O slideshow foi denunciado.
Utilizamos seu perfil e dados de atividades no LinkedIn para personalizar e exibir anúncios mais relevantes. Altere suas preferências de anúncios quando desejar.

Sintonia da saúde 17-01-18

20 visualizações

Publicada em

Sintonia da Saúde

Publicada em: Notícias e política
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sintonia da saúde 17-01-18

  1. 1. 1Sintonia da Saúde - Quarta-feira, 17 de Janeiro de 2018 Região tem acidentes com lagarta venenosa Cardápio contra obesidade infantil Sintonia da Saúde - Quarta-feira, 17 de Janeiro de 2018 Página 2 Página 5 Bombeiros realizam Verão Sem Sujeira A conteceu na manhã do último sábado, o 1º Projeto Verão Sem Sujeira - A onda é preservar, realizado e idealizado pelo 2º Grupo de Bom- beiros Militar, com sede no município de Passo de Torres, e atrelado a este, o Projeto Golfinho. O Verão Sem Sujeira tem cunho socioambiental, com o ob- jetivo de sensibilizar a população, comerciantes e turistas das consequências que o lixo na praia pode causar ao ecossistema. Desta forma, o Corpo de Bombeiros Militar do Estado de Santa Catarina está participando e interagindo com a comunidade na aquisição de novos hábitos de proteção ao meio ambiente. Foi feita a coleta de resíduos sólidos (lixo) em parte da orla marítima de Passo de Torres, mais precisamente, na região dos molhes. Participaram das duas atividades, cerca de 150 pessoas, as quais os bombeiros agradecem, por terem feito à diferença nestas ações. Foi coletado um total de 500 kg de resíduos sólidos, ou seja, meia tonelada de lixo que estava depositada na praia, e dado a ele o destino ambientalmente correto.
  2. 2. 2 Sintonia da Saúde - Quarta-feira, 17 de Janeiro de 2018 Região tem acidentes com lagarta venenosa As entidades que re- presentam os hospitais, Associação e Federação dos Hospitais de SC e a Federação das Santas Casas e Hospitais Filan- A Gerência de Saúde da Agência de Desenvolvimento Regional (ADR) de Araranguá alerta sobre o alto número de acidentes por meio do contato com lagartas venenosas na região, ao mesmo tempo em que ressalta a importância da procura pela assistência médica imediata. De acordo com o biólogo Fábio Pereira Sabino, do setor de combate à dengue/zoonose da Gerência, as chamadas taturanas podem causar um envene- namento igual ou pior do que o veneno da jararaca. “A maioria das pessoas que encosta em taturanas precisa receber um antiveneno específico. Tivemos muitos acidentes nestes últimos 15 dias, mas infe- lizmente alguns só procuraram atendimento vários dias depois, já com lesão renal aguda”, alerta. As lagartas do gênero lonomia são encontradas no sul e sudeste do Brasil. Seu veneno pode provocar alterações da coagulação e hemorragias graves. A espécie apresenta listras horizontais no dorso do corpo nas cores marrom, preto e branca e espinhos verdes ramificados. Na dúvida, a população pode entrar em contato com os serviços de vigilância epi- demiológica municipais ou com o Centro de Infor- mação e Assistência Toxicológica de Santa Catarina (CIATox/SC), através do telefone 0800-643-5252. Entidades hospitalares se manifestam contra MP trópicos de SC (AHESC- -FEHOESC-FEHOSC), por meio dos presidentes Altamiro Bittencourt, Tércio Kasten e Hilário Dalmann, manifestam o inconformismo com os termos da Medida Provi- sória criada pelo Gover- no do Estado, que per- mite que os recursos do Fundo Estadual de Apoio aos Hospitais Filantrópi- cos sejam contabilizados no percentual mínimo de 13% da arrecadação to- tal de impostos que o es- tado necessita, por força de norma constitucional, investir em saúde. Na verdade, o Fundo de Apoio é formado pelas sobras do repasse anual ao Ministério Público, Tribunal de Justiça, TCE e Alesc, e também de doações empresariais. Portanto não se trata de arrecadação com im- postos. A aprovação da MP, além de inconstitucio- nal, representa uma di- minuição dos valores aplicados em favor da saúde dos catarinenses. Serão atingidos os hos- pitais filantrópicos, que são responsáveis pelo atendimento de 70% da população usuária do Sistema Único de Saúde (SUS), comprometendo a manutenção dos ser- viços atualmente pres- tados, pois não haverá a disponibilização dos recursos minimamente necessários. A MP, como mano- bra de diminuição de investimentos públicos na saúde da população catarinense, pode pôr fim a todo o trabalho de- sempenhado pelas enti- dades de representação, juntamente com a Frente Parlamentar em Defesa da Saúde, presidida pelo Deputado José Milton Scheffer (PP), que par- ticiparam ativamente da aprovação da Lei do Fundo de Apoio. Para o deputado José Milton, trata-se de uma “medida injusta com todo o tra- balho coletivo da Frente Parlamentar feita com as entidades hospitalares. Nosso objetivo era o de ampliar a capacidade do Fundo de Apoio, e não extingui-lo. Nós nos sentimos traídos com a criação dessa medida, e vamos nos mobilizar no sentido de derrubar a MP, em votação na Alesc”. Vale lembrar que o orçamento próprio do Governo Estadual é mi- nimamente repassado para a rede hospitalar fi- lantrópica. Os pagamen- tos realizados, em sua maioria, são oriundos de recursos federais, e que a MP em nada contribui para a quitação da dívi- da que o governo possui com os prestadores de serviços hospitalares, que supera 50 milhões de reais, atrasados desde o ano de 2015.
