Sebrae Pe Geor T1 2007 Desenv Do Turismo Rural E Religioso Garanhuns

964 visualizações

Publicada em

  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sebrae Pe Geor T1 2007 Desenv Do Turismo Rural E Religioso Garanhuns

  1. 1. PROJETO SEBRAE Turismo Rural e Religioso do Agreste Pernambucano, Garanhuns - GEOR Fevereiro de 2008
  2. 2. Sumário 1. Apresentação .................................................................................................................... 03 2. Metodologia .................................................................................................................... 04 2.1 Plano amostral .................................................................................................................... 04 . 2.2 Hipóteses Levantadas ............................................................................................................. 05 . 2.3 Etapas da Pesquisa .............................................................................................................. 05 . 3. Análise dos Dados .............................................................................................................. 06 3.1 Análise dos Resultados Intermediários e Finalísticos Objetivados pelo SEBRAE ............ 06 3.1.1. Resultado 1 - Finalístico ............................................................................................... 06 3.1.2. Resultado 2 - Finalístico ............................................................................................... 07 3.1.3. Resultado 3 - Intermediário ............................................................................................... 08 3.1.4. Resultado 4 - Intermediário ............................................................................................... 19 3.1.5. Resultado 5 - Intermediário ............................................................................................... 10 3.2 Perfil do Entrevistado ............................................................................................................ 12 4.0 Conclusão ......................................................................................................................... 16
  3. 3. 1. Apresentação A principal finalidade deste relatório é descrever as informações básicas necessárias para avaliação e análise do projeto “Turismo Rural e Religioso do Agreste Pernambucano, Garanhuns - Geor”. Este projeto foi concebido pelo SEBRAE com o objetivo geral de elevar o nível de competitividade entre as empresas relacionadas com o turismo na região. O SEBRAE-PE dividiu o projeto em resultados Intermediários e Finalísticos. Para cada resultado foi construído um indicador capaz de mediar a situação das empresas que fazem parte tanto do projeto quanto do grupo de controle. Esses indicadores foram mensurados e comparados, sem perder de vista os focos estratégicos a serem atacados durante a execução do trabalho. A Compet Consultoria, Marketing, Pesquisas e Treinamentos analisa os resultados intermediários T1 (Referente ao ano de 2006 e o 1º semestre de 2007) procurando confrontar, na medida do possível, com os resultados obtidos na fase inicial T0 (Referente ao ano de 2005). As informações contidas neste relatório são expressas de forma simples, visando facilitar a compreensão dos dados analisados. O resultado final é apresentado em forma de gráficos, tabelas e quadros.
  4. 4. 2. Metodologia da Pesquisa 2.1. Plano Amostral O público alvo, de onde foram sorteadas as empresas vinculadas ao projeto, é constituído de 180 Micro e pequenas empresas, sendo elas; • 60 empreendimentos turísticos de Garanhuns, Buíque, Saloá e São Benedito do Sul, como: bares, restaurantes, hotéis, pousadas, condutores de turismo; a Associação dos guias do Vale do Catimbau; • 120 artesãos distribuídos em núcleos produtivos de artesanato localizados em Garanhuns, Bom Conselho, Quipapá, São Bento do Una, Buíque e Correntes. A amostra1 é composta por 100 empresários colhidos dentre os segmentos acima mencionados (40 do grupo de controle e 60 vinculados ao projeto), sorteados de forma aleatória. A estratificação da amostra por município foi realizada a partir de plano amostral probabilístico proporcional ao tamanho dos estratos (PPT), podendo ser visualizada a seguir (Quadro A): Quadro A Estratificação da amostra por tipo município Municípios Tipo de Empresa Participantes Grupo de Total do Projeto Controle Bom Conselho Artesões 4 3 7 Buíque Agências/Receptivos 1 3 4 Correntes Artesões 8 5 13 Garanhuns Artesões 7 7 14 Garanhuns Agências/Receptivos 10 5 15 Garanhuns Bares/Restaurantes 5 3 8 Garanhuns Hotel/Pousada 3 2 5 Lajedo Artesões 1 1 2 Quipapá Artesões 10 6 16 São Bento do Una Artesões 11 5 16 Total 60 40 100 1 Amostra retirada do plano amostral criado pela empresa V&Q Consultores responsável pela criação dos indicadores T0 no ano de 2005.
