Jornal digital 4734 seg-17082015

284 visualizações

Publicada em

Jornal Correio do Sul

Publicada em: Notícias e política
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
284
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
19
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
1
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Jornal digital 4734 seg-17082015

  1. 1. www.grupocorreiodosul.com.br ANO XXV EDIÇÃO Nº 4.734 SEGUNDA-FEIRA, 17 DE AGOSTO DE 2015 R$ 2,00 Grupo 23º 19º Sol com muitas nuvens durante o dia e períodos de céu nublado. Noite com muitas nuvens. Previsão para hoje Extremo Sul Catarinense Foto:Facebook/Festadocolono Geral Cursoensina homeopatia paraanimais Mais Natural 3Página 10 e 11Páginas Festa do Colono Turvomostrao que temdemelhor Setor Policial Vaca é furtada e morta no campo Comerciante é baleado em assalto Página Página 13 15
  2. 2. Política Jarbas Vieira Correio do Sul Segunda-feira, 17 de agosto de 2015 jarbas@grupocorreiodosul.com.br (48) 9966.5326 CHARGEPor:CAZO “Não podemos deixar que isso aconteça. O esporte é exemplo, tira os adolescentes das ruas, dá resultados importantes para a construção de um cidadão de bem”. Ele disse: ‘ ‘Deputado Valmir Comin (PP) sobre o cancelamento da OLESC e do PARAJESC. Gelson Merísio: discurso distante das ações! D eputado estadual mais votado de 2014, atual presidente da Assembleia Legislativa, presiden- te licenciado do PSD. Gelson Me- rísio é sem dúvidas um político de destaque no cenário político catarinense. Mesmo assim, faz de tudo para atrair as atenções da mídia e, consequentemente, da população. Depois de propor (e desistir pouco depois) uma nova forma de repasses do duo- décimo para os demais Poderes (Assembleia Legislativa, Tribunal de Contas, Tribunal de Justiça e Ministério Público), Merísio anuncia agora um projeto que visa diminuir em quase 50% dos cargos efetivos da Assembleia. De acordo com ele, a meta é reduzir Seminário progressista sobre legislação eleitoral e marketing político reuniu um bom público, na Câmara de Vereadores de Sombrio, na manhã de sábado. Sobre o segundo tema, a meta (48) 3522-3777 Colombo se projetando Outro que vem sendo encorajado a aparecer mais é o governa- dor Raimundo Colombo (PSD). De uma hora para outra, Colombo começou a ganhar espaço na mídia nacional, seja em programas de TV ou reportagens em impressos de grande circulação, falando sobre o momento político atual. O comando nacional do partido identificou em sua fala mansa e na fama “europeia” de Santa Catarina, a possibilidade de emplacá-lo como o “novo” político, “linkado” com os anseios da população. Não por acaso, o gover- nador quer de todo o modo que o funcionário público cumpra às 40 horas de jornada e criticou até mesmo os deputados federais e senadores, dizendo que a maioria só está lá à espera da quinta- -feira para abandonar Brasília e viajar de volta aos seus Estados. 411 cargos gradativamente, a medida em que os funcionários se aposentem. Depois também haveria cortes no número de comissionados, que hoje somam Motivação nos bons exemplos Momento A fase “ruim” da classe política está fazendo com que os partidos e seus líderes se desdobrem para filiar empre- sários e profissionais liberais dispostos a concorrer a próxi- ma eleição. O número de can- didatos destes segmentos, sem histórico político, aumentará consideravelmente em 2016. poderes não aceitariam de bom grado uma redução nos repasses. Então se a proposta de redução não foi construída com o aval de todos os envolvidos, o presidente da Assembleia deveria ter, no mínimo, a coragem de comprar a briga, colocando-a em votação. Como não o fez, retirando o pro- jeto da pauta, pareceu que tudo não passou de um jogo de cena. A proposta atual, que fez Merí- sio ganhar de novo atenção da mídia catarinense, é ainda mais emblemática: Ora se o presidente quer reduzir o número de funcio- nários da Assembleia, não precisa esperar que os concursados se aposentem. Dá para começar pelos comissionados, que hoje mesmo podem ser exonerados. Do contrário, será apenas mais uma pirotecnia! cerca de mil. Em ambos os pro- jetos, há consonância com o de- sejo da população, desde que as economias significassem mais in- vestimentos em áreas nevrálgicas como saúde, educação e seguran- ça. O problema é que discursos e projetos desacompanhados de ações tornam-se bravatas. E o pior denotam apenas um desejo do presidente do Legislativo Esta- dual de capitalizar popularidade para a próxima eleição. Senão vejamos. Na primeira investida de Merísio, qualquer articulista político iniciante saberia que os representantes dos demais dos organizadores é capacitar os pré-candidatos com iniciativas po- sitivas de outras eleições, assim comodemonstrarqueideiassimples fazem toda a diferença no processo eleitoral, motivando todos que têm odesejodeparticipardiretaouin- diretamentedaseleições.Nafoto, o deputado Zé Milton aparece ao ladodopré-candidatoCristianda Rosa e também do presidente da sigla, Professor Jusa. ³xxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx
  3. 3. “O que mais vejo são pessoas contra homeopa- tia, que leram um texto ou dois sobre o assunto e acham que sabem tudo. Criticam por ignorância. Após me formar veteriná- rio e trabalhar com medi- cinaconvencionaldurante 12 anos, estudei a fundo a homeopatia durante três anos e hoje atinjo no mínimo os mesmo re- sultados de cura da tra- dicional, que é de 50%”, afirma o veterinário Jú- lio, que atende principal- mente casos de animais do campo, especialmente vacas produtoras de lei- te. Os problemas mais comuns entre elas que um animal (ou de um grupo), seja ele doméstico ou de produção, com o objetivo de curar algum sofrimento ou incapacida- de, desde a ansiedade até uma infecção, com ajuda de remédios próprios. A homeopatia animal leva em consideração também (e talvez principalmente) a relação que o “paciente” tem com os proprietários. Às vezes, os donos é que precisam passar por tera- pia e mudar os hábitos em relação ao bicho. Foi o que aconteceu com Marinesa, que percebeu que via To- bbycomosefosseumfilho. O veterinário Júlio Teixeira de Souza tem 19 anosdecarreira,especiali- zadoemhomeopatiadesde 2008. Para diagnosticar Tobby, fez uma análise do comportamentodeleeare- lação com a dona e chegou aummedicamentoespecí- fico. O poodle fará um tra- tamentohomeopáticopara não sofrer com a distância da dona, ter paciência na hora de comer e reduzir os níveis de ansiedade. Marinesa também precisa agir diferente. “A gente humaniza demais o ani- mal. Me apeguei demais”, confessa. Quando Tobby nasceu, foi o último da ni- nhada,eninguémoqueria por ser feio. “Eu o adotei e ele ocupou na minha vida o lugar que era da minha filha, já adulta”, contou Marinesa. Após a análise homeopática veterinária, ela percebeu que precisa ter limites. “Apesar do amorquesintoporele,não posso esquecer que é um cão. Se eu não respeitar essa condição, nós dois corremosoriscodesofrer”, concluiu. > ARARANGUÁ Pense em um cãozi- nho que não para um segundo: é o Tobby. Aliás,éTobbyFreitas,com sobrenome. Esse poodle toy de 8 anos de idade é um membro da família da extensionista Marine- sa Freitas, de Passo de Torres. Igual uma criança que se apega à mãe, To- bby se apegou à dona. O problema é que ele sofre de hiperatividade, o que causa sede em excesso, alergias, ansiedade e sono ruim.Adonatambémsofre pelo pet, que chora cada vezqueavêsaindodecasa para trabalhar, ficando sozinho no apartamento. Essarelaçãonegativapara ambos fez Marinesa bus- car uma ajuda específica e aindavistacompreconcei- topormuitosveterinários: a homeopatia animal. Trata-se basicamente deumaterapiaalternativa que analisa as emoções e os comportamentos de Geral 3Correio do Sul Segunda-feira, 17 de agosto de 2015 Djonatha Geremias Terapia coloca animais no divã Homeopatia Veterinária Neste método, comportamento e emoção do bicho são analisados em busca de cura para eles e seus donos Preconceito ³Marinesa quer diminuir dependência de Tobby, que se angustia quando ela sai ³Entidades e escolas preparam detalhes do dia Rosinéa. Cuidados com aluguel de banheiros químicos, distribuição de água do Samae, local de saída, palanque, decoração, tudo está sendo planejado. > BALNEÁRIO GAIVOTA A prefeitura de Bal- neário Gaivota está or- ganizando o desfile cívi- co de Sete de Setembro em comemoração ao Dia da Pátria. A comissão organizadora, presidi- da pela secretária da Educação Rosinéa Al- ves Ferreira, se reuniu na sexta-feira com os membros das entidades cívicas e das escolas. São mais de 40 en- tidades que participam do tradicional desfile. ““Estamos cuidando de todos os detalhes para que, mais uma vez, tudo ocorra em perfeita harmonia”, destacou Reunião define 7 de Setembro O desfile será rea- lizado na 3ª Avenida, no local habitual, ten- do como tema este na: Balneário Gaivota: a minha, a sua, a nossa história. Júlio trata com home- opatia são epidemia de verrugas, instabilidades na reprodução e infecção mamária. Ele explica que a homeopatia não trata doenças, mas sim o indi- víduo. Em alguns casos, o produtor gasta muito com remédios para tratar uma infecção, quando na verdade precisa apenas reorganizar os animais no campo, evitando, por exemplo, que se deitem em barros ou outras medidas simples assim. “Por isso a terapia é im- portante, porque analisa o animal, mas também a relação dele com o dono. É como se os dois fossem para um divã”, faz Júlio uma analogia bem hu- morada. Natural de Braço do Norte, o veteriná- rio esteve ministrando mais uma vez o curso gratuito de Extensão e Homeopatia da Epagri, no Centro de Tratamento (Cetrar) em Araranguá. Foi o quinto encontro, realizado mensalmente, que começou em março e vai até maio de 2016, e do qual Marinesa é aluna. Na última aula ela levou Tobby como estudo de caso para ser analisado pela turma, e foi uma atração à parte. O próximo encontro será no dia 10 de setembro, no Cetrar, e mais informa- ções podem ser obtidas junto à secretaria, pelo telefone 3529-0323.
