Jornal digital 4563 ter 09-12-14

371 visualizações

Publicada em

Jornal Correio do Sul

Publicada em: Notícias e política
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Jornal digital 4563 ter 09-12-14

  1. 1. www.grupocorreiodosul.com.br ANO XXIV EDIÇÃO Nº 4.564TERÇAFEIRA, 9 DE DEZEMBRO DE 2014 R$ 2,00Grupo28º23º Sol com muitas nuvens e pe- ríodos de céu nublado. Noite com pancadas de chuva. Previsão para hoje Extremo Sul CatarinenseTuristas levam susto na Serra da Rocinha Timbé do SulPágina4Vende-se Terreno em Baln. Gaivota no Bairro Jardim Ultramar próx. á Escola Dar- ci Ribeiro. Aceito carro no negócio. Fone: (48) 99080293.3PáginaGeral11PáginaMenino com meningite deve ter alta hoje GeralMaracajáAraranguá Caps: Um lugar para recomeçar5PáginaColuna Rolando ChristianImpasse PSD não abre mão da Secretaria Regional
  2. 2. PolíticaJarbas VieiraCORREIO DO SULTerça-feira, 9 de dezembro de 2014jarbas@grupocorreiodosul.com.br(48) 9966.5326 CHARGEPor: CAZO “As boas notícias sobre o Hospital Dom Joaquim só estão iniciando graças a intervenção corajosa, em favor da sociedade do Dr. Cordioli, Dra. Elisandra bem como todo o judiciário sombriense. Só nos resta dizer muito obrigado em nome de toda a população. Ainda falta muito porém já é possível sonhar”. Ele disse: ‘‘Prefeito de Sombrio Zênio CardosoJaponês se consolida como marca no SulEmpresário Vito Basso, que lidera os Empre- endimentos Japonês, vivencia um grande momento, o que reflete direta e positivamente na economia da região. Na edição de final de semana do Jornal Zero Hora, o restaurante Bela América, Prefeito de Praia Grande, Valcir Darós (PMDB), assina nessa semana em Brasília mais um importan- te convênio para incrementar e qualificar o turismo local. Praia Grande foi contemplada pelo Ministério do Turismo com recursos de R$ 564.631,00, com apenas R$ 6 mil de contrapartida municipal, para identificar, qualificar e promover produtos associa- dos ao turismo no entorno dos Parques Nacionais Aparados da Serra e Serra Geral. Pela proposta serão realizadas capacitações com a comunidade que já tem o turismo como fonte de renda, criação de um website, sinalização adequada dos pontos turísticos e dos serviços aos visitantes, dentre outras ações. Inicialmente foi cadastrado um projeto mais mo- desto, porém dentro do próprio ministério, houve incentivo para que ele fosse ampliado, devido às belezas naturais e as ações de base que a prefeitura já desempenha no setor. Vencidas as etapas burocrá- ticas, o recurso já está a disposição do Município. Turismo em Praia Grande é reconhecido! recentemente construído em São João do Sul, junto do complexo do Atacado Prime e de dois postos de combustíveis, ganhou destaque ao ser citado no roteiro de viagens para Santa Catarina. Associado ao irmão mais famoso de Sombrio. O jornal afirmou tratar-se de um ReaçãoPrefeitos do PSD foram on- tem em comitiva a Capital do Estado brigar pela indicação de Gisela Scaini para o comando da 22ª SDR. A reunião de emer- gência no gabinete do deputado estadual José Nei Ascari (PSD) foi marcada assim que os líderes do partido souberam da indicação de Ademir da Silva, o Dema, pelo PMDB para o mesmo cargo. (48) 3522-3777clássico em Santa Catarina comer no Japonês. A referência positiva confirma a estratégia acertada de construir um novo empreendimen- to em São João do Sul, no lado oposto da BR-101, visando a mu- dança de hábitos proporcionada pela duplicação da rodovia federal. Cada vez mais os turistas que vêm do Sul param em São João na ida e em Sombrio na volta, utilizando os paradouros. Mas, como inovar é uma necessidade no mundo dos negócios, Sombrio está prestes a passar por uma nova revolução com a contagem regressiva para abertura do Shopping Outlet Japonês, novo empreendimento com data de inauguração confir- mada para 8 de janeiro de 2015. A grandiosa estrutura, construída em tempo recorde, abrigará mar- cas nacionais, num formato único no Sul, semelhante às galerias de Rivera no Uruguai, sem paredes e vitrines entre as lojas. Para a inauguração já está confirmada a presença de um ator global, um dos destaques da atual novela das nove. Diferente dos lançamentos dos atacados, o evento será aberto a todo o público. O Outlet Japonês já movimenta a economia regio- nal. São dezenas de empresas e profissionais atuando em sua finalização. Com sua abertura, um novo ciclo será iniciado, tra- zendo oportunidades de emprego e geração de renda para Sombrio e região. www.vitaanalise.lablaudo.com.br
  3. 3. psiquiatras. No entanto, mais que isso, encontrou pela primeira vez na vida um grupo de pessoas que a compreendiam, que vi- venciaram na pele o que ela estava passando: foi no reconhecimento de si nos outros que Mariza encontrou amigos. E o melhor, com o tempo, ela percebeu que também podia ajudá-los e aos novos pacientes que che- gavam desconfiados ao Caps. E assim começou uma nova fase na vida nada fácil de Mariza, hoje com 54 anos. Também da primei- ra turma de pacientes, Elanir da Silva Oliveira se tornou uma das me- lhores amigas de Mariza. Ela enfrenta o trauma de receber a notícia da morte do irmão a partir de um grito repentino, que lhe provocou um cho- que emocional. Por isso, até hoje, qualquer susto já é motivo para Elanir temer algo pior. Entrou Geral 3CORREIO DO SULTerça-feira, 9 de dezembro de 2014Amizade e artesanatoDjonatha Geremias ARARANGUÁ O passado, para muita gente, é um fantasma que as- sombra dia e noite. Há quem consiga ignorá-lo e seguir em frente. Porém, traumas e sequelas po- dem desencadear doen- ças físicas e transtornos mentais graves. Tudo começa com a angústia, que deixa de ser um sen- timento que todo mundo experimenta um dia ou outro, para ser encarado pela medicina como um distúrbio psicofísico. A partir dela, problemas de depressão, humor bipo- lar e esclerose múltipla podem surgir. Há 14 anos, Mariza Onório sofre de esclerose – sofre por dentro e por fora, no emocional, no físico e no social, por causa do preconceito e da falta de informação.Paciente do Centro de Atenção Psicos- social (Caps) de Araran- guá há uma década, Ma- riza precisa diariamente combater os traumas do passado, as dores físicas causadas pela angústia e também a discriminação por precisar do serviço Convertendo angústia em esperançaAlém de combaterem os próprios fantasmas, pacientes do Caps lutam contra o preconceito enquanto com o apoio de profissionais e dos colegas tentam recuperar a alegria de viverSaúde Mentalde saúde mental. “As pessoas dizem ‘olha lá a louquinha do Caps’, e isso dói, machuca muito”, lamenta a ex-auxiliar de fisioterapia que, por causa da doença repen- tina, acabou perdendo o emprego e o casamento. Na época, a família, inclusive os dois filhos então adolescentes, não compreenderam como Mariza, aparentemente do nada, não conseguia mais sair da cama, onde fi cou por um ano e qua- tro meses. A depressão profunda foi só a última gota d’água de uma vida sofrida que clamava, em silêncio, por ajuda. Foi a suspeita de uma hérnia na perna que permitiu ao médico descobrir que, na verdade, Mariza ti- nha esclerose múltipla, uma doença incurável e misteriosa, já que a medi- cina ainda não sabe com certeza a origem desse transtorno. Quando o Caps de Araranguá inaugurou, Mariza fez parte da pri- meira turma de pacien- tes. Não caminhava e falava pouco. Passou a tomar remédios con- trolados e frequentar sessões com psicólogos e Grupo que frequenta Centro de Atenção Psicossocial todo ano expõe seus trabalhos em feira no Calçadão Mariza trava, e vence, luta diária contra depressãopara o Caps para com- bater a depressão que esse trauma lhe causou. Juntas, Mariza e Elanir choram, se fortalecem, abrem o coração uma para a outra, mas depois riem. Sim, o riso voltou a fazer parte da vida das amigas. Mais do que um laço de amizade, laços de fi ta também reúnem os pa- cientes do Caps: o arte- sanato é a principal e mais querida atividade terapêutica do grupo. Só em uma turma, são 25 pacientes no artesanato, coordenados pela pro- fessora Gedi de Souza, a sargentão, como é ca- rinhosamente chamada pelos alunos. “Estou com eles há quatro anos, e é maravilhoso ver a dife- rença que o artesanato faz na vida deles. Por um breve momento, eles se esquecem da doença e das tristezas, se diver- tem e produzem coisas lindíssimas”, sorri Gedi. Mariza se orgulha de dizer que a doença pode até ter tirado dela muita coisa, mas não lhe tirou a criatividade. Cabe a ela a tarefa de enfeitar e pintar as peças produzi- das em equipe. “Em cada peça, tem um pouquinho de cada um. Em uma guirlanda, por exemplo, um paciente prepara o aro, outra paciente forra, e assim por diante. Nas toalhinhas, uma borda e a outra pinta. Então nada fazemos sozinhos”, conta ela. Mariza que gostava muito de dan- çar, diz que a pintura de uma dançarina em uma toalhinha é uma das suas preferidas. Na semana passada, a turma da professora Gedi, inclusive as amigas Elanir e Mariza, esteve no Calçadão do Centro de Araranguá, com uma barraquinha, vendendo os produtos artesanais de Natal que confeccio- naram ao longo dos últi- mos meses. Guirlandas, toalhas, bolas de árvore natalinas feitas com te- cido, entre vários outros enfeites e utilitários, es- tiveram à disposição da população. “Quem nos vê de fora, conversando e rindo, pode achar que não temos nada de errado, mas a doença está na nossa mente, e nós sofremos sim. É uma luta constante, para o resto da vida. A diferença é que hoje nós temos espe- rança de seguir vivendo, dentro das nossas limi- tações e enfrentando os preconceitos, mas sim... vivendo”, explica Mariza. No entanto, ela ques- tiona quantas pessoas estão por aí sofrendo, sem saber que talvez te- nham uma doença como as que são tratadas no Centro de Atenção Psicos- social. Muita gente pode, segundo ela, até saber, mas sente vergonha de procurar ajuda por causa da discriminação e do preconceito, medo de ser taxada de louca. Mariza conclui: “Se não fosse o Caps, eu não teria sobre- vivido. Aqui, além dos excelentes profi ssionais, encontramos amigos de verdade, de coração. Sou muito grata ao Caps. E se você me perguntar se hoje eu sou feliz, é... eu sou feliz”.
  4. 4. mava Charles de Carvalho dos Passos, proprietário de uma ofi cina mecânica em Timbé do Sul e morador da comunidade de Pé da Serra, em janeiro do ano passado. De lá para cá, embora a estrada de chão tenha voltado a receber manutenção, a parte de su- bida ainda é um problema para muitos motoristas, principalmente os que não conhecem o trecho. “Se acumulam as histórias de resgates em que os mora- dores ajudam”, relatou o mesmo morador, na tar- de desta segunda-feira, diante de mais um veículo sendo resgatado. Desta vez as vítimas foram 15 turistas e dois motoristas que por volta das 23h de domingo se- guiam em direção a Ser- ra Gaúcha e resolveram utilizar a BR285 para “adiantar a viagem”, já que o GPS apontava um ganho de mais de 80 qui- lômetros se escolhessem o caminho por Timbé do Sul. “Saímos de São Paulo, passamos em Jaraguá do Sul e seguíamos para Nova Petrópolis, onde o grupo fi caria hospedado e sairia em roteiros turísticos na região”, informou Gilberto Tavares, de 29 anos, moto- rista que conduzia o ônibus no momento do acidente. Segundo Gilberto, tan- to o GPS quanto o guia de rodovias utilizados por eles mostrava o trecho como pavimentado e, ao deparar-se com a estra- da de chão fora da zona urbana de Timbé do Sul, imaginaram que se tra- tava apenas de um curto trecho e que em seguida voltariam a trafegar sobre asfalto. “Começamos a subir e foi fi cando cada vez mais complicado devido aos buracos e às pedras. Logo no início passei por um buraco e já bateu o cárter. Alguns quilôme- tros depois, fui desviar de uma ‘cratera’ e a parte de trás escorregou para a direita, deixando o ônibus inclinado e furando o cár- ter”, explicou o motorista. Com as rodas trasei- ras direitas em um bura- co, o veículo inclinou sobre a ribanceira, chegando a Geral4CORREIO DO SULTerça-feira, 9 de dezembro de 2014 Ônibus transportando turistas fica perigosamente a beira do precípio da serra Passageiros quebraram janela para poder sair Valdinei Nichele‘Asfalto virtual’ gera acidente“No GPS e no guia mostrava como asfalto...”, afirmou o motorista de ônibus de turismo que por pouco não despencou durante a subida feita por estrada de chão Serra da Rocinha TIMBÉ DO SUL A população que re- side nas comuni- dades de Pé da Serra e Rocinha continua sonhan- do com o dia em que a ro- dovia federal que passa em frente às suas casas seja asfaltada. Mas, enquan- to continuam esperando, sabem que a realidade é feita de pedras, poeira e buracos, bem diferente da- quela vislumbrada através de mapas do sistema de posicionamento global (do inglês global positioning system, GPS). O fato do equipamento apontar o trecho da BR-285 como pavimentado, aliás, quase resultou numa tragédia envolvendo um ônibus de turismo, entre a noite de domingo e a madrugada de ontem. O veículo esteve próximo de despencar em uma ribanceira com 17 ocupantes. Não é de hoje que os moradores das comuni- dades aos pés da Serra da Rocinha se deparam com veículos de todos os tipos e tamanhos que enfrentam problemas diversos ao en- carar a subida que separa Timbé do Sul de São José dos Ausentes/RS. “Em três dias, 12 automóveis tive- ram que ser resgatados por causa da situação em que está a rodovia”, já afi r-Pânico na noite fi car com uma das rodas dianteiras sem tocar o chão. “O primeiro passo foi acalmar os passagei- ros, depois acionamos o socorro com a ajuda de moradores das redonde- zas”, explicou. Com a chegada da Polícia Militar e Samu (Serviço de Atendimento Médico de Urgência) ao local, uma das janelas pre- cisou ser quebrada para permitir a retirada dos passageiros, que não tive- ram ferimentos. O grupo foi totalmente resgatado por volta das 2h30min e, em um micro-ônibus disponibilizado pela admi- nistração de Timbé do Sul, foram levados até um hotel na cidade. Na manhã desta se- gunda, o grupo seguiu via- gem em um ônibus de Tur- vo, contratado pela empre- sa proprietária do veículo avariado. Já os motoristas permaneceram em Timbé do Sul para acompanhar a retirada do ônibus. “Em vez de enviarem um novo ônibus de São Paulo, foi optado pelo conserto deste, que vai se reencontrar com o grupo em Nova Petrópo- lis”, informou o motorista. A retirada do ônibus foi realizada durante a tarde, com auxílio de um guin- cho, uma pá-carregadeira da prefeitura e ainda um trator, de modo a evitar que o veículo inclinasse ainda mais e despencasse na encosta.
