1Tendências das Arquiteturas dosAmbientes de AprendizagemProf. Dr. Sérgio Crespo C S PintoPrograma de Mestrado em Computaç...
2© Sergio Crespo – SBIE 2006 (crespo@ unisinos.br) http://www.inf.unisinos.br/~crespo1 1977 Lançamento do Apple II1 1977 L...
3© Sergio Crespo – SBIE 2006 (crespo@ unisinos.br) http://www.inf.unisinos.br/~crespo1 1982 Lotus 1-2-31 1984 Microsoft Ex...
4© Sergio Crespo – SBIE 2006 (crespo@ unisinos.br) http://www.inf.unisinos.br/~crespo1 1940 George Stibitz interliga dois ...
5© Sergio Crespo – SBIE 2006 (crespo@ unisinos.br) http://www.inf.unisinos.br/~crespoR$TempohardwaresoftwareredesExplosão ...
6© Sergio Crespo – SBIE 2006 (crespo@ unisinos.br) http://www.inf.unisinos.br/~crespo1 Analista de Sistemas1 Programador1 ...
7© Sergio Crespo – SBIE 2006 (crespo@ unisinos.br) http://www.inf.unisinos.br/~crespoClienteWebServidor Web(Servidor EAD)a...
8© Sergio Crespo – SBIE 2006 (crespo@ unisinos.br) http://www.inf.unisinos.br/~crespoClienteWebaplicações já existentes na...
9© Sergio Crespo – SBIE 2006 (crespo@ unisinos.br) http://www.inf.unisinos.br/~crespoClienteWeb3a GeraçãoServidor Web(Serv...
10© Sergio Crespo – SBIE 2006 (crespo@ unisinos.br) http://www.inf.unisinos.br/~crespo3a GeraçãoDesktopTec. MóveisModelo 3...
11© Sergio Crespo – SBIE 2006 (crespo@ unisinos.br) http://www.inf.unisinos.br/~crespoTendências: Repensar1 Email1 Fórum1 ...
12© Sergio Crespo – SBIE 2006 (crespo@ unisinos.br) http://www.inf.unisinos.br/~crespo© Sergio Crespo – SBIE 2006 (crespo@...
13© Sergio Crespo – SBIE 2006 (crespo@ unisinos.br) http://www.inf.unisinos.br/~crespo1 Maior uso de dispositivos móveis1 ...
14© Sergio Crespo – SBIE 2006 (crespo@ unisinos.br) http://www.inf.unisinos.br/~crespo1 Princípio Hollywood1 “Não me chame...
15© Sergio Crespo – SBIE 2006 (crespo@ unisinos.br) http://www.inf.unisinos.br/~crespoConvergência de dispositivosConvergê...
16© Sergio Crespo – SBIE 2006 (crespo@ unisinos.br) http://www.inf.unisinos.br/~crespo© Sergio Crespo – SBIE 2006 (crespo@...
17© Sergio Crespo – SBIE 2006 (crespo@ unisinos.br) http://www.inf.unisinos.br/~crespoConectividadeAcesso aInformaçãoMobil...
18© Sergio Crespo – SBIE 2006 (crespo@ unisinos.br) http://www.inf.unisinos.br/~crespoModelo de ReferênciaDispositivosEmai...
19© Sergio Crespo – SBIE 2006 (crespo@ unisinos.br) http://www.inf.unisinos.br/~crespoInternetServiçosDistribui o processa...
20© Sergio Crespo – SBIE 2006 (crespo@ unisinos.br) http://www.inf.unisinos.br/~crespoAmbiente Pervasivo CustomizávelGeogr...
21© Sergio Crespo – SBIE 2006 (crespo@ unisinos.br) http://www.inf.unisinos.br/~crespoRenato CruzPara Tayná Fregoneze, de ...
22© Sergio Crespo – SBIE 2006 (crespo@ unisinos.br) http://www.inf.unisinos.br/~crespoWSMEL: uma arquitetura paraintegraçã...
23© Sergio Crespo – SBIE 2006 (crespo@ unisinos.br) http://www.inf.unisinos.br/~crespo© Sergio Crespo – SBIE 2006 (crespo@...