  4. 4. universidade e indústria por meio de atividades e discussões e divulgar os cursos existentes no campus de Araranguá para a comunidade”, des- taca o integrante do Cen- tro Acadêmico, Heron Pereira. O acadêmico Elder Tramontim, tam- bém integrante do Cen- tro Acadêmico, ressalta que a 1ª Saec atuará no âmbito de reflexão sobre a formação acadêmica, a prática do professor e o papel do cientista na sociedade. “A motivação para a realização da Se- mana partiu da ideia de estimular a integração, interlocução e interdis- ciplinaridade entre pro- fessores, estudantes e os demais participantes”, diz. A prefeitura de Ara- ranguá é parceira na iniciativa por avaliá-la como uma ação impor- tante para o desenvol- vimento local alinhada ao projeto de cidade de- mocrática e sustentável. “Nosso governo estimula a fomentação de novas ideias para a área de tec- nologia, pois o município tem vocação para este setor. Queremos realizar parcerias para tornar Araranguá como Polo de Desenvolvimento Tecno- lógico”, afirma o prefeito Sandro Roberto Maciel. Geral4 Correio do Sul Segunda-feira, 17 de agosto de 2015 situação do país. Em Araranguá, apro- ximadamente 30 pessoas se vestiram de verde e amarelo e foram para o Calçadão protestar. “Hoje estamos na rua através do Movimento Brasil Livre, para dar um basta a corrupção. To- dos esses escândalos que estamos vendo todo dia no pais - Mensalão, Pe- trolão, Lava-Jato e caixa dois de campanha – além da economia defasada e a inflação cada dia mais alta. Então estamos nas em Araranguá. A coorde- nação será dos escotistas do Grupo Escoteiro Ari- ringuá. Já confirmaram a participação oito grupos de escoteiros do estado, com previsão de mais de 350 participantes, entre crianças, adolescentes, jovens e adultos. diretor de Desenvolvi- mento Econômico, Paulo Humberto Borges, o ob- jetivo dos cursos é dar a oportunidade as pessoas de se aperfeiçoarem para o mercado de trabalho. “Sombrio é um pólo da área da confecção. Es- ses cursos vêm a somar com a demanda da mão- -de-obra do município”, disse. Ainda neste ano o Se- > ARARANGUÁ Milhares de pes- soas em todo o Brasil foram as ruas para pedir o impeachment da presidente Dilma. Mobilizados por movi- mentos que lideram os protestos anticorrup- ção, como o Movimento Brasil Livre (MBL), Revoltados Online e Vem Pra Rua, multi- dões reuniram-se nas principiais cidades do pais para demostrar a indignação com a > ARARANGUÁ De dois em dois anos ocorre um grande acampamento denomi- nado Escoteiros Locais em Operação (ELO) e este ano o encontro acontecerá noeste fi- nal de semana no CTG Galpão de Estância, > SOMBRIO Mais dois cursos gratuitos oferecidos pela prefeitura de Sombrio, em parceria com o Senai e o Senac, foram concluídos. A formatura reuniu os alunos dos cursos de Qualificação Profissio- nal de Costura Indus- trial e Confeitaria. De acordo com o Manifestantes protestam contra PT Araranguá sedia encontro de escoteiros Parceria forma mais duas turmas ruas de todo país para dar um basta a tudo isso, pois queremos sim um pais melhor, com uma economia fortale- cida e sem corrupção. Salientando que nossa bandeira é a do Brasil. Então independente a opção política das pessoas, estamos cha- mando a todas para vir pra rua saindo da zona de conforto e lutando por uma pois melhor”, discursou uma das ma- nifestantes e organiza- doras, Hellen Becker. O coordenador do Ariringuá, Ricardo As- sis Alves, explica que não se trata de um sim- ples acampamento, e sim de um evento bem organizado, com ativi- dades atraentes, prepa- radas para transmitir vários conhecimento aos participantes. nai irá se instalar no município, em um local mais espaçoso, para po- der atender uma quan- tidade maior de pessoas. Além disso, novos cursos serão oferecidos. “A pre- feitura irá investir com o aluguel do prédio e o Se- nai com os profissionais e os cursos. A previsão é para o início de novem- bro a inauguração”, diz Paulo. ³Em meio a uma crise na educação federal, alunos promovem evento na UFSC Membros do Centro Acadêmico de Engenharia da Computação visam integrar profissionais da área, estudantes e comunidade UFSC organiza Semana de Engenharia Tecnologia Da redação > ARARANGUÁ Entre amanhã e quinta-feira, ocorre a 1ª Semana Aca- dêmica de Engenharia de Computação (Saec), na Universidade Fede- ral de Santa Catarina (UFSC) – Campus Ara- ranguá. A ideia de re- alizar o evento surgiu de membros do Centro Acadêmico do curso que pretendem proporcionar a troca de experiências entre profissionais da área, através de pales- tras e workshops, mos- trar os trabalhos desen- volvidos no laboratório da universidade, a fim de incentivar os alunos a participarem de projetos de iniciação científica. “As atividades pro- postas buscam com- plementar a formação profissional através da interação com trabalho e pesquisa por meio da tro- ca de experiências. Tam- bém pretendemos insti- gar a aproximação entre
  5. 5. Política Rolando Christian Coelho Geral 5Correio do Sul Segunda-feira, 17 de agosto de 2015 A ingenuidade das manifestações F az tempo que a população brasileira tenta se enganar com manifestações contra governantes. A moda, aliás, é quase centenária, e levou, por exemplo, a deposição do presidente Washington Luiz em 1930. Manifestações também levaram a deposição de Getúlio Vargas em 1945 e a de João Goulart em 1964. O ciclo dos militares no poder também cessou face às manifestações entre 1979 e 1984, e, mais recentemente, em 1992, Fernando Collor de Mello sucumbiu. Em comum entre as manifestações temos, por óbvio, a insatisfação popular. Ora por desajustes na economia, que le- vam a população ao prejuízo financeiro, como foi o caso de Washington Luiz; ora por escândalos de ordem moral ligados a corrupção, como foi o caso de Collor de Mello. Excepcionalmente o brasileiro também se indigna pelo anacronismo de suas liberdades civis, que foi o que levou a derrubada do último regime militar no país. O interessante de todas as mani- festações que ocorreram e ocorrem no Brasil é o fato da população não se sentir responsável pelo objeto da contestação. Neste momento, em nosso país, o que tem levado a população às ruas é a corrupção e, em segunda análise, a crise econômica. Nenhum manifestante, no entanto, se vê responsável pela corrupção ou pela crise. Tanto um quanto outro ponto parecem terem sido importados pelo atual governo de alguma galáxia vizinha. Não há dúvidas de que grande par- te da cúpula do PT, que trabalhou pela eleição de Dilma e também de Lula, era formada pela pior espécie de gente, tanto que estão presos e/ou condenados pelo próprio sistema governamental do país. José Dirceu não é herói nacional coisa al- guma, como argumentam os esquerdistas. É um ladrão da pior espécie. Seu irmão, Luiz Eduardo de Oliveira e Silva, recebia R$ 30 mil por mês de um empresário sem sequer saber o por quê daquilo. Se a causa de Zé Dirceu fosse de fato revolucionária estes R$ 30 mil deveriam estar indo para alguma favela do Rio de Janeiro. Todavia, o que é preciso se observar, definitivamente, é que esquemas de cor- rupção como o Mensalão e a Lava Jato só se consolidaram pela necessidade que os governos do PT tiveram de manter o apoio do Congresso Nacional para poder governar. Na prática a corrupção só se generalizou porque deputados e senado- res começaram a cobrar para votar com o governo. Para pagar pelos votos se institu- cionalizou a corrupção, com dinheiro das estatais, via empreiteiras, sendo desviado para liquidar a conta. No meio da história uma centena de outros ladrões aparece- ram para também encherem seus bolsos. Mas onde está a responsabilidade da população brasileira? Bom, está justamen- te no fato de votar em políticos corruptos. Esta semana, por exemplo, conversei com um cidadão que declaradamente votou em João Pizzolatti (PP) para deputado federal em 2010. Ele me disse que só não votou em Pizzolatti novamente em 2014 porque este não foi candidato. Como se sabe, o ex-deputado está atolado até o pescoço em denúncias de corrupção ligadas a Lava Jato, e também já havia passado um trabalho e tanto para se livrar das acusações que o ligavam ao Mensalão. O mesmo cidadão se dizia indignado com o governo Dilma e seus desmandos! Tomei a liberdade de perguntar se ele via algu- ma correlação entre o fato de Pizzolatti ser deputado federal e a corrupção no governo do PT. De acordo com ele não há correlação. Uma coisa é uma coisa, e outra coisa é outra coisa. Sinceramente, não vi maldade nas palavras do ex-eleitor de Pizzolatti. Vi meramente ingenuidade. A mesma in- genuidade que acomete grande parte da população brasileira, que, de modo infantil, também acredita que democracia é o simples ato de ir votar a cada dois ou quatro anos. Isto é o mesmo que achar que ter um filho é o simples ato de gerá-lo, sem as responsabilidades de sua criação. Muitos pais de fato acham que a res- ponsabilidade pela criação de seus filhos compete aos outros. Depois, quando assis- tem o rebento na televisão trocando tiros com a polícia se perguntam onde foi que erraram. As manifestações contra Dilma não diferem muito de uma cena como esta. As prisões que já colocaram boa parte da cúpula do PT e de seus asseclas na ca- deia só se deram porque os guardiões do sistema democrático, que são os eleitores, insistem em negligenciar a democracia. Se o povo brasileiro não tomar para si as rédeas do controle do parlamento, en- trará Pedro e saíra João e a festa dos ratos continuará a mesma. E pior, cada vez mais profissional e difícil de ser descoberta. ADVOCACIA EMPRESARIAL FONE: (48) 3533-0145 Procurador participa Projeto Orla > ARARANGUÁ Oencontro para a discussão do Pro- jetoOrla,ocorridonanoite de quinta-feira no Morro dos Conventos, contou pela primeira vez com a participação do procura- dor do Ministério Público Federal, Fábio de Olivei- ra. Uma apresentação sucinta do projeto foi re- latada ao procurador pelo geógrafo e consultor, Pe- dro Nasser. As discussões danoitefocaramnotrecho 3, que compreende a área urbanizada do Balneário Morro dos Conventos até o Restaurante Orizon. “A participaçãodasentidades envolvidastemsidointen- sa e contribui para a qua- lidade do produto final do projeto”, diz Nasser. O procurador federal fez algumas considera- ções no encontro, entre elas sobre a liberação de licenças ambientais. “É grande a responsabili- dade do município com ³Fábio é representante do Ministério Público Federal na discussão do projeto Da redação > ARARANGUÁ A prefeitura de Ara- ranguá conquistou re- cursos junto ao Governo Federal visando construir uma creche no terreno situado na esquina das ruas Coronel Apoliná- rio Pereira e Regimento Barriga Verde, ao lado da Unidade Básica de Saúde Bom Pastor. A informação foi dada pelo prefeito San- dro Maciel ao vereador Rony da Silva durante viagem a Brasília. Serão investidos R$ 1.249,50 de recursos provenien- tes do Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE) na obra que terá capaci- dade para atender até Prefeito anuncia nova creche 180 crianças de zero a 5 anos de idade. O terreno onde o prédio será erguido pertence ao governo do estado. Araranguá possui cer- ca de 400 crianças na fila aguardando por vaga no ensino infantil. Serão atendidas no novo espaço principalmente crianças cujas famílias residem no Centro e na Barranca. aquilo que libera. Deter- minados investimentos são muito altos e uma liberação errada de licen- ça ambiental acarreta em prejuízo para a pre- feitura”, ressaltou. Com a conclusão do projeto, o procurador também se mostrou otimista. “Este encontro trata com cla- reza o que se quer com o Projeto Orla. Apesar dos danos irreversíveis cau- sados pelos impactos de ação no ambiente ainda estamos em uma área tranquila”, avaliou.
