8 teoria a_processos_grupais_

337 visualizações

Publicada em

disciplina grupos

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
337
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
3
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
2
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

8 teoria a_processos_grupais_

  1. 1. Campus Higienópolis: Rua da Consolação, 896  Edifício João Calvino – 7º andar – Sala 715  Consolação  São Paulo – SP  CEP 01302-907 Tel. (11) 2114-8165  www.mackenzie.br - e-mail: decanatoacademico@mackenzie.br UNIVERSIDADE PRESBITERIANA MACKENZIE Decanato Acadêmico Unidade Universitária: Centro de Ciências Biológicas e da Saúde -- 040 Curso: Psicologia Núcleo Temático: Psicologia e Saúde Coletiva Disciplina: Teorias e Processos Grupais Código da Disciplina: 0842610-4 Professor(es): ALTIVIR JOÃO VOLPE – JOSÉ ESTEVAM SALGUEIRO PABLO C.G. CASTANHO – DRT: 112106-9 112162-2 113349-4 Etapa: 6ª Carga horária:120 ( x ) Teórica ( ) Prática Semestre Letivo: 1º/2013 Ementa: A disciplina apresenta os fundamentos teóricos das abordagens grupais e técnicas de intervenção psicológica nas diferentes modalidades de grupo. Objetivos: Conceitos 1. Identificar conceitos e procedimentos relacionados às estruturas e modalidades grupais. 2. Conhecer os fundamentos da coordenação de grupos que subsidiam diferentes modalidades de grupo. Procedimentos e Habilidades 1. Analisar grupos com base nos conceitos e procedimentos estudados. 2. Analisar o papel do coordenador em diferentes situações grupais. Atitudes e Valores 1. Valorizar a construção coletiva dos membros do grupo. 2. Comprometer-se com a dimensão grupal e social dos fenômenos observados no grupo. 3. Comprometer-se com o direito à pluralidade de expressão nos grupos. Conteúdo Programático: 1. O grupo como totalidade e multiplicidade. 2. A dimensão grupal da manifestação individual (porta-voz). 3. A dialética aplicada aos processos grupais. 4. A tarefa do grupo 5. Fases, momentos ou etapas de um grupo. 6. Papel do profissional de grupo. 7. Planejamento de um grupo. 8. Intervenções do profissional de grupo. 9. Uso de técnicas no trabalho com grupos: potencialidades e riscos. 10. O grupo focal 11. Formas de coordenação de grupos verbais, com objetos e com estratégias corporais. Metodologia: * Aulas expositivas e dialogadas. * Vivências em pequenos grupos.
  2. 2. Campus Higienópolis: Rua da Consolação, 896  Edifício João Calvino – 7º andar – Sala 715  Consolação  São Paulo – SP  CEP 01302-907 Tel. (11) 2114-8165  www.mackenzie.br - e-mail: decanatoacademico@mackenzie.br UNIVERSIDADE PRESBITERIANA MACKENZIE Decanato Acadêmico * Observação, registro e análise de metodologias e práticas grupais. * Apresentação de relatos e de experiências com grupos. Critério de Avaliação: N1: Prova parcial escrita: peso 3 N2: Trabalho em grupo: O grupo deve optar entre uma das seguintes propostas: a) análise e discussão de um relato de experiência em grupo (dissertação, tese ou livro); b) observação e análise de uma situação grupal: peso 2 N3: Prova Final Média: (N1x3 + N2x2 + N3x5)/10 Haverá roteiro específico para o relato de experiência em grupo (N2). Bibliografia Básica: AFONSO, M. L. Oficinas em dinâmica de grupo na área da saúde: um método de intervenção psicossocial. 2ª ed São Paulo: Casa do Psicólogo, 2007. MOSCOVICI, F. Desenvolvimento interpessoal: treinamento em grupo. 17. ed São Paulo: José Olympio, 2008. PICHON-RIVIÈRE, E. O processo grupal. 8ª ed. São Paulo: Martins Fontes, 2009. Bibliografia Complementar: ANDALO, Carmen Silvia de Arruda. O papel de coordenador de grupos. Psicol. USP, São Paulo, v. 12, n. 1, 2001 . Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0103- 65642001000100007&lng=en&nrm=iso .Acessado em 23 Jan. 2013. ÁVILA, L. “O grupo como método”. Psicologia Revista (PUC-SP), 9, 1999. pp. 61-74. Disponível em: http://www.institutoraiz.com.br/file/artigo/634576571258009448.pdf CASTANHO, P. de C. G. “O momento da tarefa no grupo: aspectos psicanalíticos e psicossociais.” Revista da SPAGESP, São Paulo, v. 8, 2007. Disponível em: http://pepsic.bvsalud.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1677- 29702007000200003&lng=pt&nrm=iso FERNÁNDEZ, A. M. O campo grupal. São Paulo: Martins Fontes, 2010. KNOBEL, A.M. “Estratégias de direção grupal”. Revista Brasileira de Psicodrama. v. 4, n. 1, 1996. NERI, C. Manual de psicanálise de grupo. Rio de Janeiro: Imago, 1999 ROSENBOM, Jaime. Clases dictadas en la primera Escuela de Psicologia Social -- curso de 4º año, 01/09/1983. ROSENBOM, J. La dialéctica de los procesos grupales. Buenos Aires: Primeira Escuela de Psicologia Social, 1983 (Aula ministrada em 01/09/1983. Versão traduzida) . TRAD, L. A. B. Grupos focais: conceitos, procedimentos e reflexões baseados em experiências com o uso da técnica em pesquisas de saúde. Physis Revista de Saúde Coletiva, Rio de Janeiro, 19 [3], 2009. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0103- 73312009000300013&lng=en&nrm=iso YOZO, R. 100 jogos para grupos: uma abordagem psicodramática para empresas, escolas e clínicas. São Paulo : Ágora, 1996.
  3. 3. Campus Higienópolis: Rua da Consolação, 896  Edifício João Calvino – 7º andar – Sala 715  Consolação  São Paulo – SP  CEP 01302-907 Tel. (11) 2114-8165  www.mackenzie.br - e-mail: decanatoacademico@mackenzie.br UNIVERSIDADE PRESBITERIANA MACKENZIE Decanato Acadêmico Cronograma 1ª Sem. Apresentação Proposta: Apresentação dialogada doconteúdo programático. Critérios de avaliação e registros. Contratos de trabalho. Dinâmica das aulas. 2ª Sem. O grupo como totalidade e como multiplicidade Proposta: Relembrar a especificidade do grupo como “mais do que a soma dos seus membros” e problematizar essa afirmação em seu caráter totalizante. Textos: a) FERNÁNDEZ,, A. M. O campo grupal, cap. 3 (A demanda pelos grupos), ou b) ÁVILA, L. “O grupo como método”. Psicologia Revista (PUC-SP), 9, 1999, p. 61-74. (disponível na internet) 3ª Sem. O conceito de porta-voz e uma leitura dialética do processo grupal. . Proposta:1) Apresentar o conceito de portavoz como suporte teórico para pensar a dimensão grupal da manifestação individual. 2) Introduzir o pensamento dialético como ferramenta de leitura do processo grupal na tradição pichoniana. Texto 1: PICHON-RIVIÈRE, E. O, “O conceito de portavoz”. In: ______. O processo grupal. 8ª ed. São Paulo: Martins Fontes, 2009. (Atenção: este capítulo está presente somente nas edições mais recentes dessa obra) Texto 2: Rosembom J. A dialética dos processos grupais. Buenos Aires (AR): Primera Escuela Privada de Psicología Social; 1983. .
  4. 4. Campus Higienópolis: Rua da Consolação, 896  Edifício João Calvino – 7º andar – Sala 715  Consolação  São Paulo – SP  CEP 01302-907 Tel. (11) 2114-8165  www.mackenzie.br - e-mail: decanatoacademico@mackenzie.br UNIVERSIDADE PRESBITERIANA MACKENZIE Decanato Acadêmico 4ª. Sem. A dialética e a noção de tarefa . Proposta: 1) Apresentar a noção de Tarefa em Pichon- Rivière, enfatizando sua proximidade com o conceito de práxis; 2) Discutir as relações entre tarefa e dialética em Pichon-Rivière. Textos: a) CASTANHO, P. C. G.. “O momento da tarefa no grupo: aspectos psicanalíticos e psicossociais”. Revista da SPAGESP, v. 8, 2007 (ler apenas a parte sobre os aspectos psicossociais) Disponível em: http://pepsic.bvsalud.