Prova tipo 01 Analista Judiciário sem especialidade TJ-RJ 2012

14.165 visualizações

Publicada em

Prova tipo 01 para o cargo de Analista Judiciário TJ-RJ 2012

0 comentários
4 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
14.165
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
3
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
578
Comentários
0
Gostaram
4
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Prova tipo 01 Analista Judiciário sem especialidade TJ-RJ 2012

  1. 1. Março/2012 TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO Concurso Público para provimento de cargos de Analista Judiciário Sem EspecialidadeNome do Candidato No de Inscrição No do CadernoCaderno de Prova ’AA’, Tipo 001 MODELO MODELO1 ASSINATURA DO CANDIDATONo do Documento000000000000000000001−0001−0001 PROVA Objetiva de Conhecimentos TeóricosINSTRUÇÕES- Verifique se este caderno: - corresponde a sua opção de cargo. - contém 90 questões, numeradas de 1 a 90. Caso contrário, reclame ao fiscal da sala um outro caderno. Não serão aceitas reclamações posteriores.- Para cada questão existe apenas UMA resposta certa.- Você deve ler cuidadosamente cada uma das questões e escolher a resposta certa.- Essa resposta deve ser marcada na FOLHA DE RESPOSTAS que você recebeu.VOCÊ DEVE- Procurar, na FOLHA DE RESPOSTAS, o número da questão que você está respondendo.- Verificar no caderno de prova qual a letra (A,B,C,D,E) da resposta que você escolheu.- Marcar essa letra na FOLHA DE RESPOSTAS, conforme o exemplo: A C D EATENÇÃO- Marque as respostas primeiro a lápis e depois cubra com caneta esferográfica de tinta preta.- Marque apenas uma letra para cada questão, mais de uma letra assinalada implicará anulação dessa questão.- Responda a todas as questões.- Não será permitida qualquer espécie de consulta, nem o uso de máquina calculadora.- A duração da prova é de 4 horas e 30 minutos, para responder a todas as questões e preencher a Folha de Respostas.- Ao término da prova, devolva este caderno de prova ao aplicador, juntamente com sua Folha de Respostas.- Proibida a divulgação ou impressão parcial ou total da presente prova. Direitos Reservados.
  2. 2. Caderno de Prova ’AA’, Tipo 001 1. É correto depreender do texto que a frustração das ex- GRUPO I pectativas geradas pela abolição e pela República levou os intelectuais dos grandes centros a CONHECIMENTOS TEÓRICOS (A) se mudarem para a Europa, quando isso era pos- sível, e a buscarem a cidadania europeia. Português (B) negarem o progresso e a modernização, condena-Atenção: As questões de números 1 a 8 referem-se ao texto dos como valores europeus importados. abaixo. (C) se empenharem ainda mais na valorização da cul- tura e da arte primitiva produzida no Brasil. O humor que perdura na Belle Époque brasileira será um (D) se voltarem para a Europa e a cultivarem valores ti-humor que almeja cultivar a bonomia, que vê a si próprio como picamente cosmopolitas e europeus.civilizador e cultor de gestos nobres, embora nem sempre esta (E) cultivarem um cosmopolitismo de tipo europeu, num ambiente ainda mais propício que o que lhe deraimagem corresponda à realidade. Há, em princípio, a produção origem.humorística que surge ligada, quase toda ela, ao sentimento da _________________________________________________________desilusão republicana que atinge a intelectualidade brasileira, 2. A alusão à independência no último parágrafo possibilita ao autorque passou pelos eventos da abolição e da República. Abre-seum espaço para a representação humorística pela inflexão pro- (A) ressaltar a especificidade do momento histórico tra- tado, cujo contexto em nada lembra o período an-vocada pelos próprios eventos e pelas promessas de trans- terior.formações sociais que elas traziam. (B) ilustrar como a Belle Époque no Brasil foi apenas Contudo, se por um lado a abolição e a inauguração de uma retomada da dúvida existencial sobre ser ou não ser brasileiro.um regime republicano começam a alimentar muitos sonhos e (C) contrastar dois períodos históricos em que um mes-expectativas sociais, por outro virão apenas aguçar antigos dile- mo sentimento deu origem a formas de expressãomas: o que significava ser brasileiro naquela realidade cada vez opostas.mais paradoxal, infinitamente variada, regionalmente diversifi- (D) mostrar que as consequências positivas desse epi- sódio da história brasileira ainda perduravam nocada e, sobretudo depois daqueles eventos cruciais, uma reali- tempo da Belle Époque.dade indefinida em termos de futuro? A interrogação de Sérgio (E) enfatizar as semelhanças que os modos de expres-Buarque de Holanda, em conhecida análise do advento da Re- são de um período histórico apresentam em relação a um período anterior.pública, pode se constituir numa síntese deste tema: “Como es- _________________________________________________________perar transformações sociais profundas em país onde eram 3. O segmento cujo sentido está adequadamente expressomantidos os fundamentos tradicionais da situação que se pre- em outras palavras é:tendia ultrapassar?” (A) eventos cruciais = acontecimentos fundamentais O advento da República viria proclamar, inicialmente, (B) repúdio difuso = rejeição instáveluma atitude de repúdio difuso à vida rotineira e aos arcaísmos, (C) cultivar a bonomia = cultuar a afetaçãoque seriam a própria negação do progresso, como forma de os (D) ansiava por cosmopolitismo = clamava por novidadesindivíduos desamarrarem-se dos modos provincianos e das so- (E) aguçar antigos dilemas = perseguir velhas contesta-ciabilidades geradas pela sociedade escravista. Assim, uma ções _________________________________________________________atmosfera que ansiava por cosmopolitismo, gerada a partir doRio de Janeiro, autêntica capital cultural do Brasil na Belle 4. Ambos os segmentos do texto têm o verbo empregado nos mesmos tempo e modo:Époque, percorre o país numa ânsia sôfrega pela europeização (A) O humor que perdura na Belle Époque brasileira...e pela modernização. Se a sua difusão foi, com efeito, pouco // ... embora nem sempre esta imagem correspondaabrangente e limitada às incipientes manchas urbanas no Brasil à realidade.do final do século, seu efeito desconcertante foi, por isso mes- (B) ... transformações sociais que elas traziam. // ... esta mesma ansiedade expressava-se...mo, maior e mais profundo. Se durante a independência esta (C) Abre-se um espaço para a representação humorís-mesma ansiedade expressava-se, culturalmente, pela atração e tica... //... que seriam a própria negação do pro- gresso...busca de raízes nativistas e pelo “desejo de ser brasileiros” – na (D) ... embora nem sempre esta imagem corresponda àexpressão de Antonio Candido –, neste momento manifesta-se, realidade. // ... uma atmosfera que ansiava por cos-paradoxalmente, quase que um “desejo de ser estrangeiros”. mopolitismo... (Trecho adaptado de Elias Thomé Saliba. Raízes do riso. (E) ... transformações sociais que elas traziam. // ... que S.Paulo: Cia. das Letras, 2002. p.66-9) seriam a própria negação do progresso...2 TJURJ-Anal.Jud.-Sem Especialidade-AA
