AULA DE
HISTÓRIA.
Civilização
Romana.
PROFESSO
R
Seu Riba.
“Dai a César o que é de César, e a Deus o que é de Deus”.
evang...
I – LOCALIZAÇÃO :
Península itálica, próxima do Mar Mediterrâneo.
gregos italiotas etruscos e gauleses.
II – POVOAMAENTO União de vários povos :
Povos que ocuparam a Península Itálica: nor...
MONARQUIA:753 -
509
REPÚBLICA: 509 – 27
a. C
IMPERIO :27 – 1453
d.C
PERIODOS:
Origem de Roma.
- Lendária: a historia dos irmãos gêmeos Rômulo e
Remo, imortalizada pelo historiador Tito Lívio.
Cientifi...
A MONARQUIA ROMANA
Roma foi governada por sete reis: o primeiro foi –
Rômulo e o último - Tarquinio, o Soberbo .Nessa
époc...
As classes sociais eram: Os patrícios, Plebeus, Clientes e os
Escravos.
Patrícios ou nobres: Descendentes das famílias que...
Período Republicano
República é uma palavra de origem latina e significa “coisa pública”.
Durante a passagem da monarquia ...
Conquistas dos Plebeu.
Em 493 a.C, ocorreu a revolta do monte Sagrado dando inicio a uma luta de
classes, entre os patríci...
Expansão Romana
Conquistas Internas : Península Itálica.
Conquistas Externa: Guerras Púnicas.
Guerras Púnicas: (264-46 a. ...
FIME: CARTOGO O HOLOCAUSTO ROMANO..
FONTE:http://www.youtube.com/watch?v=poVNFYpdUKs
As Guerras Púnicas, entre Roma e Cart...
Açôes para enfrentar a Crise da República romana
1)Irmão Gracos:
a)Tibério Graco: na tentativa de resolver os conflitos so...
Açôes para enfrentar a Crise da República romana
3)Primeiro Triunvirato: Com o apoio do Exército, Crasso, Pompeu e Julio
C...
1. Qual das alternativas abaixo apresenta aspectos históricos da política e sociedade no período da Monarquia
Romana?
A - ...
O Império Romano
Após vencer Marco Antonio, Otávio recebeu diversos títulos que lhe
conferiram grande poder. Por fim, em 2...
Alto Império
Augusto, durante seu governo (27 a.C. a 14 d.C.), adotou uma série de medidas
visando controlar os conflitos ...
Após a morte de Augusto (14 d.C.) até o fim do século II, quatro dinastias se
sucederam no poder. São elas:
Dinastia Júlio...
Baixo Império
Essa fase foi marcada por crises em diferentes setores da
vida romana, que contribuíram para pôr fim ao gran...
Divisão do Império
Em 395, o imperador Teodósio dividiu o império em duas partes: Império Romano
do ocidente, com capital ...
1 . O que foi a política do pão-e-circo durante o Império Romano?
A - Política promovida pelo imperador romano para arreca...
Questão 1
Quais custos envolviam a proteção das fronteiras que formavam a extensão do Império Romano? E de que
modo esses ...
FIQUEM EM PAZ.
Fonte: http://www.google.com.br/imgres.
http://www.sohistoria.com.br/ef2/roma/p1.php
http://gifs-animados.l...
13.a.roma 15
13.a.roma 15
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

13.a.roma 15

557 visualizações

Publicada em

PRINCIPAIS ASPECTOS DA CIVILIZAÇÃO ROMANA.

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
557
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
56
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
5
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

13.a.roma 15

  1. 1. AULA DE HISTÓRIA. Civilização Romana. PROFESSO R Seu Riba. “Dai a César o que é de César, e a Deus o que é de Deus”. evangelho de Mateus.
  2. 2. I – LOCALIZAÇÃO : Península itálica, próxima do Mar Mediterrâneo.
  3. 3. gregos italiotas etruscos e gauleses. II – POVOAMAENTO União de vários povos : Povos que ocuparam a Península Itálica: norte: Gauleses, centro: etruscos e Italiotas, e ao sul, os gregos
  4. 4. MONARQUIA:753 - 509 REPÚBLICA: 509 – 27 a. C IMPERIO :27 – 1453 d.C PERIODOS:
  5. 5. Origem de Roma. - Lendária: a historia dos irmãos gêmeos Rômulo e Remo, imortalizada pelo historiador Tito Lívio. Cientifica: união de vários povos: etruscos, latinos, sabinos, gregos, etc.
