln~~ur~, J~~e~~ml':t; 1781, portugal - )358, Brasil) e sim nos p~eitDs de ~ratldão nacio- 175 e VI-248. 1.1-38 e vr-2'i8,2, 1-25). familiar, segundo depoimentos cDlhi. DADOS BIOGR.AFtCOS E <:lUBS!- nal pela umda~e .bra..~'lelra, dn qual c) Arquivo do Exército _ L ; dos através das gerações. Alto, Mm- 15105 CORRELATIVOS (1) foi um dos nolavelS IlIUflces. Mestre. (55x36 em) de n9 13 pl:II~ plelção forte, lOUro, rosto baço, olh'" José Alldréa Bel. em Direit<>. Entramos agora a justificar os a.notllçoes de oficiais supertores. pp pequenos em pálpebras salientes, t"do, , ·subsldlos correlativos" em seguJdlt 20, 24-26 e 41, até o pÔsto de teJ1ente- Ülto definia-lhe a personalidade eXH- O presente trabalho ;esulta de In- aos "dados biográficos". S?ndo êstes j!',eneral; llvros biográficos; plantas berante, viril e simpática, de IIfa!!l. sistente pesquisas em diferentes or- em form.). de assentamelltos. Mmo e cartas topográficas, corografiellb e llaade apurada pela educação esme- quivos e bibliotecas. Os docun:.entos convém aos 1'egistros 11.' vida militar, hidrográficas. . ralda e austera. compulsados, alguns -:lo j;roprio punho a Sua necessária concisão seria saeri- d) Ar . Apesar de uma vida duradoura e de Francisco José de Sousa Soa,'es ae fIcada pelas-anotações I:omp'emeuta- rJo do b~~~vO Nacional - Inventá~ :~~~~~d~ã~me~~Xo~ ~~;fun~lI. ;;'~.~ Andréa, são portanto, e!:a.bsolüta au- res a p08t et lorl. Tal, anotações s"ri!l!ll ça~a'va e filha e tb~l~r~~es~ode12 c .1- beM Vtl;/lcS(Js. O seu legado foi (] tentlcidade.. Não se percier~ "e ,rlsl...... de con,star dos l.'és-d~p~gina ou de 128, galeria A) condecol'li õe: ?e exemplo de jntegral df:dJcação ao seu a fé--de.oficlo expreSS!l no LIVro "les- r~unlr-se em paginas f.nals. Como '.. r, e c. pais adottvo Os componentes da fa.- tre n.q 13, que se encontra no Arquivo sao elas aqui relativamente numero- e) Arquivo H1stõr!co do Itamal'atL mll1a Andréà _ oficiais elo Exército do 'Exército, -e a preclc./Ja bibll')grafia sas, a matéria dOS pés-de-·páglOa - CopIoso reposlMrio de documen. da Marinha e da Aeronáutica tltule.~ 111 "Os Presidentes da Pl'ovinrln. da avultaria em relaçflo ao tet'.o, tor- tos. em tôrno de: bandltJsmo e se- res de profissões liberais professôres Bahia", de Arnold Wildberger. nando a leitura fastidiosa, senâo can- dlçao em Purnal1lbuco; reflexões só- lleclUldárlos e superiores literatos Os escriUI!'es e os crC/nistas que têm sativa...: e se reUnidall em páginas fi- bre fronteiras; des..'lproprJaç1ío: co- !ornallstas, funcionários prelados -.: tratado de tão Insígne vulto dos fatos nais estariam oferectdos à leItura dos mlssllo de. Demarcação COm o trru.. estiveram em seus dias iígados estre.l_ do Império em sua orimelra metade trabalhos irm1l0s: o prJmeiro conca- gual,. abrangendo rela-tórJos, croquis tamente a acontecJmentos de relêve. são contraditórios entre si e v""z por ten'ldo, de inteligenclll ~le,ra, mas a ata,s de, conferências, diários. caGe~: • os atuqis remanescentes têm por outra Se afastam flllg1antement.e da todo o passo omisso: e (> segundo sal- ne.a.s de n!vela.mentos, cartas em 1101'- norma de vida corres.ponder a. essas realidade histórica. A c6meÇll.~ pelo telldo e descoorden~do de tal forma" tugUês e espanhoJ, TelaçõrJ3 nomill!.lls tradições de trabalho e honestidade. sobrenome Andréa (ou d'Andréa apos- que torna.rla a. leitura desijltere.s~ant~ de seus oficiais, instrumental de ser- A grandeza. 00 seu amor_ ao Brasil trofado, como êle usava), o qa!i-I ora <0 contrário, darl!lllos os elementos VlÇl~t e objetos cedidos· pelo ArquJ'Vo era. tanta, que, apesar de reformado, se vê com o ditongo /ti, ora. sem o biográflcos em seguida. aOS r.(,mple- Mil ar. Há 8 livros de registro d~ 1XJr pertlnu moléstia, em fevereiro acento agudo na vogal e (grafIa Ita-- metJtares, para que o nosso estudo correspondência oficiai, desde 14-a~ kl' 1852, no pôsto ele Marechal do lIana), quando não aparece trocado com sua Intenção reparadora. 7enha a 185.Z (faltando Inexpllcâvrllmente o ll:xérclto. permaneceu como Come- ser igualmente apreciado por quem perlOdo de agÔSlo de 1854 a fln.s de Jhelro de Gue.rrs e JIS ComlsslJo de setembro de 1855). O mais volumoso L!m!tes com.a Uru~l, íütlmo encar- ' (1) A coordenação destas plÍginas ---:.... (fa~ 497) são Papéis de alia "aUa e W-l confJado à retl do seu critério contou com a prestimosa colab~ração (2) Enciclopédias e dicionários ge- confldenctals, compulsados reecnte- ., il.sua COnsumada exoeriêncla, e C~ljo amiga de Naylor Bastos VillllS-BoM ralmente fazem va~!s referências a mente graças à exce1Qllte arqulVOIO~ :cesso velo a ser confirmado por VIas autor d' a. Rui o que é áe Rui I'l nas SOares de Andréa, qu'ndo não de gista Constança. Wriglb Uatas 16!! d~:;~:~t.o sâ~ s~m:;: ~r ~lti~o fontes 311. consUlta, com o desu.teres~ pouCo desenvolv1rnento em relação II lJ1' 222, 26!, 2?2. 278, 284: 340 e prln~ menta de nossa' extel1~ão' ~r~torínr- sado concurso dos distintos pe~qulsa- tão longa existência totalmente to- ~i~f;~g~te 496·502), Iliblloteca C$pe~ AtlngJu, portanto, pelos méritos péS. dores Carlos Blvar e José GanpeJ da maó'a por atividades' multiformes, . , f:lals e não do berço o mais alto nÔS. Costa Pinto. Expres.~amos-lhes aqui qUer militares que civis, no servIço O documentário em conjunto u1 to dó Exército. Condecorado e honrar os noSSOs mui slneeNs agradeclmen- da Ilação, sendo as1im colhldc pc.Ja (;rnpassa a casa. de um milhar d; lio â mão cheio. mas provandl1 em sl- tos, COm (l, afirmação de qU8, real- morte. l1: lamentável a c~flciaJi- peça-s. Na parte de limites a col~ãa tuações jIOlItlcM adversas eSpecIal. çando no presente os nome, venerá- dade de tais referências, tanto mais mais rica entre nõs é a do J:tamaratl ll1ente o IJCrlodo convulsiónado da vels do passado, nós enobrecemos dl- se em obras modernas de volumosos Na parte de assuntos individuais, levá. ~gênclll. cál!ces de amllrgurn 1nfln- !Lnte do futuro.. tomos. - I a. paalvro. a BlbJloteca. Nacional. se.
  5. 5. 13 orARIO DO CONGRESSO' NACIONAL (Seção I). ' 4179 -.... eão de 'Manuscrltos, sob ll, proficiente dos irmãos, tudo isto concorrendo para orjentação do proí', 'Waldir cunha, um normal desenvolvimento físico e esplr:tual .com o que o pequeno ,Fl'an. Também fora.m. consultados os cisco Jose cresceu inclinando-se sem. apontamentos do Dicionário Biblio- pre para o combate da injustiça que fJ1'áf1co Brasílelro de ;sacrament~. atingia os fracos. O cenário do toro 13Jrtke 1895 e o Catálogo da Exposl- rão natal, a seu turno, com o Tejo' ção eÍe História do Brasil da Bibllo- que ilrJ alargava em grandiosa estuã- t<l:a Nl1cjanal. 1881. rio ..ervia-nie de moldura para os Passemos li, essência do trabalho. ideais de grandeza que 'nutria. A isto é, a resenha blográf!ca e -respec, cidade então reconstrulda: l'etl)llgular- tívos subsidias correlativos do mare- mente sem os ranços med.evaís, cnar brasüero Francisco José de sou, Pla.smou-Ihe a -retidão do carátrJr, ro-, sa Soares de Andréa, barão de Caça,. busteeído pelas debates dos grandes pava:. ' da. cõrte e' do Clero nos serões do lar católico e acolhedor, tendo em 29-1-1781 - Nascimento 'em' Lis- derredor a fermentação do Iíberalís- boa. reino dpe Portugal na Rua do mo nascente e do odioso empenho de :Mort') em solcr dos seus antepassas: repulsa ao corso francês, que calcula- dos, que 'remontavam aos primórdios va eliminar Portugal do mapa das na- , do século xm em Gênova e cinco 'ções européias.' séculos depois se víncularam a'~;:'" 12-4-1798'- Aafa<ta'ment~ dos estu-rnílía c1aPeninsula Ibérica e do _ v , Brasil. (3) -'- Filho de José Joaquim dos que já fazia, em esta.