IVO                  ET EQUIPE              C OL          TE ELIZANDRO RIBEIRO DOS SANTOS      POR    NSTRA            FRA...
DELIMITAÇÃO:      O gerenciamento administrativo do transportecoletivo: um levantamento estatístico sobre a eficácia daqua...
PROBLEMATIZACÃO    Qual a avaliação dos usuários sobre aeficácia da qualidade na prestação deserviço do transporte coletiv...
OBJETIVO ESPECÍFICO:Observar através de um estudo exploratório com as variáveis: o trajeto,tipos de usuários, demanda de ...
JUSTIFICATIVA   O objetivo deste projeto é identificar através de uma analisesobre a avaliação dos usuários que utilizam o...
FUNDAMENTAÇÃO TEÓRICA  Segundo Bicalho (1998) o transporte tem importância socialdecisiva porque permitem que as pessoas a...
METODOLOGIA   A palavra método significa o conjunto de etapas eprocessos a serem ultrapassados ordenadamente nainvestigaçã...
MÉTODO FENOMENOLÓGICOFenomenologia é a ciência que estuda de forma descritiva umfenômeno ou um conjunto de fenômeno e a fo...
PESQUISA BIBLIOGRÁFICA    De acordo com Cervo e Bervian (2002), em seu livro demetodologia científica a pesquisa bibliográ...
PESQUISA DE CAMPO  Segundo Lakatos (1996) a pesquisa de campo é uma fase queé realizada após o estudo bibliográfico, para ...
PESQUISA – AÇÃO  De acordo com Thiollent (2005, p. 16) a Pesquisa-ação é umtipo de pesquisa social com base empírica que é...
PESQUISA PARTICIPANTE    Segundo Grossi (1981) a "Pesquisa participante é umprocesso de pesquisa no qual a comunidade part...
QUANTO A FORMA DE ABORDAGEM      Pesquisa Quantitativa: considera que tudo pode serquantificável, o que significa traduzir...
QUANTO AOS FINS  A pesquisa será aplicada, pois objetiva gerar conhecimentos para aplicaçãoprática dirigida à solução de p...
CRONOGRAMA       ATIVIDADES     /   PERÍODOS         FEV   MAR   ABR   MAI   JUN 1    Pesquisa de campo – atualização     ...
CONCLUSÃO  Esse trabalho, contribuiu de uma forma muito significativa para nós acadêmicosque estamos iniciando pela 1º vez...
REFERÊNCIASALBRECHT, Karl. A única coisa que importa: trazendo o poder do cliente para dentrode sua empresa. São Paulo, Pi...
“O que define uma cidade; aquilo que constituiuma verdadeira cidade, é a sua capacidade dearticulação de fluência. Sem dúv...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Apresentação 1º, 2º, 3º período objetivos, quadro teórico e metodologia

1.093 visualizações

Publicada em

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.093
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
97
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
4
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide
  • 1
  • 1
  • Apresentação 1º, 2º, 3º período objetivos, quadro teórico e metodologia

    1. 1. IVO ET EQUIPE C OL TE ELIZANDRO RIBEIRO DOS SANTOS POR NSTRA FRANCISCO SÉRGIO DE LIMA MAQUINÉ JOSÉ DIOGO DE PAULA BARROSO MARCOS HENRIQUE SANTOS ARAUJO
    2. 2. DELIMITAÇÃO: O gerenciamento administrativo do transportecoletivo: um levantamento estatístico sobre a eficácia daqualidade na prestação do serviço público nacomunidade do Zumbi II, zona leste de Manaus.
    3. 3. PROBLEMATIZACÃO Qual a avaliação dos usuários sobre aeficácia da qualidade na prestação deserviço do transporte coletivo e como estapode contribuir para melhorias desseserviço?