  6. 6. Fundado em 5 de Junho de 1990 - Dia Mundial do Meio Ambiente Jornalista Rolando Christian Sant’ Helena Coelho - Fundador Jornal Correio do Sul Publicações legais: Tomaz Fonseca Selau l48l 9985.8573 tomaz@grupocorreiodosul.com.br Financeiro Joice Ramos l48l 8802.5883 financeiro@grupocorreiodosul.com.br Comercial: Igor Borges l48l 9968.6084 comercial@grupocorreiodosul.com.br Diretor Geral Jabson Muller l48l 9955.5313 jabsonmuller@grupocorreiodosul.com.br Diagramação/Arte: Cristian Mello l48l 3533-0870 correiodosul@grupocorreiodosul.com.br Sul Gráfica Junior Muller l48l 9931.4716 sulgrafica@grupocorreiodosul.com.br Redação: Marivânia Farias l48l 9995.9290 editor@grupocorreiodosul.com.br Política: Jarbas Vieira l48l 9966.5326 jarbas@grupocorreiodosul.com.br Radio 93FM Cássia Pacheco l48l 9912.9588 radio93fm@grupocorreiodosul.com.br Circulação/Assinatura l48l 3533.0870 assinaturas@grupocorreiodosul.com.br Rua João José Guimarães,176, Centro - Sombrio/SC - Fone: (48) 3533 0870 Editora: J. R. Pereira - ME CNPJ 17.467.695/0001-19 C.S. Empresa Jornalística LTDA. Geral6 Correio do Sul Segunda-feira, 17 de agosto de 2015
  7. 7. Publicidade 7Correio do Sul Segunda-feira, 17 de agosto de 2015
  8. 8. Entretenimento Novelas - Horóscopo - Diversão Novelas Além do Tempo -18h I love Paraisópolis -19h Babilônia -21h M arieDandadescobremqueJurandirfoiintimadoevãotirar satisfaçãocomGrego.RaulcontinuaàsturrascomOmara, Claudete e Mirela e elas insistem para que ele case com uma das três. Começa a venda especial de Dália, e forma-se uma filademulheresdoMorumbiparaadquiriraspeçasdegrife.Júnior tentaescapardeJávaicomaajudadeSoraya.Gabocomeçaaar- maroesquemaparaderrubarBenjamindapresidênciadaPilartex. B ernardoseafastadeBento.VitóriaseenfurececomPadreLuís. Lívia pede para Gema convencer Emília a deixá-la trabalhar no casarão. Roberto flagra Anita acariciando sua camisa. BentocontaparaVitóriaquepodeterencontradoBernardo.Rita afirmaaRosaquepretendeesperarpelavoltadePérsio.Dorotéia repreende Roberto por tentar seduzir Anita. Raul e Ariel saem com Bento à procura de Bernardo. Melissa se irrita por Walmir não revelar o paradeiro de Felipe. B eatrizserevoltacontraOtávio.Estelasedesesperaaoouvira gravaçãodeMurilo.EvandroavisaaBeatrizqueaaudiência para seu divórcio foi marcada. Teresa sugere que Estela enfrente Beatriz. Valeska grava uma conversa entre Osvaldo e Valdecir. Inês é declarada a nova presidente da Souza Rangel. Estela confronta Beatriz. Teresa aconselha Beatriz a contar para Diogo que assassinou Cristóvão. Alice aceita sair com Evandro. ValeskaameaçaOsvaldo.ReginaeViníciuspensamumnooutro. Rapidinhas Correio do Sul Segunda-feira, 17 de agosto de 2015 Áries 21/03 a 20/04 Verá surgir uma amizade muito bonita com alguém de Libra. Marte tende influenciar neste campo da amizade. Já a sua coragem não estará tão elevada como o normal. A iniciativa pode lhe trazer benefícios no seu trabalho. Leão 21/07 a 20/08 Sagitário 21/11 a 20/12 Muitascoisasqueacontecerãoduranteodiaserádevido asuasinceridade.Terámaisafincocompessoasdetouro. O fogo será importante neste caso. Porém evite atitudes irresponsáveisemtodososcampos. Gêmeos 21/05 a 20/06 Haveráalgumasconfusõesiniciadasporvocê.Apresença fortedeSaturnoeJúpiterinfluenciarãofortementenesta questão.Reorganizeoseutempoetodasassuastarefas. Podeduranteodiasecontradizer. Libra 21/09 a 20/10 Haverá alguns ganhos durante este dia no campo social. A sua exaltação em Saturno estará muito ligada com sua característicasociável.Façaumbomusosemdeixarainde- cisãodominarasatitudeseoutrasopiniõesquevenhater. Aquário 21/01 a 18/02 Touro 21/04 a 20/05 Não aceitar as mudanças te afastará de algumas pessoas. Demonstre as suas habilidades o máximo que puder para superar isso. Você deve tomar também para si algumas res- ponsabilidades. Mercúrio conspira a seu favor. Virgem 21/08a20/09 Agirádeformainocenteemalgunsaspectosdoseudia. Netuno irá contribuir para esse estado de quase inércia diantedassituações.Oseusentidoobservadorestámais favorecido pelo elemento terra. Não se deixe dominar. Capricórnio 21/12 a 20/01 Tendo em vista sua ganância e vontade de vencer, terá problemas com pessoas de câncer. Precisará focar no trabalharsemprejudicarninguém.LuaeJúpiterirãoagir deformanegativa,porissoprecisarádeforçaparasuperar. Câncer 21/06 a 20/07 Nadadenovoocorrerá.Tenderáaserumdiamaisamenopela a grande presença de saturno. Estará em um momento um poucomaissensívelqueonormal.Tenhaumarelaçãomelhor com a água e com pessoas de capricórnio. Escorpião 21/10 a 20/11 Teráumavontadeacimadocomumdevencer.ÁguaeUra- no farão parte desse espírito forte de ganhar. Irá perceber commaisfacilidadealgumascoisasqueteatrapalham.Não tentecontrolardeterminadosacontecimentos. Peixes 19/02 a 20/03 Nada de surpreendente porém a Lua vai facilitar para você algumas atividades. Seu amor irá passar tranquilidade no qualtendeaproduzirboasenergias.Achaveparaconquistas materiais será sua relação com virgem. As dificuldades que irão aparecer durante o dia terão intervenção do sol. É bom que você use sua criatividade para sair dessas situações um pouco mais encabuladas. Nãosedescuidepoispoderásofrerumrevés. Gretchen falou da filha, Thammy, em entrevista concedidaaocolunistaLeoDias,dojornalODia,neste domingo(16).Acantoracomentousobreatransforma- çãoecirurgiaderetiradadosseiosqueThammypassou noanopassado. “Éumprocessoqueaindaestáacontecendo.Tem horasqueeuderrapo,aindafalo‘ela’.Estáacontecendo naturalmente. É um processo que ainda está aconte- cendo.Temhorasqueeuderrapo,aindafalo‘ela’.Está acontecendo naturalmente. Hoje não consigo ver a Thammycomomulher..”,disseGretchen. A cantora contou ainda que já é natural para ela chamarThammydemenino. Depois de ter decidido mudar radicalmente seu visual, Geisy Arruda parece ter ficado na dúvida se realmentefezaescolhacerta. Nestedomingo(16),afamosausouapáginaque possuinoInstagramnãosóparacompartilharcomos fãs uma de suas fotos antigas que mais gosta, mas também revelar que já está com saudade das antigas madeixas, que ficaram mais curtas e completamente morenas,aindanoúltimosábado(15). “Momento saudade, apenas isso!! Saudades do cabelo,depressãopós-corte,quemnuncaficouolhan- do as fotos de cabelão”, escreveu ela para legendar o clique,dividindocomosadmiradoresdainternettudo oqueestavasentindonomomento. Valelembrarque,depoisdemostraronovovisual, tambémnaredesocial,Geisyrecebeutotalaprovação dosseguidores,queencheramoscomentáriosdapos- tagemcomelogiosepalavrasdeapoio,deixandoclaro queelatinhaficadoaindamaislindamorena.Eagora, oqueseráqueelavaifazer?Vamosesperarparaver! As reflexões virão facilmente a sua cabeça. Leão embora focadoemoutrascoisasteráumaboarelaçãocomvocê. Tende a influenciar algumas ideias em pessoas mais sensíveisaopiniõescomopessoasdecâncer.
  9. 9. Despachos emporcalham cemitério mitério Municipal, aliás, não possuía sequer licen- ciamento. Tudo foi sendo adequado aos poucos. “O prefeito Zênio Cardoso sempre fez cobranças aus- teras para que eu cum- prisse exatamente o que está na legislação e é isso que estamos fazendo”, comenta. Atualmente o muni- cípio conta com um plano de saneamento básico e de resíduos sólidos, que foi realizado em parceria com o Samae. É através deste plano que Sombrio consegue ter acesso aos recursos públicos para aplicação em ações de sa- neamento básico. “O uso racional e integrado dos recursos naturais busca- Geral 9CORREIO DO SUL Segunda-feira, 17 de agosto de 2015 Greici coordena as ações visando o desenvolvimento sustentável do município Bebidas estão entre as oferendas frequentes > SOMBRIO Amaioriadaspessoas visita os cemitérios para lembrar ou homenagear osfamiliareseamigos.Le- vamflores,fazemlimpeza e reforma nos túmulos, fazendo com que os cemi- térios tenham atividade constante, com zeladores e pedreiros sempre traba- lhando. Em Sombrio, porém, o zelador Valdir já há seis anos vem convivendo com algo que está lhe provo- cando incômodo, assim como nos visitantes. São as oferendas feitas no cemitério, ou como diz Valdir, as macumbas. “Não tenho nada contra religião nenhuma, cada um pode fazer o que bem entender. Meu problema é que as oferendas são feitas em cerimônias e fica uma sujeira enorme”, reclamaozelador.Elelista o que costuma encontrar junto a estes despachos: bicho morto, vela preta e vermelha, roupas íntimas demulheredehomem,co- mida, bebida e perfumes. E acrescenta: “tem coisa que nem sei identificar e acabotendoquelimpartudo isso, já que é meu trabalho manter o cemitério limpo e conservado. Acho que as pessoas que vem fazer esse tipo de cerimônia podia fazer a sua parte a após a realização desses atos lim- par o local”. Segundo Valdir os ri- tuais acontecem com tan- ta frequência que rendem quase um carro de entulho por semana. O Correio do Sul também foi procurado por pessoas que vão ao cemitério com frequência e avaliam como falta de respeito o uso daquele espaço por praticantes de magia negra. A reportagem do Cor- reio do Sul foi ao cemitério municipal e fotografou alguns despachos, mas de longe,porqueémelhornão arriscar, não é. rá a sustentabilidade e segurança hídrica, me- diante equacionamento adequado entre a oferta e a demanda por serviços de saneamento ao longo dos próximos 20 anos”, afirma a diretora de Meio Ambiente. Quase todos os setores trabalham em conjunto com o Departamento de MeioAmbiente, a exemplo das Secretarias de Obras, Educação e do Departa- mento de Fiscalização. Na Educação, o projeto Ecocidade visa levar a consciência ambiental aos estudantes, com diversas ações realizadas durante o ano. No setor de Obras, tudo o que é construído Da redação > SOMBRIO Aprefeitura de Som- brio está estrutu- rando o seu Departamento Municipal de Meio Am- biente, que tem a frente a diretora Greici Bristot. “Quando eu assumi não existia nem sala e muito menos documentos rela- tivos às questões ambien- tais do município. Hoje conseguimos reverter este quadro e há o pleno fun- cionamento do Departa- mento”, diz Greici. Conforme a diretora, muitas atividades eram feitas sem regulariza- ção, como por exemplo, o translado de ossos. O Ce- Setor se estrutura e age mais Preservação Entre as ações do Departamento do Meio Ambiente está o ordenamento e licenciamento dos cemitérios e plano de saneamento necessita de licenciamen- to ambiental. “Essa do- cumentação representa, no conjunto da legislação brasileira de proteção do meio ambiente, um dos instrumentos mais importantes para condu- zir a sociedade a prática ambientalmente correta”, explica Greici. O objetivo é minimizar os impactos ambientais causados por empreendimentos públi- cos e privados. “Não li- beramos o alvará sem apresentar a licença. Isto é uma forma do poder público regularizar as em- presas do município”, diz. A importância do ri- gor é que o município se desenvolva de maneira sustentável, ordenando o crescimento econômico, evitando prejuízos à so- ciedade, seja na forma de prevenção de catástrofes industriais, poluição de corpos hídricos ou da at- mosfera. Há também uma grande preocupação no que diz respeito as formas de combate à poluição sonora, desordem no espaço urba- no, devastação florestal ou até mesmo danos ao patrimônio histórico ou paisagístico. “A criação do Conselho Municipal do Meio Ambiente, em andamento, também vai auxiliar bastante o setor. Acredito que Sombrio está se adequando plenamente asnecessidadesdomomen- to e as demandas futuras”, completa Greici Bristot.
