SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 28
Baixar para ler offline
CURSO INTRODUTÓRIO EM PRÁTICAS
INTEGRATIVAS E COMPLEMENTARES:
ANTROPOSOFIA APLICADA À SAÚDE
Recursos terapêuticos e papel da equipe de saúde
no cuidado orientado pela Antroposofia
Maria Fernanda Camarano
A Antroposofia transforma a minha prática quando
observo o ser humano
com a visão antroposófica, quando atuo nos grupos
de educação em saúde,
no trabalho em equipe, na prática de intersetorialidade,
na construção das redes sociais.
Paulo Maurício Vieira
Médico do PSF de São João D’el Rey Minas Gerais
A Antroposofia aplicada à saúde, baseada na cosmovisão
antroposófica sobre o ser humano e suas relações, oferece um campo
extenso de possibilidades de atuação para os diversos profissionais a
partir de seus princípios, especialmente em Atenção Primária.
No seu campo conceitual pode-se dizer que a antroposofia aplicada à
saúde estimula o desenvolvimento de um olhar artístico e poético sobre a
existência humana, a natureza e o universo. Todas as etapas do ciclo de
vida humana podem ser compreendidas como partes de um processo
sagrado, complexo e integrado.
Cada fase - gestação, nascimento, aleitamento ao seio, desenvolvimento
infantil, adolescência, juventude, maturidade, envelhecimento e morte –
tem significado e leis próprias, necessitando de abordagem específica.
Embora todos os indivíduos percorram estas fases ou parte delas, cada um
o faz de maneira singular, absolutamente individual.
O impulso advindo da Antroposofia para todo profissional da saúde é
compreender o ser humano como um ser possuidor de
CORPO, ALMA E ESPÍRITO e, de acordo com esse princípio, orientar tanto
o diagnóstico como o tratamento.
Temos de admitir que toda doença é uma crise, e que o paciente pode assumi-
la ou evitá-la.
Essas questões só podem ser abordadas adequadamente se, por trás do
decurso patológico, for vista a individualidade do paciente e como ele está
encarando e elaborando a sua patologia.
Como existe um processo adoecedor, a cura é também um caminho a ser
percorrido no entendimento e na superação deste processo.
Por meio de medicamentos e terapias não medicamentosas, a equipe
multidisciplinar, a partir desse conhecimento, pode atuar tentando restituir o
equilíbrio perdido.
A Medicina Antroposófica oferece muitas possibilidades de
abordagem terapêutica, além da terapia medicamentosa. Nesse tipo de
abordagem, os profissionais na saúde podem atuar de forma
interdisciplinar, em diferentes recursos terapêuticos: aplicações externas,
banhos terapêuticos, massagem rítmica, terapia artística, euritmia,
quirofonética, cantoterapia e terapia biográfica.
A escolha da terapia mais indicada baseia-se no diagnóstico
ampliado sobre o tipo de desequilíbrio em questão.
CUIDADOS DE ENFERMAGEM:
Aplicações Externas
As Aplicações Externas compreendem a administração de escalda-pés,
enfaixamentos, compressas e emplastros à base de chás, óleos e pomadas.
Sendo a pele uma grande camada lipoprotéica que recobre todo o corpo
e que possui uma extensa rede circulatória em sua camada mais
profunda(subcutâneo), muitas substâncias podem ser administradas por esta
via quando presentes em veículo lipossolúvel. Outro aspecto aqui envolvido é
o direcionamento do calor como é o caso dos escalda-pés e compressas com
chás em regiões do corpo específicas (abdome, pelve).
Geralmente são feitas por enfermeiros, mas pode ser utilizadas por
profissionais técnicos de enfermagem.
CUIDADOS DE ENFERMAGEM:
Banhos Terapêuticos
Os banhos terapêuticos são de imersão, com a administração
de óleos à base de plantas medicinais como lavanda, pinus,
citrus e outros. São indicados nos tratamentos de desnutrição,
alergias, câncer, enxaquecas e outros.
MASSAGEM RÍTMICA
É feita por profissionais com capacitação específica e tem como base a
massagem sueca.
Parte da noção de que a vida que se desenvolve no tempo é
sustentada por ritmos.
Os processos vitais do organismo centrados no corpo etérico
são perpassados pelo ritmo que parte da região média do corpo
(tórax), o qual atua compensando e harmonizando polaridades.
A Massagem Rítmica atua a partir dos corpos físico e etérico, que através do
ritmo permite a manifestação do anímico espiritual.
MASSAGEM RÍTMICA: COMO É FEITA
No centro de sua atuação está o elemento rítmico que é
levado ao organismo através de toques de sucção, em vez de pressão,
executados com leveza.
Com a mão o massagista deve ser capaz de ativar a sístole que
configura e a diástole que dissolve, mediante diversas qualidades de toque.
Atua assim como um coração na periferia do organismo, na pele.
Com ritmo e leveza as forças harmonizantes e compensadoras
do Sistema Rítmico são estimuladas e sustentadas e as forças
de empuxo do corpo etérico impulsionadas.
INDICAÇÕES
Estimular ou abrandar as atuações dos sistemas polares Neurosensorial
e Metabólico motor.
Para doenças respiratórias, circulatórias, distúrbios
metabólicos, distúrbios do sono.
É particularmente indicada em:
• distúrbios de desenvolvimento de crianças, pois é através do físico
etérico que o ser chega ao mundo;
• nas doenças degenerativas do sistema nervoso e coluna, como o
Parkinson e Esclerose múltipla, doenças autoimunes e câncer. Neste
caso, possui sequências e qualidades de toques específicas para cada
caso.
TERAPIA ARTÍSTICA
É realizada por profissionais com capacitação específica pelas escolas de
formação em terapia artística do Brasil e fundamenta-se no conhecimento
teórico e prático dos elementos das artes plásticas e das leis que os regem.
Através desses elementos (cor, forma, volume, disposição espacial etc...)
possibilita que o paciente vivencie os arquétipos da criação, ou seja, se re-
conecte às leis que são inerentes à sua natureza, trazendo um contato com a
essência sanadora de cada um.
TERAPIA ARTÍSTICA
Ela se diferencia da arte no que diz respeito à atitude interior,
métodos e propósitos.
O caminho terapêutico tem a intenção de transformar cada
dificuldade em exercícios terapêuticos que possibilitem a atividade
sanadora.
INDICAÇÕES
A terapia artística pode ser aplicada a todos os casos de doença ou
desarmonia, sendo que em cada situação será utilizado um meio
específico adequado: pintura, modelagem ou desenho.
O paciente enfrenta limites, supera dificuldades, aprende a adaptar-se
ao material que usa, aceita as falhas e tende a desenvolver auto-
confiança e auto-estima.
INDICAÇÕES
Possibilita uma transformação, sendo o paciente o agente que segue e
dá continuidade a um determinado processo que lhe traz harmonia. Dá
