Successfully reported this slideshow.

Intoxicacoes e seus mecanismos de açao

652 visualizações

Publicada em

INTOXICACOES E SEUS MECANISMOS DE AÇAO

Publicada em: Saúde e medicina
  • Seja o primeiro a comentar

Intoxicacoes e seus mecanismos de açao

  1. 1. Intoxicações e seus mecanismos de ação
  2. 2. 0,5 Kg/habitante 15 Kg/habitante 50 Kg/habitante
  3. 3. Produção da industria química Estamos EEEssstttaaammmooosss cccceeeerrrrccccaaaaddddoooossss ppppoooorrrr ssssuuuubbbbssssttttâânnnncccciiiiaaaassss qqqquuuuíímmmmiiiiccccaaaassss 11 milhões de substâncias químicas catalogadas no CAS 80.000 usadas quotidianamente Slogan comemorativo do 75 aniversário da Associação Americana de Química foi: “Chemistry, key to better living” Assim… Fibras sintéticas para vestuário Alimentos – fertlizantes e pesticidas Embalagens plásticas Veículos componentes sintéticos Combustíveis orgânicos No trabalho, vários produtos sintéticos
  4. 4. Interação químico-biológico PPPPoooorrrr oooouuuuttttrrrroooo llllaaaaddddoooo…. Informações toxicológicas 7.000 Incorporamos outras 1.000 a cada ano Intoxicações vem ganhando mais espaço dentro das estruturas da saúde pública São apenas uma fração do problema Efeitos crônicos Efeitos reprodutivos Efeitos imunológicos Efeitos teratogênicos Efeitos genotóxicos Efeitos carcinogênicos
  5. 5. Mercúrio Doença de Minamata
  6. 6. Chumbo Linhas de Burton
  7. 7. Cádmio Sídrome de Itai-Itai
  8. 8. Arsênio dermatites
  9. 9. Arsênio dermatites
  10. 10. Úlcera do cromo
  11. 11. Depende de: •• concentração do agente no ambiente; •• tempo de exposição ao agente; •• estado físico (sólido-líquido-gasoso) do agente; •• solubilidade (lipo e hidrossolubilidade); •• afinidade por moléculas orgânicas; •• susceptibilidade individual.
  12. 12. Caracteriza-se por: •• presença do agente químico ou seus produtos de biotransformação nos sítios ou órgãos de ação; •• interação com o organismo; •• produção de efeito tóxico; •• quebra da homeostase expressa através de sinais ou sintomas como os das intoxicações.
  13. 13. DL-50: dose (quantidade) de uma substância, em mg/kg, necessária para provocar a morte de 50% dos animais expostos (experimentos laboratoriais) CL-50: concentração de uma substância, em mg/m3 de ar ou ppm (parte por milhão parte de ar), capaz de provocar a morte de 50% dos expostos
  14. 14. Classificação dos Agentes Tóxicos • Potencial tóxico - extremamente tóxico, muito tóxico, moderadamente tóxico • Classificação baseada da Dose Letal Média, DL50 • Definição: Dose que irá matar 50% dos animais em experimentação
  15. 15. Classificação de agentes tóxicos (grau de toxicidade): 1. Extremamente tóxico: < 1 mg/Kg (DL-50) 2. Altamente tóxico: 1-50 mg/Kg (DL-50) 3. Moderadamente tóxico: 50-500 mg/Kg (DL-50) 4. Ligeiramente tóxico: 0,5-5 g/Kg (DL-50) 5. Praticamente não tóxico: 5-15 g/Kg (DL-50) 6. Relativamente não tóxico: > 15 g/Kg (DL-50)
  16. 16. Mouse; LD50: 4,000 mg/kg Rat; LD50: 3,000 mg/kg Ingestão de altas doses causa vomitos, diarréia e prostração. Além disso ocorre desidratação da maioria dos orgão internos. Soluções hipertônicas de sal podem produzir forte reação inflamatória no trato gastrintestinal
  17. 17. TOXICODINÂMICA - Conceitos Mutagenicidade • capacidade de induzir mudanças ou mutações no material genético das células (cromossomos) que podem ser transmitidas durante a divisão celular Carcinogenicidade • capacidade de produzir câncer ou tumores em animais de laboratório ou no homem Teratogenicidade • capacidade de desenvolver uma má formação no embrião ou feto em desenvolvimento (1o trimestre da gestação, com fases críticas do 20o - 40o dias)
