O slideshow foi denunciado.
Utilizamos seu perfil e dados de atividades no LinkedIn para personalizar e exibir anúncios mais relevantes. Altere suas preferências de anúncios quando desejar.

ENCOAD 2017 - O modelo da educação em Administração no Brasil: reflexões e propostas

180 visualizações

Publicada em

Professor Dr. Durval Lucas Jr
Departamento de Administração UFSCAR

Publicada em: Negócios
  • Entre para ver os comentários

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

ENCOAD 2017 - O modelo da educação em Administração no Brasil: reflexões e propostas

  1. 1. 25/09/2017 1 O modelo de educação em Administração no Brasil: reflexões e propostas. Prof. Dr. Durval Lucas Jr. Departamento de Administração UFSCAR Agenda • Aspectos Introdutórios • O problema da educação superior em Administração no Brasil • Propostas ASPECTOS INTRODUTÓRIOS Algumas Datas... • 1881 – Primeiro curso de Administração no mundo (EUA) • 1911 – Frederick Taylor lança o livro “Princípios da Administração Científica” • 1953 – Primeiro curso de Administração no Brasil • 1965 – Regulamentação da profissão de “Técnico em Administração” no Brasil • 1966 – Edição do primeiro currículo mínimo do curso de Administração pelo Conselho Federal de Educação • 1968 – Reforma Universitária no Brasil • 1996 – Lei de Diretrizes e Bases (LDB) da Educação Algumas Leis... • Lei 4769/1965 – Dispõe sobre o exercício da profissão de Técnico em Administração • Lei 5540/1968 – Fixa normas de organização e funcionamento do ensino superior • Lei 9394/1996 – Lei de Diretrizes e Bases (LDB) da Educação Nacional • Decreto 5154/2004 – Regulamenta aspectos da LDB relacionados à educação profissional
  2. 2. 25/09/2017 2 A Expansão da Educação Superior • 1968 - Reforma Universitária privilegia o aumento do número de vagas no ensino superior. “os governos militares geraram uma profunda distorção no sistema universitário ao privilegiarem o aspecto da quantidade em detrimento da qualidade, fator de excelência em se tratando de ensino superior.” (SERVA, 1990, p.14) A Expansão da Educação Superior • 1996 - Regulamentação dos cursos tecnológicos pela LDB novamente impulsiona o aumento de vagas no ensino superior “A nova dimensão dada aos CSTs pela Lei no 9.394/96 e pelo Decreto Federal no 2.208/97 proveu organização e incentivo a essa modalidade educacional. As políticas públicas do MEC nos últimos anos trouxeram uma nova perspectiva de formação superior para o Brasil” (TAKAHASHI, 2010, p.401) Número de Cursos de Administração 2 31 247 305 823 1462 1805 Antes de 1960 1960 1970 1980 1990 2000 2010 FONTE: MEC Dados compilados pelo CFA Expansão que Gera Inquietação... “será que o suporte teórico, hoje fornecido pelas escolas brasileiras ao administrador, é compatível com a pluralidade e especificidades do seu campo de atuação? Infelizmente, a nossa resposta é negativa.” (SERVA, 1990, p.14) DE ONDE VEM O PROBLEMA? Um Problema Histórico...
  3. 3. 25/09/2017 3 Um Problema Histórico... “No bojo da crise as escolas de administração estacionaram, envelheceram. Com raras exceções, continuaram a manter fielmente· os mesmos conteúdos teóricos que configuraram os currículos originais transferidos pelas missões americanas na década de 50. Tais currículos e seus conteúdos teóricos foram como que "sacramentados". Não podemos negar a sua validade para o processo de criação dos cursos e implantação das primeiras escolas, mas não podemos aceitar a sua permanência intacta após 30 anos, durante os quais o país possivelmente terá passado por transformações mais significativas do que nos 50 anos anteriores, neste século.” (SERVA, 1990, p.15) Demandas do Século XXI • Senso crítico • Colaboração • Inovação • Proatividade • Velocidade • Eficiência • Eficácia • Responsabilidade • Competência • Autonomia A Solução Brasileira... • Cursos de graduação tecnológica, de duração mais curta em relação aos cursos “tradicionais” • Foco em competências específicas • Graduado pode avançar nos estudos via pós- graduação • Cursos de pós-graduação passam a “ensinar o básico” a quem não aprendeu antes A Solução Brasileira... “Os cursos tecnológicos vêm atender a uma demanda do mercado por especialistas dentro de uma área de conhecimento e estão orientados por características como foco, rapidez e flexibilidade, enquanto as outras modalidades de ensino superior visam formar generalistas. (...) seus concluintes ficam aptos a prosseguir seus estudos em nível de pós-graduação.” (TAKAHASHI, 2010, p.388) A Solução Brasileira... “Formam-se profissionais muito menos no "domínio do pensar" do que no "domínio do fazer"; o ensino é por demais "tecnicista"; grande parte dos enfoques teóricos transferidos é de cunho normativo, desembocando em prescrições antigas para os novos e desafiantes problemas que o profissional enfrenta.” (SERVA, 1990, p.15)
  4. 4. 25/09/2017 4 COMO SERIA O CURSO DE ADMINISTRAÇÃO IDEAL PARA O SÉCULO XXI? O curso de Administração para o século XXI Engenharia • Foco no artefato • Hiperespecialização desconectada • Segmentação do conhecimento “na largada” • Modelo de “cercas” Medicina • Foco no organismo • Hiperespecialização por meio de base comum • Olhar holístico fundamentando a segmentação • Modelo de “árvores” O curso de Administração para o século XXI Engenharia Medicina O curso de Administração para o século XXI Proposta 1 • Mudança do paradigma orientado a artefatos e técnicas, típico da engenharia, para o paradigma orientado a organismos, típico da medicina • Primeira parte do curso com conteúdo geral de Administração (mínimo comum), seguido de formação complementar especialista • Administrador passa a ser um grande “médico de organizações” O curso de Administração para o século XXI Proposta 2 • Inserção da formação tecnológica como parte dos currículos do bacharelado em Administração • Fácil acesso ao mercado de trabalho, sem que haja prejuízo da sólida formação generalista e sem pressionar a pós-graduação • Estudante assume a responsabilidade pelo nível de formação alcançado O curso de Administração para o século XXI Implicações • Mudança no perfil do estudante: de executor para analítico, com mais autonomia sobre a própria formação • IES precisarão de docentes mais especializados, dedicados em tempo integral à proposta do curso • Especializações lato sensu passam a fomentar o estado-da-arte no conhecimento técnico e tecnológico
  5. 5. 25/09/2017 5 REFERÊNCIAS CONSELHO FEDERAL DE ADMINISTRAÇÃO. História da Administração. Disponível em http://www.cfa.org.br/administracao/historia-da-profissao SERVA, M. Contribuições para uma teoria organizacional brasileira. Revista de administração pública, v.24, n.2, p.10- 21, 1990 TAKAHASHI, A. R. W. Cursos superiores de tecnologia em gestão: reflexões e implicações da expansão de uma (nova) modalidade de ensino superior de Administração no Brasil. Revista de administração pública, v.44, n.2, p.385-414, 2010

×