Começo de Conversa (ASA/PE)

1.507 visualizações

Publicada em

Jornal número 01 da ASA/PE.

Publicada em: Tecnologia, Negócios
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.507
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
7
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
22
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Começo de Conversa (ASA/PE)

  1. 1. Começo de Conversa Janeiro | 2010 | Ano I | Nº 01 Foto: Rafaella Sabino Construção coletiva por um Semiárido mais justo A Articulação no Semi-Árido Brasileiro (ASA) constrói com famílias agricultoras um conjunto de ações para o desenvolvimento da região semiárida. Em Pernambuco não é diferente, os agricultores e agricultoras e a articulação estadual (ASA/PE) também buscam um Semiárido mais justo. Páginas 04 e 05. Pesquisa revela que cisternas Comissão de monitoramento da ASA estimula autonomia das melhoram qualidade de vida ASA/PE avalia ações mulheres do Semiárido Página 03 Página 06 Página 08
  2. 2. Mais uma Conquista Caminhada das Cisterna traz mais saúde As organizações e famílias agricultoras que compõem a Águas encerra para famílias da zona rural Articulação no Semi-Árido Pe r n a m b u c a n o ( A S A / P E ) Encontro Estadual da Estudo realizado pela ASA afirma que água da cisterna bem tratada ASA Pernambuco apresentam o Começo de Conversa, boletim da articulação reflete na diminuição de doenças que chega a todos e todas em um momento de celebração. A ASA Foto: Rafaella Sabino Brasil completou uma década de Encontro comemorou os 10 anos da ASA O melhor gerenciamento e cuidado com a água das cisternas dedicação a mudança de vida das Foto: Catarina de Angola de 16 mil litros reflete na famílias do Semiárido e este boletim traz em suas páginas um diminuição de doenças, como recorte sobre as ações da diarréia e vermes, e até da articulação em Pernambuco. mortalidade infantil. Essa Nesses dez anos de vida, a ASA afirmação é fato comprovado vem construindo com os povos pela pesquisa Avaliação do do Semiárido brasileiro um Impacto na Saúde do Programa conjunto de ações que Um Milhão de Cisternas no mostram que a convivência Semiárido Brasileiro, realizada com a região é possível. O pela Articulação no Semi-Árido Programa de Mobilização Brasileiro (ASA), Fundação Social para a Convivência com o Oswaldo Cruz de Pernambuco Semi-Árido com o Um Milhão (Fiocruz-PE) e Agência de Saúde de Cisternas Rurais (P1MC) e o Pública do Canadá. Uma Terra e Duas Águas (P1+2) são experiências que vêm Agricultores e agricultoras de todo o estado ocuparam as ruas de Caruaru. A pesquisa, realizada no ano de dando certo. Agricultores e agricultoras de Pernambucano (ASA/PE). O 2007, surgiu por iniciativa da E como prova dessa vitória, Cáritas Diocesana de Caruaru, na trazemos conquistas como a todo o estado de Pernambuco evento fez uma avaliação do estiveram reunidos/as, em trabalho da ASA em seus 10 anos época, uma das unidades gestoras pesquisa da Fundação Oswaldo novembro de 2009, no Marco e discutiu os desafios a serem locais do Programa Um Milhão de Cruz que concluiu que o uso adequado da água das cisternas Zero da cidade de Caruaru, no enfrentados. Além do ato, foram Cisternas (P1MC), com assessoria reflete na diminuição de doenças, Agreste, em um grande ato realizados trabalhos em grupos e da Associação Menonita de como a diarréia. Apresentamos público de encerramento do visitas de intercâmbios a diversas Assistência Social (AMAS). Os também a Caminhada das Águas, Encontro Estadual da experiências de convivência com dados foram coletados em mais que encerrou o Encontro Estadual Articulação no Semi-Árido o Semiárido. de 800 casas de 21 municípios do da ASA/PE e levou vários Agreste Central de Pernambuco, Estudo afirma que água da cisterna bem tratada reduz a mortalidade infantil. agricultores e agricultoras às ruas por meio de questionários. de Caruaru, município do Agreste do estado, para comemorar o Expediente Para