24© Sergio Crespo – SBIE 2006 (crespo@ unisinos.br) http://www.inf.unisinos.br/~crespo© Sergio Crespo – SBIE 2006 (crespo@...
25© Sergio Crespo – SBIE 2006 (crespo@ unisinos.br) http://www.inf.unisinos.br/~crespo© Sergio Crespo – SBIE 2006 (crespo@...
26© Sergio Crespo – SBIE 2006 (crespo@ unisinos.br) http://www.inf.unisinos.br/~crespoOBRIGADO!
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Tendências das Arquiteturas dos Ambientes de Aprendizagem

411 visualizações

Publicada em

Palestra de Abertura do SBIE 2006 Brasília

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
411
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
1
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
5
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Tendências das Arquiteturas dos Ambientes de Aprendizagem

  1. 1. 1Tendências das Arquiteturas dosAmbientes de AprendizagemProf. Dr. Sérgio Crespo C S PintoPrograma de Mestrado em Computação AplicadaUniversidade do Vale do Rio dos Sinos – UNISINOS RSEmail: crespo@unisinos.brhttp://www.inf.unisinos.br/~crespo© Sergio Crespo – SBIE 2006 (crespo@ unisinos.br) http://www.inf.unisinos.br/~crespoHistóricoEvolução do HardwareEvolução do SoftwareIncremento das redes de telecomunicaçõesExplosão da WebDefinição de padrõesNovos atores
  2. 2. 2© Sergio Crespo – SBIE 2006 (crespo@ unisinos.br) http://www.inf.unisinos.br/~crespo1 1977 Lançamento do Apple II1 1977 Lançamento do Z80-A1 1981 Lançamento do IBM PC1 1982 Commodore 64, o computador caseiro1 1984 HP pioneira na tecnologia de jato de tinta1 1984 Lançamento do Apple Mac1 1985 Phillips inventa CD-ROM1 1986 Modem HST U.S. Robotics1 1987 Amiga 20001 1989 Comunicação Wireless1 1991 Sound Blaster Pro aumenta a parada do áudio1 1992 Palm melhora os computadores de hand held1 1996 USB (Universal Serial Bus)1 1998 CDs graváveis e regraváveis (CD-RW)1 2000 Surge o Compaq iPAQ1 2001 USB21 2003 Comunicações WiFiHistórico: Evolução do hardware© Sergio Crespo – SBIE 2006 (crespo@ unisinos.br) http://www.inf.unisinos.br/~crespo1 1931 Desenvolvimento da lógica eléctrica1 1937 Teoria do Software de Alan Turing1 1940 Lógica Booleana de Claude Shannon1 1960 Theodore H. Nelson e o hipertexto1 1960 Software Open source1 1961 A primeira planilha de cálculo eletronica1 1964 Linguagem de programação Basic1 1971 O primeiro e-mail é enviado1 1972 A Bell Laboratories desenvolve a popular linguagem de programação C1 1973 Gary Kildall inventa o CP/M1 1978 A VisiCalc dá início à explosão das planilhas de cálculo1 1978 A primeira mensagem de spam1 1979 A Ashton Tate lança o Dbase1 1979 A Apple Computer lança o DOS 3.21 1980 SuperCalc, a planilha de cálculo para o CPM1 1981 Dá-se início ao desenvolvimento do MS-DOS1 1981 Nasce a noção do [[ctrl+alt+del]]1 1982 Protocolo Internet TCP/IPHistórico: Evolução do software
  3. 3. 3© Sergio Crespo – SBIE 2006 (crespo@ unisinos.br) http://www.inf.unisinos.br/~crespo1 1982 Lotus 1-2-31 1984 Microsoft Excel1 1985 Lançamento do Windows 1.01 1985 Surge o primeiro vírus1 1986 JPEG1 1987 Windows 2 e a Apple desenvolve fontes True Type1 1989 Tim Berners-Lee e a World Wide Web1 1989 Microsoft Word para Windows 1.01 1990 A Adobe lança o Photoshop1 1990 Windows 3.0, uma interface gráfica funcional1 1991 Nasce o Linux1 1991 Primeira versão do HTML1 1994 Mosaic lança o Netscape1 1995 Microsoft lança o Windows 95 com suporte Plug and Play1 1995 Sun lança o Java.1 1996 Macromedia introduz Flash1 2000 Windows 20001 2001 Windows XPHistórico: Evolução do software© Sergio Crespo – SBIE 2006 (crespo@ unisinos.br) http://www.inf.unisinos.br/~crespoR$Tempohardwaresoftware