  5. 5. No ano de 2005 foram realizadas 100 entrevistas. Nesta pesquisa, que avalia o ano de 2006 e 1º semestre de 2007, 88 dos 100 entrevistados participaram da consulta, 8 deles não foram localizados (5 do grupo de controle e 7 participantes do projeto). Para verificar informações mais detalhadas em relação ao motivo da não-reposta consulte o Quadro 11 em anexo. 2.2. Hipóteses Levantadas: • Se a evolução deverá ser no geral, positiva. • Se o desempenho médio das empresas apoiadas pelo SEBRAE será significativamente melhor do que o daquelas que fazem parte do grupo de controle. 2.3. Etapas da Pesquisa • Determinação do espaço amostral, delimitação da amostra e sua respectiva estratificação; • Elaboração do questionário com base na identificação das variáveis relevantes a pesquisa; • Aplicação dos questionários; • Lançamento, tabulação, análise estatística (no programa estatístico SPSS) e elaboração do relatório; • Elaboração da Apresentação do Relatório.
  6. 6. 3. Análise dos Dados 3.1. Análise dos Resultados Intermediários e Finalísticos Objetivados pelo SEBRAE 3.1.1. Resultado 1 (Finalística) – Aumentar em 30% a taxa de ocupação dos hotéis e pousadas de Agreste Meridional sendo 10% até 2006, 20% até 2007 e 30% até 2008 . Podemos verificar que houve um significativo crescimento na quantidade média de hóspedes por mês do grupo das empresas que fazem parte do projeto. No período de alta estação a média passou de 86 (2005) para 175 hóspedes (2006) e no período de baixa estação passou de 30 (2005) para 75 hóspedes (2006). Já as empresas do grupo de controle apresentaram queda na quantidade média de hóspedes acima de 50% em 2006, tanto no período de baixa estação, quanto no período de alta estação (Ver Gráfico1, Gráfico 2 e Quadro 10 em anexo). Gráfico 1 – Número médio de hóspedes no período de alta estação, Turismo Garanhuns, Pernambuco – GEOR. Participantes do Projeto Grupo de Controle Total 265 225 175 158 151 117 100 86 65 Ano de 2005 Ano de 2006 1º Semestre de 2007 Fonte: Compet Consultoria, Marketing, Pesquisas e Treinamentos, jan 2008.
  7. 7. Gráfico 2 – Número médio de hóspedes no período de baixa estação, Turismo Garanhuns, Pernambuco – GEOR. Participantes do Projeto Grupo de Controle Total 100 75 75 64 64 58 48 50 30 Ano de 2005 Ano de 2006 1º Semestre de 2007 Fonte: Compet Consultoria, Marketing, Pesquisas e Treinamentos, jan 2008. 3.1.2 Resultado 2 (Finalístico) – Aumentar em 40% o volume de vendas das peças do artesanato da Região, sendo 10% até dezembro de 2006, 20% até 2007 e 40% até 2008 . Os dois grupos estudados apresentaram queda no faturamento médio mensal com artesanato regional. No grupo das empresas vinculadas ao projeto o faturamento médio passou de R$ 457,61 (2005) para R$ 303,86 (2006), queda de 33,6%. No grupo de controle a queda foi um pouco maior (37,96%), pois o faturamento médio que era de R$ 501,41 em 2005 passou para R$ 311,05 em 2006. (Ver Gráfico 3 e Quadro 10 em anexo). Podemos também, na Tabela 1 a seguir que mais de 50% das pesquisados faturam até R$ 300,00 com comercialização de artesanato na regional. Gráfico 3 – Faturamento médio mensal do artesanato regional, Turismo Garanhuns, Pernambuco – GEOR (em R$).
