Segurança na reparacão naval

831 visualizações

Publicada em

segurança na reparação naval

Publicada em: Saúde e medicina
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
831
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
5
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
52
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Segurança na reparacão naval

  1. 1. PREVENÇÃO E SEGURANÇA A Lisnave é uma empresa reconhecida no mercado da reparação naval a nível mundial JC/DPS Ordem Engenheiros Slide # 1 of 48
  2. 2. PREVENÇÃO E SEGURANÇA Organização interna da Segurança, Higiene e Saúde Procedimentos e Regras Politica de Segurança, Higiene e Saúde no Trabalho Normas Internas Procedimentos de segurança Manual de Perigos/riscos Sistema de Autorizações de Trabalho Instruções de Trabalho Informações Internas (Ordens de Serviço, Ordens Permanentes…) Todas as empresas/clientes que efectuem trabalhos no estaleiro estão sujeitos aos sistema de segurança deste JC/DPS Ordem Engenheiros Slide # 2 of 48
  3. 3. PREVENÇÃO E SEGURANÇA Regulamentação de referência Legislação Nacional Toda a legislação aplicável no domínio da SHST. Seguem alguns exemplos: Regime jurídico da promoção da SST (Lei 102/2009), Equipamentos do trabalho (DL 50/2005) Equipamentos de Protecção Individual (DL 348/93) Regulamentação específica para estabelecimentos industriais (Portaria 53/71) Ruído no Trabalho (DL 182/2006) Agentes químicos e valores limites de exposição (DL 290/2001) Reparação de acidentes de trabalho (Lei 98/2009) Recipientes sobre pressão (DL 90/2010) E toda a outra Legislação generalista e especifica existente aplicável, que é bastante e abrange todas as áreas de trabalho JC/DPS Ordem Engenheiros Slide # 3 of 48
  4. 4. PREVENÇÃO E SEGURANÇA Regulamentação de referência Legislação Nacional Normas Portuguesas VLE de substâncias químicas Vestiários e refeitórios Segurança contra incêndios Extintores Equipamentos de protecção individual, etc. Outra regulamentação Regulamentos de segurança da APSS (Autoridade Portuária de Setúbal e Sesimbra) Trasfega ou abastecimento de substâncias perigosas a navios (Capitania do Porto de Setúbal, DL 14029 ) Etc. JC/DPS Ordem Engenheiros Slide # 4 of 48
  5. 5. PREVENÇÃO E SEGURANÇA Regulamentação de referência Interna MGQ/Procedimentos gerais da qualidade + processos e sub-processos dos sectores – ISO 9001: 2008 Procedimento PGQ 16 – Prevenção e Segurança Processo P10 – Gestão da Segurança e Saúde no Trabalho Manual de procedimentos técnicos de prevenção e segurança – cobre todas as principais actividades na Empresa Manual de Avaliação de Riscos na Reparação Naval – sobre todas as actividades que se desenvolvem na reparação naval Normas Lis; Pessoal dentro do estaleiro, Protecção individual, Pesquisas de gases/trabalhos a fogo, Navios inertizados, Andaimes, Ferramentas de manobras, outras JC/DPS Ordem Engenheiros Slide # 5 of 48
  6. 6. PREVENÇÃO E SEGURANÇA Regulamentação de referência Interna Basic Shipyard Safety Guide Rules Handbook – brochura com regras de segurança e outras indicações entregue ao cliente na recepção do navio. Informações e regras de segurança básicas para vendedores, técnicos externos e outras visitas – documento entregue na portaria a pessoas que não vão ao acolhimento de segurança Ordens internas (OS/OP/Informações); Prevenção e segurança em navios, Trabalhos por terceiros, Condições de higiene e segurança, Responsável eléctrico, Normas de acesso e circulação no estaleiro, Estrutura orgânica, Comissão de prevenção e segurança, etc. JC/DPS Ordem Engenheiros Slide # 6 of 48
