SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 20
Baixar para ler offline
Correio do SulANO XXVI EDIÇÃO Nº 5.062 R$ 2,00SEGUNDA-FEIRA, 12 DE DEZEMBRO DE 2016
www.grupocorreiodosul.com.br
29º 17º
Parcialmente Nublado - Sol entre poucas nuvens.
Previsão para hoje Extremo Sul Catarinense
Começa Bem
Festival de Balonismo
de Balneário Gaivota
conquista o público
BOMBEIROS FAZEM BAZAR SOLIDÁRIO
POLICIAIS CIVIS ENTREGAM PRESENTES
VEREADOR FOI ELEITO COM RECURSOS
DO JOGO DO BICHO
RAPAZ É ASSASSINADO
A TIROS E ACHADO
NO MEIO DA RUA
É NATAL
ARARANGUÁCORPO NO CHÃO
Pagina 9
Pagina 11Pagina 13
Caderno Especial
BrasileirosemmoralparacriticarTemer
Prefeito eleito de Passo de Torres,
Jonas Souza (PMDB), deverá anun-
ciar hoje os integrantes do primeiro
escalão de seu governo. Ele já ressal-
tou que trabalhará apenas com cinco
secretários municipais, que ocuparão
as pastas de Administração e Finan-
ças, Educação, Obras, Saúde e Pesca.
Também já adiantou que um vereador
eleito neste ano pelo PMDB trabalha-
rá no primeiro escalão de sua gestão,
o que abrirá vaga na
Câmara Municipal, no ano que
vem, para o primeiro suplente de
sua coligação, Ademilson Batista da
Silva (PSDB). No mais, tudo ainda
é mistério. A bem da verdade, o que
Jonas sabe mesmo é que herdará uma
das maiores dívidas de prefeituras da
região, proporcionalmente ao número
de habitantes de seu município. Só um
financiamento contraído pelo atual
prefeito, Juarez Godinho Scheffer
(PSD), já irá onerar a próxima gestão
em R$ 3 milhões.
Éhoje
Injustiçado Vaipiorar
Poraqui
ADVOCACIA EMPRESARIAL
FONE: (48) 3533-0145
“O político que acredita estar sempre certo, não tem ideia do
quanto errado ele está. De minha parte, não tenho compromisso
com a certeza absoluta”.
Jornal Correio do Sul
Segunda-Feira, 12 de dezembro de 2016
rolando_coelho@hotmail.com
(48) 9945.6787
Juscelino Kubischek (1902/1976) – Ex-presidente do Brasil
Vereador araranguaense Cabo Loro
(PSD), que teve a cassação do registro
de sua candidatura à reeleição confir-
mada pelo Tribunal Regional Eleitoral,
por suposta compra de votos, aceitou,
mas não se conformou com o resultado
do julgamento em segunda instância.
A aceitação fica evidenciada em uma
nota distribuída pelo vereador, na qual
ele agradece o apoio recebido dos que
torceram por ele, como também deseja
sucesso ao suplente de sua coligação,
Adão dos Santos Vieira, o Vidrinho (PR),
que assumirá em seu lugar uma cadeira
do legislativo da Cidade das Avenidas.
Todavia, Cabo Loro tem feito questão
de ressaltar que “a justiça não foi feita
neste caso”. De acordo com ele, a maior
prova de que sua condenação seria injus-
ta está no fato de não haver uma lógica
na condenação. “A justiça disse que eu
comprei votos em troca de uma consulta
médica. Só que a pessoa supostamente
beneficiada não foi condenada por crime
eleitoral porque não teria vendido seu
voto. Até agora não entendi como é que
eu comprei o voto, se quem teria o ven-
dido não o vendeu!”, comenta o vereador.
E
m uma nova onda de histe-
ria coletiva, os brasileiros
agora acreditam que tirar
o presidente Michel Temer (PMDB)
do poder é a solução para resolver os
problemas do país. Tudo por conta do
suposto salvador da pátria ter sido
citado mais de 40 vezes, durante
delação premiada, como beneficiário
dos esquemas de corrupção que en-
volvem a Odebrecht. E na onda da
moralidade, 63% da população, de
acordo com o Data Folha, têm dito
que quer a renúncia de Temer até o
final do ano.
O que o povo brasileiro parece não
ter se dado conta é que não existe
político corrupto em país onde o povo
é honesto. Isto por conta de algo mais
do que óbvio: povo honesto não vota
em político corrupto. Quem vota em
político corrupto é povo corrupto.
A questão que envolve a política
brasileira não está restrita a Temer,
ou a Renan, do mesmo modo em que
nunca esteve restrita a Dilma ou a
Lula. O problema do Brasil são os
brasileiros, hoje, ontem, e desde sem-
pre. Trazemos no nosso cromossomo
social a gene da corrupção.
Tudo o que está acontecendo na
política brasileira nos últimos tempos
é meramente um reflexo daquilo que
nossa população vem semeando ao
longo de anos a fio. Vendemos nossos
votos para vereadores, que apoiam
prefeitos que lhes financiam, que
depois ficam devendo favores para
deputados estaduais e federais, que
por sua vez são a base de sustentação
de campanhas para senadores, gover-
nadores e presidentes. É o que o filó-
sofo e matemático americano Edward
Lorenz chamou de Efeito Borboleta,
dentro da Teoria do Caos. O vento
provocado pela asa de uma borboleta,
aqui e agora, pode se transformar
num tufão daqui a alguns dias, em
algum lugar do planeta.
O nosso problema é que o eleitor
brasileiro não consegue ver a relação
entre vender seu voto, em troca da
quitação de uma conta de energia
elétrica, e um esquema de corrup-
ção como o da Petrobrás. A lógica do
eleitor é inversa. Ele acredita que
deva pedir algo para votar em um
político, porque este, por natureza,
irá se apossar do seu mandato para
roubar. Seria mais ou menos como
dizer que o tufão é o responsável pelo
vento originado pela borboleta, e não
o contrário.
Tirar Temer é uma bobagem tão
grande quanto foi tirar Dilma, pois
os tufões que ambos representam
são meramente frutos das batidas de
asas de quem os criou. Este alguém,
por óbvio, somos nós. E destes que
lá estão não escapa um, pois todos
só chegaram lá por obra e graça da
omissão, ou dos interesses corpora-
tivos, cá de baixo.
Observe o leitor que isto não se
limita ao executivo e ao legislativo.
A submissão do Supremo Tribunal
Federal às exigências de Renan Ca-
lheiros (PMDB/AL), na semana que
passou, não foram por acaso. Isto
porque, cada um dos ministros do
STF só chegou onde chegou por conta
do aval do Congresso Nacional, que
concordou com a indicação de cada
um deles para suas funções. Mes-
mo Congresso, que, de acordo com
a Constituição, poderá promover o
impeachment de qualquer um deles,
a qualquer tempo, sob um pretexto
qualquer. Vale lembrar que todo me-
droso também é um corrupto.
Quem pensa que a saúde hospitalar
de nossa região está ruim não viu nada
ainda. A tendência é que em 2017 ela
comece com o pé esquerdo. Como fecha-
mento do hospital São José, de Criciúma,
dois desdobramentos atingirão direta-
mente os municípios aqui do Extremo
Sul. Primeiro, quem se deslocava daqui
para ser atendido lá, não poderá mais
contar com isto, ficando por aqui mesmo.
O outro problema é que a população de
Criciúma, e municípios adjacentes, que
utilizava o São José, já começou a migrar
para municípios vizinhos, principalmen-
te para prover o nascimento de crianças.
Esta é uma realidade que também já está
sendo sentida no Hospital Regional de
Araranguá. Sendo assim, além de nosso
sistema de saúde não dar conta de nossa
demanda, terá também que absorver
parte da demanda da região carbonífera,
pelo menos até que o São José seja rea-
berto. O impasse, no entanto, não deverá
ser resolvido de imediato. O São José ale-
ga que o Estado lhe deve R$ 25 milhões,
junto com a Prefeitura de Criciúma. Por
sua vez o Estado alega que já passou R$
4 milhões a mais do que devia.
Caso vereador Cabo Loro não consi-
ga uma reversão de sua cassação no Tri-
bunal Superior Eleitoral, em Brasília,
já nas próximas semanas, o PSD, seu
partido, deverá entrar em campo para
tentar encaixá-lo dentro da gestão do
prefeito eleito de Araranguá, Mariano
Mazzuco Neto (PP). Este seria o cami-
nho mais curto para não deixar o verea-
dor, que está desde 1997 no legislativo,
sem mandato e sem representatividade
em 2017. Cabo Loro diz que ainda não
conversou com Mariano a respeito des-
se assunto, e, por conta disto, não quer
criar falsas expectativas. Ele admite,
no entanto, que uma conversação nes-
te sentido pode ser encaminhada, “já
que o PP e o PSD em Araranguá são
muito próximos”. No que diz respeito
a espaço no Governo do Estado, que é
comandado pelo PSD, o vereador não se
mostra muito empolgado. “Se a solução
para tudo isto tiver que ser política, ela
terá que ser por Araranguá, não por
Florianópolis”, comenta.
3
Pé na Estrada
Geral
Furnas e cavernas estão entre as atrações da trilha feita por alunos e professores para conhecer as belezas de Timbé
Plantas e animais da região foram observados pelas turmas
Banda Municipal faz uma apresentação durante a confraternização da escola e famílias Alunas encerraram o curso que permite a comunicação com surdos-mudos nas escolas
O
secretário de Tu-
rismo de Timbé
do Sul, Gislael
Floriano, foi convidado pelas
três turmas do 7º ano da EEB
Timbé do Sul, para mostrar
uma das belezas do município.
Na semana passada, 80
alunos e professores passa-
A EEB Otilia da Silva
Berti promoveu na noite de
quinta-feira, nas suas depen-
dências, uma confraterniza-
ção aberta a toda comunidade
do bairro Barranca, em Ara-
ranguá.
Pais, alunos e funcioná-
rios receberam na festa que
marcou o encerramento das
atividades de 2016 a Carava-
na da Cultura, da Secretaria
Municipal de Educação, e
O Setor de Educação
Especial e Diversidade da
Gerência de Educação da
Agência de Desenvolvimen-
to Regional (ADR) de Ara-
ranguá promoveu na tarde
de sexta-feira, no auditório
da Agência, o encerramento
do Curso Básico de Libras.
Foram no total 80 ho-
ras de capacitação, voltada
aos professores do AEE -
Atendimento Educacional
Timbé do Sul
Araranguá Araranguá
ram por furnas, cachoeiras e
piscinas naturais até o Portal
do Palmiro.
Durante a caminhada, o
grupo aprofundou o conhe-
cimento sobre o histórico do
local, a arte e ranhuras nas
paredes das furnas, contos,
natureza preservada, biodi-
versidade com observação de
espécies de plantas e animais
puderam prestigiar a apresen-
tação da Banda Municipal.
Outro atrativo foi a pre-
sença do Papai Noel com
distribuição de presentes e
guloseimas para as cerca de
60 crianças que estudam do
1º ao 5º ano. Além disso,
através da parceria da escola
com o grupo de moradores,
foi proporcionado um lanche
a todos os presentes.
A diretora Cristiani Ber-
nardo de Oliveira, ressaltou
que o evento encerra com
Especializado (antigo Saede
- Serviço de Atendimento
Educacional Especializado)
eArticuladores de Educação
Especial da rede regular, os
ATPs (Assistentes Técnico-
-Pedagógicos). O curso ocor-
reu ao longo do ano e foi
ministrado pelo instrutor de
Libras na região, professor
Rodolfo Rocha Pirola. A
capacitação foi ministrada
para duas turmas, sendo que
27 professores chegaram ao
chave de ouro as atividades
realizadas ao longo deste
ano na escola. “Ficamos
felizes, pois apesar de todas
as dificuldades enfrentadas,
conseguimos realizar nosso
papel, de educar e mostrar
que apesar de ser uma comu-
nidade carente, a Barranca
tem muitos aspectos positi-
vos. E com esta parceria da
Caravaana proporcionamos
um momento de cultura aos
nossos moradores”, come-
morou.
final.
No último encontro, os
participantes apresentaram
teatro em Língua de Sinais.
A integradora de educação
especial e diversidade da
Gered Araranguá, Marione
Silveira Coelho, enalteceu
a realização da capacita-
ção. “Parabéns a todos os
envolvidos. Foi um curso
maravilhoso, com bastante
conhecimento compartilha-
do”, destacou.
Jornal Correio do Sul
Segunda-Feira, 12 de dezembro de 2016
Alunos conhecem Portal do Palmiro
Escola reúne bairro em festa Encerrado curso de Libras
e reconheceu a importância
da água límpida, que é um
dos cartões postais de Timbé
do Sul. “Esta é a chance dos
alunos e professores conhece-
rem a fauna e flora que está ao
nosso lado e muitas vezes des-
conhecemos. Agradeço ao se-
cretárioGislaelpeladisposição
em todos os momentos ao nos
guiar e contar as histórias que
fizeram este passeio de estudo
mais interessante”, destacou a
diretora da EEBTimbé do Sul,
Fabiana Rovaris Pezente.
Durante a trilha foi feito
o plantio de 300 mudas de pal-
mito. Este tipo de atividade foi
realizada outras vezes, durante
o ano. A caminhada terminou
com um banho em uma das
piscinas naturais da região
4 PublicidadeJornal Correio do Sul
Segunda-Feira, 12 de dezembro de 2016
JABSON MULLER
Jornal Correio do Sul
Segunda-Feira, 12 de dezembro de 2016
jabsonmuller@grupocorreiodosul.com.br
(48) 9955.5313
Jorge Bornhausen recebe honraria
E
m solenidade realizada na manhã
de sexta-feira (9), no Centro Ad-
ministrativo do Executivo estadu-
al, em Florianópolis, o ex-governador Jorge
Konder Bornhausen foi agraciado com a mais
importante condecoração oferecida pelo Es-
tado, a Medalha de MéritoAnita Garibaldi.A
entrega foi feita pelo governador Raimundo
Colombo, que lembrou os legados deixados
por todos os ex-governadores e que hoje se
refletem em números capazes de diferenciar
Santa Catarina dos demais estados. “Hoje,
Santa Catarina homenageia um dos seus fi-
lhos mais extraordinários, como ser humano,
como político e como líder. Reconhecemos
todo o seu esforço, toda a sua entrega e todas
as suas conquistas”, disse Colombo.
Ao chegar ao Centro Administrativo, o
homenageado foi recebido pelo governador,
pelo presidente da Assembleia Legislativa,
deputado Gelson Merisio (PSD), pelo pre-
sidente do Tribunal de Justiça (TJ-SC), José
Antônio Torres Marques, e pelo ministro da
Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunica-
ções, Gilberto Kassab. Já no palco do Teatro
Pedro Ivo, onde foi realizada a solenidade e
que ficou lotado, recordou sua atuação em
favor da Educação e da Saúde, concluindo
que “vale a pena a vida pública quando vol-
tada ao bem comum”.
Depois de agradecer pela homenagem,
Bornhausen também parabenizou o gover-
nador Colombo por manter a decisão de não
aumentar impostos, bandeira que defendeu
arduamente quando foi senador da Repú-
blica.
Entrevista
Como está se sentindo com esse reco-
nhecimento?
Jorge Konder Bornhausen - Fiquei re-
almente honrado com o gesto do governador
Raimundo Colombo e acho que os 40 anos
de vida pública me dão alegria agora, que já
estou afastado há 10 anos, de poder merecer
essa distinção.
Qual sua avaliação sobre o momento
do país?
10X R$
29,90
Cartão de crédito ou R$ 299,00 à vista
FURADEIRA IMP. 1/2
650W DEWALT
JKB – Minha avaliação é de que tem
que haver mais responsabilidade. Menos
figuração e mais pensamento no país. Não há
porque não combater a corrupção, mas isso
precisa ser feito sem excessos. Os poderes
precisam ser harmônicos e independentes.
Nós precisamos de paz para que o Brasil,
dentro das regras jurídicas, com segurança,
possa merecer investimentos que voltem a
trazer o crescimento e os empregos que tanto
precisamos. A paz é a melhor solução.
Na condição de ex-senador, como o
senhor observa o Congresso Nacional e
mais especialmente o Senado?
JKB – O período é muito delicado, com
senadores envolvidos em sindicâncias, in-
quéritos, alguns já réus. Então, ficam sempre
muito mais trepidantes as ações internas do
Senado. Mas é uma Casa em
que sempre predomina o bom
senso e acho que vai cumprir
o seu papel, agora, na semana
que vem, aprovando o teto de
gastos públicos, que é o pri-
meiro grande passo para nós
podermos nos preparar para
a recuperação da economia.
Nesse cenário, o senhor
vê risco de uma nova ruptu-
ra do Estado Democrático
Andréa Leonora
Especial
de Direito?
JKB - Eu acho que o Estado Democráti-
co de Direito está mantido. Às vezes há um
excesso aqui ou acolá, de um agente público
que não compreende o momento difícil que
o país vive e que por isso exige a união de
todos. Existem regras e leis para coibir ex-
cessos. Eu acho que a segurança jurídica deve
estar sempre presente. A democracia é um
instrumento da liberdade, mas a outra face
da liberdade é a responsabilidade.
Pelo que o senhor viveu e ajudou a es-
crever da história recente do país, é capaz
de estimar um horizonte para o Brasil sair
dessa crise política, institucional e econô-
mica que se impõe?
JKB - Acredito que se o Congresso
Nacional compreender e entender a neces-
sidade da reforma da Previdência, que sem
ela nós não sairemos do setor negativo da
economia, e aprová-la ainda no primeiro
semestre (de 2017), no segundo semestre o
país vai encontrar o seu rumo, vai encontrar o
crescimento, vai
ter investimentos
externos e vai po-
der continuar as
reformas, como a
Trabalhista, a Tri-
butária e o Pacto
Federativo.
O homenageado
Nascido em 1937, no Rio de Janeiro, é
filho do também ex-governador Irineu Bor-
nhausen. Foi vice-governador (9 de março de
1967 a 15 de março de 1971) e governador
(15 de março de 1979 a 14 de maio de 1982)
de Santa Catarina, senador por dois mandatos
(de 1983 a 1991 e de 1999 a 2007), ministro
da Educação e embaixador em Portugal.
A medalha
Já foram homenageadas com a Medalha
de Mérito Anita Garibaldi personalidades
estaduais e nacionais, como o ex-presidente
Fernando Henrique Cardoso, o ex-arcebispo
da Catedral Metropolitana de Florianópolis,
Murilo Krieger, o delegado Renato José
Hendges e o ex-presidente do Supremo Tri-
bunal Federal (STF), Ricardo Lewandowski.
A honraria foi criada em 1972 para conde-
corar aqueles que se destacam por serviços
prestados ao Estado e à Nação.
Foto:JamesTavares/Secom
C.S. Empresa Jornalística LTDA.
Publicações legais:
tomaz@grupocorreiodosul.com.br
Financeiro
financeiro@grupocorreiodosul.com.br
Comercial:
l48l 3533.0870
comercial@grupocorreiodosul.com.br
Diretor Geral
Jabson Muller
l48l 9955.5313
diretor@grupocorreiodosul.com.br
Diagramação/Arte:
correiodosul@grupocorreiodosul.com.br
Sul Gráfica
sulgrafica@grupocorreiodosul.com.br
Redação:
editor@grupocorreiodosul.com.br
Radio 93FM
radio93fm@grupocorreiodosul.com.br
Circulação/Assinatura
l48l 3533.0870
assinaturas@grupocorreiodosul.com.br
6 GeralJornal Correio do Sul
Segunda-Feira, 12 de dezembro de 2016
Maior e Melhor
Durante a inauguração, a equipe da madekiko parou para registrar o momento em companhia de amigos e clientes, comemorando mais uma conquista destes 26 anos de atividade
C
om a inaugura-
ção neste sábado
do novo espaço
da Madekiko, Santa Rosa
do Sul ganhou praticamente
um shopping da construção
civil. No prédio de 1200me-
tros quadrados, o cliente
encontra tudo em material
de construção, artigos para
decoração e presentes, além
de ração para cães e e peixes
e artigos para pesca.
A Madekiko nasceu em
1985, como o nome indi-
ca, como madeireira. Era a
madeireira do Kiko, como é
conhecido Francisco Farias.
Mais de 25 anos depois,
a madeireira se mantém
como parte importante dos
negócios de Kiko, que hoje
gera cerca de 40 empregos
diretos. O grupo fabrica
casas de madeiras com tanta
beleza e qualidade que do
galpão de dois mil metros
quadrados da madeireira de
Santa Rosa do Sul saem ca-
banas para empreendimentos
turísticos da região. O preço
e a qualidade são mantidos
com iniciativas como a ma-
nutenção de 120 hectares de
reflorestamento próprio.
Santa Rosa do Sul O ponto alto desta tra-
jetória de trabalho e sucesso
foi a inauguração no sába-
do da nova loja. Em uma
parede do belo ambiente,
estão penduradas fotos que
mostram a evolução da em-
presa. Próximo a ela estão
dois sofás onde os clientes
podem descansar com con-
forto durante as compras
ou enquanto aguardam por
alguém. Tudo isso foi aben-
çoado pelo padre Sidnei
Vitali na inauguração.
Kiko é casado com Cátia
Regina Farias e tem três fi-
lhos, dois deles já trabalhan-
do nos negócios dos pais.
Além do apoio da família, o
empresário agradece aos fun-
cionários pela colaboração.
“Sozinho ninguém chega a
lugar nenhum, tenho uma
equipe comprometida, assim
como a minha família”, diz
Kiko. Um dos funcionários
mais antigos da Madekiko é
Adriano Desidério Magenis,
com 19 anos de casa. Ele
acompanhou o crescimento
da empresa e se orgulha da
grande estrutura atual da loja.
A Madekiko está loca-
lizada na avenida Damásio
Peres, na entrada de Santa
Rosa do Sul.
Madekiko inaugura nova loja
7Especial Jornal Correio do Sul
Segunda-Feira, 12 de dezembro de 2016
F
elipe chega para morar em
ArraialeSirlenecomemora.
Ralf aconselha Mario a não
acusar César sem provas para
não brigar com Alice. Mesquita
recebe um presente de César.
Vittorio garante a Lenita que
se divorciará de Loretta. Alice
comenta com Tanaka as des-
confianças de Mario e João Amaro ouve a conversa. Ralf sai
da cadeia. Hirô fica arrasada ao ver Ralf e Milena juntos. Tato,
amigo de Mario, chega para ajudar Wagner e a família. Hirô
revela para Tanaka que Yumi gosta de Tiago.
EntretenimentoEntretenimentoNovelas - Horóscopo - Diversão
Cruzadinha Novelas
D
iana briga com Lázaro.
Luizão comemora ao
descobrir que JF e Lu-
ana reataram. Gilda ameaça
tirar o dinheiro de Nicolau se
ele parar de estudar. Daniel
diz a Gui que conversará
com Lázaro sobre a multa
rescisória do contrato. Néia
se preocupa ao saber que Diana está com raiva de
Lázaro. Lázaro não aceita os argumentos de Daniel e dá
um prazo para Gui pagar sua dívida. Nelson conta para
Gordo sobre a dívida de Gui.
P
edro ameaça a vida de
Tião. Magnólia questiona
Zuza sobre o motivo de
nunca ter revelado seu caso
com Ciro. Edu sente pena de
Tião ao vê-lo fragilizado. Tiago
elogia a atitude de Letícia em
favor da mãe. Jéssica pergunta
a Salete se existe algo entre ela
e Gustavo. Misael agrideAline.Augusto não cede à tentativa
de sedução de Beth. Pedro avisa a Fausto que descobrirá
por que ele está acuado. Yara e Misael choram ao saber que
Aline foi embora de São Dimas.
Sol Nascente -18h
A Lei do Amor -21h
Rock Story -19h
Rapidinhas
Áries 21/03 a 20/04
21/04 a 20/05
21/05 a 20/06
21/06 a 20/07
21/07 a 20/08
21/08 a 20/09
21/09 a 20/10
21/10 a 20/11
21/11 a 20/12
21/12 a 20/01
21/01 a 20/02
21/02 a 20/03
Leão
HoróscopoHoróscopo
Sagitário
Gêmeos Libra Aquário
Touro
Mostrará um sentimento mais impulsivo devido
à atividade intensa em Vênus. Tomar a iniciativa
deve ser uma grande prioridade para você. Aja
com coragem mesmo que ás vezes pareça que
tudo vai mal.
Algumas de suas ideias de realizações serão frus-
tradas. Urano irá prejudicar a forma com que você
vem tentando fazer as coisas. Porém não desista,
persista na sua busca por uma vida melhor. Será
difícil para você.
A mudança pode ser a palavra chave para o seu
dia, todos devemos procurar melhorar. Porém
para esta constelação Mercúrio favorecerá neste
aspecto de mutação. Evite agir de forma contra-
ditória tenha coerência.
Não sentirá muitas mudanças, apresentará de
forma simples uma personalidade um pouco
mais sobre afetuosidade.ALua será responsável
por esta personalidade mais afetiva. Pode sentir
um pouco de melancolia.
O egoísmo estará mais visível no dia de hoje, terá
uma forte influência de Mercúrio. É necessário
que demonstre que acima de tudo você é uma
pessoa leal. Será uma tarefa difícil para você que
tem uma personalidade tão forte.
Terá um dia mais tranquilo e com leveza, a coerên-
cia estará presente nas suas opiniões. O elemento
terra será afirmativo para o seu sentido prático e
organizado. Procure executar mais o seu lado da
praticidade.
Será um dia equilibrado e mais tranquilo, Saturno
ajudará nesta questão. Apenas algumas ques-
tões que estavam mal resolvidas podem vir lhe
incomodar um pouco. Use sua diplomacia para
resolver estas intempéries.
