Estabelecendo limites

583 visualizações

Publicada em

Estabelecendo limites

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
583
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
16
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
25
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Estabelecendo limites

  1. 1. ESTABELECENDO LIMITES
  2. 2. O QUE SÃO LIMITES? Regras ou normas de conduta que devem ser passadas para as crianças; Mostram às crianças o que podem e o que não podem fazer; Ensinam a respeitar o próximo; Devem fazer parte da educação.
  3. 3. QUANDO SE INICIA A COLOCAÇÃO DE LIMITES? De 0 a 11 meses A comunicação do bebê é o choro. Pais precisam aprender a traduzir o significado desta manifestação e decidir se devem ou não atender de imediato. De 1 a 3 anos Época em que a criança faz birras, desafia os pais. Pais devem negociar com a criança suas exigências, fazendo-a explicar o motivo deste comportamento.
  4. 4. De 3 a 9 anos Criança mais independente, toma novas atitudes (brigas na escola); Pais devem fazer com que ela se responsabilize por seus atos, saiba das conseqüências. De 10 a 13 anos Chegada da adolescência Limites com mais firmeza, acompanhar de perto seus comportamentos de maior liberdade
  5. 5. De 14 a 16 anos Adolescente acha que tem o poder nas mãos e quer desafiar os pais a todo momento. Pais devem deixar claro para os adolescentes sobre o que é aceitável ou não. Importante acompanhar suas companhias de perto.
  6. 6. COMO COLOCAR LIMITES? 1- ADVERTÊNCIA – Criança fez algo de errado, abaixe-se no nível dela, olhe em seus olhos e, diga em tom calmo e firme que, se fizer novamente, vai ficar de castigo para pensar. 2- EXPLICAÇÃO – Se ela repetir o ato, abaixe-se novamente e diga para ela que vai ficar de castigo por um determinado tempo para pensar no que fez. Se for preciso, segure-a pelos ombros, mas sem violência.
  7. 7. 3 – SENTADINHA – Conduza a criança para um outro ambiente e sente-a num canto. Explique a ela que vai ficar sentada ali por tantos minutos. Fique de olho para que ela permaneça no local. 4 – MAIS EXPLICAÇÃO – Passado o tempo, volte e explique mais uma vez porque ela ficou ali. Pergunte se entendeu e peça que se desculpe. 5 – UM CARINHO – Dê um forte abraço para mostrar que você continua a amá-la. IMPORTANTE... Não adianta fazer ameaças que não pretende cumprir. Basta quebrar a promessa apenas uma vez para a criança perder o respeito pelos pais.
  8. 8. ATITUDES DOS PAIS QUE DIFICULTAM OS ESTABELECIMENTOS DE LIMITES 1 – Insistência; 2 – Perder a paciência e agredir; 3 – Nada fazer, ignorar; 4 – Explicações exageradas; 5 – Zanga prolongada; 6 – Nomear entidades utilizando-se de situações que provoquem medo para “frear” a criança; 7 – Chantagear; 8 – Ameaçar o filho com a perda do amor ou abandono; 9 – Comparações ou comentários negativos na presença de outros;
  9. 9. IMPORTANTE !!!!! Não coloque limites conforme seus desejos pessoais; Demonstre que você e os demais adultos também tem limites a respeitar; Diga qual punição a ser dada para cada limite ultrapassado e não deixe de executá-la; Dê punições brandas para as atitudes brandas e punições um pouco mais pesadas para atitudes um pouco mais pesadas;
  10. 10. Deixe claro que a punição é pelo ato e não pela pessoa; Justifique os motivos do limite “Não faça isso porque eu não quero ou não gosto” não é justificativa; Repita quantas vezes for necessário para que a criança entenda a regra; Use a autoridade sem provocar submissão e mal estar; Não esqueça de usar a afetividade para estabelecer limites.
  11. 11. Quanto mais afetivos somos com nossos filhos e elogiamos seus “bons comportamentos”, menos precisaremos punir comportamentos “indesejáveis”.

×