  4. 4. 4© Sergio Crespo – SBIE 2006 (crespo@ unisinos.br) http://www.inf.unisinos.br/~crespo1 1940 George Stibitz interliga dois computadores via telefone, o quegerou idéias para o primeiro Modem1 1950 Primeiro Modem digital1 1969 Arpanet dá início à Internet1 1971 Redes LAN sem fios (Wireless)1 1972 Surge a Ethernet1 1974 A primeira rede Arpanet comercial1 1983 Arpanet atualiza-se para TCP/IP1 1994 SMS traz o texto aos telemóveis1 1994 NetWare Directory Services1 1994 Galaxy é o primeiro directório de procura na Internet1 1999 Começa-se a falar em P2P (peer-to-peer) devido à Napster1 2001 Convergência dos telemóveis e PDAs1 2003 Explosão das Redes de Alta VelocidadeHistórico: Incremento das redes de telecomunicações© Sergio Crespo – SBIE 2006 (crespo@ unisinos.br) http://www.inf.unisinos.br/~crespoR$Tempohardwaresoftwareredes
  5. 5. 5© Sergio Crespo – SBIE 2006 (crespo@ unisinos.br) http://www.inf.unisinos.br/~crespoR$TempohardwaresoftwareredesExplosão de USO da Web© Sergio Crespo – SBIE 2006 (crespo@ unisinos.br) http://www.inf.unisinos.br/~crespoXML- Extensible Markup Language (http://www.w3.org/XML/)1 Extensible Markup Language (XML) is a simple, very flexible text format derivedfrom SGML (ISO 8879). Originally designed to meet the challenges of large-scale electronic publishing, XML is also playing an increasingly important role inthe exchange of a wide variety of data on the Web and elsewhere.IMS - The IMS Global Learning Consortium (http://www.imsproject.org)1 The IMS Global Learning Consortium develops and promotes the adoption ofopen technical specifications for interoperable learning technology. Several IMSspecifications have become worldwide de facto standards for delivering learningproducts and services. IMS specifications and related publications are madeavailable to the public from www.imsglobal.org.LOM - Learning Object Metadata (http://ltsc.ieee.org/wg12/)1 This standard will specify the syntax and semantics of Learning ObjectMetadata, defined as the attributes required to fully/adequately describe aLearning Object. Learning Objects are defined here as any entity, digital or non-digital, which can be used, re-used or referenced during technology supportedlearning.SCORM - Sharable Content Object Reference Model (http://www.adlnet.gov)1 SCORM is a collection of standards and specifications adapted from multiplesources to provide a comprehensive suite of e-learning capabilities that enableinteroperability, accessibility and reusability of Web-based learning content.Histórico: Padrões
  6. 6. 6© Sergio Crespo – SBIE 2006 (crespo@ unisinos.br) http://www.inf.unisinos.br/~crespo1 Analista de Sistemas1 Programador1 Analista/Programador1 Conteudista1 WebDesign1 WebMaster1 WebWriter1 Web*.*1 Instructional DesignerHistórico: Novos atoresNovos atores© Sergio Crespo – SBIE 2006 (crespo@ unisinos.br) http://www.inf.unisinos.br/~crespoTendências das Arquiteturas dos Ambientes de AprendizagemA Palestra irá abordar as principais tendências dos ambientes deaprendizagem enfocando as novas arquiteturas de forma a permitir quepossam ser mais facilmente construídos. Isto promove um reuso tantode aplicações já existentes na Web como dos objetos deaprendizagem. Estas novas arquiteturas são fruto das novastecnologias de TI, principalmente com o surgimento das novas redesde comunicação sem fio (Wireless). Estas arquiteturas e as novaspropostas de ambientes de aprendizagem colaborativos entram emconsonância com as novas necessidades das escolas contemporâneasna medida em que o conceito de comunidades, presentes novocabulário estudantil, deve ser o mais próximo possível da forma comque os grupos são formados fora do ambiente virtual. Isto permite umamaior fidelização do estudante com o ambiente derelacionamento/aprendizagem promovido pelas escolas.