forma onde há pouca estrutura, dissolve onde há rigidez, dá clareza
onde tudo é vago e traz fantasia onde a mente está endurecida.
O resultado artístico em si não é o objetivo: a importância está no
processo vivenciado e elaborado pelo paciente, por meio das práticas
artísticas propostas.
EURITMIA
A euritmia é realizada por profissionais com capacitação específica e é
considerada uma arte de movimento. Nesta arte a
movimentação dos membros está diretamente relacionada à
produção da fala e às leis musicais.
Ela revela, por meio dos movimentos, as qualidades interiores
dos conteúdos poéticos e as leis contidas nos elementos
musicais.
Gestos corporais e formas percorridas no espaço adquirem vida e
significado por meio dos fonemas, ritmos, sons e tons, intervalos e
andamentos dessas duas artes temporais: poesia e música.
Modalidades de Euritmia :
Artística (ou de palco)
Pedagógica (é utilizada nas escolas antroposóficas)
Higiênica (utilizada como atividade regular preventiva
e em grupos sociais)
Terapêutica (como auxiliar ao tratamento médico)
INDICAÇÕES PARA A EURITMIA CURATIVA
É utilizada no tratamento de doenças agudas, crônicas e
degenerativas, em crianças, adultos e idosos.
Também como prevenção e profilaxia na manutenção da
saúde.
QUIROFONÉTICA
É realizada por profissionais com capacitação específica e é uma
terapia que atua com a força terapêutica dos fonemas através da
massagem.
Nos deslizamentos manuais feitos pelo terapeuta nas costas,
pernas e braços do paciente se procura reproduzir o caminho
do ar nos órgãos fonoarticulatórios.
Originalmente foi desenvolvida para os distúrbios da fala, mas hoje
suas indicações são bastante ampliadas. Pela euritmia, o corpo produz
a fala, através da quirofonética o corpo recebe a fala.
INDICAÇÕES
Na Fonoaudiologia: dificuldades de aquisição da linguagem (afasias,
disfasias, gagueira...), nos distúrbios de leitura e escrita.
Na Psicopedagogia: dificuldades de aprendizagem
Na Psicologia: nos sintomas de stress e sintomas psicossomáticos, nos
distúrbios do sono e do apetite (anorexia, bulimia), no
acompanhamento à drogadicção e à obesidade, nas dificuldades de
desenvolvimento da criança, enurese noturna, nas fobias e ansiedade
Infantil.
INDICAÇÕES
Na Medicina: como complemento aos tratamentos de distúrbios
bipolares, nas depressões, nas psicoses, nas epilepsias, no autismo
infantil.
No acompanhamento às doenças respiratórias (asma, bronquite),
distúrbios digestivos e metabólicos, no acompanhamento ao
climatério e distúrbios menstruais, a quadros neurológicos (paralisias e
paresias cerebrais, nas epilepsias), nas doenças crônico-degenerativas.
CANTOTERAPIA
Terapia realizada por profissionais com capacitação específica que utiliza os
elementos musicais, dos fonemas, tons, ritmos, movimentos respiratórios e
ressonância da voz. O canto facilita ao ser humano a expressão daquilo que está
em seu interior.
Os elementos do canto e as leis da música são compreendidos pela
Antroposofia como forças arquetípicas que constituem o homem como ser
físico, anímico e espiritual.
Cantando o homem traz à tona a manifestação destas forças, que vão atuar
nestes diferentes níveis. Ao praticar os exercícios terapêuticos e higiênicos se
abre para o paciente, por meio de uma ausculta atenta, um caminho mais
profundo de autoconhecimento e fortalecimento do seu EU.
INDICAÇÕES
Cantar é uma atividade que envolve o corpo inteiro, mas
essencialmente a respiração.
Pode-se, através do canto, aprender a respirar e dissolver
bloqueios respiratórios muitas vezes associados à tensão
emocional, de uma maneira lúdica.
A Cantoterapia é indicada como trabalho profilático vocal no
canto individual ou em grupo, nos distúrbios da voz e das vias
respiratórias, em distúrbios crônicos do metabolismo, nas doenças
inflamatórias crônicas e degenerativas, nos
transtornos funcionais e nas doenças psicossomáticas e
neuropsiquiátricas.
REORGANIZAÇÃO NEUROFUNCIONAL
MÉTODO PADOVAN
Realizada por profissionais com capacitação específica, é uma terapia
que propõe a recapitulação das etapas
neuroevolutivas de desenvolvimento fisiológico, fase por fase,
na ordem de sua aquisição, para fins terapêuticos.
Uma terapia clássica do Método Padovan é composta
de exercícios corporais que recapitulam os movimentos
neuro-evolutivos do sistema de locomoção do ser humano,
do sistema ligado ao uso das mãos e dos olhos e de
movimentos neuro-evolutivos do sistema oral que leva ao
domínio da musculatura da fala.
INDICAÇÕES
Utiliza-se o Método Padovan de Reorganização Neurofucional para
recuperar funções perdidas, funções nunca adquiridas, ou ainda para
preparar o organismo a fim de que possa adquirir funções e capacidades para
as quais tenha potencial e que, por falta de estímulos ou por outro motivo
qualquer, não tenha tido a oportunidade de se manifestar.
O método pode ser aplicado em indivíduos de todas as faixas etárias (de
recém-nascidos prematuros à idosos), na reabilitação de diferentes
patologias genéticas ou adquiridas. É também aplicado em caráter
preventivo, promovendo o desenvolvimento seja ele motor, de fala, de
aprendizagem, de memória.
Pode ser aplicado em consultórios, ambulatórios, em leitos hospitalares,
em Unidades de Tratamento Intensivo e também em domicílio.
TERAPIA BIOGRÁFICA/ACONSELHAMENTO
BIOGRÁFICO
A terapia biográfica é um processo terapêutico de apoio ao
indivíduo em seu processo de desenvolvimento.
Neste processo, o paciente revê a sua vida a partir das leis
que regem o desenvolvimento humano e esta vivência intensifica o
conhecimento de si até o ponto onde ele consegue captar a dinâmica da
própria existência, trazendo compreensão para suas questões e sentido
para a sua vida.
O trabalho do aconselhador biográfico abarca pessoas das áreas de saúde,
psicologia, pedagogia, administrativa, empresa, consultoria, entre outras.
É realizada por profissionais com capacitação específica.
A vida humana sobre a terra tem lugar em limites finitos definidos, e
contudo sabemos que nosso ser íntimo pertence ao infinito.
Nossa vida se desdobra na atividade que, em maior ou menor extensão,
incorpora a potencialidade do infinito nas limitações do finito.
Essencialmente, esta é uma atividade artística devendo-se encarar a vida
humana como uma obra de arte em que a liberdade se torna efetiva…..
Nossa cultura moderna engendrada sob a ótica da Ciência materialista
não auxilia o indivíduo a desenvolver a plenitude de sua alma……
Nossa própria vida tem de se converter em arte, e a arte de cura deve
descobrir como cooperar nessa obra criativa.
Ralph Twentman
Apresentação ma 5