  10. 10. 10 Correio do Sul Segunda-feira, 17 de agosto de 2015 Especial ³Moradores de Bela Vistinha enfeitaram carreta e participaram de desfile homenageando a comunidade Marivânia Farias > TURVO Sentada em uma das arquibanca- das montadas na Aveni- da Municipal, a principal de Turvo, dona Zilma Fernandes, de 75 anos, conta que seus ‘nonos’ foram se casar a cava- lo, pois nem carroça ti- nham. “A vida era muito difícil, mas a gente ia vivendo e hoje tá tudo bem melhor”, diz a idosa. Seu comentário deu-se no momento em que na avenida desfilavam re- presentantes de várias comunidades, alguns deles encenando um ca- samento no período da De quinta a domingo, Parque de Exposições Ires Olivo sediou a 22ª edição da Festa do C Festa lembraTurvoque Agricultor em Alta colonização do municí- pio. O desfile fez parte da programação da 22ª Festa do Colono de Tur- vo, na manhã de sábado, e moradores da Boa Vis- tinha estavam entre os mais animados. Em uma carreta eles contaram através de maquetes, móveis de época e pes- soas vestindo roupas tradicionais, um pouco da história da comuni- dade e homenagearam a sua moradora mais antiga,Augusta de Luca Rovaris, de 102 anos. O professor Ricardo Machado participou da organização da comu- nidade que tem cerca de 60 famílias, para o desfile que contou com outras oito localidades. “Para fazer este traba- lho conversamos com os mais velhos e fomos atrás da história. Esse conhecimento é sempre importante”, diz Ricardo. Além da união de seus habitantes, outra força do progresso tur- vense vem da agricultu- ra, que tem como marca registrada máquinas como colheitadeiras e principalmente tratores. Não é à tona que o mu- nicípio tem o título de Capital da Mecanização Agrícola. O desenvolvi- mento é feito por homens – e mulheres – com suas máquinas. Elas ainda são poucas na boleia de tratores, mas não dei- xam a desejar. Graziela Favaro Morgerot mora em Rio Aparecida com o marido e os filhos. A filha, Lavínia, foi eleita a primeira princesa da Festa do Colono. Grazie- la trabalha na lavoura e tem seu próprio trator para ajudar o marido no cultivo do arroz. “Cada um tem o seu trator. Eu todo dia vou pra roça com o meu”, conta ela com orgulho. O aumento da par- ticipação das mulheres na sociedade foi uma das tantas mudanças registradas nos últimos 44 anos, desde quando foi realizada a primeira Festa do Colono de Tur- vo. A primeira edição, Ideia por Daniel K. Guolo e Julian Clezar Interativa ideias@iocus.com.br www.iocus.com.br “Desejo a todas inimigas vida longa!” A importância da concorrência no mercado Agora Valesca Popozuda virou referência para negócios? Cremos que está bem longe disso e assim esperamos rsrsrs! Nada contra o gênero musical ou a cantora, mas a frase faz refletir alguns pensamentos quando abordamos o assunto sobre concorrência. Você já se perguntou qual a importância da concorrência no mercado? Imagina você dentro de um supermercado, pega a lista de compra e ainda falta pegar cerveja (me gusta mucho!). Chega à ala de bebidas, feliz e...“Putz! Só tem uma marca? Como assim?” É nesse ponto que precisamos da concorrência (imagina ter só Glacial para beber). Para o público, serve para comparar os produtos, analisar o custo benefício e lógico, ter opções de escolhas. Para o detentor da marca (empresário), ela ajuda a se posicionar no mercado, a precificar seu serviço/produto e avaliar o quanto ele é bom para consumidor. E a política de boa vizinhança? Manter bom relacionamento ajuda na troca de informações e avaliar o atual do cenário. “E se eu estiver sozinho no meu mercado de atuação? Parece-me muito bom.” Se posicionar como único é o que chamamos na estratégia de negócios de estar no “Oceano Azul”, sem concorrência. É não estar no “Oceano Vermelho” cheio de “tubarões” digladiando. Pode ser uma boa perspectiva e resultar em muito lucro, mas há seus riscos também. Na Iocus temos posicionamento próximo do “oceano azul”, analisando hoje os mesmo serviços oferecidos na região. Temos a experiência que isso até o momento é benéfico, mas... “Será que com outro concorrente, poderíamos ter um valor de serviço melhor?” Pois bem, é relativo, se for planejado prevendo este tipo de situações e com solução já a mão não há riscos. Não tenha medo da concorrência, entre nessa “Corrida Maluca” de mercado, planeje-se, só não seja um Dick Vigarista (desleal), e encare com naturalidade e sabedoria.
  11. 11. Colono e reuniu milhares de pessoas para prestigiar programação reforçada no setor cultural e na tradição das famílias turvenses e passadoefuturoestão naterra parando o almoço italia- no oferecido ao público. “Nos primeiros anos nós trabalhávamos no meio da grama”, lem- bra uma associada do Lions, sobre a melhora na estrutura da fes- ta que foi acontecendo com o passar do tempo. No sábado, o grupo do Lions chegou ao pa- vilhão às seis horas da manhã para come- çar a preparar comida para atender até 800 pessoas. O trabalho, no entanto, começou bem antes, no início de agosto, quando foram produzidas a massa e o nhoque caseiros depois congelados. Segundo a presidente do clube de serviço, Maria Ilda Salvaro de Souza, os re- cursos arrecadados com o restaurante provisório 11Correio do Sul Segunda-feira, 17 de agosto de 2015Especial ³Abertura da festa com apresentação das meninas sanfoneiras (foto prefeitura) ³Festa teve desfiles, presença de autoridades e dedicação dos clubes de serviço ³Vista aérea, em foto de Gedson Dalpont, mostra toda a grandiosidade da festa Colono e reuniu milhares de pessoas para prestigiar programação reforçada no setor cultural e na tradição das famílias turvenses ue passadoefuturoestão naterra em 1971, contou com 45 tratores no desfile. Hoje eles já foram con- tabilizados em mais de mil, consagrando uma tradição que passa de pai para filho. O que não muda é o objetivo da festa, de ser uma justa homenagem ao produtor rural. O agricultor agrade- ce e deixa o serviço de lado por algumas horas para se divertir. Po- rém, um grupo trabalha muito durante toda a festa, e não reclama. Os membros do Lions Clube de Turvo, desde a pri- meira edição do evento, servem almoço aos visi- tantes. De quinta-feira a domingo, cerca de 50 pessoas se revezam na cozinha montada no Parque de Exposições Prefeito Ires Olivo pre- são utilizados para a manutenção de projetos sociais. O Lions admi- nistra a Apae e a capela mortuária de Turvo. Entre os estandes fez sucesso este ano a Bodega Cultural, um espaço montado no es- tilo das velhas bodegas, espécie de bares, com seus tradicionais po- tes conjuntos de balas. Ali foram feitas várias apresentações culturais. Mas o que reuniu gente mesmo, uma verdadeira multidão, foram os sho- ws à noite, ajudando a Festa do Colono 2015 se consolidar com um novo público recorde. Recorde que deve durar somente até a pr[oxima edição, pois a festa aumenta a cada ano, e nada deve interromper esta traje- tória de sucesso.
  12. 12. Publicidade12 Correio do Sul Segunda-feira, 17 de agosto de 2015
  13. 13. Polícia 13Correio do Sul Segunda-feira, 17 de agosto de 2015 Animal foi furtado e morto em terreno bem próximo a outro onde um boi teve o mesmo destino na semana anterior ³Motorista saiu da pista e capotou na SC 285 > TURVO Um morador de Tim- bé do Sul teve um grande susto no sábado, quando voltava para casa pela rodovia 285. Em uma curva próxima a Vila Progresso, por volta das 14h30min, ele perdeu o controle de seu Palio de placas IQQ 6543 de Timbé do Sul, bateu na proteção da rodovia e acabou capotando, caindo na pista marginal. A Polícia Militar Ro- doviária e o Samu foram acionados. Felizmente o motorista só teve feri- > ARARANGUÁ Em um ano, aumen- tou a procura pelo cartão que identifica os idosos e portadores de deficiên- cia física, principalmente após a instalação do esta- cionamento rotativo, em novembro de 2014. “De um ano para cá tínhamos cerca de 300 idosos cre- denciados. Hoje são 1.604 cadastrados”, afirma o fiscal de transporte do Departamento Municipal de Trânsito (Demutran), Gabriel Gomes. O cre- mento leves, danos mate- riais e um grande susto. A Polícia Militar Ro- doviária ressaltou a im- portância de ter atenção denciamentodepessoascom dificuldadedelocomoção,em que elas passam a ser caro- neiras, chega a 265. Por lei, 5% das vagas devem ser reservadas para idosos e 2% para os portado- resdedeficiênciacomdificul- dade de locomoção. Somente na área que compreende o estacionamento rotativo são 53 e 32 vagas, respectiva- mente. O fiscal lembra que o uso de adesivo nos veículos não substitui os cartões. “O adesivo é uma forma educativa de identificação, apenas um complemento. É preciso ter o cartão para não Carro perde controle e capota Procura por cartão do idoso dispara redobrada nas rodovias da região, procurando respeitar o limite de ve- locidade e dirigir sempre com muita cautela. Da redação > SOMBRIO Mais um animal foi furtado e morto no bairro São Luiz, em Sombrio. O proprie- tário da rês, Marcel da Silva,évizinhodeRodrigo Nazário, a primeira ví- tima desse tipo de crime esse mês. Quando um boi de Rodrigo foi furtado e morto, Marcel ficou preo- cupado, e com razão. Na manhã de sexta- -feira Marcel ouviu co- mentáriosdevizinhosque mais um boi teria sido en- contrado abatido próximo a sua propriedade. Foi ao Vaca prenha é assassinada no pasto local para ver, mas achan- do que não era um de seu bois já que a informação eradequeoanimalestava com uma corda e os seus não ficam amarrados. Se enganou,umavacasuafoi vítima da ação criminosa de bandidos. “Era uma vaca aqui da fazenda que tem dois anos e meio e estava com um filho na barriga já há seis meses. Ela foi morta covardemente degolada. Emumprocedimentonor- mal, quando carneamos, é coisa de dois minutos para o bicho não sofrer.Aí sem dúvida foram vários minutos de angústia e dor queopobreanimalsofreu, pois ela só morre depois Medo no Campo ³Vaca grávida estava com uma corda no pescoço e pouco da carne foi levada que a cria vem a óbito também”, lamentou o proprietário. Ele acionou a polícia e disse que terá de reforçar a segurança, armada se necessário, para proteger o rebanho. Chamou atenção dos vizinhos que estavam com Marcel foi o fato de terem matado um animal enormeelevadomenosde 10% da carne. “Só espera- mos que esses bandidos sejam pegos, pois está ficando complicado para nós que não estamos mais conseguindo ter sos- sego com nossos bois no pasto”, reforçou Rodrigo Nazário, que há poucos dias também teve um boi roubado e abatido. ser multado ou não pagar a taxa do estacionamento rotativo”, explica. Pessoas com 60 anos ou mais devem procurar o Demutran de Araran- guá, ou o órgão do mu- nicípio onde reside, e ter em mãos cópias da Carteira de Identidade, Carteira Nacional de Habilitação (CNH), com- provante de residência e documento do veículo. No caso das pessoas com deficiência física é preci- so também ter um laudo médico que comprove a deficiência.