  3. 3. Caderno de Prova ’AA’, Tipo 0015. Atentando-se para a sintaxe, é INCORRETO afirmar que, em 8. A substituição do elemento grifado pelo pronome corres- pondente, com os necessários ajustes no segmento, foi (A) vê a si próprio como civilizador e cultor de gestos realizada de modo INCORRETO em: nobres, embora nem sempre esta imagem corres- ponda à realidade, o elemento grifado introduz uma (A) virão apenas aguçar antigos dilemas = virão apenas oração subordinada adverbial concessiva. aguçá-los (B) Há, em princípio, a produção humorística, o verbo gri- fado é impessoal e o sujeito da oração, inexistente. (B) que passou pelos eventos da abolição e da Repúbli- ca = que passou por eles (C) desilusão republicana que atinge a intelectualidade brasileira, o segmento grifado exerce a função de objeto direto. (C) Como esperar transformações sociais profundas = Como esperá-las (D) Abre-se um espaço para a representação humorís- tica, o segmento grifado exerce a função de sujeito. (D) percorre o país = percorre-o (E) O advento da República viria proclamar, inicialmen- te, uma atitude de repúdio, o segmento grifado de- (E) que atinge a intelectualidade brasileira = que lhe sempenha o papel de predicativo do sujeito. atinge__________________________________________________________________________________________________________________6. ... embora nem sempre esta imagem corresponda à rea- Atenção: As questões de números 9 a 12 referem-se ao texto lidade. abaixo. O verbo que exige o mesmo tipo de complemento que o grifado acima está empregado em: Correspondendo a fragmentos de astros, (A) ... uma atmosfera [...] percorre o país numa ânsia A corpos transviados de gigantes, sôfrega pela europeização e pela modernização. A formas elaboradas no futuro, (B) Há, em princípio, a produção humorística... Severas tombando (C) ... um humor [...] que vê a si próprio como civilizador e cultor de gestos nobres... Sobre o mar em linha azul, as ruínas (D) ... seu efeito desconcertante foi, por isso mesmo, maior e mais profundo. Severas tombando (E) ... intelectualidade brasileira, que passou pelos even- Compõem, dóricas, o céu largo. tos da abolição e da República._________________________________________________________ Severas se erguendo,7. Atente para as seguintes afirmações sobre a pontuação Procuram-se, organizam-se, empregada em segmentos do texto. Em forma teatral suscitam o deus I. Em sentimento da desilusão republicana que atinge a intelectualidade brasileira, que passou pelos Verticalmente, horizontalmente. eventos da abolição e da República, a vírgula pode- ria ser retirada sem prejuízo para a correção e o sentido original. Nossa medida de humanos II. Em “Como esperar transformações sociais profun- – Medida desmesurada – das em país onde eram mantidos os fundamentos tradicionais da situação que se pretendia ultrapas- Em Selinunte se exprime: sar?”, o emprego das aspas tem como justificativa o destaque que o autor deseja dar à questão central Para a catástrofe, em busca do texto. III. Em pela atração e busca de raízes nativistas e pelo Da sobrevivência, nascemos. “desejo de ser brasileiros” – na expressão de Anto- (Murilo Mendes. As ruínas de Selinunte) nio Candido –, neste momento manifesta-se, para- doxalmente, quase que um “desejo de ser estran- geiros”, os travessões poderiam ser substituídos 9. Conclui-se corretamente do poema que a condição huma- por parênteses, sem prejuízo para a correção e a na é lógica. (A) irreprimível. Está correto APENAS o que se afirma em (A) I. (B) permanente. (B) I e II. (C) insignificante. (C) III. (D) I e III. (D) esplendorosa. (E) II e III. (E) trágica.TJURJ-Anal.Jud.-Sem Especialidade-AA 3
  4. 4. Caderno de Prova ’AA’, Tipo 00110. A oração principal do longo período inicial do poema, que Atenção: Para responder às questões de números 13 a 15, se estende de Correspondendo até céu largo, tem como considere as observações abaixo de Davi Arrigucci sujeito: sobre o poema. (A) fragmentos de astros. Como construção humana, as ruínas de Selinunte são um (B) dóricas. produto histórico, constituindo mesmo um índice de uma época (C) as ruínas. precisa que por elas se ...... reconhecer. Assim, estas ruínas são o que sobreviveu da antiga Selinunte, que foi fundada no (D) formas elaboradas no futuro. século VI a.C. por colonos gregos e arrasada por Haníbal em (E) corpos transviados. 409 a.C._________________________________________________________ ......, portanto, os escombros marcados por acontecimen-11. Em forma teatral suscitam o deus [....] tos históricos e naturais: as ruínas indiciam os fatos históricos e Para a catástrofe [...] nascemos. ...... em si todas as catástrofes; mas são também a sobrevivên- Sobre os verbos grifados acima, é correto afirmar que cia, pois permanecem eternas como a pedra. Assim, as ruínas, que portam a marca do homem, são (A) suscitam é transitivo direto, tendo o deus como com- plemento; nascemos é transitivo indireto, tendo Para substituídas por figuras que vão além da medida do esperado a catástrofe como complemento. conforme as dimensões humanas. (Davi Arrigucci. O cacto e as ruínas. São Paulo: Ed.34, 2.ed. (B) suscitam é intransitivo; nascemos é intransitivo. 2000, p.145-146, com adaptações) (C) suscitam é transitivo direto, tendo o deus como com- plemento; nascemos é transitivo direto, tendo a ca- 13. Preenchem corretamente as lacunas do texto acima, na tástrofe como complemento. ordem dada: (D) suscitam é transitivo indireto, tendo Em forma teatral (A) deixa - Restaram - resumem como complemento; nascemos é intransitivo. (B) deixam - Restaram - resume (E) suscitam é intransitivo; nascemos é transitivo indire- (C) deixam - Restou - resumem to, tendo Para a catástrofe como complemento._________________________________________________________ (D) deixa - Restou - resumem12. Nossa medida de humanos (E) deixam - Restou - resume _________________________________________________________ – Medida desmesurada – Em Selinunte se exprime: 14. ... antiga Selinunte, que foi fundada no século VI a.C. por colonos gregos e arrasada por Haníbal em 409 a.C. Para a catástrofe, em busca Da sobrevivência, nascemos. Reescrevendo-se a frase acima na voz ativa, as formas verbais resultantes serão, respectivamente: Mantendo-se a correção, a lógica e, em linhas gerais, o (A) fundou - arrasou sentido original, uma redação alternativa, em prosa, para os versos acima é: (B) fundaram - arrasou (C) fundou - arrasaram (A) Conquanto busquemos a sobrevivência, é fato ine- gável nossa desmesurada medida de humanos, a (D) fundam - arrasa qual nascemos para a catástrofe, como expresso por (E) fundariam - arrasaria Selinunte. _________________________________________________________ (B) Nossa medida de humanos (medida desmesurada), 15. constituindo [...] um índice de uma época em Selinunte, se exprime: nascemos em busca da indiciam os fatos históricos sobrevivência, conquanto encontramos a catástro- fe. portam a marca do homem (C) Nossa medida de humanos desmesurados, os quais Substituindo-se os elementos grifados acima por um pro- nascemos para a catástrofe, conquanto buscásse- nome, fazendo-se as alterações necessárias, o resultado mos a sobrevivência, ficam expressos por Selinunte. correto será, respectivamente: (A) constituindo-o - indiciam-nos - portam-na (D) Nossa desmesurada medida de humanos se expri- me em Selinunte: buscamos a sobrevivência, em- (B) constituindo-lhe - indiciam-nos - portam-lhe bora tenhamos nascido para a catástrofe. (C) lhe constituindo - lhe indiciam - portam-no (E) Nascidos para a catástrofe, cuja desmesurada medi- (D) constituindo-o - o indiciam - portam-lhe da de humanos se exprime em Selinunte, o que bus- (E) constituindo-a - os indiciam - portam-na camos é a sobrevivência.4 TJURJ-Anal.Jud.-Sem Especialidade-AA
