Oficina Femama - Valinhos

770 visualizações

Publicada em

Publicada em: Saúde e medicina
0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
770
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
1
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
11
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Oficina Femama - Valinhos

  1. 1. 2º. dia(das 10:45 as 12:30h)
  2. 2. Etapas para Elaboração de um Projeto 1 - Síntese do Projeto 2 - Apresentação 3 - Justificativa 4 - Objetivos 5 - Descrição do Projeto 6 - Monitoramento / Indicadores / Avaliação 7 - Plano de Comunicação 8 - Orçamento 9 - Plano de Cotas / Benefícios
  3. 3. Etapas Itens Titulo do Projeto ( identificação da instituição ) Equipe Responsável Síntese ( diretoria – conselhos – equipes )1 do Justificativa / Abrangência / Sujeito do Projeto / Projeto Parceiros Orçamento
  4. 4. Etapa 1 – Síntese do Projeto  Uma síntese de tudo que contém no documento preparando o leitor do projeto e atraindo-o para uma leitura mais atenta e interessada  Apesar de vir na frente do projeto, é normalmente a última parte do texto a ser escrita.  Não deve ter mais do que 2 páginas. O ideal é que caiba em apenas uma página.  O sumário deve responder de forma sucinta às perguntas chave (que serão depois desenvolvidas ao longo do projeto) • O que? qual o propósito de sua organização e desse projeto? O que você está apresentando? • Por que? uma análise do problema que você se propõe a resolver com esse projeto. • Como? Qual sua proposta de enfrentamento do problema apresentado? • Quanto? Quais são as necessidades do projeto? De que recursos você necessita e se já possui parte deles? • Quando? Em que prazo você espera realizar o projeto em questão?
  5. 5. Etapas Itens Entidade Proponente (dados) Apresentação Histórico da Instituição2 da Organização Projetos / Resultados Parceiros
  6. 6. Etapa 2 – Apresentação do ProjetoQuem nós somos? Histórico • A sua formação e trajetória • Os projetos realizados • As comunidades/públicos beneficiados Missão, Visão, Valores Dados que atestem a credibilidade da organização: • Títulos de Utilidade Pública, Equipe, Conselho, Premiações • Os parceiros e redes estabelecidas • Quais foram as nossas conquista até o momento • Os resultados/melhorias alcançadas • Materiais anexos (incluir no final do projeto) Momento atual da organização • Programas e projetos • O que existe de diferente em nossa organização? • Qual a importância do que estamos propondo? • Que mudanças significativas no quadro atual conseguimos através desses projeto?
  7. 7. Etapas Itens Definições O que levou a escolha dessa causa Como vivem os sujeitos do projeto / onde moram O porque3 Justificativa do Projeto Que evidencias / indicadores afirmam o problema O que a sua Instituição tem de ligação com essa causa
  8. 8. Etapa 3 – Justificativa Problema a ser enfrentado/ Justificativa  Trazer informações que ajudem a compor um entendimento sobre o problema que se pretende combater;  Estatísticas do problema;  Dados relevantes;  Depoimentos de especialistas.
  9. 9. Etapas Itens Definições Resultados esperados / Gerais e Impacto social Específicos4 Objetivos (o que se deseja) Ciclo do projeto
  10. 10. Etapa 4 – Objetivos  Objetivos: Gerais aquele que identifica onde quer chegar/ o que se quer realizar. Específicos aquele que contribui para a realização do objetivo geral. O que deseja: Procedimentos, os passos, as etapas que serão adotados para realização dos objetivos propostos. Resultados esperados: Quais melhorias/benefícios deseja obter Mudanças sociais, níveis de educação / capacitação / nutrição, geração de renda / sustentabilidade. Ciclo do projeto: Qual a sequência de implantação/ações do projeto.