  14. 14. 14 Correio do Sul Segunda-feira, 17 de agosto de 2015 Publicidade
  15. 15. > ARARANGUÁ Segundoassaltoamão armadaemmenosde uma semana no bairro La- goão, em Araranguá, deixou um comerciante ferido por dois tiros de arma de fogo. O assalto aconteceu em um mercado pertencente a uma família de gaúchos que há um ano saiu do interior ³Comerciante trabalhava quando foi ferido a tiros Comerciante é baleado em assalto Mais Uma Vítima do Rio Grande do Sul para viver emAraranguá. Segundo a esposa do proprietário,nasexta-feira, por volta das 19h, dois ado- lescentesentraramnoesta- belecimento anunciando o roubo e o homem entregou o dinheiro. Mas em um determinadomomento,um dos ladrões, que não estava armado, mandou o outro, Polícia 15Correio do Sul Segunda-feira, 17 de agosto de 2015 ³ - Um homem foi preso na Praça Hercílio Luz, em Araranguá, por estupro de outro homem. A Polí- cia Militar foi acionada e no local um deficiente físico disse que foi chamado para dentro do banheiro público da praça pelo acusado e forçado a fazer sexo. No início o acusado negou a história, porém mais tarde acabou confessando. ³ - Um posto foi assaltado na tarde de sábado no Arroio do Silva. Dois bandidos chegaram de moto ao estabelecimento, um deles armado com um revólver cal. 38. Eles entraram no posto situado na entrada do Arroio, anunciaram o assalto e levaram quase mil reais. ³ -Namanhãdesexta-feira,aPolíciaMilitardeAraranguáapreendeuumadolescenteeumaarmade fogo.Ofatoocorreupróximoaomeiodia,quandoaCentraldeOperaçõesdaPolíciaMilitar(Copom)foi informada sobre um adolescente que estaria armado e que estava mostrando a arma para as pessoas na rua. Viaturas foram deslocadas ao local e realizaram um cerco para abordar o suspeito. O jovem foi encontrado pelos policiais e não obedeceu a ordem de parada, entrando em um terreno baldio e posteriormentenomato,nobairroColoninha.Novamenteumcercofoirealizadoeoadolescentede17 anos, que estava escondido no mato, foi encontrado. Ele portava um revólver cal. 22, sem munições. ³ -UmoutroadolescentefoiapreendidopelaPolíciaMilitardeAraranguá,estepordanoemveículo. ³ A Central de Operações da Polícia Militar (Copom) foi acionada e informada sobre uns jovens, de bicicleta, que estariam quebrando os retrovisores de carros estacionados no bairro Cidade Alta. Uma guarnição PM foi ao local indicado e rapidamente dois jovens, com as características repassadas, foram abordados. A vítima reconheceu os vândalos. Um dos dois, um de 18 e outro 14 anos, foram encaminhados a delegacia. RondaPolicial que estava com a arma na mão, atirar. Ele obedeceu, dando três tiros e acertando dois na vítima. Logo após apontouaarmaparaesposa do próprietário, que imedia- tamente se jogou no chão. Areportagem do Jornal Correio do Sul conversou com exclusividade com uma pessoa que teria visto os bandidos. A testemunha que preferiu ter seu nome mantido em sigilo por medo de represálias relatou que estavaarrumandooencana- mento de uma casa quando ouviu tiros. Ele olhou e viu dois jovens, um gordo usan- do capuz e outro magro com boné, correndo e segurando uma arma, até receberem apoio para a fuga de um carro prata. A testemunha contou que ele e seu tio, um policial militar do Rio Grande do Sul, foram atrás dos ladrões até a entrada deumacomunidade.Depois que voltaram para a cena do crime eles ainda viram os dois marginais passando de bicicleta como se nada tivesseacontecido.Imediata- mente informaram a Polícia Militar, que abordou os dois menores que têm várias passagenspelapolícia,sendo figurinhas carimbadas das Polícias Civil e Militar. Os dois foram levados a Cen- tral de Polícia, onde foram reconhecidos por testemu- nhas. Segundo informação os dois menores moram no próprio Lagoão. “Meu tio veio do inte- rior do Rio Grande do Sul para viver aqui, onde toca seu comércio há um ano. Até agora nunca tinha sido assaltado. Ele é aquele tipo de pessoa acolhedora, que atende os clientes como amigo, coisa tradicional nascidadesdeinterior,mas agora será necessário in- vestir mais em segurança”, comentou um sobrinho do comerciantequeaguardava noticia do tio no Hospital Regional, para onde ele foi levado pelo Samu com um tiro no peito e outro no om- bro.Segundainformaçõeso homem passa bem.
  16. 16. Publicações Legais16 Correio do Sul Segunda-feira, 17 de agosto de 2015 ESTADO DE SANTA CATARINA PREFEITURA MUNICIPAL DE ARARANGUÁ ESTADO DE SANTA CATARINA PREFEITURA MUNICIPAL DE ARARANGUÁ ESTADO DE SANTA CATARINA PREFEITURA MUNICIPAL DE SOMBRIO ATA DE JULGAMENTO DE PROPOSTAS DE PREÇOS REFERENTE A TOMADA DE PREÇOS Nº 39/2015 Às 14h00 do dia 14 de agosto de 2015, na sala de reuniões do Departamento de Licitações da Prefeitura Municipal de Araranguá, reuniu-se os membros da Comissão Permanente de Licitação, nomeada pelo Decreto 6837, de 19 de fevereiro de 2015, Sr.Luiz Carlos de Souza – Presidente, Valdir José Sauer e Liliane Silva de Souza - membros, para em conformidade com o que preceitua a Lei Federal nº 8.666/93, de 21/06/93 e alterações, proceder com o julgamento das propostas de preços apresentados na licitação nº. 39/2015, modalidade Tomada de Preços que visa a seleção Contratação de empresa do ramo pertinente para prestação de serviços, com fornecimento de materiais, objetivando a construção do Posto de Saúde Familiar (PSF) Urussanguinha, área aproximada de 374,90m2, tudo em conformidade com memorial descritivo, cronograma físico financeiro e planilhas. O presidente abre a sessão realizando a conferência e apresentação dos envelopes, juntamente com demais membros e representante da Empresa Minas Construções e Empreendimentos Ltda, Sr. Heber Machado Menezes. Após o presidente apresenta à comissão protocolo n° 005604/2015 efetuado pela empresa CCAConstrutora LTDAME, onde a referida empresa solicita a retirada da proposta alegando ter cometido erro na composição da planilha e conseqüentemente, se vencedora, não executaria o serviço. A comissão, analisa e acata o pedido da referida empresa, uma vez que julga boa intenção em realizar a comunicação previamente. Tendo em vista a retirada da empresa acima citada, abre-se as propostas de preço das demais empresas apresentando o seguinte resultado: 1) Minas Construções e Empreendimentos Ltda – R$ 425.612,62 (Quatrocentos e vinte e cinco mil seiscentos e doze reais e sessenta e dois centavos) 2) Engetom Construção Civil Ltda – R$ 535.881,56 (Quinhentos e trinta e cinco mil oitocentos e oitenta e um reais e cinqüenta e seis centavos). 3) Camilo e Ghisi LTDA – R$ 537.754,84 (Quinhentos e trinta e sete mil setecentos e cinqüenta e quatro reais e oitenta e quatro centavos). A comissão declara a empresa VENCEDORA do certame, Minas Construções e Empreendimentos Ltda, pela apresentação da proposta mais vantajosa conforme classificação acima. O presidente da CPL, coloca a palavra a disposição dos demais membros e representante da empresa presente na sessão, realizando posteriormente a leitura da ata com a decisão, onde todos manteram- se salientes. Araranguá, SC,14 de agosto de 2015. Luiz Carlos de Souza Presidente Valdir José Sauer Membro Liliane S. de Souza Suplente ATA DE JULGAMENTO DE PROPOSTAS DE PREÇOS REFERENTE A TOMADA DE PREÇOS Nº 40/2015 Às 15h30 do dia 14 de agosto de 2015, na sala de reuniões do Departamento de Licitações da Prefeitura Municipal deAraranguá, reuniu-se os membros da Comissão Permanente de Licitação, nomeada pelo Decreto 6837, de 19 de fevereiro de 2015, Sr.Luiz Carlos de Souza – Presidente, Valdir José Sauer e Liliane Silva de Souza - membros, para em conformidade com o que preceitua a Lei Federal nº 8.666/93, de 21/06/93 e alterações, proceder com o julgamento das propostas de preços apresentados na licitação nº. 40/2015, modalidade Tomada de Preços que visa a seleção e contratação de empresa do ramo pertinente para prestação de serviços, com fornecimento de materiais, objetivando a construção do Posto de Saúde Familiar (PSF) Vila São José, área aproximada de 332,31m2, tudo em conformidade com memorial descritivo, cronograma físico financeiro e planilhas O presidente abre a sessão realizando a conferência e apresentação dos envelopes, juntamente com demais membros. Após abre-se as propostas de preço das empresas habilitadas apresentando o seguinte resultado: 1) Minas Construções e Empreendimentos Ltda – R$ 387.755,85 (Trezentos e oitenta e sete mil setecentos e cinqüenta e cinco reais e oitenta e cinco centavos) 2) Engetom Construção Civil Ltda – R$ 487.979,94 (Quatrocentos e oitenta e sete mil novecentos e setenta e nove reais e noventa e quatro centavos). 3) Camilo e Ghisi LTDA – R$ 489.840,00 (Quatrocentos e oitenta e nove mil oitocentos e quarenta reais) DECRETO Nº. 132, DE 31 DE JULHO DE 2015. “REAJUSTA OS VALORES DAS TARIFAS DOS SERVIÇOS DE ÁGUA E ESGOTO, BEM COMO OS DEMAIS SERVIÇOS PRESTADOS PELO SERVIÇO AUTÔNOMO MUNICIPAL DE ÁGUA E ESGOTO – SAMAE- SOMBRIO- SC”. O PREFEITO MUNICIPAL DE SOMBRIO-SC, Senhor Zênio Cardoso, no uso de suas atribuições legais conferidas pelo item VI, do artigo 66, da Lei Orgânica Municipal, de 06 de abril de 1990 e, especificamente peloArtigo 41 da Lei nº 1839, de 20/10/2009, e Considerando o disposto na Lei nº 1.114, de 07/04/1997 e suas alterações dadas pela Lei nº 1574, de 26/04/2006; Considerando também as disposições contidas na Lei nº 1839, de 29/10/2009, que “Estabelece a política municipal de saneamento básico e define outras providências”. Considerando em especial, o disposto no Decreto nº 037, de 18/02/2010. DECRETA: Art. 1º. Ficam reajustados em 8,4160% (oito inteiros e quatro mil cento e sessenta décimos de milésimos por cento), os valores das Tarifas de Água e Esgoto, bem como os demais Serviços Prestados pelo Serviço Autônomo Municipal de Água e Esgoto – SAMAE, e tabela de infrações, estabelecidas pelo Decreto nº 037, de 18 de fevereiro de 2010, passando a vigorar conforme os valores constantes nas tabelas I a V, anexas ao presente Decreto. Parágrafo Único. O índice de reajuste apurado compreende a variação verificada no período de março de 2014 a junho de 2015, com base no Índice Nacional de Preços ao Consumidor - INPC acumulado. Art. 2º. Este Decreto entra em vigor na data de sua publicação. Município de Sombrio - SC, 31 de julho de 2014. Zênio Cardoso Prefeito Municipal Registrado e publicado nesta Secretaria em data supracitada. José Sidnei Januário Secretário Municipal de Finanças, Administração e Planejamento A comissão declara a empresa VENCEDORA do certame, Minas Construções e Empreendimentos Ltda, pela apresentação da proposta mais vantajosa conforme classificação acima. O presidente da CPL, coloca a palavra a disposição dos demais membros e representante da empresa presente na sessão, realizando posteriormente a leitura da ata com a decisão, onde todos manteram- se salientes. Araranguá, SC,14 de agosto de 2015. Luiz Carlos de Souza Presidente Valdir José Sauer Membro Liliane S. de Souza Suplente A N E X O I Decreto nº 132, de 31 de julho de 2015. TABELA DE TARIFAS CATEGORIA DOMICILIAR FAIXA DE CONSUMO Por M³ excedente VALORES TARIFÁRIOS (R$) De 0m³ Até 10m³ 27,11 De 10,01m³ a 25m³ 4,34 De 25,01m³ a 999999 6,03 CATEGORIA TARIFA SOCIAL ( BAIXA RENDA ) FAIXA DE CONSUMO Por M³ excedente VALORES TARIFÁRIOS (R$) De 0m³ Até 10m³ 8,90 De 10,01m³ a 20m³ 1,39 De 20,01m³ a 999999m³ 6,03 CATEGORIA COMERCIAL FAIXA DE CONSUMO Por M³ excedente VALORES TARIFÁRIOS (R$) De 0m³ Até 10m³ 39,58 De 10,01m³ a 999999m³ 5,79 CATEGORIA MISTA FAIXA DE CONSUMO