Relatório de DirecçãoSenhores Associados:No cumprimento do nosso dever de prestar contas da nossa acção à frente daCoopera...
•    Aquisição de equipamento (baterias de condensadores) que nos permitiram uma       diminuição da despesa com a energia...
Considerações finaisPara finalizar um voto de agradecimento   •   Ao presidente da mesa da Assembleia-geral, pela sua preo...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Relatório da Direcção

230 visualizações

Publicada em

Relatório da Direcção
Relatório de Contas 2011

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
230
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
3
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
1
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Relatório da Direcção

  1. 1. Relatório de DirecçãoSenhores Associados:No cumprimento do nosso dever de prestar contas da nossa acção à frente daCooperativa e para satisfação do determinado pela alínea c) do art.º 35 dos Estatutos daCooperativa, vimos submeter à vossa apreciação o presente relatório e as contasrelativos ao exercício de 2011.No seguimento da mesma estratégia adotada no ano anterior (2010) a direção traçoupara o exercício de 2011 uma política de rigor e contenção, com vista a uma diminuiçãodas dívidas e dos custos e à manutenção da atividade. Temos, por isso, em relação aoexercício de 2011, o sentimento de dever cumprido. • Conseguimos, em primeiro lugar, uma melhoria significativa do resultado, que passou de €-135.535.06 em 2010 para € -68.706.47 em 2011, correspondente a um acréscimo de 67%. Não sendo ainda positivo e estando algo distante dessa meta, não deixa de ser bastante animador na medida em que o fluxo de caixa [cash-flow) se apresenta com um valor positivo de cerca de 85 mil euros, contra cerca de 24 mil apresentado no ano passado pela anterior direção. • Conseguimos um aumento de vendas da ordem dos 17 % em relação ao ano anterior. • Conseguimos uma diminuição da divida à banca no valor de € 85 085.56 • Conseguimos pagar atempadamente a fruta entregue pelo associado durante o ano.Para além destes aspectos, conseguimos ainda : • Maior rentabilização dos recursos humanos decorrente de um cada vez mais aperfeiçoado ajustamento às necessidades reais de trabalho, face ao calendário. • Terminámos as obras na secção de abastecimento, o que nos permitiu o seu licenciamento pendente desde 1978. • Conseguimos realizar os investimentos a que nos propusemos, nomeadamente a realização de obras com o objectivo de tornar as instalações mais eficientes (transferência do escritório para o piso inferior).
  2. 2. • Aquisição de equipamento (baterias de condensadores) que nos permitiram uma diminuição da despesa com a energia. Não obstante, existiram aspectos menos positivos que é igualmente importante realçar: • O aumento da valorização da frutas não foi conseguido, sobretudo em consequência da conjuntura dos mercados e consequente “esmagamento de margens”. • A falta de liquidez decorrente de uma pesada herança não permitiu a ambicionada dinamização da secção de abastecimento, proporcionando aos sócios produtos em condições mais vantajosas. • A já aludida fraca valorização da fruta não permitiu o pagamento da dívida a associados, relativa a 2009, que por esse motivo se manterá congelada.Por fim, fazemos um apelo aos associados para que encarem a cooperativa como umasolução no sucesso da sua atividade e a ela entregue toda a sua produção, contribuindonão só para a manutenção de uma organização que lhe pertence mas, igualmente, para ofuturo da fruticultura na Cova da Beira.Perspetivas para o futuroCom vista a promover o escoamento da fruta, em melhores condições de preço,propomos-nos alcançar encomendas mais substanciais da parte das grandes superfícies ealargar a base dos nossos clientes, indo à procura deles. Temos consciência que só seatuarmos de forma mais ativa conseguiremos melhores condições e, assim, tornar aCooperativa rentável e valorizar a fruta recebida dos associados.Atendendo ao adverso ambiente económico, e no que respeita às condições internas deexploração, propomo-nos estar atentos aos gastos e realizar os estritamenteindispensáveis.Aplicação dos resultadosPropomos que o resultado líquido negativo de € 68.706.47 seja transferido para a contade resultados transitados.
  3. 3. Considerações finaisPara finalizar um voto de agradecimento • Ao presidente da mesa da Assembleia-geral, pela sua preocupação e empenho na solução dos problemas da cooperativa. • Ao Conselho Fiscal, pela forma disponível com que reuniu com a direcção, a aconselhou e a apoiou, em particular ao seu presidente, Doutor Pimpão, que, com total abnegação, empenho e dedicação, tem dado o seu precioso contributo à execução contabilística desta cooperativa. • Aos trabalhadores em geral, pela sua compreensão perante as mudanças introduzidas. • A todos os associados que acreditaram na sua cooperativa colocando aí toda a sua produção. Ponte Pedrinha, 16 de Março de 2011 A Direcção Carlos Manuel Dias Madaleno José da Conceição Pinto António Manuel Marques Gomes

×