~~leclmento 'Soares de Andréa, nobre lusitano, naval. (Certidão de 11-7-1835, exís- protessants .na Ordem de cerseo, tente na seção de Manuscritos da Bí- guarda-mor da Relação Ecles'úStica, blíoteca Nacional, n~ 0-39,1). .' e d'1 Isabel Narciza de. santana e 20-10-1796 _' Dístínçâo de os- ISf.!U"a natural da BahIa (Br~s!I), va.leiro Fidalgo 'da casa Real portu- alheia 'p, nobreza. mas de alta d.sün- guêsa par "arvará, 'de' "EI-Rei Nos~o ção social, ' Senhar". . ',N,,,"C;za velo B: constétuír a cédula. 14-12.1796 _ Praça de voluntário lll:(Itcr dos Andreas no Brasil.cDo, seu no o2.Q Regimento da Armada (e não eulace realizado em Lisboa a 29 de de Infantaria), já tendo justificada outubro de 17.76, resultaram ~5 fi- a prõprJa nobreza (Seção de, Manus- l110s .aos quais o futuro barão de critos da. Bibl. Na-~. llQ C-335,5). Cncanava,· e alguns outros aveíntura- , , _ ;ralí1 -a mcorporcr-se à comitiva da 18-2-1797 rr: Reconhecimen~o cçmo fatrilUa real tangkía pa'as tropas cadete de l.~ classe. - Matricula. na :fm:Jccsas e 'e~panholas· .Tomaz José, recém-criada Real Academia da Ma· o mais .velho dêles, regressou a Por- ríriha, no Colég:o-do5. Nobres. ' t,!ga.l em 11HO. pa:'J, combater os Em dezembro désse ano completa- immlgos de sua pp,tr'a e 17 anos de- Jloís mõrreu hero.camente, como ofi. ria, com as nota.g dLst!p.tas, os cursOS daI de cavalari... na defcJ3a do quar· de Matemática, Astronomia e Nave- tel f sob o seu coma-ndo. Ficaria no gaçáo' bem como o de prática de Brasil um filho sob a respollBab:Jidl!--" .'. (' ) de do tio e protetor. Augusto José Observatorlo 3 anos . ~t.;l1gh"a o ofIclalaio da Armada e, 1801 - P(lrtlc!pação como artlIhei- l'e-formado, dedlcou-se à exploração 1'0 na infausta guena contra a Es- <la bac,;a hidrográfica do Rio Ama·· . zona" em cujas águas veio a comalJ. panha, dar v'apores 'da "Amazon Rlver", Acompanhuu então seu referido ir- CUSQU-se no Pará. f/;n 1847, co~ Ma- mão Tomaz José que também servi'; lha do general Tno~l!nclo Fêrren'a, de. . , .. ' .. ' Ih ado general Inacênclo F,entira de r·a no l1XerCl!o brasilero. Araujo. 14-12-1S{)4 _ Colação de grau de 17-2-1781 -Batismo em oratório engenheIro mUltar. com prêmios em ]J~rticulal' (livro 17, fls. 172, da pre-, todos os quatro anos do curso (Cons- gues!a de Nossa Senhora, da ~ncai'· truçãO Fortiflcacão Hidláullca Táti-.:nn.çao). em, Vsboa" pejo ,:m,nente , , -, • Imlado, n. Tomás de AlmeIda. ca, ArtilharIa, Desenho). 1787 llt 1795 - Meninice viv:da n'r 15-8-1805 - Promoção a ulferes da casa paterna., Ginasial em estabe- 5.~ Companhia. do 2.9 Regimento da beleclmento naval aos 24 de janéiro Armada (2.Q. tenente) • de 1793. Foram unos de Inml1Cia dcsCU'tfO;R. 16-,9-1807 - ~mbarqUe na "Esqua- <:ercadn de riqueza, bondade. afew" dra do Estreito • ' . . ~ Assim permaneceu até o.s primeiros - - / dllS de novembro. (3) veja-se A Linhagem Atlll1ltíca 29-11-1807 - Partida de Lisboa, a dos Alldréas, trabalho de nossa auto- bordo da. nau capitânia "Principe ria lJara. a "Revista. do lns~ituto de real" da esquadra 'do contra-almi- GeaVfnlIa e lllstóna 1Ilhtar do ' Brasil" It;' tall1bém àe nossa autOria rante Manuel da Cunha Souto Maior, 1l1n vas'!o ljrájico sob o título de 350 composta,' para conduzir' ao -Brasil o (LnOS .da Família Andréa Cl1~ Itália, prlncipe regente' e as fi~uras. princl- Portugal e Brasil. '_ pais da dinastia bragantll1l com os, . veLam-se também 08 Aponiamen- seus tesouros ê va)õres. tos 1JUra a Genealogia da Família ' , . ~ Soares de .Andréa 1934 de Eugenio E" da h/st6rIa que a. tempesta- de Andréa da Cunlia e F"r<iítas, e aln. de, a certo trecho da. travessia, da• .Genealogia dao Yamllia And~~a, levou a nau capitânia li: Bahia em RadICada 110 BraSIl, 1949, de JlIllO 22 de janeiro de 1808 e que 'esta Queiroz Soares de Anàréa. . 7 d' i ' , proosegumdo, a e març(} ve o a o s~bfe1tome A1!dea, do [frego "ner" funde l' nas lÍ"'uas da Gnuanaba- (andreus} signIfIca t'arúnil ~ tlolve a. .. ao apóstoio de Cristo, irmãoàe S. ra, pertoda Ilha. das Cobras. D. Pedro. qlle foi supliciadO mima cruz João teve, assim, que demorar na em forma de X, a qual, alfás.·figura Bahia. até 26 de fevereiro de 1808 110 bra.ção-de-armas napolitano da . t ,.' família. (v. Dlz/onário Dei NOlni podendo tom~ ali impor ~n...,s Propri .de pcrscma. de Remo Sertoli medidas degov!'rno. - FeIto o 'Salls; Dicionário Etimológico da·Lln- _" <lesembarque, o"cortejo real des.- gua p~rtufluesa, .de A:ztenor Naselfn- ofilou p'elas ruas Direita (hoj~ pri- tes· LIções de FIlologIa portuguesa, . o " • " t de 'J. Leite de Vasconcelos, 3~ ed., p; men'o de Março) e}iO R_sallo, a é 422). a 19r:ja de pé, onde houve o pri- meiro beíja-mão, - Aridréa aco- lheu-se provísõríamente no Ovn= vento do Carmo, nas proximida- des do Palácio dos_Vice-Reis, (4) V. Nõvo Dicionário Eneicl-opé. '8-3-1S08 - Promoção a 1.° tenente díco nustrado da Llngull, Portuguêsa, da Armada. de Simões da Fonseca, ínteíramente . refundido por João Ribeiro, 1926, pá~ Deu-se por ato dos primeiros ia- gínas 127-128: ... "era homem de vag. vrados para reconhecer-se o devo- ta instrução ns.engenhana e, nas te" ,tamento .à causa do príneípe re- tras: grande leitor de poetas an Ligas e modernos de várias Ilteraturas, e de . gente. . cor sabia os versos de Bodltge. os' de 'I-4-180S .:.. prcrnoção i capitão. - Dirceu e de oamões. A 'nota carscte- rística de suá personalidade era o bom Classlficaç;'o no corpo de Engenhelr<ls. humor facêto, Il cnalaça, freqUsnte.~ vé- . i Fixou-se . definitivamente no zes obcena qUe não sabia reprimir e I tudo isto transparecia nos seus despa- · Exérc to. chos, que, freqílentemente dava,. nos 20-6-1808 - Exerciclo na função tte requerimentos, em versínncs ou' em "oflélal do Real Arquivo Militar. frases de 'esplrito, que, segundo a, sua maneiraode ver,- era o melhor modo Isto se deu logo apóa a erlação de-crespond-er a impartunos, ;Alguns do mesmo Arquivo. Néle serviria dêsses despachos são~élebres: a 11m .. até o lQ trimestre de 1812 fir:- português que pedia isenção do serviço- mando e}evada reputação: Foi militar, deu o seguinte: "cumulativamente encarregado da Vo~ é por~uguês? direção dos trabalhos de' constru- Eu também sou; ção das primeiras estradas têcntoa- .Siga para a..guerra. mente preparadas, dessecamento . Que' ~u atrás' de você lávou, do pauis. na 'Quinta da Boa Vista, A reqUeri~~nto prolixos: "RsSuma e Ievantamento da planta de oopa- volte". A um, em papel mal -apara- · cabana, já então .habllnda por do: "Torne. com a barba feita". AI- pescadores em palhoças. gUlls despachos são de tal ordem, que ~ não podem ser repetidos, mas sempre 8-8-1809 - casamento, no Rio de alegres. magnãnímos ou justos" e MS '" Janeiro, com Germana' Rita e _Brito despachos muitas vêzes juntava a es-. de Vitória Soares de Andréa, mola em dinheiro seu. Nas guerras cl. vis que teve de combater. quando con- O ato símpleaocorreu às 6 da vinha, mandava dar escapula a.um e · manhá, liora. da missa c(}mo era outro prls!onelÍ'o que êle .sabIa s.em costume da época. A desposada era culpa ou I~voluntàrlammte envolvl~<> - , nos acontecImentos. O general Andrea llsbonense (e nao &aucha, como era dado a amOres fáceis, mesmo na . há quem diga), nascida em 6 de Idade madura o que fazia com que a abflI de 1775 batizaáa na fregUe· sua espõsa. senhora fidalga e, ilustre; . ' - (1 17 fi 13) lhe dissesse: "Tu és tõda vida cade· Sl~ da El1carnaçao '. , s. 