  3. 3. 3Sintonia da Saúde - Quarta-feira, 17 de Janeiro de 2018 Município tem Plano de Assistência Social O Plano Municipal de Assistência Social de Balneário Arroio do Silva foi entregue ao prefeito Juscelino da Silva Guimarães, o Mineiro. O documento é um instrumento de planejamento e gestão que vem organizar e consoli- dar a execução da Política Municipal de Assistência Social. O Plano, que traça metas e ações para os anos de 2018 a 2021, foi aprovado pelo Conselho Muni- cipal de Assistência Social (CMAS). A entrega do documento foi realizada pela secretária de Desen- volvimento Social, Avanei Vieira, e a presidente do CMAS, Ana Paula Damasceno Orcelli. O atendimento domici- liardaequipedefisioterapia do Departamento de Saúde de Maracajá, ganhou re- forço na última semana de 2016.Umcarronovo,marca General Motors, modelo Onix, passa a ser utilizado no atendimento que benefi- cia mais de uma dezena de pacientes. O veículo tam- bém servirá à equipe de enfermagem e à logística administrativa do setor. “É garantia de um me- lhor atendimento e agili- dade para o trabalho de fisioterapia, que é de extre- ma importância”, ressalta o diretor do Departamento de Saúde, Diogo Copetti. Ele, juntamente com o pre- feito Arlindo Rocha, rece- beu o veículo da empresa que venceu a concorrência pública lançada pela ad- ministração municipal, uti- lizando recursos de emenda parlamentar do deputado federal Marco Tebaldi. O vice-prefeito Ademir Ano termina com reforço na saúdede Oliveira, secretários e diretores de departamentos municipaisparticiparamda solenidade, em frente a pre- feitura. Conforme Copetti, este é o terceiro veículo a renovar a frota da saúde no segundo semestre do ano passado.Antes,umRenault Logan e uma ambulância Renault Master já haviam sido entregues. No início deste ano mais dois veícu- los devem ampliar a frota, antecipa o diretor de Saúde.
  4. 4. 4 Sintonia da Saúde - Quarta-feira, 17 de Janeiro de 2018 QUANDO O FATOR EMOCIONAL AFETA OS DENTES, O QUE FAZER??? Todo nós estamos vivendo em uma era de constantes transformações, o mundo, o dia, as horas e os minutos não podem nos esperar, devemos correr atrás de cada um para no mínimo cumprir nossas tarefas diárias. Essa correria do dia-a-dia junta- mente com os problemas e dificuldades emocionais que todos nós passamos, é um fator agravante para o bom funcionamento do nosso corpo. Viver em constante ten- são corporal parece ser normal, mas não é, pois esse fator pode atingir os dentes, causando dores, desgastes, amolecimento dos dentes ou fraturas dentais. Essa disfunção pode ser chamado de bruxismo ou apertamento. O diag- nóstico é diferente, por isso o profissional precisa saber diferenciar para poder tratar. Estresse, ansiedade, fechar a boca de forma errada, oclusão (problemas na mordida entre as arcadas dentárias superior e inferior) são alguns dos sintomas que provocam o bruxismo, e esse pode ocorrer com pacientes que tem seus dentes naturais ou usam próteses. O bruxismo é uma espécie de disfunção e ocorre mais durante o sono, quando é maior a pressão na arcada dentária. No caso de portadores de dentadura os dentes também desgastam e ocorre maior perda óssea. O problema se não tratado pode se agravar e causar problemas ósseos, na gengiva e na articulação da mandíbula (ATM, ou popular carrinho), além de comprometer muito a estética. Os problemas mais avançados causados pelo bruxismo/ATM são fortes dores de cabeça devido a pressão exagerada da arcada, danificando vasos, nervos, polpa dentária até a raiz do dente. A disfunção do sono e ronco (apnéia do sono) também são fatores determinantes para agravar o problema, assim como o zumbido no ouvido e dores no pescoço e na mandíbula seguidos de estalos quando abre a boca. O tratamento é baseado em um conjunto de técnicas após um correto diagnóstico. Na sua maioria o bruxismo é tratado com uso de placas de acrílico ou silicone para dormir e aplicação de BOTOX para relaxamento muscular. Para aqueles que tem dor, é recomendado aplicação de laser terapêutico e vis- cossuplemantação da articulação que vai diminuir a dor e até mesmo aliviar os estalidos. Visitar o dentista e diagnosticar o problema precocemente é a melhor forma de tratar e manter sua saúde estável.