  7. 7. 7© Sergio Crespo – SBIE 2006 (crespo@ unisinos.br) http://www.inf.unisinos.br/~crespoClienteWebServidor Web(Servidor EAD)aplicações já existentes na Web1a Geração© Sergio Crespo – SBIE 2006 (crespo@ unisinos.br) http://www.inf.unisinos.br/~crespo1a Geração – Características1 Uso de ferramentas já existentes na Web1 Centrados em cursos1 Ênfase em troca de documentos1 Pouca interatividade1 Sem uso de técnicas de ergonomia1 Sem uso de padrões para os objetos produzidos1 Uso e abuso de “animações” em prejuízo da performance1 Poucas ferramentas1 Desenvolvimento “caseiro”1 Ambientes caros (R$)1 Atores: basicamente da área técnica - informática
  8. 8. 8© Sergio Crespo – SBIE 2006 (crespo@ unisinos.br) http://www.inf.unisinos.br/~crespoClienteWebaplicações já existentes na Web2a GeraçãoServidor Web(Servidor EAD)© Sergio Crespo – SBIE 2006 (crespo@ unisinos.br) http://www.inf.unisinos.br/~crespo2a Geração – Características1 Uso de ferramentas já existentes na Web1 Iniciam o desenvolvimentos de ferramental próprio.1 Centrados em cursos1 Iniciam o uso de técnicas de ergonomia1 Sem uso de padrões para os objetos produzidos1 Desenvolvimento “caseiro” com iniciativas de terceirização dodesenvolvimento1 Ambientes caros (R$)1 Atores: Surgimento de novos atores:1 WebDesign, WebMaster, Educador e a Direção das Escolas.1 Tentativas de rastrear as ações dos usuários para o mapeamento de perfis.1 Ênfase na Cooperação1 Planos Políticos Pedagógicos com ênfase em EAD
  9. 9. 9© Sergio Crespo – SBIE 2006 (crespo@ unisinos.br) http://www.inf.unisinos.br/~crespoClienteWeb3a GeraçãoServidor Web(Servidor EAD)PersistênciaXMLPadrões© Sergio Crespo – SBIE 2006 (crespo@ unisinos.br) http://www.inf.unisinos.br/~crespo3a Geração (ATUAL) – Características1 Uso de componentes baseados em serviços.1 Centrados em:1 Comunidades1 Competência1 No uso de algumas tecnologias móveis1 Ambientes mais compatíveis com as normas da W3C1 Preocupação com o uso de Objetos de Aprendizagem1 Desenvolvimento terceirizado e ou busca por solução Open Source1 Preocupação com a ESCALABILIDADE1 Uso de técnicas de IA para auxílio da avaliação, participação e criação deperfis de aluno.1 Preocupação com o uso de elementos de vídeo / performance1 Planos Políticos Pedagógicos na produção de objetos de aprendizagem eambientes de EAD.1 Comunicação – Coordenação - Colaboração
  10. 10. 10© Sergio Crespo – SBIE 2006 (crespo@ unisinos.br) http://www.inf.unisinos.br/~crespo3a GeraçãoDesktopTec. MóveisModelo 3CSCORMTENDÊNCIAFUTURO2a GeraçãoDesktopCentrados emCooperaçãoPPPWindows Open Source© Sergio Crespo – SBIE 2006 (crespo@ unisinos.br) http://www.inf.unisinos.br/~crespoComunidadeEspontâneaMobilidadeTENDÊNCIAFUTUROWEBSERVICESWiFiWirelessBluetoothDispositivosMóveis ComposiçãoComputaçãoPervasivaObjetos deAprendizagem
  11. 11. 11© Sergio Crespo – SBIE 2006 (crespo@ unisinos.br) http://www.inf.unisinos.br/~crespoTendências: Repensar1 Email1 Fórum1 Chat1 Público e o Privado1 Mensagens instantâneas1 Comunicação1 Colaboração© Sergio Crespo – SBIE 2006 (crespo@ unisinos.br) http://www.inf.unisinos.br/~crespoTendências: Repensar a arquiteturaKernel para Ambientes de Aprendizagem(Modelo de Referência)Ferramentas deEmailFerramentas deChatFerramentas deAvaliação
  12. 12. 12© Sergio Crespo – SBIE 2006 (crespo@ unisinos.br) http://www.inf.unisinos.br/~crespo© Sergio Crespo – SBIE 2006 (crespo@ unisinos.br) http://www.inf.unisinos.br/~crespoComunidades espontâneas para a novaplataforma de ambientes deaprendizagem2 Como se formam na vida real?2 Como modelar ?2 Como pensar nos artefatos para tal proposta?Tendências: Repensar a comunidade?