André Monteiro, um dos Seu Antonio Martins, agricultor que tem a cisterna do P1MC, assim. Não tinha outra”, lembra. “Hoje, Nem diarréia dá nas aniversário da articulação. O Começo de Conversa é uma publicação da Articulação no Semi-Árido pesquisadores, conhecer a mora na comunidade de Fazenda crianças. A cisterna é uma O Começo de Conversa é mais Pernambucano (ASA/PE). E-mail: comunicacaoasape@yahoo.com.br realidade dessa população foi Nova,em São José do Egito, no riqueza”, conta, orgulhoso. uma conquista da ASA Página na Internet: www.asapernambuco.blogspot.com Textos: uma experiência marcante. “Ver Sertão do Pajeú. Antes da Pernambuco, que tem como Alexandre Henrique Pires, Catarina de Angola, Eldo Brito, Michelle Para o coordenador do P1MC, na a felicidade das pessoas ao cisterna, sua família bebia água Diocese de Caruaru, Rodolfo principal objetivo dar maior Martins e Rafaella Sabino. Colaboração: Adeildo Fernandes, Aldo beberem água potável em vez de de um açude. “Era o mesmo visibilidade às experiências que Santos, Conceição Paiva (Solô), Daniel Dias, Eduardo Pereira, Fabrício Melo, “o resultado da pesquisa água suja do barreiro me lugar onde o gado tomava fortalece ainda mais as dinâmicas acumulamos ao longo da nossa Vítor, Geangela Lucena e Rodolfo Melo. Edição: Catarina de Angola (DRT/PE 4477) e Rafaella Sabino (DRT/PE 4480) Projeto Gráfico e marcou. Estamos falando de um banho. Existia muita doença. da ASA enquanto processo de caminhada, contribuindo para fortalecer ainda mais o nosso Diagramação: Alberto Saulo. Tiragem: 2.000 exemplares. Impressão: direito universal de acesso a água Tinha época que a água tinha construção coletiva nos trabalho enquanto articulação. Provisual Gráfica. potável e que milhões de pessoas gosto de urina de vaca. Mas municípios, aumentando o ainda não têm”. tínhamos que beber dela mesmo controle social pelas famílias”. 02 03
  3. 3. ASA Pernambuco: Toada da ASA Quando chegou a cisterna Agora peço aos amados que do P1MC eu tive muita foram beneficiados. construção coletiva pelo alegria. Fiquei cheia de prazer, Que agradeçam a Deus pelo não faltou água fria no pote sonho desejado. pra se beber. Que com o projeto da ASA ele desenvolvimento do Semiárido Antes de ter a Cisterna era foi realizado. muito complicado Peço desculpa aos amados se a sem ter onde guardar água que toada não prestou. caia no cercado Que ganhei duas cisternas, Articulação constrói ações valorizando o conhecimento das famílias agricultoras do Semiárido eu e minha família passava mais não sou cantor. aperreado. Só quero falar da ASA que tem Foto: Geneildo Alves Agora com a Cisterna do P1+2 um grande Valo.r quero falar para vocês Quero deixar meu abraço e um o que é que vem depois. aperto de mão. Vamos plantar a hortinha, E aos amados companheiros também criar galinha um beijo no coração. e com ovos comprar arroz. E vamos seguir em frente vivendo em união. Vamos plantar alface, beterraba Em 1999, a Articulação no Foto: Eduardo Pereira e maxixão, Semi-Árido Brasileiro (ASA Vamos plantar repolho, tomate Brasil) se consolidou enquanto e pimentão, articulação. No entanto, em Vamos plantar o chuchu, Pernambuco, a mobilização das quiabo e coentrão, organizações da sociedade civil Vamos plantar batatinha, na busca da garantia de cenoura e agrião, políticas públicas para a região Cebola, coentro e salsinha pra temperar o feijão. semiárida já vinha sendo Versos da toada da Mas não vamos esquecer das agricultora Cícera Gama, construída desde 1991, com a plantas medicinais. movimentação do Fórum do Sítio Lagoa Seca, Que é pra cuidar da saúde do Águas Belas-PE, P e r n a m b u c a n o d e velho, moça e rapaz. Enfrentamento à Problemática em homenagem aos Por que todos nós precisamos 10 anos da ASA. da Seca, o Fórum Seca. de cuidados especiais. Agricultores/as celebram a construção de cisterna em Santa Terezinha, Sertão do Pajeú de Pernambuco. Esse processo foi fundamental para a criação da