'te"; 0_ general Andréa tinha momen. Filha do Dr. Joaquhn Jose de VI- (os de filosofia: "morrer é o diabo; t6l'ia eRita Rosa Claudina de Bri- mas ter morrido é um bom negócio".- to fidulgos che"ados ao Brasil, A comissão,'de um lugarejo que sé! , o . . queIxava da sêca, deu o despacho: provàvelmente. na comItIva re~l, "Fularei no Padre Eterno". , em 1808~ As bodas, na paraninfla As sobrecltadas' nolas biográficas de João Vieira d<! Carvalho (futu- fOIllm colhidas em trabalho de Vir!:!. · ro marquês de La.jes Ministro da lio Val~ea, que procurou transmitir " , . " Impressoes de viva voz do vlsconc'e de Guerra), e Manuel ,Alvares da BeaUrepulre Rohim, de barão Batovl Silva (ainda não IdentificadO), (Manoel de Almeida da Gama LibO foram realizadas poto- padre Sl~ d'Eça) e do :fil6sÓfo. autor de Soc!O. • - - - logla e Estética, 'Inslgne "conteur" Ga- moes da Fonseca, n~ m~triz do ma Rom, para flca.r adstrito li verda- Sacramento da antiga. Sé, no de dos fatos:' O pai dêste, comandan. Morro do çastelo e hoje na Ave- te Francisco Luiz da Gama Rosa, que nida Passor. (~ o têrmo da. págl- milltou nas revoluçoes da. f3al~ja~a e , F'arrupllha. ~elatou e}l',ótllOs lntunos na. 191 do hvro de assentamentos do seu compadre, um tanto deforma. de casamentos.) - Nos prImeiros do e caricaturado pelo dicianarista. anos de casado, Andréa. desfrutou' Em verdade, Andréa. lhe confessara. de vida relativamente calma, 'de- enternecldamente. que devia dias de dicando-se a tl'llbalhos Iiter6.rios, verdadeira felicidade' e maiores ale~ técnicas e, de geografia matemá- grlas à dedicada e carinhosa espôsa. tlca (cartografia). Estava sempre Ou para. usar a sua pr6pria Imgua. em contacto com figuras 'de mis- gem de mal'ido reconheeido: "tád raro sões estrangeiras. especialmente coração me subjugou eternammte', . Debret. com quem lutou para o O perfil (raçado, coiu tantlJ,fidelidlL~ estabelecimento do ensino artistl- de, pelo reri(}mado escritor catarlnen- ,co no~pals -Tinha. encontros no se, no "Correio da Manhã" de 1908, Horto Florestal com o princlpe re- e reeditado na "Revista Trimest.ral do gente, por ,serem aml:'lJs ,apa.1xo- Instituto tl13tó"iCO e Géográflco de nados I de nossa flora. Eram de Santa Catarina', voi. VII, 2.~·trimes. sua predileção ruigardênlas, xublá- tre de 1918 pnJinns 176-194, N'S foi ceas odorlféras de belas t!ôres al- oferecido à le!t'lr'l, °m ori[j"&1 110 ar~ 'lias, vulgarmente ehltlJ1adas jas- qulvO do advogado Afonso' Va'lzea, de min-do-cabo. Adorava as rJ'lanças quem ficamos oativos. Não el'a, ;JoJs, e os pássaros, Os corrupióes, vln- sem razção que o povo sulino alc~nha­ dos de fora, volitavam em seU.ga- va-o de "Tio Chico" em trllllSlIOl'da.. binete nas horas matutinas. Se- mentos de afeto e gratidão! ,Vide <> gundo tradição orai, apreciava os diálogo do vencedor dos cabanas com espetáculos do Teatro Real de São o chefe rebelde in Prociss6es dO.ç Sé- João (local do atual João Cael,a- cu/os, de Ernesto Cruz, que faz alusão no) e freqUentava a Real Biblio- à vastisslma correspondência existen-' teca. inaugurada em 1814 com cêrca te na Biblioteca e nú' Arquivo Público de ·14,000 volumes e 6.000 manus' do Pará). ' eritos trazidos de Llsb<'d; e assim' (D) Vide coleção Rio 4 Séculos. 6 vo- pôde melhorar os seus conhecl- lumes. 1965, Livraria José Olfmpio. mentos de humanidades. seu hu- História das RlIas do Rio de Janeiro mor em t/lrrlo de cenas, aspectos e Brasil Gerson. Hlst6rla do Brasil, di! costumes antigos era observado ltocha Pombo, cau, XV. pág. 305 "À nos meios cariocas mais cultos. CárIe no Rio de Janeiro".
  6. 6. l4180 s~~~o 13 DIA~IOOO CONGRESSO NAéIONAC-'(Seção l) se 'pC'e~' <fUThO tfe ,.~" IlUlstlms em que Oermana. lUta 1-11-1817 ..;.:aesponsável por «Idas ll.ll Nesse perlodo jurou fIdelidade i ·sem a mais lIiquena. quebra.~1 e Bito ne Vitoria - nome 11,1:; as- obras civis e míntares em execução na Constl!;J1ÇlíQ do Império outorga<la d.ign1dlLde e honra naelonal". ,I ,sim consta da cetídüo de casamen- Caplta.nla de Pernambuco. ' em 25-3-1824, consoante registro ! ,to Il de outros llal~éls de c~á~ 'Com êsse encargo, Andréll. lan- na Ata 'de Juramento dos 011clals, 0-5-1829- Nomeação de comanda0"l ,prIvado - era pOI tugoês& .e nlto çou pontes sõbre rios e construiU np Sll',13'G Quartel-GeneNJ,' te das ramas da Provfncla. de San~ ,:r!ograndense; e com esta a.f1nna- o prlmelr farol levantado em 12-10-19213 _ Graduação em briga. c~m;", • --un~"" d ' 9;'0retlflca!JI!'S nosso trabalho per_ costas bras7lelras. (V. discurso por deiro (general.de-brlgads). supr~:' "" - AO" ......0 ..o COI11ll11 aol ~Z .feg~ndg.rlO do Fareclz.al An- êle pro1rido na Câma.ra dos Depu· O lle:rgaminho orlglnal ..~ "C~,,- 31·1-1830 - Nomeação de eoman« re a,.saruo ele ca~,apava. pll.bllca- tados 'em 2-7-1839) ta-patente" de 9 de dezem....bro co"'m dante das armas da Provinci", de. do DO vi; 38. de 19ii6, 89-96 da Re- ' : . t 'Pará vlc:.. elo Instituto ae Geogra!1a e G-I0-1817 - Graduaçao em tenente. a assma UI,!l do Imperadorí~ acha- 1-4'.1830 _ Partida. diretamente de ':E!lb!ôJla MUltar do Brasil". coronel. . se Da 8eçw de Manuscr tos ela S t tarilla. 15S.'1810 _ Nascimento da prígo- 6-4-1818- Exerciclo na Secretaria BiblloLeca Nacional (C-39,!.) (6) an a Cs. para. o Pará. I gélJilll. carícca, LUlza Adelalde. do Govêrno de PernambUco, sem pre- 20-10-1826 _ Ent~egB das eomíssões Surpreendeu-o o polpe de esta.... Lulza velo a falecer em 14 de jUizo dll5 funções Inerentes ao seu d.e que estava incumbido por ter qúe do de 7 de abril, de que resultcu deeembro de 1881. Seu inventárJo, pOsto., servIr no Exército do suí. .a II J b o dlcaÇão do fundador do Im-, Inl conduzido por intermédio do 6-6-1818....:. Encargo Ila organIzação pér ofíl al de Marinha Júllo Queiroz dos Corpos das 1." e 2.' Llnhatr • 24-10-1826 - Nomeação de lIJudan- • Sóllrcs de Andréa (futuro autor d l l , ' te-genearal do marquês de Barbacena. 25-4-1831 - DestltulçãQ do COm&l1"', , gl'nellloglá do barão de Caçapaval, A organização que assím fmprí- 3-11-1826 - PartIda pua o teatro do'das annllj; da ProvIDcla do Pará., Apurou-se afinal o valor de seis míu a essas duas unídades-mütta- õalí operações pelll manutenção da - ' ' , € meio contos de réis, naturalmen- res foi adotada co~o modelar pe- Província de Cisplatina. ac:mp:~~~~ç: :toe.r~~1'3~ te de hel'ança dos seus progen1to- 1a$ demais unídaáes provlDc1als. Flgurou nas campanhas sullnll5 rel:1'eS50 à cOrte. A Regência o l'e", conforme se verá. adiante. Ela 4-11-1918 - C01'l!irJLóação como te- até 1828 e se portou 'com bravura, :tinha como susjeito de adesão aos scmp.e se conservou solteira. ao nente-coronel. (Última promoção por na sangrenta batalha de ltuzaingo restauradores. ou "Caramurus"., onl.nulo do que' aürma Arnold mereelmento ao tempo de D. JvãoVIJ. 20.2.18~7), no Passo do Rosá::io, lEm julho, êle passou o comando 'VlllcJbugrJ". 13-5-1819 - Graduação em coronel. que prAticamente terminou sem ao substItuto legal e velo ocupar.