Contando Histórias - Storytelling na construção de marca

4.033 visualizações

Publicada em

Storytelling como ferramenta de construção de marca

Corazonada Brand Storytelling

Outras referência bibliográficas:
Storytelling e Transmídia: afinal, o que é e para que serve?
BY BRUNO SCARTOZZONI (http://goo.gl/EALK0s)
Storytellers - http://www.storytellers.com.br
Fernando Palacios - http://goo.gl/u6B4Uc

Publicada em: Negócios

Contando Histórias - Storytelling na construção de marca

  1. 1. CONSUMO
  2. 2. O PAPEL DA MARCA
  3. 3. O PAPEL DA MARCA Uma marca é um nome diferenciado e/ou símbolo (tal como um logotipo, marca registrada, ou desenho de embalagem) destinado a identificar os bens e serviços de um vendedor. AAKER Uma marca é a soma intangível dos atributos do produto: Seu nome, embalagem e preço, sua história, reputação e a maneira como ela é comunicada. David Ogilvy
  4. 4. RELAÇÃO COM O CONSUMIDOR um conjunto de ativos e passivos ligados a uma marca, seu nome e seu símbolo, que se somam ou se subtraem do valor proporcionado por um produto ou serviço para uma empresa e/ou para os consumidores. AAKER 1998
  5. 5. COMUNICAÇÃO DE MARKETING É o meio pelo qual as empresas buscam informar, persuadir e lembrar os consumidores - direta ou indiretamente - sobre produtos e marcas que comercializam. Num certo sentido, a comunicação de marketing representa “a voz” da marca e é o meio pela qual ela estabelece um diálogo e constrói um relacionamento com os consumidores. KOTLER e KELLER 2006
  6. 6. COMUNICAÇÃO DE MARKETING PROMOÇÃO DE VENDAS PROPAGANDA EVENTOS E EXPERIÊNCIAS MIX DE COMUNICAÇÃO RELAÇÕES PÚBLICAS E ASSESSORIA DE IMPRENSA VENDAS PESSOAIS CONSCIENTIZAÇÃO DA MARCA IMAGEM DA MARCA BRAND EQUITY RESPOSTA À MARCA MARKETING DIRETO RELAÇÕES COM A MARCA
  7. 7. COMUNICAÇÃO DE MARKETING Modelo Aida Modelo de hierarquia de efeitos Conscientização Estágio Cognitivo Atenção Conhecimento Interesse Estágio afetivo Preferência Desejo Estágio comportamental Simpatia Ação Convicção Compra
  8. 8. CONSUMO
  9. 9. CONSUMO
  10. 10. 2nd SCREEN 30 milhões Novo contexto multi-telas 63 milhões 2 telas 3 telas Ipsos Hábitos de consumo 52% TV online + internet 68% TV + smartphone
  11. 11. CUL TURA DA CONVERGÊNCIA A convergência não ocorre por meio de aparelhos, por mais sofisticados que venham a ser. A convergência ocorre dentro dos cérebros de consumidores individuais e em suas interações sociais com outros. Cada um de nós constrói a própria mitologia pessoal, a partir de pedaços e fragmentos de informações extraídos do fluxo midiático e transformados em recursos através dos quais compreendemos nossa vida cotidiana. HENRY JENKINS
  12. 12. NOVO CONSUMO STORYTELLING Histórias são a conversão criativa da própria vida numa poderosa, mais clara e significante experiência. Elas são a moeda de troca do contato humano. COMUNICAÇÃO ADEQUADA Robert McKee
  13. 13. STORYTELLING STORY Histórias TELLING Contar É o ato de contar histórias e uma poderosa ferramenta para compartilhar conhecimento.
  14. 14. HISTORY História STORY Estória
  15. 15. POR QUE CONTAMOS HISTÓRIAS
  16. 16. POR QUE CONTAMOS HISTÓRIAS ENTRETER PERSUADIR EXPLICAR
  17. 17. FATOS ISOLADOS FAZER SENTIDO CONTEXTO
  18. 18. LIGAÇÕES ESTIMULANTES GRANDES HISTÓRIAS
  19. 19. Ser uma pessoa é ter uma história para contar. ISAK DINESEN
  20. 20. CRIA CONEXÃO EMOCIONAL ENTRE MARCA E AUDIÊNCIA ESSÊNCIA DA MARCA ÚNICA E REAL
  21. 21. SETE ENREDOS BÁSICOS JORNADA DO HERÓI ARQUÉTIPOS RENNS