  5. 5. 5Sintonia da Saúde - Quarta-feira, 17 de Janeiro de 2018 A obesidade e o sobrepeso afetam 39% das crianças brasileiras, segundo Estu- do Internacional de Obesidade Infantil Os pais começam a se preocupar de forma mais intensa com a alimen- tação que tem servido aos seus filhos. Elas procuram servir um cardápio especial cheio de nutrientes para as crianças. O problema está contabilizado, por exemplo, a obesidade e o sobrepeso afetam 39% das crianças brasileiras, o que representa 1.000% a mais que há 40 anos, segundo o pesquisador e médico brasileiro Víctor Rodríguez Matsudo, um dos responsáveis pelo Estudo Internacional de Obesidade Infantil, desenvolvido em vários países. Para reduzir esse problema, uma das medidas ado- tadas deve ser priorizar o uso do forno. “O preparo dos alimentos assados é mais saudável, pois exige o uso mínimo de óleo e, a composição dos alimentos pouco se altera, o que os torna mais saborosos e crocantes para as crianças”, explica a nutricionista Mariana de Oliveira Matos, orientando quem quer desenvolver Cardápio contra a obesidade infantilum cardápio mais equilibrado. Os pais devem ainda levar os filhos para a cozinha. Sempre buscando oferecer uma alimentação saudável às crianças, com um cardápio mais elaborado e amplo. A preocupação com a saúde de crianças e ado- lescentes tem crescido em todo o mundo. Afinal, alimentação inadequada e pouca atividade física têm tornado comum nessa faixa etária doenças como obesidade e diabetes. Estudos em diversas instituições brasileiras e internacionais apontam que a família e a escola podem se tornar grandes aliadas na reversão desse quadro, já que é nestes dois locais que os pe- quenos se alimentam, fazem exercícios e, sobretudo, podem adquirir hábitos saudáveis. De acordo com a nutricionista Mariana de Oliveira Matos, para vencer a barreira das crianças contra uma alimentação mais saudável, pode-se oferecer alimen- tos diferentes em receitas tradicionais. “Por exemplo, inserimos no cardápio o bolo de chocolate com abobri- nha ralada, pãozinho de cenoura e de mandioquinha para o café, bolacha de aveia, farofa nutritiva com farinha de linhaças e talos de legumes, entre outros. As crianças comem e gostam muito”.Ela conta também que alguns meninos e meninas comeram verduras ou legumes pela primeira vez desta forma. Estudos apontam que durante os dois primeiros anos de vida, ocorre um rápido desenvolvimento físico, cognitivo, emocional e social. Dessa forma, práticas alimentares inadequadas no ensino infantil podem repercutir de forma negativa no desenvolvimento global das crianças.