  13. 13. 13© Sergio Crespo – SBIE 2006 (crespo@ unisinos.br) http://www.inf.unisinos.br/~crespo1 Maior uso de dispositivos móveis1 PDAs, Tablets, Celulares, etc.Tendências: MobilidadeImpactoDiretoArquitetura dos Ambientes© Sergio Crespo – SBIE 2006 (crespo@ unisinos.br) http://www.inf.unisinos.br/~crespo1 Permitir ao usuário a seleção, organização e construção deuma arquitetura de ambiente de aprendizagem.2 Seleção das aplicações, via um portal corporativo.2 Comunidade das aplicações, apresentando todos que o utilizam.2 Interoperabilidade, de forma a viabilizar a troca de dados entreaplicações.Tendências: ComposiçãoImpactoDiretoArquitetura dos Ambientes
  14. 14. 14© Sergio Crespo – SBIE 2006 (crespo@ unisinos.br) http://www.inf.unisinos.br/~crespo1 Princípio Hollywood1 “Não me chame, EU chamo você”. Onde esteprincípio se aplica as novas tendências deambientes de aprendizagem?Com o uso de dispositivos móveis é possível pensarno princípio Hollywood na visão de laboratóriosde informática.Aqui, o Laboratório vai até a sala de aula!Tendências: Principio Hollywood© Sergio Crespo – SBIE 2006 (crespo@ unisinos.br) http://www.inf.unisinos.br/~crespoTendências: Princípio HollywoodEspaço2Espaço4Espaço5Espaço6EspaçonEspaço1Espaço3Virtual Lab
  15. 15. 15© Sergio Crespo – SBIE 2006 (crespo@ unisinos.br) http://www.inf.unisinos.br/~crespoConvergência de dispositivosConvergência de mídiasNova Arquitetura dos Ambientes de Aprendizagem© Sergio Crespo – SBIE 2006 (crespo@ unisinos.br) http://www.inf.unisinos.br/~crespoBlackBerry dispõe agora de serviços multimídia.Research in Motion quer tornar o aparelho atrativo não só para o mercadocorporativo, mas também para quem deseja comprá-los para o entretenimento.Telefonia, cabo e banda larga rumam à união.Começam a desaparecer as diferenças entre os negócios de TV por assinatura, telefonia e internetno Brasil e no resto do mundo através da fibra ótica, que unifica esses serviços.Empreendedores brasileiros da Web 2.0 investem em modelos testados nos EUASão Paulo - Entre a competição feroz de serviços internacionais e a falta de investimentos, o mercado deWeb 2.0 nacional se apóia no gosto do usuário brasileiro por comunidades.O termo Web 2.0 tomou forma no final de 2005 não apenas se propondo a oferecer ferramentas queajudassem o usuário a interagir com o conteúdo online, como o pesquisador Tim OReilly definiu oconceito. E, como todo conceito, uma nova onda de empresas e serviços chegaram ao mercado deinternet. São aplicações online, que libertam o usuário do desktop e do sistema operacional, e, na maioriadas vezes, permite a colaboração e participação intensiva do internauta na construção do conteúdo.YouTube deve chegar aos celulares em 2007Em uma conferência em Nova York, Chad Hurley, fundador do popular serviço de vídeos onlineYouTube, declarou que espera que o site "tenha algo para dispositivos móveis" até o fim de 2007.Google cria versão de webmail para celularesO Google quer aproximar a maneira clássica com a qual os internautas mandam emails, sentadosdiante de um computador, da realidade da transmissão de mensagens por celulares. O líder entre osserviços de busca na Web está introduzindo uma versão de seu serviço de email Gmail adaptadaespecialmente ao uso em celulares equipados com software Java, o que abarca mais de 300modelos.