  6. 6. A MONARQUIA ROMANA Roma foi governada por sete reis: o primeiro foi – Rômulo e o último - Tarquinio, o Soberbo .Nessa época, a cidade deve ter sido governada por reis de diferentes origens; os últimos de origens etrusca, devem ter dominado a cidade por cerca de cem anos. Durante o governo dos etruscos, Roma adquiriu o aspecto de cidade. Foram realizadas diversas obras públicas entre elas, templos, drenagens de pântanos e um sistema de esgoto. O último rei etrusco foi Tarqüínio, o Soberbo. Ele foi deposto em 509 a.C., provavelmente por ter descontentado os patrícios com medidas a favor dos plebeus. No lugar de Tarqüínio, os patrícios colocaram no poder dois magistrados, chamados cônsules. Com isso, terminava o período Monárquico e tinha inicio o período Republicano.
  7. 7. As classes sociais eram: Os patrícios, Plebeus, Clientes e os Escravos. Patrícios ou nobres: Descendentes das famílias que promoveram a ocupação inicial de Roma. Eram grandes proprietários de terra e de gado. Plebeus: Em geral, eram pequenos agricultores, comerciantes, pastores e artesãos. Constituíam a maioria da população e não tinham direitos políticos. Clientes: eram homens de negócios, intelectuais ou camponeses que tinham interesse em fazer carreira pública e que por isso recorriam à proteção de algum patrono, geralmente um patrício de posses. Escravos: Eram plebeus endividados e principalmente prisioneiros de guerra. Realizavam todo o tipo de trabalho e eram considerados bens materiais. Não tinham qualquer direito civil ou político.
  8. 8. Período Republicano República é uma palavra de origem latina e significa “coisa pública”. Durante a passagem da monarquia para a república, eram os patrícios que detinham o poder e controlavam as instituições políticas. Concentrando o poder religioso, político e a justiça, eles exerciam o governo procurando se beneficiar. Para os plebeus, sem direito à participação política, restavam apenas deveres, como pagar impostos e servir o exército. Aspecto Político. Senado – orgão principal. Magistraturas da República: Consulado; eram os comandantes do exército e tinham atribuições jurídicas e religiosas. Ditadura Pretor (justiça) Questor (tesouro público) Censor (Censura, cobrança dos impostos) Edis (Limpeza, policiamento da cidade)
  9. 9. Conquistas dos Plebeu. Em 493 a.C, ocorreu a revolta do monte Sagrado dando inicio a uma luta de classes, entre os patrícios e os plebeus. Conquistas dos plebeus: Tribuno da Plebe: representantes dos plebeus tinham o direito de veto, isto é, de suspender as decisões do senado, quando essas decisões prejudicassem os interesses dos plebeus. Lei das Doze Tábuas: As leis em Roma passaram a ser escritas. Lei Canuléia: Permitiu o casamento entre patrícios e plebeus. Lei Licínia: Os plebeus podiam eleger os representantes para as diversas magistraturas.
  10. 10. Expansão Romana Conquistas Internas : Península Itálica. Conquistas Externa: Guerras Púnicas. Guerras Púnicas: (264-46 a. C) Causas: Rivalidade entre Roma e Cartago, pelo domínio da Ilha da Sicília. Consequências : Destruição de Cartago, conquista da Córsega, Sardenha, Sicília e garantiu o domínio dos romanos no mar Mediterrâneo.(Mare Nostrum) Consequências da expansão romana: Crise da República Romana. 1.Aumento do número de escravos, que posteriormente acabou provocando revoltas de escravos, como a liderada pelo escravo Espártaco. 2.Ruína dos camponeses, concentração de terras nas mãos da aristocracia, migração do campo para a cidade ( desempregados: Êxodo Rural) 3.Formação de uma nova classe social: os homens novos ou cavaleiros, que enriqueceram com o comércio. 4. Formação de um Exército Profissional. Todas essas alterações ocorridas em Roma acabaram provocando uma crise na Republica Romana.