  5. 5. PolíticaRolando Christian CoelhoGeral5CORREIO DO SULTerça-feira, 9 de dezembro de 2014Coordenadora regional do PSD, Gisela Scaini, não se intimidou com o fato do PMDB do Extre- mo Sul ter fechado questão quanto a indicação do empresário sombrien- se Ademir da Silva, o Dema, para comandar a SDR de Araranguá. “O PMDB está exercendo um direito que lhe compete, mas isto não quer dizer que nós do PSD abriremos mão da mesma intenção”, comenta. Gisela é a indicada do PSD para co- mandar a SDR da região. Além dos quatro prefeitos de seu partido, outros quatro do PP e do PT também abonaram sua indicação. “Se o apoio dos prefeitos da região contar algo, temos a maioria. São oito de quinze apoiando este nosso projeto”, diz Gisela. A indicação de Dema da Silva ou de Gi- sela Scaini para timonar a SDR, no entanto, vai além dos desdobramentos e apoios políti- cos de nossa região. Ela envolve todo o Sul do Estado, especificamente no que diz respeito a escolha dos futuros secretários regionais de Criciúma, Tubarão, Laguna e Braço do Norte, área de atuação tanto do vice-governador Eduardo Pinho Moreira (PMDB), quanto do deputado estadual José Nei Ascari, hoje um dos nomes fortes do PSD do governador Raimundo Colombo no Estado. A SDR de Criciúma fatalmente ficará sob o comando do PMDB, já que o município é o “Agora é a vez do PSD”, diz Giselaprincipal reduto eleitoral de Moreira. Tudo se encaminha para que a SDR de Laguna tenha o mesmo destino, já que além de ser a terra natal do vice-governador, hoje o PMDB também a comanda. Do outro lado da moeda, a SDR de Braço do Norte deverá ficar com o PSD, de onde é oriundo Zé Nei Ascari. Nesta gangorra sobram as indicações das SDRs de Tubarão e Araranguá, que são postuladas abertamente tanto pelo PMDB quanto pelo PSD. É claro que se tivesse que escolher entre uma e outra SDR, tanto o comando do PMDB quanto do PSD preferiria a de Tubarão. Seu atual secretário é Jairo Cascaes, do PSD, mas esta SDR tem sido postulada há tempos por Moreira. Se as investidas do vice-governador em Tubarão derem certo, fatalmente a SDR de Araranguá cairá mas mãos do PSD. Por outro lado, o PSD não pretende abrir mão da SDR de Tubarão, o que facilitaria em muito a vida do PMDB na briga pela SDR de Araranguá. Há uma situação, no entanto, bastante interessante no meio deste jogo político. É que o PSD de Tubarão não consegue se entender quanto a quem seria o indicado do partido para continuar no comando da SDR. Se por um lado esta divisão interna enfraquece o PSD, por outro fortalece o PMDB tubaronense. Mais SDR (I) A grande questão agora é saber se Eduardo Moreira brigará até o fim pelo co- mando da SDR de Tubarão, enfraquecendo as pretensões do PMDB de nossa região de continuar a frente da SDR de Araranguá, ou se abandonará o antigo sonho de comandar a SDR daquela região, tentando garantir a SDR de nossa região aos peemedebistas. Por óbvio, Moreira tem sido pressionado pelo PMDB do Extremo Sul a garantir para o partido a SDR de Araranguá. Mas também não há como negar que entre uma e outra ele convergirá para a que tem maior estru- tura. Por enquanto, o que está subentendido é que das cinco SDR do Sul do Estado, o PMDB comandará três e o PSD duas. Resta saber quem ficará com qual. Câmara de Araranguá (I) E o imbróglio envolvendo a eleição para a Mesa Diretora da Câmara Municipal de Araranguá ainda parece longe de terminar. Em princípio o atual presidente, Ozair Ba- nha da Silva (PT), não pretende abrir mão de permanecer no comando da Casa. Do mesmo modo, a oposição, que tem a frente os três vereadores do PP, dá a entender que não pretende facilitar as coisas para Ba- nha. Kila Ghellere (PSB), que faz parte da bancada de situação, já disse que não vota no atual presidente, e não descarta a possi- bilidade de buscar um projeto alternativo. Ainda assim Banha estaria contando com outros dois votos do PT, dois do PMDB, dois do PSD e um do PPS, o que lhe garantiria a vitória. Todavia, a oposição contesta. Câmara de Araranguá (II) O grupo de oposição a Banha, porém, tem outro método para contabilizar os votos de quem votará em quem na disputa pela presidência da Mesa Diretora da Câmara de Araranguá no dia 17. O PP, que tem três votos, soma a estes outros dois do Pros, o que dariam cinco. Também aposta em um voto do PDT e no de Kila Ghellere, o que já dariam sete. O fiel da balança viria do PSD, dos vereadores João Abílio Pereira e Lulu Paulino. Lulu teoricamente está com Banha, mas já possui histórico de rompimento com o grupo que apoiava em um passado recente. Afora isto, João Abílio nutre uma amizade pessoal de longa data pelo ve- reador Giancarlo Soares de Souza (Pros), que é seu advogado particular. A bem da verdade, tanto situação quanto oposição contam com votos que podem estar tanto num, quanto noutro bloco. Técnicos recebem justa homenagemDe saída MELEIRO Diante da saída no Plano de Demis- são Voluntária Incentivada dos profi ssionais da Epagri Osmar Minatto, Jânio Al- berto Martins e Nei Zeni, programadas para o iní- cio de 2015, a Câmara de Vereadores de Meleiro fez uma sessão especial para homenageá-los pelos rele- vantes serviços prestados ao município. Os três iniciaram suas carreiras no escritório mu- nicipal da Acaresc (hoje Epagri) em Meleiro no ano de 1982, 1983 e 1984 respectivamente, onde fi xaram residência e con- tinuam morando. Desde então, além de contribuir para o desenvolvimento do município, especialmente no início dos trabalhos com o programa pró-varzeas para a implantação da cultura do arroz irrigado e também no programa 4S com jovens rurais, esses profissionais têm parti- cipação ativa na socieda- de meileirense, seja nos conselhos municipais ou mesmo junto a Associação Comunitária São Judas Tadeu que administra o hospital da cidade. Além dos vereadores, familiares e convidados dos homenageados, tam- bém estiveram presentes na sessão o prefeito Jonei Zanette, ex-prefeitos Vitor Hugo Coral e Jairo Luiz Canela, secretários muni- cipais e colegas da Epagri do escritório municipal de Meleiro, Anadilse Alexan- dre Gonçalves e Prissila Hahn e da Gerência Regio- nal, Reginaldo Ghellere. Da redaçãoTrês profissionais da Epagri aderem ao Plano de Demissão e antes da despedida foram homenageados pela câmara Minatto, Jânio e Nei recebem com os vereadores Mais SDR (II) No que diz respeito a SDR de Araran- guá, vale ressaltar que tanto Dema da Silva quanto Gisela Scaini estão convictos de sua indicação para o comando da mesma. Dema ressalta a retaguarda de seu partido e o apoio de Eduardo Moreira para a concretização do fato. Do mesmo modo, Gisela aposta tanto na força dos quatro prefeitos do PSD quanto nos do PP e PT, que estão lhe apoiando, além da emblemática figura de Zé Nei Ascari junto ao Governo do Estado. Mais que isto, ela lembra que Raimundo Colombo é do PSD, e é a ele que cabe a última palavra nesta indi- cação. “Para mim seria uma decepção muito grande não ter este reconhecimento depois de tantos anos de dedicação voluntária ao partido. Seria o mesmo que dizer que tudo o que fiz em prol do PSD não valeu a pena”, comenta Gisela. JACINTO MACHADOOportunizar aos par- ticipantes o conhecimento e aplicação de conceitos, técnicas e práticas para melhorar o seu desempenho pessoal e profi ssional diante das necessidades e desafi os, proporcionando o aumento nas vendas foi o objetivo do curso ministrado para duas turmas de colaboradores da Cooperja, com total de 80 participantes. O encontro aconteceu Cooperja oferece novo curso no auditório da cooperativa e contou com a presença de colaboradores do mercado, lojas agropecuárias, posto, venda externa e os que trabalham na empresa di- retamente com vendas. O curso disponibilizou uma visão mais ampla sobre as formas corretas de realizar as vendas na empresa, qua- lifi cando ainda mais a equi- pe. O palestrante demostrou através de técnicas, dinâmi- cas e interação facilitando os relacionamentos com clientes e com a equipe de trabalho”, destacou a psico- loga da Cooperja e Gerente de RH Janaina Cibien. Dentro do conteúdo programático os alunos ti- veram aulas de marketing pessoal, comunicação, Re- lacionamento Interpessoal, Neurolinguística aplicada a vendas, Negociação, Pós- -venda e Fidelização. A colaboradora Simone Bianchin ressaltou que a linguagem foi objetiva, e todo conteúdo além de apre- sentar boas dinâmicas foi produtivo para o dia a dia.