  16. 16. 16© Sergio Crespo – SBIE 2006 (crespo@ unisinos.br) http://www.inf.unisinos.br/~crespo© Sergio Crespo – SBIE 2006 (crespo@ unisinos.br) http://www.inf.unisinos.br/~crespoI-mode es un conjunto de tecnologías y protocolos diseñadospara poder navegar a través de minipáginas diseñadasespecíficamente para dispositivos móviles como teléfonos oPDAs. Utiliza para mostrar las páginas un lenguaje muyparecido al HTML normal pero modificado para los teléfonosmóviles. Este lenguaje creado en 1999 por y para empresas detelefonía japonesas incluía soporte de imágenes y móviles acolor. En España está teniendo éxito de la mano de Telefónica,y en Europa a través de otros operadores
  17. 17. 17© Sergio Crespo – SBIE 2006 (crespo@ unisinos.br) http://www.inf.unisinos.br/~crespoConectividadeAcesso aInformaçãoMobilidade ContextosTV Digital Web 2.0 CustosColaboração Comunicação Customização© Sergio Crespo – SBIE 2006 (crespo@ unisinos.br) http://www.inf.unisinos.br/~crespoModelo de OntologiaModelo de ServiçosModelo de PersistênciaCamada de AgentesFacadeModelo de ReferênciaCamada de AplicaçãoFacadeDetalhando o Modelo de Referência
  18. 18. 18© Sergio Crespo – SBIE 2006 (crespo@ unisinos.br) http://www.inf.unisinos.br/~crespoModelo de ReferênciaDispositivosEmailMatemáticaDispositivosDispositivosDispositivosChat Obj FísicaCamada deAgentesCamada deAplicação© Sergio Crespo – SBIE 2006 (crespo@ unisinos.br) http://www.inf.unisinos.br/~crespoCamada de AgentesChatModelo de Referênciacustomizado para odispositivoAplicação(CHAT)ConheceConheceAplicação(Email)Aplicação(n)MSN
  19. 19. 19© Sergio Crespo – SBIE 2006 (crespo@ unisinos.br) http://www.inf.unisinos.br/~crespoInternetServiçosDistribui o processamento© Sergio Crespo – SBIE 2006 (crespo@ unisinos.br) http://www.inf.unisinos.br/~crespoCliente(CHAT modelo 2)Cliente(CHAT modelo1)Conhecem:Lista de usuários que o utilizamModelo de ReferênciaObjeto deGeometriaAnalítica (b)Objeto deGeometriaAnalítica (a)Interoperabilidade entre os Clientes
  20. 20. 20© Sergio Crespo – SBIE 2006 (crespo@ unisinos.br) http://www.inf.unisinos.br/~crespoAmbiente Pervasivo CustomizávelGeografiaHistória Geometria Email MSNSeu conceito deAmbiente user ASeu conceito deAmbiente user BModelo de ReferênciaColaboração, Avaliação, Estratégias Pedagógicas, etc..© Sergio Crespo – SBIE 2006 (crespo@ unisinos.br) http://www.inf.unisinos.br/~crespoNós somos, da geração X;Os alunos, crianças de hoje, são NATIVOS digitais!!!By Marc PrenskyDigital Natives, Digital ImmigrantsBy Marc PrenskyFrom On the Horizon (NCB University Press, Vol. 9 No. 5, October 2001)© 2001 Marc Prensky
  21. 21. 21© Sergio Crespo – SBIE 2006 (crespo@ unisinos.br) http://www.inf.unisinos.br/~crespoRenato CruzPara Tayná Fregoneze, de 10 anos, a internet sempre existiu.Ela nasceu em 1995, ano de estréia do acesso comercial noBrasil e um ano depois de a Netscape ter lançado seunavegador. “Uso a internet antes de ir para a escola e depoisque eu chego”, conta Tayná.