  6. 6. 6 Sintonia da Saúde - Quarta-feira, 17 de Janeiro de 2018 Não vai viajar? Atividadesparafazerem casa durante as férias S empre tem a l g u m a brincadei- ra para fa- zer com as crianças. Confira ideias fáceis para a família toda se divertir. Nas fotos, crianças da creche Maria Monteiro, de Sombrio, fazendo um piquenique. Deixe os pequenos fa- zerem bagunça de vez em quando. Eles podem se divertir com todos os brinquedos ao mesmo tempo, sem se preocupar com a organização. Veja sugestões muito divertidas e fáceis do que fazer com eles no quarto, na sala, no quintal, no condomínio do prédio... 1. História em quadrinhos Os gibis fazem parte das suas lembranças de in- fância? Então, não seria legal passar um tempo com os seus filhos de- senhando histórias em quadrinhos? Pensem nos personagens, deem no- mes a eles e imaginem enredos curtinhos. Vai ser uma diversão! 2. Banho de chuva Férias de verão combinam com chuva. E chuva com- bina com criança feliz! Começou a pingar? Deixe as crianças livres para brincar e correr. A sensa- ção de liberdade é mara- vilhosa e você pode entrar na brincadeira também. Por que não? 3. Aplicativos, jogos online e sites educativos Toda família sabe que é im- portantecontrolarotempo das crianças em frente às telas do celular e dos tablets, mas não dá para negar que elas adoram brincar com os aplicativos e jogos online disponíveis. Que tal promover breves competições entre vocês? A turminha vai adorar. 4. Festa do pijama Chame alguns amigos da escola, familiares ou vi- zinhos e promova uma grande festa do pijama. Legal mesmo é quando tem sessão de cinema com pipoca e café da manhã especial no dia seguinte. 5. Brincadeiras clássicas Pular corda e elástico, rodar bambolê, brincar de esconde-esconde e pega- -pega... Não esqueça nun- ca das brincadeiras clássi- cas infantis. Elas agradam a todas as crianças, nunca saem de moda e podem ser feitas dentro e fora de casa. 6. Guerra de bexigas Nos dias de chuva, apro- veite para recolher água com ajuda da criança. Depois, quando o sol apa- recer, encha um monte de bexigas para brincar com as crianças em um dia de calor. Sim, guerra de ba- lões é diversão certa! 7. Fazendo arte com argila As brincadeiras com argila podem durar o dia inteiro. Separe um cantinho onde vocês possam se sujar bastante. A modelagem é uma delícia, a argila é fresquinha e combina com os dias quentes. Depois que a argila secar, é só pintar os objetos montados com tinta guache. 8. Cozinhando em família Dizem que a cozinha é o melhor lugar da casa. Se você concorda, leve as crianças para lá com você. 9. Piquenique Junte os amigos (ou só você e o seu filho mesmo) e promova um piquenique. As crianças podem ajudar a preparar os quitutes e os convidados também colaboram levando os alimentos e bebidas para compartilhar. 10. Brincando de teatro Vamos estimular a criati- vidade das crianças brin- cando de teatrinho? Pode ser com fantoches feitos com meias velhas ou com papel, por exemplo. Se as crianças quiserem virar os personagens, crie fanta- sias especiais ou monte-as com roupas de toda a famí- lia. Dá até para improvisar um palco no quintal. Quem resiste? Pilates diminui a dor no joelho causada por Condromalácia Patelar As lesões músculo-esquelética no joelho e tornozelo estão entre as queixas mais frequentes nas clínicas de reabilitação e estúdios de Pilates. Apesar da cartilagem patelar ser a mais espessa do corpo humano (5mm), não está isenta de lesão. A condromalácia patelar é caracterizada pelo des- gaste da cartilagem articular e nos casos mais graves pode evoluir para a osteoartrose ou osteartrite quando não tratada adequadamente. É mais frequente em mu- lheres em função do tamanho do quadril (ângulo Q) e pode acometer um ou ambos os joelhos, o sintoma mais comum é a dor na região anterior do joelho quando sentado por tempo prolongado ou durante a corrida. Dentre os tratamentos não invasivos destaca-se o método Pilates, que aumenta a estabilidade articular e diminui as dores. Os exercícios são de baixo impacto articular e melhoram o equilíbrio muscular diminuindo a compressão sobre a articulação patelofemoral. O método é adaptado de acordo a limitação do aluno, considerando os estágios da condromalácia (Graus I-IV), o paciente NÃO deve sentir dor anterior no joelho durante as sessões e nem após. O Fisioterapeuta capacitado deve conhecer ana- tomia, biomecânica e fisiopatologia da condromalácia patelar e, durante as sessões de Pilates dar ênfase para: ‫‏‬Fortalecimento dos estabilizadores lombopél- vicos, principalmente glúteos médio e mínimo; Evitar que o paciente realize valgo dinâmico durante os exercícios; Evitar exercícios ajoelhados; Fortalecimento de quadríceps em