  5. 5. Caderno de Prova ’AA’, Tipo 001Atenção: As questões de números 16 a 21 referem-se ao 17. Atente para as seguintes afirmações: texto abaixo. I. No 1o parágrafo, o autor do texto mostra sua admi- Godofredo Rangel − Um escritor delicado ração pelo ofício de tradutor, graças ao qual seu amigo Godofredo Rangel foi reconhecido e se con- Godofredo Rangel parecia pedir desculpas por ser escri- sagrou como escritor e intelectual.tor, num tempo em que tantos simulam essa condição. Ninguém II. No 2o parágrafo, o autor mostra-se convencido demenos do que ele ostentava o dom natural. O isolamento em pe- que o trabalho da tradução requer certos atributosquenas comarcas do interior, como juiz, dava-lhe igualmente pessoais que o tornam pouco atraente para pes- soas tímidas e muito escrupulosas.motivos para desistir e força para continuar, pois a vocação lite-rária se nutre de contrários. Tantos anos levou nessa luta contra III. No 3o parágrafo, o autor faz ver que entre ele e Godofredo Rangel, marcados ambos pela condiçãoo meio, não digo hostil, pior do que isso: indiferente, e contra a mineira, a distância física e a pouca sociabilidadeprópria timidez, que, ao atingir uma cidade onde os contatos cul- não impedem uma funda intimidade.turais já não eram abstratos, e sim um aspecto habitual da vida, Em relação ao texto, está correto APENAS o que se afir-o criador deixara nele de funcionar. Rangel mergulhara no Túnel ma emda Tradução, de onde os escritores saem fatigados e sem rosto. (A) I. Não direi mal dos tradutores, e Godofredo Rangel era (B) II.dos bons. Lastimo apenas que cada vez mais seja impossível (C) III.nos entregarmos àqueles trabalhos de penetração do texto lite- (D) I e II. (E) II e III.rário e de transposição de sua essência misteriosa, de um para _________________________________________________________outro invólucro, tão só pelo prazer do exercício arriscado. Quem 18. Considerando-se o contexto, deve-se entender que o seg-ler A barca de Gleyre* perceberá facilmente como e por que mentoum autor é arrastado ao ofício de tradutor, como se profissiona-liza e, mesmo dando à sua tarefa o desempenho mais escru- (A) Ninguém menos do que ele ostentava o dom natural equivale a uma admissão de que apenas Godofredopuloso, não consegue alçá-la à categoria de obra de arte. De Rangel não se vangloriava de ser um escritor.resto, distingue o trabalho de tradutor um fundo de humildade (B) Rangel mergulhara no Túnel da Tradução, de ondeque haveria de comprazer ao romancista Rangel, humilde de os escritores saem fatigados e sem rosto alude aonatureza. fato de que os tradutores lutam inutilmente contra a desejável despersonalização. Meu cortês, meu douto, meu caro e bom Godofredo Ran-gel: agora que morreste, posso bem dizer que não te conheci (C) não digo hostil, pior do que isso: indiferente enfatiza o fato de que, para um escritor, a falta de reação domenos porque pouco te frequentei. E se me lastimo porque a público só não é mais hostil do que um desagradovida não me permitiu privar de tua companhia, deixa estar que manifesto.nós mineiros, e entre os mineiros os de certo tipo de sensibi- (D) posso bem dizer que não te conheci menos porquelidade, em rigor não carecemos de presença física para a funda pouco te frequentei deixa claro que, mesmo sem um estreito convívio, o autor do texto sentiu-se muitoconvivência. próximo do amigo. (Adaptado de Carlos Drummond de Andrade. Passeios na ilha) (E) me lastimo porque a vida não me permitiu privar de * A barca de Gleyre − Edição em livro da correspondência tua companhia faz ver que a privação de uma com- entre Godofredo Rangel e Monteiro Lobato. panhia é uma lamentável mas natural circunstância da nossa vida. _________________________________________________________16. Ao traçar o perfil do escritor Godofredo Rangel, Carlos Drummond de Andrade destaca, além dos traços da deli- 19. Não direi mal dos tradutores, e Godofredo Rangel era dos cadeza e da humildade, bons. (A) algumas circunstâncias biográficas, reveladoras de O tipo de articulação lógica que se estabelece entre os uma personalidade expansiva que não conseguiu se desenvolver em virtude do meio acanhado em que dois segmentos é equivalente ao que se estabelece entre sempre viveu. os segmentos destacados em (B) certa inaptidão para a política, o que lhe trouxe (A) Ele não é mau tradutor, // mesmo assim a editora o dificuldades para ser reconhecido como escritor nu- dispensou. ma cidade de vida cultural muito competitiva. (B) Seu texto não chegou a ser criticado, // até porque (C) sua competência de tradutor, que o fez amadurecer não lhe faltavam altas virtudes. como ficcionista, capaz de promover análises pene- trantes dos enigmas humanos. (C) Foi muito elogiado como tradutor, // no entanto lhe (D) uma personalidade dividida entre as razões que en- faltavam dotes de criador. contra para persistir na literatura e aquelas que, pelo contrário, o incitam a abandoná-la. (D) Há muito rigor na crítica aos tradutores, // não impor- ta quanto venham a esforçar-se. (E) uma vocação oscilante entre a produção e a crítica de arte, a se levar em conta o que o próprio escritor (E) Vem colhendo os frutos de sua tradução, // razão confessou, nas páginas de A barca de Gleyre. pela qual pensa em fazer uma nova carreira.TJURJ-Anal.Jud.-Sem Especialidade-AA 5
  6. 6. Caderno de Prova ’AA’, Tipo 00120. Quanto às normas de concordância verbal, está plenamente correta a frase: (A) Há desculpas que a ninguém compete pedir, mas Godofredo Rangel parecia pedi-las, quando se lhe reconheciam qualidades de escritor. (B) O isolamento em que vivem os artistas nas pequenas cidades do interior acabam por torná-los uns melancólicos. (C) Por que não se reconhece os atributos de um bom tradutor, que bem poderia lhe propiciar o mesmo prestígio devido a um ficcionista? (D) Os sociólogos costumam condenar os estereótipos, mas Drummond vale-se deles para admitirem os laços singulares de sua amizade. (E) Não faltam aos mineiros de grande sensibilidade, afirma Drummond, ainda quando distantes, o calor dos grandes afetos.21. Está clara e correta a redação deste livre comentário sobre o texto: (A) Drummond foi também um grande tradutor, ainda assim nunca deixou de lamentar as injustiças e a falta de reconhecimento a que todos eles acabam sendo vítimas. (B) No último parágrafo, Drummond deixa de se referir a Godofredo Rangel para dirigir-se diretamente a ele, no tom de uma carta em que a distância invencível só intensifica a profundidade do afeto. (C) Conforme se pode aquilatar, o livro A barca de Gleyre deve de conter confissões de Godofredo Rangel, inclusive onde ele se queixaria como é que foi arrastado para a tradução. (D) Ao se valer da expressão Túnel da Tradução, é o escuro deste que se expressa, figurando uma passagem difícil para o tradutor, entre uma ponta e outra de seu trabalho sempre desconsiderado. (E) Godofredo Rangel considerava-se tão submisso em sua tarefa de escritor que chegava a lastimar-se junto a aqueles que assim o julgavam.Atenção: As questões de números 22 a 24 referem-se ao texto abaixo. Jamais nos atemos ao tempo presente. Antecipamos o futuro, algo demasiado lento por vir, como para acelerar seu curso; ounos lembramos do passado, a fim de detê-lo, tão rápido nos parece. De tão imprudentes, vagamos nos tempos que não são nossos edeixamos de pensar no único que nos pertence. E de tão vãos, pensamos nos tempos que nada são e escapamos, sem refletir, doúnico que subsiste. É que o presente, de costume, nos fere. Ocultamo-lo da visão porque nos aflige; e se nos é agradável,lamentamos vê-lo escapar. Esforçamo-nos para sustentá-lo através do futuro, e projetamos coisas que não estão em nosso podernum tempo que não sabemos se irá chegar. Se cada um examinar seus pensamentos, irá encontrá-los todos ocupados no passadoou no futuro. O presente jamais é nosso fim. Assim, nunca vivemos, mas sim esperamos viver. E nos dispondo sempre a ser felizes,acabamos por nunca sê-lo. (Pascal. In: Pierre Levy. O fogo liberador. São Paulo: Iluminuras, 2001. p.65)22. Conclui-se corretamente do texto que (A) a incapacidade de viver no presente leva à infelicidade. (B) a reflexão sobre o futuro leva a um caminho seguro. (C) as lembranças do passado nos ajudam a viver o presente. (D) o passado deve ser esquecido, enquanto o futuro deve ser planejado. (E) a infelicidade vem do esquecimento do passado.6 TJURJ-Anal.Jud.-Sem Especialidade-AA