“Eu faço pesquisas, ouço músicas, converso e jogo pelo MSN.”Normalmente, ela se dedica a mais de uma atividade dessasao mesmo tempo. Tayná fica conectada de duas a três horaspor dia, quando tem aula. Assim como a maioria dos colegasde sua sala, tem página no Orkut. E passa mais tempo emfrente ao computador que à televisão.Alguns usam o ano de 1982 como o primeiro dessa novageração. Outros começam a contar a partir de 1985. NosEstados Unidos, são chamados de geração M, de “multitarefa”ou de “mileniais”. A mudança de comportamento trazida poresses jovens, quando comparados à geração anterior, temimpactos profundos no mercado de tecnologia.“É a primeira geração que cresceu com internet e celular”, diz odiretor de Tecnologia e Marketing de Produtos da Lucent.O diretor da Lucent destaca que ageração multitarefa tem mais facilidadede resolver problemas coletivamente, viarede. “A anterior, chamada geração X,era mais individualista.”© Sergio Crespo – SBIE 2006 (crespo@ unisinos.br) http://www.inf.unisinos.br/~crespo06 de novembro de 2006 - 09:50Jovens preferem opções de música no celularPesquisa indica demanda por serviços de mídia em redes móveisRenato CruzSÃO PAULO - Mesmo quando se leva em consideração pessoas que nasceram de 1982 emdiante, existem perfis diferentes no que diz respeito a hábitos e interesses em relação aocelular."Não dá para generalizar", afirma Luis Minoru Shibata, diretor para a América Latina daconsultoria The Yankee Group. "Quem está na faixa de 8 a 15 anos usa muito mensagens detexto, pois são mais sensíveis a preços. Abaixo disso, procura conteúdos, como jogos. De 15anos para cima, tem interesse em aparelhos criados para adultos."Uma pesquisa feita pela consultoria nos Estados Unidos mostrou que pessoas entre 13 e17 anos estão mais interessadas em música no celular. A pergunta foi: se você tivessemais dinheiro para gastar no telefone móvel, em qual serviço seria?A pesquisa admitia múltiplas respostas. Nessa faixa de idade, os toques ficaram emprimeiro lugar, com 48%, seguidos da música em tempo real (46%) e de músicascompletas por download (45%). Para quem tem de 18 a 24 anos, as mensagens de textovieram primeiro, com 46%, seguidas dos toques (45%) e das mensagens com foto e vídeo(37%).
  22. 22. 22© Sergio Crespo – SBIE 2006 (crespo@ unisinos.br) http://www.inf.unisinos.br/~crespoWSMEL: uma arquitetura paraintegração de serviços educacionaisusando dispositivos móveis naformação de comunidadesvirtuais espontâneasDissertação Mestrado em Computação AplicadaMarcelo ScopelUNISINOS© Sergio Crespo – SBIE 2006 (crespo@ unisinos.br) http://www.inf.unisinos.br/~crespo
  23. 23. 23© Sergio Crespo – SBIE 2006 (crespo@ unisinos.br) http://www.inf.unisinos.br/~crespo© Sergio Crespo – SBIE 2006 (crespo@ unisinos.br) http://www.inf.unisinos.br/~crespo
  24. 24. 24© Sergio Crespo – SBIE 2006 (crespo@ unisinos.br) http://www.inf.unisinos.br/~crespo© Sergio Crespo – SBIE 2006 (crespo@ unisinos.br) http://www.inf.unisinos.br/~crespo
  25. 25. 25© Sergio Crespo – SBIE 2006 (crespo@ unisinos.br) http://www.inf.unisinos.br/~crespo© Sergio Crespo – SBIE 2006 (crespo@ unisinos.br) http://www.inf.unisinos.br/~crespohttp://www.inf.unisinos.br/~mobilab
  26. 26. 26© Sergio Crespo – SBIE 2006 (crespo@ unisinos.br) http://www.inf.unisinos.br/~crespoOBRIGADO!

×