  11. 11. Etapas Itens Definições Metodologia Descrição Equipe5 do Plano de trabalho Parceiros Projeto Cronograma de atividades
  12. 12. Etapa 5 – Descrição do Projeto  Plano de Trabalho: Procedimentos, os passos, as etapas que serão adotados para realização dos objetivos propostos.  Metodologia: Descrição das ações, dos métodos a serem utilizados e das atividades propostas (preferencialmente em formato de tabela).  Equipe: Profissionais envolvidos, competências e responsabilidades.  Parceiros: Instituições, empresas, governo (na elaboração ou prospecção)
  13. 13. Etapa 5 – Descrição do Projeto Plano de Trabalho com Cronograma:Objetivos Ações Atividades 2012 2013 2014 2015
  14. 14. Etapas Itens Definições Quando se avalia Monitoramento Como monitorar6 Indicadores as atividades Quem se avalia Avaliação Quais Indicadores
  15. 15. Etapa 6 – Monit. Indic. Avaliação  Avaliação do Projeto: Processo planejado de analises dos dados e definição de indicadores de monitoramento, que deve ser praticado como instrumento continuo de ajuda para a organização perseguir sua missão e detectar problemas / desvios durante as atividades, e não somente para elaboração de resultados. Obs: A avaliação independe do tamanho da organização e de suas atividades ! A avaliação deve ser feita por todos com a seguinte pergunta: “ O que e como podemos fazer para melhorar”
  16. 16. Etapa 6 – Monit. Indic. Avaliação  Monitoramento: Permite a sistematização de dados/ contexto/ processo, dos efeitos de um projeto ou programa.  Como monitorar as atividades: utilizando um planejamento de avaliação, com indicadores pré-definidos.  Quando se avalia / Quem se avalia: nas etapas e definições pré-determinadas no planejamento de atividades / avaliação.
  17. 17. Etapa 6 – Monit. Indic. Avaliação  O que são indicadores: São elementos concretos que indicam a medida do sucesso ou fracasso aos resultados esperados, que permitem o monitoramento das atividades, devendo ser de fácil aplicação, são evidencias de mudança em um fenômeno que se deseja observar, possibilitam a determinação de metas, são quantificadores compostos de números ou percentuais.
  18. 18. Etapa 6 – Monit. Indic. Avaliação  Indicadores tangíveis: aqueles que podem ser observados de forma definida. (ex: numero de alunos matriculados no ensino fundamental em 2004 na cidade de Ubatuba). tan.gí.vel aquilo que pode ser tocado que pode ser tratado como fato; real, concreto  Indicadores Intangíveis: aqueles que permitem qualificar por fenômeno observado” (ex: grau de compreensão dos alunos sobre o novo programa disciplinar adotado na escola – alto /médio /baixo....). in.tan.gí.vel que não se pode ou não se deve tocar / as manifestações culturais constituem o patrimônio intangível do mundo inviolável, inalienável, intocável
  19. 19. Etapa 6 – Monit. Indic. Avaliação Exemplo de Matriz de MonitoramentoOBJETIVO / META INDICADOR FONTE DE COLETA RESPONSÁVEL
  20. 20. Exemplo de Matriz de Resultados OBJETIVO INDICADORES QUANTIFICADOR METAS ESTRATEGICO reais arrecadados / por reais eficácia de arrecadação 100% em 01 semestre necessários eficiência na diversificação total arrecadados por categoria / 30% pessoa física ampliar e de doadores pelo total geral 70% pessoa jurídicadiversificar as geração de recursos fontes de próprios ( cursos - vendas recursos financeiros próprios / por 5% de recursos total de recursos arrecadado próprios em 01 ano renda de produtos ) volume de recursos recursos financeiros públicos / por 5% de recursos públicos total de recursos arrecadado públicos em 01 ano
  21. 21. Etapas Itens Definições Interna Plano de Públicos /7 Comunicação Ações Externa
  22. 22. Etapa 7 – Plano de Comunicação Qual é o papel fundamental da comunicação nas organizações ?
  23. 23. Etapa 7 – Plano de Comunicação Comunicação nas Organizações  Identificar  Informar  Envolver
  24. 24. Etapa 7 – Plano de Comunicação Planejamento da Comunicação Identificação dos objetivos Segmentação do Público Etapas: Identificação da mensagem Escolha das ferramentas/canais Elaboração de Cronograma de ação ( diário / semanal / mensal ) AvaliaçãoRef: Silvia Bojunga Meneguetti
  25. 25. Etapa 7 – Plano de ComunicaçãoA comunicação em uma organização deve estarpresente em todas as ações desenvolvidas, sejamelas internas ou externas. Interna Externa
  26. 26. Etapas Itens Definições Recursos Humanos Detalhamento / Investimentos Memória de Calculo Despesas Operacionais Orçamento e8 Orçamento Desembolso Aplicação dos Recursos Formatação Contrapartida da Organização Síntese do Orçamento
  27. 27. Etapa 8 – Orçamento Custo direto:são os custos relacionados diretamente as atividades do projeto. Custo Indireto: são os custos compartilhados entre varias atividades do projeto, como: salários dos diretores da instituição, aluguel do espaço, equipamentos de escritório, manutenção....O orçamento deve ser dividido categoria de despesa, como:  Recursos humanos  Investimentos  Despesas Operacionais  Outros
  28. 28. Etapa 8 – OrçamentoRecursos humanosPessoal permanente ( envolvidos até o final do projeto )Ações temporárias ( técnicos – capacitadores – estagiários – viagens.... )Consultorias ( ass. contábil – jurídica – comunicação – imprensa... )InvestimentosAquisição e bens permanentes ( criação de logotipo – desenvolvimento do site doprojeto – plano de comunicação visual do projeto - registros – licenças – equipamentos– reformas/construção... )Despesas OperacionaisNecessárias para a realização das atividades ( combustível, manutenção deequipamentos – despesas com material de escritório.... )OutrosInvestimento em projetos sociais, plano de comunicação,despesas com viagens...