  7. 7. Caderno de Prova ’AA’, Tipo 00123. Atente para as afirmações a respeito da frase transcrita abaixo. Ocultamo-lo da visão porque nos aflige; e se nos é agradável, lamentamos vê-lo escapar. I. Os elementos grifados referem-se a um mesmo antecedente, ou seja, o presente. II. Os verbos ocultar, afligir e lamentar estão flexionados nos mesmos tempo e modo. III. Mantendo-se a correção e a lógica, o segmento porque nos aflige pode ser substituído por porquanto que aflige a nós. Está correto o que se afirma em (A) I, II e III. (B) I e II, apenas. (C) I e III, apenas. (D) II e III, apenas. (E) I, apenas.24. Você é ...... favor da alegria? Nenhum bem é superior ...... alegria de viver aqui e agora. Não há bem preferível ...... felicidade da pessoa que está diante de nós, aqui e agora. (Reflexões de Pierre Levy. O fogo liberador. São Paulo: Iluminuras, 2001) Preenchem corretamente as lacunas da frase acima, na ordem dada: (A) à - à - à (B) a - à - a (C) à - a - à (D) à - à - a (E) a - à - àAtenção: As questões de números 25 e 26 referem-se à tirinha abaixo. (Bill Watterson. Yukon ho! S.Paulo: Conrad, 2008, p.20)25. De acordo com o contexto, a expressão culpa em potencial, utilizada pelo pai de Calvin, tem o sentido de uma culpa que (A) seria sentida no futuro e assim também devia ser expiada futuramente. (B) era virtual e por isso demandava uma expiação também virtual. (C) poderia ser sentida no futuro e por isso era já expiada no presente. (D) viria inevitavelmente a ser sentida um dia, mesmo que fosse agora expiada. (E) já era real por antecipação, o que não significava que pudesse ser de fato expiada.TJURJ-Anal.Jud.-Sem Especialidade-AA 7
  8. 8. Caderno de Prova ’AA’, Tipo 00126. Supondo-se que um dia viesse a ocorrer o que Calvin diz 28. Atente para as seguintes afirmações: ao pai no segundo quadrinho, esta frase poderia dar notícia do fato: I. A autora da carta deixa ver que o abandono das crianças viciadas, denunciado no artigo de Roberto O pai de Calvin acordou um dia e se perguntou para onde Pompeu de Toledo, constitui um mal e um impasse ...... todos aqueles anos, e se ...... que era isso mesmo o social que continuam à margem de quaisquer que o filho, ainda criança, um dia lhe ...... que iria aconte- iniciativas reparadoras. cer. (A) tinham ido - lembrou - dissera II. Entre as mazelas que marcam fundo a vida dos jovens viciados, segundo a autora da carta, estão a (B) foram - lembrara - teria dito infância que deixou de ser vivida e o caráter de exclusão familiar e social. (C) teriam ido - lembrou - diria III. Ao dizer que o outro lado da lua é muito mais es- (D) tinham ido - lembrara - havia dito curo do que se imaginava, a autora da carta sugere que a dura realidade até então oculta é bem pior do (E) foram - lembrava - disse que se suspeitava._________________________________________________________Atenção: As questões de números 27 a 30 referem-se ao Em relação ao texto, está correto APENAS o que se texto abaixo. afirma em (A) I. Carta de leitor (B) II. Li o artigo de Roberto Pompeu de Toledo num fôlego só.A redação em si é um atrativo à parte: analítica, sem ser fria; (C) III.sensível, longe de ser piegas. Impecável. As histórias de vidadas crianças e adolescentes vítimas das drogas são chocantes. (D) I e II.Impossível não se emocionar diante da infância perdida, darejeição dos pais e da sociedade. Mas também é muito gratifi- (E) II e III. _________________________________________________________cante conhecer o trabalho de instituições como o SAID e o Jo- 29. Transpondo-se para a voz passiva a frase O estilo e ovem Samaritano, comandadas por profissionais sérios, envolvi- assunto do artigo viriam a sensibilizar a leitora, obtém-dos com a difícil tarefa de tentar resgatar essas crianças das se a forma verbal:drogas e da indigência. O outro lado da lua é muito mais escuro (A) vinha sendo sensibilizada.do que se imaginava... (Lúcia Galante, São Paulo − Revista Piauí, 57, junho/2011) (B) veio a ser sensibilizada. (C) viria a ser sensibilizada.27. Nessa carta à revista Piauí, a leitora Lúcia Galante refere- se a um artigo de Roberto Pompeu de Toledo, no qual, segundo ela, (D) vêm sensibilizando-a. (A) uma linguagem impecável dá força à dissertação so- (E) viriam a ser sensibilizados. bre a dependência das drogas, ilustrando-a com os _________________________________________________________ fatos que colheu da observação da vida dos me- nores na rua. 30. A supressão das vírgulas altera o sentido da seguinte fra- se: (B) a linguagem vibrante e colorida é capaz de retratar o pitoresco da situação em que vivem crianças aban- (A) Meninos de rua são, quase sempre, vistos como donadas, sujeitas ao tráfico de drogas e ao alicia- párias sociais, e não como vítimas. mento de criminosos. (B) Saber que, felizmente, há instituições como o SAID (C) o poder de análise lembra um ensaio científico, é motivo para alento e renovação de esperanças. apesar da plena empatia do autor com o cotidiano dos menores de rua, que lutam para escapar ao mundo do vício. (C) Não há, hoje em dia, quem possa alegar desco- nhecimento da situação dos jovens viciados. (D) o estilo objetivo, sem sentimentalismos, mostra-se eficaz ao retratar com expressão a vida de menores (D) Aqui e ali, podemos nos deparar com o trágico qua- viciados, à margem da atenção dos pais e da so- dro de menores entregues ao destino das ruas. ciedade. (E) Os menores de rua, que o vício das drogas arreba- (E) um grande apelo retórico intima os leitores a junta- tou, demandam com urgência que os resgatemos rem-se e criarem instituições para combater a difu- desse inferno. são de drogas entre crianças abandonadas.8 TJURJ-Anal.Jud.-Sem Especialidade-AA
  9. 9. Caderno de Prova ’AA’, Tipo 001 34. Com relação ao pacote Microsoft Office 2007, analise: Informática I. No Microsoft Office Word 2007, é possível colocar em ordem alfabética o texto de uma lista com31. Sobre arquivos e pastas no Microsoft Windows XP marcadores ou numerada de um nível. Professional e no Microsoft Windows 7, é correto afirmar: II. Do pacote Microsoft Office 2007, apenas no (A) por padrão, um arquivo excluído de um pen drive Microsoft Word é possível limpar toda a formatação não vai para a lixeira. (como negrito, sublinhado, itálico, cor, sobrescrito, subscrito etc.) do texto e retorná-lo aos estilos de (B) é possível criar subpastas apenas dentro da pasta formatação padrão. Meus Documentos. III. No Microsoft Office Word 2007, ao mostrar as mar- cas de formatação do documento, aparecem pontos (C) uma pasta deve conter apenas um tipo de arquivo. onde deveriam existir espaços, setas onde deve- riam existir tabulações e outros caracteres não es- (D) é possível copiar arquivos de uma pasta para outra, perados. porém, não é possível movê-los. IV. No Microsoft Office Excel 2007, é possível dividir (E) o nome de uma pasta pode conter qualquer carac- uma célula mesclada em células separadas nova- tere possível de se obter por meio do teclado. mente e também dividir uma única célula que não_________________________________________________________ tenha sido mesclada.32. O processador é o componente que realiza as funções de Está correto APENAS o que se afirma em cálculo e tomada de decisão em um computador. A (A) I e II. memória RAM (Random Access Memory) é um compo- nente que permite armazenamento e leitura de dados em (B) I e III. um computador. Normalmente o processador é conectado (C) II e IV. à memória RAM por meio de um barramento de memória (D) III. dedicado. (E) II e IV. _________________________________________________________ Com relação ao tema, analise as asserções a seguir. 