Ficará um pouco desconfiado em relação algumas
pessoas que já teve problemas. Seu problema com
revanches pode ser agravado com a atividade de
Vênus. É bom que utilize o bom senso para usar
seu processo transformador.
Não terá o mesmo bom humor que você vinha
carregando. Mercúrio fará com que você fique
um pouco mais irresponsável. Deve agir com
mais sinceridade e responsabilidade com as
tarefas que você precisar executar.
O seu realismo irá ajudar você conseguir passar
por cima de alguns problemas. Realizará algu-
mas ideias que te deixarão com orgulho. Marte
auxiliará nessa sua caminhada. Não sucumba ao
pessimismo e a ganância.
Agirá com mais independência e livre de algumas
atividades imprevisíveis. Saturno deixará você
com um espírito mais simpático e tolerante. Essa
energia deve ser preservada, tente atividades em
grupo também.
O elemento água ajudará você a ter um espírito mais
romântico e carinhoso. Vênus também contribuirá
para que você possa se aproximar de algumas pes-
soas. É muito importante que você não deixe levar
por algumas conquistas.
Virgem Capricórnio
Câncer Escorpião Peixes
Preta Gil celebrou a sétima edição do “Bazar
da Preta” neste domingo, 11, no Leblon, Zona
Sul do Rio. O evento, que vai destinar todo lucro
obtido com as vendas das roupas doadas por
famosos para a Casa do Amor, no Complexo
do Alemão, teve ainda a presença de Rodrigo
Godoy, marido de Preta, que aproveitou para pa-
paricar a cantora com beijinhos entre uma venda
e outra. Além dele, a apresentadora Fernanda
Gentil também foi conferir a tarde solidária.
Com um look arrasador, Leticia postou uma
foto em sua conta no Instagram na tarde deste
domingo, 11. Com um modelito bem marcado,
ela apareceu sem a esperada barriguinha de
sua primeira Gravidez. Aos sete meses, ela
segue praticamente com a mesma boa forma
de sempre. Porém, o decotão que ela ostentou
chamou atenção.
Jornal Correio do Sul
Segunda-Feira, 12 de dezembro de 2016
Para Natal
Peças foram vendidas a preços mínimos e dinheiro arrecadado vai beneficiar várias famílias
Voluntárias da associação organizaram feira de calçados
Policiais fazem campanha e distribuem brinquedos na creche
N
em o mau tem-
po espantou
a vontade de
ajudar o próximo em uma
ação promovida pelo Corpo
de Bombeiros de Turvo. O
Bazar Solidário aconteceu
pela primeira vez na última
sexta-feira, e já foi o maior
sucesso atraindo a atenção
dos turvenses.Aideia surgiu
puramente da observação
da bombeiro comunitária
Eduarda Zeferino Gomes,
que movimentou a corpo-
ração inteira numa ação
para auxiliar quem precisa.
“Eu já tinha a vontade de
fazer isso há algum tempo,
então esperei chegar o fim
do ano para conversar com
o comandante e saber se era
possível. Fizemos uma ação
no dia das crianças e conheci
pessoas que precisam de
ajuda. Fiquei com vontade
de fazer mais e conseguimos
ampliar a mobilização”,
conta ela.
Além do bazar de rou-
pas, ainda teve pedágio e
arrecadação de novas doa-
ções. “Estamos felizes com
as vendas que fizemos”,
declara Eduarda.
Para o sargento Carlos
Cézar da Silva, comandante
do Corpo de Bombeiros de
Turvo, não tinha como dizer
não a uma iniciativa dessas.
“Penso que a causa é nobre,
A Associação de Mo-
radores do bairro Nova
Brasília, em Sombrio, pro-
moveu no sábado um bazar
de calçados. Os calçados,
na grande maioria infan-
tis, foram doados por uma
empresa e vendidos por
R$ 2,00 e R$ 5,00. Parte
do recurso arrecadado será
usado para custear a festa de
final de ano das crianças do
bairro, e parte será entregue
aos pais do menino Danton,
que luta há mais de um ano
contra a leucemia.
Os irmãos Sílvio e Sir-
lene Maciel Silveira são
voluntários em todas as
ações da associação, e par-
ticiparam mais uma vez
neste sábado. Sirlene diz
que desde menina gosta de
ajudar o próximo e que de-
dicar algumas horas do seu
tempo para causas sociais
não a incomoda. “Deus me
deu esse dom de ajudar,e é
o que faço”, diz.
O bazar foi realizado no
ginásio de esportes local.
Na tarde da última sexta-
-feira, a Polícia Civil de Ara-
ranguá distribuiu no Centro de
EducaçãoInfantilCantinhodo
Amor II, localizado no bairro
Vila São José, a segunda re-
messa dos brinquedos e doces
arrecadados na campanha de
natal Doe um brinquedo e
multiplique sorrisos.
A campanha iniciou em
novembro,foicoordenadapelo
delegado regional Diego Har-
cher De Haro e pelas policiais
civis Tânia Mara Valentini
Costa e Maria Eliane Figuei-
redo e arrecadou cerca de 600
presentes,queforamdivididos
emkitseentreguesàscrianças.
Segundo a coordenadora
Maria de Fátima da Silva,a
creche atende 80 crianças de
seis meses a quatro anos, dos
bairros Vila São José, Colo-
ninha, Parque Alvorada, Bai-
xadinha, Polícia Rodoviária,
entre outras localidades e fun-
ciona nos períodos matutino e
Aline Bauer
Turvo
Sombrio
Gislaine Fontoura
Araranguá
então temos que abraçar
e fazer a nossa parte. Não
resolve o problema da huma-
nidade, mas é o que podemos
fazer”, comenta.
As doações serão rever-
tidas para entidades como
Apae e casas de acolhimen-
to. “Definiremos a entidade
que mais precisa e aquilo
que conseguirmos arreca-
dar, estaremos direcionando
a isso. A equipe abraçou a
ideia, se empenhou e vemos
muita dedicação”, continua
o sargento. Muitas doações
de roupas foram recebidas
durante toda a semana, e
depois organizadas e la-
vadas. Alimentos também
foram doados para as cestas
básicas. “O evento fecha
com chave de ouro apesar
da chuva”, comemoram os
bombeiros.
Sedenir Luiz Cadorin
colabora em todos os baza-
res, além de adquirir muitas
roupas por preço baixo.
“Vim para ajudar os bom-
beiros a ajudar alguém. Cada
vez que tem ações assim par-
ticipo”, conta.Além do bazar
para vender roupas a preços
baixos, a corporação ainda
coopera com a Campanha
de Natal Solidário, junto à
CDL, há três anos e estará
nos dias 15 e 16 de dezembro
entregando as cestas básicas
as famílias. Para o Natal
Solidário, há vários pontos
para doações e se alguém não
puder levar sua colaboração,
vespertino. Este é o segundo
ano que os alunos recebem
os policiais civis, que vêm
acompanhados do Papai Noel
e fazem a alegria da garotada.
“Agradeço a Polícia Civil, que
faz este serviço maravilhoso,
este é o segundo ano que eles
vêm aqui na nossa festinha de
encerramento. Os pequenos
adoram ver os policiais che-
gando de viatura, com o Papai
Noel, ficam muito felizes”,
conta.
O delegado Diego contou
que na quarta-feira, o CEI do
bairro Santa Catarina já havia
sidocontemplado.“Esteéose-
gundo ano que a Policia Civil
realizaacampanha,eaentrega
nos emociona muito, porque
chegamos aqui, as crianças
ainda fazem uma apresenta-
ção de homenagem ao Natal e
somos muito bem recebidos.
Para nós é muito importante
trazer um pouquinho do nosso
carinho para estas crianças”,
assevera.
Algumas policiais civis
choraram durante a entrega,
o que emocionou professores,
pais e inclusive a imprensa
presente. “A aproximação
da polícia com a sociedade é
importante, de baixo destas
camisetas pretas existem seres
humanos preocupados com o
próximo”, analisa o delegado
Diego.
OservidorpúblicoJoélcio
Bombeiros fazem bazar solidário
Associação arrecada recursos
Policiais entregam presentes em creche
9Geral Jornal Correio do Sul
Segunda-Feira, 12 de dezembro de 2016
basta ligar para os bom-
beiros que eles irão buscar.
Brinquedos, cestas básicas,
que são mais pertinentes ao
Natal, já podem ser doadas.
Para os bombeiros de Turvo,
não tem mau tempo na hora
de ajudar quem necessita.
Arcenego Anastácio, tem um
filho de cinco anos de idade no
CEI da Vila São José e contou
que o menino estava há vários
dias cantado e entusiasmado
com a festa, esperando a che-
gada do Papai Noel. “Para nós
pais,éimportanteperceberque
o filho se deixa levar pelo mo-
mento, pelo espírito natalino”,
pondera.
10 PublicidadeJornal Correio do Sul
Segunda-Feira, 12 de dezembro de 2016
Castelo de Cartas
Delegados de Araranguá e de outras regiões participaram de entrevista coletiva para esclarecer operação sobre o jogo
Policiais entraram na água no dia do assalto para resgatar motorista de táxi preso no carro
A
PolíciaCivil,atra-
vés da Diretoria
Estadual de In-
vestigações Criminais (Deic),
divulgou na manhã de sexta-
-feira, o resultado da operação
Castelo de Cartas, deflagrada
quinta-feira,emqueseapurao
crime de lavagem de dinheiro
O vereador Luiz Djalma
Marcelino, o Luiz do Bailão,
está solicitando que seja
concedida Moção de Reco-
nhecimento ao 19º Batalhão
da Polícia Militar de Araran-
guá, destacando a ação do
sargento Anderson Américo
Espíndula, cabo Gilson Cân-
dido, cabo Nicholas Canani,
soldado Alexandre da Luz,
soldado Renato Magnus da
Silva e soldado Renato Pru-
- A Polícia Militar de Sombrio cumpriu na sexta-feira, no Morro do Cipó,um mandado
de prisão contra um homem de 51 anos.
Segundo informações, em 2010 ele teria descoberto uma traição da esposa e quando
chegou em casa a obrigou a manter relações sexuais com ele, caracterizando o estupro. Ela
procurou a polícia e denunciou o marido, que agora foi preso. Segundo os policiais, ele não
ofereceu resistência e foi entregue na delegacia de Sombrio.
- Um veículo com registro de roubo foi encontrado na última sexta-feira, em Passo de
Torres.
Segundo a polícia, o Celta de cor prata e placas HBL-8215, de Forquilhinha, tinha sido
roubado em Criciúma. Ele foi encontrado na estrada geral Miratorres depois que a Polícia
Militar recebeu denúncia de que havia um carro parado na comunidade. A guarnição foi ao
local e recolheu o veículo, avisando o proprietário.
- Na tarde de quinta-feira,por volta das 18h, uma guarnição da Polícia Militar deAraran-
guá realizava rondas no centro da cidade quando visualizou um homem em atitude suspeita.
Após realizada a abordagem, durante a checagem da documentação, os policiais militares
constataram que o homem possuía um mandado de prisão ativo em seu desfavor.Ele recebeu
voz de prisão e foi entregue na delegacia, e já possui diversas passagens por furto e roubo.
- Cerca de meia-hora depois, na mesma quinta-feira,uma guarnição da Polícia Militar
de Balneário Arroio do Silva se deslocava para atender uma ocorrência quando os policiais
perceberam uma motoneta com seu condutor em atitude suspeita. Ao notar a presença da
viatura, ele fugiu do local.
Iniciado o acompanhamento, populares indicaram uma residência onde estava escondido
o condutor da motoneta. Já próximo ao local, os policiais militares localizaram o adolescente
de 16 anos. Na residência abandonada, encontraram uma televisão, que havia sido furtada
na manhã do mesmo dia, e uma touca de cor preta.
Durante a checagem de documentação no sistema, foi constatado que havia um mandado
de apreensão ativo em desfavor do adolescente.
Gislaine Fontoura
Araranguá
Araranguá
praticado por organização
criminosa, especializada na
exploração do jogo do bicho,
em seis cidades de Santa Ca-
tarina. A apuração iniciou há
um ano, depois de denúncia
anônimadequecontraventores
atuavam emAraranguá, com a
facilitaçãodeservidorespúbli-
cos. Durante as investigações
foi comprovado que a rede se
espalhou por outras cidades.
Foram apreendidos cerca
dêncio Cardoso.
Os seis policiais mili-
tares atuaram na ocorrência
que salvou à vida de um
taxista de 59 anos, vítima de
assalto. O incidente ocorreu
no dia 11 de setembro, por
volta das 19h. O taxista foi
chamado para fazer uma cor-
rida e em seguida roubado,
além de sofrer tentativa de
homicídio.
Após o roubo do dinhei-
ro, o taxista ficou trancafiado
no porta malas de seu veícu-
lo, que foi arremessado nas
águas do rio Araranguá, na
localidade de Volta do Sil-
veira. “Uma rápida, corajosa
e eficaz ação policial evitou
a tragédia, possibilitando o
resgate e salvamento da ví-
tima, que confidenciou não
saber nadar. Esse foi mais
uma demonstração de que a
Polícia Militar enfrenta obs-
táculos e não mede esforços
para garantir a segurança
dos cidadãos”, defendeu o
vereador.
Operação aponta vereador eleito
com dinheiro de jogo do bicho
Policiais homenageados por salvamento
Ronda Policial
11Segurança Jornal Correio do Sul
Segunda-Feira, 12 de dezembro de 2016
deR$100milemdinheiro,seis
mandadosdeprisãotemporária
equatroconduçõescoercitivas
foramcumpridos.Diversosdo-
cumentos foram apreendidos,
que serão analisados. As di-
ligências foram realizadas em
Araranguá, Balneário Arroio
do Silva, Balneário Rincão,
Tubarão, Criciúma e Gravatal
e contaram com o apoio de
várias unidades policiais. Os
mandadosforamemitidospela
Comarca de Araranguá.
A operação, que contou
com apoio do Ministério Pú-
blico, foi deflagrada visando o
cumprimento de 19 mandados
de busca e apreensão, nove
prisões temporárias e cinco
conduções coercitivas. Além
dessas medidas, foi decretado
ainda o bloqueio de ativos
financeiros de 13 pessoas fí-
sicas e jurídicas e o sequestro
de 22 veículos. Ainda foram
apurados os crimes de corrup-
ção ativa, corrupção passiva e
tráficodeinfluência,praticados
pelaorganizaçãocriminosaem
conluio com agentes públicos.
De acordo com infor-
mações do delegado Lucas
Rosa, titular da 1ª Delegacia
de Polícia de Araranguá, que
participou da operação, das
seis prisões temporárias, duas
aconteceram em Araranguá.
Ainda em Araranguá, uma
terceirapessoafoipresaemfla-
grante por porte ilegal de arma
de fogo, durante diligência em
uma das casas com mandado
de busca. Esta pessoa, um
homem, pagou fiança e foi
liberado.
Os nomes dos presos não
podem ser divulgados, porque
a investigação está sob sigilo.
“Durante as investigações, a
Deic conseguiu apurar que os
suspeitos entraram em contato
compolíticosdaregião,visan-
do à transferência de policiais
civis,queestavamtrabalhando
para impedir a prática do jogo
do bicho em Araranguá”, re-
vela Lucas.
O delegado contou que a
investigação apurou ainda que
o dinheiro do jogo do bicho,
em Araranguá, chegou a ser
utilizado para financiar cam-
panhas políticas. Os policiais
identificaram uma pessoa que
se candidataria a vereador e
usaria o dinheiro da contra-
venção durante a campanha,
porém, por problemas com
o partido ou desistência, não
teve sua candidatura lançada.
Outro homem foi candidato
a vereador, teve a campanha
financiadaporumbicheiroese
elegeu para compor a câmara
araranguaense.
Na manhã de sexta-feira,
aconteceu uma coletiva de im-
prensa em Florianópolis, para
dar detalhes do caso e além do
delegadoLucas,opromotorde
Araranguá, Márcio Gai Veiga,
participou da coletiva, com
demais autoridades da capital.
Foto:AndersonSilva/AgênciaRBS
12 PublicidadeJornal Correio do Sul
Segunda-Feira, 12 de dezembro de 2016
Morto a Tiros
Corpo de Henrique Vargas foi encontrado caído em uma estrada com marcas de disparos
Delegado Régis e sua equipe do Arroio, Virginia e João
Peterson está sendo procurado por assalto com violência
A
noite de sexta-
-feira, terminou
violenta emAra-
ranguá. Por volta de 23 ho-
ras, Henrique Lamb Vargas,
de 21 anos, foi morto a tiros
e seu corpo foi encontrado
na estrada geral do CTG, na
Lagoa da Serra, que ligaAra-
ranguá ao Balneário Arroio
do Silva. A Polícia Militar
foi acionada por populares
e solicitou a presença do
Corpo de Bombeiros, que ao
chegar constatou que o rapaz
estava morto.
A área foi isolada até a
Na sexta-feira, a Polícia
Civil de Arroio do Silva enca-
minhouparaoPoderJudiciário
deAraranguá o inquérito poli-
cial, que esclareceu o terceiro
homicídio do ano, registrado
no balneário, na noite do dia
25setembro.OcorpodeLucas
Alcino Monteiro, o Fantoche,
de 30 anos, foi encontrado na
rua, naVila Isabel. Lucas já era
conhecido do meio policial,
com 33 boletins de ocorrên-
cia, incluindo furto, posse de
drogas, dano e ameaça, e foi
assassinado com três disparos
de arma de fogo.
De acordo com a Polícia
Civil, o caso está solucionado
e encaminhado ao judiciário
com indicação de autoria. O
suspeito é de Arroio do Silva
e a motivação do crime en-
volve uso de drogas e briga
de âmbito familiar. Assim
como o morto, o assassino tem
inúmeras passagens policiais.
Quatro testemunhas, que não
se contradisseram e firmaram
convicção em seus depoimen-
tos, foram essenciais para a
conclusão do caso.
A investigação iniciou
com o delegado Lucas Rosa
e foi concluída pelo delegado
Régis Parisi Legramanti, titu-
lar da delegacia de Arroio do
Silva. Conforme informações
da polícia civil, a autoria do
Foi concluída pela De-
legacia de Polícia Civil de
Morro Grande e encami-
nhada ao Poder Judiciário
de Meleiro, na tarde de
sexta-feira, a investigação
que apurou um roubo na
residência de um casal de
comerciantes, morador da
comunidade de Três Barras.
O roubo ocorreu no dia
26 de agosto, por volta das
22 horas, quando o casal
estava fechando o bar e
foi levado para dentro do
estabelecimento comercial
por dois homens armados
e encapuzados. As vítimas
Gislaine Fontoura
Araranguá
Gislaine Fontoura
Arroio do Silva
Morro Grande
chegada dos técnicos do Ins-
tituto Geral de Perícia (IGP).
O delegado plantonista Jair
Pereira Duarte e agentes
da Divisão de Investigação
Criminal (DIC) de Araran-
guá também trabalharam
na ocorrência, bem como
agentes do Instituto Médico
Legal (IML), que recolheram
o corpo.
Henrique foi executado
com vários disparos de pis-
tola calibre 9mm, depois de
ter sido vítima de tentativa de
homicídio em setembro, no
bairro Vila São José. A PM
localizou, próximo ao corpo,
cinco cápsulas de pistola
9mm que foram recolhidas
homicídio já está definida, po-
rém o nome do assassino está
sendo mantido em sigilo para
não prejudicar o andamento do
processo.
Neste ano, Arroio do Sil-
va registrou três casos de
homicídio. O primeiro foi do
jovem Érick Kanã Xavier da
Silva, de 15 anos, brutalmente
assassinado,provavelmenteno
início da madrugada do dia 12
dejunhoeseucorpofoiencon-
trado pela manhã, às margens
da estrada de chão que liga
ArroiodoSilvaaoLoteamento
Paiquerê. O inquérito policial
foi concluído, o caso foi solu-
cionado e todos os envolvidos
no crime foram presos.
O segundo homicídio de
2016 aconteceu no dia 7 de
setembro, na Vila Isabel, Re-
foram amarradas e levadas
para dentro da residência,
onde foram ameaçadas e
torturadas por aproximada-
mente duas horas, ficando
sob a mira das
armas dos ban-
didos.
Para apa-
vorar os co-
m e r c i a n t e s ,
os assaltantes
fizeram ‘role-
ta russa’ com
u m a a r m a
apontada para a cabeça
deles, que também leva-
ram golpes de coronhadas.
Quando finalmente saíram
da casa, os ladrões levaram
pela perícia.
Avítima foi alvejada pe-
las costas, ainda havia perfu-
rações no pescoço e um tiro
de raspão atrás da cabeça.
Para o delegado o crime pode
ter sido uma execução su-
mária e a investigação deve
indicar como ele chegou
até a estrada geral do CTG,
com quem estava, por que
e por quem foi assassinado.
O delegado apurou, durante
diligências no cenário do
crime, que Henrique correu
quando foi alvejado, com ele
foram encontrados um boné,
uma carteira, uma pequena
porção de maconha e um
aparelho celular.
nan da Silva, de 32 anos, foi
vítima de disparos de arma de
fogo e morreu na rua com um
tiro na cabeça. Um mês após
o crime, o inquérito policial
foi concluído, com definição
de autoria e quatro suspeitos
foram presos.
O terceiro homicídio re-
gistrado este ano no Arroio
foi solucionado na última
sexta-feiraeodelegadoLegra-
manti afirma que a conclusão
de mais um caso com êxito se
deve muito ao escrivão João
Cechinel e a agente Virgínia
Maria de Oliveira Custódio.
“A equipe da Delegacia de
Polícia deArroio do Silva tem
profissionais extremamente
dedicados, que foram impres-
cindíveis para a solução do
caso”, analisa.
um aparelho celular e duas
armas de fogo. A investi-
gação conseguiu identificar
um dos autores do crime e
concluiu que a motivação
foi vingança.
O homem
identificado
é P e t e r s o n
Arnaldo dos
Santos Fer-
nandes, de 25
anos, morador
do bairro Vila
Manaus, em
Criciúma, mas que há al-
guns anos morou na pacata
comunidade de Três Barras,
em Morro Grande. Peter-
son é considerado foragido
Corpo de rapaz é encontrado na rua
Esclarecida morte de Fantoche
Polícia identifica ladrão que torturou casal
13Polícia Jornal Correio do Sul
Segunda-Feira, 12 de dezembro de 2016
da justiça, pois contra ele
está em aberto mandado de
prisão preventiva, expedido
pelo Poder Judiciário de
Meleiro, pelo roubo come-
tido contra o casal.
A Polícia Civil, além
de identificar um dos ban-
didos, também conseguiu
recuperar o aparelho celular
e uma das armas de fogo
roubadas e solicita o apoio
da comunidade para locali-
zar o marginal. Denúncias
e informações que possam
ajudar na localização e pri-
são de Peterson podem ser
passadas, em total sigilo,
por meio do telefone 181.
Fotos:ContraoCrime
14 PublicidadeJornal Correio do Sul
Segunda-Feira, 12 de dezembro de 2016
15Segurança Jornal Correio do Sul
Segunda-Feira, 12 de dezembro de 2016
EDITAL DE INTIMAÇÃO
ARLINDO EDÍLIO DA ROSA, Titular do TABELIONATO DE NOTAS E PROTESTOS DE TÍTULOS
desta Comarca de Sombrio, situado na Av. Nereu Ramos, 1300 - Fone (48) 3533-0318 - CEP
88960-000, atendimento das 08:00h - 12:00h e 14:00h - 18:00h, faz saber na forma da Lei aos que
o presente EDITAL virem, que se encontram nesse tabelionato para serem protestados, decorrido
o prazo legal de 03 (três) dias úteis, por não terem sido encontrados nos endereços fornecidos, ou
por se recusarem a tomar conhecimento, os títulos cujos responsáveis estão abaixo discriminados.
Ficam esclarecidos, também, de que nesse mesmo prazo poderão apresentar resposta escrita, que
não impedirá a lavratura do protesto.
PROT. .................................................APRESENTANTE / CNPJ DEVEDOR / CNPJ
Prot: 152970; Devedor(es): A. PEREIRA SOARES DA COSTA ME - 18.548.393/0001-38, End: Rod.
Januario Manoel Borges, 240, Sombrio; Tip: Normal; Mot: Falta de pagamento; Ced: ANTONIAZZI
& CIA LTDA; Sac: ANTONIAZZI & CIA LTDA; Tit: 183436/162 ; Apr: BANCO DO BRASIL SA; VEN:
02/12/2016; Esp: Duplicata de Venda Mercantil por Indicação; Val: R$ 800,00 + Juros Legais (1%
a.m.); Emol.: R$ 80,14. Apontamento R$ 15,00 - Selo R$ 1,70 - Distribuição R$ 0,00 - Diligência R$
46,00 - Condução R$ 19,14 - Digitalização R$ 0,00- Total Emolumentos R$ 80,14.
Prot: 152931; Devedor(es): ADRIANA MARTINS DE FREITAS - 072.665.079-01, End: Rua Pref.
Fioravante Minatto, 490, Sombrio; Tip: Normal; Mot: Falta de pagamento; Ced: CONFECCOES
MATTRIC LTDA; Sac: CONFECCOES MATTRIC LTDA; Tit: 12324 ; Apr: FCDL; VEN: 04/05/2016;
Esp: Duplicata de Venda Mercantil por Indicação; Val: R$ 364,14 + Juros Legais (1% a.m.); Emol.: R$
51,86.Apontamento R$ 15,00 - Selo R$ 1,70 - Distribuição R$ 0,00 - Diligência R$ 30,00 - Condução
R$ 6,86 - Digitalização R$ 0,00- Total Emolumentos R$ 51,86.
Prot: 152957; Devedor(es): BERENICE DA SILVA CLEMES - 549.888.530-04, End: Av. Parana, 383,
Balneario Gaivota; Tip: Normal; Mot: Falta de pagamento; Ced: CECILIA ROSA ISOPPO COELHO
& CIA LTDA - ME; Sac: CECILIA ROSA ISOPPO COELHO & CIA LTDA - ME; Tit: 0000001922 ;
Apr: FCDL; VEN: 17/08/2015; Esp: Nota Promissória; Val: R$ 239,74 + Juros Legais (1% a.m.);
Emol.: R$ 77,98. Apontamento R$ 15,00 - Selo R$ 1,70 - Distribuição R$ 0,00 - Diligência R$ 46,00