Por M³ excedente VALORES TARIFÁRIOS (R$) De 0m³ Até 10m³ 33,91 De 10,01m³ a 25m³ 5,06 De 25,01m³ a 999999m³ 5,79 CATEGORIA INDUSTRIAL FAIXA DE CONSUMO Por M³ excedente VALORES TARIFÁRIOS (R$) De 0m³ Até 10m³ 39,58 De 10,01m³ a 999999m³ 5,79 CATEGORIA PÚBLICA (Poderes Públicos) FAIXA DE CONSUMO Por M³ excedente VALORES TARIFÁRIOS (R$) De 0m³ Até 10m³ 27,69 De 10,01m³ a 999999m³ 4,05 Observação: 1- A tarifa referente a prestação de serviço de esgoto sanitário corresponderá a 70% (setenta por cento) do valor do consumo de água a partir desta data. A N E X O II Decreto nº 132, de 31 de julho de 2015. TABELA TARIFÁRIA DE LIGAÇÃO DE ÁGUA E ESGOTO LIGAÇÃO DE ÁGUA CONDIÇÕES VALOR DA PRESTAÇÃO R$ VALOR TOTAL R$ À VISTA 99,66 A N E X O II Decreto nº 132, de 31 de julho de 2015. TABELA TARIFÁRIA DE LIGAÇÃO DE ÁGUA E ESGOTO LIGAÇÃO DE ÁGUA CONDIÇÕES VALOR DA PRESTAÇÃO R$ VALOR TOTAL R$ À VISTA 99,66 2 pagamentos 51,53 103,06 3 pagamentos 35,63 106,88 4 pagamentos 27,76 111,02 5 pagamentos 22,97 114,87 Ligação Social 37,63 Industrial,Comercial e Pública 109,62 LIGAÇÃO DE ESGOTO CONDIÇÕES VALOR DA PRESTAÇÃO R$ VALOR TOTAL R$ À VISTA 105.85 2 pagamentos 54,86 109,72 3 pagamentos 38,08 114,23 4 pagamentos 29,37 117,48 5 pagamentos 24,26 121,32 Observações: 1- Com diâmetro acima de 100mm será feito orçamento prévio de acordo com o diâmetro a ser instalado, sendo que o primeiro pagamento deverá ser efetuado no ato do pedido. A N E X O II Decreto nº 132, de 31 de julho de 2015. TABELA TARIFÁRIA DE LIGAÇÃO DE ÁGUA E ESGOTO LIGAÇÃO DE ÁGUA CONDIÇÕES VALOR DA PRESTAÇÃO R$ VALOR TOTAL R$ À VISTA 99,66 2 pagamentos 51,53 103,06 3 pagamentos 35,63 106,88 4 pagamentos 27,76 111,02 5 pagamentos 22,97 114,87 Ligação Social 37,63 Industrial,Comercial e Pública 109,62 LIGAÇÃO DE ESGOTO CONDIÇÕES VALOR DA PRESTAÇÃO R$ VALOR TOTAL R$ À VISTA 105.85 2 pagamentos 54,86 109,72 3 pagamentos 38,08 114,23 4 pagamentos 29,37 117,48 5 pagamentos 24,26 121,32 Observações: 1- Com diâmetro acima de 100mm será feito orçamento prévio de acordo com o diâmetro a ser instalado, sendo que o primeiro pagamento deverá ser efetuado no ato do pedido. A N E X O III Decreto nº 132, de 31 de julho de 2015. TABELA DE SERVIÇOS TAXAS DE SERVIÇOS R$ Religação de água normal (corte no cavalete - hidrômetro) 27,61 Religação de Água Violada ( corte no Ramal externo) 54,95 Aferição de Hidrômetro 31,80 Análise bacteriológica de água 57,84 Análise físico-químico (preço p/item analisado) 57,84 Levantamento do Cavalete (Hidrômetro) 143,11 Deslocamento do Cavalete (Hidrômetro) no mesmo terreno 36,15 Mudança de Ramal (ligação) para o mesmo terreno 73,73 Multa por violação do ramal (ligação, hidrômetro ou lacre) 376,38 Fornecimento e instalação de hidrômetro 128,68 Hora de serviço de mão de obra dos servidores quando da execução de serviço de responsabilidade do usuário 17,35 Substituição do Hidrômetro a pedido do usuário 99,76 Desligação a pedido do usuário temporário 18,62 VISTORIA NA INSTALAÇÃO PREDIAL Por solicitação do Usuário 21,68 CONSUMO DE ÁGUA POR CIRCOS, PARQUES E SIMILARES Custo fixo de consumo até 15 (quinze) dias 203,85 Custo fixo mensal permanência superior a 15 (quinze) dias 303,56 CUSTO POR HORA DE MÃO DE OBRA De Encanador 6,33 De Auxiliar 4,04 TAXA DE EXPEDIENTE Taxa de expediente (Emissão de 2ª via, extrato, alteração cadastral, etc.) 3,62 A N E X O IV Decreto nº 132, de 31 de julho de 2015. TABELA DE INFRAÇÕES ITEM INFRAÇÕES VALOR EM R$ 01 Intervenção nas instalações dos serviços públicos de água e esgoto. 76,88 02 Ligações clandestinas. 204,06 03 Violação ou retirada de hidrômetros ou limitador de consumo. 244,87 04 Interconexão da inst.predial com canalizações de água ou outra procedência. 61,30 05 Utilização da ligação de água ou esgoto para serventia de outra economia. 67,72 06 Lançamento de águas pluviais na instalação de esgotos do prédio 204,06 07 Ligações de bombas ou ejetores na rede distribuidora ou no ramal predial 326,57 08 Lançamento de despejos na rede coletora que exijam tratamento prévio. 330,17 09 Inicio de obras de instalação de água e /ou esgotos em loteamentos ou conjuntos de edificações sem autorização do SAMAE. 2.041,33 10 Alteração de projeto de instalação de água e/ou esgotos em loteamentos ou conjunto de edificações, sem prévia autorização do SAMAE. 818,37 11 Instalação de torneiras antes do Hidrômetro 54,95 12 Inversão do Hidrômetro 93,97 13 Ligação de Esgotos sem caixa de gordura 216,86 Observação:  A tarifa de Esgoto sanitário para residências que utilizam a água do SAMAE será cobrado valor correspondente a 70% (setenta por cento) do consumo. A N E X O V Decreto nº 132, de 31 de julho de 2015. SERVIÇO NÃO MEDIDO (Para as taxas de serviços de Esgoto que não utiliza água do SAMAE) CATEGORIA VALOR R$ ÁGUA VALOR R$ ESGOTO RESIDENCIAL R1 R2 R3 R4 14,18 33,64 41,30 67,12 COMERCIAL E PÚBLICA C1 - C2- C3- 19,43 33,64 79,11 INDUSTRIAL - I 1 INDUSTRIAL - I 2 33,64 85,37 R1 - Com área até 40 m2 R2 - Com área de 41 a 80 m2 R3 - Com área de 81 a 120 m2 R4 - com área acima de 120 m2 C1 – Pequeno Comércio – Quando a água é utilizada em estabelecimentos comerciais ou públicos somente para fins higiênicos; C2 – Médio Comércio – Quando a água é utilizada em estabelecimentos comerciais ou públicos para outros fins que não somente higiênicos; C3- Grande Comércio – Quando á água é utilizada em estabelecimentos comerciais ou públicos para fins diversos ou genéricos. I1 – Pequena Indústria – Quando á água é utilizada em estabelecimentos industriais, somente para fins higiênicos. I2 – Grande Indústria – Quando á água é utilizada em estabelecimentos industriais para outros fins que não somente os higiênicos.
  17. 17. EDITAL DE INTIMAÇÃO ARLINDO EDÍLIO DA ROSA, Titular do TABELIONATO DE NOTAS E PROTESTOS DE TÍTULOS desta Comarca de Sombrio, situado na Av. Nereu Ramos, 1300 - Fone (48) 3533-0318 - CEP 88960-000, atendimento das 08:00h - 12:00h e 14:00h - 18:00h, faz saber na forma da Lei aos que o presente EDITAL virem, que se encontram nesse tabelionato para serem protestados, decorrido o prazo legal de 03 (três) dias úteis, por não terem sido encontrados nos endereços fornecidos, ou por se recusarem a tomar conhecimento, os títulos cujos responsáveis estão abaixo discriminados. Ficam esclarecidos, também, de que nesse mesmo prazo poderão apresentar resposta escrita, que não impedirá a lavratura do protesto. PROT. APRESENTANTE / CNPJ DEVEDOR / CNPJ Prot: 137734; Devedor(es): CUNHA & SANTOS LTDA ME - 07.930.400/0001-45, End: Av. Getulio Vargas, 494, Sombrio; Tip: Normal; Mot: Falta de pagamento; Ced: PROCURADORIA- GERAL DO ESTADO; Sac: PROCURADORIA-GERAL DO ESTADO; Tit: 13005868310 ; Apr: PROCURADORIA-GERAL DO ESTADO; VEN: À VISTA; Esp: Certidão de Dívida Ativa; Val: R$ 1.074,06 + Juros Legais (1% a.m.); Emol.: R$ 46,96. Apontamento R$ 13,75 - Selo R$ 1,55 - Distribuição R$ 0,00 - Diligência R$ 27,50 - Condução R$ 5,71 - Digitalização R$ 0,00- Total Emolumentos R$ 46,96. Prot: 137740; Devedor(es): MANOEL DA SILVA FERMIANO ME - 11.077.913/0001-22, End: Rua Antonio Inacio de Matos, 98, Sombrio; Tip: Normal; Mot: Falta de pagamento; Ced: PROCURADORIA-GERALDOESTADO; Sac:PROCURADORIA- GERALDO ESTADO; Tit: 13003831835 ;Apr: PROCURADORIA- GERAL DO ESTADO; VEN: À VISTA; Esp: Certidão de Dívida Ativa; Val: R$ 31.387,66 + Juros Legais (1% a.m.); Emol.: R$ 46,96. Apontamento R$ 13,75 - Selo R$ 1,55 - Distribuição R$ 0,00 - Diligência R$ 27,50 - Condução R$ 5,71 - Digitalização R$ 0,00- Total Emolumentos R$ 46,96. Certifico, para os devidos fins, que o presente edital foi afixado no mural da serventia em: 17/08/2015. Sombrio - SC, 17/08/2015 ARLINDO EDÍLIO DA ROSA Conselho Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente CMDCA – Praia Grande- SC Classificação dos candidatos participantes do Processo Seletivo para Conselheiros Tutelares do Município de Praia Grande- SC. Cumprimentando-o(a) cordialmente, como Presidente do CMDCA- Conselho Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente do Município de Praia Grande- SC, no uso das atribuições legais que me conferem de acordo com a Lei Municipal nº 638/93, 2.408/2013, e a Lei Federal nº 8.069/90- ECA, informo pelo presente e de acordo com a Comissão Organizadora do Processo de Escolha para Conselheiros Tutelares deste município, a classificação dos candidatos que se inscreveram e participaram da prova objetiva aplicada no dia 26 de Julho de 2015. Segue o resultado conforme classificação por média: 1º Zuleide da Rocha Bertoti média 7,50 (maior idade quando empate) 2º Fabio Casagrande Bellettini 7,50 3º Claudeth Francisco da Silva 7,25 4º Dilmar Silva da Rosa 7,25 5º Daiane Monteiro 7,00 6º Eliani Luiz de Freitas 6,25 7º Letícia Bianchini Fregulia 6,25 8º Kaiane Monteiro Burin 6,25 9º Daniela Nunes da Silva 5,75 - Juliana Lumertz de Moraes 2,0 - Juliana da Silva Fregulia 1,0 As duas últimas candidatas mencionadas não foram classificadas por não atingirem a média. Vale ressaltar que a classificação obtida nessa 1ª etapa do processo seletivo não determina a ordem de ocupação das vagas para Conselheiros Tutelares visto que é necessária a realização da Eleição através do voto direto, secreto e facultativo dos eleitores do município de Praia Grande- SC que ocorrerá no dia 04 de Outubro de 2015 nesse município de forma unificada pela União. Sem mais para o momento, coloco-me a disposição para esclarecimentos e desejo reiterar os mais elevados protestos de consideração. Claudia da Rosa Presidente do CMDCA Praia Grande- SC Publicações Legais 17Correio do Sul Segunda-feira, 17 de agosto de 2015
  18. 18. 18 Correio do Sul Segunda-feira, 17 de agosto de 2015 Publicidade
  19. 19. Entrevista 19Correio do Sul Segunda-feira, 17 de agosto de 2015 [PeloEstado] - Qual a princi- pal preocupação dos secretá- rios de Administração? Alice Viana - A principal preo- cupação está em como nos con- duzirmos diante da situação fiscal e financeira difícil que o Estado brasileiro atravessa, em um ce- nário de recessão extrema, de crise econômica. Mais que nun- ca, os estados precisam exercitar a cooperação e fortalecer o pacto federativo na busca por alternati- vas, trabalhando conjuntamente e superando nossas dificuldades. Os secretários de Administração, por meio do Consad, têm esse objetivo. Identificar as formas de superação da crise e as formas de aprimorar os controles e a quali- dade do gasto público, com cada vez mais eficiência para assegurar a prestação dos serviços públicos que competem aos estados. [PE] - Que estados apresen- tam situação mais crítica? AV - A resposta mais fácil seria quais estados estão em situação menos crítica. Das 27 unidades da Federação, somente cinco es- tão fora da situação de extrema di- ficuldade econômica. Santa Cata- rina é um exemplo de Estado que tem uma gestão fiscal e financeira equilibrada. O mesmo ocorre com os estados do Pará, Bahia, São Paulo e Mato Grosso, estados ain- da com relativo conforto em suas economias. A maior parte, como disse, está em extrema dificulda- de causada pela queda de receita e das transferências federais no que diz respeito ao Fundo de Par- ticipação dos Estados (FPE). Isso resulta da política econômica, da crise fiscal, da falta de aquecimen- to da economia. A máquina públi- ca ainda é muito pesada. Os gastos com o pessoal geram alto compro- metimento com sobre a receita corrente líquida dos estados. Te- mos que buscar alternativas para enfrentar a situação, conter os gastos