35. No Microsoft Windows XP Professional e no Microsoft De certa forma, a memória RAM impede que o compu- Windows 7, é possível definir que um arquivo poderá ser tador obtenha seu desempenho máximo lido, mas as modificações feitas nele não poderão ser gravadas. Para definir isto, clica-se com o botão direito do PORQUE mouse sobre o nome do arquivo, clica-se na opção O processador é muito mais rápido que a memória RAM e (A) Editar e, na guia Resumo, desmarca-se a opção muitas vezes ele tem que ficar esperando a memória estar Permitir gravação. disponível para poder entregá-la um determinado dado. (B) Propriedades e, na guia Geral, desmarca-se a opção Permitir gravação. Acerca dessas asserções, é correto afirmar: (C) Propriedades e, na guia Geral, seleciona-se o atri- (A) Tanto a primeira quanto a segunda asserções são buto Somente leitura. proposições falsas. (D) Sistema e, na guia Geral, seleciona-se a opção Leitura e gravação e desmarca-se a opção Permitir (B) A primeira asserção é uma proposição verdadeira, e gravação. a segunda, uma proposição falsa. (E) Atributos e, na guia Ferramentas, seleciona-se a (C) A primeira asserção é uma proposição falsa, e a opção Somente leitura. segunda, uma proposição verdadeira. _________________________________________________________ GRUPO II (D) As duas asserções são proposições verdadeiras, e a segunda é a justificativa correta da primeira. Direito Administrativo (E) As duas asserções são proposições verdadeiras, mas 36. O princípio da legalidade, quando dirigido à Administração a segunda não é a justificativa correta da primeira. Pública, expressa-se, entre outras hipóteses, na_________________________________________________________ (A) concessão de benefícios a servidores valendo-se33. No Microsft Windows XP Professional, para verificar a ver- como fundamento exclusivamente a analogia. são do Windows, os dados do processador e a quan- tidade de memória RAM do computador, clica-se com o (B) restrição à esfera de direitos dos administrados, botão direito do mouse na opção Meu Computador e se- exceto quando se tratar de poder discricionário, que leciona-se a opção dispensa previsão legal. (C) obrigação de respeitar integralmente os direitos indi- (A) Sistema. viduais dos administrados, sendo-lhe vedada a imposição de qualquer restrição ou limitação. (B) Pesquisar. (D) limitação da esfera de atuação da Administração Pú- (C) Gerenciar. blica para imposição de restrição aos direitos dos administrados. (D) Propriedades. (E) permissão para a Administração Pública praticar (E) Explorar. todos os atos que a lei não proíba.TJURJ-Anal.Jud.-Sem Especialidade-AA 9
  10. 10. Caderno de Prova ’AA’, Tipo 00137. Com relação às prerrogativas e sujeições dos entes que integram a Administração Indireta, tem-se que as Direito Constitucional (A) empresas públicas submetem-se ao processo espe- 41. No curso de processo administrativo tendo por objeto a cial de execução previsto no artigo 100 da Cons- apuração de faltas funcionais por servidor dos quadros do tituição Federal e gozam de imunidade tributária re- Poder Judiciário, entende a autoridade que conduz o lativa a impostos sobre o patrimônio. processo pela necessidade de compilação de provas con- tundentes dos atos supostamente faltosos, considerando (B) autarquias gozam de imunidade tributária relativa a apto a esse fim o acesso às comunicações telefônicas do impostos sobre o patrimônio e seus bens estão pro- servidor, mantidas tanto em sua unidade de lotação quan- tegidos pela impenhorabilidade, submetendo-se, ain- to a partir de sua residência. da à tutela do ente instituidor. Nessa hipótese, considerada a disciplina constitucional (C) empresas públicas submetem-se ao processo espe- dos direitos e garantias fundamentais, a prova pretendida cial de execução previsto no artigo 100 da Constitui- ção Federal, o que não afasta a submissão à tutela (A) poderá ser produzida, desde que mediante determi- do ente que as instituiu. nação judicial, ficando restrita, contudo, às comuni- cações telefônicas mantidas em sua unidade de (D) fundações públicas e as autarquias submetem-se ao lotação. regime geral de execução, embora gozem de imu- nidade tributária relativa a impostos sobre o patri- (B) poderá ser produzida, independentemente de deter- mônio. minação judicial específica, por se tratar de processo administrativo que tramita perante o próprio Poder (E) fundações, ainda que públicas, submetem-se ao re- Judiciário, garantindo-se ao acusado, contudo, o gime jurídico de direito privado, o que afasta a imu- contraditório e a ampla defesa. nidade tributária relativa a impostos sobre o patrimô- nio e a submissão à tutela do ente que as instituiu. (C) poderá ser produzida, desde que mediante determi-_________________________________________________________ nação judicial, podendo atingir igualmente as comu- nicações telefônicas mantidas no ambiente de traba-38. A autotutela que informa a atuação da Administração Pú- lho e as residenciais, a qualquer hora do dia. blica compreende (D) não poderá ser produzida, nem mesmo por deter- (A) a possibilidade de revogar os atos ilegais que te- minação judicial, uma vez que a Constituição somen- nham sido praticados no âmbito da Administração. te autoriza a realização de interceptação telefônica (B) a faculdade de anular os atos administrativos por para fins de investigação criminal ou instrução pro- razões de oportunidade e conveniência, atendendo cessual penal. ao interesse público. (E) poderá ser produzida, desde que mediante determi- (C) o dever de revogar os atos administrativos por vício nação judicial, restringindo-se, no entanto, a intercep- de ilegalidade, retroagindo seus efeitos à data da tação das comunicações telefônicas residenciais ao edição do ato. período diurno. _________________________________________________________ (D) o dever de anular os atos administrativos por razões de oportunidade e conveniência, atendendo ao inte- o 42. Por meio da Lei Complementar Estadual n 87, de dezem- resse público. bro de 1997, e alterações posteriores, foi instituída a Re- (E) a anulação dos atos administrativos eivados de vício gião Metropolitana do Rio de Janeiro, com vistas à or- de ilegalidade, observado o prazo decadencial. ganização, ao planejamento e à execução de funções_________________________________________________________ públicas de interesse metropolitano ou comum. Por inter- médio da mesma lei complementar e com a finalidade de39. Dentre os atributos do ato administrativo, aquele que se organizar, planejar e executar funções públicas de interes- traduz na imposição a terceiros, independentemente de se comum, foi ainda instituída a Região da Costa Verde, sua concordância, é a dividida em duas microrregiões. (A) tipicidade. Considerada a disciplina constitucional da matéria, é cor- (B) autoexecutoriedade. reto afirmar que, no que se refere aos pontos acima desta- (C) imperatividade. cados, (D) presunção de veracidade. (E) presunção de legitimidade. (A) a instituição da Região Metropolitana foi realizada_________________________________________________________ em conformidade com as