  29. 29. Etapa 8 – Orçamento Memória de Calculo PLANILHA 2009item descrição ago. set. out. nov. dez. st enc. total fonte Recursos Humanos 0 1 Pessoal Permanente 0 100% inv. 1.1 diretor executivo 0 1.2 diretora planejamento 0 1.3 assistente diretoria 0 0 1.4 secretária 0 0 1.5 coordenador de projeto 1 0 0 2 Consultoria 0 100% inv. 2.1 assessoria jurídica 0 2.2 assessoria de imprensa 0 2.3 assessoria contábil 0 2.4 captação de recursos 0 3 Outros 0 100% inv. 3.1 estagiária 0 0 3.2 empregada 0 0 Total rec. humanos 0 0 0 0 0 0 0 0
  30. 30. Etapa 8 – Orçamento Orçamento e DesembolsoAplicação dos Recursos 2009 2010 2011 2012 Categoria dos itens Origem total R$ R$ R$ R$ Recursos Humanos 0Pessoal Permanente Investidores 0 0Consultoria Investidores 0 0Outros Investidores 0 0 Total anual Recursos humanos 0 0 0 0 0 Investimentos 0equip. / escritório Investidores 0 0 Total anual Investimentos 0 0 0 0 0 Despesas Operacionais 0escritorio Investidores 0 0suprimento escritorio Investidores 0 0manutenção Investidores 0 0 Total anual Despesas Operacionais 0 0 0 0 0
  31. 31. Etapa 8 – Orçamento Sintese do Orçamento R$ % Recursos Humanos Infra-Estrutura Despesas Operacionais Despesas Diversas Açoes Educativas Total do Projeto ( para 04 anos ) 0 0 Investimento Anual R$ % 2012 2013 2014 2015 Total 0,00 100% Fontes dos Recursos R$ % Fontes asseguradas Financiadores Total 0,00 0
  32. 32. etapas itens Recursos necessários Aplicação dos recursos Plano de9 Cotas e Fontes dos recursos Benefícios Plano de cotas Benefícios
  33. 33. Etapa 9 – Plano de Cotas e Benefícios  Recursos Necessários: Valor total do projeto  Aplicação dos Recursos: Atividades.  Fontes dos recursos: Instituição / financiadores / doações / eventos....  Plano de Cotas/participação: Formas diferenciadas de participação.  Benefícios: O que e onde o investidor, doador, parceiro terá sua marca associada ou participação nas atividades.
  34. 34. Etapa 9 – Plano de Cotas e Benefícios Recursos Necessários Recursos R$ % Necessários 2009 2010 2011 2012 Total 100%
  35. 35. Etapa 9 – Plano de Cotas e Benefícios Aplicação dos Recursos Recursos Humanos Despesas Operacionais Despesas com Tratamentos Atividades Educativas Invest. em Projetos e Eventos Aplicação dos Recursos R$ % Recursos Humanos Despesas Operacionais Despesas com Tratamentos Atividades Educativas Invest. em Projetos e Eventos Total do Projeto ( para 04 anos ) ......... 100%
  36. 36. Etapa 9 – Plano de Cotas e Benefícios Fontes dos Recursos Fontes Asseguradas Associados Parceiros Fontes dos Recursos R$ % Fontes Asseguradas Associados Parceiros Total .................... 100%
  37. 37. Etapa 9 – Plano de Cotas e Benefícios Plano de Cotas 35.000 30.000 25.000 2007 20.000 2008 15.000 2009 10.000 2010 5.000 0 Diamante Rubi Esmeralda Topázio Ametista Valor mensal por Cota valor valor tipo de cota quantidade mensal anual
  38. 38. Etapa 9 – Plano de Cotas e Benefícios Projeto Orçamento nome do projeto valor Categorias de Cotas por valor por cota valor total das financiadores categoria (R$) cotas (R$) Patrocinador 02 Colaborador 04 Apoio indefinido Classificação Empresas ou organizações que viabilizem 80% dos recursos financeiros Patrocinador necessários para a realização do projeto. Empresas, organizações e comércio local que viabilizem 20% dos recursos Colaborador financeiros e/ou disponibilizem recursos materiais ou serviços necessários para a realização do projeto. Apoio Veículos da mídia que divulgarão o projeto.