  8. 8. Participantes do Projeto Grupo de Controle Total 501,41 477,21 457,61 332,20 329,89 327,86 311,05 306,89 Ano de 2005 303,85 Ano de 2006 1º Semestre de 2007 Fonte: Compet Consultoria, Marketing, Pesquisas e Treinamentos, jan 2008. Tabela 1 – Faturamento mensal do artesanato regional, Turismo Garanhuns, Pernambuco – GEOR (em R$). Ano de 2006 1º Semestre de 2007 Classe de valores (R$) Grupo de Participante Grupo de Participante Total Total Controle do Projeto Controle do Projeto Até R$ 100,00 36,4% 37,0% 36,7% 35,0% 35,7% 35,4% De R$ 101,00 a R$ 200,00 13,6% 11,1% 12,2% 10,0% 7,1% 8,3% De R$ 201,00 a R$ 300,00 22,7% 14,8% 18,4% 10,0% 10,7% 10,4% De R$ 301,00 a R$ 400,00 9,1% 3,7% 6,1% 20,0% 14,3% 16,7% De R$ 401,00 a R$ 500,00 4,5% 18,5% 12,2% 5,0% 7,1% 6,3% Até R$ 500,00 13,6% 14,8% 14,3% 20,0% 25,0% 22,9% Total 100,0% 100,0% 100,0% 100,0% 100,0% 100,0% Fonte: Compet Consultoria, Marketing, Pesquisas e Treinamentos, jan 2008. 3.1.3 – Resultado 3 (Intermediário) – Aumento de 02 dias a permanência média do turista em Garanhuns nos equipamentos atendidos pelo projeto, sendo 1 dia até 2006, 1,5 até 2007 e 2 até 2008.
  9. 9. Não houve aumento na quantidade média de permanência dos turistas nos hotéis e pousadas vinculados ao projeto, porém a permanência media dos turistas decresceu acentuadamente nos equipamentos pertencentes ao grupo de controle (Ver Gráfico 4). Gráfico 4 – Permanência média de turistas nos equipamentos turísticos, Turismo Garanhuns, Pernambuco – GEOR (em dias). Participantes do Projeto Grupo de Controle Total 6 4 2 2 2 2 1 2 1 Ano de 2005 Ano de 2006 1º Semestre de 2007 Fonte: Compet Consultoria, Marketing, Pesquisas e Treinamentos, jan 2008. 3.1.4 – Resultado 4 (Intermediário) – Obter 70% da aprovação nos níveis “Bom e Ótimo” na avaliação dos clientes atendidos pelos estabelecimentos participantes do projeto de turismo do Agreste Meridional, sendo 20% até 2006, 40% ,até 2007 e 70% até 2008. Em relação ao grau de satisfação dos clientes atendidos nos estabelecimentos que fazem parte do projeto observamos que o nível de satisfação, em 2006, continua acima de 40%, embora tenha havido queda em relação ao valor do ano de 2005 (94,3%). Percebe-se que a qualidade no atendimento apresenta um desempenho melhor se comparada com as demais estudadas (Quadro 1 e Quadro 10 em anexo).