  6. 6. Geral6CORREIO DO SULTerça-feira, 9 de dezembro de 2014Fundado em 5 de Junho de 1990 - Dia Mundial do Meio AmbienteJornalista Rolando Christian Sant’ Helena Coelho - Fundador Jornal Correio do SulPublicações legais: Tomaz Fonseca Selaul48l 9985.8573tomaz@grupocorreiodosul.com.brFinanceiroJoice Ramosl48l 8802.5883fi nanceiro@grupocorreiodosul.com.brComercial: Igor Borgesl48l 9968.6084comercial@grupocorreiodosul.com.brDiretor GeralJabson Mullerl48l 9955.5313jabsonmuller@grupocorreiodosul.com.brDiagramação/Arte: Cristian Mellol48l 3533-0870correiodosul@grupocorreiodosul.com.brSul Gráfi caJunior Mullerl48l 9931.4716sulgrafi ca@grupocorreiodosul.com.brRedação: Marivânia Fariasl48l 9995.9290editor@grupocorreiodosul.com.brPolítica: Jarbas Vieiral48l 9966.5326jarbas@grupocorreiodosul.com.brRadio 93FMCássia Pachecol48l 9912.9588radio93fm@grupocorreiodosul.com.brCirculação/Assinatural48l 3533.0870assinaturas@grupocorreiodosul.com.brRua João José Guimarães,176, Centro - Sombrio/SC - Fone: (48) 3533 0870Nos últimos anos, o Brasil despertou e deu início a transformações significativas. Os órgãos de defesa do Estado vêm cumprindo o seu papel com independência e firmeza. É evidente que quanto mais se investiga, mais se descobre. E a população se vê tomada pela justa indignação. Ministro-Chefe da Controladoria-Geral da União (CGU), Jorge Hage. “ ” Os blocos parlamentaresPeloEstadoNa última semana, o PP e o PSDB anunciaram que formarão um blo- co na Assembleia Legislativa para o próximo mandato. Pouco an- tes, PSB, PR e PPS iniciaram conversações para também formar um bloco parlamentar. Quando se forma um bloco parlamentar, os partidos são percebidos, pela Assembleia, como um só. Ou seja, só haverá um líder e na repartição das responsabilidades em comissões as diferentes serão vis- tas como uma só, o que pode ajudar na representatividade. Normalmen- te, as uniões acontecem por afinidade ideológica ou de objetivos. No caso de PP e PSDB, os partidos estiveram juntos na eleição estadual deste ano e a formação de um bloco auxiliará em encaminhamentos futuros, visan- do a preparação para as eleições 2016 (municipais) e 2018 (gerais). Juntos, os partidos formarão uma bancada de oito parlamentares. Confirmada a união de PSB, PR e PPS, também surgirá uma bancada forte, de cinco de- putados, mesmo tamanho, por exemplo, da bancada do PT. Com bancadas fortes, os partidos podem pedir mais atenção do governador e negociar acordos com mais independência e força política. Despedida O deputado federal Onofre Santo Agostini (PSD-SC) fez, ontem, seu último pronunciamento da Tribuna da Câmara dos Deputados. Ele falou sobre a necessária reforma política. “Saio da Câ- mara com a certeza ainda maior de que uma reforma política ampla é essencial para que a democracia brasileira amadu- reça.” Após o discurso, o catarinense ou- viu diversos deputados que o desejaram sorte e sucesso no futuro. Onofre Santo Agostini se aposenta da vida política e diz que, a partir de 2015, dedicará seu tempo “a cuidar da família.” Sem esquema Prefeitos, vice-prefeitos e vereadores do PT-SC estão recebendo uma correspondência da Executiva esta- dual da sigla informando sobre a opera- ção Ave de Rapina, realizada pela Polícia Federal (PF), que já indiciou 12 dos 23 vereadores de Florianópolis, além de dez empresários. A intenção é mostrar que o único vereador do partido na Capital, Lino Peres, não está envolvido nos três esquemas investigados pela PF. Planejamento do PPS A Executiva es- tadual do PPS se reuniu neste final de semana para elaborar o planejamento estratégico para os próximos anos. O partido elegeu sua presidente, Carmen Zanotto, para deputada federal e desde sexta-feira (5) está comandando a pre- feitura de Lages, com o vice-prefeito Toni Duarte. Ele assumiu após a prisão do prefeito Elizeu Mattos. Mudança de endereço O Tribunal Re- gional Eleitoral de Santa Catarina (TRE- SC) informa a alteração de endereço de três cartórios eleitorais de: Curitibanos, Maravilha e Pinhalzinho. Os endereços de todos os cartórios estão disponíveis em www.tre-sc.jus.brExcelência no esporte Hoje à noite, no Teatro Pedro Ivo, na Capital, a Secretaria de Estado de Turismo, Cultura e Esporte fará a entrega do Troféu Gustavo Kuer- ten de Excelência no Esporte 2014. Atle- tas, equipes e entidades de todo o estado estão concorrendo. Andréa Leonora e Nícola Martins 'lorianÓpolis �� '09Dez14FiladeprefeitosO PSD-SC reuniu no domingo, em Florianópolis, cerca de 400 correli- gionários de todo o estado durante a confraternização de fim de ano. O governador Raimundo Colom- bo recebeu prefeitos, vice-prefeitos, vereadores e deputados, que não pouparam agradecimentos para uma das mais importantes ações do seu governo: o Fundo de Apoio aos Municípios (Fundam). O programa está levando recursos e obras a todos os municípios. Até o momento, já foram repassados R$ 313 milhões para as con- tas das prefeituras. Mas o maior agradecimento partiu mesmo de Colombo, que enfatizou o trabalho de todos para o fortalecimento da sigla no estado, já mirando nas eleições municipais de 2016. Na foto, a fila de prefeitos para tirar fotos com o governador durante o evento. Marcelo Castellen
  7. 7. Geral7CORREIO DO SULTerça-feira, 9 de dezembro de 2014 Caravana passa hoje pelo Centro e bairros ARARANGUÁ A Caravana de Natal Coca-Cola, promovida pela Vonpar Bebidas, chega a Araranguá nesta terça-feira. A partir das 20h, o Papai Noel e os caminhões ilumi- nados da marca poderão ser vistos pelos moradores circulando nas principais ruas e avenidas da cidade. A partida do comboio ocorre em frente à Praça Hercílio Luz, segue pela avenida Getúlio Vargas e ingressa na rodovia Gover- nador Jorge Lacerda. Logo após, o itinerário continua pelas avenidas Quinze de Novembro, Getúlio Vargas, Sete de Setembro e encerra a jornada noturna na rua Gover- nador João Goulart. A Caravana de Natal será realizada nos principais muni- Caravana Coca-Cola chega a Araranguá cípios catarinenses durante o mês de dezembro. Na noite seguinte, os caminhões irão desfi lar pela cidade de Palhoça. Abertura da programação de Natal agita praça no Centro de Jacinto Machado JACINTO MACHADOPelo sexto ano consecutivo a administração municipal de Jacinto Machado inovou na chegada do Papai Noel para a abertura ofi cial do Já Sinto Natal. Na noite de domingo, o bom velhinho chegou acompanhado de uma banda de duendes tocando músicas tradicionais de Natal. A multidão que se concentrou na Praça Capitão Jorge Tramontin, formada por crianças, jovens e adultos, aplaudiu com entusiasmo ao ver o Papai Noel tocando trompete. Ao subir ao pal- co, Noel saudou as crianças, distribuiu Papai Noel e duendes fazem a festa Natalbalas e desejou votos e feliz natal a toda comunidade. O prefeito Antônio João de Fáveri e o vice Adelor Emerich entregaram a chave da cidade e posteriormente Papai Noel recebeu as crianças na sua casinha, mon- tada próximo ao palco. A programação de abertura do Já Sinto Natal teve uma missa celebrada pelos padres Helder e Tiago, feira Sabores e Saberes e apresen- tações artísticas dos alunos das escolas, Peti, Apae, cantor sertanejo Pedro de Fáveri e banda Pacote Sertanejo. O Já Sinto Natal prossegue no próximo do- mingo com várias atrações, dia 21 e no dia 26 com sorteio de prêmios da CDL.
  8. 8. EntretenimentoNovelas - Horóscopo - DiversãoCruzadinhaNovelasBoogie oogie - 18hAlto Astral - 19hImpério - 21hManuel decide morar no quarto dos fundos de sua casa. Marcelo afirma para Laura que gostou de seu currículo e que tentará contratá-la. Úrsula avisa a Marcelo que não quer Laura trabalhando em sua revista. Laura diz a Bia que se sentiu rejeitada por Úrsula. Maria Inês diz a Tina que não sabia que Conceição tinha dinheiro. Castilho aparece para Caíque e avisa ao médico que ele tem uma missão. Carlota conta para Dani e Rodrigo que eles são primos e aconselha o casal a fugir novamente. Rafael avisa a Gilda que Rodrigo voltou para o Brasil. Ivete conta para Fernando, Luísa e Ricardo que Dani foi atrás de Vitória. Vicente não conse- gue conter a animação durante o show de Madalena, e Augusta se incomoda. Carlota conta para todos na mansão que Dani está grávida. Zuleica avisa que não deixará ninguém falar com Dani. José Alfredo se desentende com Maria Isis, que termina o romance com o Comendador. Josué deixa um objeto cair no quarto de Cora, e Elivaldo e Cristina ouvem o barulho. Maurílio tenta convencer Danielle a se aliar a ele. José Alfre- do pensa em Maria Isis. Amanda percebe que Leonardo está doente e decide levá-lo para um hospital. Enrico ouve Maria Clara chamar Vicente para ir à sua casa e fica furioso. Leonardo é internado com pneumonia. RapidinhasCORREIO DO SUL Terça-feira, 9 de dezembro de 2014Áries21/03 a 20/0421/04Crenças, valores, filosofias de vida e cultura são aspectos enfatizados. É um momento interessante para se comunicar e expressar o saber, ariano. Um dia signi cativo para lidar de forma mais madura com questões emocionais e nanceiras. Leão21/07 a 20/0821/08Sagitário21/11 a 20/1221/12Poderá contar com o apoio valioso de pessoas próximas a você. A união de recursos e de talentos pode gerar pros- peridade. Momento em que você tende a se sentir mais comunicativo e expressivo. Gêmeos21/05 a 20/0621/06Oportunidade de entrar em contato com pessoas que ampliam os seus horizontes. É importante estar aberto a pontos de vista distintos dos seus. Um dia positivo para negociações que envolvem bens familiares. Libra21/09 a 20/1021/10Um dia favorável para a carreira e as nanças librianas. Momento oportuno para agir com mais maturidade e consciência em relação ao dinheiro. Uma fase que propicia contatos expansivos e libertadores. Aquário21/01 a 18/0221/02Um dia que favorece as amizades, os estudos e o trabalho, aquariano. Momento oportuno para se sentir emocional- mente mais centrado. Fase que enaltece projetos educa- cionais que envolvem grupos. Touro21/04 a 20/0521/05Importante fase de autoconhecimento e de transformação aos taurinos. Um momento signi cativo para você repensar a sua conduta na intimidade emocional e na sexualidade. O dia pede coerência e maturidade ao lidar com as nanças. Virgem21/08 a 20/0921/09Negociações e questões que envolvem as amizades estão estimuladas. Momento em que você deseja se sentir parte de um projeto maior. Os estudos, re exões e o autoconhe- cimento estão enfatizados. Capricórnio21/12 a 20/0121/01Dia importante para agir de forma mais harmoniosa nos relacionamentos. Um belo momento para concluir estudos e atividades pendentes. A fase é de re exões sobre o que você pensa e acredita. Câncer21/06 a 20/0721/07Momento em que você tende a estar mais centrado emocio- nalmente. Uma fase que pede amadurecimento emocional e pro ssional aos cancerianos. Estudos, conhecimentos e viagens relacionadas ao trabalho estão estimulados. Escorpião21/10 a 20/1121/11Um belo momento para expressar as suas habilidades, es- corpiano. A fase é oportuna para ganhos financeiros. Tenha cuidado com a tendência a exagerar em gastos. Peixes19/02 a 20/0319/03Um dia em que a carreira e a vida afetiva estão enfatizadas. Momento em que pode haver um equilíbrio maior entre as demandas emocionais e pro ssionais. Momento favorável para dar um passo adiante na carreira, pisciano. HoróscopoAbsorção de importantes aprendizados emocionais, leoni- no. É necessário compreender o que a vida está querendo de você emocionalmente. Um belo momento para se expressar de forma mais criativa e expansiva. Wanessa deixou sua mensagem no Facebook na manhã desta segunda-feira (8) ao publicar uma foto em que aparece com o corpo coberto por um violão, bata e sutiã. Ela falou sobre autoestima feminina na legenda do clique e deu um recado aos seguidores. “Acho que nós, mulheres, precisamos entender a importância de ficarmos bonitas para nós mesmas.”, escreveu a mão de José Marcos e João Francisco nas redes sociais. Wanessa já voltou a fazer malhação depois de dar à luz ao filho caçula, de sua relação com o empresário Marcus Buaiz, e está fazendo um controle da alimentação para voltar ao seu peso normal, mas esse não é seu objetivo principal. Ela está dedicada na amamentação do pequeno e não vai limitar sua dieta por enquanto, para não perder leite. Em entrevista a O Fuxico, ela disse que não tem medo de ficar mais cheinha e está bem com seu corpo, mesmo 8Kg acima de seu peso nor- mal. “Acho importante estar bem comigo antes de qualquer coisa. Por enquanto, ainda faltam alguns quilos para eu voltar ao meu peso normal, mas eu já estou me sentindo tranquila com meu corpo atualmente!”, afirmou a filha de Zezé Di Camargo, antes de explicar o motivo de não estar pegando pesado na malhação com dieta. “Eu perco leite muito fácil, então, não posso limitar muito a variedade dos meus ali- mentos, porque ele seca e eu quero alimentar o João até os seis meses, pelo menos!”, declarou a artista.