ASA Brasil. “As Regional do estado de As famílias participam articulações em Pernambuco se Pernambuco. efetivamente do processo de Construindo futuro e cidadania no Semiárido iniciam antes da existência da construção dos programas da ASA, “Antes tomávamos água de poço e de “Depois das cisternas tudo mudou em “Depois que a cisterna estiver cheia Hoje a ASA Brasil é formada por barreiros. Além de ser uma água salgada, nossa comunidade, nossos filhos tomam vai ser bom demais, pois vai evitar que ASA, no início dos anos 90 com através das mobilizações, dez fóruns estaduais, entre eles a que nunca matava a sede, ela não era água boa, as mulheres deixaram de a gente ande muito pra pegar água a necessidade de se discutir formações e intercâmbios de saudável. Com a cisterna da ASA, eu vi pegar água longe. Eu quero é que nos barreiros dos vizinhos, e por isso ela Articulação no Semi-Árido muita diferença. seja ampliada esta ação em é uma riqueza para nós. Vai ser de muita políticas públicas para o experiências. Cada agricultor e Pernambucano (ASA/PE), que é Agora nós temos água sadia”. nossa comunidade”. ajuda, porque poderei plantar pés de Semiárido”, explica um dos composta por cerca de 200 agricultora é também protagonista frutas e horta e dar água para os animais”. Antonia Macena de Lima Severino Vicente coordenadores da Articulação organizações da sociedade civil, das ações desenvolvidas em suas Agricultura de Passagem da Cobra, Agricultor da comunidade da Onça, José Borges de Lima do Semi-Árido Pernambucano que atuam em todo o estado. propriedades e comunidades São José do Egito/PE. São Caetano/PE. Agricultor do Sitio Cajá de Martins, rurais. “A ASA vem contribuindo Vertente do Lério/PE. (ASA/PE), Reginaldo Alves. “As Como as unidades gestoras “A chegada da cisterna calçadão foi “A cisterna foi a melhor coisa que mobilizações em Pernambuco para dar visibilidade às experiências muito importante pra mim, pois me inventaram. Antes a gente bebia água “A ASA é uma organização que nos microrregionais e territorais, que suja dos barreiros e depois, com a chegada das famílias do Semiárido, enriqueceu, e hoje tenho água para faz muito bem.Cada cisterna dessa como o Fórum Seca foram executam os Programas de aguar as plantas. É muito bom ter água dela, bebemos água limpa. Foi a melhor construída em uma casa evita muitas muito importantes para a Formação e Mobilização Social valorizando o conhecimento dos perto de casa, estou plantando novas coisa do mundo. Em 2009 muita gente da doenças e até mortes. formação da ASA. Foi nesse agricultores/as, construindo sua espécies na minha propriedade, que comunidade adoeceu de gripe, diarréia. Hoje nós temos uma água boa”. para a Convivência com o Semi- Mas a gente que tem a cisterna ficou livre”. serve para meu consumo”. Inácio Moura tempo que a semente foi Árido: Um Milhão de Cisternas ação junto com eles/as e Severina Maria da Silva Nilza da Conceição Farias Guimarães Integrante da Comissão Municipal plantada”, conta José Patriota, Rurais (P1MC) e Uma Terra e Duas fortalecendo as organizações Agricultora do Sítio Cipoais, Agricultora de Fazenda Alegre, de Iguaracy/PE. secretário de Articulação Águas (P1+2). sociais”, diz Reginaldo Alves. Bom Jardim/PE. Santa Cruz, Sertão do Araripe/PE. 04 05
  4. 4. Comissão de Monitoramento da Expressão cultural das famílias ASA Pernambuco avalia ações através das sementes crioulas Troca de conhecimento entre as organizações da ASA/PE Agricultura familiar desempenha papel de guardiã das sementes, é um dos objetivos da comissão que também garantem segurança alimentar Foto: Sidney Quaresma Foto: Arquivo ASA/PE Foto: Catarina de Angola As sementes crioulas são um patrimônio da humanidade. Elas expressam a cultura e a soberania de um povo, seja sobre seu alimento de cada dia, seja sobre sua relação com os antepassados. E a agricultura familiar e camponesa desempenha o papel de ser guardiã dessa expressão cultural. Comissão