  39. 39. Etapa 9 – Plano de Cotas e Benefícios Patrocinador Colaborador Apoio Benefício aos Patrocinadores do Projeto Exposição da logomarca do Patrocinador no site da ONG......, na seção “projetos” x Exposição da logomarca do Patrocinador em todo material de divulgação do projeto x desenvolvido pela ONG ........ Exposição da logomarca do Patrocinador no material paradidático desenvolvido para o x projeto. Exposição da logomarca nos locais onde estiver sendo realizado o projeto. x x x Obs: Os benefícios acima citados terão vigência somente durante o período da realização do projeto. Patrocinador - empresa que disponibilizou os recursos para a realização do projeto Colaborador - empresa ou prestadora de serviço que disponibilizou produtos / materiais para a realização do projeto Apoio - mídias de divulgação do projeto ou espaços oferecidos para realização das atividades propostas no projeto
  40. 40. 2º. dia(das 14:00 as 15:00h)
  41. 41. Desafio Global A Pobreza e os Países em Desenvolvimento Hoje: ½ da população mundial vive com menos de U$2/dia e não tem acesso a saneamento básico; 1.39 Bilhões vivem com menos de U$1/dia; 20% do topo da população Mundial controla: 86% do PIB Mundial U$1.16 trilhão/ano são gasto em armamentos… e somente U$60 bilhões em ajuda externa Fonte: Relatório UN 2005
  42. 42. Desafio Global Este é o nosso mundo?Os investimentos necessários para proverserviços de saúde básica e nutriçãopara a população de baixa renda do planetasomam U$13 bilhões. O dinheiro gasto na Europa e nos Estados Unidos na compra de perfume somam U$12 bilhões.
  43. 43. Interdependência dos setores Empresas de Sucesso precisam de uma Sociedade Saudável Uma Sociedade Saudável precisa de Empresas de Sucesso. Fonte: Michael Porter (Estratégia e Sociedade)
  44. 44. Marketing Relacionado a Causa - MRC “Atividade na qual empresas e ONGs e/ou causas formam uma parceria para comercializar uma imagem, um produto ou serviço”
  45. 45. Marketing Relacionado a Causa - MRC Estratégia: Através de uma parceria com a Ação Cidadania, desenvolveu a campanha “Revisão Solidária”. Mecânica: O cliente vai até uma concessionária VW, doa 1k de alimento não perecível e ganha gratuitamente a revisão de 27 itens do seu carro. Alem disso , a cada quilo doado, a Fundação VW doa outro quilo de alimento. Resultado: 1º. ano - arrecadou 100 toneladas de alimentos 2º. Ano - arrecadou 202 toneladas de alimentos * houve um aumento no volume de vendas dos serviços de 12,8% alem de um forte ganho de imagem corporativa.
  46. 46. Marketing Relacionado a Causa - MRCParceria: Citibank e Doutores da AlegriaPublico: Clientes do CitibankTema: Aniversario do clienteAção: No dia do aniversario de cada cliente o Citibank estará fazendo uma doação para a ONG Doutores da Alegria.Material: Folder e CertificadoFrase de impacto: “ Certificado Riso 9000”
  47. 47. Marketing Relacionado a Causa - MRCParceria: Citibank e Expedição VagalumePublico: Associados do cartão CitibankTema: Aniversario do associadoAção: No dia do aniversario de cada associado o Citibank estará fazendo uma doação para a ONG Expedição Vaga Lume.Material: Cartão Postal e folderFrase de impacto: “90 bibliotecas, em 20 municípios, com 17 mil criançaslendo nesta data querida”
  48. 48. Marketing Relacionado a Causa - MRC Parceria: Kopenhagen e Hope Publico: Clientes das lojas Tema: Agora a Kopenhagen tem um novo ingrediente: “Solidariedade”. Ação: Na compra de produtos Kopenhagen no valor superior a R$ 50,00, com mais R$ 10,00 o cliente leva uma camiseta. Material: Folder e Cartazes nas lojas Frase de impacto: “ Escolha como você quer vestir esta causa”
  49. 49. Marketing Relacionado a Causa - MRCParceria: Eletropaulo e WWFPublico: ConsumidoresTema: Faça uma doação. A Amazônia faz parte da sua vida.Ação: Divulgar campanha de mobilização de recursos na conta do consumo de energia.Material: Boleto de PagamentoFrase de impacto: “Opiniões erradas também derrubam a floresta.”