  9. 9. SocialTânia DuarteCORREIO DO SULTerça-feira, 9 de dezembro de 2014 tania@grupocorreiodosul.com.brfacebook.com/tania.duartecoelho A primeira-da- ma de Sombrio Suzana Tiscoski Cardoso come- morou seu aniver- sário domingo, com família e amigos em Gramado. Na foto com a filha Izabel e a neta Vitória. Parabéns!!!! Parabéns ao maravilhoso casal Lana Goulart que comemorou aniversá- rio no último domingo (7) e Everaldo Ferreira que completou 40 anos de advocacia ontem, por coincidência 8 de dezembro Dia da Justiça! Escolha da rainha da XII Festa do Colono - 2015 de São João do Sul, que aconteceu no sábado (29) no Ginásio Frei Adercide. Com o tema “Trabalhador em Foco” o Sintresc - Sindicato dos Trabalhadores Indústria de Energia Elétrica do Sul de SC, promoveu um concurso de fotografias. Três colaboradores da Cersul de Turvo levaram as primeiras colocações com fotos que ilustravam o dia a dia do serviço de um eletricista e seus desafios. No foto Itamar dos Reis, Evandro dos Reis e o presidente do Sintresc/SC José Paulo dos Reis recebendo as premiações. Talentosos jovens do grupo de teatro JAC (Jovens em Ação e Criação) do Arroio do Silva, em uma das suas apresentações em escolas do município. 48 3533.076248 8804.2871
  10. 10. 10CORREIO DO SULTerça-feira, 9 de dezembro de 2014Publicidade
  11. 11. Geral11CORREIO DO SULTerça-feira, 9 de dezembro de 2014Henry contraiu meningite bacteriana, mas já está bem e creche que ele frequenta reabre hoje normalmenteDjonatha GeremiasVenceu Avô Celso mostra foto dos momentos com Henry MARACAJÁ Recebe alta do hos- pital hoje, Henry Masiero da Rocha, de 4 anos, que contraiu menin- gite na semana passada, uma doença que causa infl amação nas membra- nas do cérebro, causada por bactéria ou vírus. Os exames confi rmaram na sexta-feira se tratar do tipo bacteriano. A creche em que o menino estuda, em Maracajá, interditada na última quinta-feira devido suspeita da doença con- tagiosa, volta a funcionar hoje normalmente. A mãe de Henry, Cris- tiane, está desde terça- -feira no Hospital Unimed, em Criciúma, ao lado do fi lho. “Foi uma experiência angustiante, mas deu tudo certo”, suspira aliviada. O avô Celso Masiero também está ansioso . “Ele fica bastante tempo comigo no Menino recebe altaescritório, brincando, já me acostumei com a presença dele, e não vejo a hora de ele voltar”. O caso preocupou a comunidade de Maracajá. Tudo começou na segunda- -feira da semana passada, quando Henry voltou da creche no fim da tarde e, pouco tempo depois, apresentou febre e dor de garganta. A mãe o levou ao pronto-socorro e o mé- dico disse que se tratava de sinusite, recomendou um antibiótico e mandou a criança para casa. Na terça-feira de ma- nhã, Henry acordou mal, vomitando e com dor de ca- beça. Cristiane o levou ao pediatra, que solicitou um raio-x e concluiu que não era sinusite e que havia alguma coisa incubada no organismo do garoto. “Ele disse para eu fi car de olho porque poderia ser menin- gite, mas também poderia ser qualquer virose, e que se os sintomas piorassem, eu devia leva-lo ao hospital com urgência. Isso porque, se fosse meningite, alguns tipos são capazes de matar em poucas horas”, contou a mãe ao Correio do Sul. A consulta foi pela ma- nhã, e à tarde Henry já estava hospitalizado em Criciúma, onde a menin- gite foi confi rmada. A medicação logo fez efeito e na quinta-feira o menino acordou bem disposto como todos os dias. “Foi incrível, é como se ele nunca tivesse tido nada”, conta a mãe, mas ele continuou fazendo o tratamento, tomando re- médios, ainda internado. Hoje, Henry toma a última dose da medicação, recebe alta no começo da tarde e retorna a Maracajá. Po- rém, não voltará agora para a creche, passando mais um dia em casa. O Centro de Educação Infantil (CEI) Margareth Maria Tomasi Rocha havia decidido, por meio da Se- cretaria Municipal de Edu- cação e recomendada pela Secretaria Municipal da Saúde de Maracajá, fechar a creche quinta e sexta- -feira, devido à suspeita da meningite. Segundo a diretora interina Elinéia Acordi Dordete, a Neia, durante esses dias a creche foi totalmente higienizada por precaução. Ontem foi feriado em Maracajá e, por isso, o local não abriu, mas tudo deve normalizar- -se hoje. O secretário de Educação Denner Lucas Casagrande, informou que nenhuma das outras 162 crianças da creche apre- sentou qualquer sintoma durante o recesso. O progresso benefi cia também o mais pobrePROCÓPIO LAMARCAA Revolução Industrial, lá no século XIX, pesou para os trabalha- dores. Mas, mais tarde, os trabalha- dores, a grande maioria deles, foram bastante beneficiados. A vida foi melhorando para todos. Nos países desenvolvidos, um operário hoje tem mais conforto do que um rico tinha em 1800. Em todo o mundo, os benefícios trazidos pela Revo- lução Industrial foram maiores do que aqueles registrados nos quatro séculos anteriores. A expectativa de vida, por exemplo, subiu dos 30 para os 60 anos. Hoje passa dos 70. De maneira geral, os avanços tecnológicos têm sido generosos para a população. Trabalhadores comuns têm a vida facilitada por motos que se popularizam a ponto de virar quase uma praga. O telefone celular está no bolso de todo mundo e agiliza negócios e empreendimentos. De pobres e ricos. Fazer fotos de fa- mília também custava caro. Hoje um celular baratinho registra tudo a custo zero. Um computador custa menos ao universitário do que a lista de livros solicitada pelos professores. E com o Google ninguém mais precisa gastar três ou quatro mil comprando os 32 volumes da Enciclopédia Britânica. A Wikipédia é de graça. Pobre pode, exatamente como o rico, mandar um e-mail sem gastar com selo. Não estou afi rmando que a po- breza não existe mais. Existe sim, muita, e a desigualdade ainda é enorme. O que estou dizendo é que os avanços são bons para todos. É preciso ter isso em mente quan- do algumas categorias profi ssionais ou grupos organizados querem frear as mudanças para poupar determi- nados empregos ou modos de vida. Sinto muito, mas isso não é possível, nem é bom. Já pensaram se os governantes do século dezenove tivessem desistido de estender rede de energia elétrica porque ela aca- baria, como acabou, com a profi ssão de acendedor de lampiões das ruas? Centenas de profi ssões desapa- receram até aqui e todos – mesmo os que hoje lutam contra os avanços - aproveitam os benefícios desse desaparecimento. É o preço que se paga por uma vida mais confortável, e vale à pena pagar. Se você tem dú- vidas, pergunte a seus avós se eles viviam melhor quando existiam pro- fi ssões como tropeiro. Os tropeiros foram importantes para a economia, foram responsáveis pelo surgimento de cidades, mas fi caram para trás. Quem hoje se beneficia dos pro- dutos transportados por caminhão, não pode querer impedir que outras profi ssões também deixem de existir. Só o que não pode desaparecer é o ser humano. Refl exão Política: Depois que a presidente Dilma tornou ofi cial a compra de senadores e deputados, tenho uma proposta para a reforma política. O número que cada candidato usa na campa- nha, depois de eleito passa a ser um código de barras. Fica bem mais fácil fazer o pagamento. E o país assiste a esse descalabro como se fosse normal…
  12. 12. Publicidade12CORREIO DO SULTerça-feira, 9 de dezembro de 2014
  13. 13. detentos, sendo que a unidade prisional ainda mantém 336 presos. A juíza ainda ressalta que o estado, responsável pelo presídio por meio do Departa- mento Estadual de Adminis- tração Prisional (Deap), “não tem desempenhado maiores esforços no sentido de ampliar e melhorar a estrutura física do estabelecimento prisional” da comarca. O Deap enviou um ofício à 2ª Vara solicitando que o presí- dio ao menos possa receber os presos oriundos da comarca de Araranguá, já que estes estão sendo transportados para uni- dades prisionais cada vez mais distantes da região. Atualmen- te, estão sendo encaminhados para Lages, com atraso de vários dias. Os delegados da região reclamam que o Deap tem deixado os presos nas celas das delegacias por mais de 48 horas, o que é inapro- priado para as atividades da Polícia Civil. Até o fechamento desta Polícia13CORREIO DO SULTerça-feira, 9 de dezembro de 2014 Deap tem que levar presos para presídios cada vez mais distantes, como LagesDjonatha GeremiasDepartamento de Administração Prisional do Estado pediu que presos fiquem na região, mas depois de mais uma vistoria no presídio juíza mantém a interdição Presídio Regional ARARANGUÁMais uma irregula- ridade no Presídio Regional de Araranguá entra para a coleção de motivações que culminaram na interdi- ção em primeiro de julho. Na última sexta-feira, a juíza da 2ª Vara Criminal da comarca de Araranguá, Alessandra Meneghetti, realizou mais uma inspeção no prédio e cons- tatou que, além de não sanar nenhum dos problemas já elencados, o governo do estado ainda tem deixado criminosos perigosos nas mesmas celas que presos civis (presos por pensão alimentícia), “em ma- nifesta violação aos dispositi- vos legais”, nas suas palavras. Deap não consegue fi m da interdiçãoA juíza assumiu a 2ª Vara Criminal no dia 19 de novem- bro e nestes menos de 30 dias tem dado sequência à decisão do então juiz da mesma vara, Luís Felipe Canever, que in- terditou o Presídio Regional de Araranguá em julho por meio da Portaria Nº 02/2014, a partir do processo instau- rado pelo Ministério Público de Santa Catarina, contra o governo do estado. A portaria determina que está terminan- temente proibido o ingresso de qualquer novo interno nas de- pendências do presídio, até que se alcance a lotação máxima de 200 pessoas encarceradas. A vistoria feita pela juíza na sexta-feira também consta- tou a lotação do presídio ainda não respeitou a decisão judi- cial, de redução do número de Situação piora ARARANGUÁ Na quinta-feira, às 15 horas, vereadores e autoridades da região participarão de uma au- diência sobre segurança com o secretário de Justi- ça e Cidadania Sady Beck Junior, em Florianópolis. Na reunião será discutida, principalmente, a situa- ção do Presídio Regional e as condições de trabalho dos agentes de polícia. Além da superlotação Vereadores vão ao secretário de Justiçados presídios catarinenses, outras questões que afl igem os profissionais é a falta de efetivo e a carência da estrutura. O encontro foi motivado pelas manifestações dos de- legados Luiz Vanderlei Sala, Jorge Giraldi, Ari José Soto Riva e Jair Pereira Duarte, durante uma sessão na câmara em que pediram o apoio dos vereadores para sanar esses problemas. Para o presidente da Câmara, Ozair da Silva, o Banha, existem dois aspectos principais na discussão. “O problema da segurança ocorre em duas linhas: é necessário que haja tanto concurso público para aumentar o efetivo quanto estrutura física”. No intuito de encon- trar alternativas e buscar uma resposta do estado, na última semana os ve- readores Rony da Silva e Ronaldo Soares esti- veram em Florianópolis e definiram a data da reunião. edição, a Delegacia Central de Polícia de Araranguá man- tinha na cela dois presos cap- turados no sábado, ou seja, quase 72 horas depois. “Já notifi camos Ministério Públi- co, Secretaria de Estado da Segurança Pública, políticos, imprensa estadual e até agora nada de o Deap resolver esse problema”, comentou ontem à tarde o delegado Jorge Giraldi. Porém, no entendimento da juíza, a falta de iniciativa do Governo do Estado em ao menos melhorar as condições físicas da unidade prisional inibe a possibilidade de se atender ao pedido do Deap, conforme ela mesma decla- ra: “Se o próprio Estado não concretiza providências no sentido de aprimorar a estru- tura física do estabelecimento prisional interditado, aliás atribuição que lhe é inerente, não visualizo possibilidade da fl exibilização da Portaria nº 02/2014”. Ela ainda sublinha que a única “providência” que o governo está alegando tomar é fazer uma tentativa de desapropriação de um suposto terreno existe nos fundos da unidade prisional, sem nenhu- ma medida concreta até então. Alessandra Meneghetti ressalta que a superlotação não foi o único motivo pelo qual o presídio foi interditado. “A interdição está motivada em questões além da superlota- ção, como inadequação do pré- dio, insalubridade e periculosi- dade, conforme atestado pela Vigilância Sanitária e Corpo de Bombeiros”, descreveu nos autos do processo. Porém, na última vistoria, ela ainda elencou mais uma irregula- ridade, conforme ela mesmo afi rma que merece destaque: “os presos civis estão alocados com os presos que cumprem pena em regime semiaberto, em manifesta violação aos dispositivos legais”. Segundo a juíza, a diretoria do Presídio Regional de Araranguá alegou qu simplesmente não há celas para poder separar os presos civis, por falta de pagamento de pensão alimentícia. No mesmo dia, a juíza protocolou nos autos do pro- cesso de interdição o pedido de providências em relação à inspeção mensal que realiza. Todas as informações descritas foram encaminhadas ao juiz- -corregedor da Corregedoria Geral da Justiça, Alexandre Karazawa Takaschima, que está ciente da situação da comarca de Araranguá e que já ratifi cou a interdição deter- minada pelo então magistrado Luís Canever.