e, sobretudo, buscar a reto- mada do crescimento econômico. PeloEstado Entrevista ALICE VIANA Maranhense de nascimento, paraense de coração, é graduada em Administração, com especialização em Gestão Pública, e bacharel em Direito. No Estado do Pará, começou a carreira de servidora pública na Secretaria de Administração estadual, passando por vários órgãos e cargos de governo, até chegar à secretária-adjunta da Secretaria de Administração. Na função, coordenou o Programa de Modernização do Estado. É secretária de Administração do Estado do Pará desde 2011, cedida pelo Poder Judiciário, do qual, atualmente, é servidora de carreira. Em janeiro, foi eleita presidente do Conselho Nacional de Secretários de Estado da Administração (Consad), entidade que realizou, entre os dias 13 e 14, em Santa Catarina, o seu 98º Fórum. Na ocasião, ela concedeu essa entrevista exclusiva à Coluna Pelo Estado, afirmando que a maioria dos estados brasileiros está em situação de “extrema dificuldade”. [PE] - E o endividamento dos estados pesa negativamente nessa equação... AV - O grau de endividamento dos estados é uma das preocupa- ções. Grande parte dos estados ainda preserva alguma capacida- de de endividamento. Por outro lado, há a incapacidade de paga- mento. Exatamente pela falta de receita. Muitos estados já parali- saram seus programas de obras públicas, por exemplo. Então, de pouco adianta poder assumir no- vos financiamentos se há limites para que sejam honrados. Uma das travas econômicas impostas pela própria União, o próprio go- verno federal, é a impossibilidade de os estados contraírem novas operações de crédito. São emprés- timos que poderiam ajudar no aquecimento, no funcionamento e na manutenção dos investimentos dos estados. Em função da políti- ca econômica adotada, o próprio governo federal tem imposto li- mitações aos estados no que se refere a contrair novas operações de crédito. Portanto, falta receita para que possamos cobrir o de- senvolvimento das políticas públi- cas e, especialmente, o gasto com o pessoal, que é a maior despesa que todos os estados têm. [PE] - A troca de experiên- cias é um dos objetivos dos fóruns do Consad. Que cases a senhora pode destacar? AV - A nossa palestra central tra- tou da crise fiscal e da qualidade do gasto, com Marcos Mendes, consultor legislativo do Senado e um especialista no assunto. Tam- bém conhecemos a experiência do Banco Interamericano de Desen- volvimento (BID), com o diagnós- tico de compras públicas brasilei- ras, que precisam ser otimizadas. Tudo contribui, mas é importante dizer que vários estados já têm ex- celente experiência na gestão de compras. Ao mesmo tempo em que trabalhamos o controle de despesas com pessoal, também estamos otimizando a aplicação de recursos em custeio, já que a capacidade de investimento dos estados é praticamente nula. [PE] - Em que nível está a quedadasreceitasestaduais? AV - A perda de receita média, por estado, no primeiro semestre de 2015, foi de R$ 400 milhões. Como o cenário tende a um apro- fundamento da crise, que não se reverte em curto prazo, os analis- tas de investimentos já calculam que essa perda pode chegar a R$ 300 bilhões, em média por estado, nos próximos 12 meses. [PE] - Do ponto de vista do Consad, o que pode ser feito para que os estados saiam dessa situação? AV - Nós temos que exercitar, so- bretudo, os mecanismos de con- trole dos gastos, de aprimoramen- to da qualidade desses gastos, já que existe uma profunda escassez de recursos. Não existe um pulo do gato. É preciso exercitar a co- operação, na troca de experiências e na otimização dos mecanismos de gestão disponíveis. Convênios e acordos de cooperação técnica en- tre os estados são fundamentais. [PE] - O que já acontece na prática? AV - Vários estados estão bus- cando alternativas para aquecer a sua economia. Estão lançando programas de incentivo ao desen- volvimento econômico do próprio estado e da região. Os estados que aindatêmcapacidadeparainvestir estão usando mais do que nunca o mercado público como indutor do desenvolvimento. Se existe uma maneira para diminuir o impacto da crise passa pelo aumento da capacidade de receita dos estados. Só existe uma forma de se alcan- çar isso: crescimento da atividade econômica, da circulação de bens e serviços. E não se pode falar isso de forma isolada, por estado. A Nação brasileira precisa retomar a política econômica para desenvol- ver a economia dos estados. Por mais que um estado, isoladamen- te, adote iniciativas próprias para o seu desenvolvimento, isso não será capaz de reverter a situação do país. O conjunto de iniciativas dosestadoseapolíticaeconômica, que é nacional, somados, podem dar conta. É preciso baixar os ju- roseestamosdiantedamaiortaxa de crescimento do dólar em rela- ção à moeda de um país, de 54%! Essa análise demonstra bem qual é a situação do Estado brasileiro. [PE] - Das ações que compe- tem ao governo federal, qual considera mais urgente? AV - Precisamos de credibilidade na política econômica e fiscal do país. O Brasil precisa de uma ca- pacidade de gestão e governança que se reflita em mudança do per- fil do desenvolvimento econômico e no resgate da credibilidade das suas instâncias políticas. As insti- tuições brasileiras são fortes, mas temos uma Nação que padece de meios para que o país possa se de- senvolver. Temos uma ausência do Estado-nação. Precisamos re- tomar essa presença para garan- tia de direitos dos cidadãos bra- sileiros. Também é preciso uma superação da crise política. Esta- mos diante do maior escândalo de corrupção do país. Se não houver a retomada da credibilidade, as instituições brasileiras tendem ao enfraquecimento e os investidores não voltarão a apostar no Brasil. [PE] - Do que se trata a Agen- da Nacional de Gestão Públi- ca, um dos temas do Fórum? AV - O Consad e o Conselho Na- cional de Secretários de Estado do Planejamento (Conseplan), em conjunto com a Secretaria de Assuntos Estratégicos da Presi- dência da República, representa- da pelo ministro (Roberto) Man- gabeira Unger, construíram, em 2013, uma política nacional de gestão pública, cujas frentes de trabalho envolvem a capacidade de gestão e governança dos esta- dos. Em uma iniciativa do Minis- tério e do Consad, a agenda está sendo retomada, com reuniões para atualizar as nossas ações. São agendas comuns aos estados. Está na pauta do dia o controle da des- pesa pública, das despesas com pessoal, das despesas com custeio, além da busca da eficiência na aplicação dos recursos públicos. Estamos retomando essa articula- ção, inclusive com a participação do Tribunal de Contas da União, Tribunais de Contas dos Estados, Ministério Público, Defensoria Pública, para ajudar a conter a cri- se econômica, fiscal e financeira pela qual passa o Estado brasilei- ro. É uma agenda positiva. [PE] - A senhora se considera otimista ou pessimista dian- te de tudo o que expôs nessa entrevista? AV - Eu, por princípio, sou mui- to otimista. E creio que o povo brasileiro tem dado as respostas necessárias, que caracterizam que somos um povo confiante e que busca saídas para o enfren- tamento de situação de crise. O Brasil é uma jovem democracia, com instituições sólidas, e a força das nossas instituições tem dado a resposta que a nossa socieda- de precisa. Precisamos garantir a presença do Estado brasileiro es- truturando a retomada do desen- volvimento econômico do país. Nosso povo, um povo sofrido, tem procurado sempre alternativas de sobrevivência para amenizar os efeitos perversos de medidas eco- nômicas e fiscais equivocadas que em alguns momentos são adota- das. Não tenho dúvidas de que o nosso povo é capaz de reverter a situação, assim como o nosso se- tor produtivo, que é bem atuante e tem mostrado capacidade de res- posta à crise. No curtíssimo prazo, creio que ainda sofreremos conse- quências. Mas no médio e longo prazo, o Brasil tem jeito. Eu acre- dito nisso. Voltaremos a ser uma economia em franco desenvolvi- mento, promovendo mais quali- dade de vida para o nosso povo. “Voltaremos a ser uma economia em franco desenvolvimento” Andréa Leonora | Foto: Maria Luiza Sumienski/SEAD-SC Florianópolis - 17Ago15 CENTRAL DE DIÁRIOS TRINTA E DOIS INTEGRADOS DIÁRIOS INTEGRADOS PRESENÇA EM 62% DE SC PeloEstado peloestado@centraldediarios.com.br www.centraldediarios.com.br
  20. 20. SEGUNDA-FEIRA, 17 DE AGOSTO DE 2015
  21. 21. > ARARANGUÁ Domingo de bom futebol, jogo trei- no corrido, pegado e de muita validade para o mais querido do sul. O treinador Geraldo e co- missão técnica colocaram seus atletas para dis- putar a última partida de preparação, antes da estreia no Regional da Larm. Com um tempo encoberto e friozinho na Cidade das Avenidas, o público mesmo assim compareceu para incen- tivar o time. do compromisso diante do Inter de Lages. Con- tra o time da Serra, o Araranguá estava com cinco jogadores no meio de campo e somente um atacante, esperando o adversário. Já para este jogo, o time apresentou De um lado o AEC, do treinador Geraldo Aurélio, desfalcado de vários atletas que não puderam comparecer, uns machucados e outros disputando finais em ou- tras competições. O Cri- ciúma do treinador Duca, estava todo modificado e com um time comple- tamente misto, pois um dia antes havia jogado o catarinense da categoria e vencido o Guarani de Palhoça por 6 x 0. O Criciúma começou melhor, na primeira eta- pa, com o time tocando a bola de um lado para o outro e envolvendo o AEC, que veio mudado Jogo treino Segunda-feira, 17 de agosto de 2015 ³ 07-29-38-57-76CONCURSO 3.859 QUINA 15/08 ³ 1º 45464 600.000,00 ³ 2º 86020 37.200,00 ³ 3º 32731 37.000,00 ³ 4º 75723 36.800,00 ³ 5º 21257 36.608,00 CONCURSO 4.497 Destino Bilhete Valor do Prêmio (R$) LOTERIA FEDERAL 15/08 AEC estreia domingo na Larm Escalação ³ 03-05-09-14-41-46 CONCURSO 1.733 MEGA SENA 15/08 Araranguá, jogando em casa, no CT Emerson Almeida, não marcou gols nos Juniores do Tigre AEC e Criciúma empatam sem gols Cleder Maciel Foto:ClederMaciel uma proposta diferente, com quatro no meio de campo, um atacante e um centroavante de área. Um dos destaques do primeiro tempo, da equipe doAEC, foi o goleiro Tiago Silva, praticando excelentes e difíceis defesas. Ainda no primeiro tempo, o meia Maicon Viana poderia ter feito o gol que daria a vitória ao Araranguá. Fez tudo certo, mas na hora da finalização a defesa do Tigre se postou bem. Na segunda e tapa, o treinador da equipe amarela e azul deu uma chacoalhada e o grupo voltou mais ligado, jo- gando de igual, também tocando a bola e chegan- do mais a frente do gol. No segundo tempo o trei- nadormexeu bastante na equipe, testando todos, colocando praticamente os jogadores jovens em campo e tirando os mais experientes. No final da partida, o empate sem gols foi considera- do positivo, pelo que as equipes demonstraram. O time comandado pelo professor Geraldo e sua equipe entrou em campo com: Tiago Silva, Murilo, Jean, Jakson e Esquerdinha. Giliard, Leandro, Teló e Maicon Viana. Dirceu e André Mota. Ainda entraram: Marcel, Índio, Natan, Régis, Felipe Sasso, Luis Henrique, Mauri- cinho, Andrei e Mateus Borges. Depois desse amis- toso, o mais querido do sul se volta para a estreia no regional da Larm, que está mar- cada para o próximo domingo em casa, no CT Emerson Almeida, diante do Metropolita- no. Lembrando que às 13h15min haverá a ca- tegoria sub-18, e em se- guida a categoria prin- cipal. O AEC estreia na 1º divisão enfrentando o atual campeão.