- Condução R$ 16,98 - Digitalização R$ 0,00- Total Emolumentos R$ 77,98.
Prot: 152896; Devedor(es): DAIANE MARQUES MARTINHO - 067.582.499-05, End: Estrada Geral, 61,
Sombrio; Tip: Normal; Mot: Falta de pagamento; Ced: BV FINANCEIRA S/A CFI; Sac: SCHULZE
ADVOGADOSASSOCIADOS; Tit: 900345723 ;Apr: SCHULZEADVOGADOSASSOCIADOS; VEN:
À VISTA; Esp: Cédula de Crédito Bancária por Indicação; Val: R$ 3.112,48 + Juros Legais (1% a.m.);
Emol.: R$ 70,96. Apontamento R$ 15,00 - Selo R$ 1,70 - Distribuição R$ 0,00 - Diligência R$ 46,00
- Condução R$ 9,96 - Digitalização R$ 0,00- Total Emolumentos R$ 70,96.
Prot: 152941; Devedor(es): JOSUE BRISTOT DA SILVA - 053.324.649-08, End: Rua Santos Coelho,
294, Sombrio; Tip: Normal; Mot: Falta de pagamento; Ced: CAVALER FACTORING FOMENTO
COMERCIAL LTDA; Sac: REI DO PREGO IMPORTACAO E COMERCIO LTDA; Tit: 157661/01 ;
Apr: BANCO BRADESCO S A; VEN: 30/11/2016; Esp: Duplicata de Venda Mercantil por Indicação;
Val: R$ 790,00 + Juros Legais (1% a.m.); Emol.: R$ 51,86. Apontamento R$ 15,00 - Selo R$ 1,70
- Distribuição R$ 0,00 - Diligência R$ 30,00 - Condução R$ 6,86 - Digitalização R$ 0,00- Total
Emolumentos R$ 51,86.
Prot: 152866; Devedor(es): KATIANADOS SANTOS BERTOLDO - 951.858.529-68, End: RuaAlfredo
Teixeira da Rosa, 620, Sombrio; Tip: Normal; Mot: Falta de pagamento; Ced: FOX CALCADOS;
Sac: FOX CALCADOS; Tit: 44802 ;Apr: FCDL; VEN: 30/08/2015; Esp: Duplicata de Venda Mercantil
por Indicação; Val: R$ 63,00 + Juros Legais (1% a.m.); Emol.: R$ 51,86. Apontamento R$ 15,00 -
Selo R$ 1,70 - Distribuição R$ 0,00 - Diligência R$ 30,00 - Condução R$ 6,86 - Digitalização R$
0,00- Total Emolumentos R$ 51,86.
Prot: 152882; Devedor(es): KATIANADOS SANTOS BERTOLDO - 951.858.529-68, End: RuaAlfredo
Teixeira da Rosa, 620, Sombrio; Tip: Normal; Mot: Falta de pagamento; Ced: FOX CALCADOS;
Sac: FOX CALCADOS; Tit: 44528 ;Apr: FCDL; VEN: 18/08/2015; Esp: Duplicata de Venda Mercantil
por Indicação; Val: R$ 124,00 + Juros Legais (1% a.m.); Emol.: R$ 51,86. Apontamento R$ 15,00
- Selo R$ 1,70 - Distribuição R$ 0,00 - Diligência R$ 30,00 - Condução R$ 6,86 - Digitalização R$
0,00- Total Emolumentos R$ 51,86.
Prot: 152956; Devedor(es): KATILENE PEREIRA DA SILVA PEREIRA - 016.203.459-86, End: Rua
Miguel José da Silva, S/N, Balneario Gaivota; Tip: Normal; Mot: Falta de pagamento; Ced: FOX
CALCADOS; Sac: FOX CALCADOS; Tit: 42796 ; Apr: FCDL; VEN: 06/08/2015; Esp: Duplicata
de Venda Mercantil por Indicação; Val: R$ 252,00 + Juros Legais (1% a.m.); Emol.: R$ 77,98.
Apontamento R$ 15,00 - Selo R$ 1,70 - Distribuição R$ 0,00 - Diligência R$ 46,00 - Condução R$
16,98 - Digitalização R$ 0,00- Total Emolumentos R$ 77,98.
Prot: 152947; Devedor(es): KATILENE PEREIRA DA SILVA PEREIRA - 016.203.459-86, End: Rua
Miguel José da Silva, S/N, Balneario Gaivota; Tip: Normal; Mot: Falta de pagamento; Ced: FOX
CALCADOS; Sac: FOX CALCADOS; Tit: 42782 ; Apr: FCDL; VEN: 06/08/2015; Esp: Duplicata
de Venda Mercantil por Indicação; Val: R$ 258,00 + Juros Legais (1% a.m.); Emol.: R$ 77,98.
Apontamento R$ 15,00 - Selo R$ 1,70 - Distribuição R$ 0,00 - Diligência R$ 46,00 - Condução R$
16,98 - Digitalização R$ 0,00- Total Emolumentos R$ 77,98.
Prot: 152967; Devedor(es): MARIA DONADEL PANATO ME - 06.274.962/0001-15, End: Rua Padre
João Reitz, 209, Sombrio; Tip: Normal; Mot: Falta de pagamento; Ced: COMAPREIS LTDA EPP;
Sac: COMAPREIS LTDA EPP; Tit: 027607/05 ; Apr: BANCO DO BRASIL SA; VEN: 03/12/2016; Esp:
Duplicata de Venda Mercantil por Indicação; Val: R$ 341,18 + Juros Legais (1% a.m.); Emol.: R$
51,86.Apontamento R$ 15,00 - Selo R$ 1,70 - Distribuição R$ 0,00 - Diligência R$ 30,00 - Condução
R$ 6,86 - Digitalização R$ 0,00- Total Emolumentos R$ 51,86.
Prot: 152929; Devedor(es): TAISON ROSSO NETO - 080.005.249-88, End: Rua João José Guimarães,
479, Sombrio; Tip: Normal; Mot: Falta de pagamento; Ced: JULIANO PEREIRADOS SANTOS; Sac:
JULIANO PEREIRA DOS SANTOS; Tit: 1 ; Apr: FCDL; VEN: 11/09/2016; Esp: Duplicata de Venda
Mercantil por Indicação; Val: R$ 599,85 + Juros Legais (1% a.m.); Emol.: R$ 51,86. Apontamento R$
15,00 - Selo R$ 1,70 - Distribuição R$ 0,00 - Diligência R$ 30,00 - Condução R$ 6,86 - Digitalização
R$ 0,00- Total Emolumentos R$ 51,86.
Prot: 152950; Devedor(es): TANIA CRISTINA PEREIRA - 707.555.909-53, End: Rua das Acacias,
50, Balneario Gaivota; Tip: Normal; Mot: Falta de pagamento; Ced: FOX CALCADOS; Sac: FOX
CALCADOS; Tit: REF000125 ; Apr: FCDL; VEN: 25/08/2014; Esp: Duplicata de Venda Mercantil
por Indicação; Val: R$ 225,00 + Juros Legais (1% a.m.); Emol.: R$ 71,91. Apontamento R$ 15,00 -
Selo R$ 1,70 - Distribuição R$ 0,00 - Diligência R$ 46,00 - Condução R$ 10,91 - Digitalização R$
0,00- Total Emolumentos R$ 71,91.
Prot: 152951; Devedor(es): THAISEALVES GONCALVES - 098.788.719-08, End: Rod. José Tiscoski,
S/N, Balneario Gaivota; Tip: Normal; Mot: Falta de pagamento; Ced: FOX CALCADOS; Sac:
FOX CALCADOS; Tit: 43495 ; Apr: FCDL; VEN: 14/07/2015; Esp: Duplicata de Venda Mercantil por
Indicação; Val: R$ 162,00 + Juros Legais (1% a.m.); Emol.: R$ 71,91. Apontamento R$ 15,00 - Selo
R$ 1,70 - Distribuição R$ 0,00 - Diligência R$ 46,00 - Condução R$ 10,91 - Digitalização R$ 0,00-
Total Emolumentos R$ 71,91.
Prot: 152958; Devedor(es): THAISEALVES GONCALVES - 098.788.719-08, End: Rod. José Tiscoski,
S/N, Balneario Gaivota; Tip: Normal; Mot: Falta de pagamento; Ced: FOX CALCADOS; Sac:
FOX CALCADOS; Tit: 43717 ; Apr: FCDL; VEN: 23/07/2015; Esp: Duplicata de Venda Mercantil por
Indicação; Val: R$ 308,00 + Juros Legais (1% a.m.); Emol.: R$ 71,91. Apontamento R$ 15,00 - Selo
R$ 1,70 - Distribuição R$ 0,00 - Diligência R$ 46,00 - Condução R$ 10,91 - Digitalização R$ 0,00-
Total Emolumentos R$ 71,91.
Certifico, para os devidos fins, que o presente edital foi afixado no mural da serventia em: 12/12/2016.
Sombrio - SC, 12/12/2016
ARLINDO EDÍLIO DA ROSA
Estado de Santa Catarina
PREFEITURA MUNICIPAL DE PRAIA GRANDE
EXTRATO CONTRATUAL
Contrato Nº.: ................................................................... 77/2016
Contratante.: .. PREFEITURA MUNICIPAL DE PRAIA GRANDE.
Contratada..: ............................ARMAZEM SOUPAC LTDA EPP.
Objeto.........:AQUISIÇÃO DE MERENDA ESCOLAR PARA O 2º SEMESTRE DE 2016.
Valor..........:R$ 39.577,56 (trinta e nove mil, quinhentos e setenta e sete reais e cinqüenta e seis centavos).
Vigência.....: .................Início : 24/11/2016 Término: 31/12/2016
Licitação.....:....................... PREGÃO PRESENCIAL Nº 12/2016
Recursos.....:..................... DOTAÇÃO :. 2.012/3.3.90/DR 01.60
PRAIA GRANDE, 24 de Novembro de 2016.
Extrato de Termo Aditivo
TERMO ADITIVO AO CONTRATO Nº 66/2016, assinado em
06/12/2016 entre a Prefeitura Municipal de Praia Grande e Vilmar Lumertz Roldão,
cujo objeto é o aditamento de mais R$ 113,00 (cento e treze reais), correspondente
a 25% (vinte e cinco por cento) dos produtos licitados e homologados, totalizando o valor de
R$ 565,00 (quinhentos e sessenta e cinco reais).
Extrato de Termo Aditivo
TERMO ADITIVO AO CONTRATO Nº 46/2015, assinado em
02/03/2015 entre a Prefeitura Municipal de Praia Grande e a Empresa
RAC SANEAMENTO E TECNOLOGIA AMBIENTAL PARA DISPOSIÇÃO E
TRATAMENTO DE RESIDUOS LTDA, cujo objeto é o aditamento de mais
R$ 14.070,00 (quatorze mil e setenta reais), correspondente a 25% (vinte e
cinco por cento) dos produtos licitados e homologados, totalizando o valor de
R$ 70.353,60 (setenta mil e trezentos e cinqüenta e três reais e sessenta centavos).
Extrato de Termo Aditivo
TERMO ADITIVO AO CONTRATO Nº 05/2016, assinado em
04/01/2016 entre o Fundo Municipal de Saúde de Praia Grande e a Empresa
ARMAZEM SOUPAC LTDA EPP, cujo objeto é o aditamento de mais
R$ 5.200,00 (cinco mil e duzentos reais), correspondente a 25% (vinte e cinco
por cento) dos produtos licitados e homologados, totalizando o valor de
R$ 26.264,70 (vinte e seis mil e duzentos e sessenta e quatro reais e setenta centavos).
16 Pelo EstadoJornal Correio do Sul
Segunda-Feira, 12 de dezembro de 2016
Panorama macroeconômico
O acumulado do Produto Interno
Bruto (PIB) nacional apresentou
uma queda de 4%, acumulada en-
tre janeiro e setembro, enquanto o
IPCA (Índice Nacional de Pre-
ços ao Consumidor Amplo), que
mede a inflação, até outubro ficou
em 7,87%. Isso significa um au-
mento na taxa real de juros, que
está em 13,75%. O que é preciso
destacar é que o PIB cai (-2,9%
no terceiro trimestre de 2016 em
comparação com o mesmo período
de 2015), o consumo das famílias
cai (-3,4%, em igual compara-
ção), o investimento cai (-8,4%),
mas os gastos do governo não
caem. Isso mostra que o governo
tem muita dificuldade de compri-
mir suas despesas.
Quando analisamos a evolu-
ção do PIB medida pelo Banco
Central, a queda de Santa Catari-
na é da ordem de 2,9% e do Brasil
de 4,9%. Nós temos um desempe-
nho melhor do que a média e isso
vai se refletir em todos os nossos
principais índices.
Em relação aos investimen-
tos, temos o recuo na importação
de máquinas e equipamentos e na
própria construção civil. Esse é
um dos dados mais representativos
para explicar a dificuldade que a
nossa economia está tendo de re-
agir. É o investimento, sempre, o
motor da economia.
Produção, vendas e capacidade
instalada
Só dois estados brasileiros tiveram
crescimento na produção indus-
trial: Pará e Mato Grosso, muito
influenciados pela exploração de
minério e pela produção de grãos.
Entre os estados que tiveram que-
da na produção, Santa Catarina
foi o que menos caiu. Nossa queda
foi de 4,2%, Rio Grande do Sul
ficou em 4,6% e o Paraná 6,8%.
PeloEstado Entrevista GLAUCO JOSÉ CÔRTE
A cada final de ano, o presidente da Federação das Indústrias (Fiesc), Glauco José Côrte, reúne
a imprensa para fazer uma avaliação do período que se encerra e projetar o próximo. Nesse difícil
2016 não foi diferente. Na tarde de quinta-feira (08), ele apresentou um balanço da economia, com
foco na indústria catarinense, e antes mesmo do início da exposição dos números já tinha uma
conclusão: as turbulências políticas ditaram o desempenho econômico em 2016. “Pelo terceiro ano
sucessivo a situação afetou muito o desempenho da nossa economia.” Ao finalizar a apresentação, o
presidente da Fiesc observou que em nenhum outro momento a iniciativa privada dependeu tanto do
governo.“Nãoemtermosdesubsídios,masemreformasqueconduzamaumcenáriomaisfavorável,
sobretudoparainvestimentos.”Comoexemplo,citouaspropostasquejáestãonoCongressoNacional,
como a que limita os gastos públicos e a reforma da Previdência. “Aguardamos encaminhamentos
na área da relação trabalhista, não para retirar direitos, mas para valorizar as negociações
entre empregador e trabalhador. É preciso que o governo dê seguimento também ao Programa de
Concessões que tem condições de atrair principalmente investimentos externos. Há uma expectativa
do empresário industrial lá de fora de voltar a investir no Brasil, dependendo do encaminhamento
favorável das reformas já anunciadas pelo governo, mas que ainda precisam ser implementadas.”
Reproduzimos aqui a entrevista por temas. A íntegra está em www.centraldediarios.com.br/cnr
(O pior resultado foi do Espírito
Santo, -22,3%). Mesmo com toda
a pressão sobre a economia, Santa
Catarina ainda se manteve acima
da médica brasileira, cuja queda
foi de quase 8%.
Em termos de vendas da in-
dústria, tivemos uma queda de
11% em Santa Catarina, inferior
à média brasileira que, no mesmo
período de janeiro a outubro, caiu
13%. Quanto à utilização da ca-
pacidade instalada, Santa Cata-
rina está utilizando quase 80%,
quando a média brasileira está em
77,9% (outubro). É interessante
essa observação porque nós temos,
ao mesmo tempo, queda na produ-
ção e nas vendas, mas o industrial
catarinense procura manter a sua
indústria em operação. E isso vai
explicar, de certa forma, o compor-
tamento positivo nos empregos.
Sabemos que para estimular
vendas, é preciso estimular con-
sumo, algo difícil em um cenário
de juros altos, inflação alta, de-
semprego e redução do ganho real
do trabalhador. Só há uma saída:
retomar investimentos. Até porque
não há economia que se susten-
te só com consumo. Precisamos
gerar novas oportunidades para
ampliar o quadro de trabalho, mo-
vimentar as indústrias. Por isso
o governo tem que efetivar o Pro-
grama de Concessões, pois não tem
dinheiro para investir sozinho. E
devemos estimular parcerias entre
empresas brasileiras e estrangei-
ras para isso.
Setores industriais
Nossa conformação industrial é
muito favorável quando compa-
ramos com outros estados. San-
ta Catarina tem a indústria de
transformação mais diversificada
do país e também desconcentrada,
uma vez que está presente em todas
as regiões. Em todos os lugares nós
temos indústrias e predominante-
mente pequenas e micro empresas.
Segmentos industriais que tiveram
crescimento, como o de Alimentos
(3,9%) e o de Máquinas, Apare-
lhos e Materiais Elétricos (4,5%)
têm uma participação importante
na formação do PIB industrial
(de 15% e 7%, respectivamen-
te). Por isso, no desempenho mé-
dio industrial brasileiro o estado
se saiu um pouco melhor. Sobre
Alimentos, vale dizer que sempre
foi um setor de ponta em relação
ao mercado interno e às nossas ex-
portações. A Fiesc tem chamado
a atenção para a necessidade de
o governo ter um olhar um pouco
mais cuidadoso em relação à si-
tuação do Oeste, que concentra a
produção, uma vez que nós depen-
demos de insumos e matérias-pri-
mas que não temos em quantidade
suficiente em Santa Catarina e
temos que importar.
Regiões
Nós temos a região Oeste ainda
com um bom desempenho, em fun-
ção da Agroindústria, e apesar de
todas as dificuldades. Tem uma
economia mais dinâmica e tende
a manter essas características. O
Norte do estado sente a contração
do setor automobilístico. Temos ali
um dos mais completos e eficientes
setores Metalmecânico e de Auto-
peças, que está sentindo os efeitos
da crise, mas está preparado para
reagir. Móveis e Madeira, em par-
te da região Norte, Centro Oeste e
Planalto, está com bom desempe-
nho. O Vale do Itajaí vive uma re-
cuperação em função do Vestuário
que ocupa um espaço que antes era
dos importados. O Sul enfrenta
algumas dificuldades em função
do carvão, que é uma riqueza que
não podemos deixar de utilizar.
Mas a região se diversificou e teve
avanço do setor de confecções. Por
outro lado, a indústria Cerâmica,
que reagiu muito bem nos últimos
três anos, agora vive um recuo,
porque a cerâmica entra sempre no
fim das obras. E esse ciclo termi-
nou. Precisamos esperar projetos
novos, o que deve levar uns dois
anos. Mas o setor recuperou posi-
ções em exportação.
Empregos
Talvez um dos dados mais ex-
pressivos sobre o desempenho da
indústria catarinense seja a ques-
tão do emprego. Em pouquíssimos
estados a indústria de transfor-
mação gerou empregos no período.
Saldo positivo só em Goiás, com
menos de 800 postos, em Roraima,
com menos de 40 postos, e em San-
ta Catarina o saldo foi de 5.146
postos abertos de janeiro a outubro
de 2016, liderando, novamente, a
geração de empregos no país (São
Paulo fechou 51 mil postos e o Rio
de Janeiro fechou 28,8 mil. Fo-
ram os piores resultados). Quero
associar esse dado com aquele da
produção, que apesar da queda
das vendas e da produção, nosso
industrial apresenta confiança na
recuperação da economia, tanto
que gerou empregos nesse perío-
do. Os setores que mais abriram
vagas de janeiro a outubro foram
Têxteis e Confecções, que volta a
ocupar espaços que antes eram
dos importados, e Metalmecânico
e Metalurgia. Em contrapartida,
entre os setores que mais fecharam
postos de trabalho, em primeiro
lugar está a Construção Civil e,
associado a isso, o setor Cerâmico.
Índice de Confiança
É crescente ao longo dos últimos
meses e é melhor do que era em
2014 e 2015. O nosso empresário
industrial está considerando que
os próximos meses serão melho-
res. Enquanto as condições atuais
receberam índice de confiança de
46,6 pontos, as expectativas estão
em 56 pontos (o índice varia de 0
a 100, sendo acima de 50 confian-
ça e abaixo de 50, falta de confian-
ça na economia). Apesar de 2016
ter sido um ano difícil, terceiro de
uma série, o industrial acredita
que 2017 será mais favorável. A
crise mais aguda aconteceu em
2015. E 2017 deve ser considerado
como um ano de transição.
Lembro que o crescimento da eco-
nomia catarinense é muito depen-
dente do setor industrial. Aqui,
na região Sul, diferentemente do
restante do país, em que a indús-
tria tem participação de menos
de 20% no PIB, aqui nós temos
30%. Ou seja, um terço da rique-
za de Santa Catarina provém do
setor industrial. Portanto, quando
a indústria não está bem, o estado
sente essa contração e tem mais di-
ficuldade para crescer. E por isso
o investimento em obras de infra-
estrutura é muito importante, até
porque um dos aspectos que freiam
nosso crescimento está relacionado
com o setor da construção civil.
Praticamente nenhum investi-
mento novo em 2016 e os que es-
tão em curso têm atrasos ou pra-
zos expirados. O governo tem que
fazer um grande esforço no sen-
tido de retomar os investimentos
para que a construção civil possa
ser reativada em termos de obras
de infraestrutura, uma vez que a
construção de prédios e casas deve
demorar um pouco mais.
Mensagem final
O industrial catarinense tem sem-
pre um espírito empreendedor muito
aguçado e deve continuar fazendo o
que tem feito nos últimos anos, bus-
cando inovação, melhorando a qua-
lidade de seus produtos e seus proces-
sos, mantendo a mente aberta para o
que está acontecendo no mundo.
“É o investimento, sempre, o
motor da economia”
Por Andréa Leonora
redacao@peloestado.com.br
FilipeScotti/FIESC
17Publicidade Jornal Correio do Sul
Segunda-Feira, 12 de dezembro de 2016
Jornal Correio do Sul
Segunda-Feira, 12 de dezembro de 2016
19-22-36-41-71CONCURSO
4.255
QUINA 10/12
06-19-28-33-47-48
12-14-23-28-32-36 CONCURSO
1.580
DUPLA SENA
10/12
01-04-23-32-38-59
CONCURSO
1.884
MEGA SENA
10/12
O Inter não foi rebaixado
para a Série B na última roda-
da do Brasileirão, mas por um
conjunto da obra, que beirou
mediocridade. Essa foi a
opinião conjunta do grupo de
jogadores, após o empate em
1 a 1 diante do Fluminense,
em Edson Passos. O resultado
deixou a equipe gaúcha com
43 pontos, na 17ª posição. Ou
seja, terá de lutar para voltar à
elite em 2017.
Entre lamentações e cho-
ro, os jogadores do Inter ad-
mitiram que o time mereceu
a queda. Afinal, chegou a
permanecer 14 jogos sem vi-
tória no Brasileirão. Por tudo
isso, Alex falou que a equipe
foi “medíocre”.
– A partir do momento
Porto Alegre em que não se consegue ser
competente. O torcedor não
merecia isso, a instituição
também não. Fomos muito
incompetentes no campeona-
to. Teremos que se reerguer.
A gente foi bem medíocre
– disse Alex, projetando per-
manecer no próximo ano.
– Estamos com vergonha.
O clube mais vitorioso do
século, um clube que viveu
muitas glórias. Mostrou que
só a camisa não vence. É
preciso querer e buscar. Nada
justifica. Pedimos perdão.
Em sintonia com Alex,
Danilo Fernandes admitiu
que a queda, pelo apresentado
pelo grupo do Inter, acabou
justa. Por sua vez, o goleiro
foi o destaque da partida, ao
fazer defesas difíceis e até
defender um pênalti.
D
irigente mais
vitorioso do
Inter, Fernan-
do Carvalho não conseguiu
“salvar” e evitar o rebai-
xamento do clube para a
Série B. Em tom de re-
signação, fez um discurso
em Edson Passos no qual
admitiu sua parcela de cul-
pa desde quando assumiu
o futebol, em agosto deste
ano. Por outro lado, isen-
tou o grupo de jogadores
pela culpa.
Carvalho admitiu que
mesmo ele, tão experiente
Porto Alegre no clube, se abalou com
a má campanha no Bra-
sileirão. Esse sentimento
complicou a evolução da
equipe na reta final do ano.
– A convite do presi-
dente, me senti na obriga-
ção de aceitar o chamado
para tentar ajudar uma situ-
ação muito difícil. Desde o
início, sabia que a situação
era difícil. Minha ligação
com o clube é histórica,
desde 82, internamente.
Infelizmente, o Inter não
conseguiu resolver com a
remobilização. Temos um
grupo muito jovem que se
abalou com esse ambiente
Jogadores do Inter
pedem desculpa e
lamentam queda
beirando a zona do rebai-
xamento e depois dentro
da zona, praticamente em
toda essa segunda etapa –
lamentou.
Para permanecer na
Série A, o Inter precisava
obrigatoriamente vencer o
Fluminense e ainda torcer
por resultados paralelos.
Mesmo assim, teve pés-
sima atuação. Desorga-
nizado, pouco conseguiu
atacar. Na segunda etapa,
sofreu gol de Douglas e
conseguiu empatar com
Gustavo Ferrareis. Em
nenhum momento, no en-
tanto, teve produção ne-
cessária para superar o
adversário.
– Na verdade, o Inter
fez por merecer estar nessa
situação. Os responsáveis
por isso somos nós.
Eu sou responsável a
partir de agosto das ações
no futebol e não posso fugir
da minha responsabilidade.
Eu acabei entrando nesse
clima, ficando abatido.
Na temporada, o Inter
teve quatro treinadores:
Argel, Falcão, Celso Roth
e Lisca. No Brasileirão, so-
mou 11 vitórias, 10 empa-
tes e 17 derrotas, ou apenas
37,7% de aproveitamento.
Fernando Carvalho isenta grupo de
jogadores do Inter por rebaixamento
Brasileirão
Série A
19Esportes Jornal Correio do Sul
Segunda-Feira, 12 de dezembro de 2016
Aúltima rodada do Cam-
peonato Brasileiro reservou
homenagens em todos os
jogos para as vítimas e so-
breviventesdatragédiaenvol-
vendo o voo da Chapecoense.
Camisas, comemorações de
gol, defesas de pênalti, fai-
xas, mascotes, mosaicos...
Em todas as nove partidas,
jogadores, torcida e árbitros
respeitaram um minuto de
silêncio e se abraçaram em
menção ao Verdão do Oeste.
No jogo marcado para
Porto Alegre a Arena Condá, nem o trio
de arbitragem apareceu em
campo. A bola esteve por
lá, cumprindo protocolo da
CBF. No estádio, de portões
fechados, apenas 12 pessoas
foram autorizadas a entrar e
tirar fotos.
Em todas as partidas, os
jogadores respeitaram um
minuto de silêncio, cantaram
o hino nacional e ouviram a
marcha fúnebre, abraçados.
Todas as equipes da Série
A entraram em campo com
menções ao clube catarinense
em seu uniforme.
Grêmio ironiza queda do Inter: "Bom
final de domingo e uma boa segunda"
O
Grêmio se
despediu da
t e m p o r a d a
de 2016 com derrota por
1 a 0 para o Botafogo
na tarde deste domin-
go, na Arena. A torcida
gremista, no entanto,
pouco se importou com
o resultado da partida.
Nas cadeiras da Arena,
os torcedores estavam
mais preocupados em
comemorar o rebaixa-
mento do Inter para a
Série B do Campeonato
Brasileiro, decretado
após o empate em 1
a 1 com o Fluminen-
se, no Estádio Giulite
Coutinho, no Rio de
Janeiro. Nas redes so-
ciais oficiais, o próprio
Grêmio entrou na onda
e ironizou a queda do
rival: "Fechamos o ano
pentacampeões da Copa
do Brasil e na 9ª posi-
ção no Brasileirão. Um
bom final de domingo a
todos e uma boa segun-
da!", diz a mensagem
do clube, compartilhada
rapidamente pelos gre-
mistas.
Porto Alegre
Chapecoense recebe homenagens
de jogadores e torcidas no Brasileirão
SEGUNDA-FEIRA, 12 DE DEZEMBRO DE 2016