contribui para a qualificação da execução dos programas da ASA/PE. É guardando as sementes recebidas dos pais ou parentes, é muito importante: “Somos a ou até mesmo vinda de outras primeira comissão no estado de comunidades tradicionais, que Pernambuco e a nível nacional. se mantêm viva a diversidade e Estamos construindo processos o significado de alguns novos, que vão servir de espelho”. alimentos presentes na vida das famílias. É dessa forma que os Ao longo dos seus 10 anos, a ASA agricultores e agricultoras se tem construído um processo de A família do agricultor Jairo, em Cumaru, Trabalho da comissão se intensificou e colheu bons frutos. mantém livres das sementes e Agreste Setentrional, também acredita na importância de se guardar sementes. implementação dos programas de alimentos transgênicos. A necessidade de potencializar as de Pernambuco pode cumprir as forma articulada e com Precisamos ter a manutenção dos diversidade para ter uma melhor dinâmicas regionais e de avançar metas da ASA por igual”, afirma transparência, discutindo A agricultora Maria Sobreira da vários tipos de feijão, fava, milho, adaptação e condições de vida. coletivamente na execução dos Rodolfo Melo, coordenador do coletivamente as decisões. Assim Silva, 35 anos, mais conhecida mandioca, batata doce, sorgo, Fazem os estoques de sementes programas fez com que a Programa Um Milhão de é também com a Comissão de como Lucineide, mora no gergelin, arroz, frutas e tantas como forma de enfrentar os Articulação no Semi-Árido Cisternas, pela Diocese de Monitoramento, que não foi assentamento Serra do Ingá, em outras culturas que se planta desafios colocados para a Pernambucano (ASA/PE) Caruaru, e membro da comissão. criada apenas com o objetivo de Exu, Sertão do Araripe. Ela conta Semiárido afora. Também é convivência no Semiárido”, formasse uma Comissão de monitorar o trabalho das que desde criança que sua mãe já necessário manter as várias raças explica a educadora do Centro Monitoramento das ações. Em 2009, o trabalho se organizações. Mas sim, como um se preocupava em guardar de galinha de capoeira, de cabras Nordestino de Medicina Popular, Utilizando-se das diversas intensificou e se tornou mais instrumento educativo, podendo sementes. Hoje, quase 30 anos e ovelhas que são adaptadas à Conceição Paiva. experiências das organizações presente. “Estamos indo nas contribuir com outras instituições depois, ela continua com seu região, e garantem alimento para que compõem a articulação e organizações, conversando e e qualificando a execução das banco de sementes, entre grãos, Também é importante guardar as famílias e uma renda numa respeitando as autonomias mostrando a importância delas na construções das tecnologias. “A ervas medicinais e hortaliças. as sementes para evitar que as necessidade. Uma roça institucionais, em 2007 ela execução dos programas e comissão de monitoramento está “Guardando minhas sementes eu famílias fiquem dependentes diversificada seja com um sistema iniciou suas ações. enquanto debate na ASA/PE”, em um processo inicial contínuo garanto uma alimentação saudável apenas de doações durante o agroflorestal ou não, garante detalha Rodolfo. de construção coletiva, para minha família, pois não planto inverno, o que acaba atrasando alimento e renda para as famílias e Atualmente o grupo é formado aprimorando sua estratégia de usando veneno”, diz Lucineide. o plantio nas primeiras chuvas. sem sementes isso não é possível. por integrantes da Diocese de Com o acompanhamento, a atuação, firmando–se como um Por isso, as casas e bancos de Caruaru, Caatinga e Diaconia. “A comissão conseguiu com que as instrumento importante para a Quando falamos de convivência As sementes devem ser sementes familiares ou idéia surgiu da necessidade de organizações conhecessem as ASA e contribuindo também na com o Semiárido, falamos guardadas com o objetivo de comunitários são fundamentais acompanhar as organizações para dinâmicas umas das outras e formação dos seus integrantes”, também em manutenção da garantir a perpetuação da cultura para que se mantenha a que houvesse um nivelamento trocassem conhecimentos. diz Aldo Santos, um dos agrobiodiversidade, que significa d e p l a n t a s . “A s f a m í l i a s qualidade do que será plantado dos trabalhos. Com isso, o estado Rodolfo afirma que esse trabalho coordenadores da ASA/PE. diversidade da vida na agricultura. agricultoras cultivam essa ano a ano. 06 07