  7. 7. PREVENÇÃO E SEGURANÇA Regulamentação de referência Internacional Directivas e Normas europeias (EN) Relacionadas com SHST; material combate a incêndios, andaimes, EPIs, etc. IMO code (International Maritime Organization) Produtos/substâncias perigosas OCIMF (Oil Companies International Marine Forum) Guia sobre Segurança, Saúde e Ambiente em estaleiros navais ISGOTT (International Safety Guide for Oil Tankers Terminals) Guia com recomendações para tankers e terminais portuários OHSA ( Occupational Health and Safety Administration ) Sistema de gestão de SHT (OHSA 18001«» NP4397) JC/DPS Ordem Engenheiros Slide # 7 of 48
  8. 8. PREVENÇÃO E SEGURANÇA Regulamentação de referência Internacional ACGIH (American Conference of Governmental Industrial Higienists) Valores Limites de Exposição VLE ISPS (International Shipping and Port Facilities Security Code) Código Internacional de Protecção de navios/portos Exigências contratuais de clientes Requisitos específicos de alguns clientes como sejam BP, Chevron, Shell... Outras publicações/regulamentos Por ex: Fichas de segurança de produtos (MSDS) JC/DPS Ordem Engenheiros Slide # 8 of 48
  9. 9. PREVENÇÃO E SEGURANÇA Identificação de perigos/apreciação do risco A identificação dos perigos é feita regularmente pelo técnico de segurança durante a sua inspecção diária aos locais de trabalho. Antes do inicio das actividades a apreciação do risco é feita pelo técnico de segurança/quimico com a colaboração da equipa da gestão do projecto e dos supervisores do trabalho. Como medida preventiva e de controlo dos perigos/riscos o estaleiro tem implementado um sistema de autorizações de trabalho. O técnico de segurança pode parar qualquer trabalho desde que o mesmo esteja a decorrer sem as requeridas condições de segurança JC/DPS Ordem Engenheiros Slide # 9 of 48
  10. 10. PREVENÇÃO E SEGURANÇA Tipos de navios Transporte de cargas perigosas: Tankers; Quimicos; LNG; LPG; OBO; OO Requerem certificados de desgasificação; para a sua entrada no estaleiro, diários e adicionais se o trabalho o justificar JC/DPS Ordem Engenheiros Slide # 10 of 48
  11. 11. PREVENÇÃO E SEGURANÇA Tipos de navios Transporte de cargas não perigosas: Carga geral; Passageiros; Containers; Graneleiros; RoRo; etc São admitidos no estaleiro sem certificado de desgasificação JC/DPS Ordem Engenheiros Slide # 11 of 48
  12. 12. PREVENÇÃO E SEGURANÇA Perigos/riscos da reparação naval A reparação naval apresenta vários perigos/riscos, nomeadamente mas não limitado aos seguintes: • Incêndios/Explosões • Exposição a atmosferas perigosas em espaços confinados • Exposição a poeiras, vapores ou gases inflamáveis/tóxicos/corrosivos • Queda de pessoas ao mesmo ou a diferentes níveis • Escorregadelas e tropeçamentos • Choques por ou contra objectos • Queda de objectos • Electrocussões • Etc. JC/DPS Ordem Engenheiros Slide # 12 of 48
  13. 13. PREVENÇÃO E SEGURANÇA Perigos/riscos da reparação naval Alguns dos principais perigos Trabalhos a Fogo (soldadura/corte/limagem…) Fugas de oxigénio/acetileno, gases ou vapores inflamáveis, substâncias sólidas ou liquídas combustiveis… Espaços confinados (Tanques de carga/lastro/ combustível, coferdames, etc.) Existência de resíduos de carga/bancas, falta de oxigénio, inertizado, gases ou vapores tóxicos/inflamáveis… Trabalhos em Altura (Montagem de andaimes/escadas/mastros…) Não uso de protecções/arnês de segurança… Movimentações mecânicas de cargas (Uso de guindastes/porticos/aparelhos de elevação…) Utilização incorrecta do equipamento, equipamentos não inspeccionados/certificados…. JC/DPS Ordem Engenheiros Slide # 13 of 48