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados (20)

Jornal digital 04 03-17
Jornal digital 04 03-17Jornal digital 04 03-17
Jornal digital 04 03-17
 
Jornal digital 20 09-2018
Jornal digital 20 09-2018Jornal digital 20 09-2018
Jornal digital 20 09-2018
 
Jornal digital 20 12-2018
Jornal digital 20 12-2018Jornal digital 20 12-2018
Jornal digital 20 12-2018
 
Jornal paraná notícias
Jornal paraná notíciasJornal paraná notícias
Jornal paraná notícias
 
Jornal digital 5060 qui_08122016
Jornal digital 5060 qui_08122016Jornal digital 5060 qui_08122016
Jornal digital 5060 qui_08122016
 
Jornal Paraná Notícias
Jornal Paraná NotíciasJornal Paraná Notícias
Jornal Paraná Notícias
 
Paraná Notícias
Paraná NotíciasParaná Notícias
Paraná Notícias
 
Jornal digital 24-03-17
Jornal digital 24-03-17Jornal digital 24-03-17
Jornal digital 24-03-17
 
Jornal Paraná Notícias
Jornal Paraná NotíciasJornal Paraná Notícias
Jornal Paraná Notícias
 
Jornal Paraná Notícias
Jornal Paraná NotíciasJornal Paraná Notícias
Jornal Paraná Notícias
 
Jornal digital 5057 seg_05122016
Jornal digital 5057 seg_05122016Jornal digital 5057 seg_05122016
Jornal digital 5057 seg_05122016
 
Jornal digital 19 09-17
Jornal digital 19 09-17Jornal digital 19 09-17
Jornal digital 19 09-17
 
Jornal digital 4921_qui_19052016
Jornal digital 4921_qui_19052016Jornal digital 4921_qui_19052016
Jornal digital 4921_qui_19052016
 
Jornal Paraná Notícias
Jornal Paraná NotíciasJornal Paraná Notícias
Jornal Paraná Notícias
 
Jornal digital 08 11-17
Jornal digital 08 11-17Jornal digital 08 11-17
Jornal digital 08 11-17
 
Jornal digital 19 07-18
Jornal digital 19 07-18Jornal digital 19 07-18
Jornal digital 19 07-18
 
Jornal digital 10 11-17
Jornal digital 10 11-17Jornal digital 10 11-17
Jornal digital 10 11-17
 
Jornal Paraná Notícias
Jornal Paraná NotíciasJornal Paraná Notícias
Jornal Paraná Notícias
 
Jornal digital 07 09-17
Jornal digital 07 09-17Jornal digital 07 09-17
Jornal digital 07 09-17
 
Jornal digital 26 09-2018
Jornal digital 26 09-2018Jornal digital 26 09-2018
Jornal digital 26 09-2018
 

Destaque

Destaque (19)

Jornal digital 5055 qui_01122016
Jornal digital 5055 qui_01122016Jornal digital 5055 qui_01122016
Jornal digital 5055 qui_01122016
 
Jornal digital 5054 qua_30112016
Jornal digital 5054 qua_30112016Jornal digital 5054 qua_30112016
Jornal digital 5054 qua_30112016
 
Guia de Compras 14-12-16
Guia de Compras 14-12-16Guia de Compras 14-12-16
Guia de Compras 14-12-16
 
Jornal digital 5058 ter_06122016
Jornal digital 5058 ter_06122016Jornal digital 5058 ter_06122016
Jornal digital 5058 ter_06122016
 
Jornal digital 5061 sex_09122016
Jornal digital 5061 sex_09122016Jornal digital 5061 sex_09122016
Jornal digital 5061 sex_09122016
 