- 13-5-1811 _ Gl'adUllçiío em major 15-5-1819 _- No cargo de Secret.ã- vencedor. (7) se de atiVidades rotineiras em seu snrgento-mor 110 perlodo colcninlr. río do.Goyerno de] ~ernambUco, sem 27 1 1829 C '" d quartel no Rio de JaneIro. S 1 1~ "'" d i ' remuneracao cumu ativa '. - • - oJ!lanu o a guarnlçãc 9-3-1832 - Aviso de transferêncl", -4, 11 ~ - ,",,!Irgo a e aboração de ~5-6:1820 -" Nome~ção: por provisão da fronteira do RIO Grande. para São Paulo CPõrto Feliz). - projetos o estudos. ' do Conselho Supremo Militar, de de- 12.lD-1828:.... Oficlaiato da Ordem A Regencla, cautelosa do prest[. Posteriormente reeneu a Incum- legado comiSS!lri:l, a fim de ínspecíc- do Cruzeiro. (li. Ordens 110norfjlcas glo de Andréa' nas classes arma. bêllalr. di. constrúcão da Es~rada nar fortlflcaçoes e postos de glI'lrra. do Brasil, de Luiz Marques Poliano das, procurou arredá-lo do Rio <lo Rio Préto, conhecida, depois, 4-1-1821- Dispensa do cargo de Se- 1943). de Janeiro para explorar o mós· :por E"lrndo. do Comércio. E' aque- cretãrío do OovêrflO de Pema'llbuco. 20 12 18211 pito Vale do Rio Doce, mns dían- JD, peJa' qual Sablt-Hllalre' viria ! . - - Comandante das fOr- te de repercussão desfavorável a palmilhar em suas célebres via- . Por SU!! !ned,ação humanitâria ças imperiais estacIonadas na. praça tra.nsferlu-o para PÔ to F 11 F" gens pelos sertões brasileiros, no julgamento dos revoltosos, ÁII- de MontevidéU. cou retido em s:Utos ed~r t; N t' Id d And é dréa lncorreu no d"sagrado da aI· ' t anCSSlIS alv a es, r a perma- çada. competente dando a.sslm Concretizara-se a lncorporar.1(; qua ro meses e melo, em partI' .' neceria até 4 de ,abril de"lS17. motivo à disPensa'. 'do terrltól'1o' da. CisplatJna ll. nóva pelo comprometimento da saúde. f 13-9-1812 - Nascimento, a.lnda no _ _ . _ .' , ",' nação - Repúb;lca Oriental do 1833 - Em abril, submetido a con- /'JoiO de Janeiro, do se~:undo de Andréa, 1 2 1821 D.esllgamento de lo~os UruguaI - su!glda do Insucesso selho-de-guerra. por ter prendido uma. iie nome José de Vitória Soares de os cargos OficiaIS. de Pernambuco. -;- de nossas armas no Prata.. Grada· autoridade subaltçrJ1a no pará., Ab- Andréa. Partida pa,ra 11 Corte, a fim de ju.sh- tlvamente foram partindo de re- solvIdo em 19 de fuMo pOr efelt de r:--- ficar-se. gresso os nOSSGS corpos de tropa, ~mpolgante autodefesa' Prêso n~va.- ' José túJ Ce não da) Vit6rla por 1-7-18220'- Incumbido de fortificar Andl'éa, o último li embarcaz mente na madrUgada d'e 14~d dez longo tcmpo c.ompÕ6 o estado- a. ilha de Santa catar!na. ' (23-4-1921), concluiu sua missão bro abord da "Preslganga'~ ist(~!II~.. maior' do barão de Caçapava. 13-9-1822 ,-, Deslgnaçao para fazer - li 'lO- ld? d ' , Chegou a marechal do EXército. Í) reconhecimento do lltorai e traçar ---- n v pres o, on e passou por muJ- "" tr lan d d f ' tos dlssadores. A 27, seguiu na. escuna ""numeram-se en e seus encargos, ,P o e e esa. (6) E' do seguinte teor, l'espeltada "Riograndense", Groortado llarll Pôr- de que há reglst1'os, os seguintes: Cessara a ínat,lvidade em que se li ortografia: "Dom Pedro, pela Graça to Rlegr~. Ali foi-lhe confiado o le- ínstrutor da.' :Escola. MUitar; co- viu pOsto. Havia abraçado a cau' de D;lus, e unânime Acclamação dos vantamento da carla geográfica da mlsslonado em· Inúmeras obrll5 sa da Independência e por ela pas. Povos, Imperador ConstitUcional, e provlncla sulina, melhormente do técnicas, como engenheiro: canse. sou a conduzlr·se de maneIra que Defensor Perpétuo do Brasil - Faço IJÔrto da cidade do Rio Grande como helro de guerra: membro da mais nenhum bras!lalro o excedia como slIber aos que estll Minha Carta Pa- também foi incumbido da. execução de alta côrLe de Juetiça Militar. Par- súdito leal de Dom Pedro I. tente Virem. Que atendendo aos oons projetos de engenharia hldráulicll, tlclpou das batalhas de Tulutl Seu irmão José Maria gullrda' serviços do Coronel do Imperial Cor- 17-2-1834 - Remoção para a Vila (1886-1867J. Grã-Croz dll Ordem marinha em 1810 pela AcademIa po de Engenheiro, Francisco Jaze de de São José dOINorte. de Avls e outra.: condecorações. do Rio de JaneIro locallzari'a no Souza Soares de Andréa; HeY)lor bem ' Medalha da Campanha. Deputado MosteIro de São Bento refugou a Promovê-lo. como por esta Promovo, .Islô sIgnificava uma oprobrlos& pro'Ylnclal pelo Rio Grande do nova. naclonalldalle soildárlo com ao Pôsto de Brigadeiro graduado' e vmgllnça do parUdo dominante. Sul. Poliglota. Casado, chegou a os companheiro de' Montevidéu e haverá o sôldo que lhe tocar, pago' na Naquela modesla e pequena vila, ter 6 filhos. Faleceu' em 1-6-1891, os da esquadra da Bahia. Prêso e forma das Minhas ImperiaIs Ordens: Andréa se eonservarll até nova. As 2 boras da t.arde, em sua re- deportado para a Colônia do Sa- e gozará 'de tOdas as Honras, Graças, ordem da Rev,!'ncla, presland~ ser- sldência na rua. Sorocaba n.O 4, cramento, evadiu-se de bordo da Proeminêncla. e.Jurlsdlcooens. que dl- viçQS espontâneos ao munlclplo. na Capital da. República., êste ve- escuna "Seis" de Fevereiro" 10- reltamente lhe competirem. pelo que: 17-11-1834 - Pôsto em liberdade lho Boldado, que dlgnl11cou a far- grando chegar àquela praça: que Ma.ndo ao c~nde de São João das mas por prevenção incumbido de cons; da duran~e 65rolOS e foi sepultado ser conservarll fiel à corÔa portu- Duas Barcas. Conselheiro de Guerra, Irl1ir /} farol da barrll do Rio Grande It I d S- J ti t guêsa.. Ali JoSl! Mula conCOITeu Governaàor das Armas da COrte e 5.3.1835 - Ol13hlado ao Munldpió ~~I~~dve1~o era~~ o::ú~~ ~~s para a vitória naval de :h-10-1823, PrQvlncfa. que,. mandando-lhe dar a Neutro (Rio de JnLP!ro), pnra ficar :Andréas. quando os nllVlos brasileiros blo- posse dés!e Posto, jUra0_do primeiro em expeclativa ql!anto tiO rCsabele- 30.1-1813 _ Efetlvo"âo no põsto de queavam o pôrio Regressou li cumprir 1I5 suas obrlgacoes, o' deixe cimento da ord~m na Amaz!nla major..... ' s e r v i r e exercllar; e os OWclals Ge- ' • . I' 29-3-1914 ....:Nascimento do terceiro ~~i=/~s ;::' gr~~~:sv~gte~ nerals. O!flclllls Maiores, e mais Cabos T6ermlnaVa um deglêdo ;Ia ano e ... d t Rit I b I mlllt lã d tr d de Guerra, o tenhão e conheção por mel . Ao ntll",e a situação se ..e;;cen en e, a !.li e • ares por ocas o a en a a tal, e os offlclals e soldados que lhe agrllvara com o bomÍlardelo de " Désta, apenas colhemos que fOra. dosJranceses no Tejo. lhe forem subordinados, lhe obedeção Belém. Os destacamentos Impe- bat1za.da em 26 de mlllo na tre· 13-11-1822 - Encarregado da cons- e guardem suas ordens, em tudo que :rla'.s mOstravam·,se' lmpot,entes guesla. do SacrameI1to da Sé, sen- trução do farol da Ilha Rasa ao sul !~ do ?ervlço Nacional e imperial, para dcbehll',J1 r· lLssureição. do padrinho o seu tIo 'Bernardo da entrada. da bala. de Guanllbara, lao inteIramente como decorre e s ã o , ~ José de Sousa Soares de AJ:dréa, defronte do promontório do Arpoador obrigalÍos; e o Sflldo referido 'se lhe 3 e 4.11.1835 - Po:alos dessas da~ em permane-Dcia temporária no 19-7-1823 _, Autorização para lWlIl: assentará nos LIvros a que pertence, t!l~ vottum l> ser cO!lcentl'BdOll nas Rio de Janeiro, ~ que vir1a a. lIGr tal' da Assembléia Constituinte o en- para lhe ser pagc em seus devidos D111°fu1e Andr~ os doIS poderes, civil um dos mais UUStres polltleos e cargo de participar da comissão es- tempos. Em firmeza. do que lhe ~an- e m ar, no arh, , marinheiros JU!;Itallo~, 1;tlta Isabel pecializada de guerrll exterIor. doei passar esta Carta ,!or Mim Assina- Deu-se-lh~ o c"mando~ de expe_ vivia It d 1846 •.