  14. 14. PREVENÇÃO E SEGURANÇA Perigos/riscos da reparação naval Alguns dos principais perigos Movimentações manuais de cargas Muito pesadas, com formas irregulares, más posturas… Uso de substâncias Quimícas (Decapagens/pinturas/desengordurantes…) Poeiras, vapores e ou gases inflamáveis/tóxico/corrosivos… Aberturas (tampas rasas/periferias de pisos/estrados…) Equipamento retirado e não colocadas protecções… Arrumação (Items dos andaimes/equipamentos/ mangueiras/cabos/sucatas…) Equipamento mal arrumado, quedas/tropeçamentos, dificuldade nas emergências… JC/DPS Ordem Engenheiros Slide # 14 of 48
  15. 15. PREVENÇÃO E SEGURANÇA Algumas recomendações/Perigos/riscos da rempaerdaiçdãaos nparevvaelntivas Alguns dos principais perigos Limpeza (resíduos de carga /plasticos/papeis…) Escorregadelas/quedas/tropeçamentos/ risco de incêndio/dificuldade nas emergências…. Ruído elevado (equipamentos e ou actividades ruidosas…) Fadiga, surdez profissional… Abertura de encanamentos, válvulas, bombas… Derrames, misturas tóxicas e ou inflamáveis… Comportamentos Inseguros Não uso ou uso incorrecto dos EPIs e EPCs, bricadeiras perigosas, desrespeito por protecções/sinalizações, uso de alcool ou drogas… Etc. JC/DPS Ordem Engenheiros Slide # 15 of 48
  16. 16. PREVENÇÃO E SEGURANÇA Inconformidades registadas (anos 2008/9/10) JC/DPS Ordem Engenheiros Slide # 16 of 48
  17. 17. PREVENÇÃO E SEGURANÇA Recomendações/medidas preventivas para eliminação/controlo dos perigos/riscos Perigos/riscos da reparação naval Alguns dos principais perigos Apreciação prévia dos perigos/riscos Pesquisas de gases Ventilação e Iluminação adequadas Permissões de: entrada em espaços confinados; trabalho a fogo; andaimes; encravamento/etiquetagem (LoTo)... Vigilância de Bombeiro com meios adequados Arrumações e limpezas Teste e inspecção de equipamentos Colocação de protecções/sinalização Utilização correcta de EPCs e EPIs Informação, formação e treino Supervisão, vigilância, etc. JC/DPS Ordem Engenheiros Slide # 17 of 48
  18. 18. PREVENÇÃO E SEGURANÇA Organização interna da Segurança, Higiene e Saúde Serviços/entidades da área de Prevenção e Segurança Prevenção e Segurança – Serviço interno Pesquisas de gases – Serviço externo – Gaslimpo Bombeiros – Pessoal interno e externo Medicina - Serviço externo – Sagies Vigilância – Serviço externo - Prosegur JC/DPS Ordem Engenheiros Slide # 18 of 48
  19. 19. PREVENÇÃO E SEGURANÇA Sistema de autorizações de trabalho Pesquisa de gases – certificados de desgaseificação Autorizações para entrada em espaços confinados Autorizações para trabalhos a fogo Decapagens por abrasivos e pinturas em espaços confinados Aprovação de andaimes Encravamento/Etiquetagem (Lockout/Tagout) Consignações eléctricas Entradas a bordo dos navios Trasfega de combustíveis ou abastecimento de outras substâncias perigosas. JC/DPS Ordem Engenheiros Slide # 19 of 48
  20. 20. PREVENÇÃO E SEGURANÇA Certificado de desgasificação JC/DPS Ordem Engenheiros Slide # 20 of 48
  21. 21. PREVENÇÃO E SEGURANÇA Certificado de desgasificação • Todos os navios que tenham transportado cargas perigosas para serem autorizados a entrar no estaleiro necessitam dum certificado de desgasificação emitido por entidade certificada (Gaslimpo); • Este certificado tem de apresentar valores seguros e de acordo com as normas da empresa; • Um certificado de desgasificação é válido, em principio, por um período de 24 horas; • Um novo certificado deve ser emitido sempre que se registem alterações no espaço que o justifiquem, mesmo dentro do período de validade das 24 horas. JC/DPS Ordem Engenheiros Slide # 21 of 48