Jornal digital 5056 sex_02122016
Jornal digital 5056 sex_02122016Jornal digital 5056 sex_02122016
Jornal digital 5056 sex_02122016
 
Jornal digital 5057 qua_07122016
Jornal digital 5057 qua_07122016Jornal digital 5057 qua_07122016
Jornal digital 5057 qua_07122016
 
Sintonia 08 pag (1, 4, 5 e 8 color)
Sintonia 08 pag (1, 4, 5 e 8 color)Sintonia 08 pag (1, 4, 5 e 8 color)
Sintonia 08 pag (1, 4, 5 e 8 color)
 
Jornal digital 5063 ter_13122016
Jornal digital 5063 ter_13122016Jornal digital 5063 ter_13122016
Jornal digital 5063 ter_13122016
 
Classificado 8 pag (4 e 5 color)
Classificado 8 pag (4 e 5 color)Classificado 8 pag (4 e 5 color)
Classificado 8 pag (4 e 5 color)
 
Jornal digital 16 12-16
Jornal digital 16 12-16Jornal digital 16 12-16
Jornal digital 16 12-16
 
Jornal digital 20 12-16
Jornal digital 20 12-16Jornal digital 20 12-16
Jornal digital 20 12-16
 
Sintonia da Saúde 16-12-16
Sintonia da Saúde 16-12-16Sintonia da Saúde 16-12-16
Sintonia da Saúde 16-12-16
 
Jornal digital 14-12-16
Jornal digital 14-12-16Jornal digital 14-12-16
Jornal digital 14-12-16
 
Jornal Digital 15 12-16
Jornal Digital 15 12-16Jornal Digital 15 12-16
Jornal Digital 15 12-16
 
Jornal digital 5 de janeiro de 2017
Jornal digital   5 de janeiro de 2017Jornal digital   5 de janeiro de 2017
Jornal digital 5 de janeiro de 2017
 
Jornal digital 5051_sex_25112016
Jornal digital 5051_sex_25112016Jornal digital 5051_sex_25112016
Jornal digital 5051_sex_25112016
 
Jornal digital 5052_seg_28112016
Jornal digital 5052_seg_28112016Jornal digital 5052_seg_28112016
Jornal digital 5052_seg_28112016
 
Jornal digital 5053 ter_29112016
Jornal digital 5053 ter_29112016Jornal digital 5053 ter_29112016
Jornal digital 5053 ter_29112016
 

Semelhante a Jornal digital 5062 seg_12122016

Semelhante a Jornal digital 5062 seg_12122016 (20)

Jornal digital 21 12-16
Jornal digital 21 12-16Jornal digital 21 12-16
Jornal digital 21 12-16
 
Jornal digital 14 06-17
Jornal digital 14 06-17Jornal digital 14 06-17
Jornal digital 14 06-17
 
Jornal digital 17 08-17
Jornal digital 17 08-17Jornal digital 17 08-17
Jornal digital 17 08-17
 
Jornal digital 15-03-17
Jornal digital 15-03-17Jornal digital 15-03-17
Jornal digital 15-03-17
 
Jornal digital 5046_sex_18112016
Jornal digital 5046_sex_18112016Jornal digital 5046_sex_18112016
Jornal digital 5046_sex_18112016
 
Jornal digital 4987 seg_22082016
Jornal digital 4987 seg_22082016Jornal digital 4987 seg_22082016
Jornal digital 4987 seg_22082016
 
Jornal digital 11 08-17
Jornal digital 11 08-17Jornal digital 11 08-17
Jornal digital 11 08-17
 
Jornal digital 4871_ter_07032016
Jornal digital 4871_ter_07032016Jornal digital 4871_ter_07032016
Jornal digital 4871_ter_07032016
 
29-05-17 Jornal Digital
29-05-17 Jornal Digital29-05-17 Jornal Digital
29-05-17 Jornal Digital
 
Jornal digital 05 06-17
Jornal digital 05 06-17Jornal digital 05 06-17
Jornal digital 05 06-17
 
Jornal digital 26 06-17
Jornal digital 26 06-17Jornal digital 26 06-17
Jornal digital 26 06-17
 
Jornal digital 01-06-17
Jornal digital 01-06-17Jornal digital 01-06-17
Jornal digital 01-06-17
 
Jornal digital 13-03-17
Jornal digital 13-03-17Jornal digital 13-03-17
Jornal digital 13-03-17
 
Jornal digital 4898_sex_15042016
Jornal digital 4898_sex_15042016Jornal digital 4898_sex_15042016
Jornal digital 4898_sex_15042016
 
Jornal digital 20-04-17
Jornal digital 20-04-17Jornal digital 20-04-17
Jornal digital 20-04-17
 
Jornal digital 21 11-17
Jornal digital 21 11-17Jornal digital 21 11-17
Jornal digital 21 11-17
 
Jornal digital 09 10-17
Jornal digital 09 10-17Jornal digital 09 10-17
Jornal digital 09 10-17
 
Jornal digital 09 11-2018
Jornal digital 09 11-2018Jornal digital 09 11-2018
Jornal digital 09 11-2018
 
Jornal digital 31 10-17
Jornal digital 31 10-17Jornal digital 31 10-17
Jornal digital 31 10-17
 
Jornal digital 28 12-16
Jornal digital 28 12-16Jornal digital 28 12-16
Jornal digital 28 12-16
 

Mais de Jornal Correio do Sul (20)

Jornal digital 19 12-2018
Jornal digital 19 12-2018Jornal digital 19 12-2018
Jornal digital 19 12-2018
 
Jornal digital 18 12-2018
Jornal digital 18 12-2018Jornal digital 18 12-2018
Jornal digital 18 12-2018
 
Jornal digital 17 12-2018
Jornal digital 17 12-2018Jornal digital 17 12-2018
Jornal digital 17 12-2018
 
Jornal digital 14 12-2018
Jornal digital 14 12-2018Jornal digital 14 12-2018
Jornal digital 14 12-2018
 
Jornal digital 13 12-2018
Jornal digital 13 12-2018Jornal digital 13 12-2018
Jornal digital 13 12-2018
 
Jornal digital 12 12-2018
Jornal digital 12 12-2018Jornal digital 12 12-2018
Jornal digital 12 12-2018
 
Jornal digital 11 12-2018
Jornal digital 11 12-2018Jornal digital 11 12-2018
Jornal digital 11 12-2018
 
Jornal digital 10 12-2018
Jornal digital 10 12-2018Jornal digital 10 12-2018
Jornal digital 10 12-2018
 
Jornal digital 06 12-2018
Jornal digital 06 12-2018Jornal digital 06 12-2018
Jornal digital 06 12-2018
 
Jornal digital 05 12-2018
Jornal digital 05 12-2018Jornal digital 05 12-2018
Jornal digital 05 12-2018
 
Jornal digital 04 12-2018
Jornal digital 04 12-2018Jornal digital 04 12-2018
Jornal digital 04 12-2018
 
Jornal digital 03 12-2018
Jornal digital 03 12-2018Jornal digital 03 12-2018
Jornal digital 03 12-2018
 
Jornal digital 30 11-2018
Jornal digital 30 11-2018Jornal digital 30 11-2018
Jornal digital 30 11-2018
 
Jornal digital 29 11-2018
Jornal digital 29 11-2018Jornal digital 29 11-2018
Jornal digital 29 11-2018
 
Jornal digital 28 11-2018
Jornal digital 28 11-2018Jornal digital 28 11-2018
Jornal digital 28 11-2018
 
Jornal digital 27 11-2018
Jornal digital 27 11-2018Jornal digital 27 11-2018
Jornal digital 27 11-2018
 
Jornal digital 24 11-2018
Jornal digital 24 11-2018Jornal digital 24 11-2018
Jornal digital 24 11-2018
 
Jornal digital 22 11-2018
Jornal digital 22 11-2018Jornal digital 22 11-2018
Jornal digital 22 11-2018
 
Jornal digital 21 11-2018
Jornal digital 21 11-2018Jornal digital 21 11-2018
Jornal digital 21 11-2018
 
Jornal digital 20 11-2018
Jornal digital 20 11-2018Jornal digital 20 11-2018
Jornal digital 20 11-2018
 