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Psicologia aula 4 resumo aulas 1 2-3
Psicologia aula 4 resumo aulas 1 2-3Psicologia aula 4 resumo aulas 1 2-3
Psicologia aula 4 resumo aulas 1 2-3Cintia Colotoni
 
Psicologia aula 5 a enfermagem e o outro
Psicologia aula 5 a enfermagem e o outroPsicologia aula 5 a enfermagem e o outro
Psicologia aula 5 a enfermagem e o outroCintia Colotoni
 
Curso Introduorio ESF - Conteudo teorico modulo 1 - Processo Saude Doenca
Curso Introduorio ESF - Conteudo teorico modulo 1 - Processo Saude DoencaCurso Introduorio ESF - Conteudo teorico modulo 1 - Processo Saude Doenca
Curso Introduorio ESF - Conteudo teorico modulo 1 - Processo Saude Doencaeadsantamarcelina
 
01 Aula Psicologia Aplicada a Saúde.pptx
01 Aula Psicologia Aplicada a Saúde.pptx01 Aula Psicologia Aplicada a Saúde.pptx
01 Aula Psicologia Aplicada a Saúde.pptxMarianaPerson
 
Tópicos abordagem paciente saúde mental
Tópicos abordagem paciente saúde mentalTópicos abordagem paciente saúde mental
Tópicos abordagem paciente saúde mentalMaria Dias
 
Introdução psicopatologia
Introdução psicopatologiaIntrodução psicopatologia
Introdução psicopatologialucasvazdelima
 
Psicologia das relações humanas slides aula 1
Psicologia das relações humanas slides aula 1Psicologia das relações humanas slides aula 1
Psicologia das relações humanas slides aula 1souzacamila
 
psicologia hospitalar x psicologia da saúde
 psicologia hospitalar x psicologia da saúde psicologia hospitalar x psicologia da saúde
psicologia hospitalar x psicologia da saúdeUNIME
 
Introdução à Psicologia: História da Psicologia
Introdução à Psicologia: História da PsicologiaIntrodução à Psicologia: História da Psicologia
Introdução à Psicologia: História da PsicologiaEdgard Lombardi
 
Aula praticas integrativas
Aula praticas integrativasAula praticas integrativas
Aula praticas integrativasjoice mendonça
 
Apresentaçãoo PNPIC e PICs - histórico e conceitos
Apresentaçãoo PNPIC e PICs - histórico e conceitosApresentaçãoo PNPIC e PICs - histórico e conceitos
Apresentaçãoo PNPIC e PICs - histórico e conceitoscomunidadedepraticas
 
Introdução à Homeopatia Veterinária
Introdução à Homeopatia VeterináriaIntrodução à Homeopatia Veterinária
Introdução à Homeopatia VeterináriaLeonora Mello
 