  10. 10. Quadro 1 – Grau de Satisfação dos atendidos pelos estabelecimentos participantes do projeto de turismo do Agreste Meridional, Turismo Garanhuns, Pernambuco – GEOR. Ano de 2006 Grau de Satisfação Grupo de Participante Total Controle do Projeto Quanto à qualidade no atendimento prestado Ótimo 50,00% 33,30% 40,00% pelos hotéis. Bom 50,00% 33,30% 40,00% Regular - 33,30% 20,00% Ruim - - - Péssimo - - - Total 100,00% 100,00% 100,00% Quanto à negociação de preços Ótimo 50,00% 33,30% 40,00% Bom - - - Regular - 33,30% 20,00% Ruim - 33,30% 20,00% Péssimo 50,00% 0,00% 20,00% Total 100,00% 100,00% 100,00% Quanto ao auxílio na escolha dos produtos Ótimo 50,00% 33,30% 40,00% disponibilizados Bom 50,00% - 20,00% Regular - 66,70% 40,00% Ruim - - - Péssimo - - - Total 100,00% 100,00% 100,00% Fonte: Compet Consultoria, Marketing, Pesquisas e Treinamentos, jan 2008. 3.1.5 – Resultado 5 (Intermediário) – Inserir os produtos dos artesãos participantes do projeto em 03 lojas de departamento com comercialização sistemática até 2008, sendo 1 loja até 2006, 2 lojas até 2007 e 3 lojas até 2008. Podemos notar que também ocorreu um aumento percentual na quantidade de empresas e empresários que vendem seus produtos para lojas de departamentos, principalmente entre as empresas que fazem parte do projeto (3% em 2005 e 12,1% em 2006). As empresas vinculadas ao projeto venderam seus produtos, em média, a 2 empresas de departamento no ano de 2006 (Tabela 2 e Quadro 10 em anexo).
  11. 11. Tabela 2 – Empresas e empresários que vendem seus produtos para lojas de departamentos, Turismo Garanhuns, Pernambuco – GEOR. Ano de 2006 1º Semestre de 2007 Classe de valores (R$) Grupo de Participante Grupo de Participante Total Total Controle do Projeto Controle do Projeto Sim 16,0% 12,1% 13,8% 20,0% 12,1% 15,5% Não 84,0% 84,8% 84,5% 80,0% 84,8% 82,8% Não respondeu - 3,0% 1,7% - 3,0% 1,7% Total 100,0% 100,0% 100,0% 100,0% 100,0% 100,0% Fonte: Compet Consultoria, Marketing, Pesquisas e Treinamentos, jan 2008.
  12. 12. 3.2 Perfil dos Entrevistados Quadro 2 – Empresas varejistas segundo algumas variáveis socioeconômicas, Turismo Granhuns, Pernambuco – GEOR. Tipo de Empresa Variáveis Socioeconômicas Grupo de Participante Total Controle do Projeto Sexo Masculino 41,7% 42,3% 42,0% Feminino 58,3% 57,7% 58,0% Total 100,0% 100,0% 100,0% Escolaridade Ensino Fundamental 38,9% 26,9% 31,8% Ensino Médio 47,2% 46,2% 46,6% Ensino Superior 5,6% 21,2% 14,8% Pós-Graduação 8,3% 5,8% 6,8% Total 100,0% 100,0% 100,0% Atividade Exercida Anteriormente Empregado de micro e pequena empresa 16,7% 15,4% 15,9% Empregado de média ou grande empresa de outra atividade 2,8% 7,7% 5,7% Empregado de micro ou pequena empresa do setor - - - Empregado de média ou grande empresa do setor - - - Funcionário público 27,8% 36,5% 33,0% Empresário em outra localidade 2,8% - 1,1% Atuou em setor rural 5,6% 7,7% 6,8% Não exerce outra atividade 25,0% 15,4% 19,3% Outra* 19,4% 17,3% 18,2% Total 100,0% 100,0% 100,0% Fonte: Compet Consultoria, Marketing, Pesquisas e Treinamentos, jan 2008. Anexo do Quadro 3 * Outras Atividades Grupo de Participante Total (Autônomos) Controle do Projeto Comerciante - 3,8% 2,3% Costureira 5,6% 1,9% 3,4% Cozinheiro - 1,9% 1,1% Doméstica 2,8% - 1,1% Motorista 2,8% 1,9% 2,3% Panificador - 1,9% 1,1% Pedreiro - 3,8% 2,3%