Jornal digital 5062 seg_12122016

  • 1. Correio do SulANO XXVI EDIÇÃO Nº 5.062 R$ 2,00SEGUNDA-FEIRA, 12 DE DEZEMBRO DE 2016 www.grupocorreiodosul.com.br 29º 17º Parcialmente Nublado - Sol entre poucas nuvens. Previsão para hoje Extremo Sul Catarinense Começa Bem Festival de Balonismo de Balneário Gaivota conquista o público BOMBEIROS FAZEM BAZAR SOLIDÁRIO POLICIAIS CIVIS ENTREGAM PRESENTES VEREADOR FOI ELEITO COM RECURSOS DO JOGO DO BICHO RAPAZ É ASSASSINADO A TIROS E ACHADO NO MEIO DA RUA É NATAL ARARANGUÁCORPO NO CHÃO Pagina 9 Pagina 11Pagina 13 Caderno Especial
  • 2. BrasileirosemmoralparacriticarTemer Prefeito eleito de Passo de Torres, Jonas Souza (PMDB), deverá anun- ciar hoje os integrantes do primeiro escalão de seu governo. Ele já ressal- tou que trabalhará apenas com cinco secretários municipais, que ocuparão as pastas de Administração e Finan- ças, Educação, Obras, Saúde e Pesca. Também já adiantou que um vereador eleito neste ano pelo PMDB trabalha- rá no primeiro escalão de sua gestão, o que abrirá vaga na Câmara Municipal, no ano que vem, para o primeiro suplente de sua coligação, Ademilson Batista da Silva (PSDB). No mais, tudo ainda é mistério. A bem da verdade, o que Jonas sabe mesmo é que herdará uma das maiores dívidas de prefeituras da região, proporcionalmente ao número de habitantes de seu município. Só um financiamento contraído pelo atual prefeito, Juarez Godinho Scheffer (PSD), já irá onerar a próxima gestão em R$ 3 milhões. Éhoje Injustiçado Vaipiorar Poraqui ADVOCACIA EMPRESARIAL FONE: (48) 3533-0145 “O político que acredita estar sempre certo, não tem ideia do quanto errado ele está. De minha parte, não tenho compromisso com a certeza absoluta”. Jornal Correio do Sul Segunda-Feira, 12 de dezembro de 2016 rolando_coelho@hotmail.com (48) 9945.6787 Juscelino Kubischek (1902/1976) – Ex-presidente do Brasil Vereador araranguaense Cabo Loro (PSD), que teve a cassação do registro de sua candidatura à reeleição confir- mada pelo Tribunal Regional Eleitoral, por suposta compra de votos, aceitou, mas não se conformou com o resultado do julgamento em segunda instância. A aceitação fica evidenciada em uma nota distribuída pelo vereador, na qual ele agradece o apoio recebido dos que torceram por ele, como também deseja sucesso ao suplente de sua coligação, Adão dos Santos Vieira, o Vidrinho (PR), que assumirá em seu lugar uma cadeira do legislativo da Cidade das Avenidas. Todavia, Cabo Loro tem feito questão de ressaltar que “a justiça não foi feita neste caso”. De acordo com ele, a maior prova de que sua condenação seria injus- ta está no fato de não haver uma lógica na condenação. “A justiça disse que eu comprei votos em troca de uma consulta médica. Só que a pessoa supostamente beneficiada não foi condenada por crime eleitoral porque não teria vendido seu voto. Até agora não entendi como é que eu comprei o voto, se quem teria o ven- dido não o vendeu!”, comenta o vereador. E m uma nova onda de histe- ria coletiva, os brasileiros agora acreditam que tirar o presidente Michel Temer (PMDB) do poder é a solução para resolver os problemas do país. Tudo por conta do suposto salvador da pátria ter sido citado mais de 40 vezes, durante delação premiada, como beneficiário dos esquemas de corrupção que en- volvem a Odebrecht. E na onda da moralidade, 63% da população, de acordo com o Data Folha, têm dito que quer a renúncia de Temer até o final do ano. O que o povo brasileiro parece não ter se dado conta é que não existe político corrupto em país onde o povo é honesto. Isto por conta de algo mais do que óbvio: povo honesto não vota em político corrupto. Quem vota em político corrupto é povo corrupto. A questão que envolve a política brasileira não está restrita a Temer, ou a Renan, do mesmo modo em que nunca esteve restrita a Dilma ou a Lula. O problema do Brasil são os brasileiros, hoje, ontem, e desde sem- pre. Trazemos no nosso cromossomo social a gene da corrupção. Tudo o que está acontecendo na política brasileira nos últimos tempos é meramente um reflexo daquilo que nossa população vem semeando ao longo de anos a fio. Vendemos nossos votos para vereadores, que apoiam prefeitos que lhes financiam, que depois ficam devendo favores para deputados estaduais e federais, que por sua vez são a base de sustentação de campanhas para senadores, gover- nadores e presidentes. É o que o filó- sofo e matemático americano Edward Lorenz chamou de Efeito Borboleta, dentro da Teoria do Caos. O vento provocado pela asa de uma borboleta, aqui e agora, pode se transformar num tufão daqui a alguns dias, em algum lugar do planeta. O nosso problema é que o eleitor brasileiro não consegue ver a relação entre vender seu voto, em troca da quitação de uma conta de energia elétrica, e um esquema de corrup- ção como o da Petrobrás. A lógica do eleitor é inversa. Ele acredita que deva pedir algo para votar em um político, porque este, por natureza, irá se apossar do seu mandato para roubar. Seria mais ou menos como dizer que o tufão é o responsável pelo vento originado pela borboleta, e não o contrário. Tirar Temer é uma bobagem tão grande quanto foi tirar Dilma, pois os tufões que ambos representam são meramente frutos das batidas de asas de quem os criou. Este alguém, por óbvio, somos nós. E destes que lá estão não escapa um, pois todos só chegaram lá por obra e graça da omissão, ou dos interesses corpora- tivos, cá de baixo. Observe o leitor que isto não se limita ao executivo e ao legislativo. A submissão do Supremo Tribunal Federal às exigências de Renan Ca- lheiros (PMDB/AL), na semana que passou, não foram por acaso. Isto porque, cada um dos ministros do STF só chegou onde chegou por conta do aval do Congresso Nacional, que concordou com a indicação de cada um deles para suas funções. Mes- mo Congresso, que, de acordo com a Constituição, poderá promover o impeachment de qualquer um deles, a qualquer tempo, sob um pretexto qualquer. Vale lembrar que todo me- droso também é um corrupto. Quem pensa que a saúde hospitalar de nossa região está ruim não viu nada ainda. A tendência é que em 2017 ela comece com o pé esquerdo. Como fecha- mento do hospital São José, de Criciúma, dois desdobramentos atingirão direta- mente os municípios aqui do Extremo Sul. Primeiro, quem se deslocava daqui para ser atendido lá, não poderá mais contar com isto, ficando por aqui mesmo. O outro problema é que a população de Criciúma, e municípios adjacentes, que utilizava o São José, já começou a migrar para municípios vizinhos, principalmen- te para prover o nascimento de crianças. Esta é uma realidade que também já está sendo sentida no Hospital Regional de Araranguá. Sendo assim, além de nosso sistema de saúde não dar conta de nossa demanda, terá também que absorver parte da demanda da região carbonífera, pelo menos até que o São José seja rea- berto. O impasse, no entanto, não deverá ser resolvido de imediato. O São José ale- ga que o Estado lhe deve R$ 25 milhões, junto com a Prefeitura de Criciúma. Por sua vez o Estado alega que já passou R$ 4 milhões a mais do que devia. Caso vereador Cabo Loro não consi- ga uma reversão de sua cassação no Tri- bunal Superior Eleitoral, em Brasília, já nas próximas semanas, o PSD, seu partido, deverá entrar em campo para tentar encaixá-lo dentro da gestão do prefeito eleito de Araranguá, Mariano Mazzuco Neto (PP). Este seria o cami- nho mais curto para não deixar o verea- dor, que está desde 1997 no legislativo, sem mandato e sem representatividade em 2017. Cabo Loro diz que ainda não conversou com Mariano a respeito des- se assunto, e, por conta disto, não quer criar falsas expectativas. Ele admite, no entanto, que uma conversação nes- te sentido pode ser encaminhada, “já que o PP e o PSD em Araranguá são muito próximos”. No que diz respeito a espaço no Governo do Estado, que é comandado pelo PSD, o vereador não se mostra muito empolgado. “Se a solução para tudo isto tiver que ser política, ela terá que ser por Araranguá, não por Florianópolis”, comenta.
  • 3. 3 Pé na Estrada Geral Furnas e cavernas estão entre as atrações da trilha feita por alunos e professores para conhecer as belezas de Timbé Plantas e animais da região foram observados pelas turmas Banda Municipal faz uma apresentação durante a confraternização da escola e famílias Alunas encerraram o curso que permite a comunicação com surdos-mudos nas escolas O secretário de Tu- rismo de Timbé do Sul, Gislael Floriano, foi convidado pelas três turmas do 7º ano da EEB Timbé do Sul, para mostrar uma das belezas do município. Na semana passada, 80 alunos e professores passa- A EEB Otilia da Silva Berti promoveu na noite de quinta-feira, nas suas depen- dências, uma confraterniza- ção aberta a toda comunidade do bairro Barranca, em Ara- ranguá. Pais, alunos e funcioná- rios receberam na festa que marcou o encerramento das atividades de 2016 a Carava- na da Cultura, da Secretaria Municipal de Educação, e O Setor de Educação Especial e Diversidade da Gerência de Educação da Agência de Desenvolvimen- to Regional (ADR) de Ara- ranguá promoveu na tarde de sexta-feira, no auditório da Agência, o encerramento do Curso Básico de Libras. Foram no total 80 ho- ras de capacitação, voltada aos professores do AEE - Atendimento Educacional Timbé do Sul Araranguá Araranguá ram por furnas, cachoeiras e piscinas naturais até o Portal do Palmiro. Durante a caminhada, o grupo aprofundou o conhe- cimento sobre o histórico do local, a arte e ranhuras nas paredes das furnas, contos, natureza preservada, biodi- versidade com observação de espécies de plantas e animais puderam prestigiar a apresen- tação da Banda Municipal. Outro atrativo foi a pre- sença do Papai Noel com distribuição de presentes e guloseimas para as cerca de 60 crianças que estudam do 1º ao 5º ano. Além disso, através da parceria da escola com o grupo de moradores, foi proporcionado um lanche a todos os presentes. A diretora Cristiani Ber- nardo de Oliveira, ressaltou que o evento encerra com Especializado (antigo Saede - Serviço de Atendimento Educacional Especializado) eArticuladores de Educação Especial da rede regular, os ATPs (Assistentes Técnico- -Pedagógicos). O curso ocor- reu ao longo do ano e foi ministrado pelo instrutor de Libras na região, professor Rodolfo Rocha Pirola. A capacitação foi ministrada para duas turmas, sendo que 27 professores chegaram ao chave de ouro as atividades realizadas ao longo deste ano na escola. “Ficamos felizes, pois apesar de todas as dificuldades enfrentadas, conseguimos realizar nosso papel, de educar e mostrar que apesar de ser uma comu- nidade carente, a Barranca tem muitos aspectos positi- vos. E com esta parceria da Caravaana proporcionamos um momento de cultura aos nossos moradores”, come- morou. final. No último encontro, os participantes apresentaram teatro em Língua de Sinais. A integradora de educação especial e diversidade da Gered Araranguá, Marione Silveira Coelho, enalteceu a realização da capacita- ção. “Parabéns a todos os envolvidos. Foi um curso maravilhoso, com bastante conhecimento compartilha- do”, destacou. Jornal Correio do Sul Segunda-Feira, 12 de dezembro de 2016 Alunos conhecem Portal do Palmiro Escola reúne bairro em festa Encerrado curso de Libras e reconheceu a importância da água límpida, que é um dos cartões postais de Timbé do Sul. “Esta é a chance dos alunos e professores conhece- rem a fauna e flora que está ao nosso lado e muitas vezes des- conhecemos. Agradeço ao se- cretárioGislaelpeladisposição em todos os momentos ao nos guiar e contar as histórias que fizeram este passeio de estudo mais interessante”, destacou a diretora da EEBTimbé do Sul, Fabiana Rovaris Pezente. Durante a trilha foi feito o plantio de 300 mudas de pal- mito. Este tipo de atividade foi realizada outras vezes, durante o ano. A caminhada terminou com um banho em uma das piscinas naturais da região
  • 4. 4 PublicidadeJornal Correio do Sul Segunda-Feira, 12 de dezembro de 2016
  • 5. JABSON MULLER Jornal Correio do Sul Segunda-Feira, 12 de dezembro de 2016 jabsonmuller@grupocorreiodosul.com.br (48) 9955.5313 Jorge Bornhausen recebe honraria E m solenidade realizada na manhã de sexta-feira (9), no Centro Ad- ministrativo do Executivo estadu- al, em Florianópolis, o ex-governador Jorge Konder Bornhausen foi agraciado com a mais importante condecoração oferecida pelo Es- tado, a Medalha de MéritoAnita Garibaldi.A entrega foi feita pelo governador Raimundo Colombo, que lembrou os legados deixados por todos os ex-governadores e que hoje se refletem em números capazes de diferenciar Santa Catarina dos demais estados. “Hoje, Santa Catarina homenageia um dos seus fi- lhos mais extraordinários, como ser humano, como político e como líder. Reconhecemos todo o seu esforço, toda a sua entrega e todas as suas conquistas”, disse Colombo. Ao chegar ao Centro Administrativo, o homenageado foi recebido pelo governador, pelo presidente da Assembleia Legislativa, deputado Gelson Merisio (PSD), pelo pre- sidente do Tribunal de Justiça (TJ-SC), José Antônio Torres Marques, e pelo ministro da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunica- ções, Gilberto Kassab. Já no palco do Teatro Pedro Ivo, onde foi realizada a solenidade e que ficou lotado, recordou sua atuação em favor da Educação e da Saúde, concluindo que “vale a pena a vida pública quando vol- tada ao bem comum”. Depois de agradecer pela homenagem, Bornhausen também parabenizou o gover- nador Colombo por manter a decisão de não aumentar impostos, bandeira que defendeu arduamente quando foi senador da Repú- blica. Entrevista Como está se sentindo com esse reco- nhecimento? Jorge Konder Bornhausen - Fiquei re- almente honrado com o gesto do governador Raimundo Colombo e acho que os 40 anos de vida pública me dão alegria agora, que já estou afastado há 10 anos, de poder merecer essa distinção. Qual sua avaliação sobre o momento do país? 10X R$ 29,90 Cartão de crédito ou R$ 299,00 à vista FURADEIRA IMP. 1/2 650W DEWALT JKB – Minha avaliação é de que tem que haver mais responsabilidade. Menos figuração e mais pensamento no país. Não há porque não combater a corrupção, mas isso precisa ser feito sem excessos. Os poderes precisam ser harmônicos e independentes. Nós precisamos de paz para que o Brasil, dentro das regras jurídicas, com segurança, possa merecer investimentos que voltem a trazer o crescimento e os empregos que tanto precisamos. A paz é a melhor solução. Na condição de ex-senador, como o senhor observa o Congresso Nacional e mais especialmente o Senado? JKB – O período é muito delicado, com senadores envolvidos em sindicâncias, in- quéritos, alguns já réus. Então, ficam sempre muito mais trepidantes as ações internas do Senado. Mas é uma Casa em que sempre predomina o bom senso e acho que vai cumprir o seu papel, agora, na semana que vem, aprovando o teto de gastos públicos, que é o pri- meiro grande passo para nós podermos nos preparar para a recuperação da economia. Nesse cenário, o senhor vê risco de uma nova ruptu- ra do Estado Democrático Andréa Leonora Especial de Direito? JKB - Eu acho que o Estado Democráti- co de Direito está mantido. Às vezes há um excesso aqui ou acolá, de um agente público que não compreende o momento difícil que o país vive e que por isso exige a união de todos. Existem regras e leis para coibir ex- cessos. Eu acho que a segurança jurídica deve estar sempre presente. A democracia é um instrumento da liberdade, mas a outra face da liberdade é a responsabilidade. Pelo que o senhor viveu e ajudou a es- crever da história recente do país, é capaz de estimar um horizonte para o Brasil sair dessa crise política, institucional e econô- mica que se impõe? JKB - Acredito que se o Congresso Nacional compreender e entender a neces- sidade da reforma da Previdência, que sem ela nós não sairemos do setor negativo da economia, e aprová-la ainda no primeiro semestre (de 2017), no segundo semestre o país vai encontrar o seu rumo, vai encontrar o crescimento, vai ter investimentos externos e vai po- der continuar as reformas, como a Trabalhista, a Tri- butária e o Pacto Federativo. O homenageado Nascido em 1937, no Rio de Janeiro, é filho do também ex-governador Irineu Bor- nhausen. Foi vice-governador (9 de março de 1967 a 15 de março de 1971) e governador (15 de março de 1979 a 14 de maio de 1982) de Santa Catarina, senador por dois mandatos (de 1983 a 1991 e de 1999 a 2007), ministro da Educação e embaixador em Portugal. A medalha Já foram homenageadas com a Medalha de Mérito Anita Garibaldi personalidades estaduais e nacionais, como o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso, o ex-arcebispo da Catedral Metropolitana de Florianópolis, Murilo Krieger, o delegado Renato José Hendges e o ex-presidente do Supremo Tri- bunal Federal (STF), Ricardo Lewandowski. A honraria foi criada em 1972 para conde- corar aqueles que se destacam por serviços prestados ao Estado e à Nação. Foto:JamesTavares/Secom
  • 6. C.S. Empresa Jornalística LTDA. Publicações legais: tomaz@grupocorreiodosul.com.br Financeiro financeiro@grupocorreiodosul.com.br Comercial: l48l 3533.0870 comercial@grupocorreiodosul.com.br Diretor Geral Jabson Muller l48l 9955.5313 diretor@grupocorreiodosul.com.br Diagramação/Arte: correiodosul@grupocorreiodosul.com.br Sul Gráfica sulgrafica@grupocorreiodosul.com.br Redação: editor@grupocorreiodosul.com.br Radio 93FM radio93fm@grupocorreiodosul.com.br Circulação/Assinatura l48l 3533.0870 assinaturas@grupocorreiodosul.com.br 6 GeralJornal Correio do Sul Segunda-Feira, 12 de dezembro de 2016
  • 7. Maior e Melhor Durante a inauguração, a equipe da madekiko parou para registrar o momento em companhia de amigos e clientes, comemorando mais uma conquista destes 26 anos de atividade C om a inaugura- ção neste sábado do novo espaço da Madekiko, Santa Rosa do Sul ganhou praticamente um shopping da construção civil. No prédio de 1200me- tros quadrados, o cliente encontra tudo em material de construção, artigos para decoração e presentes, além de ração para cães e e peixes e artigos para pesca. A Madekiko nasceu em 1985, como o nome indi- ca, como madeireira. Era a madeireira do Kiko, como é conhecido Francisco Farias. Mais de 25 anos depois, a madeireira se mantém como parte importante dos negócios de Kiko, que hoje gera cerca de 40 empregos diretos. O grupo fabrica casas de madeiras com tanta beleza e qualidade que do galpão de dois mil metros quadrados da madeireira de Santa Rosa do Sul saem ca- banas para empreendimentos turísticos da região. O preço e a qualidade são mantidos com iniciativas como a ma- nutenção de 120 hectares de reflorestamento próprio. Santa Rosa do Sul O ponto alto desta tra- jetória de trabalho e sucesso foi a inauguração no sába- do da nova loja. Em uma parede do belo ambiente, estão penduradas fotos que mostram a evolução da em- presa. Próximo a ela estão dois sofás onde os clientes podem descansar com con- forto durante as compras ou enquanto aguardam por alguém. Tudo isso foi aben- çoado pelo padre Sidnei Vitali na inauguração. Kiko é casado com Cátia Regina Farias e tem três fi- lhos, dois deles já trabalhan- do nos negócios dos pais. Além do apoio da família, o empresário agradece aos fun- cionários pela colaboração. “Sozinho ninguém chega a lugar nenhum, tenho uma equipe comprometida, assim como a minha família”, diz Kiko. Um dos funcionários mais antigos da Madekiko é Adriano Desidério Magenis, com 19 anos de casa. Ele acompanhou o crescimento da empresa e se orgulha da grande estrutura atual da loja. A Madekiko está loca- lizada na avenida Damásio Peres, na entrada de Santa Rosa do Sul. Madekiko inaugura nova loja 7Especial Jornal Correio do Sul Segunda-Feira, 12 de dezembro de 2016
  • 8. F elipe chega para morar em ArraialeSirlenecomemora. Ralf aconselha Mario a não acusar César sem provas para não brigar com Alice. Mesquita recebe um presente de César. Vittorio garante a Lenita que se divorciará de Loretta. Alice comenta com Tanaka as des- confianças de Mario e João Amaro ouve a conversa. Ralf sai da cadeia. Hirô fica arrasada ao ver Ralf e Milena juntos. Tato, amigo de Mario, chega para ajudar Wagner e a família. Hirô revela para Tanaka que Yumi gosta de Tiago. EntretenimentoEntretenimentoNovelas - Horóscopo - Diversão Cruzadinha Novelas D iana briga com Lázaro. Luizão comemora ao descobrir que JF e Lu- ana reataram. Gilda ameaça tirar o dinheiro de Nicolau se ele parar de estudar. Daniel diz a Gui que conversará com Lázaro sobre a multa rescisória do contrato. Néia se preocupa ao saber que Diana está com raiva de Lázaro. Lázaro não aceita os argumentos de Daniel e dá um prazo para Gui pagar sua dívida. Nelson conta para Gordo sobre a dívida de Gui. P edro ameaça a vida de Tião. Magnólia questiona Zuza sobre o motivo de nunca ter revelado seu caso com Ciro. Edu sente pena de Tião ao vê-lo fragilizado. Tiago elogia a atitude de Letícia em favor da mãe. Jéssica pergunta a Salete se existe algo entre ela e Gustavo. Misael agrideAline.Augusto não cede à tentativa de sedução de Beth. Pedro avisa a Fausto que descobrirá por que ele está acuado. Yara e Misael choram ao saber que Aline foi embora de São Dimas. Sol Nascente -18h A Lei do Amor -21h Rock Story -19h Rapidinhas Áries 21/03 a 20/04 21/04 a 20/05 21/05 a 20/06 21/06 a 20/07 21/07 a 20/08 21/08 a 20/09 21/09 a 20/10 21/10 a 20/11 21/11 a 20/12 21/12 a 20/01 21/01 a 20/02 21/02 a 20/03 Leão HoróscopoHoróscopo Sagitário Gêmeos Libra Aquário Touro Mostrará um sentimento mais impulsivo devido à atividade intensa em Vênus. Tomar a iniciativa deve ser uma grande prioridade para você. Aja com coragem mesmo que ás vezes pareça que tudo vai mal. Algumas de suas ideias de realizações serão frus- tradas. Urano irá prejudicar a forma com que você vem tentando fazer as coisas. Porém não desista, persista na sua busca por uma vida melhor. Será difícil para você. A mudança pode ser a palavra chave para o seu dia, todos devemos procurar melhorar. Porém para esta constelação Mercúrio favorecerá neste aspecto de mutação. Evite agir de forma contra- ditória tenha coerência. Não sentirá muitas mudanças, apresentará de forma simples uma personalidade um pouco mais sobre afetuosidade.ALua será responsável por esta personalidade mais afetiva. Pode sentir um pouco de melancolia. O egoísmo estará mais visível no dia de hoje, terá uma forte influência de Mercúrio. É necessário que demonstre que acima de tudo você é uma pessoa leal. Será uma tarefa difícil para você que tem uma personalidade tão forte. Terá um dia mais tranquilo e com leveza, a coerên- cia estará presente nas suas opiniões. O elemento terra será afirmativo para o seu sentido prático e organizado. Procure executar mais o seu lado da praticidade. Será um dia equilibrado e mais tranquilo, Saturno ajudará nesta questão. Apenas algumas ques- tões que estavam mal resolvidas podem vir lhe incomodar um pouco. Use sua diplomacia para resolver estas intempéries. Ficará um pouco desconfiado em relação algumas pessoas que já teve problemas. Seu problema com revanches pode ser agravado com a atividade de Vênus. É bom que utilize o bom senso para usar seu processo transformador. Não terá o mesmo bom humor que você vinha carregando. Mercúrio fará com que você fique um pouco mais irresponsável. Deve agir com mais sinceridade e responsabilidade com as tarefas que você precisar executar. O seu realismo irá ajudar você conseguir passar por cima de alguns problemas. Realizará algu- mas ideias que te deixarão com orgulho. Marte auxiliará nessa sua caminhada. Não sucumba ao pessimismo e a ganância. Agirá com mais independência e livre de algumas atividades imprevisíveis. Saturno deixará você com um espírito mais simpático e tolerante. Essa energia deve ser preservada, tente atividades em grupo também. O elemento água ajudará você a ter um espírito mais romântico e carinhoso. Vênus também contribuirá para que você possa se aproximar de algumas pes- soas. É muito importante que você não deixe levar por algumas conquistas. Virgem Capricórnio Câncer Escorpião Peixes Preta Gil celebrou a sétima edição do “Bazar da Preta” neste domingo, 11, no Leblon, Zona Sul do Rio. O evento, que vai destinar todo lucro obtido com as vendas das roupas doadas por famosos para a Casa do Amor, no Complexo do Alemão, teve ainda a presença de Rodrigo Godoy, marido de Preta, que aproveitou para pa- paricar a cantora com beijinhos entre uma venda e outra. Além dele, a apresentadora Fernanda Gentil também foi conferir a tarde solidária. Com um look arrasador, Leticia postou uma foto em sua conta no Instagram na tarde deste domingo, 11. Com um modelito bem marcado, ela apareceu sem a esperada barriguinha de sua primeira Gravidez. Aos sete meses, ela segue praticamente com a mesma boa forma de sempre. Porém, o decotão que ela ostentou chamou atenção. Jornal Correio do Sul Segunda-Feira, 12 de dezembro de 2016