  5. 5. ASA Pernambuco Fortalecimento das nas ondas do rádio mulheres do Semiárido Conheça os programas de rádio da ASA/PE ASA Pernambuco trabalha na busca da construção da igualdade Uma forma de conhecer os de gênero na execução dos programas trabalhos realizados pelas organizações que compõe a ASA Foto: Rafaella Sabino Pernambuco é por meio dos programas de rádio. Com eles, os agricultores e agricultoras ficam sabendo das notícias, recebem dicas agroecológicas, se informam sobre seus direitos, sobre as agendas das instituições, e têm abertura direta para participarem da programação. Se você também quer acompanhar, anote os dias e horários dos programas da sua região ou escute pela internet. Programas: A agricultora Vilany Vicente Ferreira, de Lagoinha, em Salgueiro, Programa Apostando no ajudou a construir sua própria cisterna e a de vizinhos. Semiárido, aos domingos, das A vida das mulheres no Semiárido tem Nas atividades da ASA, as mulheres 9h às 9h30, na Rádio Vilabela FM, mudado progressivamente. Os são envolvidas em todos os processos, em Serra Talhada. programas da Articulação no Semi- o que estimula sua autonomia. Elas Organização: Cecor Árido Brasileiro (ASA) vêm participam da formação das Programa Educação e contribuindo para essa mudança. comissões municipais, das reuniões de Cidadania, as sextas-feiras, das Hoje, o acesso à água e aos meios de mobilização, das capacitações em 12h às 12h30, na Rádio Pajeú produção é uma realidade. E com essa gerenciamento de recursos hídricos, AM, em Afogados da Ingazeira. produção, elas geram renda para a das capacitações em gestão de água www.superpajeu.com.br família e conquistam seu espaço. para produção de alimentos e Organização: Diaconia discutem temas como convivência Programa Em Sintonia com As mulheres são as maiores com o Semiárido e cidadania. Além a Natureza, as terças-feiras, beneficiadas com a conquista das disso, existe também a formação de das 11h às 11h30, na Rádio cisternas. Não depender de carros mulheres pedreiras. Triunfo FM, em Triunfo. pipas é algo que fez a diferença na vida www.triunfofm.com.br “Há a quebra do paradigma de que só delas, uma vez que, além de os homens podem construir, trabalhar Organização: Centro Sabiá. trabalharem na roça, cuidam da casa. como pedreiro. A formação mostra Programa Fala Mulher, aos Com a cisterna próxima à propriedade, para a sociedade que as mulheres são domingos, das 12h às 13h, na a mulher ganha mais tempo para se capazes de construir cisternas. Mostra Rádio Transertaneja FM 96,7, em dedicar ao lazer, participar da vida da também a elas próprias, porque antes Afogados da Ingazeira. comunidade e cuidar de si mesma. da formação elas não se sentiam www.transertanejafm.com “Antes eu ia buscar água longe, e hoje capazes. Hoje, dizem que são capazes Organização: Casa da Mulher não preciso mais porque tenho o de construir cisternas e muito mais”, do Nordeste suficiente e de qualidade na minha explica Geneildo Alves, técnico da Casa Programa Sabedoria casa, de um telhado que eu conheço e da Mulher do Nordeste, organização Sertaneja, as quintas-feiras, sei como foi feita a higienização”, gestora do Programa Um Milhão de das 6h às 7h, na Rádio Grande afirma a agricultora Lidiane dos Santos Cisternas (P1MC), no Sertão do Pajeú Serra FM 94,3, em Araripina. Silva, do Sítio Alça de Peia, em de Pernambuco e integrante da ASA www.radiograndeserra.com.br AfogadosdaIngazeira Pernambuco. Organização: Chapada . 08

×