  22. 22. PREVENÇÃO E SEGURANÇA Certificado de entrada • Base do certificado de entrada que é colocada (com o cartão colorido colado) junto à entrada do espaço confinado, como por ex. na tampa da escotilha do espaço confinado em questão JC/DPS Ordem Engenheiros Slide # 22 of 48
  23. 23. PREVENÇÃO E SEGURANÇA Certificado de entrada - Cores • Cartão vermelho – não é seguro para pessoas nem para fazer fogo – não é permitida a entrada de pessoas JC/DPS Ordem Engenheiros Slide # 23 of 48
  24. 24. PREVENÇÃO E SEGURANÇA Certificado de entrada - Cores • Cartão branco com IG a vermelho – espaço inertizado e fechado – Proibida a entrada de pessoas (o espaço pode conter gases inflamáveis) JC/DPS Ordem Engenheiros Slide # 24 of 48
  25. 25. PREVENÇÃO E SEGURANÇA Certificado de entrada - Cores • Cartão amarelo – trabalhos especiais (pintura por exemplo) – libertação de gases/vapores tóxicos – entrada reservada, proibido trabalhos a fogo JC/DPS Ordem Engenheiros Slide # 25 of 48
  26. 26. PREVENÇÃO E SEGURANÇA Certificado de entrada - Cores • Cartão azul – seguro para pessoas mas não para fazer fogo – só permitidos trabalhos a frio, trabalhos a fogo proibidos JC/DPS Ordem Engenheiros Slide # 26 of 48
  27. 27. PREVENÇÃO E SEGURANÇA Certificado de entrada - Cores • Cartão preto – seguro para pessoas e para fazer fogo – é requerida uma autorização para trabalho a fogo JC/DPS Ordem Engenheiros Slide # 27 of 48
  28. 28. PREVENÇÃO E SEGURANÇA Autorizações de trabalhos a fogo Prevenção e Segurança Técnico da Prevenção e Segurança emite autorizações de trabalhos a fogo em: -Navios de cargas perigosas – em áreas abertas tais como: casa da máquina, casario e convés. -Navio de cargas não perigosas – em todo o navio. Químicos (Gaslimpo) Técnico químico emite autorizações de trabalhos a fogo em: -Navios de cargas perigosas – em espaços confinados e itens associados (tubagens, bombas, válvulas, etc.) -Navios de cargas não perigosas – quando requerido pelo cliente ou pela Prevenção e Segurança. JC/DPS Ordem Engenheiros Slide # 28 of 48
  29. 29. PREVENÇÃO E SEGURANÇA Colocação dos certificados e ATFogo a bordo • Certificados de desgasificação e autorizações para trabalhos a fogo são colocadas numa caixa a bordo perto do portaló de acesso Ex. de colocação do certificado de entrada na tampa duma escotilha Cartão azul – neste caso o espaço confinado está classificado seguro para pessoas mas não para fogos JC/DPS Ordem Engenheiros Slide # 29 of 48
  30. 30. PREVENÇÃO E SEGURANÇA Andaimes • Os andaimes são montados de acordo com regras de segurança especificas, tanto nacionais como do estaleiro Montadores de andaimes têm de usar arnês de segurança • Andaimes com mais de 2 m de altura tem de ser aprovados previamente pelo técnico de segurança antes do seu uso pelos trabalhadores. Após a aprovação é colocada no andaime etiqueta adequada. • Se o andaime estiver, ou tornar-se, inseguro é colocada neste, pelo técnico de segurança, uma etiqueta proibindo o seu uso. JC/DPS Ordem Engenheiros Slide # 30 of 48
  31. 31. PREVENÇÃO E SEGURANÇA Acidentes Andaimes – Docu mmeanist os edvee aropsrovação JC/DPS Ordem Engenheiros Slide # 31 of 48
  32. 32. PREVENÇÃO E SEGURANÇA Andaimes - Etiquetas ETIQUETA DE APROVAÇÃO Colocada pelo técnico de segurança depois do andaime aprovado ETIQUETA DE REPROVAÇÃO Colocada pelo técnico de segurança se o andaime estiver inseguro JC/DPS Ordem Engenheiros Slide # 32 of 48
  33. 33. PREVENÇÃO E SEGURANÇA Encravamento/Etiquetagem (LockOut/TagOut) É aplicado em sistemas e ou equipamentos energizados, como por ex: em hélices, lemes, válvulas de carga/lastro/stripping, etc. Usado onde pode haver incompatibilidade de trabalhos Existem modelos especificos de lock out/tag out que devem ser assinados por representantes do estaleiro e do navio (ver ex. ao lado) JC/DPS Ordem Engenheiros Slide # 33 of 48