  22. 22. 2 Correio do Sul Segunda-feira, 17 de agosto de 2015 Atacante é apresentado no AEC > ARARANGUÁ Jogador veloz, fi- nalizador e sim- ples. Este é o atacante Vanderlei dos Santos, nova contratação do Araranguá EC. Ele vem de Imbé/ RS para vestir a camisa do AEC no regional da Larm. O jogador treinou na úl- tima quinta-feira com o grupo, sob o comando do treinador Geraldo e comissão técnica, no gramado do Grêmio Fronteira Clube. Vanderlei tem 23 anos e já passou por vá- rios clubes profissionais do Rio Grande do Sul, como o Veranópolis e o Brasil de Farroupilha. O atleta já estará a disposição do treinador Geraldo para a estreia na Larm no dia 23 em casa, diante do atual campeão Metropolita- no. Ontem, no amistoso diante do Juniores do Criciúma, o jogador não participou porque esta- va disputando a final do campeonato amador de Imbé. Outro atleta que poderá ser contratado Máster do AEC em competição > ARARANGUÁ Máster do Araran- guá EC vai participar de um quadrangular em Florianópolis, no dia 6 de Setembro, véspera de feriado na- cional. A competição ainda terá o máster do Joinville, do Inter de Lages e o máster da Agap. A organização do evento é da Agap, que tem a frente o presi- dente Belmonte, ex jogador profissional e ex ídolo do Avaí. Vários ex jogadores profissio- nais estarão reunidos para o quadrangular e também a confra- ternização com outros os ex atletas de Santa Catarina. Cleder Maciel é o meia Lucas Antu- nes, também de Imbé. Ele é meia atacante e já jogou nas catego- rias de base do Grêmio. Lucas também treinou na quinta-feira e está sendo observado pelo treinador Geraldo e co- missão técnica. Hoje o elenco do Ara- ranguá conta com 33 jo- gadores para o regional da Larm. Alguns ainda estão se recuperando de lesão e sendo ana- lisados, e outros estão treinando todas as ter- ças e quintas-feiras. “Temos um grupo de bons jogadores, é um grupo fechado, unido e isso nos dá a certeza de que iremos fazer um bom campeonato", disse o treinador Geraldo. Comissão avalia outro jogador
  23. 23. > PORTO ALEGRE Parecia que os 33.454 torcedo- res que tomaram a Are- na neste domingo para assistir ao Grêmio de Roger Machado contra o Joinville, sensação da última semana após goleada histórica sobre o Inter e vitória diante do Atlético-MG, deixa- riam as arquibanca- das frustrados. Abaixo do esperado, o Tricolor não repetiu o futebol envolvente das duas últimas atuações. Pelo contrário, foi envolvido Política 3Correio do Sul Segunda-feira, 17 de agosto de 2015 Joinvilledásusto,masGrêmiovira comgolaçodefaltaevencenaArena por um surpreendente JEC, que abriu o placar aos dois minutos, com Bruno Aguiar, e, absolu- to em campo,dominou a primeira etapa. A zebra surgiu com iminência em Porto Alegre, foi contida. Não pela tão saudada intensidade gremista, mas pela bola parada, com direi- to a golaço na segunda etapa. Primeiro, com Erazo, após escanteio. Depois, com Galhardo, em cobrança de falta perfeita, indefensável a Muriel. Com a vitória -a ter- ceira seguida - o Grêmio encerra o turno como terceiro colocado, com 36 pontos - mesma pon- tuação do Atlético-MG, Inter celebra empate no Mineirão, mas lamenta chances desperdiçadas > BELO HORIZONTE Somar ponto fora de casa no Brasileirão não é resultado de se jogar fora, mas os colorados deixaram o Mineirão, após o empate em 0 a 0 com o Cruzeiro, pela 19ª rodada, em meio a lamentações neste domin- go. Na estreia de Argel Fu- cksnocomandodaequipe,o Interfoisuperioremcampo e criou boas oportunidades, masparounasboasdefesas de Fábio. Entre os jogado- res, reinou o sentimento de que a vitória poderia ser um resultado mais justo ao time. - Com certeza, tivemos uma oportunidade com Vitinho cara a cara, depois conseguimos ter outras oportunidades. A equipe soube se comportar bem no Mineirão. Eu sei a força do pessoal aqui, consegui- mos neutralizar as alas, explorando as costas deles. Por pouco não saímos com resultado positivo. O Fábio teve uma grande atuação. Conseguiu pegar aquela bola do Vitinho, e não seria injusto esse resultado (a vitória colorada) - avaliou Nilton. Seguro ao garantir tranquilidade à defesa co- lorada, o zagueiro Ernando enalteceuaposturadaequi- pe,quemesmoforadecasa, atacou o adversário e criou boas oportunidades para abrir o placar. - Jogando fora de casa, não ficamos só marcando atrás. Quase conseguimos fazer no finalzinho. A vitó- ria seria melhor, mas não conseguimos. Temos que fazer esses três pontos na próxima rodada - avaliou o. Taiberson, que ingres- sou na segunda etapa, por sua vez, enalteceu o ponto conquistadolongedoBeira- -Rio. - Com certeza. Empate fora de casa foi bom. Temos que descansar para buscar apontadecimanapróximo fim de semana. Após o empate neste domingo,oIntersemantém na 11ª colocação na tabela, com 25 pontos. O Colorado volta a campo no próximo domingo, às 16h, para en- cararoAtlético-PR,pela20ª rodada do Brasileirão.mo- mento que podemos pres- tigiar o homem do campo e uma das mais importantes ferramentas de trabalho desses profissionais é o trator, uma máquina que sem dúvida é uma grande parceira do home do campo todo dia”, comenta Fábio, que orgulhoso mostrou o ronco do motor com que vai disputar aArrancada. segundo, e a seis do lí- der, Corinthians. O JEC segue no Z-4. É 18ª, com 18 pontos, dois a menos que o Avaí, primeiro time a escapar da degola no Nacional. Serve de con- solo a PC Gusmão, que conheceu sua primeira derrota no comando da equipe, a boa atuação diante de uma das sen- sações do campeonato. As duas equipes vol- tam a campo no próximo domingo, pela 20ª roda- da do campeonato. O Tri- color viaja a Campinas para encarar a Ponte Preta, às 11h, no Moisés Lucarelli. O JEC recebe o Fluminense, às 16h, na Arena Joinville.
  24. 24. de jovem, quando jogava na extinta Iugoslávia, o Criciúma fechou o turno da Série B com 47,4% de aproveitamento – somado os sete jogos sob a batuta de Moacir Júnior. Com o revés por 3 a 1 para o CRB, 4 Correio do Sul Segunda-feira, 17 de agosto de 2015 Série B Brasileirão Série B Brasileirão Série A Criciúma troca treinador, ressurge com Pet e termina turno na 9ª posição > CRICIÚMA Depois de um co- meço irregular na Série B do Campeonato Brasileiro, o Criciúma encontrou o seu caminho na competição com a che- gada de Dejan Petkovic. O Dia dos Namorados, 12 de junho, coincidiu com o anúncio da contratação do sérvio pelo departamento de futebol do Tigre, após o pedido de demissão de técnico Moacir Júnior. E, desde então, a torcida que veste preto, branco e amarelo comemora os bons números alcançados dentro ou fora do Heriber- to Hülse. OCarvoeiroconseguiu a incrível série de 11 jogos sem perder desde quan- do Pet assumiu a tarefa. Por pouco não fechou o primeiro turno com a in- vencibilidade ainda em aberto. Sob o comando do Rambo, apelido des- na tarde do último sábado, são sete vitórias, seis em- pates e seis derrotas. A campanha de 2012, último ano que o Criciúma disputou a segunda divi- são e conquistou o acesso, pode servir de exemplo. Contrata: Empregada doméstica. Salário de R$1500,00/mês. Maiores informações Fone:(48) 9960-2116 Há três anos, os números eram bem melhores, a posição também mais con- fortável. Em 19 rodadas, o Carvoeiro havia conquis- tado 42 pontos e estava na vice-liderança, a dois pontos do líder Vitória. No fim da competição, a boa colocação na tabela de classificaçãodemanteve,e o time chegou à SérieAdo Campeonato Brasileiro de 2013 com 73 pontos. Um ano antes, em 2011, também na cami- nhadaparasubiràprimei- ra divisão, o desempenho foi um pouco melhor que o da atual temporada. Foram 28 pontos somados em 19 jogos, com sete vitó- rias, sete empates e cinco derrotas e a 9ª colocação na tabela – a mesma que a de agora. O caminho no segundo turno não foi nadapositivo.Otimecata- rinenseterminouatempo- rada bem longe do objetivo pretendido: 51 pontos e a 14ª posição.

×