Morte após queda de torre de transmissão de energia durante sua instalação

325 visualizações

Publicada em

Morte após queda de torre de transmissão de energia durante sua instalação

Publicada em: Saúde e medicina
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
325
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
3
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
3
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Morte após queda de torre de transmissão de energia durante sua instalação

  1. 1. Resumo de Acidente Analisado Inspeção nº: 109905474 Morte após queda de torre de transmissão de energia durante sua instalação Palavras-chave: Morte Queda Torre de energia 1. Dados do empregador Razão Social: Toshiba Infraestrutura América do Sul Ltda Número de empregados: 187 CNPJ: 08.870.769/0005-04 CNAE: 41.21-9-02 Grau de Risco: 04 End.: Estrada Velha do Barigui N.º 10511 Bairro: Cic Município: Curitiba UF: PR 2. Informações sobre o Acidente do Trabalho N.º de trabalhadores acidentados: 03 Data do Acidente: 15/02/2013 Hora aproximada: 09:00 Local do Acidente: Frente de trabalho em Chupinguaia/RO, referente à Linha de Transmissão 600kVCC – C1 – Coletora Porto Velho/Araraquara 2 – Trecho 1B. Zona Rural de Chupinguaia - Local da montagem da torre 538/1. 3. Informações sobre o Acidentado 01 Sexo: Masculino Idade: 28 anos Escolaridade: Ensino médio incompleto Ocupação: Montador de estruturas metálicas CBO: 724205 Tempo na Função: 15 dias Horas após início da jornada de trabalho: 02 horas Tipo de jornada do acidentado: 07:00 as 12:00 – 13:00 às 15:20, repouso semanal aos domingos. 4. Informações sobre o Acidentado 02 Sexo: Masculino Idade: 19 anos Escolaridade: Ensino médio incompleto Ocupação: Montador de estruturas metálicas CBO: 724205 Tempo na Função: 15 dias Horas após início da jornada de trabalho: 02 horas Tipo de jornada do acidentado: 07:00 as 12:00 – 13:00 às 15:20, repouso semanal aos domingos. 5. Informações sobre o Acidentado 03 Sexo: Masculino Idade: 30 anos Escolaridade: Ensino médio incompleto Ocupação: Montador de estruturas metálicas CBO: 724205
  2. 2. Resumo de Acidente Analisado Inspeção nº: 109905474 Tempo na Função: 15 dias Horas após início da jornada de trabalho: 02 horas Tipo de jornada do acidentado: 07:00 as 12:00 – 13:00 às 15:20, repouso semanal aos domingos. 6. Resumo da Análise O acidente ocorreu no local de montagem e instalação da torre autoportante de suspensão leve SL6 de número 538/1, situado no município de Chupinguaia/RO. O trajeto entre o pátio/administrativo e o local de trabalho era realizado parte de veículo e parte a pé. O trecho em que o deslocamento era realizado a pé possuía aproximadamente 200 metros, sendo observadas as seguintes características: a) Pavimentação inexistente; b) desenvolvimento topográfico irregular e lamacento em virtude do período chuvoso; c) De difícil acesso a pé e de acesso impraticável para veículos comuns. Os trabalhadores andavam pelas laterais, pois na parte central, o solo lamacento por vezes chegava a ser movediço, levando-os a transitar por uma faixa de solo pequena e provocando o contato intenso de membros e partes do corpo(braços e pescoço, entre outros) com a vegetação. Os trabalhadores vitimados, montadores, executavam tarefas de pré-montagem, montagem e desmontagem de equipamentos, estruturas metálicas, das próprias torres autoportantes, bem como atividades necessárias ou facilitadoras da tarefa principal. A equipe que laborava no local no dia do acidente era formada por trinta e oito empregados, realizava o içamento de componentes estruturais relativos aos projetos BLR6542- PVA-113-300(N° IE Madeira LTRA1- LT3-0576) e BL-R6542-PVA-113-04-302(N° IE Madeira LTRA1-LT3-0578). Havia trabalhadores laborando em altura na estrutura da torre e no solo. Os três trabalhadores acidentados utilizavam cintos de segurança tipo paraquedista com duplo talabarte acoplados à estrutura do no pé “D” da torre, em alturas que variavam de 11 a 12,5m do solo, exatamente nos componentes relativos aos dois projetos a pouco citados. Iniciaram os trabalhos por volta das 07:30, e que por volta das 09:00, realizavam o içamento da segunda travessa, que seria posicionada para depois ser apertada, ajustada e travada entre os pés “A” e “D” Nesse momento, ocorreu a instabilidade do pé “D” da torre, que girou no sentido para fora da torre, vindo a tombar devido ao rompimento do stub (cantoneira que fica concretada na fundação do pé). Os trabalhadores, que estavam com os mosquetões dos talabartes do cinto de segurança tipo paraquedista fixados à estrutura do pé da torre D, caíram juntamente a estrutura tombada. Os