  18. 18. TOXICODINÂMICA - Conceitos Efeito Aditivo (2 + 3 = 5): efeito tóxico final é igual a soma dos efeitos produzidos separadamente(Pb + As = alteração na síntese do HEME ( > aditivo COPRO-U)) Efeito Sinérgico (2 + 3 = 10): efeito final é maior que os efeitos individuais (CCl4 + clorados aromáticos = hepatoxicidade sinérgica) Potenciação (3 + 0 = 8): um agente tóxico tem seu efeito aumentado por interagir com outro agente que, originalmente, não produziria aquele efeito (CCl4 + propanolol = > hepatotoxicidade do CCl4))
  19. 19. TOXICODINÂMICA
  20. 20. TOXICODINÂMICA
  21. 21. a) INTERAÇÕES RECEPTORES • neuroreceptores e neurotransmissores: - atropina (bloqueio de recept. muscarínicos da acetilcolina-ACh); - curare (bloqueio de recept. nicotínicos) TOXICODINÂMICA
  22. 22. a) INTERAÇÕES RECEPTORES • neuroreceptores e neurotransmissores: - organofosforados (inibição da enzima acetilcolinesterase na fenda sináptica, com > da ACh) TOXICODINÂMICA
  23. 23. Inseticidas são neurotóxicos! Organoclorados Piretróides Retardam o fechamento de canais de Na+ Inibem a enzima de degradação da acetilcolina Carbamatos Organofosforados Neonicotinóides Agonistas nAChR
  24. 24. Toxicodinâmica: Interação Receptores • proteínas transportadoras: MONÓXIDO CARBONO - CO (afinidade pelo Heme da Hb 200 - 250 vezes superior a do oxigênio - ASFIXIANTE QUÍMICO)
  25. 25. Toxicodinâmica: Monóxido de Carbono concentração atmosférica CO (ppm) concentração carboxi-Hb Concentrações Ambientais x Ação Tóxica (%) sinais e sintomas 50-250 5 - 25 cefaléia - tonteira 500 50 náuseas - síncope 1.000 - 10.000 50 - 100 coma - morte concentração carboxi-Hb (%) não fumantes 1 - 2 fumantes 5 - 10 nível de ação > 10
  26. 26. TOXICODINÂMICA b) INTERFERÊNCIA NAS FUNÇÕES DAS MEMBRANAS
  27. 27. Toxicodinâmica: Interferência Membranas
  28. 28. Toxicodinâmica: Interferência Membranas b) INTERFERÊNCIA NAS FUNÇÕES MEMBRANAS • membranas excitáveis : - bloqueio fluxo iônico de sódio (DDT); - fluidez da membrana (solventes orgânicos) • membranas organelas: - lisossomas (tetracloreto de carbono)
  29. 29. ORGANOCLORADOS:
  30. 30. ORGANOCLORADOS:
  31. 31. Neonicotinóides:
  32. 32. TOXICODINÂMICA c) COMPLEXAÇÃO COM BIOMOLÉCULAS • componentes enzimáticos (ALA-d e Heme-sintetase): CHUMBO - Pb (diminuição na síntese do heme por inibição enzimática) Pb Pb
  33. 33. Metais •Aspectos gerais da toxicologia AAAssspppeeeccctttooosss gggeeerrraaaiiisss dddaaa tttoooxxxiiicccooolllooogggiiiaaa ddddoooossss mmmmeeeettttaaaaiiiissss • LLLLiiiiggggaaaaççççããããoooo aaaa pppprrrrooootttteeeeínnnnaaaassss • AAAAffffiiiinnnniiiiddddaaaaddddeeee ppppeeeelllloooo ggggrrrruuuuppppoooossss ssssuuuullllffffiiiiddddrrrriiiillllaaaa oooouuuu ttttiiiioooollll ((((--SSSSHHHH)))) - cccciiiisssstttteeeeínnnnaaaa – pppprrrrooootttteeeeínnnnaaaassss • EEEEssssppppécccciiiieeee qqqquuuuímmmmiiiiccccaaaa – CCCCrrrr((((IIIIIIIIIIII)))) ⇒mmmmeeeettttaaaabbbboooolllliiiissssmmmmoooo ddddeeee ccccaaaarrrrbbbboooohhhhiiiiddddrrrraaaattttoooossss eeee lllliiiippppííddddeeeeoooossss,,,, aaaaççççããããoooo ddddaaaa iiiinnnnssssuuuulllliiiinnnnaaaa ((((eeeesssssssseeeennnncccciiiiaaaallll????))));;;; CCCCrrrr ((((VVVVIIII)))) ⇒ ccccaaaarrrrcccciiiinnnnooooggggêênnnniiiiccccoooo • MMMMeeeerrrrccccúrrrriiiioooo iiiinnnnoooorrrrggggaaaannnniiiiccccoooo ((((HHHHggggCCCCllll2)))) ⇒ddddaaaannnnoooo rrrreeeennnnaaaallll;;;; mmmmeeeettttiiiillllmmmmeeeerrrrccccúúrrrriiiioooo ((((oooorrrrggggâânnnniiiiccccoooo,,,, MMMMeeeeHHHHgggg)))) ⇒nnnneeeeuuuurrrroooottttóxxxxiiiiccccoooo • BBBBiiiioooommmmaaaarrrrccccaaaaddddoooorrrreeeessss:::: mmmmeeeettttaaaaiiiissss nnnnoooo ssssaaaannnngggguuuueeee,,,, uuuurrrriiiinnnnaaaa eeee ccccaaaabbbbeeeelllloooo ((((ddddoooosssseeee iiiinnnntttteeeerrrrnnnnaaaa))));;;; aaaalllltttteeeerrrraaaaççççõõõõeeeessss bbbbiiiiooooqqqquuuuímmmmiiiiccccaaaassss ((((aaaattttiiiivvvviiiiddddaaaaddddeeee eeeennnnzzzziiiimmmmáttttiiiiccccaaaa)))) • MMMMeeeettttaaaalllloooottttiiiioooonnnneeeeínnnnaaaa – 66660000 aaaa 66668888 aaaammmmiiiinnnnooooácccciiiiddddoooossss,,,, 22220000 ssssããoooo cccciiiisssstttteeeeíínnnnaaaa
  34. 34. Metais •Aspectos gerais da toxicologia AAAssspppeeeccctttooosss gggeeerrraaaiiisss dddaaa tttoooxxxiiicccooolllooogggiiiaaa ddddoooossss mmmmeeeettttaaaaiiiissss • FFFFaaaattttoooorrrreeeessss iiiinnnneeeerrrreeeennnntttteeeessss aaaaoooo iiiinnnnddddiiiivvvvíídddduuuuoooo qqqquuuueeee ppppooooddddeeeemmmm aaaalllltttteeeerrrraaaarrrr aaaa ttttooooxxxxiiiicccciiiiddddaaaaddddeeee ddddoooossss mmmmeeeettttaaaaiiiissss • iiiinnnntttteeeerrrraaaaççççããããoooo ccccoooommmm mmmmeeeettttaaaaiiiissss eeeesssssssseeeennnncccciiiiaaaaiiiissss –– aaaabbbbssssoooorrrrççççããããoooo PPPPbbbb eeee CCCCaaaa oooouuuu FFFFeeee;;;; CCCCdddd eeee FFFFeeee • VVVViiiittttaaaammmmiiiinnnnaaaa CCCC ⇒rrrreeeedddduuuuççççããããoooo ddddaaaa aaaabbbbssssoooorrrrççççããããoooo ddddeeee PPPPbbbb eeee CCCCdddd,,,, ppppooooiiiissss aaaauuuummmmeeeennnnttttaaaa aaaabbbbssssoooorrrrççççããããoooo ddddeeee FFFFeeee • AAAAlllltttteeeerrrraaaa pppprrrroooocccceeeessssssssoooossss eeeennnnzzzziiiimmmmáttttiiiiccccoooossss qqqquuuueeee uuuuttttiiiilllliiiizzzzaaaammmm mmmmeeeettttaaaaiiiissss eeeesssssssseeeennnncccciiiiaaaaiiiissss ccccoooommmmoooo ccccoooo-- ffffaaaattttoooorrrreeeessss • lllliiiibbbbeeeerrrraaaaççççããããoooo ddddeeee nnnneeeeuuuurrrroooottttrrrraaaannnnssssmmmmiiiissssssssoooorrrreeeessss ddddeeeeppppeeeennnnddddeeeennnntttteeee ddddeeee ccccaaaallllcccciiiioooo • AAAAddddeeeennnniiiillllaaaattttoooo cccciiiiccccllllaaaasssseeee ((((AAAAMMMMPPPPcccc)))) éé MMMMgggg-ddddeeeeppppeeeennnnddddeeeennnntttteeee,,,, eeeessssttttiiiimmmmuuuullllaaaaddddaaaa ppppoooorrrr MMMMnnnn
  35. 35. Metais - Mercúrio •• aaççããoooooooo ttttttttóóxxxxxxxxiiiiiiiiccccccccaaaaaaaa:::::::: VVVVaaaarrrriiiiaaaa eeeemmmm ffffuuuunnnnççççããããoooo ddddaaaa ffffoooorrrrmmmmaaaa ddddoooo mmmmeeeerrrrccccúúrrrriiiioooo MMMMeeeettttiiiillllmmmmeeeerrrrccccúrrrriiiioooo ((((CCCCHHHH3CCCCHHHH2HHHHgggg)))) AAAAllllvvvvoooo bbbbiiiioooollllóóggggiiiiccccoooo –– cérrrreeeebbbbrrrroooo MMMMeeeerrrrccccúrrrriiiioooo iiiinnnnoooorrrrggggâânnnniiiiccccoooo ((((HHHHgggg2222++++) AAAAllllvvvvoooo bbbbiiiioooollllóóggggiiiiccccoooo –– rrrriiiimmmm MMMMeeeerrrrccccúrrrriiiioooo mmmmeeeettttálllliiiiccccoooo ((((HHHHgggg0) AAAAllllvvvvoooo bbbbiiiioooollllóóggggiiiiccccoooo –– cérrrreeeebbbbrrrroooo eeee rrrriiiimmmm
  36. 36. Metais - Mercúrio Methylmercúrio: toxicodinamica • Mecanismo e efeitos distintos no cerebro imaturto e maduro No cérebro adulto: latencia de semanas ou mesmo meses Parestesia, ataxia, disartria, constricção do campo visual e perda de audição. No cerevro em desenvolvimento Mais susceptível Threshold para efeitos neurológicos em adultos - 50 ppm no cabelo; para exposição prenatal, apenas 10 ppm. Boa correlçao entre os níveis prenatais de MeHg (1 a 10 mg Hg/L) e a pressão sistólica e diatólica em crianças de 7 anos.
  37. 37. Metais - Mercúrio

×