    4. 4. OBJETIVO ESPECÍFICO:Observar através de um estudo exploratório com as variáveis: o trajeto,tipos de usuários, demanda de ônibus, outros tipos de transporte na via,tempo de demora, horário de pico, etc.Diagnosticar através da coleta de dados (entrevista, questionários eformulários), expectativas da avaliação dos usuários que utiliza as linhas deônibus que trafegam nesta via, em relação aos processos determinantes daqualidade e a eficácia do serviço prestado. Identificar os processos que foram diagnosticados, no sentido dealcançar futuramente a eficácia e a excelência em qualidade.
    5. 5. JUSTIFICATIVA O objetivo deste projeto é identificar através de uma analisesobre a avaliação dos usuários que utilizam o meio detransporte coletivo, como meio de locomoção, para que hajafuturamente possíveis soluções que possam melhorar a eficáciada qualidade do serviço prestado na comunidade do Zumbi II,zona leste de Manaus, visando futuramente aplicar um plano deação com intuito de promover com eficácia o gerenciamentodessa atividade e que o mesmo permita a progressão comdesenvolvimento, proporcionando também o seu crescimento emelhoria, pois as empresas e os órgãos responsáveis queadministram o transporte coletivo em Manaus, ao analisar apesquisa, possam contemplar a avaliação dos seus usuários.
    6. 6. FUNDAMENTAÇÃO TEÓRICA Segundo Bicalho (1998) o transporte tem importância socialdecisiva porque permitem que as pessoas acessem locais detrabalho, equipamentos sociais e de lazer, e oportunidadesde consumo, onde há maior dependência da população aosmeios de transporte coletivo. Segundo o mesmo autor, otransporte coletivo viabiliza o crescimento das cidades,organizando e condicionando a ocupação dos espaçosurbanos e uso do solo através da articulação entre asatividades desenvolvidas nos diferentes locais. Trata-se,portanto, de serviço público essencial, que deve atender anecessidades sociais e dar suporte a atividades econômicas,e que, na maioria dos casos, é explorado pelo setor privado.
    7. 7. METODOLOGIA A palavra método significa o conjunto de etapas eprocessos a serem ultrapassados ordenadamente nainvestigação dos fatos ou na procura da verdade. Segundo Lakatos (2006): O método consiste em umaserie de regras com a finalidade de resolverdeterminado problema ou explicar um fato por meio dehipóteses ou teoria que devem ser testadasexperimentalmente e podem ser comprovadas ourefutadas. A hipótese se for aprovada nos testes, seráconsiderada uma justificativa adequada dos fatos eaceita e dotada para fins práticos.
    8. 8. MÉTODO FENOMENOLÓGICOFenomenologia é a ciência que estuda de forma descritiva umfenômeno ou um conjunto de fenômeno e a forma como semanifestam no espaço e no tempo, sem levar em conta as leisque regem. Quanto ao método será Fenomenológico porque consiste emmostrar o que é apresentado e esclarecer este fenômeno. Paraa fenomenologia um objeto é como o sujeito o percebe, e tudotem que ser estudo tal como é para o sujeito e sem interferênciade qualquer regra de observação cabendo a abstração darealidade e perda de parte do que é real, pois tendo como objetode estudo fenômeno em si, estuda-se, literalmente, o queaparece. Para a fenomenologia um objeto, uma recordação,enfim, tudo tem que ser estudado tal como é para o espectador.