exigências da Constituição40. O contraditório e a ampla defesa são garantias conferidas da República, mas a instituição das microrregiões aos administrados em processos poderia ter sido feita por lei ordinária. (A) judiciais e administrativos, desde que disciplina- (B) a instituição da Região Metropolitana e das micror- res. regiões foi realizada em conformidade com as exi- gências da Constituição da República, quanto a for- (B) judiciais, em qualquer fase, e administrativos, exceto ma e finalidades. no que se refere à apresentação de recurso, vedada na esfera administrativa. (C) a instituição da Região Metropolitana e das micror- regiões não poderia visar à execução de funções pú- (C) judiciais, expressamente, e em processos adminis- blicas de interesse comum, mas tão somente a sua trativos, apesar de não haver expressa previsão organização e seu planejamento. constitucional. (D) o Estado não poderia instituir Região Metropolitana (D) administrativos, desde que não tenham sido instau- sem prévia autorização da União, mas tão somente rados por provocação dos interessados, hipótese em as microrregiões. que toda a prova das alegações deve vir juntada ao requerimento inicial. (E) somente a União poderia instituir a Região Metropo- litana, uma vez que entre seus objetivos estão a (E) administrativos que possam ensejar restrição a direi- organização e o planejamento de funções públicas to dos interessados. de interesse comum.10 TJURJ-Anal.Jud.-Sem Especialidade-AA
  11. 11. Caderno de Prova ’AA’, Tipo 00143. Um servidor público estável, ocupante de cargo efetivo em 45. Considere o seguinte extrato de ata de julgamento, pu- órgão da administração direta municipal, perde o cargo blicado no Diário Oficial de 27 de novembro de 2009: mediante processo administrativo, em que lhe é assegura- da ampla defesa. Questionando judicialmente a decisão Proposta de súmula vinculante 21 administrativa, o servidor reverte a decisão, sendo sua de- missão invalidada por sentença judicial, anos mais tarde. Decisão: O Tribunal, por unanimidade, acolheu e aprovou a Durante esse período, a vaga foi preenchida por servidora proposta de edição da Súmula Vinculante no 21, nos seguintes estável, que permaneceu no exercício efetivo do cargo. termos: ‘É inconstitucional a exigência de depósito ou arrolamento prévios de dinheiro ou bens para admissibilidade de recurso Nesse caso, administrativo’. Votou o Presidente, Ministro Gilmar Mendes. Ma- (A) a demissão processou-se irregularmente, pois o ser- nifestou-se, pelo Ministério Público Federal, o Dr. Haroldo Ferraz vidor público estável somente pode perder o cargo da Nóbrega. Ausentes, licenciado, o Senhor Ministro Joaquim em virtude de sentença judicial transitada em julgado Barbosa e, justificadamente, o Senhor Ministro Ricardo ou de procedimento de avaliação periódica de de- Lewandowski. Plenário, 29.10.2009. sempenho, assegurada ampla defesa. (B) a invalidação da demissão por sentença judicial é A esse respeito, analise as seguintes afirmações, à luz irregular, pois a Constituição admite a perda de car- das normas da Constituição da República relativas à edi- go de servidor público estável mediante processo ção de súmulas vinculantes: administrativo em que lhe seja assegurada ampla defesa. I. Trata-se de aprovação de proposta de súmula de (C) o servidor será submetido a avaliação especial de de- efeito vinculante pelo Supremo Tribunal Federal. sempenho, por comissão instituída para essa finalida- de, como condição para sua reintegração no cargo. II. A súmula em questão, por se referir a recurso admi- nistrativo, vinculará órgãos e entes da adminis- (D) o servidor ficará em disponibilidade, com remunera- tração direta e indireta, nas esferas federal, esta- ção proporcional ao tempo de serviço, até seu ade- dual e municipal, mas não os demais órgãos do quado aproveitamento em outro cargo, permanecen- Poder Judiciário. do a ocupante da vaga no cargo em questão. (E) o servidor será reintegrado no cargo e a ocupante da III. A partir da publicação da Súmula Vinculante no 21, vaga, sendo estável, será reconduzida ao cargo de o ato administrativo que implicar a exigência de de- origem, sem direito a indenização, aproveitada em pósito prévio de dinheiro para admissibilidade de outro cargo ou posta em disponibilidade com remu- recurso administrativo poderá ser objeto de recla- neração proporcional ao tempo de serviço. mação ao Supremo Tribunal Federal que, julgando-_________________________________________________________ a procedente, anulará o ato administrativo recla- mado e determinará que outro seja proferido com a44. Uma magistrada de primeira instância da Justiça estadual aplicação da súmula. é casada com um membro do Ministério Público estadual, sendo ambos integrantes das carreiras respectivas desde Está correto o que se afirma em fevereiro de 2010, em virtude de aprovação em concurso público. Como, porém, estão lotados em comarcas dis- (A) I, apenas. tintas, mantêm residências separadas e pretendem, agora, voltar a residir juntos. (B) II, apenas. Consideradas as normas da Constituição da República aplicáveis ao caso, a magistrada (C) I e II, apenas. (A) estará obrigada a residir na comarca respectiva, mas (D) I e III, apenas. o membro do Ministério Público poderá requerer au- torização do chefe da instituição para residir fora da comarca de sua lotação. (E) I, II e III. _________________________________________________________ (B) dependerá de decisão por voto da maioria absoluta do respectivo tribunal ou do Conselho Nacional de Direito Processual Civil Justiça para residir fora da comarca respectiva, mas o membro do Ministério Público estará impedido de 46. No tocante à capacidade processual, mudar-se, por ser inamovível. (A) o cônjuge não necessita do consentimento do outro (C) estará obrigada a residir na comarca respectiva, as- para a propositura de qualquer ação. sim como o membro do Ministério Público, por se- rem ambos inamovíveis. (B) o juiz dará curador especial ao réu que, citado pes- soalmente, tornar-se revel. (D) poderá requerer autorização do respectivo tribunal para residir fora da comarca respectiva, assim como (C) ambos os cônjuges serão citados nas ações que o membro do Ministério Público poderá requerer versem sobre direitos reais imobiliários, se casados autorização do chefe da instituição para residir fora sob o regime da comunhão parcial de bens. da comarca de sua lotação. (E) estará impedida de mudar-se da comarca em que é (D) verificando a incapacidade processual ou a irregula- lotada, por ser inamovível, ao passo que o membro ridade da representação da parte, o juiz de imediato do Ministério Público dependerá de decisão do ór- extinguirá o processo sem resolução de mérito. gão colegiado competente da instituição, pelo voto da maioria absoluta de seus membros, para mu- (E) a participação do cônjuge do autor ou do réu é sem- dar-se. pre indispensável nas ações possessórias.TJURJ-Anal.Jud.-Sem Especialidade-AA 11