6 a teoria de maslow sobre motivacao
6 a teoria de maslow sobre motivacao6 a teoria de maslow sobre motivacao
6 a teoria de maslow sobre motivacaoAna Genesy
 
Afinal o que é a saúde mental?
Afinal o que é a saúde mental?Afinal o que é a saúde mental?
Afinal o que é a saúde mental?Elias Garcia
 
Palestra saúde mental e qualidade de vida
Palestra saúde mental e qualidade de vidaPalestra saúde mental e qualidade de vida
Palestra saúde mental e qualidade de vidaFernando R. G. Paolini
 

Mais procurados (20)

Apresentaçao PNPIC e PICs
Apresentaçao PNPIC e PICsApresentaçao PNPIC e PICs
Apresentaçao PNPIC e PICs
 
Conceito de Saúde 2
Conceito de Saúde 2Conceito de Saúde 2
Conceito de Saúde 2
 
Psicologia aula 4 resumo aulas 1 2-3
Psicologia aula 4 resumo aulas 1 2-3Psicologia aula 4 resumo aulas 1 2-3
Psicologia aula 4 resumo aulas 1 2-3
 
Psicologia aula 5 a enfermagem e o outro
Psicologia aula 5 a enfermagem e o outroPsicologia aula 5 a enfermagem e o outro
Psicologia aula 5 a enfermagem e o outro
 
Curso Introduorio ESF - Conteudo teorico modulo 1 - Processo Saude Doenca
Curso Introduorio ESF - Conteudo teorico modulo 1 - Processo Saude DoencaCurso Introduorio ESF - Conteudo teorico modulo 1 - Processo Saude Doenca
Curso Introduorio ESF - Conteudo teorico modulo 1 - Processo Saude Doenca
 
ESTUDO DIRIGIDO - PSICOSSOMÁTICA
ESTUDO DIRIGIDO - PSICOSSOMÁTICAESTUDO DIRIGIDO - PSICOSSOMÁTICA
ESTUDO DIRIGIDO - PSICOSSOMÁTICA
 
PICs conceitos básicos
PICs conceitos básicosPICs conceitos básicos
PICs conceitos básicos
 
01 Aula Psicologia Aplicada a Saúde.pptx
01 Aula Psicologia Aplicada a Saúde.pptx01 Aula Psicologia Aplicada a Saúde.pptx
01 Aula Psicologia Aplicada a Saúde.pptx
 
Tópicos abordagem paciente saúde mental
Tópicos abordagem paciente saúde mentalTópicos abordagem paciente saúde mental
Tópicos abordagem paciente saúde mental
 
Introdução psicopatologia
Introdução psicopatologiaIntrodução psicopatologia
Introdução psicopatologia
 
Psicologia das relações humanas slides aula 1
Psicologia das relações humanas slides aula 1Psicologia das relações humanas slides aula 1
Psicologia das relações humanas slides aula 1
 
psicologia hospitalar x psicologia da saúde
 psicologia hospitalar x psicologia da saúde psicologia hospitalar x psicologia da saúde
psicologia hospitalar x psicologia da saúde
 
Introdução à Psicologia: História da Psicologia
Introdução à Psicologia: História da PsicologiaIntrodução à Psicologia: História da Psicologia
Introdução à Psicologia: História da Psicologia
 
Aula praticas integrativas
Aula praticas integrativasAula praticas integrativas
Aula praticas integrativas
 
Apresentaçãoo PNPIC e PICs - histórico e conceitos
Apresentaçãoo PNPIC e PICs - histórico e conceitosApresentaçãoo PNPIC e PICs - histórico e conceitos
Apresentaçãoo PNPIC e PICs - histórico e conceitos
 
Introdução à Homeopatia Veterinária
Introdução à Homeopatia VeterináriaIntrodução à Homeopatia Veterinária
Introdução à Homeopatia Veterinária
 
6 a teoria de maslow sobre motivacao
6 a teoria de maslow sobre motivacao6 a teoria de maslow sobre motivacao
6 a teoria de maslow sobre motivacao
 
Afinal o que é a saúde mental?
Afinal o que é a saúde mental?Afinal o que é a saúde mental?
Afinal o que é a saúde mental?
 
Psicoterapias
PsicoterapiasPsicoterapias
Psicoterapias
 
Palestra saúde mental e qualidade de vida
Palestra saúde mental e qualidade de vidaPalestra saúde mental e qualidade de vida
Palestra saúde mental e qualidade de vida
 

Semelhante a Apresentação ma 5

Curso de musicoterapia
Curso de musicoterapiaCurso de musicoterapia
Curso de musicoterapiaLeonardo Vitti
 
Musicoterapia e paciente asmático: proposta de atendimento.
Musicoterapia e paciente asmático: proposta de atendimento.Musicoterapia e paciente asmático: proposta de atendimento.
Musicoterapia e paciente asmático: proposta de atendimento.Eliane Okubo
 
Apresentação final tcc eliane
Apresentação final tcc elianeApresentação final tcc eliane
Apresentação final tcc elianeEliane Okubo
 
04 psciologia hospitalar
04 psciologia  hospitalar04 psciologia  hospitalar
04 psciologia hospitalarGraça Martins
 
04 psciologia hospitalar
04 psciologia  hospitalar04 psciologia  hospitalar
04 psciologia hospitalarGraça Martins
 
Revista Bons Fluídos - Dezembro de 2012
Revista Bons Fluídos - Dezembro de 2012Revista Bons Fluídos - Dezembro de 2012
Revista Bons Fluídos - Dezembro de 2012Arte Despertar
 