• fi da e Selada com o Se1lo Granda das d' ~~ J por vo li. e •••,,0 _. Permaneceu nessa comissão até Armas do Império _ Dadll nesla cl- IÇ"", em Icu 11 esquadrilha _n,aval guroa no inventãIJo de sua mne ser ela dissolvida. dado do Rio de Ja ai d' (7M se, .<tl<llUJam o capltao-de~ Germana. :Faleceu, vort8Jj.I.J, an. - _, 11 ro aos nove as fragata Frllt:OJSCO oMarJath, bem tl'tl 1846 e 1855. .12-19-1823 - Elevação ao pôsto de do mês de Dezembro, do Ano do Nas- como, o iU~ll!O marquês de Ta- 2-4-1817 A ls d Se eta J d Coronel efetivo,' clmenlo de Nosso Senhor Jesus Chrls- mandal'é p!1(rono da mnrlnha e "" '.d d -::T V ó ,A da ocr r a e 1824- 1926: to ,de mil oitocentos vinte e seis. "BaTrOSO 'd~tHlIS barão do Ama~ ..s... O os o.eg c os a uerra, que Qumlo da Independência e do Im- E' t ohama. Andréa ao campo dos comba- No desempenho de iniportantes oério" ' Das. ;soa e~?~,l,ção plr lu em 2 tes, lntegrando-se no estado-mallr da comissões, como: projeto de re-' , ~ de janeiro i' COI recrutaMo con- expedição mandado i Cap],t.s.nia de construção do Hospital Militar e ~(7) V. Injormaçôes Srcretas sóbre tingentes ele h<.pas em suas es- :PernambUco contra 1I5 idéias t"ilara. plano paar o escoamento das o Brasll, em 1834, do gen, F. de Pau- calas pelos po·lo~ de Bahia, per~ :tlstas e republicanos. 'águas pluviaIs da cidade do Rio IJa Cidade. in "RevJsla do Tnstltlllo de Dambuco, Cea!á i! MlIrnnhão. 29-6-1817 _ A!lilupção do comando de Janeiro (1824):' canal do Geografia e TIstÓrla Mllltar do Bl'a- Aportou na T1hu de Tatuoca a 9 C!a. Brigada de Engenheiros. <V. re- Guandu (826) e Inspeção de es· sU", tomo 34, 1965, pn<>:~, 121 l-. 133. 11 ou 19 d" abl'JJ. A capllal .; ÍJIstro relativo l dIIta 1-2-1821}. trlldas, 1llrlu.slvll a. da PolicIa, ,i. V,A. Marinha Imp~rjal versus quase tôda l PH'vfucla do Pará 3-7-1817 _ A fl'enta do reconheDl- através da ~rra. do TlngUá. a ta- Cabanogem, de Lucas 1)Cxandre Bol- rstava em p~deJ d~s reVOlto.ó,03. tnettto millts.r de Pernambuco. mlnllo de Sao Jo/W d:El-ReI., teJlX, com 401 páglnas. • Depois de alguns meses dll ár-
  7. 7. DlARIO ,_DO CONGRESSO ~ACIONAL (Seção () dUM atlvidaJetl. condtÍzidM ·CÔpl sõ quero cumprir o meu dever l! JÍllgo todos os eX-l'IllliSt.ros de estado operaçCi2s U2),- Vll1e :ref3mbral' severa dl.sclplioa. e tõda. pondera- :fazer serviços ao Brs§ír e nada que 'serviram desde o prfriclplo de um dos lnelSlY!l,;; trechos da. cor- çüo, Andréa. dominou 11" IllvOltao" maís", Depois teve de' entrar no 1836 até que EiII daqueia Provmcla. respondêmaa de :.l~ c'e agõsto: ••• !(V. l'egistro de 6,6.1839). E eon- , ãmago <IM aeusações, a<;aimando porque ,é1es nao 80 náo estranharam ,"estou p~i!l1ad~do de que se íevs- 'tmuou ã. freare do govémo pro- com a franqueza cf.' soldado afeito os meus atos, mãs ate elogiaram mí- ,rá algum tempo :'til doces espe- "inclal. ' ". à luta. a-I04UlWiJade e verbosida--' llha atitude". N~ s'..ssllo de 8 de, agõs- ranças, mas de -iue t:ào sao 05 re- r' 17.10.1835 - Efetivação como Pri- de de seus contendores, especial- to - depois d2,4 112 boras de deba- beldes-os quehao ~e aceitar cem- gadeiro.' 'r mente lIlontezu'na, e mostrando a tes Inflamados e tumuítuacos pela c:tlções que deixem -de .ser mjurso- 18.2.1837 - oraduação em mare- neceisídade -llQ ngor no estaoete- op?slçãO derrot.arla. pt la maneira ver- sas w Imp:n-io; a única. maneira ~hal-de-clmpo (gen~ral-de-divjsão). cimento da. ordem em fase de dade!.ra. e InteligiveI (ia exposição do -de coneíuar l'S partlóos é mos- , 11.10.1637 - Decreto nQ 113. de suspensão "as gprant!as constítu- acusado - tol .wrU"l<ada por macíea trar-lhes fôrças. com que não tlprovação da, tençg, que havia- sido cíonaís, O Pará estava. acostume- maíorte a Iícenea wlwltada pelo go- pOssam", DI) eutre lado, v!.hha a. concedida. a Andréa (8)., do li sofrer norrores (10), Em vêrno· para. Andréa- presícír a Pro- adveJ:têneia jà llJIlevlsta parp. sus- 1.3,1839 - Efet~vação no suprací- 1835 até °presídente e as príncí- vincia de sanra. l'aulrma. O ooverno tentar a. lU.a. a qualquer preço, >fado jlllsto "p~11lS relevantes serviços pais autorrdades da provlncla fo- Imperial vinha dC5tant índíretamenté -nao muíto intereesados .na res- qu.e prestou numa ,quadra.-perlclltante ram massacrndos. - Fuzilamentll6 em soeõrro do hv.n"lIl íntegro, doad- posta deClSl<1;t.. "ôbre a paz. Como 'Para o Brasil". sumários. agravos ll. nonra femi- ministrador lmpo',uto que se procura- malograssem ã~ negociações, o • 3.4.1839 - Afa.~lAmenro do govêr- ni,Iià; os judellS soíriam. suplícios, va lnjust<,çar. <V. "Lnats _do Pa.rla.- presidente resolveu ~gir, eretuan- no ptovíncial do Pará'. Bem nenhuma, -garantia md1Vidual mento Brasileiro", coligidos por An- do manearas €Ii'l'ltLeg'.cas e excur- E' de assinalar-se -que ' nesse nos sábados de aleluia, na ccnror- tônlo Henoéck dos .Reis. 2Q tomo de síonant.o pejo imerlor a. COmeçar govêrno, Andréa se preocupou so- midade ele antigos costumes. 1839). ' de Santo Amaro. enquanto aguar- bremaneíra com a navegação do Rio Chegava-se ao ponto de matar o . dava o reforçl> numeneo reclama';' Amazonas e li- regular!lZllçãao do chefe de ínm111.. e obrllla.r a es- 8 e 9.8.1839 - p:~Jd~nClllo da Pro- do ao mruísteo oa guerra, a 12 corte' da. mMllira; sempre atento jJôsa e os filhos a bailarem à. ro- vineia de Santl!: O&,..rsna e comando de outubro, nos stgulIltes têrmos; aos parcos recursos do erário. -da. do cadáver. Os revoltosos da :Jas armas provmcml&. '" -"mande-me pelo menos mata (9). cabanagem eram responsáveis Estava-se em fase excepcto- !l.000 homens de mfantarla; mano- li. 6.1839 - - posse na.Assemblélll por crímes atroclSSlmos. As prí- nal, revolvIda peras lntrig;u;. An- de-me esses 01i~!o's que estão .l'il- Geral Legislativa: (quarta legislatura), sões constituíam neeessídade lm- dréa, no dia, da. chegada à secs ,la eõrte -(' _pelas l'rC>tJfncias ga. como deputad() suplente eléito pela perlosa. (Js criminosas maís te- ,do seu gDi'fu'no <17 de llgõs!o) - -nhando postos sem se tl/comoda- :Provineia do pará. mIveis, que smeaçavàm até a yi"- e na presetl?a dI:' testemUnhas, Tem' , da de Andréia, tiverem necessà.- queimou o mvôlllcro lacrado em man"é--me os o~'({}S de vapol.: que 'Dois -dias deJ;pin esclareCia seus r!.amente de scr pcsws nOs porões que se con"ill11ajl, relação dos no- tenho pedido, e tudo depressa; e, pares a re3jlet50 da grave qU6S- da corveta "DeUnsora". outros, mes do,s SUPlJl!UlS simpatizantes se nada disto tEIU de vir, ie_ a. -tão da ocupação do O,vapock pc- em cadeias ímp!c!visàdas. Como o dos "!a.'-rapos vermelhos".~ Por provinc:.a tem, de ser perdida, .Im. la França. MIlI ensaiava. os pas- número de prcsll<i aumentasse e~ ação fdênti~ t!:Z um escritor '., tão pero que se deixe a outro es-. fiOS pll.l:B. enüp,ntllr os problemas não havendo reC"ursos financeiros! 