  34. 34. PREVENÇÃO E SEGURANÇA Encravamento/Etiquetagem – Etiquetas/dispositivos • Etiqueta a colocar pela técnico químico (para selar portas de interruptores, por ex.) • Dispositivos para colocar em válvulas ou outros equipamentos • Chemist entity label to be posted at valve control room door as a seal JC/DPS Ordem Engenheiros Slide # 34 of 48
  35. 35. PREVENÇÃO E SEGURANÇA Termo de responsabilidade para trasfegas/abastecimento de combustíveis e similares Estaleiro tem de ser notificado em avanço. Deve ser aprovado pela Gestão do Projecto e Autoridades Portuárias. Não são permitidos trabalhos a fogo no navio e áreas vizinhas JC/DPS Ordem Engenheiros Slide # 35 of 48
  36. 36. PREVENÇÃO E SEGURANÇA Autoridade Portuária – Autorização para trasfega/abastecimento de combustíveis e similares JC/DPS Ordem Engenheiros Slide # 36 of 48
  37. 37. PREVENÇÃO E SEGURANÇA Paragem de trabalho • O técnico de segurança pode em qualquer altura parar um trabalho que ele considere esteja a ser executado de forma insegura ou sem os meios de assistência requeridos JC/DPS Ordem Engenheiros Slide # 37 of 48
  38. 38. PREVENÇÃO E SEGURANÇA Informação, formação e treino Todos os funcionários das firmas subempreiteiras e funcionários do cliente (se necessário) antes de iniciarem a actividade no estaleiro recebem acolhimento de segurança nas instalações da Prevenção e Segurança; Este acolhimento aborda as regras/procedimentos de segurança/emergências da empresa; Todos os anos estes funcionários devem ter acções de refrescamento. Anualmente na escola profissional existente nas instalações do estaleiro (Solisform) são ministrados diversos cursos tais como: combate a incêndios, primeiros socorros, higiene e segurança, manobras, chefias, etc. Os funcionários da empresa, e de outras empresas colaboradoras, assistem a esses cursos. JC/DPS Ordem Engenheiros Slide # 38 of 48
  39. 39. PREVENÇÃO E SEGURANÇA Informação, formação e treino Muito pessoal novo no estaleiro Número significativo com desconhecimento de estaleiros/navios DPS em 2009 e 2010 deu formação de acolhimento a cerca de 2800 pessoas 30 % de estrangeiros Problemas de língua Necessidade de tradutor Alguns com permanência curta no estaleiro JC/DPS Ordem Engenheiros Slide # 39 of 48
  40. 40. PREVENÇÃO E SEGURANÇA EPIs Recomendados EPIs a ser usados de forma permanente • Capacete • Calçado de segurança • Fato de trabalho EPIs a ser usados de acordo com a apreciação do risco • Protecção ocular ( recomendado em várias situações) • Luvas ( tipo a definir de acordo com risco em presença) • Protecção auricular (o ruido pode ser elevado em muitas zonas) • Protecção respiratória/máscaras (poeiras, fumos, vapores ou gases tóxicos existentes em vários ambientes) • Arnês de segurança (em trabalhos a mais de 2 m de altura) • Outros de acordo com o risco/actividade JC/DPS Ordem Engenheiros Slide # 40 of 48
  41. 41. PREVENÇÃO E SEGURANÇA Acidentes de pessoal da Lisnave – Evolução do quantitativo de trabalhadores/horas de exposição TRABALHADORES e HORAS EXPOSIÇÃO 2.706.528 2.613.600 2.245.760 1.160 2.094.752 1.802.416 931 1.531.376 1.268.080 1.035.760 847.161 438 364 312 337 655 535 791 1.082 703.736604.839 652.432 334 1.400 1.398 1.350 3.000.000 2.500.000 2.000.000 1.500.000 1.000.000 647.431 1.478.400 3.000 2.500 2.000 1.500 1.000 500 0 2.º Sem- 1997 1998 1999 2000 2001 2002 2003 2004 2005 2006 2007 2008 2009 2010 500.000 0 Trabalhadores Horas/Exposição JC/DPS Ordem Engenheiros Slide # 41 of 48