  11. 11. FIME: CARTOGO O HOLOCAUSTO ROMANO.. FONTE:http://www.youtube.com/watch?v=poVNFYpdUKs As Guerras Púnicas, entre Roma e Cartago, se iniciaram em 264 a C. e terminaram em 146 a.C. Cartago, cidade fundada pelos fenícios, controlava todo o comércio na bacia do Mediterrâneo e monopolizava a ligação com o oriente. Ao final de três grandes guerras, os romanos tornaram-se senhores do Mediterrâneo - Mare Nostrum. O arqueólogo Dr. Richard Miles, da Universidade de Cambridge, nos EUA, estuda as ruínas de Cartago e revela novas evidências sobre o holocausto romano.
  12. 12. Açôes para enfrentar a Crise da República romana 1)Irmão Gracos: a)Tibério Graco: na tentativa de resolver os conflitos sociais existentes em Roma aprovou a Reforma Agrária. Tal medida provocou a insatisfação da aristocracia, e esse governante acabou sendo assassinado. b) Caio Graco: Retornou o projeto da Reforma Agrária e aprovou a Lei Frumentária, que obrigava o Estado a vender o trigo a preços baixos a população.As suas reformas entraram em choque com os interesses da aristocracia, e Caio pressionado politicamente cometeu o suicídio em 121 a.C. 2) Ditaduras militares: Mario e Sila: a)Mario: governou agradando as camadas populares e com isso deixou insatisfeito a aristocracia. b) Sila: Era aristocrata e governou atendendo os interesses da aristocracia.
  13. 13. Açôes para enfrentar a Crise da República romana 3)Primeiro Triunvirato: Com o apoio do Exército, Crasso, Pompeu e Julio César implantaram em Roma o Primeiro Tiunvirato. Seguiu-se uma luta pelo poder, na qual César, vitorioso, estabeleceu em Roma uma ditadura. 4) Ditadura de César. Tornou-se ditador vitalício em Roma e realizou reformas favoráveis a população. As reformas de César esbarraram nos interesses da aristocracia, que atingida em seus privilégios políticos e econômicos prepararam uma conspiração que culminaram no assassinato de César. 5)Segundo Triunvirato: Após a morte de César, assumiram o poder Otavio, Marco Antonio e Lépido. Ocorreu uma disputa pelo poder, Lépido foi afastado, e Otávio venceu Marco Antonio. Após o suicídio de Marco Antonio, Otavio concentra o poder, terminando a republica e começava o Império.
  14. 14. 1. Qual das alternativas abaixo apresenta aspectos históricos da política e sociedade no período da Monarquia Romana? A - O sistema político era a democracia e a sociedade dividia-se em: nobres, comerciantes e escravos. B - O sistema político era a monarquia e a sociedade dividia-se em: patrícios (nobres proprietários de terras ) e plebeus (comerciantes, artesãos e pequenos proprietários). C - O sistema político era o parlamentarismo e a sociedade dividia-se em: governadores, classe média e camponeses. D - O sistema político era o presidencialismo e a sociedade dividia-se em: presidente, burguesia e servos. 2 - (Fatec) A expansão romana pelo Mar Mediterrâneo gerou importantes transformações políticas, econômicas e sociais. Dentre elas temos: a) fortalecimento da família; desenvolvimento das atividades agropastoris; grande afluxo de riquezas, provenientes das conquistas. b) aumento do trabalho livre; maior concentração populacional nos campos e enriquecimento da elite patrícia. c) influência bastante grande da cultura grega; domínio político dos plebeus; grande moralização dos costumes. d) fim do trabalho escravo; concentração da plebe no campo; domínio político dos militares. e) grande número de escravos; predomínio do comércio; êxodo rural, gerando o empobrecimento da plebe. 3 - .O texto a seguir servirá de base para a questão Leia-o atentamente. Escravos A cada vitória dos romanos, aumentava o número de escravos. Eram trazidos a Roma como prisioneiros e seu destino era trabalhar para os vencedores. (...) Trabalhavam a terra sob a vigilância de um encarregado, escolhido por seu dono. (...) Nas cidades trabalhavam em oficinas -- como artesãos --, no comércio e em tarefas domésticas. (...) Se em seu país de origem tivessem recebido qualquer tipo de instrução, podiam ter melhor situação que os demais escravos: trabalhavam para grandes famílias como gramáticos, arquitetos, cantores, preceptores. (...) Todos tinham uma condição comum: eram considerados inferiores por natureza, não importando o que fossem ou fizessem; não tinham direitos, podendo ser castigados e condenados à morte por seus donos. DREGUER Ricardo; TOLEDO, Eliete. História: Cotidiano e Mentalidades. São Paulo: Atual, 1996. p. 122 Sobre o escravismo no Império Romano é INCORRETO afirmar que: a) As condições para alguém se tornar escravo eram múltiplas: por dívida (até 326 a.C) e através da guerra de conquista. b) O escravo exercia as mais diversas funções: agricultor, artesão, carregador e até a função de professor. c) Os senhores, para obter a submissão dos escravos, puniam brutalmente os desobedientes, gerando fugas e revoltas. d) O gladiador grego Crasso comandou uma revolta de escravos, da qual participaram mais de cem mil pessoas.