  14. 14. Publicidade14CORREIO DO SULTerça-feira, 9 de dezembro de 2014
  15. 15. Publicações Legais15CORREIO DO SULTerça-feira, 9 de dezembro de 2014 LEI Nº. 2174, DE 30 DE SETEMBRO DE 2014. DISPÕE SOBRE AS DIRETRIZES PARA A ELABORAÇÃO DA LEI ORÇAMENTÁRIA DE 2015 E DÁ OUTRAS PROVIDÊNCIAS. O PREFEITO MUNICIPAL DE SOMBRIO-SC, Senhor Zênio Cardoso, faz saber a todos os habitantes do Município, que a Câmara Municipal de Vereadores aprovou e ele sanciona a seguinte Lei. Art. 1º. O Orçamento do Município de Sombrio, para o exercício fi nanceiro de 2015, será elaborado e executado de acordo com as diretrizes estabelecidas nesta lei, compreendendo: I – as metas fi scaisII – as prioridades e metas da administração municipal, extraídas do Plano Plurianual 2014/2017; III – a estrutura dos orçamentos; IV – as diretrizes para a elaboração e a execução dos orçamentos do Município; V – as disposições sobre dívida pública municipal; VI – as disposições sobre despesas com pessoal e seus encargos; VII – as disposições sobre alterações na legislação tributária; eVIII – as disposições gerais. I – DAS METAS FISCAISArt. 2º. As metas fi scais de receitas, despesas, resultado primário, nominal e montante da dívida pública para os exercícios de 2015 a 2017, de que trata o art. 4º da Lei Complementar nº 101/2000, são as identifi cadas no Anexo I desta Lei. II – DAS PRIORIDADES E METAS DA ADMINISTRAÇÃOArt. 3º. As prioridades e metas da Administração Municipal para o exercício fi nanceiro de 2015 são aquelas defi nidas no anexo II e III desta Lei. Parágrafo único. Os recursos estimados na lei orçamentária para 2015 serão destinados, preferencialmente, para as prioridades estabelecidas no anexo II desta Lei, não se constituindo, todavia, em limite à programação das despesas. Art. 4º. Na elaboração da proposta orçamentária para 2015, o Poder Executivo poderá aumentar ou diminuir as metas e valores estabelecidas nesta Lei, a fi m de compatibilizar a despesa orçada com a receita estimada, de forma a preservar o equilíbrio das contas públicas. III – DA ESTRUTURA DOS ORÇAMENTOSArt. 5º. O orçamento para o exercício fi nanceiro de 2015 abrangerá os Poderes Legislativo, Executivo seus Fundos e autarquias e será elaborado levando-se em conta a Estrutura Organizacional da Prefeitura. Art. 6º. A Lei de Orçamento evidenciará as Receitas e Despesas de cada Unidade Gestora, identifi cadas por código da destinação de recursos, desdobradas as despesas por função, sub-função, programa, projeto, atividade ou operações especiais e, quanto a sua natureza, por categoria econômica, grupo de natureza e modalidade de aplicação. Art. 7º. A mensagem que encaminhar o projeto de lei orçamentária conterá quadro demonstrativo da evolução da Receita dos exercícios de 2011, 2012 e 2013, previsão para, 2014, 2015, 2016 e 2017, com justifi cativa da estimativa para 2015, acompanhado de metodologia e memória de cálculo. IV – DAS DIRETRIZES PARA A ELABORAÇÃO E A EXECUÇÃO DOS ORÇAMENTOS DO MUNICÍPIOArt. 8º. O orçamento e a sua execução obedecerá, entre outros, ao princípio da transparência e do equilíbrio entre receitas e despesas em cada destinação, abrangendo os Poderes Legislativo, Executivo, seus fundos e autarquias. Art. 9º. Os estudos para defi nição do Orçamento da Receita, excluídas as previsões de convênios, alienações de bens e operações de crédito, deverá observar as alterações da legislação tributária, incentivos fi scais autorizados, a infl ação do período, o crescimento econômico, a valorização imobiliária e a evolução da receita nos últimos três exercícios. Parágrafo único. Se a receita estimada, comprovadamente não atender ao disposto neste artigo, o Legislativo, quando da análise da Proposta Orçamentária, poderá reestimá-la, ou solicitar do Executivo Municipal a sua alteração e a conseqüente adequação do orçamento da despesa. Art. 10. Na execução do orçamento, verifi cado que o comportamento da receita poderá afetar o cumprimento das metas de resultado primário e nominal, os Poderes Legislativo e Executivo, de forma proporcional as suas dotações, adotarão o mecanismo da limitação de empenhos e movimentação fi nanceira no montante necessário, observada a destinação de recursos, ressalvadas as decorrentes de obrigações constitucionais e legais, inclusive aquelas destinadas ao pagamento da dívida. Art. 11. O Orçamento para o exercício de 2015 destinará recursos para a Reserva de Contingência, não inferior a 0,01% da Receita Corrente Líquida prevista para o mesmo exercício. (Art. 5°, III da LRF) § 1° - Os recursos da Reserva de Contingência serão destinados ao atendimento de passivos contingentes e outros riscos e eventos fi scais imprevistos, e também para a abertura de créditos adicionais suplementares ou especiais para despesas não orçadas ou orçadas a menor, conforme disposto na Portaria MPO n° 42/99, art. 5°, Portaria STN n° 163/2001, art. 8° e Demonstrativo de Riscos Fiscais. (Art. 5° , III, “b” da LRF) § 2° - Os recursos da Reserva de Contingência destinados a riscos fi scais, caso estes não se concretizarem até o dia 10 de dezembro de 2015, poderão, excepcionalmente, serem utilizados por ato do Chefe do Poder Executivo Municipal para abertura de créditos adicionais suplementares de dotações que se tornaram insufi cientes. Art. 12. Os investimentos com duração superior a 12 (doze) meses só constarão da Lei Orçamentária Anual se contemplados no Plano Plurianual. Art. 13. Os projetos e atividades priorizados na Lei Orçamentária Anual com dotações vinculadas a destinação de recursos oriundos de transferências voluntárias, operações de crédito, alienação de bens e outros, só serão executados e utilizados a qualquer título, se ocorrer ou estiver garantido o seu ingresso no fl uxo de caixa. § 1º A apuração do excesso de arrecadação de que trata o artigo 43, § 3º da Lei 4.320/64 será realizado em cada destinação de recursos para fi ns de abertura de créditos adicionais suplementares e especiais conforme exigência contida nos artigos 8º, parágrafo único e 50, I da Lei de Responsabilidade Fiscal, LC nº 101/2000. § 2º - Na Lei Orçamentária Anual os orçamentos da receita e da despesa identifi carão com codifi cação adequada cada uma das destinações de recursos, de forma que o controle da execução observe o disposto no caput deste artigo. Art. 14. As renúncias de receita estimadas para o exercício fi nanceiro de 2015 serão consideradas para efeito de cálculo do orçamento da receita. Art. 15. A transferência de recursos do Tesouro Municipal a entidades benefi ciará somente aquelas de caráter educativo, assistencial, recreativo, esportivo, cultural, saúde, de cooperação técnica e voltadas para o fortalecimento do associativismo municipal. Art. 16. Para efeito do disposto no Art. 16, § 3º da Lei de Responsabilidade Fiscal, são consideradas despesas irrelevantes, aquelas decorrentes da criação, expansão ou aperfeiçoamento da ação governamental que acarrete aumento da despesa, cujo montante num exercício, em cada evento, não exceda o valor para dispensa de licitação fi xado no item I do Art. 24 da Lei 8.666/93, devidamente atualizado. Art. 17. Nenhum projeto novo poderá ser incluído no orçamento, sem antes ter assegurado recursos sufi cientes para obras ou etapa de obras em andamento e para conservação do patrimônio público, salvo projetos programados com recursos de convênios, alienação de bens e operações de crédito. Art. 18. O Município poderá contribuir para o custeio de despesas de competência de outros entes da Federação, mediante celebração de convênio, acordo, ajuste ou congênere e previsto os recursos na lei orçamentária anual. Art. 19. A previsão das receitas e a fi xação das despesas serão orçadas para 2015 a preços correntes. Art. 20. A execução do orçamento da Despesa obedecerá, dentro de cada Projeto, Atividade ou Operações Especiais, a dotação fi xada para cada Grupo de Natureza de Despesa/Modalidade de Aplicação, com apropriação dos gastos nos respectivos elementos de que trata a Portaria STN nº 163/2001. Art. 21. Durante a execução orçamentária, o Executivo Municipal, autorizado por lei, poderá incluir novos projetos, atividades ou operações especiais no orçamento das unidades gestoras na forma de Crédito Especial, desde que se enquadre nas prioridades para o exercício e constantes desta lei, conforme art. 167, I da CF. Art. 22. Para fi ns do disposto no artigo 165, § 8° da Constituição Federal, considera-se crédito suplementar a criação de Grupo de Natureza de Despesa em categoria de programação ou a elevação do crédito orçamentário fi xado na Lei Orçamentária para cada Grupo de Natureza de Despesa/Modalidade de Aplicação, excluído deste último o remanejamento realizado dentro da mesma categoria de programação. V – DAS DISPOSIÇÕES SOBRE A DÍVIDA PÚBLICA MUNICIPAL Art. 23. Obedecidos os limites estabelecidos em Lei Complementar Federal, o Município poderá realizar operações de crédito ao longo do exercício, para atendimento à Despesas de Capital, respeitado o limite de endividamento, na conformidade com a Lei Complementar nº 101/2000. VI – DAS DISPOSIÇÕES SOBRE DESPESAS COM PESSOALArt. 24. O Município, mediante lei autorizativa, observada a iniciativa privativa de cada Poder, poderá criar cargos e funções, alterar a estrutura de carreiras, corrigir ou aumentar a remuneração dos servidores, conceder vantagens e, por ato administrativo, admitir pessoal a qualquer título, observados os limites e as regras da Lei de Responsabilidade Fiscal. Parágrafo único. Os recursos para as despesas decorrentes destes atos deverão estar previstos no orçamento ou em créditos adicionais. Art. 25. Nos casos de necessidade temporária, de excepcional interesse público, devidamente justifi cado pela autoridade competente, a Administração Municipal poderá autorizar a realização de horas extras pelos servidores, quando as despesas com pessoal excederem a 95% do limite estabelecido no art. 20, III da Lei de Responsabilidade Fiscal. Art. 26. Para efeito desta lei e registros contábeis, entende-se como terceirização de mão-de-obra referente substituição de servidores de que trata o artigo 18, § 1º da LRF, a contratação de mão-de-obra cujas atividades ou funções guardem relação com atividades ou funções previstas no Plano de Cargos da Administração Municipal, ou ainda, atividades próprias da Administração Pública Municipal, desde que, em ambos os casos, não haja utilização de materiais ou equipamentos de propriedade do contratado ou de terceiros. Art. 27 – A verifi cação dos limites das despesas com pessoal serão feitas ao fi nal de cada semestre na forma estabelecida na Lei de Responsabilidade Fiscal. VII – DAS DISPOSIÇÕES SOBRE ALTERAÇÃO DA LEGISLAÇÃO TRIBUTÁRIA Art. 28. O Poder Executivo Municipal, autorizado em lei, poderá conceder ou ampliar benefícios fi scais aos contribuintes, devendo, nestes casos, serem considerados nos cálculos do orçamento da receita, apresentando estudos do seu impacto e atender ao disposto no Art. 14 da Lei de Responsabilidade Fiscal. Art. 29. Os tributos lançados e não arrecadados, inscritos em Dívida Ativa, cujos custos para cobrança sejam superiores ao crédito tributário, poderão ser cancelados, mediante autorização em lei, não se constituindo como renúncia de receita para efeito do disposto no Art. 14 da Lei de Responsabilidade Fiscal. Art. 30. O ato que conceder ou ampliar incentivo, isenção ou benefício de natureza tributária ou fi nanceira constante do Orçamento da Receita, somente entrará em vigor após adoção de medidas de compensação, seja por aumento da receita ou mediante cancelamento, pelo mesmo período, de despesas em valor equivalente. VIII – DAS DISPOSIÇÕES GERAIS Art. 31. Se o Projeto de Lei Orçamentária anual não for encaminhado à sanção até o início do exercício fi nanceiro de 2015, fi ca o Poder Executivo Municipal autorizado a executar a proposta orçamentária na forma original, até a sanção da respectiva Lei Orçamentária Anual. Parágrafo único. Os eventuais saldos negativos apurados em decorrência