  42. 42. PREVENÇÃO E SEGURANÇA Acidentes de pessoal da Lisnave – Evolução do número de acidentes com e sem baixa EVOLUÇÃO DOS ACIDENTES 36 76 71 67 47 35 33 23 16 17 6 6 4 5 81 174 158 155 121 87 97 84 54 22 26 36 29 20 100 1 2.º Sem- 1997 1998 1999 2000 2001 2002 2003 2004 2005 2006 2007 2008 2009 2010 Aci/Com/Baixa Aci/Sem/Baixa JC/DPS Ordem Engenheiros Slide # 42 of 48
  43. 43. PREVENÇÃO E SEGURANÇA Acidentes de pessoal da Lisnave – Evolução da Frequência e Gravidade INDICES - FREQUÊNCIA E GRAVIDADE 5.89 54.79 60.45 69.02 57.76 48.27 63.34 66.24 52.14 42.49 41.21 33.07 33.72 64.29 40.16 4.73 1.21 1.23 0.94 0.93 0.77 1.11 0.93 1.09 1.35 1.00 0.85 0.86 80.00 70.00 60.00 50.00 40.00 30.00 20.00 10.00 0.00 2.º Sem- 1997 1998 1999 2000 2001 2002 2003 2004 2005 2006 2007 2008 2009 2010 7.00 6.00 5.00 4.00 3.00 2.00 1.00 0.00 Ind/Frequência Ind/Gravidade JC/DPS Ordem Engenheiros Slide # 43 of 48
  44. 44. PREVENÇÃO E SEGURANÇA Formas dos acidentes mais frequentes (anos de 2008/9/10) 16 8 8 6 14 12 34 2 0 10 20 30 40 Outras formas Contactos ou exposições Hiper esforços Entaladelas Pancadas por objectos Choques contra objectos Quedas de objectos Quedas de pessoas Forma dos acidentes Percentagens JC/DPS Ordem Engenheiros Slide # 44 of 48
  45. 45. PREVENÇÃO E SEGURANÇA Acidentes com maior severidade (mais dias perdidos) – Alguns exemplos anos 2008/9/10) Queda de objectos - Depois de desligar as manilhas dum contentor de máquinas de soldar uma manilha prendeu-se na cobertura do contentor e provocou a sua queda e nesta atingiu o sinistrado que caiu e sofreu fractura da bacia. Mais de 400 DPU. Entaladelas - Ao desatar um cabo de sisal que suportava mangueira de lastro sofreu entaladela na mão e lesão numa perna. Mais de 200 DPU. Hiperesforços - Ao apertar uma peça na bucha do torno sofreu traumatismo na coluna lombar. Mais de 150 DPU. JC/DPS Ordem Engenheiros Slide # 45 of 48
  46. 46. PREVENÇÃO E SEGURANÇA Acidentes com maior severidade (mais dias perdidos) – Alguns exemplos anos 2008/9/10) Queda de pessoas - Ao subir a escada dum túnel escorregou e na queda sofreu luxação no ombro. Mais de150 DPU. Choques contra objectos - Ao subir um andaime colocou mal o pé no piso e bateu com o joelho num tubo do andaime dando uma torção e sofrendo contusão. Mais de 100 DPU. Queda de pessoas - Quando se deslocava no convés colocou o pé numa abertura tendo caído e batido com a perna numa escotilha. Mais de 100 DPU. JC/DPS Ordem Engenheiros Slide # 46 of 48
  47. 47. PREVENÇÃO E SEGURANÇA Acidentes envolvendo incêndios – Exemplos de algumas causas Incêndios a bordo Trabalho a fogo sem autorização; Não efectuada a requerida apreciação do risco por técnico competente Manuseamento do sistema hidráulico com trabalhos a fogo a decorrer no espaço confinado. Entidades envolvidas não tiveram em consideração a incompatibilidade dos trabalhos. Possível fuga de oxigénio nas mangueiras maçaricos com enriquecimento da atmosfera/existência de massa anti-oxidante Mangueiras mal fechadas e ou fechadas de forma incorrecta. JC/DPS Ordem Engenheiros Slide # 47 of 48
  48. 48. PREVENÇÃO E SEGURANÇA Acidentes - Consequências Os acidentes graves e ou fatalidades transitam para tribunal de trabalho ou outras instâncias. As violações grosseiras são presentemente punidas de forma mais gravosa originando coimas às empresas e penalizações criminais aos intervenientes. Descaracterização do acidente (DL 98/2009) Se for dolosamente provocado pelo Sinistrado ou provier do seu acto ou omissão, que importe violação, sem causa justificativa, das condições de segurança estabelecidas pela entidade empregadora ou previstas na lei Provier exclusivamente de negligência grosseira do sinistrado. JC/DPS Ordem Engenheiros Slide # 48 of 48

×