  15. 15. O Império Romano Após vencer Marco Antonio, Otávio recebeu diversos títulos que lhe conferiram grande poder. Por fim, em 27 a.C., o senado atribuiu-lhe o título de Augusto, que significava consagrado, majestoso, divino. O período Imperial, tradicionalmente, costuma ser dividido em dois momentos: Alto Império: período em que Roma alcançou grande esplendor (estende-se até o século III d.C.) Baixo Império: fase marcada por crises que conduziram a desagregação do Império Romano (do século III ao século V).
  16. 16. Alto Império Augusto, durante seu governo (27 a.C. a 14 d.C.), adotou uma série de medidas visando controlar os conflitos sociais, solucionar problemas econômicos e, com isso, consolidar o império fazendo com que Roma atingisse seu apogeu e vivesse um longo período de prosperidade e de relativa tranqüilidade social, também conhecido como Pax Romana. Isso foi possível porque o imperador Otávio abandonou a política agressiva de conquistas, promoveu a aliança entre aristocracia e os cavaleiros (plebeus enriquecidos) e apaziguou a plebe com a política do “pão e circo” (panem et circenses) (anexo), que consistia em distribuir trigo para a população carente e organizar espetáculos públicos de circo. Do governo de Augusto aos dois séculos que se seguiram, o Império Romano, por meio de conquistas militares, ampliou ainda mais o seu território. Seus domínios estendiam-se pela Europa, Ásia e África.
  17. 17. Após a morte de Augusto (14 d.C.) até o fim do século II, quatro dinastias se sucederam no poder. São elas: Dinastia Júlio-Claudiana (14-68): Com os imperadores Tibério, Calígula, Cláudio e Nero, essa dinastia esteve ligada à aristocracia patrícia romana. Principal característica dessa fase: os constantes conflitos entre o Senado e os imperadores. Dinastia Flávia (68-96): Com os imperadores Vespasiano, Tito e Domiciano, apoiados pelo exército, o Senado foi totalmente submetido. Dinastia Antonina (96 – 193): Com Nerva, Trajano, Adriano, Antonio Pio, Marco Aurélio e Cômodo, assinalou-se uma fase de grande brilho do Império Romano. Os imperadores dessa dinastia, exceto o último, procuraram adotar uma atitude conciliatória em relação ao Senado. Dinastia Severa (193 – 235): Com Sétimo Severo, Caracala, Macrino, Heliogábalo e Severo Alexandre, caracterizou-se pelo inicio de crises internas e pressões externas, exercidas por povos diversos, prenunciando o fim do Império Romano, a partir do século III da era cristã.
  18. 18. Baixo Império Essa fase foi marcada por crises em diferentes setores da vida romana, que contribuíram para pôr fim ao grande império. Uma das principais crises diz respeito à produção agrícola. Por séculos, os escravos foram a principal mão de obra nas grandes propriedades rurais. Entretanto, com a diminuição das guerras, o reabastecimento de escravos começou a ficar difícil. Além disso, com o passar do tempo, os romanos tornaram- se menos hostis aos povos conquistados, estendendo a eles, inclusive, parte de seus direitos. Ou seja, os povos dominados deixaram de ser escravizados. Essas circunstâncias colaboraram para transformar a produção no campo. Por causa dos custos, muitos latifúndios começaram a ser divididos em pequenas propriedades. Nelas, o trabalho escravo já não era mais tão importante.