do disposto no caput deste artigo serão ajustados após a sanção da Lei Orçamentária Anual, mediante a abertura de créditos adicionais suplementares, através de decreto do Poder Executivo, usando como fontes de recursos o Superávit Financeiro do Exercício anterior, o Excesso ou provável excesso de arrecadação, a anulação de saldos de dotações não comprometidas e a Reserva de Contingência, sem comprometer, neste caso, os recursos para atender os riscos fi scais previstos. Art. 32. Serão consideradas legais as despesas com multas e juros pelo eventual atraso no pagamento de compromissos decorrentes de insufi ciência de disponibilidade de caixa, conforme disposto no artigo 117 da Constituição do Estado de Santa Catarina. Art. 33. A Administração Municipal, tanto quanto possível, até a criação de estrutura adequada, deverá apropriar as despesas de forma a demonstrar o custo de cada ação. Art. 34. Os créditos especiais e extraordinários, abertos nos últimos quatro meses do exercício, poderão ser reabertos no exercício subseqüente, por ato do Chefe do Poder Executivo. Art. 35. O Poder Executivo Municipal está autorizado a assinar convênios com o Governo Federal e Estadual através de seus órgãos da administração direta ou indireta para realização de obras ou serviços de competência do Município ou não. Art. 36. Esta lei entra em vigor na data de sua publicação, com efeitos a contar de 1º de janeiro de 2015. Município de Sombrio, 30 de setembro de 2014. Zênio Cardoso - Prefeito MunicipalRegistrado e Publicado nesta Secretaria em data supracitada. José Sidnei Januário - Secretário Municipal de Finanças, Administração e Planejamento Informa abertura de processo seletivo Área/ Requisito Cidade Inscrições e informações ATENDENTE DE AB: Ensino médio incompleto; Experiência com atendimento em bares ou restaurantes ARARANGUÁ Entregar currículo dia 12/12/2014 - RUA: CAETANO LUMMERTZ, 456 SL 307 – CENTRO-ARARANGUA - SC Remuneração: R$1.394,00 + R$139,40(Assiduidade) R$ 1.533,40 AUXILIAR DE SERVIÇOS GERAIS: Ensino fundamental incompleto; Limpeza de ambientes internos. ARARANGUÁ Entregar currículo dia 12/12/2014 - - RUA: CAETANO LUMMERTZ, 456 SL 307 – CENTRO-ARARANGUA - SC Remuneração: R$ 1.072,00 + R$107,20 (Assiduidade) + R$144,80 (Insalubridade): R$ 1.324,00 AUXILIAR DE COZINHA: Ensino Fundamental incompleto; Experiência na área ARARANGUÁ Entregar currículo dia 12/12/2014 - - RUA: CAETANO LUMMERTZ, 456 SL 307 – CENTRO-ARARANGUA - SC Remuneração: R$ 1.305,00 + R$130,50 (Assiduidade) + R$144,80 (Insalubridade): R$ 1.580,30 Acompanhe os processos seletivos do SESC/SC através do site www.sesc-sc.com.br- ícone Trabalhe Conosco Todas as vagas estão disponíveis para Pessoas com Deficiência ESTADO DE SANTA CATARINAPREFEITURA MUNICIPAL DE SOMBRIO
  16. 16. Publicações Legais16CORREIO DO SULTerça-feira, 9 de dezembro de 2014EDITAL DE INTIMAÇÃOARLINDO EDÍLIO DA ROSA, Tabelião do TABELIONATO DE NOTAS E PROTESTOS DE TÍTULOS desta Comarca de Sombrio, situado na Av. Nereu Ramos, 1300 - Fone (48) 3533-0318 - CEP 88960-000, faz saber na forma da Lei aos que o presente EDITAL virem, que se encontram nesse tabelionato para serem protestados, decorrido o prazo legal, por não terem sido encontrados nos endereços fornecidos, ou por se recusarem a tomar conhecimento, os títulos cujos responsáveis estão abaixo discriminados. PROT APRESENTANTE / CNPJ DEVEDOR / CNPJProt: 130279; Dev: ANSELMO BATISTA DE BORBA - 376.899.329-91; Ced: MUNICIPIO DE SOMBRIO; Sac: MUNICIPIO DE SOMBRIO; Tit: 728 ; Apr: MUNICIPIO DE SOMBRIO; VEN: À VISTA; Esp: Certidão de Dívida Ativa; Val: 3.243,53+Juros Legais; Emol.: 44,71. Prot: 130278; Dev: ANSELMO BATISTA DE BORBA - 376.899.329-91; Ced: MUNICIPIO DE SOMBRIO; Sac: MUNICIPIO DE SOMBRIO; Tit: 727 ; Apr: MUNICIPIO DE SOMBRIO; VEN: À VISTA; Esp: Certidão de Dívida Ativa; Val: 5.229,00+Juros Legais; Emol.: 44,71. Prot: 130270; Dev: AUTO POSTO JBC LTDA - 05.763.710/0001-97; Ced: MUNICIPIO DE SOMBRIO; Sac: MUNICIPIO DE SOMBRIO; Tit: 717 ; Apr: MUNICIPIO DE SOMBRIO; VEN: À VISTA; Esp: Certidão de Dívida Ativa; Val: 151,80+Juros Legais; Emol.: 44,71. Prot: 130271; Dev: AUTO POSTO JBC LTDA - 05.763.710/0001-97; Ced: MUNICIPIO DE SOMBRIO; Sac: MUNICIPIO DE SOMBRIO; Tit: 718 ; Apr: MUNICIPIO DE SOMBRIO; VEN: À VISTA; Esp: Certidão de Dívida Ativa; Val: 732,09+Juros Legais; Emol.: 44,71. Prot: 130275; Dev: BENTO DA ROSA MARTINS - 144.853.209-44; Ced: MUNICIPIO DE SOMBRIO; Sac: MUNICIPIO DE SOMBRIO; Tit: 722 ; Apr: MUNICIPIO DE SOMBRIO; VEN: À VISTA; Esp: Certidão de Dívida Ativa; Val: 131,08+Juros Legais; Emol.: 52,90. Prot: 130274; Dev: BENTO DA ROSA MARTINS - 144.853.209-44; Ced: MUNICIPIO DE SOMBRIO; Sac: MUNICIPIO DE SOMBRIO; Tit: 721 ; Apr: MUNICIPIO DE SOMBRIO; VEN: À VISTA; Esp: Certidão de Dívida Ativa; Val: 131,08+Juros Legais; Emol.: 52,90. Prot: 130273; Dev: BENTO DA ROSA MARTINS - 144.853.209-44; Ced: MUNICIPIO DE SOMBRIO; Sac: MUNICIPIO DE SOMBRIO; Tit: 720 ; Apr: MUNICIPIO DE SOMBRIO; VEN: À VISTA; Esp: Certidão de Dívida Ativa; Val: 419,94+Juros Legais; Emol.: 52,90. Prot: 130272; Dev: BENTO DA ROSA MARTINS - 144.853.209-44; Ced: MUNICIPIO DE SOMBRIO; Sac: MUNICIPIO DE SOMBRIO; Tit: 719 ; Apr: MUNICIPIO DE SOMBRIO; VEN: À VISTA; Esp: Certidão de Dívida Ativa; Val: 130,28+Juros Legais; Emol.: 52,90. Prot: 130276; Dev: CAETANO CONSTANTINO DE OLIVEIRA - 179.636.649-87; Ced: MUNICIPIO DE SOMBRIO; Sac: MUNICIPIO DE SOMBRIO; Tit: 725 ; Apr: MUNICIPIO DE SOMBRIO; VEN: À VISTA; Esp: Certidão de Dívida Ativa; Val: 1.674,33+Juros Legais; Emol.: 44,71. Prot: 130277; Dev: CAETANO CONSTANTINO DE OLIVEIRA - 179.636.649-87; Ced: MUNICIPIO DE SOMBRIO; Sac: MUNICIPIO DE SOMBRIO; Tit: 726 ; Apr: MUNICIPIO DE SOMBRIO; VEN: À VISTA; Esp: Certidão de Dívida Ativa; Val: 2.414,55+Juros Legais; Emol.: 44,71. Prot: 130316; Dev: CATIANA AMERICO CARDOSO - 041.477.069-24; Ced: SUPER CREDI JAPONES SERVI OS ASSESSORIA CREDI; Sac: SUPER CREDI JAPONES SERVI OS ASSESSORIA CREDI; Tit: 266727-2 ; Apr: FCDL; VEN: 30/05/2013; Esp: Duplicata de Venda Mercantil por Indicação; Val: 230,76+Juros Legais; Emol.: 44,71. Prot: 130306; Dev: CLAUDIOMIRO CLARINDA DA BORBA - 067.569.859-65; Ced: SUPER CREDI JAPONES SERVI OS ASSESSORIA CREDI; Sac: SUPER CREDI JAPONES SERVI OS ASSESSORIA CREDI; Tit: 249922-4 ; Apr: FCDL; VEN: 16/09/2012; Esp: Duplicata de Venda Mercantil por Indicação; Val: 199,80+Juros Legais; Emol.: 44,71. Prot: 130305; Dev: DAIANI PEREIRA PRUDENCIO - 039.596.689-29; Ced: SUPER CREDI JAPONES SERVI OS ASSESSORIA CREDI; Sac: SUPER CREDI JAPONES SERVI OS ASSESSORIA CREDI; Tit: 237028-1 ; Apr: FCDL; VEN: 09/11/2012; Esp: Duplicata de Venda Mercantil por Indicação; Val: 86,81+Juros Legais; Emol.: 44,71. Prot: 130304; Dev: IRENE BENDO MARTINS - 974.493.189-20; Ced: CONFECCOES MATTRIC LTDA; Sac: CONFECCOES MATTRIC LTDA; Tit: 20534 ; Apr: FCDL; VEN: 05/08/2014; Esp: Duplicata de Venda Mercantil por Indicação; Val: 417,00+Juros Legais; Emol.: 44,71. Prot: 130319; Dev: ISABEL FRANCISCO PIAZZOLI - 033.078.539-70; Ced: SUPER CREDI JAPONES SERVI OS ASSESSORIA CREDI; Sac: SUPER CREDI JAPONES SERVI OS ASSESSORIA CREDI; Tit: 262742-4-5 ; Apr: FCDL; VEN: 01/04/2013; Esp: Duplicata de Venda Mercantil por Indicação; Val: 81,00+Juros Legais; Emol.: 44,71. Prot: 130314; Dev: JESSICA PEREIRA DA SILVA - 051.680.819-24; Ced: SUPER CREDI JAPONES SERVI OS ASSESSORIA CREDI; Sac: SUPER CREDI JAPONES SERVI OS ASSESSORIA CREDI; Tit: 265228-8-8 ; Apr: FCDL; VEN: 21/07/2013; Esp: Duplicata de Venda Mercantil por Indicação; Val: 100,00+Juros Legais; Emol.: 44,71. Prot: 130324; Dev: LAISA PEREIRA PRUDENCIO - 067.275.989-67; Ced: SUPER CREDI JAPONES SERVI OS ASSESSORIA CREDI; Sac: SUPER CREDI JAPONES SERVI OS ASSESSORIA CREDI; Tit: 251691-0 ; Apr: FCDL; VEN: 11/11/2012; Esp: Duplicata de Venda Mercantil por Indicação; Val: 81,30+Juros Legais; Emol.: 44,71. Prot: 130323; Dev: LEANDRO BRISTOT NAZARIO - 058.654.049-03; Ced: SUPER CREDI JAPONES SERVI OS ASSESSORIA CREDI; Sac: SUPER CREDI JAPONES SERVI OS ASSESSORIA CREDI; Tit: 260381-6 ; Apr: FCDL; VEN: 03/02/2013; Esp: Duplicata de Venda Mercantil por Indicação; Val: 58,00+Juros Legais; Emol.: 52,90. Prot: 130320; Dev: LIANDRA FERREIRA DOS SANTOS - 639.942.590-53; Ced: SUPER CREDI JAPONES SERVI OS ASSESSORIA CREDI; Sac: SUPER CREDI JAPONES SERVI OS ASSESSORIA CREDI; Tit: 263000-6 ; Apr: FCDL; VEN: 05/07/2013; Esp: Duplicata de Venda Mercantil por Indicação; Val: 108,00+Juros Legais; Emol.: 44,71. Prot: 130258; Dev: LORENA FAGUNDES DA CUNHA - 904.982.169-34; Ced: MUNICIPIO DE SOMBRIO; Sac: MUNICIPIO DE SOMBRIO; Tit: 657 ; Apr: MUNICIPIO DE SOMBRIO; VEN: À VISTA; Esp: Certidão de Dívida Ativa; Val: 997,55+Juros Legais; Emol.: 61,18. Prot: 130289; Dev: LUCAS GOULART AGRINFO - 084.512.829-97; Ced: BANCO COOPERATIVO DO BRASIL S.A.; Sac: JERONIMO DOCE VIDA LTDA; Tit: 21087 ; Apr: BANCO DO BRASIL SA; VEN: 20/11/2014; Esp: Duplicata de Venda Mercantil por Indicação; Val: 179,08+Juros Legais; Emol.: 44,71. Prot: 130310; Dev: LUCIA PEREIRA LIMA - 646.564.620-04; Ced: CONFECCOES MATTRIC LTDA; Sac: CONFECCOES MATTRIC LTDA; Tit: 20267 ; Apr: FCDL; VEN: 16/09/2014; Esp: Duplicata de Venda Mercantil por Indicação; Val: 378,00+Juros Legais; Emol.: 44,71. Prot: 130262; Dev: LUIZ GONZAGA MATOS DE BORBA - 748.160.479-72; Ced: MUNICIPIO DE SOMBRIO; Sac: MUNICIPIO DE SOMBRIO; Tit: 666 ; Apr: MUNICIPIO DE SOMBRIO; VEN: À VISTA; Esp: Certidão de Dívida Ativa; Val: 124,61+Juros Legais; Emol.: 44,71. Prot: 130263; Dev: LUIZ GONZAGA MATOS DE BORBA - 748.160.479-72; Ced: MUNICIPIO DE SOMBRIO; Sac: MUNICIPIO DE SOMBRIO; Tit: 667 ; Apr: MUNICIPIO DE SOMBRIO; VEN: À VISTA; Esp: Certidão de Dívida Ativa; Val: 153,54+Juros Legais; Emol.: 44,71. Prot: 130261; Dev: LUIZ GONZAGA MATOS DE BORBA - 748.160.479-72; Ced: MUNICIPIO DE SOMBRIO; Sac: MUNICIPIO DE SOMBRIO; Tit: 665 ; Apr: MUNICIPIO DE SOMBRIO; VEN: À VISTA; Esp: Certidão de Dívida Ativa; Val: 153,54+Juros Legais; Emol.: 44,71. Prot: 130260; Dev: LUIZ GONZAGA MATOS DE BORBA - 748.160.479-72; Ced: MUNICIPIO DE SOMBRIO; Sac: MUNICIPIO DE SOMBRIO; Tit: 664 ; Apr: MUNICIPIO DE SOMBRIO; VEN: À VISTA; Esp: Certidão de Dívida Ativa; Val: 153,54+Juros Legais; Emol.: 44,71. Prot: 130259; Dev: LUIZ GONZAGA MATOS DE BORBA - 748.160.479-72; Ced: MUNICIPIO DE SOMBRIO; Sac: MUNICIPIO DE SOMBRIO; Tit: 663 ; Apr: MUNICIPIO DE SOMBRIO; VEN: À VISTA; Esp: Certidão de Dívida Ativa; Val: 153,54+Juros Legais; Emol.: 44,71. Prot: 130264; Dev: LUIZ GONZAGA MATOS DE BORBA - 748.160.479-72; Ced: MUNICIPIO DE SOMBRIO; Sac: MUNICIPIO DE SOMBRIO; Tit: 668 ; Apr: MUNICIPIO DE SOMBRIO; VEN: À VISTA; Esp: Certidão de Dívida Ativa; Val: 331,32+Juros Legais; Emol.: 44,71. Prot: 130265; Dev: LUIZ GONZAGA MATOS DE BORBA - 748.160.479-72; Ced: MUNICIPIO DE SOMBRIO; Sac: MUNICIPIO DE SOMBRIO; Tit: 669 ; Apr: MUNICIPIO DE SOMBRIO; VEN: À VISTA; Esp: Certidão de Dívida Ativa; Val: 73,45+Juros Legais; Emol.: 44,71. Prot: 130266; Dev: LUIZ GONZAGA MATOS DE BORBA - 748.160.479-72; Ced: MUNICIPIO DE SOMBRIO; Sac: MUNICIPIO DE SOMBRIO; Tit: 670 ; Apr: MUNICIPIO DE SOMBRIO; VEN: À VISTA; Esp: Certidão de Dívida Ativa; Val: 850,28+Juros Legais; Emol.: 44,71. Prot: 130307; Dev: MANUELA CAETANO ALVES - 088.044.919-57; Ced: SUPER CREDI JAPONES SERVI OS ASSESSORIA CREDI; Sac: SUPER CREDI JAPONES SERVI OS ASSESSORIA CREDI; Tit: 262511-5 ; Apr: FCDL; VEN: 30/05/2013; Esp: Duplicata de Venda Mercantil por Indicação; Val: 242,80+Juros Legais; Emol.: 44,71. Prot: 130315; Dev: VANDERLEI ZEFERINO ALANO JUNIOR - 067.569.869-37; Ced: SUPER CREDI JAPONES SERVI OS ASSESSORIA CREDI; Sac: SUPER CREDI JAPONES SERVI OS ASSESSORIA CREDI; Tit: 264328-6 ; Apr: FCDL; VEN: 15/05/2013; Esp: Duplicata de Venda Mercantil por Indicação; Val: 320,38+Juros Legais; Emol.: 61,18. Sombrio - SC, 09/12/2014ARLINDO EDÍLIO DA ROSAESTADO DE SANTA CATARINAPREFEITURA MUNICIPAL DE PRAIA GRANDEExtrato de Termo AditivoPRIMEIRO TERMO ADITIVO AO CONTRATO Nº 78/2014, assinado em 17/09/2014 entre a Prefeitura Municipal de Praia Grande e a Empresa ARMAZEM SOUPAC