isometria, concêntrico e por último excêntrico preferencial- mente em cadeia cinética fechada; Alongamento de isquiotibiais; e Treino de propriocepção com exercícios uni- podais e em bases instáveis; ‫‏‬Cabe ressaltar que alguns pacientes usam brace no dia-a-dia e durante as sessões de Pilates alegando que “protege” a articulação e que se sentem seguros. A maioria dos estudos é inconclusivo sobre a sua eficiência deste acessório para diminuir a compressão patelar. O mais sensato é fortalecer a máquina chamada corpo humano e incentivar a retirada do brace. A CLÍNICA REABILITAR DISPÕE DE UM AM- BIENTE CLIMATIZADO E DE FISIOTERAPEUTAS FORMADOS E CAPACITADOS PARA MELHOR ATENDE-LOS. VENHA NOS CONHECER E AGEN- DAR SEU TRATAMENTO! Dra. Gizele Micheletto
  7. 7. 7Sintonia da Saúde - Quarta-feira, 17 de Janeiro de 2018 Quemcuidadamente,cuidadavida N a última quinta-fei- ra,dia11,a Secretaria de Saúde e o Centro de Atenção Psicos- social (Caps) de Sombrio, realizaramolançamentodo programa Janeiro Branco, voltado a saúde mental. A mobilização começou em frente a Igreja Matriz, comconcentraçãodepesso- asvestindocamisetasbran- cas. O grupo depois cami- nhou pelo centro da cidade, visitandooscomérciospara falar sobre a campanha, que é nacional, e por fim, uma palestra foi realizada na Câmara de Vereadores, proferida pelo psicólogo Leonardo Abrahão, que deu inícioaoJaneiroBranco,em 2013, em Minas Gerais. A campanha deve pros- seguir durante todo o ano. Comparecer a uma consulta ginecológica pela primeira vez pode ser um desafio para muitas jovens. Geral- mente, este momento ocorre após a primei- ra menstruação - época marcada pela transição da infância para a vida adulta, em que diversas transformações ocorrem no corpo. Tudo isso pode ser uma grande novida- de para a maioria e, no início, é normal que haja uma dificuldade e inse- gurança para lidar com essa fase. Apesar da apreensão, que é completamente normal, a primeira con- sulta deve ser encarada como uma oportunidade para esclarecer dúvidas, verificar se o desenvol- vimento do corpo está ocorrendo de forma ade- quada e garantir a saúde da região íntima. Além Saiba Mais Primeira consulta ginecológicada insegurança, outra preocupação é não saber exatamente o que acon- tecerá nessa ocasião. “Na primeira consulta, o especialista procura explicar sobre o funcio- namento do organismo feminino, do ponto de vista orgânico, além de abordar questões rela- tivas à vida sexual, que muitas vezes também se inicia nesse período”, explica o Dr. Renato de Oliveira, ginecologista responsável pela área de reprodução humana da Criogênesis. Segundo o especia- lista, também é impor- tante que sejam discuti- dos problemas de saúde que a paciente teve na infância e histórico de doenças na família. “Não há nenhum exame que deve ser feito de forma obrigatória na primeira consulta. Alguns exames laboratoriais podem ser solicitados com o objeti- vo de conhecer as condi- ções gerais de saúde da paciente. Em relação ao exame de colpocitologia oncótica, também deno- minado papanicolao, a Federação Brasileira de Ginecologia e Obstetrícia recomenda sua coleta após 3 anos do início da atividade sexual”, com- plementa. Após responder os questionamentos feitos pelo médico, chega a hora da paciente apro- veitar o momento para esclarecer todas as dúvi- das e expor ao médico se está passando por algum tipo de dificuldade, por exemplo, presença de menstruação dolorosa, cólicas fora do período menstrual, irritações, corrimentos e dores va- ginais. “O ideal é anotar as questões que a adoles- cente deseja perguntar para não se esquecer de abordar nenhum pon- to que a mesma julgue importante. Ainda é im- portante ressaltar que tudo que for falado no consultório é totalmente sigiloso, portanto, não é um momento para inibi- ções ou tabus, uma vez que a confidencialidade apoia-se em regras da ética médica, através de princípios morais de au- tonomia”, finaliza. É importante saber Abaixo, o Dr. Renato lista sete tópicos que não podem deixar de ser discutidos entre médico e paciente na primeira consulta ginecológica: 1. Orientações sobre doenças sexualmente transmissíveis (DST); 2. Como fazer a uti- lização da camisinha da maneira correta, res- saltando seu benefício contraceptivo e contra as diversas DST; 3. Correta utilização e a eficácia dos métodos anticoncepcionais; 4. Funcionamento e duração do ciclo mens- trual; 5. Como fazer a hi- gienização das partes íntimas e principais cui- dados que devam ser tomados nesse processo; 6. Prós e contra de suspender a menstrua- ção; 7. Detalhamento so- bre o uso do absorvente interno, caso início de atividade sexual.
  8. 8. 8 Sintonia da Saúde - Quarta-feira, 17 de Janeiro de 2018

×