'historiadores' rC'llIunOS enchenm sa tarefa e nao seja eu quem 11I ' de ordem parlamentar, viu-se 'd 1 d terr "combatido como devastador e tl- p~r serem manll os pc () po. er de gI6r:.a o v!!:;,cedor da façanha, en e. (O de-~taque é nosso, ,publico, c~ca de duzentos deles que não quis t!evassar o~ papéis para acentuar a 1IlLIJ'pendêncía e I!'ano do P()V<:l p:lraense. Na SéS- foram' maudados para a capital encontradus n:. tenda do Infell2i coragem moral dp An,liréa.. Essa. são de 2.de JUlho, em lOngo di.s- do ImJlél'io. A condenaç~, pt1- rival desbarlltal1o. Operou em La- carta flll lida na sessão de ...... curso de lmproviso. declarou que rêm, fazla-se geralmente em pro- gnns., derrotil.nuo aquêleS rebel!- 26.5.1841 da CãJi-ara dos Depu- tinha l'esolv!d() não responder a c~ssos reguJarr.s a cargo de 156 ,I des em terra e l1'ar (!lA). Entre tados) • l1enhuma. acusaçáo que se lhe fi· juizes de paz e de d:.reito e de 26 êles se aC!llIva. GlUSeppe Óaribal- Nes.se Intexim, com as, muta- zesse na. Casa dr. Parlamento. promotores llUblicos os quais nlin· di. A etêmer'l-"aepOblica JulIs- ções po1lt.icas, Insialado o gábl~ ~Eu entendo - d:.sse - que 0& ca representa.iam éontra 'Andréa., na" se deaf~z como um castelo- nete-liberal da mMoridade (13) sephores que me lançam a luva cujos "atos .de mlp~l'io" eràm~sentidos de-cartas Um). Fel1=ente pa.- ,veio () deputado ",aulista FrancIS-: !l:t-o têm f'splrito de justiça, e como de sal1.'ação publica. -Os mario m a. provincia., IJerman,;r.ru no co Alvares Machdo, -tm missão n~o são amJgos de ver punlllos o nheiros e sóldadcs, recrutados em seu governo 1llê fins ele junho do especial, para àplainar as difi- , crun.e. Se o ttsEem, ê~es me cha.- grande escala. nos cárceI,es do Rio, da ano subseqllC1lte depois de cul- euldades dírl1tll:r.tnte oom Os re- -ma:lam" Mra~;e c tribunal com- Bahia e de Pel'llsm1Juco. tínham de dar "de pre.s"IVor das incursões volto~os. D:/icmJlllru-se li anistia pei_nle • E_ quem me" lança. a. ser contidos por dísp-iplína férrea e dos indios a palie do continente por ImPDsição C;o presIdente; c<'Ul lUVa aq~l :::Iao Cju~ senao lançar v!.am-se sentencladus pl/r. uma. junta onde _havia tazenlas de plal'lta- restrlçôes nei,cuw' dos desertores, SOpre mIm Út:lllc 1I~~0.;t ~fensiva de militar. .Andréa. cf,nflrmou a pena de ções,-e tratou sf'rlamente dos tra- assegurando, í/orlm, a aproveita- !l~:.nba. rep~laçao. D-cáaro• po- morte apenus em inove casos mons- balhos de estradas". -. menta des <seravos em linnas, .r~m, que n o vou respon er como truosos, sendo pm prmclpio contrária uma vez :ndemYr.~os os donds rêu: sou aquI i.n.n.to ~~m~. qual- a. ela, como rl!";elnrn em pernambu- 2.12.1E39 - 1'Iú:nençáo de vogal do nQs ,arsenais e qua~téls do eXér~ quer senhor depu"at'o. ralVez co. O alistamento áe índlvlduos lJ,- Conselho SuprPJua MUitar. '·clto. Mas 'l. mtranslgêncln das cqmeless; erros. concordo. mesmo vres. para que pC!g8s5em em armas . la e 14.(j.1840 - Nomeações" res:partes deu em l~fultado o lÚasla- que os cometet.~e. mas se Os co- atendia à deticlê:lc:a: da. trr,pu. l: li. pectlvamt!nte.- para a presld~c'.a da mento de Antl:él> a 311.1l.í840; I!1etl, foi P'>I' fa!'-a de minha Jnte. conveniência de IIp:f&Sar-se _a pnc!f1- ProvJnclA d7Snu PCUTa Do ElO Gran- depOiS de, quatru meses de admi- ll~;n.cia, ma.s nao, por más,lnten- cação da- prOvmeljl, Apreciou vários de~o ,sul e o comando das armas nlstração, séln tXécutllr nenhUma. 1.'0_5. eu so quero a jus~~a. eu outros aspectos de Sll~ atuação e, na provmclais, empr@sa de caráLt'r béllco. Trans- ---"-- se~ão de 11, qu!tnc~ voltou às acu- Cumpria-lho clebelar a. sangren- fEriu-se_ollS llHest:duraS-ao emls. (8) Texto (0 deeleto: "O Regente sa~oes, profllg'ou lnf.nmadamente n& ta. revolu~ao ,PaIrc.upIUha. Ohegou sário e 'l() general Santos Bar- interino em DOIae d" -Imperador e trib1l;Da contra,oJlhp)o de qu~ se-de- a Põrto Alegre em 27 de julho.I----- Senhor Dom I?l!dr.> rr tem sanciOnado fend!a. Os esoeeta,10'es. ouvm~o-lhe tendo reprll~l:ntll<l" llQ governo (12) A Guerra CI~'1l no Rio Granãe ' e Dlanda que se execute a. Resolução as pa.lavras de rn.ro vigor. , 11:ao se quanto à lI'op~rtllIl!dade 'da mar- do Sul do escrItor cearense Tristão de seguinte da. Assembléia aeral Legls- preo~upavam cO,m _as advertênCIas do ~ ch8: con~ra ~;; rpbelde.s, peja in- Alencar Araripe, explana a. matérIa. 1ativa. Artigo untco. Fica aprovada a preSIdente Araujo V!ana: at.é que o sufIciênCIa numén-:a e qesprepa. derramadamente, -transcrevendo farta. tença anual de dUZEntos.é vinte mil porta-voz das JDcrin)1naçoes msus;en- lO da. tropa ao se'l comandO. An- correspondência. ("Rl:',:.sta do Instltu- 1'éls, correspcnde'1te ao pôsto de co- távels, Souza l(anciJ (llJ. se ret!.rou dréa prOC!lrOU, com !' coraçliQ to Histórico e Geogrufíco Brasileiro", -ronel 'efei)vo, COlJc€oida por Decreto do recinto par,am~nLIIT em meio a amarguradO pEla faleCImento re- tomO"XI.nI, 2~ ,Ja/IE, págs, 113-364 de vlnte e seis de agõsto de 11l1l,-oito- estr8JJlt~s~, vala, enquanto- o acusado cen~ .de.sua. 'dolatr8da mãe, uma e XLVI; págs. lU~-564). centos e trínta € clnce ao Brigadeiro bradav&. ContinUllr~~ a. dize~ que se conclhaçao hUnll1na. e honrosa (13) D. Pedro fOI "eclarado maior graduado Francisco José de SOuza sou crímino~ pela. n1!nh~ atltude na com os ehetfS lIlsurretoS. Visav!> a 23.7:1MO ecoro!J.do 'a 18.7.1841. Soares de Andréa, para se verif!car Provlnc.!a do Par:, são crunllIOSOS co- sobretudo afastar Bento GOnçal- seu reinado, que li" prolongarIa por -em seu 'filho, Jos~ li'" Vitória Soares ves da rCVoIlllc!io, ,como já havia :;.o anos, Inicioll-se CClm uma vltór!a. -de Andréa. Bernardo Pereira de vas-: conseguidq,com i} ilutro lld.!t .Ben. do partido IJàeril sobre o conserva-. cencenos, Minis~ro e secretáriO de Es- (101 O deputado Andrêa não men- to ~lbeiro, As çunas de Andréa, dor,. '1mbos ClltlSóltUlCOS < desde 1837 tado dos NegÓCJ:l8 da Justiça e eu- cionou a matauQilo dantesca, uma das ende!~Çadas lW l1J,lnlstro lia !l}ler- no ptJr1odo ~on·'u.sin,ado da Regl!n~ canegndo J.nterin:imente, dos do Im- mais nefandas de ,nossa História, :ra. p,nta'llm 'a. SItuação real das cla: Mas os cons~·'vuliJres voJ,taram ao ]lério, assIm o tem.a entendido e faça. desenrolaéa -no bl'lIlUe" Palhaço", _ . pouer um anl> 1epOl} _pa,ra dai em executar .com os desIlachos n~cessá- apresado pelos rllVoltusos, em que te- (l1A)' V. OrJens-do-dla dê' Andréa d1ante dar-se ,!lo altetnância. em Íl'en- rios, Pulacio dI> Rir de JaneIro em charam a es~olllha..tll'pois de Jogarem datados de 2 de outubro e 19 de no- tel.sà-conjuntula pt1l"'NL moment~nea. o~ze-de outubro de mil cltOqllU10S e ca.l,-redundando nltm montão de cor; vembro· em Memória Htstórfc:a da ,E um"tragmen.O,.all proclamaçao de trlOt~ e sete, d~,c'll!(' sexto da Inda.. pus ,de 257 paraense;, cobertos de PrOvlncia de santa Catarina. de ~a- ~ndrh aos ;;il1lch"s em. 15.8.1840: pendencia e do Imptlrlo. Pedro de sangue, rasgadas e.s carnes pela. pe- unel Joaquiin d'Almelda Ooelllo,185il. ..~oa[>s_, os bons on.$ileiros e.sper~m Araújo LIma, Berna'do Pereira. de nosa agonIa de talta de ar luz e ;gua pág. 143 a. 155. ' ,neste d~a, que esquecJdas à!ssensoes Va~conccllos.". ' , ) ' antigas, esquerldcls bone ou maus' (9) O 1Q ('~ntenário da. "cabana-. . (11) O futuro vl~rcIlde SOuza. Fran- (llB) Ela, e.lias antn de ven<llda. lllotivos de discórdia, a grande famlilá. 'gem", a 13 de mneio de 1836, foi co- co. qlando ~st':lae.nte na Eur~pa. por já estava. d~smoralf2ada peios âesat!.