  19. 19. Divisão do Império Em 395, o imperador Teodósio dividiu o império em duas partes: Império Romano do ocidente, com capital em Roma; e Império Romano do Oriente, com capital em Constantinopla. Com essa medida, acreditava que fortaleceria o império. Achava, por exemplo, que seria mais fácil proteger as fronteiras contra ataques de povos invasores. Os romanos chamavam esses povos de bárbaros, por terem costumes diferentes dos seus. A divisão estabelecida por Teodósio não surtiu o efeito esperado. Diversos povos passaram a ocupar o território romano. Em 476, os hérulos, povo de origem germânica, invadiram Roma e, comandados por Odoacro, depuseram o imperador Rômulo Augústulo. Costuma-se afirmar que esse acontecimento marca a desagregação do Império Romano. Na verdade, isso refere-se ao Império Romano do Ocidente , pois a parte oriental ainda sobreviveu até o século XV.
  20. 20. 1 . O que foi a política do pão-e-circo durante o Império Romano? A - Política promovida pelo imperador romano para arrecadar mais impostos, através da combrança de taxas em atividades de lazer e sobre o comércio de pão. B - Política dos reis romanos para aumentar o comércio de pão e outros alimentos que utilizavam o trigo como matéria prima. C - Distribuição de alimentos (principalmente pão) e diversão (principalmente luta de gladiadores) como forma do imperador agradar os mais pobres, diminuindo as tensões sociais e evitando revoltas e conflitos em Roma. D - Política promovida pelos senadores romanos com objetivo de proibir o circo e a venda ilegal de pães em Roma. 2. Sobre a crise do Império Romano, é verdadeiro afirmar que: A - O Império Romano entrou em crise porque todos os soldados romanos abandonaram seus postos e foram morar em cidades da Ásia e África. B - A crise do Império Romano foi motivada pela corrupção, baixos investimentos no exército, crise agrícola e presença dos povos germânicos nas regiões de fronteiras. C - A crise do Império Romano ocorreu em função da invasão de povos africanos. D - O Império Romano entrou em crise, pois os papas passaram a governar todas as províncias romanas no século V. __________________________________ 3. Qual das alternativas abaixo apresenta aspectos do legado romano para as civilizações posteriores? A - O direito romano, presente até os dias de hoje na cultura do Ocidente, assim como o latim, que deu origem a língua portuguesa, francesa, italiana e espanhola. B - A religião politeísta romana que até hoje é predominante no mundo ocidental. C - As técnicas de construção de pirâmides e a Medicina, através do processo de mumificação de corpos. D - A língua inglesa, a democracia e a educação voltada para as artes e cultura. Respostas das questões: 1. C | 2. B | 3. A.
  21. 21. Questão 1 Quais custos envolviam a proteção das fronteiras que formavam a extensão do Império Romano? E de que modo esses custos atrapalhavam o incremento de escravos na economia romana? Resposta Questão 1 Ao longo do tempo, o governo tinha que gastar cada vez mais recursos para preservar os territórios conquistados com a formação de enormes exércitos de fronteira. Nesse contexto, a conquista de novas terras perdia espaço para a preservação dos territórios já dominados. Desta forma, o Império Romano passava a experimentar grandes dificuldades para obter um grande número de escravos, já que boa parte destes eram obtidos através de novas conquistas militares. Questão 2 Em que medida a retração da economia romana determinava o enfraquecimento das defesas que cuidavam das fronteiras do território? Resposta Questão 3 Partindo do fato de que as atividades econômicas geravam renda em forma de imposto para o governo de Roma, observamos que o processo de retração estabelecia a diminuição dos recursos a serem utilizados na preservação das forças militares de fronteira. Dessa forma, as civilizações que faziam fronteira com o Império Romano tinham a oportunidade de adentrar os domínios e conquistar territórios. Questão 3 É possível empreender alguma relação entre a crise do Império Romano e a disseminação do cristianismo? Justifique sua resposta. Resposta Questão 3 Sim. Conforme tal religião tomava espaço, percebemos que a escravidão passou a ser vista como um tipo de prática contrária aos valores do cristianismo. Afinal de contas, na medida em que via o seu próximo como a um irmão, o indivíduo convertido ao cristianismo não mais aceitava a escravidão como prática aceitável.
  22. 22. FIQUEM EM PAZ. Fonte: http://www.google.com.br/imgres. http://www.sohistoria.com.br/ef2/roma/p1.php http://gifs-animados.lwam.com.br/tag/gifs-animados-de-maos-batendo-palmas/ Acessado dia 03/03/15. Existe apenas um bem, o saber, e apenas um mal, a ignorância. Sócrates FELIZ 2015. FIQUEM EM PAZ.

×