Novas Tecnologias no ensino de lingua estrangeira para fins especificos (Parte 1)

1.874 visualizações

Publicada em

3 comentários
3 gostaram
Estatísticas
Notas
Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.874
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
53
Comentários
3
Gostaram
3
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Novas Tecnologias no ensino de lingua estrangeira para fins especificos (Parte 1)

  1. 1. Novas tecnologias noNovas tecnologias no ensino de LEFEensino de LEFE Claudio de Paiva Franco (CPII/UFRJ) cpaivafranco@yahoo.com.br
  2. 2. ProgramaçãoProgramação 1ª parte (Terça-feira, 14h às 16h): Novas tecnologias para o Professor de LEFE 2ª parte (Terça-feira, 16h20 às 18h): Novas tecnologias no ensino de Leitura 3ª parte (Quarta-feira, 14h às 16h): Novas tecnologias no ensino de Compreensão auditiva e de Expressão Oral 4ª parte (Quarta-feira, 16h20 às 18h): Novas tecnologias no ensino de Escrita
  3. 3. Novas tecnologias noNovas tecnologias no ensino de LEFEensino de LEFE Parte 1: Novas Tecnologias para o Professor de LEFE
  4. 4. Source: http://info.escolinhas.pt/wp-content/uploads/2010/10/Imagem-11.png Nativos digitais x Imigrantes digitaisNativos digitais x Imigrantes digitais
  5. 5. rejeiçãorejeição inicialinicial rejeiçãorejeição inicialinicial Tecnologia e…Tecnologia e…
  6. 6. Vídeo: HelpdeskVídeo: Helpdesk (A implantação de uma nova tecnologia)(A implantação de uma nova tecnologia)
  7. 7. Diferentes contextos • Na educação presencial – Como ferramenta de trabalho do professor – Em laboratórios de Informática • Em modalidade mista (semi-presencial, híbrida, flexível) – Parte presencial + parte via Internet • Na educação a distância via Internet – 100 % via Internet Diferentes recursos • Fonte e meio de distribuição de informação • Meio de comunicação Internet na EducaçãoInternet na Educação
  8. 8. Na Web, um novo usuário... “prosumer”: producer + consumer Novas possibilidades tecnológicas trazem novos desafios pedagógicos.
  9. 9. Vantagens – Enorme quantidade de informação gratuita – Facilidade na distribuição da informação Limitações – Necessidade de equipamentos e programas compatíveis – Confiabilidade e qualidade da informação Internet como fonte e meioInternet como fonte e meio de distribuição de informaçãode distribuição de informação (interação com conteúdo)(interação com conteúdo)
  10. 10. • Internet como fonte de informação – Acesso a materiais autênticos e atuais a baixo custo ( jornais on-line, portais de conteúdo geral, TeacherTube) – Conteúdos para preparação de aulas e atividades presenciais: material pronto ou base para atividades inéditas ( livros gratuitos on-line, atividades para imprimir, planos de aula) – Conteúdos para uso do aluno (em casa ou na escola) • pesquisas sobre um tema (com ou sem indicação de sites) • textos e atividades on-line (gramática, jogos etc.) – Conteúdos para capacitação profissional do professor (periódicos, bibliotecas virtuais, sites de universidades e pesquisadores etc.) • Para facilitar a busca de informações... – Ferramentas de busca:Google (Mais), Yahoo! Kids Directory No ensino de línguasNo ensino de línguas
  11. 11. • Internet como meio de distribuição da informação (conteúdos produzidos pelo professor e pelos alunos) – Criação de homepage do professor ou do curso – Criação de blogs ou wikis (serviços gratuitos: blogspot.com, wordpress.com, wikispaces.com, pbworks.com etc.) – Compartilhamento de gravações em áudio ou vídeo (podcasts, YouTube, TeacherTube, DropaVideo) No ensino de línguasNo ensino de línguas
  12. 12. • Síncrona - chat de texto e de voz – Vantagens • simula a conversa face a face • costuma ser popular • possibilidade de feedback imediato – Desvantagens • digitação com restrição de tempo • abordagem superficial dos assuntos • difícil coordenação de horário entre os participantes • restrição quanto ao número de participantes em chat pedagógico • maior dependência de recursos técnicos eficientes • Assíncrona - e-mail, lista ou grupo de discussão, fórum – Vantagens: tempo para editar mensagem; possibilidade de aprofundamento – Desvantagem: ausência de feedback imediato Internet como meio de comunicaçãoInternet como meio de comunicação (interação entre pessoas)(interação entre pessoas)