- brasileira. fa~a .um EÓ corpo, e que memorado em Belém. com a- inaugu- voita de 1835, t!cou em situaçao alli- nos, saques maSlw,res, castração de unida. em tôrno dt, u.ro penhor de ração dO',monumedo cio marecl1ll1 e tiva,_pela. lnt~mpesL1~a. suspensão da, padre, vexmas de tõ'1a a ordem, pra- nossp ventura, P.ro Quem -se 'reunem outras festlV'.dlides' c('mo a "NOi~e de pensa0, ,dos eor~es do Pllrá: Andréa, Itlca.do,s cOntra· a população que tão t~das as idéias de pátria 'e de na- .Andréa." prmovlda pHa AClldelma de ao 'investir-se na.- "resldêlicla, resta-- bem havia reeêbido as hostes rio- çao. como no poço luminoso de um Letras, instltulc5es euiturals e imo belecet,t-se im""IJatamente. Ob~efi-lgrandenSes (Santa. Catarina, série brilhante tôda a fõrça ,que 1h~ dá va- , ~ren.sa. ("Rev. do Instlt11to Rlstó-, c'.ad<l; através de 3 cavtas comoventes, braelllana, vol. 80, :lag,. 285, de a.uto- lia., o façamos ::espe:tado e querido," r'.:iO e aeogrãi'tco dO pará", voi, X, exprimiu sUa :mon'edoura gratidãoj,r!a cio emérito historiador Osyaido ("Revista do Ins. Ris, Gl!g. Bras,", 1936), -~ ao "pai e pratet"r lr.tcomparável".. . ROdrigue.s Calral). , vol. XLVI, 2~ pari;), pp '267-268) •
  8. 8. "!l' dulho da 1S6S (16) Os retratos que fIguram em livros e em' g.:lll!rlas de institui- ções geralmente o allrestllltam com farda. de marechal, grã-cruz com um fitão ou banda. dG háblto de Avis, colocado em dtagonal sôbre o peito, e duns placas. Andrro, se-- gundo refere o escritor VirglliO Val'Zea, era "alto, alourado, corpu- lemto, de constitUição esp~~a, ros- to túmido, de uma cõr baça de cêra. Os olhos pequenos, I<rgutos, vivos, emolduram-se em pálpebras sallentes. pesad'ls·'. (V, Soldados e Marinheiros do Brasil, de Am~rl­ rioo Palha. 1962, 1'1" 1l1HJ!l.) O desenl1o> antigo do extraordi- nário he~aldlsta Alberto Ll'ma, na. "Rllvista do Instituto de Geografia. e HJstôr1a. Militar do Brasil", 1956. vol. 38, nito :101 copiado doe Sissau, contemporâneo de André-l, que o apresentava com o rosto arredon- liado, traços enérgicos, embora slm- pátleo e até certo modo ri'onho, (1'7) Suas muralhas vieraM llI' ser sedimentadas, no prlmeiro quartel dêste século, pelo EI1g, .. Abelardo Andrea dos Santos (pai do autor de.>tas páginas), assim comissionado para impeelir (l. roi- dosl:lo queda de terras da Rua. Chile, cuja possibllldade causou -pânico geral. especW.lmentenos meios téc· nicos. de Avls (grllduaç1io máxlme}, (16) A- jóia de 200$000 foi efetuada na. Rece- bedorIa li 9 de novembro e o jur'1tnen- to foI prestado pelo procurador coronel Francisco Herculllono de Morais Anco- ra. A procuração, datada de 25~1{}­ 1843, foi autorizada pelo Imperadm-, (l:mbos os documentos se acham reco- lhIdos na Biblioteca Na.:llonal). 29-5-1944 - Carta Smperial de no- meação de presidente da Provincla da BahIa. Foi o 149 presidente da mesma Provinda. Gov~rnou-a de 22-11- 1844a 4-8-1846. Sua ::dmlnlst.ração notabnízou-se pelas segUintes me- didns: organização das rE~art1çõea; fiscallzação dt) bem emprêgo doa dinheiros públlcos e dos prcços dos gêneros alimentícios; aper!eiçoa- mente do sistema eüucacíonnl . um desnlado ínterêsse DeL:!. cultura, tendo, por exemplo, adqUirIdo lOll exemplares ~a Eneida traduzida, l fim de ajudar intelectual de méri· to; auxllios aos !la~elados do ,~i" Granele do Norte e da Paralbn; melhoramento da navezncãodo Rio alio Francisco; estaco da- explora- ção do Rio Mucurr, para. a :Iu:Jdll.- çüo ele uma colônia destinada .o aldeamento de indigenas Em plena barbarta; auxílío às fábricas de va.- pel, _açúcar e linho extrnido tias baniJnelras ,bem como a uma com- panhia de navegação a vl<por; )ro- grama de UI11(I estrada até Juàzei- rOl ,nEqul!l1 de minerais: pesca do) balela; grandes melhommentos t:r- banos ;tllll capital da' Provlncla, ca- ma sejam: levll1ltamento de pla'lta. geral da. cidade, planejamento da. ladei1'a-l1a-monlanha (1'7), praça. do merca,;!{), iniciativas para li Ins- tlllação de carros d& p~sageiros a. tração animal (gOndolas), esforços para instalar-se 8. iluminação a. gás liquido, até quoe se conseguisse o destilado do ca.rvito-llc-pedra, - P;' de lembrar-se o grave episódio ocorrido no dia 2 de julho de 1846, qU':lndo Andréa procurou evllar o préstrto civico com o ·caboclo", por entooder que tal simboJo SigolI!- cava ·urna nação e~agando ou- tra". Em sUbstllulcão sugeriu a. "c'lbocla", ou os dois conjunts..- mente (ainda hoje usados nos fes- tejo!; tradlclonals da data). ha.- vendo com Isto descontentamento popular. A noite, em espetãcuil>- d~-gala. deu-se l EOIplosão com um Ineidente irrefletido, provocado ,e- la recitaçíio de versas, frrfl'O/erentes OlARIa DO CONCRFSSO NACIONAL (Seção I) clro'a ao ministro da Fazenda, 'fi- gUel Ct>lmon Du Pin e Almeiaa, avíeando que as provmcías vízmhaa não poderiam socorrer ünanceíre- men'e ,0 Pará. Dzpols. em outras oportunidades, voltava á carga, ~c­ munie:tnm> que tinha ordencrío o e<."llprêgo das importâncias que es- tavam "da operação do trOco das cédulac pelas notas do nôvo pa- drão", bem como do cobre vindo do M:mmh1io para s:-',stituir u err glro e punçsdo do Pará (15). Ade- mcís, fêz retirar numerárro da 'Xe- ooura,rla Provincial pau acudir .la- gamentos urgentísstmos de man- timentos e ga'3tos com ao fôrça em- pregada lH restauração da provín- ela. A demonstrceão é minuciosa quanto Í1~ necessidades das medi- das excepctonaís, quer permunrcc vs,les para faci': para aplicação> dlferent-e às verbas imobllizadas. A fll!t" (,e recurs s forcoi! Andréa a assumír a respoIl- saDílldade, embora COQ} o assesso- ramento das u,ut.orld·Jdes fiscais io- caís, diante do sllência do govêr- no, sem prejulzo de um ceitll j»ra Q erárro, A Justiça sentíl em tôda íntensíííade a preocupação de de- negrtr o honrado general, a ponto de um tesoureiro coerupto, compro- Íhetido em alcance, depor contra êle medl-:mte restítuíção do. bens se- qüestrMos e os pagamentos das muitas em parcelas. A sentenÇ<l, datada de 7 de dezembro de 1841. julgou Improcedente a denúncla, porque os fatos denunciados não se enquadravam na flguru dl!lltuosa do peculato, antes foram pratica. -dos por necessidades Imperiosas de não arriscar a fiorte da Provincla. O eximlo iltógrafo Sebastien Au- guste Sisson (Galeria dos Brasllel· ros frustres,:2 vols. 1859 e 1861, re.cditada em 1948 em São Paulo!, através de "biografia escrita po~ algum dos melhores escritores da época", procura analisar a delesa, ponelo André-:l nas culminâncias da glória com palavras rep'ls,sadas de llrtsmo, estranhando que lrregula- rldadta de pequena monta, em fase critica, tenham guarida em órgãos públlcos, não deix·ando bem os po- micos de outrora que assim re-- compenmvam a fecunda carreira "de qu~m arriscou muito vêzes a vida em proveito dos Inter&lses brasileiros" e "que salvou das gar- ras da an-arquia, e restltutu ao Im- pério, uma de suas mais opUlentas provinCias", A indole do cidadão se manifes- tou, ,no mesmo diapasão, nos debll- tes parlamentáres, já mais familia- rizado emlJora não arrebatesse o auditório' pelos dotro da oratória, os seus argumentos tinhqm Intel!