Arteterapia criatividade história arte pdf
Arteterapia criatividade história arte pdfArteterapia criatividade história arte pdf
Arteterapia criatividade história arte pdfManuSato
 
A ContribuiçãO Da Musicoterapia Na Velhice
A ContribuiçãO Da Musicoterapia Na VelhiceA ContribuiçãO Da Musicoterapia Na Velhice
A ContribuiçãO Da Musicoterapia Na VelhiceHOME
 
Ppt etapa 1 emprego_de_plantas_medicinais_nos_sistemas_medicos_v16_10042017
Ppt etapa 1 emprego_de_plantas_medicinais_nos_sistemas_medicos_v16_10042017Ppt etapa 1 emprego_de_plantas_medicinais_nos_sistemas_medicos_v16_10042017
Ppt etapa 1 emprego_de_plantas_medicinais_nos_sistemas_medicos_v16_10042017sedis-suporte
 
Arteterapia: o desenvolvimento pessoal através da expressão artística
Arteterapia: o desenvolvimento pessoal através da expressão artísticaArteterapia: o desenvolvimento pessoal através da expressão artística
Arteterapia: o desenvolvimento pessoal através da expressão artísticaTeresa Batista
 
Conceitos Básicos MTC parte 6
Conceitos Básicos MTC parte 6Conceitos Básicos MTC parte 6
Conceitos Básicos MTC parte 6Andreia Moreira
 
A importância do toque
A importância do toque A importância do toque
A importância do toque Rita Barros
 

Semelhante a Apresentação ma 5 (20)

Musicoterapia
MusicoterapiaMusicoterapia
Musicoterapia
 
Curso de musicoterapia
Curso de musicoterapiaCurso de musicoterapia
Curso de musicoterapia
 
Algumas terapias holísticas
Algumas terapias holísticasAlgumas terapias holísticas
Algumas terapias holísticas
 
Musicoterapia e paciente asmático: proposta de atendimento.
Musicoterapia e paciente asmático: proposta de atendimento.Musicoterapia e paciente asmático: proposta de atendimento.
Musicoterapia e paciente asmático: proposta de atendimento.
 
Resumo musicoterapia
Resumo musicoterapiaResumo musicoterapia
Resumo musicoterapia
 
Apresentação final tcc eliane
Apresentação final tcc elianeApresentação final tcc eliane
Apresentação final tcc eliane
 
04 psciologia hospitalar
04 psciologia  hospitalar04 psciologia  hospitalar
04 psciologia hospitalar
 
04 psciologia hospitalar
04 psciologia  hospitalar04 psciologia  hospitalar
04 psciologia hospitalar
 
Revista Bons Fluídos - Dezembro de 2012
Revista Bons Fluídos - Dezembro de 2012Revista Bons Fluídos - Dezembro de 2012
Revista Bons Fluídos - Dezembro de 2012
 
Terapias naturais
Terapias naturaisTerapias naturais
Terapias naturais
 
Arteterapia criatividade história arte pdf
Arteterapia criatividade história arte pdfArteterapia criatividade história arte pdf
Arteterapia criatividade história arte pdf
 
Palestra - Musicoterapia
Palestra - MusicoterapiaPalestra - Musicoterapia
Palestra - Musicoterapia
 
Cuidados paliativos em pacientes oncológicos
Cuidados paliativos em pacientes oncológicos Cuidados paliativos em pacientes oncológicos
Cuidados paliativos em pacientes oncológicos
 
A ContribuiçãO Da Musicoterapia Na Velhice
A ContribuiçãO Da Musicoterapia Na VelhiceA ContribuiçãO Da Musicoterapia Na Velhice
A ContribuiçãO Da Musicoterapia Na Velhice
 
Ppt etapa 1 emprego_de_plantas_medicinais_nos_sistemas_medicos_v16_10042017
Ppt etapa 1 emprego_de_plantas_medicinais_nos_sistemas_medicos_v16_10042017Ppt etapa 1 emprego_de_plantas_medicinais_nos_sistemas_medicos_v16_10042017
Ppt etapa 1 emprego_de_plantas_medicinais_nos_sistemas_medicos_v16_10042017
 
Arteterapia: o desenvolvimento pessoal através da expressão artística
Arteterapia: o desenvolvimento pessoal através da expressão artísticaArteterapia: o desenvolvimento pessoal através da expressão artística
Arteterapia: o desenvolvimento pessoal através da expressão artística
 
Conceitos Básicos MTC parte 6
Conceitos Básicos MTC parte 6Conceitos Básicos MTC parte 6
Conceitos Básicos MTC parte 6
 
Apresentação.pptx
Apresentação.pptxApresentação.pptx
Apresentação.pptx
 
Medicinas Alternativas
Medicinas AlternativasMedicinas Alternativas
Medicinas Alternativas
 
A importância do toque
A importância do toque A importância do toque
A importância do toque
 

Mais de Plataforma Colaborativa Comunidade de Práticas

Mais de Plataforma Colaborativa Comunidade de Práticas (20)

Aprendizagem Colaborativa
Aprendizagem ColaborativaAprendizagem Colaborativa
Aprendizagem Colaborativa
 
Tutorial inscrição de relato para a 3 mostra eps
Tutorial inscrição de relato para a 3 mostra epsTutorial inscrição de relato para a 3 mostra eps
Tutorial inscrição de relato para a 3 mostra eps
 