  12. 12. Caderno de Prova ’AA’, Tipo 00147. Quanto às despesas e honorários advocatícios proces- 51. Quanto ao tempo e do lugar dos atos processuais, é cor- suais, reto afirmar que (A) compete ao autor adiantar as despesas relativas a (A) os atos processuais realizar-se-ão em regra em dias atos, cuja realização o juiz determinar de ofício ou a úteis, das seis às vinte horas, podendo-se concluir requerimento do Ministério Público. após esse horário os atos iniciados antes, quando o adiamento prejudicar a diligência ou causar grave (B) se cada parte for em parte vencedor e vencido, ca- dano. berá ao autor pagar os honorários e as despesas, por ter tido a iniciativa do processo. (B) a citação e a penhora podem realizar-se ordinaria- mente nos domingos e feriados, sem necessidade (C) se o processo terminar por desistência ou reconhe- de autorização judicial expressa. cimento do pedido, as despesas e os honorários serão pagos igualmente pelas partes. (C) durante os recessos e nos feriados praticam-se ro- (D) as despesas dos atos processuais, efetuados a re- tineiramente os atos processuais, à exceção de au- querimento do Ministério Público ou da Fazenda Pú- diências. blica, serão sempre pagas ao final pelo Estado. (D) são feriados os sábados, os domingos os de pontos (E) sempre que um litigante decair de parte mínima do facultativos e os dias santificados, para efeitos forenses. pedido, haverá responsabilidade proporcional pelas (E) os atos processuais realizar-se-ão somente na sede despesas e honorários, no percentual respectivo. do juízo, em toda e qualquer situação.__________________________________________________________________________________________________________________48. No que se refere à competência, 52. Quanto aos prazos processuais, (A) a ação em que o incapaz for réu se processará no (A) uma vez suspenso o curso do prazo por obstáculo foro de seu próprio domicílio. criado pela parte, sua restituição será pelo tempo integral estabelecido pela lei ou pelo juiz. (B) se tiver mais de um domicílio, o réu será demandado no foro do autor, necessariamente. (B) os prazos estabelecidos pela lei ou pelo juiz não são contínuos, interrompendo-se nos feriados. (C) a ação fundada em direito pessoal e a ação fundada em direito real sobre bens móveis serão propostas, (C) a superveniência de recessos não suspenderá o em regra, no foro do domicílio do réu. curso do prazo, mas o ato processual poderá ser praticado no primeiro dia útil subsequente. (D) nas ações fundadas em direito real sobre imóveis é competente o foro da residência do proprietário do (D) os atos processuais realizar-se-ão nos prazos pres- bem. critos em lei; se esta for omissa, o juiz determinará (E) o domicílio do alimentante é o competente para a os prazos considerando a complexidade da causa. ação em que se pedem alimentos. (E) se todas as partes estiverem de acordo, é possível_________________________________________________________ reduzir ou prorrogar os prazos peremptórios. _________________________________________________________49. Compete ao juiz em sua atuação processual, 53. No que se refere à citação processual, é correto afirmar que (A) apreciar a prova dos autos de acordo com a hierar- quia de relevância prevista em lei. (A) sua falta não pode ser suprida de nenhum modo, por se tratar de ato formal e solene. (B) decidir por equidade toda vez que entender que a lei é omissa ou insuficiente para realizar a justiça. (B) a citação válida torna prevento o juiz, induz litispen- dência e faz litigiosa a coisa; e, ainda que ordenada (C) desde que requerido pela parte, e apenas quando por juiz incompetente, constitui em mora o devedor e provocado nos autos, determinar as provas neces- interrompe a prescrição. sárias à instrução do processo, indeferindo as dili- gências inúteis ou meramente protelatórias. (C) será feita por oficial de justiça, telefone, fax ou en- dereçamento eletrônico, desde que comprovada sua (D) dar início aos processos toda vez que entender que autenticidade. a questão é de interesse social. (D) a citação poderá ser feita pelo correio somente nas (E) se ficar convencido, pelas circunstâncias da causa, de capitais do país. que o autor e réu se serviram do processo para pra- ticar ato simulado ou conseguir fim proibido por lei, (E) far-se-á por edital quando o autor for beneficiário da proferir sentença que obste aos objetivos das partes. gratuidade judiciária.__________________________________________________________________________________________________________________50. Os atos processuais 54. Examinadas a formação, a suspensão e a extinção do processo, (A) podem ser praticados pelo lançamento, nos autos, (A) considera-se proposta a ação, tanto que a petição de cotas marginais ou interlineares, sem qualquer inicial seja despachada pelo juiz, ou simplesmente consequência processual. distribuída, onde houver mais de uma vara. (B) não podem ser realizados por meios eletrônicos, por (B) o processo civil começa por impulso oficial do juiz, ainda inexistir regulamentação legal sobre a matéria. mas se desenvolve por iniciativa das partes. (C) em regra, correm em segredo de justiça, excepcio- (C) até o saneamento do processo é possível modifi- nalmente podendo-se dar publicidade a eles. car o pedido ou a causa de pedir, independente de (D) não podem, em regra, ser presenciados exceto anuência do réu. pelas partes e por seus advogados. (D) durante a suspensão do processo, em nenhuma hipótese, poderá ser realizado ato processual. (E) não dependem de forma determinada senão quando a lei expressamente a exigir, reputando-se válidos (E) extingue-se o processo quando a sentença de mérito os que, realizados de outro modo, lhe preencham a tiver por pressuposto o julgamento de questão de finalidade essencial. estado, requerido como declaração incidente.12 TJURJ-Anal.Jud.-Sem Especialidade-AA
  13. 13. Caderno de Prova ’AA’, Tipo 00155. Em relação ao procedimento sumário, é correto afirmar que 59. No que tange ao cumprimento da sentença, (A) o juiz designará audiência de conciliação, instrução e julgamento e nele só se poderá produzir prova oral, (A) após a condenação definitiva, o devedor será nova- mente citado para cumprir a obrigação, em 24 horas, pois se trata de procedimento, por sua agilidade, in- mesmo que se trate de quantia certa e determinada, compatível com a prova pericial. sob pena de penhora. (B) os atos processuais serão realizados verbalmente, somente a sentença proferindo-se mediante a lavra- (B) é provisória a execução da sentença impugnada me- tura de termo. diante recurso recebido nos efeitos devolutivo e (C) não há possibilidade de sua conversão para o proce- suspensivo. dimento ordinário, embora o contrário possa ocorrer. (C) a impugnação ao cumprimento só poderá versar so- (D) é o procedimento a ser adotado nas ações de arren- bre excesso de execução e inexigibilidade do título. damento rural e de parceria agrícola, bem como nas que versem sobre revogação de doação, qualquer (D) não sendo requerida a execução em seis meses, o que seja o valor da causa. juiz extinguirá o processo. (E) a sentença será necessariamente proferida em au- diência, após os debates finais pelas partes. (E) quando houver na sentença uma parte líquida e ou-_________________________________________________________ tra ilíquida, ao credor é lícito promover simultanea-56. A revelia mente a execução da parte líquida e, em autos apar- tados, a liquidação da parte ilíquida. (A) induz presunção absoluta de veracidade dos fatos e _________________________________________________________ do direito alegados pelo autor em face do réu. 60. Quanto aos recursos, é INCORRETO afirmar que (B) não induz o efeito de se reputarem verdadeiros os fatos afirmados pelo autor se a petição inicial não estiver acompanhada do instrumento público, que a (A) a parte, que aceitar expressa ou tacitamente a sen- lei considere indispensável à prova do ato. tença ou a decisão, não poderá recorrer. (C) não ocorre se o litígio versar sobre direitos disponí- (B) a renúncia ao direito de recorrer não depende da veis pelo réu. aceitação da outra parte. (D) implica que, uma vez reconhecida, o réu não poderá mais intervir no processo proposto contra ele pelo (C) o recorrente