  13. 13. • Internet como meio de comunicação síncrona – Input do chat: sintaticamente quebrado, linguisticamente simplificado e mais próximo da linguagem oral – Uso de diálogos privados (exemplos: professor comenta aspecto lingüístico; aluno pede ajuda; colega dá dica) – Grande demanda cognitiva: pensar na língua-alvo e digitar com restrição de tempo • Internet como meio de comunicação assíncrona – Menor competição pela tomada de turno - maior igualdade de participação – Maior participação dos menos extrovertidos e fluentes oralmente – Exemplos de uso: discussão de textos, redação colaborativa, reflexão sobre o processo de aprendizagem da LE • Em ambos os casos – Possibilidade de interação com pessoas de fora da turma, incluindo falantes nativos, outros alunos de ILE e professores convidados – Registro das interações - disponíveis para manipulação e análise No ensino de línguasNo ensino de línguas
  14. 14. Fonte: http://conniebensen.com/blog/2007/11/03/scobles-social-media-starfish
  15. 15. Velhas práticas • ensino descontextualizado • foco na forma, em estruturas linguísticas • ensino centrado no professor • transmissão de conhecimento Novas práticas • ensino contextualizado • foco na função, em gêneros textuais • alunos e professores compartilham ensino e aprendizagem • construção conjunta de conhecimento No ensino de línguasNo ensino de línguas
  16. 16. • fonte de informação • meio de comunicação • ambiente de colaboração • meio de distribuição da informação (conteúdos produzidos pelo professor e pelos alunos) Como fazer a diferença? Usar as (novas) tecnologias para proporcionar e encorajar (novas) práticas pedagógicas. Internet no ensino de línguasInternet no ensino de línguas
  17. 17. • Atividades colaborativas podem… – ser mais ou menos estruturadas: trabalhos em pequenos grupos com tarefas e etapas bem-definidas pelo professor ou discussões a partir dos interesses e questões dos alunos – propor a criação de um produto determinado (ex. elaboração de um texto, um cartaz, um blog) ou participação em um processo (ex. exercício de responder ao trabalho um do outro, discussão sobre textos e questões) Aprendizagem colaborativaAprendizagem colaborativa
  18. 18. – grupos de discussão, fóruns e e-mail (interação assíncrona): mais adequados para atividades de discussão, reflexão e aprofundamento – chat, mensagens instantâneas (interação síncrona): para atividades que requerem feedback imediato – blogs, wikis: facilitam projetos de redação coletiva e de criação de outros produtos (que podem ser amplamente divulgados) – serviços de compartilhamento de documentos (Google Docs, You Tube, Teacher Tube): para criação e divulgação de produtos pelo grupo e como fonte de recursos – redes sociais (Orkut, Facebook, Drop a Video) ⇒ Web 2.0 = especialmente útil em atividades colaborativas que propõem a criação de um produto digital (ex. livro ou revista online: www.myebook.com, entre muitos outros) Recursos para interação eRecursos para interação e colaboração on-linecolaboração on-line
  19. 19. - o mais conhecido motor de busca atualmente, com um dos maiores índices (mais de 8 bilhões de páginas). - sucesso devido à sua rapidez e à sua lógica de indexação dos sites: princípio da referência em trabalhos acadêmicos (ou seja, lista primeiro, como resultados de uma busca, os sites para os quais outros sites e páginas da Web mais apontam – “Se muitos sites têm links apontando para X, logo X deve ser muito bom”). - consequência: maior relevância dos resultados da maioria das pesquisas.
  20. 20. - desafio: não restringir nem ampliar demais a busca - quanto maior o número de palavras-chave, mais restrita é a busca e menor é o número de sites encontrados - formas de restringir a busca: - maior número de palavras-chave - uso de frases exatas - termos não desejados - escolha de idioma - escolha de domínio e/ou tipo de arquivo A escolha das palavras-chaveA escolha das palavras-chave
  21. 21. - uso da lógica booleana (matemático inglês George Boole,1815-1864) para especificar a busca - operadores AND, OR e NOT: inseridos entre as palavras-chave Exemplo: motores AND catálogos AND ferramentas AND busca ferramentas AND busca AND (catálogos OR diretórios) motores AND busca NOT catálogos - uso de sinais matemáticos (operadores implícitos): + (equivalente a AND) - (equivalente a NOT) Exemplo: motores AND busca NOT catálogos +motores +busca -catálogos Google dispensa o uso do operador AND/+ e aceita apenas o operador implícito - (equivalente a NOT). Operadores: booleanos e implícitosOperadores: booleanos e implícitos
  22. 22. - palavras-chave entre aspas (" "): busca por frase exata Ex: busca de letra de música, poema, citação a partir de trecho conhecido busca de artigo acadêmico a partir de um título ou expressão consagrada na área - asterisco (*) = no Google, pode substituir uma palavra Ex: para descobrir a regência de um verbo: “it depends * what you do” para descobrir possíveis preconceitos culturais: “meninas são mais *” e “meninos são mais *” Outros operadoresOutros operadores