LTDA EPP, cujo objeto é o aditamento de mais R$ 1.096,00 (mil e noventa e seis reais), correspondente a 25% (vinte e cinco por cento) dos produtos licitados e homologados, totalizando o valor de R$ 5.483,24 (cinco mil quatrocentos e oitenta e três reais e vinte e quatro centavos). Extrato de Termo AditivoPRIMEIRO TERMO ADITIVO AO CONTRATO Nº 79/2014, assinado em 17/09/2014 entre a Prefeitura Municipal de Praia Grande e a Empresa ALPHA HIGIENE E LIMPEZA LTDA, cujo objeto é o aditamento de mais R$ 772,00 (setecentos e setenta e dois reais), correspondente a 25% (vinte e cinco por cento) dos produtos licitados e homologados, totalizando o valor de R$ 3.862,67 (três mil oitocentos e sessenta e dois reais e sessenta e sete centavos). Extrato de Termo AditivoPRIMEIRO TERMO ADITIVO AO CONTRATO Nº 80/2014, assinado em 17/09/2014 entre a Prefeitura Municipal de Praia Grande e a Empresa ORLEANS INFORMÁTICA LTDA-EPP, cujo objeto é o aditamento de mais R$ 1.700,00 (mil e setecentos reais), correspondente a 25% (vinte e cinco por cento) dos produtos licitados e homologados, totalizando o valor de R$ 8.514,56 (oito mil quinhentos e quatorze reais e cinqüenta e seis centavos). PORTARIA N. 136 DE 1° DE DEZEMBRO DE 2014. CONCEDE LICENÇA MATERNIDADE À SERVIDORA QUE ESPECIFICA. O PREFEITO MUNICIPAL DE BALNEÁRIO GAIVOTA, usando da competência privativa que lhe confere o inciso V do Artigo 58 da Lei Orgânica Municipal e em conformidade com o artigo 93 do Decreto 3.048/1999. RESOLVE: Art. 1º Conceder licença maternidade à servidora Daniela Panato, portadora da matricula n° 1918, a contar de 01/12/2014 a 30/03/2015, sem prejuízo da remuneração. Art. 2º Esta potaria entra em vigor na data de sua publicação, produzindo seus efeitos a contar de 1° de Dezembro de 2014Balneário Gaivota, 1° de Dezembro de 2014. RONALDO PEREIRA DA SILVAPREFEITO MUNICIPALPublicada e registrada na Secretaria de Administração e Finanças na data supracitada. JEFERSON RAUPPSECRETÁRIO DE ADMINISTRAÇÃO E FINANÇASESTADO DE SANTA CATARINAPREFEITURA MUNICIPAL DE BALNEÁRIO GAIVOTA
  17. 17. Publicações Legais17CORREIO DO SULTerça-feira, 9 de dezembro de 2014 LEI Nº. 2189, DE 04 DE DEZEMBRO DE 2014. ESTIMA A RECEITA E FIXA A DESPESA DO MUNICÍPIO DE SOMBRIO PARA O EXERCÍCIO FINANCEIRO DE 2015. O Prefeito Municipal de Sombrio-SC, Senhor Zênio Cardoso no exercício de suas atribuições legais, faz saber a todos os habitantes que a Câmara Municipal aprovou e ele sanciona a seguinte lei. Art. 1º Esta Lei estima a Receita e fi xa a Despesa do Município de Sombrio para o exercício fi nanceiro de 2015, compreendendo o Orçamento Fiscal e da Seguridade Social, abrangendo os Poderes Executivo e Legislativo e seus Fundos e Autarquias, no montante de R$ 90.385.264,00 (Noventa milhões, trezentos e oitenta e cinco mil, duzentos e sessenta e quatro reais). Art. 2º As Receitas são decorrentes da arrecadação de tributos, contribuições, transferências constitucionais e outras receitas correntes e de capital, previstas na legislação vigente e discriminadas nos demonstrativos da Lei 4.320/64, de forma consolidada, com o seguinte desdobramento: 1 – RECEITAS CORRENTES ....................53.041.824,00 - Receita tributária ..................................6.050.242,00 - Receitas de Contribuições ......................835.486,00 - Receita Patrimonial ...................................29.447,00 - Receita de Serviços .............................2.101.025,00 - Transferências Correntes ..................42.033.372,00 - Outras Receitas Correntes ..................1.992.252,00 2 – RECEITAS DE CAPITAL .....................37.343.440,00 - Operações de Crédito ........................11.155.530,00 - Transferências de capital ...................26.187.910,00 TOTAL ..................................................90.385.264,00 Parágrafo único. Integrará esta Lei a estimativa da Receita Orçamentária de cada Unidade Gestora da administração direta e indireta, individualizada, na forma dos demonstrativos da Lei 4.320/64. Art. 3º A Despesa fi xada, detalhada em anexos à esta Lei conforme determina a Lei nº. 4.320, de 17 de março de 1964, está assim distribuída por Unidade Gestora e por Grupos de Natureza: I – DESPESAS POR UNIDADE GESTORA1 – PREFEITURA MUNICIPAL 72.449.997,002 – FUNDO MUNICIPAL DE SAÚDE 13.554.257,003 – SAMAE – SERV. AUT. MUNIC. DE ÁGUA E ESGOTO 2.181.010,00 4 – CÂMARA MUNICIPAL DE VEREADORES 2.200.000,00 TOTAL 90.385.264,00 II – DESPESAS POR GRUPOS DE NATUREZA DESPESAS CORRENTES ............50.548.698,00 Pessoal e Encargos Sociais ..........30.491.129,00 Juros e Encargos da Dívida ................150.000,00 Outras Despesas Correntes ..........19.907.569,00 DESPESAS DE CAPITAL .................39.795.016,00 Investimentos .................................38.253.016,00 Amortização da Dívida .....................1.542.000,00 RESERVA DE CONTINGÊNCIA .............41.550,00 TOTAL ............................................90.385.264,00Art. 4º Os recursos da Reserva de Contingência são destinados ao atendimento dos passivos contingentes, intempéries e outros riscos e eventos fi scais imprevistos. § 1° A utilização dos recursos da Reserva de Contingência será feita por ato do Chefe do Poder Executivo Municipal, observado o limite para cada evento de riscos fi scais especifi cados no Anexo III da LDO - Lei de Diretrizes Orçamentárias. § 2° Para efeito desta Lei entende-se como “Outros Riscos e Eventos Fiscais Imprevistos”, as despesas diretamente relacionadas ao funcionamento e manutenção dos serviços de competência de cada uma das unidades gestoras não orçados ou orçados a menor. § 3º Não se efetivando até o dia 10/12/2015 os riscos fi scais relacionados a passivos contingentes e intempéries previstos neste artigo, os recursos a eles reservados poderão ser utilizados por ato do Chefe do Poder Executivo Municipal para atender “Outros Riscos e Eventos Fiscais Imprevistos”, conforme defi nido no § 2º deste artigo, desde que o Orçamento para 2016 tenha reservado recursos para os mesmos riscos fi scais. Art. 5º Fica o Chefe de cada Poder autorizado a remanejar dotações de um elemento de despesa para outro, de um Grupo de Natureza de Despesa para outro, de uma Modalidade de Aplicação para outra e de uma fonte de recursos para outra, observado e equilíbrio fi nanceiro, dentro de cada projeto, atividade ou operações especiais. Art. 6º O Poder Executivo está autorizado, nos termos do Art. 7° da Lei Federal n° 4.320/64, a abrir créditos adicionais suplementares, até o limite de 30% da Receita estimada, utilizando como fontes de recursos: I - o excesso ou provável excesso de arrecadação, verifi cado por fonte de recursos, na forma dos §§ 3º e 4º do art. 43 da Lei 4.320/64; II – o superávit fi nanceiro do exercício anterior na forma do § 2º do art. 43 da Lei 4.320/64; eParágrafo único. Excluem-se desse limite, os créditos adicionais suplementares, decorrentes de leis municipais específicas aprovadas no exercício. Art. 7º As despesas por conta de dotações vinculadas a convênios, operações de créditos e outras receitas de realização extraordinária só serão executadas ou utilizadas de alguma forma, se estiver assegurado o seu ingresso no fl uxo de caixa. Art. 8º Os recursos oriundos de convênios, alienação de bens, operações de crédito e outras receitas de realização extraordinária, não previstos no orçamento da Receita, ou o seu excesso, poderão ser utilizados como fontes de recursos para abertura de créditos adicionais suplementares de projetos, atividades ou operações especiais por ato do Chefe do Poder Executivo Municipal. Art. 9º As Receitas de convênios, alienação de bens, operações de crédito e outras de realização extraordinária, não serão consideradas para efeito de apuração do excesso de arrecadação para fi ns de abertura de créditos adicionais suplementares e especiais. Art. 10. A presente Lei vigorará durante o exercício de 2015, a partir de 1° de janeiro. Município de Sombrio, 04 de dezembro de 2014. Zênio CardosoPrefeito MunicipalRegistrado e Publicado nesta Secretaria em data supracitada. José Sidnei JanuárioSecretário Municipal de Finanças, Administração e PlanejamentoESTADO DE SANTA CATARINAPREFEITURA MUNICIPAL DE SOMBRIOVende-se casa entre o bairro Sanga da Toca e Mor- ro do Soares. C/ 03 quartos, cozinha e sala ampla e garagem. Terreno medindo 13.80x35.00. C/ fundação para casa de 02 pisos, toda murada. Valor R$60.000,00 à vista ou R$ 45.000,00 de entrada e 20 par- celas de R$1.000,00. Fone: (48) 88005341 / 91768999(Tim)
  18. 18. Publicidade18CORREIO DO SULTerça-feira, 9 de dezembro de 2014
  19. 19. Polícia19CORREIO DO SULTerça-feira, 9 de dezembro de 2014TrânsitoDjonatha GeremiasPolícia acredita que o excesso de calor contribui para a desatenção dos motoristas, e batidas entre veículos aconteceram por toda a cidade ARARANGUÁ As Polícias Militar e Civil de Araranguá registraram um aumento signifi cativo de acidentes de trânsitos com danos apenas materiais nessa segunda- -feira de calor intenso. Foram pelo menos sete acidentes só de manhã e à tarde, segundo os registros da Central de Operações da Polícia Mili- tar (Copom) e da Delegacia Central de Polícia Civil de Araranguá (CP). Às 9h30min, duas mo- toristas se esbarraram na saída do estacionamento de uma loja de variedades na avenida Quinze de Novem- bro, no Centro. A motorista da caminhonete Hyundai Tucson com placas de Turvo estava saindo do estaciona- Semana começa com várias colisõesmento para clientes, quando a motorista de um Ford Fies- ta com placas de Araranguá, tentava entrar no mesmo estacionamento. As duas aca- baram batendo os veículos. No Boletim de Ocorrência, a motorista da Tucson alegou que a outra condutora não reduziu a velocidade para entrar no estacionamento, não conseguindo portanto evitar o choque. Nove minutos depois, um Fiat Uno colidiu contra um Fiat Dublo, ambos com placas de Araranguá, no bair- ro Mato Alto, na rua José Ma- noel Emílio. Às 10h54min, no bairro Lagoão, um GM Celta, com placa de São Paulo, ‘bei- jou’ com força um Ford Cargo, com placa de Florianópolis, na rua Padre Ezio Jully. No mesmo bairro, às 12h47min, na avenida Quinze de No- vembro, um GM Agili, de Balneário Arroio do Silva, e Um dos acidentes, perto do terminal de ônibus ARARANGUÁ O vereador Rony da Silva conseguiu a apro- vação do Projeto de Lei Ordinária No 48/2014, que institui o Programa de Apoio às Mulheres Vítimas de Violência. A intenção do legislador é fazer com que o muni- cípio preste um serviço de qualidade sob vá- rios aspectos, oferecendo condições de proteção à integridade física e apoio psicológico às mulheres submetidas à violência. A prefeitura pode- rá também estabelecer convênios e parcerias com entidades públicas e privadas, pessoas físicas e jurídicas que atuem ou tenham envolvimen- Projeto prevê apoio as mulheres agredidas to e conhecimento do assunto. “O objetivo é criar o programa para que o município dê essa proteção às mulheres”, ressaltou Rony. De acordo com o projeto, o Programa de Apoio às Mulheres Viti- mas de Violência consis- tirá em identifi car nos postos médicos e pelos agentes do Programa Saúde da Família as mulheres submetidas à violência e encami- nhá-las aos serviços de proteção existentes em Araranguá. O progra- ma serviria ainda para orientar, acolher e fazer o acompanhamento mé- dico e psicológico, além de prestar orientação jurídica as vítimas de violência. um Santana de Araranguá, também bateram. Seis mi- nutos depois, uma colisão aconteceu no Arroio do Silva. Às 13h20min, dois ônibus se chocaram no bairro Urus- sanguinha, na rua Manoel de Souza. Um ônibus era de Turvo e outro de Araranguá. Em todos esses acidentes, ninguém saiu ferido. Esses foram só alguns exemplos de colisões sem lesões corporais no trânsito de ontem. A polícia suspeita que o aumento considerá- vel de acidentes se deva ao efeito atordoante que o excesso de calor causa nos motoristas, prejudicando a atenção e a concentração. A temperatura em Araranguá ontem chegou a 41 graus na área urbana.