  • 9. Para Natal Peças foram vendidas a preços mínimos e dinheiro arrecadado vai beneficiar várias famílias Voluntárias da associação organizaram feira de calçados Policiais fazem campanha e distribuem brinquedos na creche N em o mau tem- po espantou a vontade de ajudar o próximo em uma ação promovida pelo Corpo de Bombeiros de Turvo. O Bazar Solidário aconteceu pela primeira vez na última sexta-feira, e já foi o maior sucesso atraindo a atenção dos turvenses.Aideia surgiu puramente da observação da bombeiro comunitária Eduarda Zeferino Gomes, que movimentou a corpo- ração inteira numa ação para auxiliar quem precisa. “Eu já tinha a vontade de fazer isso há algum tempo, então esperei chegar o fim do ano para conversar com o comandante e saber se era possível. Fizemos uma ação no dia das crianças e conheci pessoas que precisam de ajuda. Fiquei com vontade de fazer mais e conseguimos ampliar a mobilização”, conta ela. Além do bazar de rou- pas, ainda teve pedágio e arrecadação de novas doa- ções. “Estamos felizes com as vendas que fizemos”, declara Eduarda. Para o sargento Carlos Cézar da Silva, comandante do Corpo de Bombeiros de Turvo, não tinha como dizer não a uma iniciativa dessas. “Penso que a causa é nobre, A Associação de Mo- radores do bairro Nova Brasília, em Sombrio, pro- moveu no sábado um bazar de calçados. Os calçados, na grande maioria infan- tis, foram doados por uma empresa e vendidos por R$ 2,00 e R$ 5,00. Parte do recurso arrecadado será usado para custear a festa de final de ano das crianças do bairro, e parte será entregue aos pais do menino Danton, que luta há mais de um ano contra a leucemia. Os irmãos Sílvio e Sir- lene Maciel Silveira são voluntários em todas as ações da associação, e par- ticiparam mais uma vez neste sábado. Sirlene diz que desde menina gosta de ajudar o próximo e que de- dicar algumas horas do seu tempo para causas sociais não a incomoda. “Deus me deu esse dom de ajudar,e é o que faço”, diz. O bazar foi realizado no ginásio de esportes local. Na tarde da última sexta- -feira, a Polícia Civil de Ara- ranguá distribuiu no Centro de EducaçãoInfantilCantinhodo Amor II, localizado no bairro Vila São José, a segunda re- messa dos brinquedos e doces arrecadados na campanha de natal Doe um brinquedo e multiplique sorrisos. A campanha iniciou em novembro,foicoordenadapelo delegado regional Diego Har- cher De Haro e pelas policiais civis Tânia Mara Valentini Costa e Maria Eliane Figuei- redo e arrecadou cerca de 600 presentes,queforamdivididos emkitseentreguesàscrianças. Segundo a coordenadora Maria de Fátima da Silva,a creche atende 80 crianças de seis meses a quatro anos, dos bairros Vila São José, Colo- ninha, Parque Alvorada, Bai- xadinha, Polícia Rodoviária, entre outras localidades e fun- ciona nos períodos matutino e Aline Bauer Turvo Sombrio Gislaine Fontoura Araranguá então temos que abraçar e fazer a nossa parte. Não resolve o problema da huma- nidade, mas é o que podemos fazer”, comenta. As doações serão rever- tidas para entidades como Apae e casas de acolhimen- to. “Definiremos a entidade que mais precisa e aquilo que conseguirmos arreca- dar, estaremos direcionando a isso. A equipe abraçou a ideia, se empenhou e vemos muita dedicação”, continua o sargento. Muitas doações de roupas foram recebidas durante toda a semana, e depois organizadas e la- vadas. Alimentos também foram doados para as cestas básicas. “O evento fecha com chave de ouro apesar da chuva”, comemoram os bombeiros. Sedenir Luiz Cadorin colabora em todos os baza- res, além de adquirir muitas roupas por preço baixo. “Vim para ajudar os bom- beiros a ajudar alguém. Cada vez que tem ações assim par- ticipo”, conta.Além do bazar para vender roupas a preços baixos, a corporação ainda coopera com a Campanha de Natal Solidário, junto à CDL, há três anos e estará nos dias 15 e 16 de dezembro entregando as cestas básicas as famílias. Para o Natal Solidário, há vários pontos para doações e se alguém não puder levar sua colaboração, vespertino. Este é o segundo ano que os alunos recebem os policiais civis, que vêm acompanhados do Papai Noel e fazem a alegria da garotada. “Agradeço a Polícia Civil, que faz este serviço maravilhoso, este é o segundo ano que eles vêm aqui na nossa festinha de encerramento. Os pequenos adoram ver os policiais che- gando de viatura, com o Papai Noel, ficam muito felizes”, conta. O delegado Diego contou que na quarta-feira, o CEI do bairro Santa Catarina já havia sidocontemplado.“Esteéose- gundo ano que a Policia Civil realizaacampanha,eaentrega nos emociona muito, porque chegamos aqui, as crianças ainda fazem uma apresenta- ção de homenagem ao Natal e somos muito bem recebidos. Para nós é muito importante trazer um pouquinho do nosso carinho para estas crianças”, assevera. Algumas policiais civis choraram durante a entrega, o que emocionou professores, pais e inclusive a imprensa presente. “A aproximação da polícia com a sociedade é importante, de baixo destas camisetas pretas existem seres humanos preocupados com o próximo”, analisa o delegado Diego. OservidorpúblicoJoélcio Bombeiros fazem bazar solidário Associação arrecada recursos Policiais entregam presentes em creche 9Geral Jornal Correio do Sul Segunda-Feira, 12 de dezembro de 2016 basta ligar para os bom- beiros que eles irão buscar. Brinquedos, cestas básicas, que são mais pertinentes ao Natal, já podem ser doadas. Para os bombeiros de Turvo, não tem mau tempo na hora de ajudar quem necessita. Arcenego Anastácio, tem um filho de cinco anos de idade no CEI da Vila São José e contou que o menino estava há vários dias cantado e entusiasmado com a festa, esperando a che- gada do Papai Noel. “Para nós pais,éimportanteperceberque o filho se deixa levar pelo mo- mento, pelo espírito natalino”, pondera.
  • 10. 10 PublicidadeJornal Correio do Sul Segunda-Feira, 12 de dezembro de 2016
  • 11. Castelo de Cartas Delegados de Araranguá e de outras regiões participaram de entrevista coletiva para esclarecer operação sobre o jogo Policiais entraram na água no dia do assalto para resgatar motorista de táxi preso no carro A PolíciaCivil,atra- vés da Diretoria Estadual de In- vestigações Criminais (Deic), divulgou na manhã de sexta- -feira, o resultado da operação Castelo de Cartas, deflagrada quinta-feira,emqueseapurao crime de lavagem de dinheiro O vereador Luiz Djalma Marcelino, o Luiz do Bailão, está solicitando que seja concedida Moção de Reco- nhecimento ao 19º Batalhão da Polícia Militar de Araran- guá, destacando a ação do sargento Anderson Américo Espíndula, cabo Gilson Cân- dido, cabo Nicholas Canani, soldado Alexandre da Luz, soldado Renato Magnus da Silva e soldado Renato Pru- - A Polícia Militar de Sombrio cumpriu na sexta-feira, no Morro do Cipó,um mandado de prisão contra um homem de 51 anos. Segundo informações, em 2010 ele teria descoberto uma traição da esposa e quando chegou em casa a obrigou a manter relações sexuais com ele, caracterizando o estupro. Ela procurou a polícia e denunciou o marido, que agora foi preso. Segundo os policiais, ele não ofereceu resistência e foi entregue na delegacia de Sombrio. - Um veículo com registro de roubo foi encontrado na última sexta-feira, em Passo de Torres. Segundo a polícia, o Celta de cor prata e placas HBL-8215, de Forquilhinha, tinha sido roubado em Criciúma. Ele foi encontrado na estrada geral Miratorres depois que a Polícia Militar recebeu denúncia de que havia um carro parado na comunidade. A guarnição foi ao local e recolheu o veículo, avisando o proprietário. - Na tarde de quinta-feira,por volta das 18h, uma guarnição da Polícia Militar deAraran- guá realizava rondas no centro da cidade quando visualizou um homem em atitude suspeita. Após realizada a abordagem, durante a checagem da documentação, os policiais militares constataram que o homem possuía um mandado de prisão ativo em seu desfavor.Ele recebeu voz de prisão e foi entregue na delegacia, e já possui diversas passagens por furto e roubo. - Cerca de meia-hora depois, na mesma quinta-feira,uma guarnição da Polícia Militar de Balneário Arroio do Silva se deslocava para atender uma ocorrência quando os policiais perceberam uma motoneta com seu condutor em atitude suspeita. Ao notar a presença da viatura, ele fugiu do local. Iniciado o acompanhamento, populares indicaram uma residência onde estava escondido o condutor da motoneta. Já próximo ao local, os policiais militares localizaram o adolescente de 16 anos. Na residência abandonada, encontraram uma televisão, que havia sido furtada na manhã do mesmo dia, e uma touca de cor preta. Durante a checagem de documentação no sistema, foi constatado que havia um mandado de apreensão ativo em desfavor do adolescente. Gislaine Fontoura Araranguá Araranguá praticado por organização criminosa, especializada na exploração do jogo do bicho, em seis cidades de Santa Ca- tarina. A apuração iniciou há um ano, depois de denúncia anônimadequecontraventores atuavam emAraranguá, com a facilitaçãodeservidorespúbli- cos. Durante as investigações foi comprovado que a rede se espalhou por outras cidades. Foram apreendidos cerca dêncio Cardoso. Os seis policiais mili- tares atuaram na ocorrência que salvou à vida de um taxista de 59 anos, vítima de assalto. O incidente ocorreu no dia 11 de setembro, por volta das 19h. O taxista foi chamado para fazer uma cor- rida e em seguida roubado, além de sofrer tentativa de homicídio. Após o roubo do dinhei- ro, o taxista ficou trancafiado no porta malas de seu veícu- lo, que foi arremessado nas águas do rio Araranguá, na localidade de Volta do Sil- veira. “Uma rápida, corajosa e eficaz ação policial evitou a tragédia, possibilitando o resgate e salvamento da ví- tima, que confidenciou não saber nadar. Esse foi mais uma demonstração de que a Polícia Militar enfrenta obs- táculos e não mede esforços para garantir a segurança dos cidadãos”, defendeu o vereador. Operação aponta vereador eleito com dinheiro de jogo do bicho Policiais homenageados por salvamento Ronda Policial 11Segurança Jornal Correio do Sul Segunda-Feira, 12 de dezembro de 2016 deR$100milemdinheiro,seis mandadosdeprisãotemporária equatroconduçõescoercitivas foramcumpridos.Diversosdo- cumentos foram apreendidos, que serão analisados. As di- ligências foram realizadas em Araranguá, Balneário Arroio do Silva, Balneário Rincão, Tubarão, Criciúma e Gravatal e contaram com o apoio de várias unidades policiais. Os mandadosforamemitidospela Comarca de Araranguá. A operação, que contou com apoio do Ministério Pú- blico, foi deflagrada visando o cumprimento de 19 mandados de busca e apreensão, nove prisões temporárias e cinco conduções coercitivas. Além dessas medidas, foi decretado ainda o bloqueio de ativos financeiros de 13 pessoas fí- sicas e jurídicas e o sequestro de 22 veículos. Ainda foram apurados os crimes de corrup- ção ativa, corrupção passiva e tráficodeinfluência,praticados pelaorganizaçãocriminosaem conluio com agentes públicos. De acordo com infor- mações do delegado Lucas Rosa, titular da 1ª Delegacia de Polícia de Araranguá, que participou da operação, das seis prisões temporárias, duas aconteceram em Araranguá. Ainda em Araranguá, uma terceirapessoafoipresaemfla- grante por porte ilegal de arma de fogo, durante diligência em uma das casas com mandado de busca. Esta pessoa, um homem, pagou fiança e foi liberado. Os nomes dos presos não podem ser divulgados, porque a investigação está sob sigilo. “Durante as investigações, a Deic conseguiu apurar que os suspeitos entraram em contato compolíticosdaregião,visan- do à transferência de policiais civis,queestavamtrabalhando para impedir a prática do jogo do bicho em Araranguá”, re- vela Lucas. O delegado contou que a investigação apurou ainda que o dinheiro do jogo do bicho, em Araranguá, chegou a ser utilizado para financiar cam- panhas políticas. Os policiais identificaram uma pessoa que se candidataria a vereador e usaria o dinheiro da contra- venção durante a campanha, porém, por problemas com o partido ou desistência, não teve sua candidatura lançada. Outro homem foi candidato a vereador, teve a campanha financiadaporumbicheiroese elegeu para compor a câmara araranguaense. Na manhã de sexta-feira, aconteceu uma coletiva de im- prensa em Florianópolis, para dar detalhes do caso e além do delegadoLucas,opromotorde Araranguá, Márcio Gai Veiga, participou da coletiva, com demais autoridades da capital. Foto:AndersonSilva/AgênciaRBS
  • 12. 12 PublicidadeJornal Correio do Sul Segunda-Feira, 12 de dezembro de 2016
  • 13. Morto a Tiros Corpo de Henrique Vargas foi encontrado caído em uma estrada com marcas de disparos Delegado Régis e sua equipe do Arroio, Virginia e João Peterson está sendo procurado por assalto com violência A noite de sexta- -feira, terminou violenta emAra- ranguá. Por volta de 23 ho- ras, Henrique Lamb Vargas, de 21 anos, foi morto a tiros e seu corpo foi encontrado na estrada geral do CTG, na Lagoa da Serra, que ligaAra- ranguá ao Balneário Arroio do Silva. A Polícia Militar foi acionada por populares e solicitou a presença do Corpo de Bombeiros, que ao chegar constatou que o rapaz estava morto. A área foi isolada até a Na sexta-feira, a Polícia Civil de Arroio do Silva enca- minhouparaoPoderJudiciário deAraranguá o inquérito poli- cial, que esclareceu o terceiro homicídio do ano, registrado no balneário, na noite do dia 25setembro.OcorpodeLucas Alcino Monteiro, o Fantoche, de 30 anos, foi encontrado na rua, naVila Isabel. Lucas já era conhecido do meio policial, com 33 boletins de ocorrên- cia, incluindo furto, posse de drogas, dano e ameaça, e foi assassinado com três disparos de arma de fogo. De acordo com a Polícia Civil, o caso está solucionado e encaminhado ao judiciário com indicação de autoria. O suspeito é de Arroio do Silva e a motivação do crime en- volve uso de drogas e briga de âmbito familiar. Assim como o morto, o assassino tem inúmeras passagens policiais. Quatro testemunhas, que não se contradisseram e firmaram convicção em seus depoimen- tos, foram essenciais para a conclusão do caso. A investigação iniciou com o delegado Lucas Rosa e foi concluída pelo delegado Régis Parisi Legramanti, titu- lar da delegacia de Arroio do Silva. Conforme informações da polícia civil, a autoria do Foi concluída pela De- legacia de Polícia Civil de Morro Grande e encami- nhada ao Poder Judiciário de Meleiro, na tarde de sexta-feira, a investigação que apurou um roubo na residência de um casal de comerciantes, morador da comunidade de Três Barras. O roubo ocorreu no dia 26 de agosto, por volta das 22 horas, quando o casal estava fechando o bar e foi levado para dentro do estabelecimento comercial por dois homens armados e encapuzados. As vítimas Gislaine Fontoura Araranguá Gislaine Fontoura Arroio do Silva Morro Grande chegada dos técnicos do Ins- tituto Geral de Perícia (IGP). O delegado plantonista Jair Pereira Duarte e agentes da Divisão de Investigação Criminal (DIC) de Araran- guá também trabalharam na ocorrência, bem como agentes do Instituto Médico Legal (IML), que recolheram o corpo. Henrique foi executado com vários disparos de pis- tola calibre 9mm, depois de ter sido vítima de tentativa de homicídio em setembro, no bairro Vila São José. A PM localizou, próximo ao corpo, cinco cápsulas de pistola 9mm que foram recolhidas homicídio já está definida, po- rém o nome do assassino está sendo mantido em sigilo para não prejudicar o andamento do processo. Neste ano, Arroio do Sil- va registrou três casos de homicídio. O primeiro foi do jovem Érick Kanã Xavier da Silva, de 15 anos, brutalmente assassinado,provavelmenteno início da madrugada do dia 12 dejunhoeseucorpofoiencon- trado pela manhã, às margens da estrada de chão que liga ArroiodoSilvaaoLoteamento Paiquerê. O inquérito policial foi concluído, o caso foi solu- cionado e todos os envolvidos no crime foram presos. O segundo homicídio de 2016 aconteceu no dia 7 de setembro, na Vila Isabel, Re- foram amarradas e levadas para dentro da residência, onde foram ameaçadas e torturadas por aproximada- mente duas horas, ficando sob a mira das armas dos ban- didos. Para apa- vorar os co- m e r c i a n t e s , os assaltantes fizeram ‘role- ta russa’ com u m a a r m a apontada para a cabeça deles, que também leva- ram golpes de coronhadas. Quando finalmente saíram da casa, os ladrões levaram pela perícia. Avítima foi alvejada pe- las costas, ainda havia perfu- rações no pescoço e um tiro de raspão atrás da cabeça. Para o delegado o crime pode ter sido uma execução su- mária e a investigação deve indicar como ele chegou até a estrada geral do CTG, com quem estava, por que e por quem foi assassinado. O delegado apurou, durante diligências no cenário do crime, que Henrique correu quando foi alvejado, com ele foram encontrados um boné, uma carteira, uma pequena porção de maconha e um aparelho celular. nan da Silva, de 32 anos, foi vítima de disparos de arma de fogo e morreu na rua com um tiro na cabeça. Um mês após o crime, o inquérito policial foi concluído, com definição de autoria e quatro suspeitos foram presos. O terceiro homicídio re- gistrado este ano no Arroio foi solucionado na última sexta-feiraeodelegadoLegra- manti afirma que a conclusão de mais um caso com êxito se deve muito ao escrivão João Cechinel e a agente Virgínia Maria de Oliveira Custódio. “A equipe da Delegacia de Polícia deArroio do Silva tem profissionais extremamente dedicados, que foram impres- cindíveis para a solução do caso”, analisa. um aparelho celular e duas armas de fogo. A investi- gação conseguiu identificar um dos autores do crime e concluiu que a motivação foi vingança. O homem identificado é P e t e r s o n Arnaldo dos Santos Fer- nandes, de 25 anos, morador do bairro Vila Manaus, em Criciúma, mas que há al- guns anos morou na pacata comunidade de Três Barras, em Morro Grande. Peter- son é considerado foragido Corpo de rapaz é encontrado na rua Esclarecida morte de Fantoche Polícia identifica ladrão que torturou casal 13Polícia Jornal Correio do Sul Segunda-Feira, 12 de dezembro de 2016 da justiça, pois contra ele está em aberto mandado de prisão preventiva, expedido pelo Poder Judiciário de Meleiro, pelo roubo come- tido contra o casal. A Polícia Civil, além de identificar um dos ban- didos, também conseguiu recuperar o aparelho celular e uma das armas de fogo roubadas e solicita o apoio da comunidade para locali- zar o marginal. Denúncias e informações que possam ajudar na localização e pri- são de Peterson podem ser passadas, em total sigilo, por meio do telefone 181. Fotos:ContraoCrime
  • 14. 14 PublicidadeJornal Correio do Sul Segunda-Feira, 12 de dezembro de 2016