trabalhadores 1 e 2 faleceram devido ao impacto da queda, e o terceiro sofreu graves ferimentos e foi levado ao hospital de Vilhena/RO. No dia anterior ao acidente, aproximadamente por volta das 09h30min, o fiscal da empresa Sistema Pri Engenharia(empresa contratada para fiscalização de qualidade, produção e segurança no trabalho), após vistoriar as condições de trabalho relativos à montagem da torre 538/1, determinou a paralisação imediata dos serviços, de forma verbal e posteriormente formalizada pela empresa. No entanto, no dia seguinte, as atividades foram retomadas sem o integral saneamento das irregularidades constatadas pelo fiscal da Sistema Pri Engenharia. O relatório de análise de acidentes e incidentes elaborado pela Toshiba, aponta como causas para o acidente: 01-O estaiamento inadequado e 02-O parafusamento do stub com a estrutura do pé da torre D:”Constatou-se também que apenas um parafuso foi colocado na estrutura do pé da torre d, que prende o topo e a base do concreto. A colocação de um parafuso único pode ter causado estresse de cisalhamento, a força não foi distribuída ao longo da peça e uma ruptura ocorreu no local de menor resistência”. 7. Fatores que Contribuíram para Ocorrência do Acidente Uso impróprio / incorreto de equipamentos / materiais / ferramentas Falha na antecipação / detecção de risco / perigo Tarefa mal concebida Falta ou inadequação de analise de risco da tarefa Falhas na coordenação entre membros de uma mesma equipe Procedimentos de trabalho inexistentes ou inadequados
  3. 3. Resumo de Acidente Analisado Inspeção nº: 109905474 Falha na seleção de pessoal Ausência / insuficiência de treinamento Outros fatores da organização e do gerenciamento não especificados Inexperiente por ter pouco tempo na empresa 8. Autos de Infração Nº AI NR Item Descrição da Ementa 02527677-8 CLT Art. 59, caput c/c art. 61 Prorrogar a jornada normal de trabalho, além do limite legal de 2 (duas) horas diárias, sem qualquer justificativa legal. 02527678-6 CLT Art. 66 Deixar de conceder período mínimo de 11 (onze) horas consecutivas para descanso entre duas jornadas de trabalho. 02527682-4 CLT Art. 444 Manter empregado trabalhando sob condições contrárias às disposições de proteção ao trabalho. 02527679-4 NR-7 7.4.4.3 Providenciar a emissão de Atestado de Saúde Ocupacional sem o conteúdo mínimo previsto na NR-7. 02527681-6 NR-35 35.4.1.2 Deixar de avaliar o estado de saúde dos trabalhadores que exercem atividades em altura ou avaliar o estado de saúde dos trabalhadores que exercem atividades em altura em desconformidade com o previsto na NR-35. 02527680-8 NR-35 35.4.1.2.1 Deixar de consignar a aptidão para trabalho em altura no atestado de saúde ocupacional do trabalhador. 02527516-0 NR-35 35.4.5.1, alínea a Elaborar Análise de Risco para trabalho em altura sem considerar o local em que os serviços serão executados e seu entorno 02527517-8 NR-35 35.4.5.1, alínea b Elaborar Análise de Risco para trabalho em altura sem considerar o isolamento e a sinalização no entorno da área de trabalho. 02527515-1 NR-35 35.4.5.1, alínea d Elaborar Análise de Risco para trabalho em altura sem considerar as condições meteorológicas adversas. 02527518-6 NR-35 35.4.5.1, alína i Elaborar Análise de Risco para trabalho em altura sem considerar os riscos adicionais. 02527519-4 NR-35 35.4.5.1 Elaborar Análise de Risco para trabalho em altura sem considerar as condições impeditivas. 02527520-8 NR-35 35.4.5.1, alínea l Elaborar Análise de Risco para trabalho em altura sem considerar a necessidade de sistema de comunicação. 02527521-6 NR-35 35.4.5.1, alína m Elaborar Análise de Risco para trabalho em altura sem considerar a forma de supervisão. 02527522-4 NR-35 35.6.2 Deixar de assegurar que a equipe para respostas em caso de emergências para trabalho em altura possua os recursos necessários para as respostas a emergências. 02527676-0 NR-18 18.4.2.11.2, alínea b Manter local para refeições com piso constituído de material inadequado.
  4. 4. Resumo de Acidente Analisado Inspeção nº: 109905474 02527400-7 NR-18 18.4.2.11.2, alínea f Deixar de providenciar a instalação de lavatório nas proximidades ou no interior do local para refeições. 02527525-9 NR-18 18..4.2.11.2, alínea g Deixar de dotar o local para refeições de mesas com tampos lisos e laváveis. 02527524-1 NR-18 18.4.2.11.2, alínea h Deixar de dotar o local para refeições de assentos em número suficiente para atender aos usuários. 02527523-2 NR-18 18.4.2.11.2, alína i Deixar de dotar o local para refeições de depósito com tampa para detritos. 02527683-2 NR-18 18.28.3 Deixar de submeter os trabalhadores a treinamento periódico.

×