  20. 20. TERÇa-fEiRa, 9 dE dEzEmbRo dE 2014
  21. 21. É a quarta edição do jogo da solidariedade que Maicon e Marcel realizam em que além de ter aquele futebol descontraído, entre ami- gos, ainda será arrecadado um quilo de alimento não perecível na entrada para ajudar famílias carentes. Já são vários os jogadores pro- fi ssionais, ex profi ssionais e amadores que confi rmaram presença, mas até a hora do encontro na noite de hoje, po- derão pintar mais surpresas. Além de Maicon e Mar- cel que serão as estrelas principais do evento, tam- bém estarão presentes o go- leiro Cássio do Corinthians, Douglas ex Criciúma e Co- É hojeTerça-feira, 9 de dezembro de 2014 04-33-44-49-57CONCURSO 3.659QUINA08/12 02-04-07-08-09 10-12-13-15-16 19-20-22-23-24CONCURSO 1.142LOTO FÁCIL08/12 TURVO Ajudar ao próximo, arrecadar alimentos para quem precisa, fazer crianças e várias famílias sorrirem no natal que se aproxima, confraternizar, bater um bom papo. É com esse intuito que os irmãos Maicon Ermo e Marcel Eme- rim, realizam mais uma edição do jogo da solidarie- dade, partida benefi cente na noite de hoje, no campo da sede da Cersul, na cidade de Turvo. Será mais uma noite inesquecível, de muita festa e futebol, que está marcada para começar às 19h30min. Este jogo já é tradicional e no ano passado foi sucesso. Nomes confi rmados Partida traz jogadores e ex jogadores para uma belíssima confraternização que também ajuda quem precisa Jogo da solidariedade agita Turvo Cleder Maciel rinthians e hoje no Vasco. Uendel que está no Corin- thians, Aloísio o Boi Bandido, Zé Carlos ex atacante do Criciúma, Leandro Melo do Oeste, Ezequiel ex Criciúma e hoje no Oeste, Georginho do Guarani, Adriano Chuva ex Grêmio, Vitor Michels do Naútico, Alexandre Pandocio o goleiro campeão da Copa do Brasil com o Criciúma, Gladson do Honka, Alexan- dre Lopes e Everaldo ex Criciúma, a dupla Negui- nho e Emanuel, ainda os araranguaenses Emerson Almeida e Ramon, entre outros. Poderá confi rmar mais um zagueiro conheci- do da dupla Grenal. Os irmãos Maicon e Marcel e seu pai Luiz Car- los, querem contar com a presença de todos da região para incentivar e colaborar com um quilo de alimento para ajudar a quem precisa neste fi nal de ano. Em 2013 os irmãos en- tregaram várias cestas bási- cas a famílias carentes. O goleiro Cássio do Corinthians já confirmou presença na noite de hoje no jogo em Turvo Os irmãos Maicon e Marcel distribuíram várias as cestas no ano passado
  22. 22. Esporte na Escola é realizado entre duas a três vezes por semana no contraturno das aulas. Os estudantes têm oportunidade de aprender a cuidar melhor do seu corpo, recebem instruções educati- vas, disciplinares e praticam atividades como futsal, vôlei, xadrez, tênis de mesa e han- debol. As aulas são gratui- tas, ministradas na própria quadra destes educandários e orientadas por professores de Educação Física”, explica Alex. Segundo ele, a inscrição dos alunos nas atividades ocorre espontaneamente. A programação do pro- jeto para 2014 encerrou na semana passada, quando os estudantes das escolas e é apontado como o mais forte campeonato de verão de toda a região. Serao 24 equipes participando da competição deste ano, sen- do 12 pela categoria livre e 12 pela categoria veteranos. A competição mais uma vez tem a realização e organização da subsecre- Janeiro, as 20h com ceri- monial de abertura, e em seguida o confronto entre Coloniense/Madessasso/ Duvalle x Inter/Lojas Fati- ma, e em seguida se enfren- tam Interlagos x Golfi nhos. Pela categoria vetera- nos, também três grupos de quatro equipes cada. No grupo A: Bom Jesus, San- tiago, Unidos da Coloninha e Bola Facera. No grupo B fi caram: Sapiranga, Afest, Interlagos e Areti. E no grupo C: Amigos, Ponta de Estoque/JVJ Seguranças, União e Céu Azul. A competição pela ca- tegoria, tem seu inicio no dia 13, as 20h jogam Bom Jesus x Bola Facera e em seguida se enfrentam San- tiago x Unidos da Colo- ninha. taria municipal de esportes através do subsecretario municipal, Luciano Pires e toda sua equipe, e terá a co- ordenação da JB Esportes do professor José Búrigo e toda sua equipe. Pela categoria livre, serão três grupos de qua- tro equipes cada um. No grupo A: Innal/Esporti- vo, Cruzeiro, Areti e Rafa Cabeleireiros/Centro de Eventos Praiano. No grupo B fi caram: Santa Cruz/Cia do Sapato, Catarinense/ Imbrasilos, Independente e Z Feras Pinturas. Já no grupo C, fi caram: Colonien- se/Madesasso/Duvalle, In- terlagos, Golfi nhos e Inter/ Lojas Fatima. A abertura do campe- onato e da categoria, esta marcada para o dia 09 de 2CORREIO DO SULTerça-feira, 9 de dezembro de 2014Cleder Maciel ARARANGUÁ Tudo pronto pelo campeonato mu- nicipal de futebol suíço de Araranguá, realizado no lindo Morro dos Conventos. Competição já é tradicional, Defi nidos os grupos do suíço do MorroTradicionais campeonatos de futebol suíço, livre e veteranos definiram os times Vida e Saúde Futebol suíço VeteranosLivreCríticas bem vindas Como sempre digo, quando se critica com intenção de ajudar a pessoa a melhorar, a intenção é válida. Critiquei algumas pessoas na semana passada aqui em meu espaço, e as mesmas andaram me criticando. Claro que eu defendi o amigo Almir Gaúcho, treinador do AEC, por ele ter me repassado o motivo de ter chegado tarde no jogo do AEC na final. Então eu decidi defendê-lo, pois do jeito que trataram o assunto eu achei um exagero. E hoje pude ver que realmente a diretoria estava certa em tomar algumas atitudes. Deixei o espaço A diretoria do AEC se quisesse responder as minhas pergun- tas e sobre o assunto que eu estava colocando. Amigos meus da diretoria vieram e mostraram o que realmente aconteceu. Então estou deixando bem claro que eu concordo com a diretoria pelo posicionamento no caso do amigo Almir ter chegado tarde. Sou amigo do Almir, gosto muito dele, mas não concordei com o seu erro ao chegar tarde na final diante de Turvo. Estou aqui me retratando e peço desculpas aos amigos da diretoria e assim como eu critiquei a atitude de alguns, eu me retrato aqui. Cobranças Cobranças sempre irão existir tanto por parte da diretoria como dos atletas, pois os torcedores querem sempre estar junto com o AEC, participar de tudo o que acontece com a volta do Ara- ranguá. Todos querem saber de tudo, como o motivo da chegada tardia do treinador Almir na final da Larm. Então se tiver erros estarei aqui sempre falando para melhorar, e de maneira alguma escrevendo e agindo de má fé. Eu soube que algumas pessoas até me criticaram pelo que eu escrevi. Aceitei, pois se eu não aceitar críticas para melhorar, eu não serviria nem para escrever. Respondendo Agora quero responder a uns espertinhos, uns que falam pelos cotovelos e se acham. Têm uns certos cidadãos que nunca deram um chutinho em uma bola, nunca foram campeões de nada e quando foram e se foram, só ganharam taça da cebola. Nunca viram e sentiram o que realmente era a emoção de ver o AEC jogar nas antigas, com o Grêmio Fronteira lotado. Nunca se emocionaram, mesmo estando pendurado em uma árvore na frente da Big Bom para ver o mais querido do sul fazer a festa, nunca treinaram dentro do clube com os jogadores, como Valcir, Paulão, Aroldo, Itamar, Caio, Sandro, Almir, Silva, Chi- quinho, Geraldo, Colonetti, Venicio, Chimbica, Zé Carlos, Omar, Dunga, Capanema, Feijão, João, Ferrão, Jorge Luiz, Hilton, entre tantos outros. Então meus amigos, parem de falar, chega, pegam o bonde andando e querem a janela. E mais né, pegou o bonde andando, entrou pela porta dos fundos, e ainda quer se achar. Máster Brasil Ermo vence amistoso O máster do Brasil do Ermo ganhou mais um amistoso. No úl- timo sábado, a equipe ganhou do Máster Caramujo. A equipe jogou com Nori, Bode, Sander Simão, Bafinho, Joacir, Jegue, Marcinho, Lico, Ratinho, Canário e Espinho, ainda entrou Luis Carlos. Os gols da vitória foram de Espinho, Canário e Ratinho. O treinador da equipe é o Weslei da Silva, auxiliado pelo Higor Simão. Próximo amistoso da equipe será no sábado diante do máster Lagomar de Capão da Canoa, em casa, no Ermo. EsporteCleder MacielEsporte(48) 9900 3535 esportes@grupocorreiodosul.com.br https://www.facebook.com/cleder.maciel ARARANGUÁEsporte representa mais vida, saúde e edu- cação. Consciente disso, a prefeitura de Araranguá, por intermédio da Secreta- ria de Esporte desenvolve junto a cinco educandários da Rede Pública Municipal de Ensino o programa “Es- porte na Escola”. O programa mobiliza aproximadamente 500 estu- dantes e é coordenado pelos professores de Educação Fí- sica, Alex Ferro Cristiano e Joélcio Matias, que também são diretor administrativo e técnico, da secretaria, res- pectivamente. “O programa Programa “Esporte na Escola” mobiliza 500 estudantes Coloniense é o atual campeão da categoria livre e vem forte mais uma vez em busca de mais um titulo Jardim das Avenidas; Otá- vio Manoel Anastácio, do Bairro Jardim Cibeli; San- ta Bárbara, Almerindo Manoel da Luz, do Campo Verde e Divinéia partici- param de jogos amistosos e receberam medalhas. A ação foi realizada no Ginásio Municipal de Es- portes João Mário Canela, também chamado de Bolha devido ao seu formato ar- quitetônico.

×