- gêncta e eram lmpregnados ele S(l- dio bumorlsmo. Falava multo rã' pldll1l1tnte e com dicção perfeita. Proocupava-se com os problemas de nxaçào 'das fôrças armadas, rea- justllmentos de salários, contraban- do, begurança nacional. Na sessao de 26 de maio explicou a sedíçáo gaúcha em sues ímplícações e eon- seqüências e o propósito de res- guardar a dJgnidad'3 da Coroa. ~a{) se afastara do teatro da luta es- pontãneamente, pots "nunca pedi serviço nem cllspenm dêle·'. ?os- teríormente, a 22 de junho. expôs os movimentos das tropas, desmen- tindo que a capital estivesse sitia- da, revelandn-se um grande estra- tegista. Acentuou, de maneira In- cisiva, que "é fácil dizer-se as cor- sas depois ele d~ls passacos.,« fazer profecias do que já aconteceu". ÁS provocações iniciais, )edindo até para êl~ falar mais alto, quando o sussurro no recinto era tal para perturbá-lo e irritá-lo, for'3m ,'C- .dendo para, em 16 de novembro, compor a honrosa invzstldura (la deputação, sem qualquer objeçao, para acertar com E'lIa Majestade o encerramento das atividades da Câmara, que se deu a 21. No ano de 1842reanzava-se a primeira ses- são preparatórta em 25 de abrü, ~n­ contrando-se, dentre os deputados em sltuoçãc e.stliveJ, vinte e um dos quais seriam futuramente senado- res do Império, como Caxias, I:,ue representava o Maranhi.,l.J. Andréa não 'lmmpareceu, ms disc{)rdou :u- turalmente do gOlpe que se avizi- nhava no propósito ds sustentaçào do sistema monárqulco-constituclO- nal-represent>.1tlvo. A Câmara :[GI dissolvIda a 19 de mai'o e, realiza- das novas eleições, a elas concorreu, vindo a obier vitór~], sigoiflcatlva, Fins de 1941 - Prealdencla da C'>- missão enea.rregada da organlzaçã.o dQ Exército, notadamente na parte da revisão dos quadros de oflcioals .das armas. 'i-9-1842 - Graduação em w.nen!e- general. 11-10-1842 - Comandante do Corpo de EngeDhelras,c diretor do ArquIvo Militar. - 28-11-1842- Contemplado no esta- do-maior de l' cla-sse do exército. 1·1-1843 - RegreSS'o ã Assembléla- Geral LegBlatlva, como re,presentan~e dá Provlncloa do Rio de Jal'!eiro. Para tanto não consta que con- corresse com quaisquer prome.~sllS li. massa eleitoral, objetivando os "fa- vores das urnas". Compareceu poucas vezes à Câmara no biêniO 1843-1844, sendo substituido pelos bacharéis Ma,nuel Perelra da Silva (15) Os trabalhos numlsmáticos e l'iaturnino de Souza e OliveIra. de K. Prober referem-se a dUM aplicações i1ega,ls nas moedas de 2D-2 e 4-3-1843 - Na presldênula e CODre, que se encontravam na Te- no comando das armas da Provincla souraria Provincial do Pará, para de Minas Gerais, respectlvamenl~, serem trocadas por papel de acôrdo , com a Lei d-e 1833. :r~ram autori- Empos!'ou-sc em amuos os cargos zadas em bandos (p!egões) de a 23 de março, depois de penosa 1835 ?elos chl!>f~ sediciOsos ~eiJ1C jornada, num estendal infiI1lto de Antônio Clemente Malcher c Fllm- penl1!'llcos e caldeJrõ~s tratando cisco Pedro Vinagre (condenado Q • , , 10 anos de trablllh{)S em Fernando logo de refrear as vinga.nças con.ra Noronilll. e posteriormente anistia- Os pollticos que aguardavam ll0 do). A 1~, em 14 de janeiro, nas cárcere a ação da Justiça. Aplicou moedas leves destinadas a GUiaM e GOiáS, de 80 e 40 réls com pun- um v~slo plano de vi~s, de comu- ções de 20 e 10 réts, para reduçãO nicaçoes, procurando ligar Minas do va)Gr facial à quarta parte, A Gerais lU> ESpirí!o &:lnto. Di.cipd- 2', em 6 de m.arço, com pilnções nau a profilaxia da lepra. Exone- de 40, :lO e 10 reis em tOda moeda., l'eduzindo o valor circulatório à - 1'ado a 28 de maio de 1844, deixou metade. O carimbo do Pll'I'lÍ, com o palácio do govêmo de ouro Prt- fundo liso e sem orla. de contOrno, to a 1Q de jUlhO. serviu de modê10 para o carimbo _ geral, adotado pelo govérno no fim 11-9-1843 - Condecorllçao da grll- do mesmo ano de ~35, etuz da Ordem MIlltllr de São Bento ,-''''(14) V. Foro~ de Nobreza: de Cel:te [~l, seção de Manuscritos da Bibl. Nac., C-lI, 2, 8' 4182 Sábado 13 '~ '--'''''''-,~'''''''-''''''''''''''''''''I!!!!O'''''''''''''''''''''''''''''''!Ol!!!!!,,,,,,,,,,,__!!!!!!!!!!O!''',,,,,,,,,,,,,",,,,,,,,,,,,,,,,,,,,;,,,,,,,;,;:,,,;;,,,,;,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,!!!!!!!!!!!!!!!!~!!!!!!!!~;;,;;,;;,,,,;;;;,,,,;,;;,;,; .... ' rreto, Usos qUe.~6 sugeriu medidas salvadoras ali lUtl"grldadc do Im- pério. justamente no momento em que se tramava o seu d~s­ prestlglo"• Tal solução não foi ncerlailll, hnvEmdo o repúdio da tropa e do povo em explosào cí- "iea. tanto assim que o predorní- nlo milHar do gorerno foi gradil- tdvamente decaindo nos trés anos ulteriores ate que o Duque de Caxias assumiu LI comnnj" e téz que os rebeldes dl"puscssem as ar- mas em 2~,2.184,). ,I 13,10.1840 - Regrt'sso li COrte, por ~eeessidade de nubl!itação. Embora lI.Yê530 a priviolégios de berço ou de c')ns:mgulnidale com I rcls e cardías, Annréa. sequereu e obteve o fóro de fidalgo eavaíeí- 1'0 da casu rmp!:rJaj já aos 60 anos de idade. (141. / 22.1.1841 - Jl'.f,;mento e provlmen- " to nas funções de vogal do Conselho 'supremo Mílltar. li-3-1Ml - Reassunção da cadeírn 2la Cíl.lnam elos Deputados, onde, na véspera, havia sido eleito p-:tra a ,"CO- ll11ssfio terceira de contas". .... A presidêncin da ASStmbléla cou- be no arcebispo da Bahia. certos .hlstorl·:tdores relatam que na seS;1l9 Ida ementa, is1.o é, dia 5, foram ;~­ ,novadas as imputaçbes de c:--eszo de autorielade e €bWrégo abusivo Ide dinheIros públlcos, Fará. Na:;. (!Stli consignada tal ocorrência ')()ô "Anais do P~:'laménto Brasileiro", ou, pelo menos, não a deparamos em breve leitUl'a de SU':ts três mil 'páglnDs. Talvez a denúncla .J~O i tl!llha babado ílO plenário, nem 16ido divulgadll. pela. impren~a. Pw- ;fe<rlmos sentir a questão tão elebs.- I t ida na própria defesa ue AndréoA. editada em 1842, com 41, páginas, I ll terál'ia e moralmente r:.ntológieas _ e qUe por Isso deveria figurar _'71'.:e l OS llvros ruros da Biblioteca Naclo- 211<1. 11:le mostrou q'le sempre ~-m!l­ gou 6S acusacões Inventadas por :perJódlcos e lideres políticos. "f :quais lhe chamavam em cnso I pcrJgO e êle esquecia o agravo em bencd'iclo do Brasil. Nuo serIa, PO!S, novidade que, c1clxlUido a prlHidên.' ;eia do Rio Grn-nde do sul, li. COiSa I retrocedesse. Foi o.vimdo então je CJu~ se tr(lmnva umprocesso cor tra . SUB pessoa, por falos ocorrldc_~ 'U Via já um qllinqüênio. No decurso do prlmelro trimestre de 1841 não aconteccu llnd'~. Procurou o ml- nrstro da Fazenda, pedindo' :tue desse an$mento à acusação en~3­ muC!, preterindc) a el-ecisão judicial às imunlcJ.:Ide.s parlamentares. W- quis non dcbet esse juélex in pro- Ipria causa, quia non potest judex et p;lrs como nos ocorre (ninguém ,deve ser juiz em C:"lsa própria, Iporque nessa hipótese, seria 3uiz Ipll.rte ao mesmo tempo). Em 6 :ie ngôsto, o "Jornal co C lércio" ta- , ecu de leve no assuntv, cuja -C3- Iposta contundente vero quatro dias ,após, O procurador 00 coroa, ,"- bcrania e fazenda nacional. atina! i1'lopresentou ;l>O Supremo Tribunal de Justiça. !Iltlmado em fins ,de outubro de 1841, apre~entou defesa _a B de novembro, -explicando sua COJ1dut,~ com{) presIdent.c e com"n,- dante das armas U~' Pará. A co- :meçar pel{) govêrno legal anteri!,!, sem recursos para pa.:;ar a tropa o :Iuncionalismo, e 11J. posse apc'las ele uma. pequena ilha. ..t:tuoca, onde se achsva refugiado o resto 'las ifamíllns que" nito t1nhom podido 1emigraa', e que níio tlnham sido vi- 'tlmas do furor e brutalidad,e UlS Ireb~ldes", forçosamente cabilt "e- !rnecllar situaçiío dDt,_.mnha gravi- dade. A 13'de feverelro de 1838ofi-

×