  • 15. 15Segurança Jornal Correio do Sul Segunda-Feira, 12 de dezembro de 2016 EDITAL DE INTIMAÇÃO ARLINDO EDÍLIO DA ROSA, Titular do TABELIONATO DE NOTAS E PROTESTOS DE TÍTULOS desta Comarca de Sombrio, situado na Av. Nereu Ramos, 1300 - Fone (48) 3533-0318 - CEP 88960-000, atendimento das 08:00h - 12:00h e 14:00h - 18:00h, faz saber na forma da Lei aos que o presente EDITAL virem, que se encontram nesse tabelionato para serem protestados, decorrido o prazo legal de 03 (três) dias úteis, por não terem sido encontrados nos endereços fornecidos, ou por se recusarem a tomar conhecimento, os títulos cujos responsáveis estão abaixo discriminados. Ficam esclarecidos, também, de que nesse mesmo prazo poderão apresentar resposta escrita, que não impedirá a lavratura do protesto. PROT. .................................................APRESENTANTE / CNPJ DEVEDOR / CNPJ Prot: 152970; Devedor(es): A. PEREIRA SOARES DA COSTA ME - 18.548.393/0001-38, End: Rod. Januario Manoel Borges, 240, Sombrio; Tip: Normal; Mot: Falta de pagamento; Ced: ANTONIAZZI & CIA LTDA; Sac: ANTONIAZZI & CIA LTDA; Tit: 183436/162 ; Apr: BANCO DO BRASIL SA; VEN: 02/12/2016; Esp: Duplicata de Venda Mercantil por Indicação; Val: R$ 800,00 + Juros Legais (1% a.m.); Emol.: R$ 80,14. Apontamento R$ 15,00 - Selo R$ 1,70 - Distribuição R$ 0,00 - Diligência R$ 46,00 - Condução R$ 19,14 - Digitalização R$ 0,00- Total Emolumentos R$ 80,14. Prot: 152931; Devedor(es): ADRIANA MARTINS DE FREITAS - 072.665.079-01, End: Rua Pref. Fioravante Minatto, 490, Sombrio; Tip: Normal; Mot: Falta de pagamento; Ced: CONFECCOES MATTRIC LTDA; Sac: CONFECCOES MATTRIC LTDA; Tit: 12324 ; Apr: FCDL; VEN: 04/05/2016; Esp: Duplicata de Venda Mercantil por Indicação; Val: R$ 364,14 + Juros Legais (1% a.m.); Emol.: R$ 51,86.Apontamento R$ 15,00 - Selo R$ 1,70 - Distribuição R$ 0,00 - Diligência R$ 30,00 - Condução R$ 6,86 - Digitalização R$ 0,00- Total Emolumentos R$ 51,86. Prot: 152957; Devedor(es): BERENICE DA SILVA CLEMES - 549.888.530-04, End: Av. Parana, 383, Balneario Gaivota; Tip: Normal; Mot: Falta de pagamento; Ced: CECILIA ROSA ISOPPO COELHO & CIA LTDA - ME; Sac: CECILIA ROSA ISOPPO COELHO & CIA LTDA - ME; Tit: 0000001922 ; Apr: FCDL; VEN: 17/08/2015; Esp: Nota Promissória; Val: R$ 239,74 + Juros Legais (1% a.m.); Emol.: R$ 77,98. Apontamento R$ 15,00 - Selo R$ 1,70 - Distribuição R$ 0,00 - Diligência R$ 46,00 - Condução R$ 16,98 - Digitalização R$ 0,00- Total Emolumentos R$ 77,98. Prot: 152896; Devedor(es): DAIANE MARQUES MARTINHO - 067.582.499-05, End: Estrada Geral, 61, Sombrio; Tip: Normal; Mot: Falta de pagamento; Ced: BV FINANCEIRA S/A CFI; Sac: SCHULZE ADVOGADOSASSOCIADOS; Tit: 900345723 ;Apr: SCHULZEADVOGADOSASSOCIADOS; VEN: À VISTA; Esp: Cédula de Crédito Bancária por Indicação; Val: R$ 3.112,48 + Juros Legais (1% a.m.); Emol.: R$ 70,96. Apontamento R$ 15,00 - Selo R$ 1,70 - Distribuição R$ 0,00 - Diligência R$ 46,00 - Condução R$ 9,96 - Digitalização R$ 0,00- Total Emolumentos R$ 70,96. Prot: 152941; Devedor(es): JOSUE BRISTOT DA SILVA - 053.324.649-08, End: Rua Santos Coelho, 294, Sombrio; Tip: Normal; Mot: Falta de pagamento; Ced: CAVALER FACTORING FOMENTO COMERCIAL LTDA; Sac: REI DO PREGO IMPORTACAO E COMERCIO LTDA; Tit: 157661/01 ; Apr: BANCO BRADESCO S A; VEN: 30/11/2016; Esp: Duplicata de Venda Mercantil por Indicação; Val: R$ 790,00 + Juros Legais (1% a.m.); Emol.: R$ 51,86. Apontamento R$ 15,00 - Selo R$ 1,70 - Distribuição R$ 0,00 - Diligência R$ 30,00 - Condução R$ 6,86 - Digitalização R$ 0,00- Total Emolumentos R$ 51,86. Prot: 152866; Devedor(es): KATIANADOS SANTOS BERTOLDO - 951.858.529-68, End: RuaAlfredo Teixeira da Rosa, 620, Sombrio; Tip: Normal; Mot: Falta de pagamento; Ced: FOX CALCADOS; Sac: FOX CALCADOS; Tit: 44802 ;Apr: FCDL; VEN: 30/08/2015; Esp: Duplicata de Venda Mercantil por Indicação; Val: R$ 63,00 + Juros Legais (1% a.m.); Emol.: R$ 51,86. Apontamento R$ 15,00 - Selo R$ 1,70 - Distribuição R$ 0,00 - Diligência R$ 30,00 - Condução R$ 6,86 - Digitalização R$ 0,00- Total Emolumentos R$ 51,86. Prot: 152882; Devedor(es): KATIANADOS SANTOS BERTOLDO - 951.858.529-68, End: RuaAlfredo Teixeira da Rosa, 620, Sombrio; Tip: Normal; Mot: Falta de pagamento; Ced: FOX CALCADOS; Sac: FOX CALCADOS; Tit: 44528 ;Apr: FCDL; VEN: 18/08/2015; Esp: Duplicata de Venda Mercantil por Indicação; Val: R$ 124,00 + Juros Legais (1% a.m.); Emol.: R$ 51,86. Apontamento R$ 15,00 - Selo R$ 1,70 - Distribuição R$ 0,00 - Diligência R$ 30,00 - Condução R$ 6,86 - Digitalização R$ 0,00- Total Emolumentos R$ 51,86. Prot: 152956; Devedor(es): KATILENE PEREIRA DA SILVA PEREIRA - 016.203.459-86, End: Rua Miguel José da Silva, S/N, Balneario Gaivota; Tip: Normal; Mot: Falta de pagamento; Ced: FOX CALCADOS; Sac: FOX CALCADOS; Tit: 42796 ; Apr: FCDL; VEN: 06/08/2015; Esp: Duplicata de Venda Mercantil por Indicação; Val: R$ 252,00 + Juros Legais (1% a.m.); Emol.: R$ 77,98. Apontamento R$ 15,00 - Selo R$ 1,70 - Distribuição R$ 0,00 - Diligência R$ 46,00 - Condução R$ 16,98 - Digitalização R$ 0,00- Total Emolumentos R$ 77,98. Prot: 152947; Devedor(es): KATILENE PEREIRA DA SILVA PEREIRA - 016.203.459-86, End: Rua Miguel José da Silva, S/N, Balneario Gaivota; Tip: Normal; Mot: Falta de pagamento; Ced: FOX CALCADOS; Sac: FOX CALCADOS; Tit: 42782 ; Apr: FCDL; VEN: 06/08/2015; Esp: Duplicata de Venda Mercantil por Indicação; Val: R$ 258,00 + Juros Legais (1% a.m.); Emol.: R$ 77,98. Apontamento R$ 15,00 - Selo R$ 1,70 - Distribuição R$ 0,00 - Diligência R$ 46,00 - Condução R$ 16,98 - Digitalização R$ 0,00- Total Emolumentos R$ 77,98. Prot: 152967; Devedor(es): MARIA DONADEL PANATO ME - 06.274.962/0001-15, End: Rua Padre João Reitz, 209, Sombrio; Tip: Normal; Mot: Falta de pagamento; Ced: COMAPREIS LTDA EPP; Sac: COMAPREIS LTDA EPP; Tit: 027607/05 ; Apr: BANCO DO BRASIL SA; VEN: 03/12/2016; Esp: Duplicata de Venda Mercantil por Indicação; Val: R$ 341,18 + Juros Legais (1% a.m.); Emol.: R$ 51,86.Apontamento R$ 15,00 - Selo R$ 1,70 - Distribuição R$ 0,00 - Diligência R$ 30,00 - Condução R$ 6,86 - Digitalização R$ 0,00- Total Emolumentos R$ 51,86. Prot: 152929; Devedor(es): TAISON ROSSO NETO - 080.005.249-88, End: Rua João José Guimarães, 479, Sombrio; Tip: Normal; Mot: Falta de pagamento; Ced: JULIANO PEREIRADOS SANTOS; Sac: JULIANO PEREIRA DOS SANTOS; Tit: 1 ; Apr: FCDL; VEN: 11/09/2016; Esp: Duplicata de Venda Mercantil por Indicação; Val: R$ 599,85 + Juros Legais (1% a.m.); Emol.: R$ 51,86. Apontamento R$ 15,00 - Selo R$ 1,70 - Distribuição R$ 0,00 - Diligência R$ 30,00 - Condução R$ 6,86 - Digitalização R$ 0,00- Total Emolumentos R$ 51,86. Prot: 152950; Devedor(es): TANIA CRISTINA PEREIRA - 707.555.909-53, End: Rua das Acacias, 50, Balneario Gaivota; Tip: Normal; Mot: Falta de pagamento; Ced: FOX CALCADOS; Sac: FOX CALCADOS; Tit: REF000125 ; Apr: FCDL; VEN: 25/08/2014; Esp: Duplicata de Venda Mercantil por Indicação; Val: R$ 225,00 + Juros Legais (1% a.m.); Emol.: R$ 71,91. Apontamento R$ 15,00 - Selo R$ 1,70 - Distribuição R$ 0,00 - Diligência R$ 46,00 - Condução R$ 10,91 - Digitalização R$ 0,00- Total Emolumentos R$ 71,91. Prot: 152951; Devedor(es): THAISEALVES GONCALVES - 098.788.719-08, End: Rod. José Tiscoski, S/N, Balneario Gaivota; Tip: Normal; Mot: Falta de pagamento; Ced: FOX CALCADOS; Sac: FOX CALCADOS; Tit: 43495 ; Apr: FCDL; VEN: 14/07/2015; Esp: Duplicata de Venda Mercantil por Indicação; Val: R$ 162,00 + Juros Legais (1% a.m.); Emol.: R$ 71,91. Apontamento R$ 15,00 - Selo R$ 1,70 - Distribuição R$ 0,00 - Diligência R$ 46,00 - Condução R$ 10,91 - Digitalização R$ 0,00- Total Emolumentos R$ 71,91. Prot: 152958; Devedor(es): THAISEALVES GONCALVES - 098.788.719-08, End: Rod. José Tiscoski, S/N, Balneario Gaivota; Tip: Normal; Mot: Falta de pagamento; Ced: FOX CALCADOS; Sac: FOX CALCADOS; Tit: 43717 ; Apr: FCDL; VEN: 23/07/2015; Esp: Duplicata de Venda Mercantil por Indicação; Val: R$ 308,00 + Juros Legais (1% a.m.); Emol.: R$ 71,91. Apontamento R$ 15,00 - Selo R$ 1,70 - Distribuição R$ 0,00 - Diligência R$ 46,00 - Condução R$ 10,91 - Digitalização R$ 0,00- Total Emolumentos R$ 71,91. Certifico, para os devidos fins, que o presente edital foi afixado no mural da serventia em: 12/12/2016. Sombrio - SC, 12/12/2016 ARLINDO EDÍLIO DA ROSA Estado de Santa Catarina PREFEITURA MUNICIPAL DE PRAIA GRANDE EXTRATO CONTRATUAL Contrato Nº.: ................................................................... 77/2016 Contratante.: .. PREFEITURA MUNICIPAL DE PRAIA GRANDE. Contratada..: ............................ARMAZEM SOUPAC LTDA EPP. Objeto.........:AQUISIÇÃO DE MERENDA ESCOLAR PARA O 2º SEMESTRE DE 2016. Valor..........:R$ 39.577,56 (trinta e nove mil, quinhentos e setenta e sete reais e cinqüenta e seis centavos). Vigência.....: .................Início : 24/11/2016 Término: 31/12/2016 Licitação.....:....................... PREGÃO PRESENCIAL Nº 12/2016 Recursos.....:..................... DOTAÇÃO :. 2.012/3.3.90/DR 01.60 PRAIA GRANDE, 24 de Novembro de 2016. Extrato de Termo Aditivo TERMO ADITIVO AO CONTRATO Nº 66/2016, assinado em 06/12/2016 entre a Prefeitura Municipal de Praia Grande e Vilmar Lumertz Roldão, cujo objeto é o aditamento de mais R$ 113,00 (cento e treze reais), correspondente a 25% (vinte e cinco por cento) dos produtos licitados e homologados, totalizando o valor de R$ 565,00 (quinhentos e sessenta e cinco reais). Extrato de Termo Aditivo TERMO ADITIVO AO CONTRATO Nº 46/2015, assinado em 02/03/2015 entre a Prefeitura Municipal de Praia Grande e a Empresa RAC SANEAMENTO E TECNOLOGIA AMBIENTAL PARA DISPOSIÇÃO E TRATAMENTO DE RESIDUOS LTDA, cujo objeto é o aditamento de mais R$ 14.070,00 (quatorze mil e setenta reais), correspondente a 25% (vinte e cinco por cento) dos produtos licitados e homologados, totalizando o valor de R$ 70.353,60 (setenta mil e trezentos e cinqüenta e três reais e sessenta centavos). Extrato de Termo Aditivo TERMO ADITIVO AO CONTRATO Nº 05/2016, assinado em 04/01/2016 entre o Fundo Municipal de Saúde de Praia Grande e a Empresa ARMAZEM SOUPAC LTDA EPP, cujo objeto é o aditamento de mais R$ 5.200,00 (cinco mil e duzentos reais), correspondente a 25% (vinte e cinco por cento) dos produtos licitados e homologados, totalizando o valor de R$ 26.264,70 (vinte e seis mil e duzentos e sessenta e quatro reais e setenta centavos).
  • 16. 16 Pelo EstadoJornal Correio do Sul Segunda-Feira, 12 de dezembro de 2016 Panorama macroeconômico O acumulado do Produto Interno Bruto (PIB) nacional apresentou uma queda de 4%, acumulada en- tre janeiro e setembro, enquanto o IPCA (Índice Nacional de Pre- ços ao Consumidor Amplo), que mede a inflação, até outubro ficou em 7,87%. Isso significa um au- mento na taxa real de juros, que está em 13,75%. O que é preciso destacar é que o PIB cai (-2,9% no terceiro trimestre de 2016 em comparação com o mesmo período de 2015), o consumo das famílias cai (-3,4%, em igual compara- ção), o investimento cai (-8,4%), mas os gastos do governo não caem. Isso mostra que o governo tem muita dificuldade de compri- mir suas despesas. Quando analisamos a evolu- ção do PIB medida pelo Banco Central, a queda de Santa Catari- na é da ordem de 2,9% e do Brasil de 4,9%. Nós temos um desempe- nho melhor do que a média e isso vai se refletir em todos os nossos principais índices. Em relação aos investimen- tos, temos o recuo na importação de máquinas e equipamentos e na própria construção civil. Esse é um dos dados mais representativos para explicar a dificuldade que a nossa economia está tendo de re- agir. É o investimento, sempre, o motor da economia. Produção, vendas e capacidade instalada Só dois estados brasileiros tiveram crescimento na produção indus- trial: Pará e Mato Grosso, muito influenciados pela exploração de minério e pela produção de grãos. Entre os estados que tiveram que- da na produção, Santa Catarina foi o que menos caiu. Nossa queda foi de 4,2%, Rio Grande do Sul ficou em 4,6% e o Paraná 6,8%. PeloEstado Entrevista GLAUCO JOSÉ CÔRTE A cada final de ano, o presidente da Federação das Indústrias (Fiesc), Glauco José Côrte, reúne a imprensa para fazer uma avaliação do período que se encerra e projetar o próximo. Nesse difícil 2016 não foi diferente. Na tarde de quinta-feira (08), ele apresentou um balanço da economia, com foco na indústria catarinense, e antes mesmo do início da exposição dos números já tinha uma conclusão: as turbulências políticas ditaram o desempenho econômico em 2016. “Pelo terceiro ano sucessivo a situação afetou muito o desempenho da nossa economia.” Ao finalizar a apresentação, o presidente da Fiesc observou que em nenhum outro momento a iniciativa privada dependeu tanto do governo.“Nãoemtermosdesubsídios,masemreformasqueconduzamaumcenáriomaisfavorável, sobretudoparainvestimentos.”Comoexemplo,citouaspropostasquejáestãonoCongressoNacional, como a que limita os gastos públicos e a reforma da Previdência. “Aguardamos encaminhamentos na área da relação trabalhista, não para retirar direitos, mas para valorizar as negociações entre empregador e trabalhador. É preciso que o governo dê seguimento também ao Programa de Concessões que tem condições de atrair principalmente investimentos externos. Há uma expectativa do empresário industrial lá de fora de voltar a investir no Brasil, dependendo do encaminhamento favorável das reformas já anunciadas pelo governo, mas que ainda precisam ser implementadas.” Reproduzimos aqui a entrevista por temas. A íntegra está em www.centraldediarios.com.br/cnr (O pior resultado foi do Espírito Santo, -22,3%). Mesmo com toda a pressão sobre a economia, Santa Catarina ainda se manteve acima da médica brasileira, cuja queda foi de quase 8%. Em termos de vendas da in- dústria, tivemos uma queda de 11% em Santa Catarina, inferior à média brasileira que, no mesmo período de janeiro a outubro, caiu 13%. Quanto à utilização da ca- pacidade instalada, Santa Cata- rina está utilizando quase 80%, quando a média brasileira está em 77,9% (outubro). É interessante essa observação porque nós temos, ao mesmo tempo, queda na produ- ção e nas vendas, mas o industrial catarinense procura manter a sua indústria em operação. E isso vai explicar, de certa forma, o compor- tamento positivo nos empregos. Sabemos que para estimular vendas, é preciso estimular con- sumo, algo difícil em um cenário de juros altos, inflação alta, de- semprego e redução do ganho real do trabalhador. Só há uma saída: retomar investimentos. Até porque não há economia que se susten- te só com consumo. Precisamos gerar novas oportunidades para ampliar o quadro de trabalho, mo- vimentar as indústrias. Por isso o governo tem que efetivar o Pro- grama de Concessões, pois não tem dinheiro para investir sozinho. E devemos estimular parcerias entre empresas brasileiras e estrangei- ras para isso. Setores industriais Nossa conformação industrial é muito favorável quando compa- ramos com outros estados. San- ta Catarina tem a indústria de transformação mais diversificada do país e também desconcentrada, uma vez que está presente em todas as regiões. Em todos os lugares nós temos indústrias e predominante- mente pequenas e micro empresas. Segmentos industriais que tiveram crescimento, como o de Alimentos (3,9%) e o de Máquinas, Apare- lhos e Materiais Elétricos (4,5%) têm uma participação importante na formação do PIB industrial (de 15% e 7%, respectivamen- te). Por isso, no desempenho mé- dio industrial brasileiro o estado se saiu um pouco melhor. Sobre Alimentos, vale dizer que sempre foi um setor de ponta em relação ao mercado interno e às nossas ex- portações. A Fiesc tem chamado a atenção para a necessidade de o governo ter um olhar um pouco mais cuidadoso em relação à si- tuação do Oeste, que concentra a produção, uma vez que nós depen- demos de insumos e matérias-pri- mas que não temos em quantidade suficiente em Santa Catarina e temos que importar. Regiões Nós temos a região Oeste ainda com um bom desempenho, em fun- ção da Agroindústria, e apesar de todas as dificuldades. Tem uma economia mais dinâmica e tende a manter essas características. O Norte do estado sente a contração do setor automobilístico. Temos ali um dos mais completos e eficientes setores Metalmecânico e de Auto- peças, que está sentindo os efeitos da crise, mas está preparado para reagir. Móveis e Madeira, em par- te da região Norte, Centro Oeste e Planalto, está com bom desempe- nho. O Vale do Itajaí vive uma re- cuperação em função do Vestuário que ocupa um espaço que antes era dos importados. O Sul enfrenta algumas dificuldades em função do carvão, que é uma riqueza que não podemos deixar de utilizar. Mas a região se diversificou e teve avanço do setor de confecções. Por outro lado, a indústria Cerâmica, que reagiu muito bem nos últimos três anos, agora vive um recuo, porque a cerâmica entra sempre no fim das obras. E esse ciclo termi- nou. Precisamos esperar projetos novos, o que deve levar uns dois anos. Mas o setor recuperou posi- ções em exportação. Empregos Talvez um dos dados mais ex- pressivos sobre o desempenho da indústria catarinense seja a ques- tão do emprego. Em pouquíssimos estados a indústria de transfor- mação gerou empregos no período. Saldo positivo só em Goiás, com menos de 800 postos, em Roraima, com menos de 40 postos, e em San- ta Catarina o saldo foi de 5.146 postos abertos de janeiro a outubro de 2016, liderando, novamente, a geração de empregos no país (São Paulo fechou 51 mil postos e o Rio de Janeiro fechou 28,8 mil. Fo- ram os piores resultados). Quero associar esse dado com aquele da produção, que apesar da queda das vendas e da produção, nosso industrial apresenta confiança na recuperação da economia, tanto que gerou empregos nesse perío- do. Os setores que mais abriram vagas de janeiro a outubro foram Têxteis e Confecções, que volta a ocupar espaços que antes eram dos importados, e Metalmecânico e Metalurgia. Em contrapartida, entre os setores que mais fecharam postos de trabalho, em primeiro lugar está a Construção Civil e, associado a isso, o setor Cerâmico. Índice de Confiança É crescente ao longo dos últimos meses e é melhor do que era em 2014 e 2015. O nosso empresário industrial está considerando que os próximos meses serão melho- res. Enquanto as condições atuais receberam índice de confiança de 46,6 pontos, as expectativas estão em 56 pontos (o índice varia de 0 a 100, sendo acima de 50 confian- ça e abaixo de 50, falta de confian- ça na economia). Apesar de 2016 ter sido um ano difícil, terceiro de uma série, o industrial acredita que 2017 será mais favorável. A crise mais aguda aconteceu em 2015. E 2017 deve ser considerado como um ano de transição. Lembro que o crescimento da eco- nomia catarinense é muito depen- dente do setor industrial. Aqui, na região Sul, diferentemente do restante do país, em que a indús- tria tem participação de menos de 20% no PIB, aqui nós temos 30%. Ou seja, um terço da rique- za de Santa Catarina provém do setor industrial. Portanto, quando a indústria não está bem, o estado sente essa contração e tem mais di- ficuldade para crescer. E por isso o investimento em obras de infra- estrutura é muito importante, até porque um dos aspectos que freiam nosso crescimento está relacionado com o setor da construção civil. Praticamente nenhum investi- mento novo em 2016 e os que es- tão em curso têm atrasos ou pra- zos expirados. O governo tem que fazer um grande esforço no sen- tido de retomar os investimentos para que a construção civil possa ser reativada em termos de obras de infraestrutura, uma vez que a construção de prédios e casas deve demorar um pouco mais. Mensagem final O industrial catarinense tem sem- pre um espírito empreendedor muito aguçado e deve continuar fazendo o que tem feito nos últimos anos, bus- cando inovação, melhorando a qua- lidade de seus produtos e seus proces- sos, mantendo a mente aberta para o que está acontecendo no mundo. “É o investimento, sempre, o motor da economia” Por Andréa Leonora redacao@peloestado.com.br FilipeScotti/FIESC
  • 17. 17Publicidade Jornal Correio do Sul Segunda-Feira, 12 de dezembro de 2016
  • 18. Jornal Correio do Sul Segunda-Feira, 12 de dezembro de 2016 19-22-36-41-71CONCURSO 4.255 QUINA 10/12 06-19-28-33-47-48 12-14-23-28-32-36 CONCURSO 1.580 DUPLA SENA 10/12 01-04-23-32-38-59 CONCURSO 1.884 MEGA SENA 10/12 O Inter não foi rebaixado para a Série B na última roda- da do Brasileirão, mas por um conjunto da obra, que beirou mediocridade. Essa foi a opinião conjunta do grupo de jogadores, após o empate em 1 a 1 diante do Fluminense, em Edson Passos. O resultado deixou a equipe gaúcha com 43 pontos, na 17ª posição. Ou seja, terá de lutar para voltar à elite em 2017. Entre lamentações e cho- ro, os jogadores do Inter ad- mitiram que o time mereceu a queda. Afinal, chegou a permanecer 14 jogos sem vi- tória no Brasileirão. Por tudo isso, Alex falou que a equipe foi “medíocre”. – A partir do momento Porto Alegre em que não se consegue ser competente. O torcedor não merecia isso, a instituição também não. Fomos muito incompetentes no campeona- to. Teremos que se reerguer. A gente foi bem medíocre – disse Alex, projetando per- manecer no próximo ano. – Estamos com vergonha. O clube mais vitorioso do século, um clube que viveu muitas glórias. Mostrou que só a camisa não vence. É preciso querer e buscar. Nada justifica. Pedimos perdão. Em sintonia com Alex, Danilo Fernandes admitiu que a queda, pelo apresentado pelo grupo do Inter, acabou justa. Por sua vez, o goleiro foi o destaque da partida, ao fazer defesas difíceis e até defender um pênalti. D irigente mais vitorioso do Inter, Fernan- do Carvalho não conseguiu “salvar” e evitar o rebai- xamento do clube para a Série B. Em tom de re- signação, fez um discurso em Edson Passos no qual admitiu sua parcela de cul- pa desde quando assumiu o futebol, em agosto deste ano. Por outro lado, isen- tou o grupo de jogadores pela culpa. Carvalho admitiu que mesmo ele, tão experiente Porto Alegre no clube, se abalou com a má campanha no Bra- sileirão. Esse sentimento complicou a evolução da equipe na reta final do ano. – A convite do presi- dente, me senti na obriga- ção de aceitar o chamado para tentar ajudar uma situ- ação muito difícil. Desde o início, sabia que a situação era difícil. Minha ligação com o clube é histórica, desde 82, internamente. Infelizmente, o Inter não conseguiu resolver com a remobilização. Temos um grupo muito jovem que se abalou com esse ambiente Jogadores do Inter pedem desculpa e lamentam queda beirando a zona do rebai- xamento e depois dentro da zona, praticamente em toda essa segunda etapa – lamentou. Para permanecer na Série A, o Inter precisava obrigatoriamente vencer o Fluminense e ainda torcer por resultados paralelos. Mesmo assim, teve pés- sima atuação. Desorga- nizado, pouco conseguiu atacar. Na segunda etapa, sofreu gol de Douglas e conseguiu empatar com Gustavo Ferrareis. Em nenhum momento, no en- tanto, teve produção ne- cessária para superar o adversário. – Na verdade, o Inter fez por merecer estar nessa situação. Os responsáveis por isso somos nós. Eu sou responsável a partir de agosto das ações no futebol e não posso fugir da minha responsabilidade. Eu acabei entrando nesse clima, ficando abatido. Na temporada, o Inter teve quatro treinadores: Argel, Falcão, Celso Roth e Lisca. No Brasileirão, so- mou 11 vitórias, 10 empa- tes e 17 derrotas, ou apenas 37,7% de aproveitamento. Fernando Carvalho isenta grupo de jogadores do Inter por rebaixamento
  • 19. Brasileirão Série A 19Esportes Jornal Correio do Sul Segunda-Feira, 12 de dezembro de 2016 Aúltima rodada do Cam- peonato Brasileiro reservou homenagens em todos os jogos para as vítimas e so- breviventesdatragédiaenvol- vendo o voo da Chapecoense. Camisas, comemorações de gol, defesas de pênalti, fai- xas, mascotes, mosaicos... Em todas as nove partidas, jogadores, torcida e árbitros respeitaram um minuto de silêncio e se abraçaram em menção ao Verdão do Oeste. No jogo marcado para Porto Alegre a Arena Condá, nem o trio de arbitragem apareceu em campo. A bola esteve por lá, cumprindo protocolo da CBF. No estádio, de portões fechados, apenas 12 pessoas foram autorizadas a entrar e tirar fotos. Em todas as partidas, os jogadores respeitaram um minuto de silêncio, cantaram o hino nacional e ouviram a marcha fúnebre, abraçados. Todas as equipes da Série A entraram em campo com menções ao clube catarinense em seu uniforme. Grêmio ironiza queda do Inter: "Bom final de domingo e uma boa segunda" O Grêmio se despediu da t e m p o r a d a de 2016 com derrota por 1 a 0 para o Botafogo na tarde deste domin- go, na Arena. A torcida gremista, no entanto, pouco se importou com o resultado da partida. Nas cadeiras da Arena, os torcedores estavam mais preocupados em comemorar o rebaixa- mento do Inter para a Série B do Campeonato Brasileiro, decretado após o empate em 1 a 1 com o Fluminen- se, no Estádio Giulite Coutinho, no Rio de Janeiro. Nas redes so- ciais oficiais, o próprio Grêmio entrou na onda e ironizou a queda do rival: "Fechamos o ano pentacampeões da Copa do Brasil e na 9ª posi- ção no Brasileirão. Um bom final de domingo a todos e uma boa segun- da!", diz a mensagem do clube, compartilhada rapidamente pelos gre- mistas. Porto Alegre Chapecoense recebe homenagens de jogadores e torcidas no Brasileirão
  • 20. SEGUNDA-FEIRA, 12 DE DEZEMBRO DE 2016