  23. 23. AND OR “ ” NOT Formato de arquivoFormato de arquivo DomínioDomínio Páginas similaresPáginas similares LinksLinks Pesquisa avançada do GooglePesquisa avançada do Google
  24. 24. Google InstantGoogle Instant
  25. 25. Visualização de arquivos como página HTMLVisualização de arquivos como página HTML
  26. 26. No Google Scholar, possibilidade de escolha de área Autor, local e data de publicação Pesquisa avançada do Google AcadêmicoPesquisa avançada do Google Acadêmico
  27. 27. Web 2.0: Cool Tools for SchoolsWeb 2.0: Cool Tools for Schools http://cooltoolsforschools.wikispaces.comhttp://cooltoolsforschools.wikispaces.com
  28. 28. Exemplo: Foreign Language ResourcesExemplo: Foreign Language Resources Web 2.0: Cool Tools for SchoolsWeb 2.0: Cool Tools for Schools http://cooltoolsforschools.wikispaces.comhttp://cooltoolsforschools.wikispaces.com
  29. 29. Exemplo: Collaborative ToolsExemplo: Collaborative Tools Web 2.0: Cool Tools for SchoolsWeb 2.0: Cool Tools for Schools http://cooltoolsforschools.wikispaces.comhttp://cooltoolsforschools.wikispaces.com
  30. 30. RefseekRefseek http://www.refseek.com/directory/dictionaries.htmlhttp://www.refseek.com/directory/dictionaries.html
  31. 31. About.comAbout.com http://www.about.comhttp://www.about.com
  32. 32. About.comAbout.com http://www.about.comhttp://www.about.com
  33. 33. TeacherTubeTeacherTube http://www.teachertube.comhttp://www.teachertube.com
  34. 34. UEFAPUEFAP http://www.uefap.comhttp://www.uefap.com
  35. 35. UEFAPUEFAP http://www.uefap.comhttp://www.uefap.com
  36. 36. Teaching EnglishTeaching English http://www.teachingenglish.org.ukhttp://www.teachingenglish.org.uk
  37. 37. Teaching EnglishTeaching English http://www.teachingenglish.org.ukhttp://www.teachingenglish.org.uk Exemplo: “Try our free teaching materials”Exemplo: “Try our free teaching materials”
  38. 38. Curso on-line sobre tecnologias da aprendizagemCurso on-line sobre tecnologias da aprendizagem Teaching EnglishTeaching English http://www.teachingenglish.org.ukhttp://www.teachingenglish.org.uk
  39. 39. Learn EnglishLearn English http://learnenglish.britishcouncil.orghttp://learnenglish.britishcouncil.org
  40. 40. Learn English KidsLearn English Kids http://learnenglishkids.britishcouncil.orghttp://learnenglishkids.britishcouncil.org
  41. 41. The Internet Grammar of EnglishThe Internet Grammar of English http://www.ucl.ac.uk/internet-grammar/home.htmhttp://www.ucl.ac.uk/internet-grammar/home.htm
  42. 42. Exemplo de periódico com conteúdos para formaçãoExemplo de periódico com conteúdos para formação do professor: Language Learning and Technologydo professor: Language Learning and Technology http://llt.msu.eduhttp://llt.msu.edu
  43. 43. Exemplo de “weblioteca”: English TrailsExemplo de “weblioteca”: English Trails http://ead1.unicamp.br/readweb/englishtrailshttp://ead1.unicamp.br/readweb/englishtrails
  44. 44. Site da Prof. Dra. Vera Menezes (UFMG)Site da Prof. Dra. Vera Menezes (UFMG) www.veramenezes.comwww.veramenezes.com
  45. 45. Exemplo de “weblioteca”: Projeto LingNetExemplo de “weblioteca”: Projeto LingNet Webliotec@ - Inglês e LiteraturasWebliotec@ - Inglês e Literaturas http://www.lingnet.pro.brhttp://www.lingnet.pro.br
  46. 46. Como UsarComo Usar comousar.110mb.comcomousar.110mb.com
  47. 47. Exemplo de tutorial de uma ferramenta de autoriaExemplo de tutorial de uma ferramenta de autoria Como UsarComo Usar comousar.110mb.comcomousar.110mb.com
  48. 48. Many ThingsMany Things http://www.manythings.orghttp://www.manythings.org
  49. 49. Many ThingsMany Things http://www.manythings.orghttp://www.manythings.org
  50. 50. Isabel’s ESL SiteIsabel’s ESL Site http://www.isabelperez.comhttp://www.isabelperez.com
  51. 51. Isabel’s ESL SiteIsabel’s ESL Site http://www.isabelperez.comhttp://www.isabelperez.com > Teaching with songs> Teaching with songs
  52. 52. Isabel’s ESL SiteIsabel’s ESL Site http://www.isabelperez.comhttp://www.isabelperez.com Exemplo de atividade com letra de músicaExemplo de atividade com letra de música
  53. 53. Isabel’s ESL SiteIsabel’s ESL Site http://www.isabelperez.comhttp://www.isabelperez.com Exemplo de atividade de preencher as lacunasExemplo de atividade de preencher as lacunas
  54. 54. Apresentação disponível em:Apresentação disponível em: http://claudiofranco.com.br (menu: “Apresentações”)

×