não poderá desistir dos recursos, salvo autor. com a anuência do recorrido ou dos litisconsortes. (E) uma vez declarada, o autor poderá, livremente, alte- rar a causa de pedir e o pedido formulados. (D) dos despachos não cabe recurso._________________________________________________________ (E) das decisões interlocutórias cabe agravo, retido ou57. Quanto à produção das provas, por instrumento. (A) a confissão judicial só pode ser feita espontânea e _________________________________________________________ pessoalmente pela parte confitente. Direito Processual Penal (B) o depoimento pessoal pode ser requerido pela parte contrária ou determinado de ofício, pelo juiz, em 61. Em relação à instauração de inquérito policial, é correto qualquer estado do processo, a fim de interrogar a afirmar que nos crimes de ação penal parte sobre os fatos da causa. (C) o documento, feito por oficial público incompetente, (A) privada, a autoridade policial não poderá instaurar o ou sem a observância das formalidades legais, mes- inquérito policial de ofício. mo que subscrito pelas partes, não terá qualquer eficácia jurídica. (B) pública condicionada, a autoridade policial poderá (D) qualquer pessoa pode depor como testemunha, des- instaurar inquérito policial de ofício. de que maior de 18 anos. (C) privada, a autoridade policial poderá instaurar o (E) o juiz encontra-se vinculado à prova pericial, se foi inquérito policial mediante requisição do Ministério produzida por laudo elaborado por perito por ele no- Público. meado nos autos e, portanto, de sua confiança._________________________________________________________ (D) privada, a requisição do Ministério Público supre a58. Na audiência, necessidade de requerimento do ofendido. (A) quando o litígio versar sobre direitos patrimoniais de caráter privado, o juiz, de ofício, determinará o com- (E) pública condicionada, a autoridade policial poderá parecimento das partes ao início da audiência de instaurar inquérito policial a partir de comunicação instrução e julgamento, a fim de tentar conciliá-las. da infração feita por qualquer pessoa do povo. _________________________________________________________ (B) como regra geral, tentar-se-á sempre a conciliação, salvo em causas relativas à família, nas quais a tran- 62. O prazo para oferecimento da denúncia, estando o réu sação não é possível. preso, é de (C) os advogados das partes fixarão os pontos contro- vertidos, sobre os quais incidirão as provas, cabendo (A) cinco dias. ao juiz efetuar as perguntas correspondentes. (B) dez dias. (D) as provas sempre serão realizadas na ordem em que o juiz reputar mais conveniente ou oportuna. (C) oito dias. (E) instruída a causa, e independente de sua natureza, (D) seis dias. as partes debaterão de imediato, proferindo o juiz a sentença, também nesta ocasião, necessariamente. (E) quinze dias.TJURJ-Anal.Jud.-Sem Especialidade-AA 13
  14. 14. Caderno de Prova ’AA’, Tipo 00163. Em regra geral, o prazo para a propositura da queixa é de 68. No que toca à citação, é correto afirmar que (A) trinta dias, contados do dia em que relatado o in- (A) estando o acusado no estrangeiro, em lugar sabido, quérito policial. será citado mediante carta precatória. (B) se o acusado citado por edital não comparecer, nem (B) seis meses, contados do dia em que o ofendido vier constituir advogado, o processo seguirá sem a sua a saber quem é o autor do crime. presença. (C) trinta dias, contados da data do fato. (C) o réu preso não será citado. (D) seis meses, contados do dia em que enviados os (D) verificado que o réu se oculta para não ser citado, o autos do inquérito policial a juízo. oficial certificará e procederá à citação com hora certa. (E) trinta dias, contados do dia em que instaurado o (E) o mandado não precisa indicar o fim para o qual é inquérito policial. feita a citação._________________________________________________________ _________________________________________________________64. Em relação à ação penal privada, é correto afirmar que 69. A sentença, no processo penal, (A) a renúncia de um dos querelantes se estende aos (A) comporta embargos de declaração apenas no caso demais. de omissão. (B) o perdão independe de aceitação, expressa ou tá- (B) será publicada em mãos do escrivão. cita. (C) não poderá reconhecer a reincidência caso não te- nha sido alegada pelo Ministério Público. (C) ocorre perempção se o querelante deixar de compa- recer, sem motivo justificado, a qualquer ato do pro- (D) fixará valor máximo para a reparação dos danos cesso a que deva estar presente. causados pela infração, considerando os prejuízos sofridos pelo ofendido. (D) esgotado o prazo para a propositura da queixa, o (E) não comporta decretação da prisão preventiva do Ministério Público pode reassumir a causa. acusado. _________________________________________________________ (E) ocorre perempção se o querelante deixar de promover o andamento do processo por quinze dias ininterruptos. 70. O juiz, na sentença absolutória,_________________________________________________________ (A) não poderá reconhecer a inexistência do fato.65. NÃO é causa de fixação de competência jurisdicional, (B) não poderá ordenar a cessação das medidas cau- (A) a natureza da infração. telares e provisoriamente aplicadas. (B) a distribuição. (C) poderá aplicar medida de segurança. (C) o domicílio da vítima. (D) a prevenção. (D) não reconhecerá circunstância que isente o réu de pena. (E) o lugar da infração. (E) mandará, sempre, por o réu em liberdade._________________________________________________________ _________________________________________________________66. Em relação aos sujeitos do processo penal, é correto afir- 71. O procedimento será comum ordinário quando tiver por mar que objeto a apuração de crime (A) as partes podem intervir na nomeação do perito. (A) punido com reclusão. (B) o Ministério Público não pode requerer a absolvição (B) cuja sanção máxima cominada for igual ou superior do acusado. a três anos de pena privativa de liberdade. (C) o assistente de acusação pode ser admitido no pro- (C) cuja sanção máxima cominada for inferior a quatro cesso somente antes do interrogatório do acusado. anos de pena privativa de liberdade. (D) punido com detenção. (D) o acusado foragido pode ser julgado sem defensor. (E) cuja sanção máxima cominada for igual ou superior (E) a audiência poderá ser adiada se, por motivo justi- a quatro anos de pena privativa de liberdade. ficado, o defensor não puder comparecer. __________________________________________________________________________________________________________________ 72. Em relação à instrução criminal, é correto afirmar que67. NÃO poderá ser arguida ou reconhecida a suspeição do juiz, caso este (A) a denúncia será recebida mesmo quando faltar justa causa para o exercício da ação penal. (A) tenha aconselhado qualquer das partes. (B) o acusado, na resposta à acusação, poderá arguir (B) seja sócio, acionista ou administrador de sociedade apenas preliminares. interessada no processo. (C) o acusado, no procedimento comum sumário, tem prazo de cinco dias para responder à acusação. (C) seja amigo íntimo ou inimigo capital do advogado de qualquer das partes. (D) o juiz deverá absolver sumariamente o acusado ante a existência manifesta de causa excludente de ilici- (D) esteja respondendo a processo que tenha de ser tude do fato. julgado por qualquer das partes. (E) o juiz, recebida a denúncia, designará dia e hora pa- (E) seja credor ou devedor de qualquer das partes. ra a audiência, dispensada a intimação do acusado.14 TJURJ-Anal.Jud.-Sem Especialidade-AA

×