    9. 9. PESQUISA BIBLIOGRÁFICA De acordo com Cervo e Bervian (2002), em seu livro demetodologia científica a pesquisa bibliográfica procura explicar umproblema a partir de referências teóricas publicadas no sentido deconhecer e analisar as contribuições culturais ou científicas dopassado existentes sobre um determinado assunto, tema ouproblema. O presente trabalho constitui-se numa pesquisa bibliográfica, poisafirma alguns pressupostos autores. Segundo Cordeiro (2004, p. 20),ao se desenvolver produtos ou serviços, deve-se pensarprimeiramente em como satisfazer da melhor forma seusconsumidores Portanto, é de vital importância que o cliente seja aabordagem inicial do presente estudo, pois segundo Albrecht (1999,p. 7) “As empresas centralizadas nos clientes vêem o cliente comoponto de partida, posto de escuta e árbitro final para tudo aquilo que
    10. 10. PESQUISA DE CAMPO Segundo Lakatos (1996) a pesquisa de campo é uma fase queé realizada após o estudo bibliográfico, para que o pesquisadortenha um bom conhecimento sobre o assunto, pois é nestaetapa que ele vai definir os objetivos da pesquisa, as hipóteses,definir qual é o meio de coleta de dados tomando de amostra, ecomo os dados serão tabulados e analisados . Nos períodos seguintes serão aplicadas técnicas de coleta dedados como: entrevistas (anexo), formulários e questionário, queserá posto em anexos, para os tipos de usuários envolvendo:alunos, trabalhadores e idosos etc, com perguntas fechadas aserem respondidas de forma oral, a fim de criar um perfil sobre avisão que se tem sobre a eficácia do transporte coletivo nacomunidade.
    11. 11. PESQUISA – AÇÃO De acordo com Thiollent (2005, p. 16) a Pesquisa-ação é umtipo de pesquisa social com base empírica que é concebida erealizada em estreita associação com uma ação ou com aresolução de um problema coletivo, no qual os pesquisadores eos participantes representativos da situação ou problema estãoenvolvidos de modo cooperativo ou participativo. Ao se estabelecer um diagnóstico com os usuários dotransporte coletivo da comunidade do Zumbi II, sobre a suaavaliação sobre a eficácia da prestação de serviço no dizrespeito a sua qualidade, contribuindo direta e indiretamentecom as organizações responsável pelo sistema, leva-se apesquisa a raiz da comunidade fazendo com que o processoseja partilhado por todos os envolvidos na ação.
    12. 12. PESQUISA PARTICIPANTE Segundo Grossi (1981) a "Pesquisa participante é umprocesso de pesquisa no qual a comunidade participa naanálise de sua própria realidade, com vistas a promover umatransformação social em benefício dos participantes que sãooprimidos. Portanto, é uma atividade de pesquisa orientadapara a ação-social. Essa pesquisa busca um enfoque de investigação social pormeio do qual se busca plena participação da comunidade naanálise de sua própria realidade, com objetivo de promover aparticipação social para o benefício dos participantes dainvestigação. Estes participantes são os oprimidos, osmarginalizados os explorados. Trata-se, portanto, de umaatividade educativa de investigação e ação social.
    13. 13. QUANTO A FORMA DE ABORDAGEM Pesquisa Quantitativa: considera que tudo pode serquantificável, o que significa traduzir em números opiniões einformações para classificá-los e analisá-los. Requer o uso derecursos e de técnicas estatísticas (percentagem, média, moda,mediana, desvio padrão, coeficiente de correlação, análise deregressão, etc...). Portanto, A Pesquisa Quantitativa éapropriada para medir tanto opiniões, atitudes e preferênciascomo comportamentos (Gil, 2002). Assim, a presente pesquisa será quantitativa já a primeirarazão é descobrir quantas pessoas de uma determinadapopulação compartilham uma característica ou um grupo decaracterísticas. Ela é especialmente projetada para gerarmedidas precisas e confiáveis que permitam uma análiseestatística.
    14. 14. QUANTO AOS FINS A pesquisa será aplicada, pois objetiva gerar conhecimentos para aplicaçãoprática dirigida à solução de problemas específicos, que envolve verdades einteresses local sendo no caso presente a avaliação dos usuários sobre aeficácia da qualidade na prestação de serviço do transporte coletivo e comoesta pode contribuir para melhorias desse serviço como uma propostaadministrativa ao gerenciamento das organizações responsáveis.QUANTO AOS OBJETIVOS A pesquisa será Exploratória pois visa proporcionar maior familiaridade com oproblema com vistas a torná-lo explícito ou a construir hipóteses. Envolvelevantamento bibliográfico; entrevistas com pessoas que tiveram experiênciaspráticas com o problema pesquisado; análise de exemplos que estimulem acompreensão, etc. Assume, em geral, as formas de Pesquisas Bibliográficas eEstudos de caso; e Descritiva pois visa descrever as características dedeterminada população ou fenômeno ou o estabelecimento de relações entrevariáveis. Envolvem o uso de técnicas padronizadas de coleta de dados:formulários, questionário, entrevista e observação sistemática.