Descrição e Características das Práticas Corporais e Mentais da MTC
Descrição e Características das Práticas Corporais e Mentais da MTCDescrição e Características das Práticas Corporais e Mentais da MTC
Descrição e Características das Práticas Corporais e Mentais da MTC
 
Histórico dos conceitos: medicina complementar e integrativa
Histórico dos conceitos: medicina complementar e integrativaHistórico dos conceitos: medicina complementar e integrativa
Histórico dos conceitos: medicina complementar e integrativa
 
Paternidade e identidade de genero
Paternidade e identidade de generoPaternidade e identidade de genero
Paternidade e identidade de genero
 
Aumento da licença paternidade
Aumento da licença paternidadeAumento da licença paternidade
Aumento da licença paternidade
 
Remedio caseiros com plantas medicinais
Remedio caseiros com plantas medicinaisRemedio caseiros com plantas medicinais
Remedio caseiros com plantas medicinais
 
Inscrição de relato para a chamada iv congresso norte e nordeste
Inscrição de relato para a chamada iv congresso norte e nordesteInscrição de relato para a chamada iv congresso norte e nordeste
Inscrição de relato para a chamada iv congresso norte e nordeste
 
Tutorial inscrição de relato para a chamada
Tutorial inscrição de relato para a chamadaTutorial inscrição de relato para a chamada
Tutorial inscrição de relato para a chamada
 
(20) unidade 4 slide share
(20) unidade 4   slide share(20) unidade 4   slide share
(20) unidade 4 slide share
 
(19) unidade 4 slide share
(19) unidade 4   slide share(19) unidade 4   slide share
(19) unidade 4 slide share
 
(17) unidade 4 slide share-para as-os filhas-os
(17) unidade 4   slide share-para as-os filhas-os(17) unidade 4   slide share-para as-os filhas-os
(17) unidade 4 slide share-para as-os filhas-os
 
(17) unidade 4 slide share-mulheres
(17) unidade 4   slide share-mulheres(17) unidade 4   slide share-mulheres
(17) unidade 4 slide share-mulheres
 
(17) unidade 4 slide share-no seu tempo livre
(17) unidade 4   slide share-no seu tempo livre(17) unidade 4   slide share-no seu tempo livre
(17) unidade 4 slide share-no seu tempo livre
 
(20) unidade 4 slide share
(20) unidade 4   slide share(20) unidade 4   slide share
(20) unidade 4 slide share
 
(20) slide share
(20)   slide share(20)   slide share
(20) slide share
 
(13) slide share
(13)   slide share(13)   slide share
(13) slide share
 
(17) unidade 4 slide share-gestação e parto
(17) unidade 4   slide share-gestação e parto(17) unidade 4   slide share-gestação e parto
(17) unidade 4 slide share-gestação e parto
 
(17) unidade 4 slide share-benefícios para os pais
(17) unidade 4   slide share-benefícios para os pais(17) unidade 4   slide share-benefícios para os pais
(17) unidade 4 slide share-benefícios para os pais
 