  22. 22. TRAGÉDIA DA MISÉRIA À RIQUEZA A BUSCA RENASCI MENTO SUPERAR O MONSTRO VIAGEM E RETORNO COMÉDIA
  23. 23. ARQUÉTIPOS A mitologia como um todo poderia ser tomada como uma espécie de projeção do inconsciente coletivo. No indivíduo, os arquétipos aparecem como manifestações involuntárias de processos inconscientes.
  24. 24. INOCENTE EXPLO RADOR SÁBIO HERÓI REBELDE CARA COMUM MAGO CRIADOR BOBO DA CORTE AMANTE PRESTA TIVO GOVER NANTE
  25. 25. JORNADA DO HERÓI Regresso com o Elixir Ressurreição do Herói Mundo Comum O Chamado da Aventura Recusa do Chamado MUNDO COMUM Partida O Caminho de Volta Recompensa Encontro com o mentor MUNDO ESPECIAL Provações, aliados e inimigos Provação máxima Aproximação
  26. 26. RENNS RAZÕES EXEMPLOS NOMES NÚMEROS SENTIDOS Por que algo aconteceu? Por que alguém fez algo? Como aconteceu? Como alguém fez algo? Quem está envolvido? Onde aconteceu? Quando aconteceu? Quantos estavam envolvidos? Audição Visão Tato Olfato Paladar
  27. 27. É tudo quem uma marca faz que não é diretamente publicidade. Forma com que se comunica com o consumidor de maneira relevante para entreter e engajar por meio de mídia(s) selecionada(s), com o intuito de atingir os objetivos de marketing traçados. Branded Content Marketing Association
  28. 28. Transmídia storytelling representa um processo onde elementos integrantes de uma ficção se dispersam sistematicamente através de múltiplos canais, com a proposta de criar uma experiência única e coordenada e no qual, de forma ideal, cada meio faz uma contribuição única para a história. JENKINS, Henry. Transmedia Storytelling 101
  29. 29. Um conteúdo principal envolvente distribuído em multiplataformas de mídia, utilizando o melhor de cada uma delas. Gerando interesse, possibilitando visibilidade e mantendo a atenção e engajamento das pessoas, seja compartilhando ou interagindo. Permitindo que novos conteúdos sejam produzidos para obter resultados positivos levando à transversalização, tornando-se assim um fenômeno. Era Transmídia multimídia crossmídia transmídia
  30. 30. “Estamos passando de uma era da interrupção para uma era do engajamento, de um consumidor passivo para um consumidor ativo que não apenas espera que as coisas sejam entregues, mas para um que procura o que deseja.” John Hegarty, Chairman BBH
  31. 31. ENGAJAMENTO O objetivo da história, independente do meio. A narrativa principal necessita de um significado. O significado vem de uma conexão emocional. Como nos conectamos? O que chama a nossa atenção? O que nos mantém assistindo? Assim que saímos, o que nos traz de volta?
  32. 32. ENGAJAMENTO ENGAJAR Cria curiosidade e suspense ENVOLVER Imerge completamente em um universo EXTENDER Dirige dentro e por meio das mídias SURPREENDER RECOMPENSAR Mantém em movimento Faz o esforço valer a pena
  33. 33. CASES
  34. 34. PARA UM NOVO CONSUMIDOR COMUNICAR CONTEXTO
  35. 35. ASPIRACIONAL PERSONIFICA A MARCA
  36. 36. RETRATA DE MANEIRA ÚNICA PROPOSTA DE VALOR
  37. 37. VÍNCULO EMOCIONAL ENVOLVE
  38. 38. ENGAJAMENTO TORNA-SE PROPRIETÁRIO
  39. 39. BIBLIOGRAFIA Marcas: Brand Equity, Gerenciando o Valor da Marca DAVID A. AAKER O PODER DO MITO JOSEPH CAMPBELL CULTURA DA CONVERGENCIA JENKINS, HENRY O HEROI DE MIL FACES, JOSEPH CAMPBELL OS ARQUETIPOS E O INCONSCIENTE COLETIVO CARL GUSTAV JUNG Story: Substâncias, Estrutura, Estilo e os Princípios da Escrita de Roteiro ROBERT MCKEE O HEROI E O FORA-DA-LEI, COMO CONSTRUIR MARCAS EXTRAORDINARIAS USANDO O PODER DOS ARQUƒTIPOS MARK, MARGARET - EARSON, CAROL S.

×