    15. 15. CRONOGRAMA ATIVIDADES / PERÍODOS FEV MAR ABR MAI JUN 1 Pesquisa de campo – atualização X 2 Reunião da equipe X X X X 3 Revisão do projeto X X 4 Pesquisa na biblioteca para leitura X 5 Construção da metodologia X 6 Reunião com o orientador X Construção das perguntas fechadas 7 X para o questionário Construção das perguntas abertas 8 X para entrevista
    16. 16. CONCLUSÃO Esse trabalho, contribuiu de uma forma muito significativa para nós acadêmicosque estamos iniciando pela 1º vez no campo da metodologia do projeto científicodentro de um tema relacionado a um grande problema que afeta a sociedademanauara, em especial a comunidade do Zumbi dos palmares II, mas preciso aspessoas que necessitam desse sistema para se locomoverem de um lugar para ooutro incluindo locais de trabalho, equipamentos sociais e de lazer, e oportunidadesde consumo, onde há maior dependência da população aos meios de transportecoletivo como formas de avaliar a qualidade no serviço e o gerenciamento dosistema, na cidade de Manaus. Como verificamos, existem várias definições paraqualidade de serviços na bibliografia, sendo que este trabalho leva em consideraçãoa qualidade percebida pelo usuário e sua avaliação acerca da sua eficácia no seugerenciamento, ou seja, até que ponto o serviço oferecido na cidade de Manausincorpora os desejos e anseios dos usuários. Enfim, As futuras análises oferecidas, neste projeto, poderão ajudar na elaboraçãode políticas públicas voltadas à melhoria do transporte coletivo e qualidade de vida,pois nada melhor do que a própria avaliação dos usuários sobre a eficácia naqualidade dos serviços de transporte coletivo na cidade de Manaus.
    17. 17. REFERÊNCIASALBRECHT, Karl. A única coisa que importa: trazendo o poder do cliente para dentrode sua empresa. São Paulo, Pioneira, 1999.CERVO, BERVIAN. Metodologia Científica 5º Edição – Amado Luiz Cervo, Pedro AlcinoBervian. São Paulo, Pearsson Prentice Hall, 2002.CORDEIRO, Célio de Oliveira. A percepção da qualidade dos serviços prestados emuma Instituição de Ensino Superior segundo o Cliente. Tese de Mestrado emEngenharia de Produção pela Universidade Federal do Amazonas (UFAM), Manaus,2004.BICALHO, Marcos. A dívida social no transporte coletivo. Revista dos TransportesPúblicos – ANTP, São Paulo, ano 20, p. 33-41, 3º Trimestre 1998.GROSSI, FV Popular Education. Concept and implication. In. International council foradult education. Trindad. May, 1981.GIL, A. C. Como elaborar projetos de pesquisa. São paulo: Ed. Atlas, 2002. 175p.LAKATOS, Eva Maria. Metodologia científica. 4. Ed. Atlas, 2006.PRAZERES, Paulo Mundin. Dicionário de termos de qualidade. São Paulo, Atlas, 2005.464 p.
    18. 18. “O que define uma cidade; aquilo que constituiuma verdadeira cidade, é a sua capacidade dearticulação de fluência. Sem dúvida, o homemse encontra um pouco aprisionado nametrópole, com seus movimentos entorpecidospela microdistância. É um grande paradoxo domundo moderno, dotado para vencer asenormes distâncias em pouco tempo eincapaz, freqüentemente, de ligar a cidade a simesma, de comunicá-la com rapidez.” (Calvete, 1970)

    ×