(17) slide share
(17)   slide share(17)   slide share
(17) slide share
 

Apresentação ma 5

  • 1. CURSO INTRODUTÓRIO EM PRÁTICAS INTEGRATIVAS E COMPLEMENTARES: ANTROPOSOFIA APLICADA À SAÚDE Recursos terapêuticos e papel da equipe de saúde no cuidado orientado pela Antroposofia Maria Fernanda Camarano
  • 2. A Antroposofia transforma a minha prática quando observo o ser humano com a visão antroposófica, quando atuo nos grupos de educação em saúde, no trabalho em equipe, na prática de intersetorialidade, na construção das redes sociais. Paulo Maurício Vieira Médico do PSF de São João D’el Rey Minas Gerais
  • 3. A Antroposofia aplicada à saúde, baseada na cosmovisão antroposófica sobre o ser humano e suas relações, oferece um campo extenso de possibilidades de atuação para os diversos profissionais a partir de seus princípios, especialmente em Atenção Primária. No seu campo conceitual pode-se dizer que a antroposofia aplicada à saúde estimula o desenvolvimento de um olhar artístico e poético sobre a existência humana, a natureza e o universo. Todas as etapas do ciclo de vida humana podem ser compreendidas como partes de um processo sagrado, complexo e integrado.
  • 4. Cada fase - gestação, nascimento, aleitamento ao seio, desenvolvimento infantil, adolescência, juventude, maturidade, envelhecimento e morte – tem significado e leis próprias, necessitando de abordagem específica. Embora todos os indivíduos percorram estas fases ou parte delas, cada um o faz de maneira singular, absolutamente individual. O impulso advindo da Antroposofia para todo profissional da saúde é compreender o ser humano como um ser possuidor de CORPO, ALMA E ESPÍRITO e, de acordo com esse princípio, orientar tanto o diagnóstico como o tratamento.
  • 5. Temos de admitir que toda doença é uma crise, e que o paciente pode assumi- la ou evitá-la. Essas questões só podem ser abordadas adequadamente se, por trás do decurso patológico, for vista a individualidade do paciente e como ele está encarando e elaborando a sua patologia. Como existe um processo adoecedor, a cura é também um caminho a ser percorrido no entendimento e na superação deste processo. Por meio de medicamentos e terapias não medicamentosas, a equipe multidisciplinar, a partir desse conhecimento, pode atuar tentando restituir o equilíbrio perdido.
  • 6. A Medicina Antroposófica oferece muitas possibilidades de abordagem terapêutica, além da terapia medicamentosa. Nesse tipo de abordagem, os profissionais na saúde podem atuar de forma interdisciplinar, em diferentes recursos terapêuticos: aplicações externas, banhos terapêuticos, massagem rítmica, terapia artística, euritmia, quirofonética, cantoterapia e terapia biográfica. A escolha da terapia mais indicada baseia-se no diagnóstico ampliado sobre o tipo de desequilíbrio em questão.
  • 7. CUIDADOS DE ENFERMAGEM: Aplicações Externas As Aplicações Externas compreendem a administração de escalda-pés, enfaixamentos, compressas e emplastros à base de chás, óleos e pomadas. Sendo a pele uma grande camada lipoprotéica que recobre todo o corpo e que possui uma extensa rede circulatória em sua camada mais profunda(subcutâneo), muitas substâncias podem ser administradas por esta via quando presentes em veículo lipossolúvel. Outro aspecto aqui envolvido é o direcionamento do calor como é o caso dos escalda-pés e compressas com chás em regiões do corpo específicas (abdome, pelve). Geralmente são feitas por enfermeiros, mas pode ser utilizadas por profissionais técnicos de enfermagem.
  • 8. CUIDADOS DE ENFERMAGEM: Banhos Terapêuticos Os banhos terapêuticos são de imersão, com a administração de óleos à base de plantas medicinais como lavanda, pinus, citrus e outros. São indicados nos tratamentos de desnutrição, alergias, câncer, enxaquecas e outros.
  • 9. MASSAGEM RÍTMICA É feita por profissionais com capacitação específica e tem como base a massagem sueca. Parte da noção de que a vida que se desenvolve no tempo é sustentada por ritmos. Os processos vitais do organismo centrados no corpo etérico são perpassados pelo ritmo que parte da região média do corpo (tórax), o qual atua compensando e harmonizando polaridades. A Massagem Rítmica atua a partir dos corpos físico e etérico, que através do ritmo permite a manifestação do anímico espiritual.
  • 10. MASSAGEM RÍTMICA: COMO É FEITA No centro de sua atuação está o elemento rítmico que é levado ao organismo através de toques de sucção, em vez de pressão, executados com leveza. Com a mão o massagista deve ser capaz de ativar a sístole que configura e a diástole que dissolve, mediante diversas qualidades de toque. Atua assim como um coração na periferia do organismo, na pele. Com ritmo e leveza as forças harmonizantes e compensadoras do Sistema Rítmico são estimuladas e sustentadas e as forças de empuxo do corpo etérico impulsionadas.
  • 11. INDICAÇÕES Estimular ou abrandar as atuações dos sistemas polares Neurosensorial e Metabólico motor. Para doenças respiratórias, circulatórias, distúrbios metabólicos, distúrbios do sono. É particularmente indicada em: • distúrbios de desenvolvimento de crianças, pois é através do físico etérico que o ser chega ao mundo; • nas doenças degenerativas do sistema nervoso e coluna, como o Parkinson e Esclerose múltipla, doenças autoimunes e câncer. Neste caso, possui sequências e qualidades de toques específicas para cada caso.
  • 12. TERAPIA ARTÍSTICA É realizada por profissionais com capacitação específica pelas escolas de formação em terapia artística do Brasil e fundamenta-se no conhecimento teórico e prático dos elementos das artes plásticas e das leis que os regem. Através desses elementos (cor, forma, volume, disposição espacial etc...) possibilita que o paciente vivencie os arquétipos da criação, ou seja, se re- conecte às leis que são inerentes à sua natureza, trazendo um contato com a essência sanadora de cada um.
  • 13. TERAPIA ARTÍSTICA Ela se diferencia da arte no que diz respeito à atitude interior, métodos e propósitos. O caminho terapêutico tem a intenção de transformar cada dificuldade em exercícios terapêuticos que possibilitem a atividade sanadora.
  • 14. INDICAÇÕES A terapia artística pode ser aplicada a todos os casos de doença ou desarmonia, sendo que em cada situação será utilizado um meio específico adequado: pintura, modelagem ou desenho. O paciente enfrenta limites, supera dificuldades, aprende a adaptar-se ao material que usa, aceita as falhas e tende a desenvolver auto- confiança e auto-estima.