  13. 13. Pintor de faixa 2,8% - 1,1% Professor 2,8% 1,9% 2,3% Vendedor 2,8% - 1,1% Total 100,0% 100,0% 100,0% Quadro 4 - Empresas varejistas empresa segundo tempo de atuação no ramo, Turismo Granhuns, Pernambuco – GEOR. Grupo de Participante Classe de tempo Total Controle do Projeto Até 5 anos 42,9% 36,5% 39,1% De 6 a 10 anos 22,9% 28,8% 26,4% De 11 a 15 anos 20,0% 11,5% 14,9% De 16 a 20 anos 11,4% 11,5% 11,5% De 21 a 25 anos - 1,9% 1,1% Acima de 25 anos 2,9% 9,6% 6,9% Total 100,0% 100,0% 100,0% Fonte: Compet Consultoria, Marketing, Pesquisas e Treinamentos, jan 2008. Quadro 5 – Empresas varejistas segundo grau de satisfação com os serviços oferecidos pelo SEBARE-PE, Turismo Granhuns, Pernambuco – GEOR. Ano de 2006 1º Semestre de 2007 Opinião Grupo de Participante Grupo de Participante Total Total Controle do Projeto Controle do Projeto Ótimo 25,0% 26,9% 26,1% 30,6% 30,8% 30,7% BOM 52,8% 57,7% 55,7% 47,2% 53,8% 51,1% Regular 16,7% 11,5% 13,6% 16,7% 9,6% 12,5% Ruim 2,8% 3,8% 3,4% 2,8% 3,8% 3,4% Péssimo 2,8% - 1,1% 2,8% 1,9% 2,3% Total 100,0% 100,0% 100,0% 100,0% 100,0% 100,0% Fonte: Compet Consultoria, Marketing, Pesquisas e Treinamentos, jan 2008. Quadro 6 - Empresas varejistas segundo quantidade de funcionários com ou sem carteira assinada, Turismo Granhuns, Pernambuco – GEOR. Ano de 2006 1º Semestre de 2007 Classe Grupo de Participante Grupo de Participante Total Total Controle do Projeto Controle do Projeto Até 5 91,7% 88,5% 89,8% 88,9% 88,5% 88,6% De 6 a 10 2,8% 5,8% 4,5% 5,6% 5,8% 5,7% De 11 a 15 2,8% 1,9% 2,3% 2,8% 1,9% 2,3% Acima de 15 2,8% 3,8% 3,4% 2,8% 3,8% 3,4% Total 100,0% 100,0% 100,0% 100,0% 100,0% 100,0% Fonte: Compet Consultoria, Marketing, Pesquisas e Treinamentos, jan 2008.
  14. 14. Quadro 7 – Empresas varejistas segundo quantidade de empregados e os cargos que ocupam Turismo Granhuns, Pernambuco – GEOR. Ano de 2006 1º Semestre de 2007 Quantidade de Empregados Grupo de Participante Grupo de Participante Total Total Controle do Projeto Controle do Projeto Menor Nenhum 97,2% 96,2% 96,6% 100,0% 96,2% 97,7% Aprendiz Um 2,8% 1,9% 2,3% - - - Dois - 1,9% 1,1% - 3,8% 2,3% Total 100,0% 100,0% 100,0% 100,0% 100,0% 100,0% Estagiário Nenhum 91,7% 100,0% 96,6% 88,9% 100,0% 95,5% Um 2,8% - 1,1% 5,6% - 2,3% Dois 2,8% - 1,1% 5,6% - 2,3% Três - - - - - - Quatro 2,8% - 1,1% - - - Total 100,0% 100,0% 100,0% 100,0% 100,0% 100,0% Em fase de Nenhum 100,0% 96,2% 97,7% 94,4% 96,2% 95,5% experiência Um - 3,8% 2,3% 2,8% 3,8% 3,4% Três - - - 2,8% - 1,1% Total 100,0% 100,0% 100,0% 100,0% 100,0% 100,0% Tem função Nenhum 83,3% 86,5% 