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid= S1677-29702007000200003&lng=pt&nrm=iso b) PICHON-RIVIÈRE, E. O, “A noção de tarefa em psiquiatria”. In: ______. O processo grupal. 8ª ed. São Paulo: Martins Fontes, 2009. 5ª Sem. Fases, momentos e etapas dos grupos. . Proposta: Identificar diferentes fases, momentos e etapas do grupo relacionando-os à possibilidades de intervenção: a) KNOBEL, A.M. “Estratégias de direção grupal”. Revista Brasileira de Psicodrama. v. 4, n. 1, 1996; ou b) YOZO, R. 100 jogos para grupos : uma abordagem psicodramática para empresas, escolas e clínicas. São Paulo : Ágora, 1996. ( Ler Segundo Capítulo “Matriz de identidade”) + NERI, C. Manual de psicanálise de grupo. Rio de Janeiro: Imago, 1999 (Ler segundo capítulo: “Estado grupal nascente”) 6ª Sem. Revisão. Proposta: Solidificar os conceitos estudados e iniciar a problematização do papel do coordenador. Texto auxiliar: AFONSO, M.L. Oficinas em dinâmica de grupo na área da saúde. 2ª ed São Paulo: Casa do Psicólogo, 2007, texto 2. 7ª . Sem. Prova Parcial Prova parcial 8ª. Sem. O papel do coordenador de grupo: o planejamento de atividades Proposta: Apresentar um método para o planejamento de atividades de grupo (não só de oficinas) ancorado em uma análise da demanda e nos conceitos apresentados previamente Texto: AFONSO, M.L. Oficinas em dinâmica de grupo na área da saúde. São Paulo: Casa do Psicólogo, 2006, texto 4
  5. 5. Campus Higienópolis: Rua da Consolação, 896  Edifício João Calvino – 7º andar – Sala 715  Consolação  São Paulo – SP  CEP 01302-907 Tel. (11) 2114-8165  www.mackenzie.br - e-mail: decanatoacademico@mackenzie.br UNIVERSIDADE PRESBITERIANA MACKENZIE Decanato Acadêmico 9ª. Sem O papel do coordenador de grupo: o coordenador como líder Textos: MOSCOVICI, F. Desenvolvimento interpessoal, cap. 9 e 14. 10ª Sem. O papel do coordenador de grupo: diferentes olhares teóricos Proposta: Identificar as características do papel de coordenador de grupo e de alguns tipos de intervenção, conforme distintas abordagens. Texto ANDALO, Carmen Silvia de Arruda. O papel de coordenador de grupos. Psicol. USP, São Paulo, v. 12, n. 1, 2001 . Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S01 03-65642001000100007&lng=en&nrm=iso 11ª Sem. O papel dos profissionais de grupo: Potencialidades e riscos das técnicas de grupo Proposta: Apresentar potenciais e riscos comuns na utilização de jogos e “dinâmicas” de grupos (sejam elas originárias da área de psicologia ou não) Texto: AFONSO, M.L. Oficinas em dinâmica de grupo na área da saúde. São Paulo: Casa do Psicólogo, 2006, texto 5, p. 231-282. 12ª Sem. Estratégias de grupo: Grupo focal Proposta: Apresentar os fundamentos para o trabalho com grupos focais Texto: TRAD, L. A. B. Grupos focais: conceitos, procedimentos e reflexões baseados em experiências com o uso da técnica em pesquisas de saúde. Physis Revista de Saúde Coletiva, Rio de Janeiro, 19 [3], 2009. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S01 03-73312009000300013&lng=en&nrm=iso
  6. 6. Campus Higienópolis: Rua da Consolação, 896  Edifício João Calvino – 7º andar – Sala 715  Consolação  São Paulo – SP  CEP 01302-907 Tel. (11) 2114-8165  www.mackenzie.br - e-mail: decanatoacademico@mackenzie.br UNIVERSIDADE PRESBITERIANA MACKENZIE Decanato Acadêmico 13ª Sem. Vivência de estratégias de grupo Proposta: Vivenciar uma técnica de grupo (escolhida conforme o processo da turma) e discutir sua realização. Grupo demonstrativo (“vivência”), seguido de discussão Entrega dos trabalhos escritos (grupos) 14ª Sem. Vivência de estratégias de grupo Proposta: Idem Grupo demonstrativo (“vivência”), seguido de discussão 15ª Sem. Revisão do curso Síntese do percurso 16ª Sem. PAF PAF 17ª Sem. Vista de provas

×