  50. 50. Marketing Relacionado a Causa - MRC
  51. 51. Como usar a Internet a seu favor? Case: Greenpeace Brasil Objetivos:  Fornecer informações úteis aos seus usuários;  Conquistar novos militantes;  Aproximar o usuário das ações propostas pela ONG.  Segundo o blog, dois ativistas correm o risco de serem presos após desvendar uma rede de corrupção no programa baleeiro japonês.  Mais de 7mil pessoas já assinaram a carta de soltura dos dois.Fonte: Multicom Comunicação
  52. 52. Como usar a Internet a seu favor? Case: Cruz Vermelha Americana Objetivos:  Fornecer informações úteis aos seus usuários;  Chamar atenção para suas ações;  Conquistar novos militantes. Os „twitts‟ da Cruz Vermelha Americana atingem quase 160 mil seguidores!Fonte: Multicom Comunicação
  53. 53. Como usar a Internet a seu favor ? Case: O Clube dos Vira Latas A ONG tem uma presença digital bastante forte. Sua causa, a proteção de animais, já é bastante atraente para as pessoas, mas o seu intenso trabalho nas mídias sociais intensifica ainda mais o engajamento da população. Seu Facebook tem um número expressivo de fãs, 279.883, e seu Twitter tem 1677 seguidores. Isso faz com que as informações lá postadas sejam rapidamente disseminadas pela internet.Fonte: Voluntariosonline
  54. 54. Os astros do esportebrasileiro lançam campanhade incentivo aos exercícioscomo forma de combater o câncer de mama. A exibição faz parte de uma campanha paraincentivar a atividade física na prevenção e no tratamento do câncer de mama.Criada pelo Instituto Arte de Viver Bem, uma ONG de São Paulo, a campanha foi apresentada nos EstadosUnidos para estimular atletas americanos a também participar.
  55. 55. O projeto, que foi desenvolvido em parceria com a Embraer (Empresa Brasileira de Aeronáutica S.A.) e a Femama (Federação Brasileira deInstituições Filantrópicas de Apoio à Saúde da Mama), contou com um jato Embraer 195 batizado e pintado de Rosa & Azul. A cor rosa representa a luta mundial contra a doença.
  56. 56. A Sociedade Brasileira de Mastologia (SBM) lança neste mês de maio sua campanha nacional de prevenção ao câncer de mama, intitulada“Eu amo meus peitos”.Um hotsite (http://euamomeuspeitos.com.br/) publicará fotos de peitos produzidas por internautas anônimas.
  57. 57. A campanha contra o câncer de mamada Breast Cancer Foundation (BCF), deSingapura, chama a atenção pela artelindíssima do ilustrador Andy Yang Soo,nascido na Malásia.Ele desenhou no corpo de mulherese usou o bico do seio comorepresentante de algum probleminhado dia-a-dia: uma espinha ou umatentativa de controlar o frizz nocabelo.É aí que se encaixa a pergunta tema dacampanha: “Você está obcecada coma coisa certa?”. Apesar das nossaspequenas neuras diárias, o câncer de mamadeve ser uma preocupação maior e o auto-exame um hábito.A campanha sugere essa mudança depensamento de um jeito muito bonito.
  58. 58. O Hospital SickKids em Toronto precisava encontrar uma maneira de incentivar os pacientes jovens com câncer para completar relatórios diários sobre suador. Com um pouco de back-up dos dramas do Canadápolicial superior, nosso aplicativo móvel inovadora fez esta tarefa imensa fácil e divertido. http://www.youtube.com/watch?v=qsl9NjyVpHY&feature=player_embedded
  59. 59. http://catarse.me/pt#
  60. 60. http://movere.me/
  61. 61. http://www.bvsa.org.br/
  62. 62. http://www.bvsa.org.br/
  63. 63. Lembre: “Você nunca terá uma segunda chance paracausar uma primeira boa impressão”
  64. 64. Obrigada !Rodrigo Álvares Tana Bassirodrigo.alvarez@idis.org.br tanabassi@nucleosustentavel.net

×