85,2% 83,3% 86,5% 85,2% de chefe Um 13,9% 3,8% 8,0% 13,9% 3,8% 8,0% Dois 2,8% 7,7% 5,7% 2,8% 7,7% 5,7% Quatro - 1,9% 1,1% - 1,9% 1,1% Total 100,0% 100,0% 100,0% 100,0% 100,0% 100,0% Vendedores Nenhum 91,7% 88,5% 89,8% 91,7% 88,5% 89,8% Um 2,8% 1,9% 2,3% 2,8% 1,9% 2,3% Dois 2,8% 5,8% 4,5% 2,8% 5,8% 4,5% Três - 1,9% 1,1% - - - Quatro 2,8% - 1,1% 2,8% 1,9% 2,3% Acima de Quatro - 1,9% 1,1% - 1,9% 1,1% Total 100,0% 100,0% 100,0% 100,0% 100,0% 100,0% Fonte: Compet Consultoria, Marketing, Pesquisas e Treinamentos, jan 2008. Quadro 8 – Empresas varejistas segundo opção pelo Super Simples, Turismo Granhuns, Pernambuco – GEOR. Ano de 2006 1º Semestre de 2007 Opinião Grupo de Participante do Grupo de Participante do Total Total Controle Projeto Controle Projeto Sim 5,6% 7,7% 6,8% 13,9% 19,2% 17,0% Não 83,3% 78,8% 80,7% 86,1% 78,8% 81,8% Não respondeu 11,1% 13,5% 12,5% - 1,9% 1,1% Total 100,0% 100,0% 100,0% 100,0% 100,0% 100,0% Fonte: Compet Consultoria, Marketing, Pesquisas e Treinamentos, jan 2008
  15. 15. Quadro 9 - Empresas varejistas segundo participação em entidades associativas, Turismo Granhuns, Pernambuco – GEOR. Ano de 2006 Classe Grupo de Participante Total Controle do Projeto Sindicato 11,1% 7,7% 9,1% Cooperativa - - - Outras Associações* 25,0% 38,5% 33,0% Não Participa de Associações 63,9% 53,8% 58,0% Total 100,0% 100,0% 100,0% Fonte: Compet Consultoria, Marketing, Pesquisas e Treinamentos, jan 2008. *Relação de Associações: ACQ - Assoc. Cultural de Quipapá, AGTURC, AMVIC (Assoc. dos Moradores da Vila do Cruzeiro - Quipapá -PE), ASMUC, Associação dos Artesãos de Bom Jesus, Associação dos Artesãos de Garanhuns, Associação Zé Bias, Associação dos Jovens Amigos de Quipapá, ASTAG, Associação dos Artesãos de Bom Conselho, Casa do Artesão, GETURC, AGIC, MADESC e RTX.
  16. 16. 4. Conclusão O projeto Turismo Rural e Religioso do Agreste Pernambucano, Garanhuns - Geor idealizado pelo SEBRAE, está fundamentado nas hipóteses levantadas no início do trabalho que visa verificar se evolução deverá ser, no geral, positiva e se o desempenho médio das empresas apoiadas pelo SEBRAE-PE será significativamente melhor do que o daquelas que fazem parte do grupo de controle. Com base nessas hipóteses concluímos que: • Houve aumento na quantidade média mensal de hóspedes no grupo das empresas vinculadas ao projeto tanto nos meses de alta estação, quanto nos meses de baixa estação; • O faturamento médio com artesanato regional decresceu nas empresas do grupo de controle e nas empresas vinculadas ao projeto; • Não houve alteração no valor da média de diárias por hóspedes nos hotéis e pousadas que fazem parte do projeto; • A satisfação com atendimento prestado pelos equipamentos continua acima da meta estabelecida de 40% para empresas participantes do projeto; • E por fim, os artesãos participantes do projeto passaram a negociar seus produtos, em média, com 2 empresas de departamento, uma a mais que o ano de 2005.

×