  • 15. INDICAÇÕES Possibilita uma transformação, sendo o paciente o agente que segue e dá continuidade a um determinado processo que lhe traz harmonia. Dá forma onde há pouca estrutura, dissolve onde há rigidez, dá clareza onde tudo é vago e traz fantasia onde a mente está endurecida. O resultado artístico em si não é o objetivo: a importância está no processo vivenciado e elaborado pelo paciente, por meio das práticas artísticas propostas.
  • 16. EURITMIA A euritmia é realizada por profissionais com capacitação específica e é considerada uma arte de movimento. Nesta arte a movimentação dos membros está diretamente relacionada à produção da fala e às leis musicais. Ela revela, por meio dos movimentos, as qualidades interiores dos conteúdos poéticos e as leis contidas nos elementos musicais. Gestos corporais e formas percorridas no espaço adquirem vida e significado por meio dos fonemas, ritmos, sons e tons, intervalos e andamentos dessas duas artes temporais: poesia e música.
  • 17. Modalidades de Euritmia : Artística (ou de palco) Pedagógica (é utilizada nas escolas antroposóficas) Higiênica (utilizada como atividade regular preventiva e em grupos sociais) Terapêutica (como auxiliar ao tratamento médico)
  • 18. INDICAÇÕES PARA A EURITMIA CURATIVA É utilizada no tratamento de doenças agudas, crônicas e degenerativas, em crianças, adultos e idosos. Também como prevenção e profilaxia na manutenção da saúde.
  • 19. QUIROFONÉTICA É realizada por profissionais com capacitação específica e é uma terapia que atua com a força terapêutica dos fonemas através da massagem. Nos deslizamentos manuais feitos pelo terapeuta nas costas, pernas e braços do paciente se procura reproduzir o caminho do ar nos órgãos fonoarticulatórios. Originalmente foi desenvolvida para os distúrbios da fala, mas hoje suas indicações são bastante ampliadas. Pela euritmia, o corpo produz a fala, através da quirofonética o corpo recebe a fala.
  • 20. INDICAÇÕES Na Fonoaudiologia: dificuldades de aquisição da linguagem (afasias, disfasias, gagueira...), nos distúrbios de leitura e escrita. Na Psicopedagogia: dificuldades de aprendizagem Na Psicologia: nos sintomas de stress e sintomas psicossomáticos, nos distúrbios do sono e do apetite (anorexia, bulimia), no acompanhamento à drogadicção e à obesidade, nas dificuldades de desenvolvimento da criança, enurese noturna, nas fobias e ansiedade Infantil.
  • 21. INDICAÇÕES Na Medicina: como complemento aos tratamentos de distúrbios bipolares, nas depressões, nas psicoses, nas epilepsias, no autismo infantil. No acompanhamento às doenças respiratórias (asma, bronquite), distúrbios digestivos e metabólicos, no acompanhamento ao climatério e distúrbios menstruais, a quadros neurológicos (paralisias e paresias cerebrais, nas epilepsias), nas doenças crônico-degenerativas.
  • 22. CANTOTERAPIA Terapia realizada por profissionais com capacitação específica que utiliza os elementos musicais, dos fonemas, tons, ritmos, movimentos respiratórios e ressonância da voz. O canto facilita ao ser humano a expressão daquilo que está em seu interior. Os elementos do canto e as leis da música são compreendidos pela Antroposofia como forças arquetípicas que constituem o homem como ser físico, anímico e espiritual. Cantando o homem traz à tona a manifestação destas forças, que vão atuar nestes diferentes níveis. Ao praticar os exercícios terapêuticos e higiênicos se abre para o paciente, por meio de uma ausculta atenta, um caminho mais profundo de autoconhecimento e fortalecimento do seu EU.
  • 23. INDICAÇÕES Cantar é uma atividade que envolve o corpo inteiro, mas essencialmente a respiração. Pode-se, através do canto, aprender a respirar e dissolver bloqueios respiratórios muitas vezes associados à tensão emocional, de uma maneira lúdica. A Cantoterapia é indicada como trabalho profilático vocal no canto individual ou em grupo, nos distúrbios da voz e das vias respiratórias, em distúrbios crônicos do metabolismo, nas doenças inflamatórias crônicas e degenerativas, nos transtornos funcionais e nas doenças psicossomáticas e neuropsiquiátricas.
  • 24. REORGANIZAÇÃO NEUROFUNCIONAL MÉTODO PADOVAN Realizada por profissionais com capacitação específica, é uma terapia que propõe a recapitulação das etapas neuroevolutivas de desenvolvimento fisiológico, fase por fase, na ordem de sua aquisição, para fins terapêuticos. Uma terapia clássica do Método Padovan é composta de exercícios corporais que recapitulam os movimentos neuro-evolutivos do sistema de locomoção do ser humano, do sistema ligado ao uso das mãos e dos olhos e de movimentos neuro-evolutivos do sistema oral que leva ao domínio da musculatura da fala.
  • 25. INDICAÇÕES Utiliza-se o Método Padovan de Reorganização Neurofucional para recuperar funções perdidas, funções nunca adquiridas, ou ainda para preparar o organismo a fim de que possa adquirir funções e capacidades para as quais tenha potencial e que, por falta de estímulos ou por outro motivo qualquer, não tenha tido a oportunidade de se manifestar. O método pode ser aplicado em indivíduos de todas as faixas etárias (de recém-nascidos prematuros à idosos), na reabilitação de diferentes patologias genéticas ou adquiridas. É também aplicado em caráter preventivo, promovendo o desenvolvimento seja ele motor, de fala, de aprendizagem, de memória. Pode ser aplicado em consultórios, ambulatórios, em leitos hospitalares, em Unidades de Tratamento Intensivo e também em domicílio.
  • 26. TERAPIA BIOGRÁFICA/ACONSELHAMENTO BIOGRÁFICO A terapia biográfica é um processo terapêutico de apoio ao indivíduo em seu processo de desenvolvimento. Neste processo, o paciente revê a sua vida a partir das leis que regem o desenvolvimento humano e esta vivência intensifica o conhecimento de si até o ponto onde ele consegue captar a dinâmica da própria existência, trazendo compreensão para suas questões e sentido para a sua vida. O trabalho do aconselhador biográfico abarca pessoas das áreas de saúde, psicologia, pedagogia, administrativa, empresa, consultoria, entre outras. É realizada por profissionais com capacitação específica.
  • 27. A vida humana sobre a terra tem lugar em limites finitos definidos, e contudo sabemos que nosso ser íntimo pertence ao infinito. Nossa vida se desdobra na atividade que, em maior ou menor extensão, incorpora a potencialidade do infinito nas limitações do finito. Essencialmente, esta é uma atividade artística devendo-se encarar a vida humana como uma obra de arte em que a liberdade se torna efetiva….. Nossa cultura moderna engendrada sob a ótica da Ciência materialista não auxilia o indivíduo a desenvolver a plenitude de sua alma…… Nossa própria vida tem de se converter em arte, e a arte de cura deve descobrir como cooperar nessa obra criativa. Ralph Twentman